Dizjornal132

474 visualizações

Publicada em

Edição 132

Publicada em: Internet
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
474
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
1
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Dizjornal132

  1. 1. Niterói 27/06 a 11/07/15 www.dizjornal.com Edição Online Para Um Milhão e Oitocentos Mil Leitores Zona Sul, Oceânica e Centro de Niterói 16 Mil Exemplares Impressos D i r e t o r R e s p o n s á v e l: E d g a r d F o n s e c a Circula por 15 dias 2ª Quinzena Nº 132 de Junho Ano 06 de 2015 Diz: Todo Mundo Gosta Violência em Niterói Não Dá Mais! Página 06 Contrariando Os Negativos Página 03 Modelo:ClaraPetrucci*Foto:JulioCerino
  2. 2. Niterói 27/06 a 11/07/15 www.dizjornal.com 2 Cultura Paulo Roberto Cecchetti prcecchetti@ig.com.br annaperet@gmail.com DIZ pra mim... (que eu conto) Anna Carolina Peret Edição na internet para Hum milhão e 800 mil leitores - O movimento cultural “Escritores ao ar Livro” promove sua festa caipira dia 05 de julho, domingo, a partir das 10 h. Vale conferir! - O livro Terapia Expressiva, de Denise Vianna tem a participação em um capítulo do ar- tista plástico Antonio Machado. Você encontra esta excelente obra na livraria EDUFF (Rua Miguel de Frias, nº 9 – Icaraí). Tire o Seu Sorriso do Caminho... A mo minha profissão. Trata-se de sen- timento forte, pesado, inexplicável. É algo visceral. Quiçá, doentio! O jor- nalismo é muito importante na minha vida. Eu chegaria a dizer que ele é a minha vida, de tanto que gosto! Na teoria e na prática, na oralidade e na prosa. E, dessa forma, conse- quentemente, faço o que posso para defender este meu grande amor. Financeiramente, já não é mais uma profissão viável faz tempo. Não que existam muitas profissões lucrativas atualmente... Entretanto, o jornalismo, em particular, já deixou de ser, a meu ver, uma opção realmente plausível de profissão a se escolher. Além de sermos desvalorizados, pi- fiamente pagos, somos perseguidos pelo vírus mortal da censura que se alastra pela nossa sociedade. Não há dúvidas de que desvalo- rizar esta profissão é uma estratégia política para alienar o povo que, sem informação, si- lencia-se na escuridão da ignorância. E, como sabemos, quanto maior for a desinformação, mais susceptíveis ficamos à ação malefica- mente orquestrada da corrupção que assola o país. O que me deixa ainda mais triste é que o jornalismo não sofre com o desemprego da mesma forma que as outras profissões sofrem. Nossa situação é mais grave. Muito mais! So- mos tripudiados pelo líder ideológico deste país. Há poucos dias, durante a abertura do congresso do PT, realizado em Salvador, Lula reforçou seu já ofi- cial desprezo pelas empresas de comu- nicação. E, foi além, celebrando de forma escancarada as de- missões de jornalistas ocorridas nos últimos meses. Lula chegou a afir- mar que a imprensa é o setor que mais desemprega do Bra- sil atualmente pois o público não quer mais ler as “mentiras” publicadas. Ou seja, nós, jornalistas, mentimos quando apuramos as verdades e as publicamos? Nós, jornalis- tas, mentimos quando não silenciamos e fa- vorecemos o PT? Nós, jornalistas, mentimos ao tentar alertar o povo das pilantragens que os políticos são capazes de fazer? Ora bolas, Sr. Lula, aprendi durante toda a minha vida e também no meu curso superior que falar a verdade era o correto. E assim o faço. Não me calarei para agradar-lhe. Não escreverei meias verdades – nem, muito menos, enormes men- tiras – a fim de que o senhor e diversos outros políticos, empreiteiros, doleiros, enfim, para que tal corja seja beneficiada. Digo e repito: não estou aqui pra isso. Não estou à venda! Gostaria apenas de poder contar com o res- peito do ex-presidente, quando o mesmo for falar da minha profissão. Lula, por favor, pelo menos disfarce sua felicidade frente ao nos- so desemprego. Esconda, por obséquio, seu sorriso solto quando souber que as grandes redações dos jornais desse país estão sendo diluídas. Você, melhor do que ninguém, sabe que este fenômeno não está apenas ligado às naturais transformações de um mercado competitivo e afetado pelas transformações tecnológicas. Países que vivem uma demo- cracia real mantém um jornalismo vivo, forte, independente da forma. Online ou off-line, a imprensa precisa ser brava, incólume, cora- josa! Ela precisa existir, falar, gritar, berrar e sobreviver a quaisquer possíveis ataques que a fizerem tremer. Um país sem mídias livres não passa de um conglomerado de pesso- as desorientadas, cegas, mudas e surdas, guiadas por um discurso político repleto de tirania e falsidade. Amigos, por favor, condenem-me se co- meto injustiça ao dizer que há algo de errado em uma nação, cujo “líder-filosófi- co” celebra a demissão em massa de uma categoria, correto? Ao dizer, feliz e re- tumbante, que “só neste ano, tivemos 50 demissões de jornalistas na Folha de São Paulo. Foram 120 demissões no Globo, 100 demissões no Estadão, 50 na Band e 120 na Editora Abril”; este senhor não apenas desmerece toda uma categoria de profissionais, como também desrespeita o di- reito constitucional, de todos os brasileiros, à informação! Não se trata apenas de um ata- que a um nicho social. Sinto-me violada tanto enquanto profissional como também como cidadã brasileira. Jamais conseguirei entender como um ex-sindicalista, que dizia entender, melhor do que ninguém, das dores do povo, consegue tripudiar assim da sua própria na- ção. Hoje, sinto-me triste, cansada, desiludida. Nós, da profissão, não perdemos diariamente apenas o emprego, o ganha-pão, a perspec- tiva. Estamos perdendo a voz. E, com isso, o Brasil perde a democracia. Senhor Lula, por favor, “tire o seu sorriso do caminho, que eu vou passar com a minha dor”. - A ASPI-UFF (Rua Passo da Pátria, nº 19 - São Domingos, promove no dia 30 de junho, 3ª feira, às 14 horas, tarde de autógrafos do livro “É Gosto Recuar nas Eras, Memórias de Rubens de Ararigboia”, de Ruben Baptista Pereira, organizado pela filha do autor, Maria Auxiliadora Batista Pereira Rosa (Dora Rosa). - Concorridíssima a posse de Alberto Araújo na Academia Niteroiense de Letras/ANL. - O Instituto Cultural Germâ- nico/ICG (Av. Sete de Setem- bro, nº 131 - Icaraí) apresenta a exposição “Cósmica”, de Luciene Valença, com vernis- sage dia 03 de julho, às 19h. A duração da expo vai de 04 de julho a 01 de agosto. Visi- tação gratuita, de 2ª a 6ª, das 15 às 20h; sábados, das 11 às 16h. Informações:galeria@ icgermanico.com.br - A Galeria de Arte La Salle (Rua Gastão Gonçalves, nº 79 - Santa Rosa), em parceria com a Aliança Francesa, apresenta a exposição “A Herança da Terra”. Inauguração dia 30 de junho, às 19h. Visitação até 26 de julho de 2015.
  3. 3. Niterói 27/06 a 11/07/15 www.dizjornal.com 3 Documento dizjornal@hotmail.com Edição na internet para Hum milhão e 700 mil leitores Não Dá Mais! O município de Niterói, que num passado recente foi tran- quilo, sofre nos dias atuais o maior nível de insegurança de toda sua história. Com a criação das Unidades de Pacifica- ção (UPPs) na cidade do Rio de Janeiro, onde a presença constante da PM afugenta os bandidos, a maior prejudicada foi a cidade de Niterói. Os bandidos migaram em massa para os morros e comunidades da Região Metropolitana. Ou seja: a mancha criminal se deslocou geograficamente para as ci- dades do entorno, especialmente Niterói. A cidade tranquila tornou-se vulnerável e com crescimento veloz dos delitos e perdeu sua identidade. A escalada de crimes contra a vida fez com que nas elei- O secretário de Segurança do esta- do José Mariano Beltrame, afirma que o número de registros de cri- mes em Niterói vêm diminuindo no semestre. Na contramão, o sentimento de insegurança continua crescendo na cidade. A questão, vista por registros em delegacias procede, mas, é preciso salientar que muitas vítimas não fazem registros das ocorrências, por total descrença nas buscas da polícia, principalmente e quando não há riscos de comprometimento, como o uso indevido de cartões de crédito e celulares. Os números disponíveis para avaliação são falhos, e inde- pendente da frequência, o que mais assusta é a gravidade das ações. Os latrocínios (roubos seguidos de morte) crescem e apavoram os moradores da cidade. Foram oito casos nos cinco primeiros meses deste ano. O pior de tudo é a ausência de res- postas no mesmo nível e grau, que incentiva a prática delituosa. Para ilustrar, um pequeno panorama dos úl- timos 10 dias exemplifica e oprime a todos. Uma colega jornalista, nadando pela Avenida Amaral Peixoto, durante o dia, em pleno mo- vimento, levou um soco no rosto de um assal- tante que a derrubou. Ela não havia oferecido resistência e o assaltante já estava de posse do seu celular. A violência foi apenas um ato de demonstração e certeza da impunidade. Ele fugiu sem ser abordado. Nesta semana em Piratininga, na Região Oce- ânica de Niterói, uma residência foi invadida por bandidos que levaram mais de R$ 10 mil em equipamentos eletrônicos e ainda fugiram do local levando a cadela de nome Mel, da raça Yorkshire. Este é apenas mais um caso entre dezenas ocorridos na abandonada Re- gião Oceânica. Nos bairros que se avizinham de comunida- des carentes é corriqueiro ouvir-se o barulho de tiros. Por “balas perdidas” muitos sofreram lesões graves e até morreram em consequên- cia. Quando estava com a mãe, identificada como Janaina Gomes Costa, um menor de 1 ano e quatro meses, foi atingido por uma bala na perna, próximo a um bar na comunidade Bu- raco do Boi, no Barreto, em Niterói. A mãe também foi atingida na mão. Mãe e filho fo- ram atingidos pelos disparos efetuados por ocupantes de um carro de cor escura que, segundo a polícia, o alvo, um homem de 18 anos, suspeito de ter envolvimento com o trá- fico de drogas, foi baleado e morreu no local. A Rua Sete de Setembro, em Icaraí, é conhe- cida por “Rua do Perdeu”, tamanha é a quan- tidade de assaltos praticados a qualquer hora do dia. Foi nesta rua que, vítima de um assal- to, perdeu a vida o desembargador Gilberto Fernandes, de 79 anos. A polícia pren- deu Aloísio da Costa Gonzaga Júnior acusado de esfaquear um taxista no bairro do Fonseca, em Niterói. A vítima, Marcio Antonio Mazzeto, foi golpeado mais de quinze vezes durante tentativa de assalto. Carlos Jorge Honorato Calmon, de 33 anos, foi morto com um tiro nas costas ao tentar fugir de assaltantes. Estava com a mulher e a filha de sete anos no seu car- ro, na Rua Marechal Deodoro, próximo ao Terminal Rodoviário João Goulart. Um menor de 16 anos foi preso, acusado de ser o autor dos disparos. Na Rua Mem de Sá, em Icaraí, muitos assaltos ocorrem. Ainda nesta semana, duas pessoas foram assaltadas por dois homens que utilizam um carro cinza. A Rua Domingues de Sá, também em Icaraí, é palco de “puxadores de carro”. Muitos veículos são furtados a qualquer hora do dia e da noite. Na semana passada os picos de violência causaram pânico na cidade. O prefeito de Niterói convocou uma reunião com autoridades do Estado e do município, representantes de entidades civis, como OAB, Conselho de Segurança, CDL, Ma- çonaria, etc. Foi muita gente, (mais até do que deveria), tornando-se uma gran- de reunião com muita pompa e poucas soluções objetivas. Foi muito mais uma satisfação à sociedade, do que um foro de ações palpáveis. O personagem central foi o secretário estadual de Segurança, delegado Federal José Maria Beltrame, que é muito obje- tivo e verdadeiro. Descartou a possibili- dade, (pelo menos imediata) de Niterói ter o 12º Batalhão da PM aumentado e exclusivo para o município de Niterói. Nos dias que se seguiram, dado a pres- são das entidades, concordou em levar o problema para discussão como o gover- nador Pezão. Mas, deixou clara a falta de recursos para custear esta medida. Desta “mega-reunião”, o ganho objetivo foi a presença de vinte e duas viaturas (motos) para policiamento móvel ostensivo, que será incorporada ao 12º Batalhão da PM. A prefeitura de Niterói está preparando um Centro de Observação (CISP), onde usará câmeras de vigilância e meios ele- trônicos para comunicação e integração das polícias Civil e Militar, além da Guar- da Municipal. A ideia é boa, embora deva seguir exata- mente como está no Plano apresentado. Se assim não for, será mais um projeto com boas perspectivas, lançado apres- sadamente para “mostrar serviço” e que não resultará na eficiência desejada. A situação do município de Niterói é grave e com tendência a piorar, principal- mente no ano que virá, com Olimpíadas no Rio de Janeiro e maior pressão sobre as quadrilhas. Acuadas pela “assepsia ur- bana” carioca, refletirá e proporcionará um acúmulo de bandidos que ingressarão nesta cidade sem pedir licença. Não há na cidade de Niterói um plano transparente e ações de segurança para estancar o crescimento da bandidagem, e nem a médio e longo prazo. As medi- das tomadas pelo secretário de segurança municipal atendem apenas a focos pontu- ais e imediatos, sem um desdobramento, integrando as duas polícias (PM e Civil). A prefeitura, reativamente e de forma impensada propõe armar a Guarda Muni- cipal. A princípio, pela insegurança exis- tente, pode parecer uma medida efetiva. Entretanto, se não houver um plano de treinamento intensivo e abrangente (in- cluindo a parte psicológica), poderemos ter mais um problema. Arma de fogo nas mãos de pessoas inabilitadas é fator de alto risco e a cidade ainda terá muito que chorar. Más, algo há de ser feito. Do jeito que está, não dá mais! A desejada sorte está lançada, pois o azar já é certo! ções municipais passadas fosse forte tema e motivação para campanha do atual prefeito, que por ser do PT, partido da atual presidente, prometia soluções imediatas, incluindo sua influência dentro das possibilidades e obrigações do Gover- no do Estado. A violência continuou crescendo e os apelos ao governo do Estado (principal responsável pela segurança) e ao gover- no Federal, não foram bastante para conter a progressão da violência e da insegurança. O governo do Estado, ainda na gestão do Sergio Cabral deixou muito a desejar, inclusive nos meses finais na gestão de Luís Fernando Pezão que já encon- trou irrecusavelmente o aumento da criminalidade. Aloísio da Costa Secretário de Segurança José Maria Beltrame
  4. 4. Niterói 27/06 a 11/07/15 www.dizjornal.com 4 Informes Expediente Edgard Fonseca Comunicação Ltda. Rua Otavio Carneiro 143/704 Niterói/RJ. Diretor Responsável: Edgard Fonseca Editor: Edgard Fonseca Registro Profíssional MT 29931/RJ Distribuição, circulação e logística: Ernesto Guadelupe Diagramação: Eri Alencar Impressão: Tribuna RJ Tiragem 16.000 exemplares Redação do Diz End: Rua Cônsul Francisco Cruz, nº 3 Centro - Niterói, RJ Tel: 3628-0552 | 36285252 | 9613-8634 Correspondência para Administração Rua Cônsul Francisco Cruz, nº 3 Centro - Niterói, - CEP 24.020-270 dizjornal@hotmail.com www.dizjornal.com Os artigos assinados são de integral e absoluta responsabilidade dos autores. D! Nutrição clara.petrucci@dizjornal.com | Instagram: Clara PetrucciEdição na internet para Hum milhão e 700 mil leitores A Vitamina D A vitamina do sol, aquela que sinte- tizamos quando somos expostos a luz solar e encontrada em alguns alimentos, está ligada não só ao auxílio da calcificação dos ossos, mas também na re- gulação de cerca de 1000 diferentes genes do corpo; e pode aumentar 30 vezes mais a capacidade cerebral de produzir serotoni- na, neuro transmissor que regula o humor. O Instituto de Pesquisa do Hospital Infantil de Oakland, na Califórnia tem feito grandes evoluções relacionadas ao descobrimento de funções importantes desta vitamina. Cerca de cinco por cento do genoma hu- mano está conectado de alguma forma com a vitamina D e ainda ressaltam es- tarem pesquisando sua relação com o autismo. Estes estudos auxiliam no escla- recimento de doenças mentais graves e na prevenção das mesmas. Este micro- nutriente auxilia na prevenção também do déficit de atenção e hiperatividade. Pesquisas realizadas no Arizona com células de rins humanos para mostrar sua ligação com DNA sintetizado tem sido de grande importância, além das pesquisas feitas com ratos que mostraram uma produção 30 ve- zes maior de serotonina com a vitamina D. Não tenha medo do Sol, coma peixes, cereais, ovos, mariscos e seja mais feliz. Muita vitamina D para todos! Centenário de Nascimento de Abeylard Pereira Gomes O PUR da Região de Pendotiba OPlano Urbanístico Regional (PUR) da Região de Pendotiba teve a sua primeira audiência legislati- va e foi marcada por críticas de mora- dores e representantes de instituições ligadas a área do meio ambiente e ur- banismo dirigidas ao projeto proposto pela Prefeitura. A tônica do projeto em discussão na Câmara é que a Re- gião precisa da preservação aliada ao crescimento responsável. Já a promotora Luciana Rodrigues (foto), de Tutela do Meio Ambiente do Ministério Público Estadual, lembrou a ação de 2013 que pedia a elabora- ção do PUR. “O MP considera insufi- ciente o diagnóstico apresentado pelo município. Pendotiba tem que ser tra- tada dentro do contexto da cidade e não de forma isolada.”, disse. O vice-prefeito de Niterói, Axel Grael (PV), ressaltou que o PUR é resultado de estudos detalhados e já foi debati- do com a sociedade organizada, com a comunidade local e agora, com o Legislativo. Antes de ser levado ao plenário para votação, o PUR de Pendotiba vai pas- sar por mais cinco audiências públicas legislativas, inclusive para esclarecer a chamada Lei dos Hotéis, com o obje- tivo de atender a demanda dos seto- res turístico e hoteleiro por conta da Olimpíada de 2016. No próximo dia 08 de julho, quarta-fei- ra, na sede da Academia Niteroiense de Letras (Rua Visconde do Uruguai, 456 – Centro, Niterói), às 17h, será realizada a Sessão de Homenagem ao Centenário de Nascimento de Abeylard Pereira Gomes. A palestra será feita pela acadêmica Neide Barros Rêgo. A entrada é franca. Segurança Pública na OAB Niterói No dia 7 de julho, a partir das 18 horas, no auditório da entida- de, a OAB Niterói debate a “Seguran- ça Pública” da cidade. O encontro terá como expositores a deputada estadual Martha Rocha (foto), ex-chefe da Po- lícia Civil e o advogado criminalista Ennio Figueiredo, presidente da Co- missão Antiviolência da OAB Niterói. O evento é coordenado por Namara Gurupy, presidente da Comissão OAB Mulher, e Bruno Rodriguez Paura, que preside a Comissão de Segurança Pública da entidade e atuará como mediador. Será con- cedida carga horária para estudantes. Neide Barros Rêgo
  5. 5. Niterói 27/06 a 11/07/15 www.dizjornal.com 5 InternetLaio Brenner - dizjornal@hotmail.com ORAÇÃOASANTO EXPEDITO Festa 19 de abril. Comemora-se todo dia 19 Se vc. está com algum , precisa de , peça a Santo Expedito. Ele é o Santo dos Negócios que precisam de pronta solução e cuja invocação nunca é tardia. Problema Difícil e aparentemente sem Solução Ajuda Urgente ORAÇÃO Obrigado. : Meu Santo Expedito da Causas Justas e Urgentes, socorrei-me nesta hora de aflição e desespero. Intercedei junto ao Nosso Senhor Jesus Cristo! Vós que sois o Santo dos Aflitos, Vós que sois o Santo das Causas Urgentes, protegei-me, ajudai-me, Dai-me Força, Coragem e Serenidade. Atendei o meu pedido: (fazer o pedido) Ajudai-me a superar estas Horas Difíceis, protegei-me de todos que possam me prejudicar; Protegei minha família, atendei o meu pedido com urgência. Devolvei-me a Paz a Tranqüilidade Serei grato pelo resto da minha vida e levarei seu nome a todos que têm fé. Rezar 1 Padre Nosso,1 Ave Maria e Fazer o sinal da cruz. “para que os pedidos sejam atendidos é necessário que sejam justos”. Agradeço a Santo Expedito a Graça Alcançada.Santo Expedito Dr. Helder Machado Urologia Tratamento de Cálculo Renal a Raio Laser Rua Dr. Celestino, 26 Centro - Niterói. Tels:2620-2084 /2613-1747 Clínica Atendemos UNIMED eParticular Atendimento 24H pelo tels: 8840-0001e9956-1620 Facebook “Light” O Facebook lan- çou nesta se- mana, no Bra- sil, o Facebook Lite, uma versão da rede social que utiliza menos dados, desenvolvida para cone- xões mais lentas. Algo muito útil para quem não possui Wi Fi e tem de acessar a rede através do 3G/4G disponível em nosso país, que é uma verdadeira vergonha. Pagamos a internet mais cara do mundo e temos a mais lenta. O App inclui as princi- pais experiências do Fa- cebook, como o News Feed, atualizações de status, fotos e notifica- ções. A instalação e o carregamen- to do aplicativo prometem ser bem mais velozes do que a versão co- mum, já que o Facebook Lite utiliza menos de 1MB. No entanto, e por causa disso, o programa não su- porta vídeos e serviços avançados de localização. O App funciona apenas para o sis- tema Android e já está disponível na Google Play Store. O Facebook Lite foi lança- do no início de junho em países da África e Ásia, e agora está disponível em países da América Latina e da Europa. O Facebook Lite integra um plano de expansão da rede social em mercados emergentes, do qual faz parte a iniciativa Internet. org, uma plataforma que tem como objetivo de conectar 4,5 bilhões de pessoas ainda sem acesso à internet no mundo, fato que tem gerado polêmi- cas pelo mundo. É o Facebook se ade- quando a internet péssi- ma, oferecida em alguns países, incluindo o nosso amado Brasil. Inte!!!
  6. 6. Niterói 27/06 a 11/07/15 www.dizjornal.com 6 Edgard Fonseca edgard.fonseca22@hotmail.com Edição na internet para Hum milhão e 700 mil leitores Contrariando os Negativos F ui assistir, na sede do PDT, a fala do secretário de Saúde do Estado do Rio de Janeiro, Felipe Peixoto, onde apre- sentou com dados fundamentados os cinco meses e meio a frente da difícil pasta. Uma militância fiel, que incluía o PDT (partido do secretário) e mais 10 partidos, aplaudiu o balanço destes meses iniciais, principalmente pela condição adversa e desfavorável da Saúde no Estado do Rio de Janeiro, e no atual cenário econômico. O estado iniciou o ano com imensos cortes dos recursos vindos dos royalties do petró- leo, crise econômica nacional e dificulda- de no recebimento dos repasses, além de queda na arrecadação. Um cenário de fazer chorar... Para assumir esta árdua tarefa precisa saber, gestão e sensibilidade, tanto administrativa, quanto política, pois representa a liderança, mas é aquele que contraria expectativas e interesses diversos e adversos. Como ele mesmo disse: “somente alguém de inteira confiança do governador poderia enfrentar um encargo de labirintos inespe- rados, povoados de interesses e disputas. Conto com o apoio incondicional do go- vernador e juntos vamos enfrentar todos os desafios.” A impressão que se tem é que a secretaria de Saúde é um saco sem fundo de demandas. Só alguém com o preparo intelectual e determinação que tem o Felipe pode atravessar este campo minado e movediço. É preciso muita coragem e altruísmo. É arriscar-se 24 horas a cada dia. Fez-me lembrar de Gilson Cantarino, que dedicou a sua vida ao interesse público. Homem honesto, digno e dedicado à causa ética, mas este universo implacável de contradições o tragou e vilipendiou. Acusaram-no de práticas que ele tanto combatia. Certamente para os homens sem pudor seria apenas mais um exercício das manobras mundanas. Mas, para um homem de bem, representa o grau da ne- gação das certezas humanas. Hoje, Gilson tem a saúde muito precária e a ausência das perspectivas existenciais. Foi o “prêmio” e a paga por tanto trabalho e dedicação. Resta-lhe apenas a dignidade de aço. Ex- clusividade dos lendários titãs. A Felipe Peixoto só podemos desejar suces- so nesta empreitada. E convoco a todos, pessoas do bem, para fazermos um cordão de isolamento nas provocações e infâmias, e proteção reativa para que ele atravesse este mar revolto sem jamais perder o ritmo e nem olhar para trás. São muitos ataques, vindos das mais inesperadas direções, em- baralhando palavras e ofuscando a boa vi- são. Com fé, das longas vagas ele sempre ressurgirá. No fim, será a embarcação vin- da das tempestades para resgatar a nossa cidade dos supostos corsários que dela se apropriaram e a fizeram sem rumo e sem cais. Poucas vezes esta cidade teve a oportunida- de de ter um executivo talhado sob medida para a cadeira de prefeito. Este desafio da secretaria de Saúde só o qualificará, mais ainda, na vivência defensiva dos enredos nefastos e convívio com as feras. Vencerá outras lutas e a batalha apenas começou... O nosso aguerrido vereador Paulo Eduardo Gomes propôs e vai levar adiante uma CPI que investiga a posse de contas bancárias na Suíça de Zeca Mocarzel e Jorge Roberto Silveira. É prerro- gativa de todos os vereadores e deputados investigarem o que desejarem. Gostaria apenas de vê-lo com mesmo empenho e sucesso na CPI sobre as relações da pre- feitura de Niterói com as empresas Arkitec e Translar. No caso Translar e Arkitec ele e seus pares não conseguiram emplacar uma CPI. Houve uma “blindagem” do executi- vo e não conseguiram as sete assinaturas necessárias. Estas empresas acabaram de ganhar na justiça o direito de continuida- de do fornecimento dos serviços que foram suspensos pela prefeitura após as denúncias da Rede Globo. Voltamos a ser tudo como era antes... No caso destas contas do HSBC, na Suí- ça, o Zeca Mocarzel já foi convocado por Sherlock Gomes deputados para responder em Brasília as perguntas esclare- cedoras sobre o fato. Em primeiro lugar, não é cri- me ter conta bancária na Su- íça. Encontraram as contas vazias e sem movimentação desde 2006. Como o exercí- cio fiscal dura cinco anos, se tinham alguma novidade, já caducaram. Se a Interpol e CIA não en- contraram relevâncias nas tais contas, vai ser a investigação do Paulo Edu- ardo que vai mudar tudo? Esta investigação já se encerrou na Suíça após acordo do banco com os procuradores, desde o início de junho. Mocarzel vai depor em Brasília. Acaso ele teria mais “conteúdos” do que apresentará aos deputados Federais? Fica parecendo perseguição ao mesmo tema, na vigésima fase da “Operação Não Dá Para Perdoar”, que Paulo Eduardo Go- mes dirige nos últimos vinte anos contra Mocarzel e Jorge Roberto. Ou vai sacudir seu eleitorado, sequioso de novidades expositivas dos “malvados capi- talistas”? Certamente, não há nada que uma boa mí- dia não consiga. Nem que sejam os meus inconvenientes comentários. Regularizando Débitos Diretoria Executiva e o Conselho Deliberativo do Canto do Rio Foot-ball Club, aprovou medida visan- do regularizar os débitos pendentes de seus associados. Todos os sócios que estiverem nessa situação, ganha- rão um excelente desconto. Os títulos com três ou mais contribuições em aberto serão cancelados. A partir de 01/08/2015, estará sus- pensa a venda de novos títulos; novos associados somente até 31/07/2015. O associado interessado deverá entrar em contato com a secretaria do clube: 2717-5023 ou 2629-1703. Felipe Peixoto Foto/DizJornal
  7. 7. Niterói 27/06 a 11/07/15 www.dizjornal.com 7 Edição na internet para Hum milhão e 700 mil leitores Salve Dini Heizer Pelos relevantes serviços prestados como membro da equipe do Governador do Dis- trito 6930 do Rotary Club, que abrange 45 clubes entre Boca Raton e Titusville na Flórida, a brasileira e niteroiense Dini Heizer recebeu o premio “Rotary Builder Award 2014/2015. Ela é executiva do jornal The Boca Raton Tribune e no dia 30 de junho tomará posse como presidente do clube de Rotarianos Brasileiros da Flórida. Homenagem a Lia Pinaud No dia do advogado do trabalho, dia 19 de junho, A OAB/Niterói, homenageou Lia Marcolini Pinaud pela brilhante atuação na área da Justiça do Trabalho. Lia Pinaud faz parte da equipe do escritório Pinaud Neto & Advogados Associados. Ela é filha de Maria Auxiliadora Marcolini Pinaud e do brilhante advogado trabalhista Luiz Miguel Pinaud Neto. Ônibus Instáveis Aexpectativa de uma cidade que cresce é incentivar o uso de transportes coletivos. Para tal, é preciso que os ve- ículos sejam sempre confortá- veis e regulares. Em Niterói, a linha campeã de conforto são os das linhas 30 e 31, da Via- ção Araçatuba. Difere até no comportamento dos motoris- tas e cobradores. São os mais educados e gentis na cidade. Entretanto, muita gente se queixa do funcionamento após a meia noite. Eles praticamente somem. Durante o dia sobram e a meia noite somem. Vai ver, são como as carruagens mágicas de Cinderela: viram abóboras. A Lei de Diretrizes Orçamentárias de 2016 Nesta segunda-feira, dia 29, às 14 horas, a Câmara de Vereadores de Niterói reali- za sessão extraordinária para discutir e aprovar a lei de diretrizes orçamentárias de 2016. O projeto já foi aprovado em primeira discussão no dia 25 de junho, quinta-feira, sem prejuízo das 177 emendas apresentadas pelos vereadores. Segue em análise pela comissão de Fiscalização Financeira, Controle e Orçamento. Por exigência da Lei de Res- ponsabilidade Fiscal, a LDO deve ser publicada em Diário Oficial até o dia 30 de junho. Desequilíbrio Ecológico Algum grave desequilíbrio na cadeia alimentar aconteceu em Niterói. A ausência de algum predador está fazendo com que a cidade esteja infestada de bor- rachudos. Nunca vi, nestes quarenta anos que moro na jamais vi situação igual. Moro no 11º andar, mais garagens e play e sa- lão de festas; equivale a um 15º andar. Os corredores do prédio estão cheios de mos- quitos, apesar da assepsia diária e química empregada. Já nem lembrava como era o barulho irritante dos mosquitos no ouvido impedindo o sono. O pior é não sabemos que mosquito é qual: Será o transmissor de qual doença? Dose pesada... Sergio Gomes Presidente da Câmara Paulo Bagueira Ulisses Franceschi Dini Heizer e o governador Juan Ortega
  8. 8. Niterói 27/06 a 11/07/15 www.dizjornal.com 8 Renda Fina Aniversariantes da Edição Daisy Miguel Domingos DAlmeida Aline Ciafrino Marco Mattos Daniela Abicalil Edição na internet para Hum milhão e 700 mil leitores Posse nas Academias de Letras Tomaram posse nas Academias de Letras Niteroiense e Fluminense os novos acadêmicos Alberto Araújo (Niteroiense) e Cláudia Cataldi (Fluminense). Para Cataldi a solenidade realizou-se na sede da entidade, na Biblioteca Pública de Niterói, no Centro. Ocupará a cadeira 17, que tem como patrono o jornalista Ezequiel Freire. Para Araujo, o acadêmico Paulo Roberto Cecchetti fez a saudação ao novo ocupante da cadeira Nº 22, patronímica de Sebastião Eurico Gonçalves de Lacerda, em festividade no Salão Nobre do Instituto Italiano de Cultura. Paulo Roberto Cecchetti,Marcia Pessanha e Alberto Araújo na Posse na ANL Waldenir de Bragança presidente da Academia Fluminense de Letras empossa Claudia Cataldi Debut de Natalia Ayrosa Lucas Ayrosa, Andrea Ayrosa, Natalia e Cesar Ayrosa A beleza de Sônia Andradelima adornando os eventos sociais da cidade
  9. 9. Niterói 27/06 a 11/07/15 www.dizjornal.com 9 Conexões erisveltonsantana@gmail.com E! Games dizjornal@hotmail.com Jêronimo Falconi O Futuro é Agora A forma de jogar videogame vem mudando radicalmente ao longo dos anos. Partimos dos joysticks enormes, passamos por controles meno- res e sem fio, até os atuais captadores de movimento. Tudo se transformou e o fu- turo promete mudar ainda mais. O “Project Morpheus”, um visor de re- alidade virtual, projetado pela Sony foi citado na E3 (Electronic Entertainment Expo), e se tornou uma das principais novidades do mercado dos games. Ain- da não teve o preço divulgado, mas como já sabemos, aqui no Brasil custará os olhos da cara. O Morpheus foi cria- do para ser um concorrente do Oculus Rift, acessório similar e que funciona no PC. O aparelho tem formato pareci- do com o do concorrente, porém com mais estilo e futurista. Acima de tudo, ele é leve e nada incomoda a quem o usa. Ao colocar o Project Morpheus, você “entra” em mundo novo, quase palpável devido ao nível de sugestão da realidade que ele possui; algo que tem que se ver para crer. A captação dos movimentos se dá através do “Move” (captador de movimentos do PS4) que permite toda a interação entre o mundo real e o mun- do virtual. É exibido em uma resolução de 1080p e em um campo de visão de 90 graus, com sensor de movimento realista e em tempo de sincronismo real. Além da qualidade gráfica invejável, o sistema de som espacial presente conse- gue simular até sessenta saídas de som simultâneas ao redor do usuário. Vale destacar que o “Project Morphseus” não é o único dentre as opções de visores de realidade virtual; há tambem o “Oculus Rift”, o “StarVR” e o “Gear VR”. Todos prometem uma verdadeira revolu- ção na forma de se jogar videogame. É esperar pra ver! Até a próxima! • Dá para vocês pedirem a prefeitura para mandar passar mais vezes o carro do “fu- macê” aqui no Vital Brasil? Os pernilon- gos estão nos devorando. É uma verdadeira praga e não sabemos se estes mosquitos (em grande número) transmitem também dengue e outras doenças. O fumacê Já pas- sou uma vez. Depois, não vi mais... • A Guarda Municipal tem que cuidar mais do nosso Campo de São Bento. Antigamen- te podíamos ficar horas lá dentro sem qual- quer preocupação. Hoje, os bandidinhos e uns maiores tiraram a nossa paz. Sabemos que já assaltaram outras pessoas. Somos aposentados e idosos e somos “patrimô- nio vivo da cidade”. A Guarda Municipal circulando e em número que se possa ver, vai afastar os meliantes da área. Se não der, vamos ter que apelar para PM, que já tem tanto que fazer¿ Deixa a PM cuidar dos ca- sos mais graves. A Guarda e seus cassetetes garantem tranquilidade no grande “pulmão verde” da cidade. Obrigado a vocês! • Esta obra do estacionamento em Charitas está parecendo “obra de igreja”. Tem hora para começar, mas, acabar... Só Deus sabe. Está incomodando a todos, com ocupação de um espaço comum a todos nós. Não sei se está certa, mas a impressão que tenho é que estão perdidos. Não sabem acabar. E estão “acabando” com o lugar e atrapalhan- do até a estação do Catamarã. Publiquem esta nossa indignação. • Pode parecer espalhafato, mas, Socor- ro!!!! Estamos com medo de andar na rua. A insegurança nos estressa. Até chegar a casa o último filho (e bem), ninguém dor- me. Socorro imprensa, pois o governo não está nos garantindo. • O Detran de Niterói (vistorias) é pe- queno para a cidade. Marcam vistorias para muitos dias depois do Dut pago. E se a Lei Seca nos pega, não querem saber se está tudo pago. Querem prender o car- ro e ainda somos multados. Não é justo o morador de Niterói ter que fazer vistoria em Caxias, Belfort Roxo ou São Gonçalo. Muito menos, ter o carro apreendido e ter que ir busca-lo em Tanguá. Haja despesas e injustiças...!!! • É sacanagem a prefeitura fazer concurso na base dos currículos e títulos para a Saú- de Mental. Nós os “contratados” estamos aqui nestes 2 anos, ralando e segurando a saúde mental e os pacientes. Agora, vão nos botar na rua para assumirem os “curri- culados e titulados” , mas que não fazem ideia de como isto aqui funciona... É duro! É injustiça. Que venham os concursados, mas nos deixem continuar trabalhando em paz. • Aqui na Roberto Silveira tem uma fon- te, esquina com 5 de Julho. Virou foco de dengue e local de banho para moradores de rua. Não cuidam da fonte e ela se de- teriora oferecendo perigo de doenças aos moradores. Alguém tem que tomar alguma providência.
  10. 10. Niterói 27/06 a 11/07/15 www.dizjornal.com 10 Fernando Mello - fmelloadv@gmail.com Fernando de Farias Mello ATENÇÃO PARAA MUDANÇA Novos e-mails do Jornal Diz Redação dizjornal@hotmail.com | contato@dizjornal.com Editoria edgardfonseca22@hotmail.com Quando você dá uma chance para o cigarro, ele não dá a menor chance para você. Fumar provoca inúmeros males para o seu corpo. Lute contra o vício e proteja sua saúde. Afinal, quando o adversário é o cigarro, todo dia é uma nova chance de ganhar. A Insegurança Urbana Mais Próxima Fernando Mello, Advogado www.fariasmelloberanger.com.br e-mail: fmelloadv@gmail.com A falta de segurança assola a todos nós e, principalmente, os morado- res de Niterói, cidade hoje literal- mente abandonada pelo poder público. O abandono já não é mais uma simples questão de incompetência dos políticos e supostos gestores indicados por eles. A questão da segurança transborda para vá- rios e vários setores da sociedade. Mas, com toda a sinceridade, não sinto um único traço de culpa como cidadão inserido nesta sociedade. Afinal, pago os meus im- postos, converso com as pessoas e procuro votar da melhor maneira possível. Portanto, considero que colocar a culpa na sociedade por tudo o que ocorre é eximir- se da própria responsabilidade e reconhe- cer que é um político da pior categoria e que não deveria nem existir. Por exemplo, acho que um policial que tem esquema com bandidos deveria ser con- denado ao dobro da pena comum. Isso se aplicaria a toda cadeia funcionários da polí- cia e do judiciário. Sociedades que estavam começando a ter problemas com a segurança e os bandidos estavam se infiltrando no poder, tiveram que tomar atitudes severas no sentido de cortar na própria carne, afastando e retirando do convívio social e do trabalho aqueles que estavam envolvidos com a bandidagem. Isso foi feito na cidade de Nova Iorque há 20 anos e muitos, mas muitos policiais foram presos. Até Juízes corruptos foram conde- nados à prisão perpétua e etc. O resultado foi a transfor- mação de uma megalópole antes violenta numa ilha de tranquilidade em pou- cos anos. Sei que é impossível trazer este tipo de administração pública para cá. Nosso país é outro, tem costu- mes muitas vezes incom- preensíveis, como leis que “pegam” ou não. Por isso, temos a sensação de que nosso país não tem mais jeito. O mais clássico exemplo disso está no que ocor- re em vários bairros do Rio de Janeiro: traficantes têm controle e não deixam concorrentes assaltarem no seu território. Aí vem uma milícia (muitos dizem que composta por ex-poli- ciais e até por políticos) e toma o espaço. O detalhe é que ambos, traficantes e milícias, co- bram dos moradores pela suposta segu- rança. Pergunto onde está o poder público nestes ca- sos? O Estado estaria pac- tuado com os dois lados da bandidagem? Em Niterói, todo o pro- blema com a segurança foi previsto pela população. Com a retomada (e hoje abandono) dos morros ca- riocas, os bandidos atravessaram a Ponte e tomaram as nossas favelas, instalando um verdadeiro “comando de operações crimi- nosas”. Claro, a cidade do Rio de Janeiro tem mais visibilidade que Niterói perante a socieda- de e os estrangeiros. Mas, por que foi tudo planejado dessa forma? Trocaram os bandi- dos de lugar, simplesmente. Assim e também por isso é que não conse- guimos mais andar ou circular em paz em Icaraí, Fonseca, Caramujo, Itaipu... Estamos restritos aos nossos lares e no ris- co de ir ao trabalho e, talvez, não voltar mais para casa. É uma questão de governo, que sempre tratou a sociedade como um estorvo, um incômodo, um vigia que aborrece os gover- nantes. Será que o nosso prefeito concorda com este tipo de tratamento perverso? Senhor Prefeito: somos seres humanos, estamos sofrendo com a violência e pre- cisamos que o Senhor exija do Governo do Estado um urgente aumento do efetivo policial em nossa cidade. Converse com o governador. Somente com ele. Todos os dias. A sociedade vai cobrar nas próximas eleições.
  11. 11. Niterói 27/06 a 11/07/15 www.dizjornal.com Pela Cidade 11 Edição na internet para Hum milhão e 800 mil leitores Brasileiros Buscam o Primeiro Título no Itacoatiara Pro F alta pouco mais de uma semana para a abertura da janela de espera do Itacoatiara Pro, primeira etapa do Circuito Mundial de Bodyboard orga- nizado pela APB (Association Of Profes- sional Bodyboarders) e expectativa para a quarta edição do evento já tomou conta dos atletas. Além dos R$150.000,00 em prêmios e da liderança do ranking mun- dial, o evento coloca em jogo também um fator extra para os principais competido- res nacionais. Nunca um brasileiro conse- guiu levantar o título da competição. Nos três anos o domínio foi dos estran- geiros. Em 2012, na primeira edição, venceu o australiano Dave Winchester. No ano seguinte, Amaury Lavehrne, das Ilhas Reunião, levou título em Itacoatiara. No ano passado, coube ao sul-africano Jared Houston o prazer de erguer a taça de campeão. Alguns brasileiros já chegaram muito próximo de conquistar o título. O hexa- campeão mundial Guilherme Tâmega foi quem mais se aproximou do título em Ita- coatiara. Na edição de 2012, o carioca chegou até a final. Em 2013, Nicholas Bastos e o herói local Dudu Pedra, fo- ram os competidores do país que foram mais longe naquela edição, encerrando o Itacoatiara Pro na terceira posição. Já em 2014, o também carioca Sergio Luis fez uma brilhante campanha, mas acabou barrado pelo inspirado francês Pierre Louis Costes na semifinal, terminando em 3º lugar, assim como Dudu e Nicholas no ano anterior. Em grande fase, o big rider e local do pico, Kalani Lattanzi foi escolhido pela or- ganização para ser um dos Wild Cards do evento. Retornou de uma viagem ao Mé- xico, onde conseguiu pegar a maior onda já surfada por um bodyboard na remada, e está ansioso para enfrentar os melhores atletas do planeta. “Cores e Flores” no Museu do Ingá Será hoje, 27 de ju- nho, sábado, no Sa- lão de Vidro do Museu do Ingá, o lançamento do livro “Cores e Flo- res”, dos músicos Leo- nardo Braz e Ana Cristi- na Richa. Os autores da obra apresentarão um show musical, das 14h às 14h30, para marcar a tarde de autógrafos. Em seguida, haverá o lançamento do livro até às 16h30. Em formato 20,5 x 27,5 cm e com ilustrações coloridas da artista plástica Alê Guerra, o livro tem 36 páginas repletas de músicas destinadas ao público infantil e aos educadores. Nas úl- timas folhas, os leitores mirins contam com as partituras de todas as músicas, acompa- nhadas ainda de um CD. O projeto “Cores e Flores” reúne riqueza de conteúdo aliado a uma formatação atra- ente, tendo como viés a literatura, a música e a criatividade. Ana Cristina é psicóloga e arte educadora, A Nova Direção no PSDB do Estado do Rio No dia 21 passado, na Câmara dos Vereadores do municí- pio do Rio de Janeiro, realizou-se a Convenção Estadual do PSDB. Ficou patente a renovação do partido, seguindo a orientação do presidente nacional, senador Aé- cio Neves, que é oxigenar os dire- tórios com a entrada de militantes jovens, muita gente nova e muito entusiasmo, que aplaudiu a nova chapa que tem como presidente o deputado Federal Otavio Leite. Nesta nova executiva aparecem claramente dois nomes, a da jovem deputada Federal Andrea Zito e do vereador niteroiense Bruno Lessa. Am- bos foram muito aplaudidos durante suas falas. O deputado Estadual Luiz Paulo Corrêa da Rocha (até então presidente do diretório Estadual) ocupa agora a presidência do di- retório Municipal do Rio de Janeiro. O presidente municipal do PSDB de Nite- rói, o advogado e ex-deputado Silvio Lessa, apoiado pelo deputado Otávio Leite, além de expandir o diretório municipal com vistas a próxima eleição, vai auxiliar o presidente na organização dos diretórios do interior do Estado. Silvio acredita que o PSDB de Niterói, fará três vereadores, com a possibi- lidade de mais um, nas próximas eleições. A liderança do Bruno Lessa, que certamente triplicará a sua votação, facilitará o aumento da bancada. com mestrado pela Universidade Federal Fluminense; enquanto o multi-instrumentis- ta Leonardo Braz graduou-se em Licencia- tura Plena, com habilitação em Música pelo Conservatório de Música de Niterói. Os dois reuniram o seu potencial musical para conceber este trabalho, que busca exprimir ideias, sentimentos e desejos de ambos, através da arte. O Museu do Ingá fica na Rua Presidente Pe- dreira, 78, no Ingá. Leonardo Braz e Ana Cristina Richa Deputados Federais Andrea Zito e Otávio Leite
  12. 12. Niterói 27/06 a 11/07/15 www.dizjornal.com Em Foco 12 Edição na internet para Hum milhão e 800 mil leitores Felipe Peixoto Presta Contas A sede do Partido Democrático Tra- balhista (PDT) em Niterói ficou lo- tado por militantes pedetistas e de outros partidos para ouvir a fala do secre- tário estadual de Saúde Felipe Peixoto. O secretário fez um relato de como encon- trou a secretaria e as transformações que já implantou; e que ainda virão no decorrer deste ano. Considerando as dificuldades existentes e a falta circunstancial de recursos, o primeiro semestre do ano avançou muito, principal- mente em questões primárias da adminis- tração. Ele apresentou, através de gráficos, a matemá- tica de gestão, onde soluções emergenciais, mas muito precisas, fez multiplicar os poucos recursos existentes. Ele disse: “ Na secre- taria de Saúde as solu- ções para as emergên- cias colidem com os trâmites burocráticos; embora compreenda e respeite esta mecâ- nica, o paciente em sofrimento e carente de uma medicação anda na contramão da lentidão dos processos e normas do Estado. Uma urgência de vida não tem tempo para esperar. Estamos agilizando o máximo den- tro daquilo que as leis permitem”. Não é tarefa fácil, e as escolhas e caminhos são es- treitos. Entretanto, não podemos em nome desta urgência atropelar a lei e permitir ar- ranjos que se distanciam de uma boa ges- tão. Mas, estamos vencendo a batalha. No próximo semestre gestão ganhará fôlego será mais ágil. Estivemos até aqui ajustan- do e arrumando a casa. Doravante iremos avançar com mais facilidade. Felipe Peixoto é também presidente do di- retório municipal PDT em Niterói, e apesar dcas dificuldades encontradas na eleição passada, conta com o apoio do presidente da sigla Carlos Lupi, tanto para a expansão partidária na cidade, como deseja que ele seja o prefeito Niterói, representando o PDT. Dentro da militância do partido era voz corrente e irreversível a candidatura a pre- feito de Niterói, em 2016.

×