EssUP - Essential Unified Process

687 visualizações

Publicada em

Processo Essencial Unificado

Publicada em: Tecnologia
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

EssUP - Essential Unified Process

  1. 1. EssUP Essential Unified Process Processo Essencial Unificado Djonathas Cardoso Sérgio Barros
  2. 2. Entendendo o que é o EssUP O EssUp surgiu a partir de um termo... Necessidade Agilidade Flexibilidade Adaptabilidade
  3. 3. Surgimento do EssUP EssUP Sueco (+1939) Essential Unified Process UML, Objectory, RUP Ivar Jacobson Novembro / 2005 Apresentou uma proposta de melhorias referente UP/RUP Ciência da Computação Ms. Engenharia Elétrica Ph D (Tese - Construções de linguagem para Grandes Sistemas de Tempo Real)
  4. 4. Entendendo o que é o EssUP É um novo começo de integração de práticas de sucesso provenientes de três campos principais de processos. O campo de processo unificado O campo de métodos ágeis O campo de maturidade do processo
  5. 5. Entendendo o que é o EssUP Um conjunto 8 principais práticas pré-construídas Base para a criação de processos de fins particulares Uma estrutura para a adição de novas práticas
  6. 6. Entendendo o que é o EssUP … ’60s ‘87 –’96 ‘97 –’98 ‘99 –’05 Ericsson Approach Objectory Process The Unified Process IBM Rational Unified Process Essential Unified Process
  7. 7. Entendendo o que é o EssUP • Um completo processo de desenvolvimento de software. • Entregue da maneira que mais lhe convier na plataforma que você usa. • Isso é fácil de adotar e adaptar.  Ágil  Leve  Universal  Extensível  Completo  Suficiente  Compreensível  Grátis  Open Source  Adaptável  Fácil de usar Arquitetura Iterativo Componente Caso de Uso Produto
  8. 8. O que é o EssUP ? É um conjunto de práticas que juntos formam o conhecimento essencial de um ciclo de vida completo de desenvolvimento de software.
  9. 9. Práticas do EssUP 5 práticas de criação/fundamentação 3 práticas de trabalho/suporte • As cinco práticas da criação abordar o trabalho de desenvolvimento técnico. • Para complementar a base técnica fornecida pelas práticas de desenvolvimento, três outras práticas que promove o trabalho em equipe eficaz e a melhoria de processos.
  10. 10. …o primeiro de uma nova geração de processos de desenvolvimento de software.
  11. 11. Práticas do EssUP Oito bases práticas de desenvolvimento de software. Práticas de Desenvolvimento e Técnico; Engenharia Social, Processo e outras práticas de suporte; Iteratação Essencial Arquitetura Essencial Casos de Uso Essencial Componentes Essencial Modelo Essencial Produto Essencial Processo Essencial Equipe Essencial
  12. 12. Práticas do EssUP Práticas de Desenvolvimento / Técnico; Iteração Essencial Ao usar o processo iterativo de desenvolvimento de software você aumenta suas chances de sucesso, desenvolvimento de sistemas de forma incremental ao longo de um número de iterações. A prática Iterativo Essencial permite dividir os projetos em série de menores e auto-suficientes.
  13. 13. Práticas do EssUP Práticas de Desenvolvimento / Técnico; Iteração Essencial  Gerir mais eficazmente a qualidade do tempo, e as expectativas de custo  Demonstrar software trabalhando no início do projeto e obter um feedback dos clientes e usuários  Ser ágil na resposta à mudança  Bulds constantes de alta qualidade, soluções mais adequadas  Ter um sistema disponível no início do projeto que gradativamente cresce no sistema concluído
  14. 14. Práticas do EssUP Práticas de Desenvolvimento / Técnico; Arquitetura Essencial A Arquitetura Prática Essencial aborda os riscos técnicos associados a um projeto e estabelece uma arquitetura de software adequado para desenvolver um sistema robusto e de alta qualidade.
  15. 15. Práticas do EssUP Práticas de Desenvolvimento / Técnico; Arquitetura Essencial  Tratar eficazmente os riscos técnicos associados a um projeto  Compartilhar decisões importantes em torno da estrutura e organização do sistema implementado  Verifique se o sistema apresenta as principais características esperadas pelo cliente  Objetivamente provar a abordagem escolhida se encaixa no propósito  Estabelecer uma base sólida para o desenvolvimento incremental de uma solução
  16. 16. Práticas do EssUP Práticas de Desenvolvimento / Técnico; Caso de Uso Essencial Casos de Uso prática Essencial oferece uma maneira ágil, escalável para gerenciar os requisitos de usuários, desenvolvimento e teste do sistema para resultados sustentáveis.
  17. 17. Práticas do EssUP Práticas de Desenvolvimento / Técnico; Caso de Uso Essencial  Trabalhar com clientes para capturar os requisitos realmente essenciais  Trabalhar em conjunto de forma mais eficaz para desenvolver rapidamente uma solução utilizável  Identificar e entregar o valor esperado do sistema  Estabelecer o nível correto de detalhe requisitos para apoiar as suas necessidades e as necessidades de seus clientes  Priorizar requisitos para identificar uma solução mínima e conduzir o desenvolvimento iterativo  Use uma abordagem sistemática para garantir a correta concepção, implementação e verificação de requisitos
  18. 18. Práticas do EssUP Práticas de Desenvolvimento / Técnico; Componentes Essencial Desenvolver sistemas complexos como os conjuntos de componentes menores e mais simples.
  19. 19. Práticas do EssUP Práticas de Desenvolvimento / Técnico; Componentes Essencial  Gerir a complexidade associada com o desenvolvimento de sistemas de software  Desenvolver sistemas complexos de uma forma extensível e de fácil manutenção  Desenvolver e verificar as peças separadas de um sistema independente e em paralelo  Identificar oportunidades de reuso e aproveitamento de componentes reutilizáveis  Utilizar estruturas de terceiros e bibliotecas de componentes
  20. 20. Práticas do EssUP Práticas de Desenvolvimento / Técnico; Modelo Essencial Estabelecer o direito estilo e tipo de modelos para facilitar a comunicação, produzir documentação útil e atividades de desenvolvimento da unidade.
  21. 21. Práticas do EssUP Práticas de Desenvolvimento / Técnico; Modelo Essencial  Ver o sistema a partir de diferentes perspectivas e entender como eles se relacionam entre si  Empregar os modelos certos para atender às necessidades do projeto  Tome uma abordagem ágil para modelagem e documentação  Foco no que é essencial, evitando "modelagem parada" e documentação desnecessária  Use ferramentas inteligentes entre modelos e documentos, bem como a geração automática de resultados
  22. 22. Práticas do EssUP Engenharia Social, Processo e outras práticas de suporte; Produto Essencial Gerenciar o desenvolvimento de evoluções sucessivas de um sistema de software como uma série de lançamentos de produtos com processo de produção.
  23. 23. Práticas do EssUP Engenharia Social, Processo e outras práticas de suporte; Produto Essencial  Desenvolver um caso de negócios para o seu produto  Planejar o projeto como uma série de lançamentos de produtos principais, cada um dos quais proporciona benefícios reais de negócios  Envolver as partes interessadas no processo de tomada de decisão  Certifique-se que o produto atende às necessidades reais das partes interessadas  Gerenciar evolução do software em um ambiente controlado, focada em negócios
  24. 24. Práticas do EssUP Engenharia Social, Processo e outras práticas de suporte; Processo Essencial Torna mais simples de adaptar e melhorar as práticas de uma equipe, bem como criar melhorias de processos enxutos de software
  25. 25. Práticas do EssUP Engenharia Social, Processo e outras práticas de suporte; Processo Essencial  Identificar, preparar e montar um conjunto de práticas adequadas e ferramentas para apoiar os objetivos do projeto  Introduzir novas práticas, individualmente, de forma gradual e conforme a necessidade  Equilibrar e integrar as práticas padrão e local, preservando o que sua equipe faz bem ao abordar áreas que precisam ser melhoradas  Evolua suas práticas e da forma como você usa as ferramentas-base na sua experiência e as lições aprendidas
  26. 26. Práticas do EssUP Engenharia Social, Processo e outras práticas de suporte; Equipe Essencial Reunir uma equipe de projeto de software e estabelecer um ambiente de trabalho eficaz.
  27. 27. Práticas do EssUP Engenharia Social, Processo e outras práticas de suporte; Equipe Essencial  Adote liderança apropriada e padrões organizacionais  Definir e desenvolver um bom ambiente de trabalho para a equipe  Estabelecer e obter as competências necessárias para ter sucesso  Desenvolver formas eficazes para colaborar e organizar o trabalho
  28. 28. Como funciona o EssUP ? Cada prática é apresentada como um conjunto de cartões de processos que contêm os elementos necessários para construir o processo desejado, incluindo as competências, atividades e artefatos. Os cartões ajuda a construir e usar o processo. A metáfora cartão faz com que o próprio processo ágil e fácil de usar.
  29. 29. Como funciona o EssUP ? Exibido eletronicamente ou apresentadas como cartões físicos, eles são facilmente manipulados para facilitar a adoção de processos, planejamento de projeto, e para fornecer uma referência útil para os profissionais. Os cartões de trazer o processo para a vida e torná-lo mais visível do que um web site ou livro.
  30. 30. st Te e as C ify st Te U C D D • Uma prática é um conjunto de cartões • est te T ecu Ex ress rog ck P Tra Use-C ase S pecific ation ec Sp om st Cu en ta er Individ ual different Flows may hav degree s of ela e boratio n R r ep Am ti Ac Us ag an M ly pe ve Sco e th ts s ec es Dir usin B ied nif ion 24 UC revis ng ati ic un h e : m g th to m rou h am co o ic te d th wh e an s a in th ng Ha ain . lp eri ds. om yed he ity f th e d s un s o ga ne e plo ve ort ed at er f th de tati pp ne ts d ld o e n o d en ille ho ge l b ese ss an rs m Sk ke led wil epr ities lde ine s ire sta ow tion r r ior qu ho us lem re m kn lu me pr ke e b rob e so sto ne sta d th e p th ste fi ate d sy Cu De ntify tan d th ers lu s e n • Id der sta hold eva vere ng • Un der take and deli 24 eli • od ion Un e s re the : ge ls er m vis th ptu te ills led skil • re in att Ca lida l Sk now on ng t M rt ati • Va ntia in k icati jec pe ip • ub Ex se ma un st artic ct S Es Do mm tru f p oje or • Co ilds le o Pr vis r o • Bu pab ns 6 Ad ad io 0 • ss Ca ss 20 es ba er se • al, Inte rnat iona l, 20 06 • d an ts pu . in f io st e o m nar s d f te po ste ce an t o ur sy s g se e p t a ific DD c a nin UC th o e es r r n sp sig fin fo r o a de m r de ults e nts te fo th e s re se es e n sy ca d r wh lem efo tio of b st te g p da sts n d em te c tin im un te tio are syst ifie A xpe a tly : le fo sts ec table e valu ec ses a ting p : e te lts m to ts e n sp u e orr ca st f th resu id e e ecr st co o ex ta d are DD c e es st ov m a te on theb s ifie mr te test ftw UC ti 24 Te Pr ple ifyth that to spec :utco foe the on e so ec w ica n a o ns im io Sp lloerify sts tati e ts min f th s as • if g t o eet vis te er V c rm en th n it s • A pe fo how ntedet io men ltst m finin re to: er ow em oto d p st u sp • e plan d Te mu ll in ed on elo le C es the (d A e an m R Def p uat l e-c ev sts it log d a ck te grat s en: th Specified • ) wi imal nti th Ba te te d r et ed ys s • ev w ss d h S In le System e s P thu cte area entifi ogrete d lo w p e cu n ty utab : prted s lem ifie al e F m ec ss Id ci Fo 1ards Ex ste velo ec • E w.. n In repactumple e teob pr to es p Sy S and to 1.. paEx es enas y n d co tif b ressCas • ject c y Com..n tynis ide-C to ogTest pletio ecifie Pro rio er Sp stem ickl s d pr : m • 1 vi e ents Inte a Ste Sy ti n en U ie io ta r • Qu r p rsif nd ion6 e co evem gr hi e e •acUndeec na at ston ce ats efe n ic s Th • Rt: S1..ectifmile200 one ac : klog S ho and Terst e e Bac en: Tes PrSpsc d ailest edic m l, ste C hes wh ble d er Te cutabl • n n • •t ac ed et iaExe etem Sys Tes beyo sstio se a propl test d • • r As h as in lop adnd d com ar Deve cified rn o A use ity isap emuate d (suc en UCDD Spe tem V Le a e ef te -caed 24 st al Sys D Projectta fin In tiv dse lts: Ev sy ac en su tspe esse ve be sion an act dr n a e cificat s) Themm or den Sp d Re revi s ad ion ha ec Briefl so o D D ys test fect describ dresse band sten uses m Sy ified ite ste d Rec Tewhat the a st de d co • dep log n ansystem m st ltDescribed ad how io es Lea In ws Ja achBackss ios system d to achiev u Project re • • ievenar on te rifiedoe e flo ieda Te sExecutable e goa ar eg e tha as Ve s e SystemAnalyst Rsc gratit goal. Modul for rif Iv d Ve the acten l n • R © be or to Use-cate ke e-Case ked as Bullet mar In se has is know ed Ou eloper ck • Ba spe 2006 m ent e Uscificat ar ty Dev tline log • Cap Th be • turenal, en ionevem veloci hi s: n st io require ter have one ac team Te tio • Tes rnat ca me Exe Define d ss ifi Inte Milest ed an nts in con es: scenar ec cu Essenti Sp ce tex oach t ing rd ios • •bson te•a al OutlinProstem V Enablete co appr ss track re ctiv effe Te Jaco erify st rly •th Pro ded ste e d Sy ar on 24 st th e ogre gula ie le e ev vidat theto : e scope ma men U Te r revisi © Iv • utab ecnif us pr nag re CD dev al Re e m De Iden elopmco detail to velop Ex U ua th ex inuo driv sultsement D re tif Fully De ertial to they del tioent ntecut rate e the oth • Co activities n en y de iven val onst crite ss scribe su fectrDem ri able and ens er se roce d ue a re s Ess • E dP of Th cklogential that s an al, 2006 system ure that Ba Conte d pl e nifie thntson ac the te ati Test ey : lU 1g • Te•activNam st meets lts klo ity tia e Intern are e in Bac en Resu e • •st bson ad ase Ess Evacois co cutabl dresthe ba An : 1r Brief Des Ja Exe tem mpl Use-C le y lu • Iva Sys sed cklo Te Essential Modu eted Bac© D1 Bas ated cription ef st Unified ed g ic • Te • klog ects Flow Proces Specifi whe : s s System st 0..n AlteIden n: Ex Te oces ecuta rnative Es Res © Ivar Re st tifie Flo d Pr sent ble su Jacobs ults ws d an lts Unifie Sy ial Rec Inte on ste Un ntial m d ad om rnational, : Ana ified Esse • A 2006 lyze m ded Proc utom ende De d ess to fect • P d ap the at ro Ba proa cklog revision • M gram ed te 24 anua mat sting ches © Iv : ar ic l te Jaco stin testin bson g g Como funciona o EssUP ? Um cartão contém a descrição resumida das coisas para produzir e coisas para fazer; DD es e tiv © o ac rJ Iva on bs te In on ati rn Es U al nti se ss ce Pro A equipe / indivíduo trabalha sobre um conjunto de cartões de instância.
  31. 31. Atividade e Artefatos do EssUP Orientações Apoiado por orientações simples e referências.
  32. 32. Atividade e Artefatos do EssUP Cartão de Competências
  33. 33. Atividade e Artefatos do EssUP Cartão de Atividades
  34. 34. Atividade e Artefatos do EssUP Cartão de Artefatos
  35. 35. Os cartões possuem informações essenciais para atender determinada necessidade...
  36. 36. Referências Bibliográficas • • • • http://en.wikipedia.org/wiki/Essential_Unified_Process http://www.itsmc.com/Articles/The%20Essential%20Unified%20Process.pdf http://ebookbrowse.com/lif03-using-the-essential-unified-process-withvsts-ppt-d250608195 http://www.ivarjacobson.com/Practices/

×