Dizjornal119

379 visualizações

Publicada em

Diz Jornal 2014/119

Publicada em: Governo e ONGs
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
379
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
6
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
2
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Dizjornal119

  1. 1. Edição Online Para Um Milhão e Duzentos Diz: Todo Mundo Gosta Mil Leitores Niterói 18/10 a 24/10/14 www.dizjornal.com Ano 06 Nº 119 de outubro O Discurso do Outro. 16 Mil Exemplares Impressos Zona Sul, Oceânica e Centro de Niterói D i r e t o r R e s p o n s á v e l: E d g a r d F o n s e c a 3ª Semana Página 03 L e t i c i a R a m o s * P r o d u ç ã o d e R a y a n n e M a r i n h o * f o t o : J u l i o C e r i n o
  2. 2. 2 Niterói 18/10 a 24/10/14 www.dizjornal.com Cultura Paulo Roberto Cecchetti prcecchetti@ig.com.br DIZ pra mim... (que eu conto) CDN de Artes (Rua Mem de Sá, nº 79 - Térreo - Icaraí). O vernissage acontece dia 18 de outubro, às 19 horas. Visitação: 2ª a 6ª, das 8 às 22 h; sábado, das 11 às 20 h. O evento vai até 18 de dezembro. Entrada franca. - O Teatro Popular Oscar Niemeyer (Rua Jornalista Rogério Coelho Neto, s/nº - Centro - Niterói) apresenta Vozes APAExonadas, dia 22 de outubro, 4ª feira, às 20 h. Mais informações: 2613-2734. Anna Carolina Peret annaperet@gmail.com zer histórias verídicas para as telonas, nar-ra, desta vez, a vida de um atirador de eli-te norte-americano, chamado Chris Kyle, que de tão fantástica pontaria, foi apelida-do de “Lenda”. Ele chegou a matar mais de 150 pessoas du-rante a Guerra do Iraque. Para viver o militar, Clint recrutou o queridinho de Hollywood, Bradley Cooper (“Se Beber, Não Case!” e “O Lado Bom da Vida”). A reputação de bom atirador rendeu ao soldado incontáveis inimigos iraquianos que tentaram eliminá-lo a qualquer preço. Para construir este trabalho, o diretor teve como base a autobiografia do próprio Chris Kyle, atualmente reconhecido como o mais letal atirador de elite da história dos Estados Unidos. Com certeza, mais um filmão imper-dível com o selo de qualidade “Eastwood”. Para quem aplaudiu filmes como “O Informan-te”, “Colateral”, “Ali” e “O Último dos Moi-canos”, tenho boas informações. O diretor responsável por estes ótimos trabalhos, Mi-chael Mann, que estava sumido desde 2009, após lançar “Inimigos Públicos”, está de volta às telonas. Sua nova produção chama-se “Ha- De todas as editorias de um jornal, es-crevo para a melhor delas. Não tenho dúvidas! Dispenso qualquer tipo de modéstia... Vejo, por exemplo, meus amigos do núcleo de “política” com os cabelos em pé. Aqueles que dissertam sobre “economia”, estão sempre vislumbrando um futuro teme-roso. Todos que redigem as informações da “cidade”, narram as torpezas da violência di-ária. E aqueles que precisam cobrir a vida das celebridades do momento? Nossa, eles vivem no eterno e profundo vácuo de conteúdo! Eu devo concordar, entretanto, que existem ou-tras editorias interessantes, como as de ciên-cia, saúde, esporte, lazer, viagem, gastrono-mia, etc. Porém, não há nenhuma como a de “cultura”! Por mais que tenhamos que, muitas vezes, bancar os antipáticos e detonarmos certos trabalhos, temos sempre o contato com o cinema, o teatro, a música, enfim... Trata-se, a meu ver, do filé mignon do jornalismo. Uma delícia! E é mais gostoso ainda num momento como este, em que sobram produções boas para elogiar... Puro deleite! Fiz tamanho elogio ao meu trabalho e provo que estou certa! Começo meus comentários cinematográficos falando da nova produção do diretor Clint Eastwood (“Menina de Ouro” e “Invictus”)! Dá um enorme prazer infor-mar aos meus leitores que seu próximo filme, “American Sniper”, estreia no Brasil no dia 22 de janeiro de 2015. Eastwood, que adora tra-cker” (“Blackhat”, no original). Trata-se de um suspense estrelado por Chris Hemsworth (“Thor” e “Rush: No Limite da Emoção”). O tema da película não podia ser mais contem-porâneo: Chris dá vida a um poderoso hacker que é o único capaz de encontrar uma rede de criminosos cibernéticos que está fazendo um estrago nas reservas de alguns bancos in-ternacionais. No país, a exibição terá início dia 26 de fevereiro do próximo ano. E também é com imensurável prazer que falo do aguardado novo filme de Christopher Nolan (“A Origem” e “Amnésia”). “Interes-telar” (“Interstellar”, no original) é estrelado por Matthew McConaughey (“Killer Joe” e “Magic Mike”) e Anne Hathaway (“O Diabo Veste Prada” e “Os Miseráveis”). Na película, a Terra passa por um momento insustentá-vel, o que força cientistas a buscarem uma saída viável para tentar salvar a humanidade. Engana-se quem crê se tratar de um simples sci-fi! Como sempre, Nolan traz uma produ-ção cerebral de qualidade. Tal “viagem” dos cientistas tem como destino outras dimen-sões e é realizada através de um “wormho-le” – grossamente traduzido como “buraco de minhoca”. Este é um conceito cósmico que pressupõe a existência de atalhos den-tro do espaço-tempo. Este é mais um projeto audacioso e poderoso de Nolan! Além dis-so, o diretor fez questão de usar e abusar da beleza do Universo, trazendo cenas de tirar o fôlego. A boa notícia é que não será ne-cessário esperar o próximo ano para curtir a produção, que tem estreia confirmada para o próximo dia 6 de novembro. Após escrever este texto, falando de filmes tão bacanas, dirigidos e estrelados por pro-fissionais tão gabaritados, certifico-me, mais uma vez, que sou uma grande sortuda. Tra-balho com o que amo, escrevendo sobre o que mais adoro. Não se trata de retorno fi-nanceiro, muito mesmo de glamour. Num país onde o jornalismo é desmerecido e os ilibados profissionais da área perseguidos, não tenho chances de me vangloriar de “po-der e glória”. Entretanto, posso me orgulhar de fazer o que gosto. E isso me basta! Afinal, como diria Confúcio: “escolha um trabalho que você ame e não terás que trabalhar um único dia em sua vida”. Sortuda Edição na internet para Hum milhão e 200 mil leitores - O Parthenon (Rua Andrade Neves, nº 40 - Centro) promove, terças (das 9 às 12h) e quintas-feiras (das 14 às 17h), Curso Regular de Pintura com a artista plástica Verônica Accetta (foto). Mais informações: parthenon@parthenon.art.com ou tels.: 2772-2256 e 3619-8119. Vale conferir! - A Biblioteca Pública de Niterói/BPN (Praça da Re-pública, s/nº - Centro) promove “Roda de Leitura - Encontro com os Contos de Grimm”, na Sala Multi-plicidade, de 14 a 28 de outubro, às 15 horas. Entrada franca. - O Centro Cultural La Salle/CECLAS (Rua Dr. Paulo César, nº 107 - Santa Rosa) pro-move a 25ª Exposição de Orquídeas de Niterói, de 17 a 19 de outubro. Visitação gratuita das 9 às 18 horas. - A artista plástica e ilustradora Lu Valença expõe “Mais Amor, Por Favor” no Espaço
  3. 3. Niterói 18/10 a 24/10/14 www.dizjornal.com 3 Documento dizjornal@gmail.com Edição na internet para Hum milhão e 200 mil leitores O Discurso do Outro Jacques Lacan, psicanalista e pensador, ao aprofundar-se nos seus estudos sobre com-portamentos e a alma humana, realçou a questão do pensamento e do discurso defen-sivo que põe no outro, aquilo que está patente e latente no primeiro sujeito. Ele criou a expressão “O Discurso do Outro”, que foi utilizado para diferenciar quem é semelhante ou próximo. Tratava-se de demarcar a diferença entre o imaginário e o simbólico, onde mostra que em certas espécies animais, há dependência de uma imagem do semelhan-te para que ocorram determinadas condutas. É mesmo uma conduta que poderíamos identificá-la como primitiva ou irracional. Todas estas questões filosóficas nos servem como suporte para adentrar uma análise sobre o comportamento nestas eleições. Certamente pelo desgas-te de imagem e de conceito, a política foi posta em xeque e o povo, ainda que por osmose social, convergiu para a cobrança do ético e ajustado. Como temos um país inteiramente deteriorado e viciado nos mais diversos delitos, que vão da simples usur-pação do cargo público, loteando-o e o tornando improdutivo, às mais pesadas fal-catruas e crimes contra o erário público. O simbólico “basta!” foi mostrado nas urnas. Fosse pela omissão do voto que se esten-de pela anulação e ausência, seja pelo voto em candidatos desconhecidos ou jocosos; ou mesmo pelas escolhas daqueles que de alguma forma se tem conhecimento mais claro da conduta e compostura social. Muita gente perdeu mandato, muitos di-minuíram suas votações, mas conseguiu reeleger-se, ou apareceram os novos que serão testados e cobrados, mais do que eles esperam. A tônica mais grave está acontecendo nes-te segundo turno, onde a campanha pre-sidencial caminha agonizando de propos-tas efetivas e dignas de crença por parte da presidente, que se detém e é utilizada pelos “homens de marketing”, estrategistas contratados a peso de ouro para instru-mentalizar o baixo discurso. Os marquetei-ros querem “ganhar a guerra” e induzem comportamentos que mais parecem uma guerra. A presidente é muito ruim de ra-ciocínio e tem uma lentidão nas formula-ções de respostas. Com isso, está repetin-do demoradamente aquilo que ditam seus instrutores de campanha. São raciocínios decorados e sem nenhum compromisso com a verdade. Ela, atabalhoadamente, re-pete o que lhe mandam dizer sem avaliar os prejuízos que causa a si mesma e a nação. Criou-se um clima de ódio e de apartamen-to social. Estimulam as separações de cas-tas e encorajam os mais pobres a odiarem com fé aos “outros” que pode ser qualquer um, desde que esteja num patamar acima, ainda que mínimo, ou modestamente pro-vido economicamente. Este discurso esti-mula o agravamento das diferenças, com o enfoque do “nós contra eles”. É sem dú-vida a mais baixa campanha política que já tivemos. Nos debates, o candidato Aécio Neves tenta apresentar suas propostas e plataformas, mas rapidamente, diante dos ataques infamantes, passa para defesa e o nível da discussão é reduzido a ataques e contra-ataques. Lamentavelmente... A orientação que recebe a presidente Dilma é para em-baralhar tudo. Colocar tudo num saco sujo e sacudir para que todos pareçam iguais. A expressão “mar de lama” usa-da pelo senador Aécio Neves define bem o nível do ato de governar nos últimos 12 anos e caracteriza o compor-tamento proposto nestes de-bates. A tentativa é a mesma utilizada pelo ex-presidente Lula, que tentava minimizar os desvios de comportamen-to, crimes de evasão e lava-gem de dinheiro, com uma repetitiva defesa: “se todos fazem, por que não pode-mos fazer?” Ou seja: se to-dos cometem crimes, vamos cometer também! E assim o fizeram, sem cerimônias. Esta página lamentável da nossa história servirá apenas de lição e aprofundamento da necessidade de se re-pensar a política, o comportamento social, a ética e o pensamento republicano. Não dá mais para sermos reféns do medo, da insegurança, de valores sócias distorci-dos da baixa moral. Realmente, a moral dos porcos, se usarmos sem piedade a imagem do porco com súdito sujo e dependente. A nação foi invadida pelo espírito da vagabun-dagem institucionalizada. Uma significativa parcela quer a todo custo, um “carguinho sem trabalho”, uma bolsinha que alimente o ócio e a falta de vergonha na cara. Toda esta revolta implantada nas ruas tem um único cerne: “vocês vão ficar sem emprego!” Daí, a vadiagem institucional se transforma em ódio e agressões. Não há ideologia nem paixão. Existe a defesa da boquinha, do di-nheiro fácil e da falta de moral generalizada. O PT sempre teve a mania da apropria-ção indébita. Se uma ideia é boa, rapida-mente eles encampam e se tornam seus “autores”. Chegam às raias do absurdo, quando se apropriam do discurso da opo-sição. Existem comerciais do PT que se tem a nítida sensação que assinatura final será da oposição. Eles dizem que vão punir os corruptos, (nunca o fizeram e ainda ten-tam transformá-los em “heróis nacionais”). Dizem que vão confiscar os bens, prender e punir exemplarmente quem “rouba o di-nheiro da pátria”. Nunca o fizeram e não agiriam contra si mesmos. Ainda usam ex-pedientes verbais para afirmar que “deram ordens ao Ministério Público e a Polícia Federal para investigar e prender os culpa-dos”... Nenhuma destas instituições precisa de “ordens presidenciais” para fazer o seu trabalho. E nem são “órgãos de governo”. São órgãos de Estado. Pode inclusive pro-por ações contra o presidente da República. Estes discursos são meros exercícios de re-tórica para disfarçar o indisfarçável. O povo na sua sabedoria, fora os apanigua-dos e beneficiados graciosamente, vai dizer não a este discurso torto, posto no outro como se fosse seu, e vice versa, ou quando convier. Pura manipulação para perpetuar-se no poder. Fato que seria lamentável e fatal para todos nós. A situação é muito mais grave do que se mostra. O uso do discurso do outro como disfarce e persuasão serve apenas para en-ganar, corromper e nos levar a mais melan-cólica escravidão. Vazio Mentiras Jacques Lacan
  4. 4. Niterói 18/10 a 24/10/14 www.dizjornal.com 4 Informes D! Nutrição Edição na internet para Hum milhão e 200 mil leitores clara.petrucci@dizjornal.com | Instagram: Clara Petrucci E as Quantidades? Expediente Edgard Fonseca Comunicação Ltda. Rua Otavio Carneiro 143/704 Niterói/RJ. Diretor Responsável: Edgard Fonseca Editor: Edgard Fonseca Registro Profíssional MT 29931/RJ Distribuição e circulação: Ernesto Guadelupe Diagramação: Eri Alencar Impressão: Tribuna RJ Tiragem 16.000 exemplares Redação do Diz End: Rua Cônsul Francisco Cruz, nº 3 Centro - Niterói, RJ Tel: 3628-0552 | 36285252 | 9613-8634 Correspondência para Administração Rua Cônsul Francisco Cruz, nº 3 Centro - Niterói, - CEP 24.020-270 dizjornal@gmail.com www.dizjornal.com Os artigos assinados são de integral e absoluta responsabilidade dos autores. Montando die-tas, vendo as pessoas co-mendo, conversando com elas, percebo que cada um tem uma me-dida. Para cada olho existe uma visão, um estômago, uma con-cepção de “gordo ou magro”. A avó da gen-te sempre acha que a gente está magrinha, que precisa comer mais e que isso sim significa saúde; estar com o rostinho rechonchudo e o braço “roliço”. Quando falo em medidas caseiras fico até com medo. Faço questão de explicar bem, pois muitas vezes a medida está errada. Por exemplo: quando faço os cálcu-los de quanto a pessoa deve comer por dia, faço a dosagem em gramas, mas, tenho que passar para uma me-dida caseira, pois não é todo mundo que tem balança para pesar a comida “né”? Aí escrevo: 4 colheres de sopa. Eu disse de SOPA! Então, saio para almoçar com esta mesma pessoa que montei a dieta e vejo-a se servindo... Quando percebo que as 4 colheres de sopa, se tornaram 4 colheres de servir arroz. Aquela grande sabe? E vejo aquela “duna” de arroz no prato! Confesso que fiquei muito assustada! E são constantes os erros de dosagem e medidas caseiras! Se quem já pro-curou ajuda de um profissional passa Expansão da Lei do IPVA 70 anos da SFF As comemorações pelos 70 anos da So-ciedade Fluminense de Fotografia serão abertas hoje, 18 de outubro, às 17 horas, com uma exposição fotográfica do acervo do seu fundador, Jayme Moreira de Luna, que completaria esse mês, 100 anos de nascimento. Algumas das imagens, selecio-nadas pelo atual presidente Antônio Ma-chado, curador da mostra, foram premiadas em dezenas de exposições internacionais de fotografia, na qual Luna era um dos mais assíduos participantes. A exposição, com cerca de 40 fotografias, contará com um painel onde se destacam fotografias de vários processos fotográficos. Sua fotografia mais representativa “Sinfonia de Luz”, que está na exposição, recebeu nada menos do que 70 prêmios em salões nacionais e internacionais. Além da exposição em homenagem ao seu Reunião de Apaixonados O projeto organizado pelo curso Estu-dos de Mídia, da UFF, o “Clube do Vinil”, realizará no dia 21 de outubro, terça-feira, o terceiro evento do semes-tre. Será a escuta comentada de Arctic Monkeys – com o álbum ‘Whatever Peo-ple Say I Am, That’s What I’m Not’ – e The Beatles – com o álbum “A Hard Day’s Night”. O “Clube do Vinil”, fundado pela profes-sora Simone Pereira de Sá, que também coordena o LabCult - Laboratório de Pes-quisa em Culturas Urbanas e Tecnologias por esses atropelos, imagine quem nunca procurou? Vejo que hoje, a maioria das pesso-as possui estômagos distendidos; por empurrar mais comida que precisa, ou pela ingestão concomitante de lí-quidos. E não se dão conta da quanti-dade real de alimento consumida. Às vezes a pessoa come bem, mas pela quantidade equivocada acaba fa-zendo “estoque” e engordando... Fique atento ao seu prato, coma o necessário para sua saúde e não o ne-cessário para seus olhos. Não beba lí-quido durante as refeições e pergunte ao seu nutricionista tudo, detalhada-mente. Às vezes o erro não está ape-nas na comunicação. Na quantidade... De autoria do deputado Felipe Peixoto, tramita na Comissão de Constituição e Justiça da Assembleia Legislativa do Es-tado do Rio de Janeiro (Alerj) o projeto de lei 3124/2014 que propõe a expansão do benefício a portadores de qualquer tipo de deficiência e/ou mobilidade reduzida permanente constatada por laudo médi-co. Abrange ainda entidades filantrópicas que prestam assistência a essas pessoas. O projeto foca a ampliação da lei de isenção do Imposto sobre Propriedade de Veículos Automotores (IPVA) que, se aprovado, vai atender a milhares de famílias com deficien-tes físicos. da Comunicação - organiza escutas co-mentadas de álbuns no formato clássico e, segundo audiófilos, o mais fiel ao som do vinil. O evento é realizado no Bloco A do cam-pus Gragoatá, da Universidade Federal Flu-minense, mas é aberto ao público externo e celebra a presença de apaixonados pela música nas discussões realizadas em cada encontro. A entrada é franca. Mais informações sobre o “Clube do Vi-nil” podem ser encontradas na página face- Na redação original, a Lei nº 2877/97 (a chamada Lei do IPVA) tem 30 artigos dis-pondo sobre o imposto, mas a isenção para deficientes (limitada aos físicos) é tratada apenas no inciso V do artigo 5º, que libe-ra o pagamento somente para um veículo, desde que seja adaptado e em nome do be-neficiado. Em sua proposta, o deputado sugere que seja mantida a restrição a um único veículo, dispensando, no entanto, a obrigatoriedade de adaptação e podendo o documento es-tar em nome do representante legal da pes-soa deficiente ou com mobilidade reduzida. fundador, na Galeria Octávio do Prado, no mesmo será aberta a coletiva “70 Anos, 70 Fotos”, comemorativa ao septuagésimo ani-versário da SFF. A mostra ficará em cartaz na galeria Jayme Moreira de Luna e reúne fotografias de membros da instituição. De segunda a sexta-feira de 10 às 20 horas. Entrada franca. A Sociedade Fluminense de Fotografia fica na Rua Doutor Celestino, 115, Centro – Niterói- RJ. Fotos Fausto & Valéria
  5. 5. Niterói 18/10 a 24/10/14 www.dizjornal.com 5 Internet Laio Brenner - laiobrenner1@gmail.com Aplicativos Úteis no Seu Celular No universo dos aplicativos para celulares aparece de tudo e nem sempre todos são realmente tão necessários e úteis como o “Diário da Dor”. Disponível para Android e Ios (iphone) é real-mente uma novidade protetora e de grande aplicação. Quem tem uma recorrente dor de cabeça ou sofre as drásticas crises de enxaqueca, saberá o valor de um aplicativo como esse. O “Diário da Dor” permite uma quantificação da duração e intensida-de das crises, assim como registra a frequência, o uso de medicamentos, causas e fatores associados. Reunin-do todas essas informações fica mais fácil e seguro enviar para o médico um relatório completo que facilita-rá o acompanhamento terapêutico. Para baixar o aplicativo clique em “Diário da Dor” Android ou Diario da Dor Iphone O Baixaki é um site onde se pode gra-tuitamente baixar programas e apli-cativos. A melhor novidade é o pró-prio aplicativo do próprio Baixaki. Esta foi a forma mais dinâmica de fazer o usuário de Android carregar o Baixaki no bol-so. O aplicativo do Baixaki foi re-formulado e ago-ra organiza muito mais o conteúdo para você. Todos os dias, a equipe analisa os princi-pais lançamentos de programas e jogos para deixar seu Android ainda mais útil e divertido. Você poderá aferir quais são os melho-res jogos de corrida ou os melhores programas para otimizar seu gadget. O Baixaki entrega as in-formações separadas dia-riamente. Basta acessar as novas coleções para conhecer dezenas de apli-cativos de qualidade. O Baixaki faz com que você fique totalmente antenado no que os demais usuários de Android estão baixan-do. Bom Finde! ORAÇÃO A SANTO EXPEDITO Festa 19 de abril. Comemora-se todo dia 19 Se vc. está com algum Problema Difícil e , precisa de aparentemente sem Solução Ajuda Urgente , peça a Santo Expedito. Ele é o Santo dos Negócios que precisam de pronta solução e cuja invocação nunca é tardia. ORAÇÃO : Meu Santo Expedito da Causas Justas e Urgentes, socorrei-me nesta hora de aflição e desespero. Intercedei junto ao Nosso Senhor Jesus Cristo! Vós que sois o Santo dos Aflitos, Vós que sois o Santo das Causas Urgentes, protegei-me, ajudai-me, Dai-me Força, Coragem e Serenidade. Atendei o meu pedido: (fazer o pedido) Ajudai-me a superar estas Horas Difíceis, protegei-me de todos que possam me prejudicar; Protegei minha família, atendei o meu pedido com urgência. Devolvei-me a Paz a Tranqüilidade Serei grato pelo resto da minha vida e levarei seu nome a todos que têm fé. Obrigado. Rezar 1 Padre Nosso,1 Ave Maria e Fazer o sinal da cruz. “para que os pedidos sejam atendidos é necessário que sejam justos”. Santo Expedito Agradeço a Santo Expedito a Graça Alcançada.
  6. 6. Niterói 18/10 a 24/10/14 www.dizjornal.com 6 Edgard Fonseca edgard.fonseca22@gmail.com Edição na internet para Hum milhão e 200 mil leitores Pezão X Crivella Perguntam-me: por que o Pezão? E sinto a má in-tenção de provocar o de-bate sobre Sergio Cabral e seus guardanapos. Sinto forte dose de veneno e da intenção de en-venenar a conversa. A verdade é que se tomarmos por base a “mais valia” e formos maduros bastantes para fazer a opção necessária, o Pezão é a melhor opção. Não estamos em tempo de romancear ou romantizar op-ções políticas. Muitas vezes te-mos que caminhar com aliados que não cantam a mesma músi-ca que nós, ou pelo menos, não toda; ou cantam outra música. Mas, no momento a necessida-de é cantar junto, cantar igual. Vejamos pelo prisma das escolhas. Pezão, apesar das críticas que fazem e o acusam, apesar do “Aezão”, ele se mantém apoian-do a presidente Dilma, quando seria mais confortável e até mais acertado, apoiar Aé-cio Neves. Embora eu discorde deste apoio à Dilma, vejo nesta atitude uma virtude do Pezão. Ele se mantém dentro da combina-ção anterior, fiel ao acordo, embora todos indicativos apontem para a derrota da com-panheira de acordo. Isto denota lealdade que é coisa rara na política e por que não dizer, na vida. Ele cumpre seu papel, seria-mente. Quando ele era vice-governador, o homem que tocava as obras e acudia o governo quando desmoronava qualquer pedaço ou situação: lá estava o Pezão. Segurava tudo, mas não avançava pela vaidade que é co-mum aos políticos. Mantinha-se na con-dição de vice e segundo lugar. Ainda que tivesse o ônus do trabalho e os louros fos-sem para o governador ausente. E nunca fez um comentário. Uma reivindicação do feito. Manteve-se lealmente no seu lugar, como um soldado disciplinado. Vejo nestes aspectos a virtude aparente. Esteve sempre envolvido com obras, mas ninguém o viu envolvido com a Delta, com o Cavendish, nem foi a Paris. Pelo menos na mesma tur-ma. E ficam tentando derrubá-lo com as histórias do seu antecessor? A participação do Pezão neste governo foi para trabalhar pelo estado. Diuturnamente. O Rio de Janeiro precisa de muitas obras e de um braço forte para ampará-las. Quando a eleição passar, e quando estiver governan-do, irá encontrar um meio para alavancar junto com o próximo presidente da Repú-blica os meios necessários que o nosso Rio precisa. Pessoalmente, nada tenho contra ao se-nador Marcelo Crivella. Articula bem as ideias, é culto e educado. Até aí, podemos vislumbrar um senador. Entretanto, vai fal-tar experiência para administrar um Estado com todas as dificuldades existentes, e com um agravante: o Rio de Janeiro é o estado brasileiro que mais congrega diferentes re-ligiões. É um verdadeiro estado religioso-eclético. São muitas culturas, desde as mais tradicionais igrejas católicas, Apostólicas Romanas, Anglicanas, Batistas e outras de-nominações evangélicas, e pasmem... É o estado onde mais existe o candomblé em todo Brasil. Enganam-se quando dizem que a Bahia é a terra do Candomblé. O Rio de Janeiro, com enfoque na Baixada Fluminen-se, especialmente em Caxias e redondezas, reúne um número maior que toda a Bahia. Vão desde as nações de Angola, Ketu, Nagô e Jeje, às cruzadas (Omolocô) e as centenas de casas de Umbanda, da chamada Sete Linhas de Umbanda, onde se acomodam Orixás, Anjos Arcanjos, Santos e Entidades Espirituais, relacionando-se com pedras, cores, ervas, dias da semana, notas musi-cais, símbolos, escalas e números e o que mais puder agrupar nesta escala. Somando agregado, as orientais que vão do Budismo, Meditação Transcendental à Perfect Liberty. Dito isso, fico imaginando como seria um governo de um bispo evangélico, de uma linha radical como a Igreja Universal? Não estou absolutamente, e seria precon-ceituoso, querendo colar no senador Cri-vella, o bispo Macedo. Embora os envolvi-mentos cheguem a laços familiares. O meu pensamento é prático e objetivo. Existe um fato irrecusável, que é a intole-rância da Igreja Universal a outras religi-ões, mais especificamente o Candomblé e a Umbanda; e que eles classificam como seitas e não se cansam de dizer que é “tudo coisa do demônio”. Está nas pregações, nos cultos e nas sessões de “descarrego” que é prática corriqueira na Igreja Univer-sal. Quem já assistiu um “corinho de fogo” sabe do estou falando. É o antagonismo, a intolerância e a impropriedade de convívio. O bispo e senador Crivella afirma que quem vai governar o Rio é ele e não o bispo Ma-cedo. Há inclusive uma personificação no Bispo Macedo, ao invés da Igreja Universal. Certamente, mais pelo parentesco do que pela centralização e domínio do Bispo Ma-cedo em toda estrutura da Igreja. Muitos dirão: o Macedo é muito maior que o estado do Rio de Janeiro. A sua Rede de Televisão, a Record, está muito além das fronteiras do Rio. O Macedo tem ramifica-ções e seguidores em níveis internacionais. O que seria um Estadozinho como Rio para um homem com poderes internacionais? Aí, começam os delirantes a dizer que este é um projeto antigo, calculado e acalenta-do, pois se trata de apenas um degrau para se chegar à presidência da República do Brasil; e o senador Crivella é o braço polí-tico da instituição e que é a personificação do bispo Macedo. Delírios à parte, não podemos desprezar este fato antagônico-cultural. O estado do Rio, como todo Brasil, tem forte influência afro-oriental. Está em tudo. No linguajar, na música (que vai do Lundu ao Samba), nas ex-pectativas de fé, nas crendices populares, nas crianças filhas de Cosme e Damião e nos guer-reiros de São Jorge, Expedito e Francisco. Temos um estado misturado, miscigenado e mu-lato. Rico de negros, brancos e amarelos. Mas, tudo misturado. Não dá para colar nesta gente toda o estigma de filhos do ca-peta! O Rio de Janeiro é como a Bahia. Uma mistura religiosa e sensual. Rit-mo e ginga, mulher nua e moleque safado. Não dá para apartar um iso cultural tão forte. Quem já frequentou a Lapa, Saúde, Cacique de Ramos, Vila Isabel e Candon-gueiro, sabe o que é bom... Desculpe-me senador Crivella. Sua igreja é grande, poderosa e merece respeito, mas o Rio de Janeiro não cabe dentro dela. X Comprando Importados Com os preços dos pacotes viagens nacionais de final de ano ou de sete dias para as férias aqui no Brasil com preços pra lá de absurdos, as viagens inter-nacionais são as preferidas de todos. Para se ter ideia, os roteiros brasileiros chegam a custar até quatro vezes mais que os inter-nacionais. Para o Nordeste, somente o aé-reo para três pessoas custa R$ 10.290,00. Aí, somaremos translado, hotel e alimenta-ção... Já estourou o orçamento. Para ir ao Caribe, as mesmas três pessoas gastam seis mil, com aéreo, translado, ho-tel (tudo incluído) e aluguel de carro. Não dá para comparar... E lá se vão divisas para o além...!
  7. 7. Niterói 18/10 a 24/10/14 Edição na internet para Hum milhão e 200 mil leitores www.dizjornal.com 7 Clínica Dr. Helder Machado Urologia Tratamento de Cálculo Renal a Raio Laser Atendemos UNIMED e Particular Atendimento 24H pelo tels: 8840-0001 e 9956-1620 Rua Dr. Celestino, 26 Centro - Niterói. Tels: 2620-2084 / 2613-1747 A Razão Aécio Tenho reafirmado e deixo claro: não há mágica e nem espero por milagres. Escolhi apoiar o Aécio Neves por uma questão de bom senso. Ele vai encontrar uma pedreira dura de derrubar. Um país aparelha-do por milhares de cargos vazios, uma eco-nomia em frangalhos e todas as instituições (todas) repletas de incompetentes e analfa-betos ocupando lugares de chefia. Só isso, já significaria um imenso e árduo trabalho. Não estou falando ainda de ter que limpar tudo: quando chegar na hora dos ratos e bandidos a coisa vai ser feia. Além, é claro, de uma oposição sem tréguas que vai enfrentar no Congresso. Vai ser duro... Prefiro Aécio, mas votaria em qualquer um, desde que não fosse na Dilma. Chega! Está na hora da alternância de poder. Chega desta roubalheira com idioma próprio e me-táforas grosseiras para esconder e dissimular. Sem “contabilidade criativa ou dinheiro não contabilizado”. Sem dólares na cueca e um demônio analfabeto se vangloriando das suas “perdições”. Chega! O Aécio vai penar e vai ter muito que resistir. Vai precisar do povo, da compreensão para sacrifícios, antes que todos nós fiquemos na miséria. Abel Fun Fest 1964/2014 Os ex-alunos do Instituto Abel que concluíram o curso ginasial em 1964, comemoram a data no pró-ximo dia 08 de novembro. Haverá missa, às 10h na capela da escola, rezada pelo monse-nhor Osvaldo (na época, ainda padre Osval-do, era capelão do Abel). Em seguida haverá um churrasco de adesão a partir das 13h, na Chácara Engenho do Mato, em Itaipu. Os interessados na adesão deverão entrar em contato com humberto@ripoll.com.br. Este evento é extensivo aos alunos das turmas de conclusão em 1963 e 65 e o científico em 1966 e 68. A comissão do Fun Fest convidou o irmão Amadeu, que confirmou presença. O Irmão Amadeu fará 94 anos no próximo dia 1º de novembro e fará um encontro com a presença de familiares e ex-professores do Abel. Aguardando o Presidente A família Issa: Alkamir, Maria Cláudia e Mariana, aguarda a vitória do senador Aécio Neves, na eleição para presidente da Re-pública. Recentemente, Aécio es-teve na casa deles num encontro que reuniu amigos e admiradores do senador. No dia 26 todos irão comemorar. A Legalidade do Protesto da Certidão de Dívida Ativa E Mais Privilégios Já começou o festival de privilégios dos Supermercados Guanabara. Iniciaram nesta sexta feira a sua “promoção de pre-ços” e o inferno já se instalou; não apenas no Centro, (com uma tropa de guardas de trânsito apitando freneticamente), mas, na Ponte Rio-Niterói que engarrafou; a Ave-nida Roberto Silveira ficou intransitável. Icaraí sente os reflexos, e por aí vai. É sabido que esta localização do supermer-cado não beneficia a cidade em nada, nem nos preços. A grande maioria de compra-dores vêm de outros municípios e só nos resta” pagar a conta com nosso sofrimen-to”. Se não fosse a proteção institucional, esse supermercado seria “convidado” a mudar a sua localização e nos devolver a paz. A transferência para um local adequa-do justificaria o dinheiro que ganham. A Comissão Especial de Assuntos Tribu-tários e Empresarial da OAB Niterói, promoverá no dia 12 de novembro, às 17 horas, o debate que tem como tema “Pro-testo da Certidão de Dívida Ativa é Cons-titucional ?”. Será no auditório da entidade, na Av. Er-nani do Amaral Peixoto, nº 507/11º andar – Centro – Niterói. O evento terá como debatedores: Francisco Soares, procurador-Chefe da Procuradoria Municipal de Niterói; Cesar Augusto Bar-biero, secretário Municipal de Fazenda de Niterói, e Ademir Antunes Carvalho, pre-sidente do Conselho Superior da CDL em Niterói. Irmão Amadeu Aécio Neves com Alkamir, Maria Claudia e Mariana Issa Cesar Augusto Barbiero Aécio Neves
  8. 8. Niterói 18/10 a 24/10/14 Edição na internet para Hum milhão e 200 mil leitores www.dizjornal.com 8 Renda Fina Registros de Núpcias Tais Franco e Felipe Pavan Fotos Fausto & Valéria Vivian Almeida e Daniel Cunha Carina Bulcão e Alvaro Amaral Aniversariantes da Edição Angélica Peçanha e Bruno Leonardo Roberta Devisate Vinicius Marzullo Alkamir Issa Claudia Firmo Iglair Paes Lannes
  9. 9. Niterói 18/10 a 24/10/14 www.dizjornal.com 9 T! News Terapeuta Holística thatiana.ncunha@gmail.com E! Games contato@erisveltonsantana.com erisveltonsantana.com Corrida Maluca Wii U E o encanador mais famoso do mundo dos games volta às corridas malucas agora no Nitendo Wii U. Um novo jogo “Mario Kart” nunca surpreende, pois desde o “Su-per Nintendo” que todo console que se preze da Nintendo ganha uma versão própria da querida série de corrida. Com “Mario Kart 8”, porém, a expectativa era por excelência, afinal trata-se de uma das principais investidas da Nintendo para deslanchar as vendas do Wii U. Para os fãs ‘torcedores’ da Nintendo e os indecisos, felizmente o jogo entrega bem quase tudo o que se espera e ainda tem po-tencial para crescer mais. O visual em alta definição chama a atenção e conquista, com estilo que lembra muito os filmes da Pixar e DreamWorks. Em termos técnicos, é um dos “Mario Kart” mais equilibrados e variados. Temos os car-rinhos e motos do Wii, a personalização de veículos que tanto mar-cou nos portáteis e tre-chos aéreos e aquáticos, que estrearam no 3DS. O modo “online” tem op-ções limitadas, mas um sistema que funciona bem para achar partidas contra pessoas do mundo todo. A novidade fica por conta dos replays, que podem ser editados de forma prática e compartilhados com o mundo todo, in-cluindo uma conveniente integração com o YouTu-be. Potenciais reclamações ficam por conta da lista de percursos e alguns personagens ausentes em comparações a versões ante-riores. Por que não incluir mais pistas “re-trô”? Para veteranos, pode ser um pouco decepcionante ver traçados queridos que voltaram em “Mario Kart Wii” ou “7” para depois ‘perdê-los’ em “MK8”. Vale o mes-mo para personagens queridos, como Di-ddy Kong. A resposta talvez esteja em conteúdos adi-cionais para o game, como acontece na inusitada inclusão de uma Mercedes-Benz na lista de veículos. Por que não imaginar pacotes de pistas e pilotos para o futuro? Independente disso, fato é que o conteúdo já presente de cara em “Mario Kart 8” é o bastante para conquistar de cara os fãs de longa data da série e fazer muita gente pensar em dar uma chance para o Wii U ou ao menos ‘dar uma jogadinha’ de vez em quando. O melhor da série? Difícil dizer, prin-cipalmente pela ausência (talvez tem-porária) de algumas pistas e pilotos. Imperdível? Certamente. Inté!!! O Perdão O perdão exige prática, mas não é preciso que esta ação violente a sua von-tade. O perdão pressupõe a ca-pacidade de controlar as nossas emoções e atitudes frente à vida e as pessoas. Por que se tornar um prisioneiro de suas próprias rea-ções e atitudes? Liberte-se, per-doe a si mesmo e perdoe a vida por nem sempre ser fácil”. A frase de Terry Lynn Taylor tra-duz perfeitamente o ato de perdo-ar. Mais do que tentar perdoar o próximo, perdoar a si mesmo é o primeiro e importante passo para uma vida mais plena. Quantas vezes você se deixa levar por pen-samentos de ódio, rancor, mágoa causando dor e sofrimento, inclusive no corpo físico. Por isso, tente fazer o exercício do perdão. Somos erroneamente treinados em sermos fortes o tempo todo. Perdoar para alguns, soa como fragilidade, sendo exatamente o contrário. Perdoar o torna mais forte. Pen-se sobre isso. Para ajudá-lo, listo algumas preciosas dicas do Fred Luskin, autor de “Poder do Perdão”. Veja: 1. Saiba exatamente como você se sente sobre o que ocorreu e seja capaz de ex-pressar o que há de errado na situação. Então, relate a sua experiência a umas duas pessoas de confiança. 2. Entenda seu objetivo. Perdoar não sig-nifica necessariamente reconciliar-se com a pessoa que o perturbou, nem se tornar cúmplice dela. O que você procura é paz. 3. Tenha uma pers-pectiva correta dos acontecimentos. Reconheça que o seu aborrecimen-to vem dos senti-mentos negativos e desconforto físico de que você sofre agora, e não da-quilo que o ofen-deu ou agrediu dois minutos - ou dez anos - atrás. 4. Desista de esperar, de outras pessoas ou de sua vida oportunidade que elas não escolheram dar a você. Reconheça as “re-gras não cobráveis” que você tem para sua saúde ou para o comportamento seu e dos outros. Lembre a si mesmo que você pode esperar saúde, amizade e prosperidade e se esforçar para consegui-los. Porém, você sofrerá se exigir que essas coisas aconteçam quando você não tem o poder de fazê-las acontecer. 5. Lembre-se de que uma vida bem vivi-da é a sua melhor atitude. Em vez de se concentrar nas suas mágoas – o que daria poder sobre você à pessoa que o magoou – aprenda a buscar o amor, a beleza e a bondade ao seu redor. 6. Modifique a sua história de ressentimen-to de forma que ela o lembre da escolha he-róica que é perdoar. Passe de vítima a herói na história que você contar. Namastê! “ Acupuntura, Yoga, Meditação, Shiatsu, Reiki, RPG Respiração e Drenagem Linfática Rua Miguel de Frias, 40 - Icaraí, Niterói - (21) 2717-9117
  10. 10. Niterói 18/10 a 24/10/14 www.dizjornal.com 10 Fernando de Farias Mello Fernando Mello - fmelloadv@gmail.com Mudança Eleitoral Primeiramente, desejo boa sorte a todos os eleitores, a todos nós, bra-sileiros, que carregam este país nas costas, trabalhando, produzindo e pagando estes impostos infames. Espero que pos-samos corrigir os rumos errados e, se não exterminarmos com a corrupção, pelo me-nos, reduzí-la bastante. Nas próximas eleições para vereadores e prefeitos em 2016 teremos um prato cheio de candidatos infames, com a coparticipa-ção dos novatos e os que permanecem no poder a qualquer custo. São as raposas corruptas que nada mais fa-zem pela cidade do que dar nome de ami-gos às ruas da cidade. Todos os personagens da política deveriam ser surpreendidos com uma verdadeira mu-dança na Lei e ordenamentos políticos do país. O primeiro passo seria a aplicação da de-mocracia na direção do eleitor, exterminan-do com a obrigatoriedade do voto. Desta forma, quem for até à urna será o cidadão efetivamente comprometido com o nosso país, com a democracia e muito provavel-mente, em busca do melhor candidato. Não creio que muitos irão sair de casa para votar no Tiririca, por exemplo. Assim como, também acho que a maior parte considerará sair de casa para votar no bom candidato. A eleição realmente li-vre e democrática de-verá estar pontuada da ampla e irrestrita liber-dade. Sem falar em anarquia, partidos políticos deve-riam ser criados livre-mente, sem necessida-de disso ou daquilo. Outro aspecto relevan-te é acabar com a re-eleição para todos os cargos. Para os manda-tos do legislativo, para aqueles que pretendem renovar o mandato por mais um período deve-riam participar de uma averiguação pré-eleito-ral. Os eleitores deve-rão ou não concordar se ele deve participar da próxima eleição e, para isso, os compromissos de campanha deverão estar todos comprovadamente em dia. Isso eliminaria aquele candidato que so-mente dá as caras no momento das elei-ções. Durante o período do mandato ele nada faz e sequer comparece às sessões ou apresenta projetos. Esse tipo de malandro é um inútil para a sociedade, pois a todos prejudica. Para os cargos do executivo, não acho que nosso país suporte reeleições. Sou partidá-rio da tese de que um único mandato de cinco anos já é o suficiente para um político acertar ou não. Isso envolve a todos, pois o Legislativo deverá ser mais responsável e atuante para com as necessidades do Exe-cutivo. As despesas eleitorais não podem ser ban-cadas por pessoas físicas ou jurídicas. As verbas devem ser distribuídas por todos os partidos de forma a con-tabilizar os seus representantes nas Assembleias Legislativas e Câmara dos Vereadores, não podendo ser distribuído com base no número de políticos de cada partido que está no Congresso Nacional. Por fim, para crimes comuns cometi-dos, como corrupção, furto e roubo, o político nem poderia pensar em ter a imunidade parlamentar. A perda do mandato significaria o fim da carreira deste político maldi-to, para nunca mais participar da vida nacional. P.S.: Alguns leitores ficaram curiosos com o fim repentino do “Candidato”, personagem que criei com base em numa salada mista de políticos. Isto porque o Candidato morre no ato de votar em si mesmo e ninguém ficou sabendo se o defunto foi eleito ou não. Porque a campanha do malandro foi bem feita e regada a dinheiro, ele foi eleito, sim. E é claro que o primeiro suplente entrou no seu lugar. O Suplente do Candidato será o próximo tema que irei abordar em 2016, ano das próximas eleições. Com a inevitável partici-pação da viajante, bela e humana viúva do Candidato. Fernando Mello, Advogado www.fariasmelloberanger.com.br e-mail: fmelloadv@gmail.com P I N G P I N G P O N G SeÊvocê Ênã oÊaguentaÊmaisÊserÊjogadoÊdeÊumÊladoÊ proÊ outroÊ peloÊ SAC,Ê ligueÊ praÊ gente.Ê Aqui,Ê vamosÊ ouvirÊ eÊ acompanharÊ suasÊ reclamaçõ esÊ sobreÊ leisÊ queÊ nã oÊ estã oÊ sendoÊ cumpridasÊ eÊ atéÊ mesmoÊ deÊ serviçosÊmalÊprestadosÊporÊempresasÊprivadas. P I N G P I N G P O N G
  11. 11. Niterói 18/10 a 24/10/14 www.dizjornal.com Pela Cidade 11 Edição na internet para Hum milhão e 200 mil leitores Obras do Ambulatório do HUAP O reitor da UFF Roberto Salles vi-sitou no último dia 14, as obras de reforma e ampliação do complexo ambulatorial do Hospital Universitário Antonio Pedro. Esteve acompanhado do diretor-geral do Huap, Tarcisio Rivello e da Gerência de Projetos e Obras (GPO) do hospital. O novo ambulatório prevê 81 consul-tórios e salas de exame, a reestrutu-ração das salas de pequenas cirurgias para o Centro Cirúrgico Ambulato-rial, projeção de um bloco de enfer-magem com sala de curativos, construção de sala de medicamentos e pulsoterapia, sala de inalação, salas de serviços e salas de reunião para estudo e discussão de ca-sos clínicos. No espaço do ambulatório, es-tarão disponíveis balcões informativos para orientação e atendimento aos pacientes, e salas de espera amplas e confortáveis, o que proporcionará a melhora do fluxo exis-tente, além gerar rotas de fuga alternativas. Roberto Salles destacou as melhorias rea-lizadas no Huap afirmando que o hospital está bem melhor do que encontrou em 2006. Destacou também a humanização e a recuperação de diversos espaços como o subsolo e o setor de infectologia (DIP) que se equipara a qualquer estrutura de um Apresentação do Quarteto de Cordas da UFF O Quarteto de Cordas da UFF apresen-ta no dia 19 de outubro seu primeiro concerto no Centro de Artes UFF desde a reabertura do espaço. A apresentação é parte do projeto Música aos Domingos, que traz para o Cine Arte UFF participações da orquestra e dos grupos de câmara da uni-versidade, além de recitais e concertos de músicos e grupos convidados. O programa é uma homenagem ao maestro petropoli-tano César Guerra-Peixe, que comemoraria 100 anos em 2014. Guerra-Peixe é um dos mais importantes nomes da música erudita brasileira do sécu-lo XX, foi violinista da Orquestra Sinfônica Nacional da Rádio MEC, que mais tarde viria a se tornar a OSN UFF. Faleceu em 1993 e deixou um imenso legado, tanto em concertos quanto em arranjos para músicos populares com Chico Buarque e Luiz Gon-zaga. Na apresentação do dia 19, foram escolhi- Em Benefício da APADA Este ano, para decorar um shopping da cidade de Niterói, a tradicional decoração nata-lina será substituída por oratórios customizados. O trabalho de customização será feito por pessoas da sociedade niteroiense. Entre elas: Babi Xavier, Paloma Yamagata, Desiree Bruver, Celia Boumaroum, Cristina Daher, Maria Claudia Issa, Roberta Devisati, Marcia Willemsens e Nilce Muller. Em janeiro, as peças serão leiloadas e a renda revertida para a APADA, intuição voltada para o atendimento gratuito de deficientes auditivos e familiares. Marcadas as Audiências Públicas para o Orçamento 2015 Já foram definidas as datas das três au-diências públicas para debater a Lei Orçamentária Anual (LOA) para o exer-cício financeiro de 2015. A Comissão de Fiscalização Financeira, Controle e Orça-mento da Câmara de Vereadores marcou datas das Sessões para os dias 29 de ou-tubro, 11 e 25 de novembro, sempre às 20 horas, no Plenário Brígido Tinoco. Com receita estimada em (R$ 2.2 bi-lhões), a lei orçamentária anual tramita na Câmara através da mensagem-executiva 24/2014, desde o dia 30 de setembro e é 18% superior ao orçamento aprovado no ano passado. Segundo o Executivo, a prioridade será por conta da segurança pública. Subiu de R$ 19.5 milhões em 2014, para R$ 29.7 mi-lhões em 2015; um acréscimo de cerca de R$ 10.1 milhões. O saneamento teve o va-lor acrescido de R$ 170.6 milhões, no or-çamento de 2014, para R$ 197.3 milhões; um reajuste de R$ 26.6 milhões. Em conformidade com a Lei de Respon-sabilidade Sergio Gomes Fiscal, a LOA terá que passar pelas três audiências públicas legislativas, abertas à população, para que os vereado-res possam debater e propor emendas ao Orçamento. As audiências são organizadas pela Comissão de Orçamento, compos-ta pelos vereadores Bruno Lessa (PSDB), Waldeck Carneiro (PT), Carlos Magaldi (SDD),Verônica Lima (PT) e Paulo Eduardo Gomes (PSOL). hospital particular. Ele acredita que o novo reitor eleito Sidney Luiz de Matos Mello irá dar continuidade ao trabalho que vem sen-do realizado pela atual gestão. Tarcisio Rivello, diretor-geral do Huap, des-tacou o investimento que vem sendo feito para a melhoraria e adequação do espaço físico do ambulatório, observando a legis-lação vigente, em especial, às normas da Anvisa e da Vigilância Sanitária, buscando ajustar o setor ao que requer o atual mode-lo de um Hospital Universitário. A obra or-çada em R$ 12.590.858 milhões encontra-se em andamento e representa um grande avanço para o Huap, propiciando a melho-ria organizacional e condições mais vanta-josas de atendimento ao paciente SUS. das as composições Quarteto nº2 (Allegret-to con moto, Presto, Andante, Allegro) e Suíte para Quarteto de Cordas (Maracatu, Modinha, Pregão, Frevo). O Quarteto de Cordas da UFF foi criado em 1985 e é formado, por David Chew, Nayran Pessanha, Ubiratã Rodrigues (2o violino), David Chew (violoncelo) e Nayran Pessanha (viola). Ocupada sempre por um músico convida-do, a posição de 1º violinista ficará com Karolin Broosch. Márcia Willemsens, Miriam Rodrigues e Míriam Chactoura Paulo Bagueira
  12. 12. Niterói 18/10 a 24/10/14 www.dizjornal.com Em Foco dizjornal@gmail.com 12 Edição na internet para Hum milhão e 200 mil leitores PDT Oficializa Apoio à Pezão no 2º Turno Aliança do candidato já conta com a participação de 21 partidos O governador e candidato à reelei-ção, Luiz Fernando Pezão (PMDB), recebeu o apoio do PDT para o segundo turno das eleições. A oficialização foi feita no encontro realizado na sede do partido, no Centro do Rio, onde Pezão foi recebido pelos deputados estaduais reelei-tos Cidinha Campos, Luis Martins e Jânio Mendes; e pelo também deputado estadual Felipe Peixoto, coordenador da campanha peemedebista. Contabilizando os apoios do PROS e do PT do B, Pezão tem agora em sua aliança a participação formal de 21 siglas, além do apoio de uma corrente do PCdoB liderada por Adolfo Konder (que concorreu a depu-tado estadual). - Estamos a poucos dias das eleições e pre-cisamos, mais do que nunca, fortalecer o apoio à candidatura de Pezão para governar nosso estado e dar continuidade ao proces-so de mudanças que vivemos nos últimos anos - disse Felipe Peixoto. No encontro, Pezão reafirmou a importân-cia de ter o PDT na campanha, expressando o apoio que simboliza a retomada da par-ceria quase selada no primeiro turno com Felipe Peixoto indicado a seu vice e poste-riormente substituído pelo senador Francis-co Dornelles. - Preciso do PDT não só nas eleições, mas para me ajudar a governar este estado. Da última vez que estive aqui (na sede do partido), falei que meu coração era meta-de PMDB e PDT. Gratidão, para mim, não prescreve. O Felipe foi um leão (no primeiro turno) e hoje não é só a joia rara da coroa do PDT. Ele paira acima de todos os parti-dos - afirmou Pezão, destacando o empe-nho de Felipe Peixoto que participa ativa-mente da campanha majoritária. Pezão sendo observado pelo seu coordenador de campanha Felipe Peixoto Encontro Promovido por Felipe Peixoto Reuniu Mais de 100 Lideranças de 10 Municípios da Região Co o rd e n a d o r da campanha à reeleição do governador Luiz Fer-nando Pezão (PMDB), o deputado estadual Felipe Peixoto (PDT) promoveu um grande encontro com prefei-tos, ex-prefeitos, de-putados e vereadores do Leste Metropolita-no. Mais de 100 delas são lideranças políticas dos dez municípios da região que, no próxi-mo dia 26, vão refor-çar nas urnas o apoio Julio Cerino ao candidato pemede-bista. Além de Niterói, integram o Leste Metropolitano as cidades de São Gonçalo, Itaboraí, Tanguá, Rio Bonito, Silva Jardim, Cachoeiras de Macacu, Magé, Guapimirim e Maricá, que juntas representam um colégio de mais de 1 milhão de eleitores. Sergio Marcolini e Felipe Peixoto Julio Cerino

×