Apresentação2 informaticaaplicada

215 visualizações

Publicada em

Economia de Energia, UNIPAM 2012

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
215
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
5
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Apresentação2 informaticaaplicada

  1. 1. Informática Aplicada a Engenharia ID’jenne R.de J.Pereira SilvaJosiane Tonelli Santana
  2. 2.  Energia Elétrica, prós.. E contras O futuro Na prateleira , economia O que o mercado tem a oferecer Tecnologia versus Energia Como reduzir a conta
  3. 3. O mundo da Tecnologia da Informação despertou para a necessidade da economia de energia.As empresas que seguem essas normas ganham o direitode usar o selo da Energy Star em seus produtos. Além deajudar a proteger o planeta a medida, ainda trazbenefícios para o orçamento das corporações, com aredução das contas de luz.
  4. 4. Antecipando as discussões ao redor do mundo sobre o aquecimento da Terra e suas conseqüências, diversos fabricantes já colocaram no mercado produtos como processadores, impressoras e monitores com recursos que permitem um consumo mais eficiente da energia. Uma das maiores se não for a maior invenções da Humanidade, a eletricidade é também um dos grandes vilões do meio ambiente,. sendo a principal causa do aquecimento global que tanto vem preocupando cientistas e especialistas
  5. 5. Sem a eletricidade, o homem não teria se desenvolvido, criadomáquinas ou inventado novas formas de se comunicar. Não teriachegado à Lua, viveria com menos conforto e não teria à suadisposição tantas formas de transporte. A informática, ossupercomputadores e todo um mundo de possibilidades nãoexistiriam. No entanto, a energia nem sempre é uma fonte inesgotável– tanto que o Brasil pode vir a ter problemas nesse setor já a partir de2008, segundo especialistas. Todas as etapas da indústria energética causam impactos ao meioambiente e à saúde humana. A extração de recursos como petróleo, carvão, biomassa ouhidroeletricidade muda os padrões de uso do solo, dos recursoshídricos, altera a cobertura vegetal e a composição atmosférica. Suaprodução e uso liberam substâncias – muitas delas, com propriedadescumulativas – que comprometem a sobrevivência do ser humano, dafauna e flora.
  6. 6. O efeito estufa é o fenômeno que faz com que a temperatura da Terra sejamaior do que seria na ausência de atmosfera. Dentro de um limite, elemantém a estabilidade da temperatura e é fundamental para a existência devida sobre o planeta, mas seu agravamento provoca o que chamamos deaquecimento global.
  7. 7. A terra recebe quase o dobro de energia da atmosfera do que recebe do Sole, por isso, sua temperatura é cerca de 30ºC mais quente do que seria sem apresença desses gases muitos deles produzidos naturalmente por erupçõesvulcânicas, decomposição de matérias orgânicas e pela fumaça de grandesincêndios.O fenômeno recebeu esse nome porque seu espessamento lembra muitouma estufa de vidro para plantas, como aquelas onde são cultivadasorquídeas.
  8. 8. Entre as conseqüências catastróficas do aquecimento do clima provocadopelo efeito estufa, estão:• o derretimento das calotas polares e de geleiras;• o nível de oceanos e lagos;• submergindo ilhas e amplas áreas litorâneas densamente povoadas;• a intensificação dos processos de desertificação e de proliferação de insetosem regiões tropicais e subtropicais;• desaparecimento de espécies animais e vegetais com a destruição de seushabitats naturais;• a multiplicação de fenômenos da natureza trágicos de grandes proporções,incluindo secas, inundações e furacões
  9. 9. O que a eletricidade tem a ver com isso?A produção de eletricidade em termoelétricas representa cerca de um terçodas emissões mundiais de dióxido de carbono, sendo seguida pelos setoresde transporte e industrial. E mesmo as hidroelétricas, consideradas fontes“limpas” de energia, têm lá seus problemas. De acordo com o professor Jannuzzi, o setor energético é responsável porgrande parte dos gases lançados na atmosfera: por 75% do dióxido decarbono lançado à atmosfera, 41% do chumbo, 85% das emissões deenxofre e aproximadamente 76% dos óxidos de nitrogênio.
  10. 10. A questão no Brasil Mesmo sendo bem avaliado mundialmente por causa da baixa emissão degases estufa o Brasil sempre ilustra as discussões sobre o superaquecimentoglobal, principalmente por deter grande parte da floresta amazônica. O paísassinou a carta de ratificação do protocolo de Kyoto em julho de 2002.
  11. 11. Eletrobrás, empresa de economia mista cujo maior acionista é o governofederal, criou o Comitê Coordenador das Atividades de Meio Ambiente doSetor Elétrico – COMASE. Outra iniciativa da Eletrobrás é o Procel,Programa Nacional de Conservação de Energia Elétrica. criado em 1985pelos Ministérios de Minas e Energia e da Indústria e Comércio parapromover a racionalização da produção e do consumo de energia elétrica. A idéia é eliminar os desperdícios e reduzir os custos e os investimentosdo setor, que entre 1986 e 2005 somaram R$ 858,25 milhões. As metas doProcel são o desenvolvimento tecnológico, segurança energética,eficiência econômica, novos parâmetros incorporados à cidadania e aredução de impactos ambientais.
  12. 12. O papel do Procel na redução dos impactos ambientais é permitirque a demanda de energia elétrica cresça no país sem que a ofertaseja ampliada na mesma proporção. O Procel possui, inclusive, um projeto para a criação de um prédiointeligente no Rio de Janeiro, em parceria com a Light, a ConstrutoraPrima e o Cepel-Centro de Pesquisas de Energia Elétrica daEletrobrás.
  13. 13. O campo da computação, que avança a passos largos no quesito eficiênciaenergética, como poderemos ver nos próximos módulos. Outra consultoria, a IDC, complementou a informação dizendo que oconsumo de energia é hoje uma das cinco maiores preocupações dosadministradores de sistemas.
  14. 14. Até 10% dos orçamentos de tecnologia de uma organização são gastos todos osanos com energia, disse Rakesh Kumar, da consultoria Gartner, ao jornal. Apenasmetade desse custo é usada pelos computadores; grande parte do consumo é para oresfriamento. O consumo de energia aumentou por causa da popularização da internet, diz amatéria, mas também pela forma como os computadores sempre foram projetadospara maximizar o desempenho a qualquer custo. Para se ter uma idéia, o consumomédio de um servidor cresceu de 150 watts para 400 watts nos últimos dez anos.Mas, aos poucos, chips com vários núcleos e sistemas de resfriamento maiseficientes começam a dominar o mercado em busca de soluções mais eficientesnesse campo. É a chamada “computação verde”, como gosta o Greenpeace,entrando em campo.
  15. 15. Uma das maiores se não for a maior invenções da Humanidade, aeletricidade é também um dos grandes vilões do meio ambiente, sendo aprincipal causa do aquecimento global que tanto vem preocupandocientistas e especialistas.
  16. 16. Governos, iniciativa privada e organizações sociais estãoempenhados em garantir que, no futuro, a energia seja utilizada deforma mais racional. Acordos entre países, campanhas deconscientização e regras mais rígidas de certificação certamenteimpulsionarão o desenvolvimento de produtos de informática eeletrônicos mais eficientes no consumo energético.
  17. 17. A conta de energia pesa no bolso de todo mundo. Não poderia ser diferente paraas empresas. A cada dia se tornam mais comuns medidas como a instalação desensores de presença, o desligamento das luzes fora dos horários de expedientee nos finais de semana, a troca das lâmpadas comuns pelas frias ou de menorpotência até a adoção de placas solares para a captação de energia.
  18. 18. O mercado brasileiro está repleto de produtos que ajudam a reduzir oconsumo de energia na empresa e em casa. As principais marcas da indústriajá oferecem refrigeradores, máquinas de lavar roupa, aparelhos de ar-condicionado, lâmpadas, reatores e motores eficientes em energia, que sãoidentificados para o consumidor com o selo do Procel - Programa deCombate ao Desperdício de Energia Elétrica (www.eletrobras.com/procel),do governo federal. O selo é concedido anualmente aos equipamentos queapresentam os melhores índices de eficiência energética e, para participar, ofabricante deve submeter seus produtos a testes específicos em laboratórioidôneo, indicado pelo Procel.
  19. 19. A elevação dos custos com energia e a falta de espaço para máquinasnas empresas colocaram os fabricantes de computadores em umaencruzilhada: quem não desenvolver equipamentos que reúnammelhor eficiência energética e maior desempenho corre o risco deperder a competitividade. Ao mesmo tempo, essas questõesimpulsionam a indústria de condicionamento de ar a criar novastecnologias.
  20. 20. Estudo do Departamento de Energia norte-americano mostra que o usode energia de um datacenter chega a ser 100 vezes superior ao uso de umprédio comercial comum. Mesmo em descanso, um servidor gasta 30%do seu consumo de energia apenas para ficar hibernando. Por essesmotivos, a questão do aumento dos gastos com eletricidade comcomputação nos Estados Unidos é muito relevante nas discussões anuaisde orçamento.
  21. 21. 1) Usar arquitetura escalonável modular para infra-estrutura de UPS e ar-condicionado.2) Consolidar servidores.3) Usar o modo econômico dos aparelhos de ar-condicionado.4) Usar uma distribuição de planta com corredores frios e quentes e colocar oscontroladores de ar em lugares adequados.5) Posicionar corretamente as grades de ventilação.6) Coordenar os aparelhos de ar-condicionado, evitando o uso de sistemasconcorrentes que secam e umidificam o ambiente, aumentando o desperdício.7) Instalar iluminação com controle de energia, como sensores de movimento.
  22. 22. Concluímos que o tema abordado é de extrema importânciaem ambas partes, tanto em empresas como domiciliares. Semcontar que a energia não é totalmente renovável e estasempre prejudicando o meio ambiente de algum modo.Portanto temos que ter consciência pois a missão doEngenheiro de Produção é relacionar problemas através deeconomia gerando assim mais produtividade.

×