Diz Jornal 172

127 visualizações

Publicada em

Diz jornal, um jornal plural que aborda temas desde política, saúde e internet passando por games e direitos do consumidor. Circula 15 dias nas principais regiões da cidade de Niterói e online para mais de 1 milhão de leitores.

Publicada em: Notícias e política
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Diz Jornal 172

  1. 1. Niterói 24/03 a 08/04/17 www.dizjornal.com Diretor Responsável: Edgard Fonseca Circula por 15 dias Diz: Todo Mundo GostaVivianScotelaro–Foto:JulioCerino Edição Online Para Um Milhão e Oitocentos Mil Leitores Zona Sul, Oceânica e Centro de Niterói16 Mil Exemplares Impressos 2ª Quinzena Nº 172 de Março Ano 09 de 2017 Página 03 Intolerância Entre Deuses e Religiosa: E os Demônios Urbanos.
  2. 2. Niterói 24/03 a 08/04/17 www.dizjornal.com 2 Informes Expediente Edgard Fonseca Comunicação Ltda. R Otavio Carneiro 143/704 - Niterói/RJ. Diretor/Editor: Edgard Fonseca Registro Profíssional MT 29931/RJ Distribuição, circulação e logística: Ernesto Guadelupe Diagramação: Eri Alencar Impressão: Tribuna | Tiragem 16.000 exemplares Redação do Diz R. Cônsul Francisco Cruz, nº 3 Centro - Niterói, RJ - Tel: 3628-0552 |9613-8634 CEP 24.020-270 dizjornal@hotmail.com www.dizjornal.com Os artigos assinados são de integral e absoluta responsabilidade dos autores. D! Nutrição clara.petrucci@dizjornal.com | Instagram: Clara PetrucciEdição na internet para Hum milhão e 800 mil leitores Distribuidora Guadalupe 25 Anos de bons serviços Jornais Alternativos - Revistas - Folhetos - Encartes Demonstração de Placas Sinalizadoras Entrega de Encomendas e Entregas Seletivas Niterói - Rio de Janeiro - São Gonçalo - Itaboraí - Magé - Rio Bonito - Maricá - Macaé eguada@ar.microlink.com.br guada@ar.microlink.com.br 99625-5929 | 98111-0289 3027-3281 | 2711-0386 (sec.elet. 7867-9235 ID 10*73448 DG Onde Está Nossa Segurança Alimentar? P apelão, carne podre, substân- cias altamente tóxicas e can- cerígenas. Isso é o que vem alimentando brasileiros e grande par- te do mundo. Mas, como vamos ser saudáveis e cuidar da nossa saúde se não temos segurança para confiar nos órgãos que deveriam nos proteger? Pergunta difícil de responder, porém precisamos seguir nos alimentando; mas como? Primeiramente temos recursos para, pelo menos, amenizar a quantidade de agrotóxicos dos vegetais. Você que acha absurdo ter que comprar vegetais orgânicos por preço maior e por não se sentir seguro na procedência dos demais, tem como higie- nizar seus alimentos de forma correta. Basta deixar de molho após lavar bem em água corrente (no molho não se esquecer das gotas hipoclorito na água). Numa segunda ação, (atualmente) você tem como procurar perto dos grandes centros, pequenos sítios que cultivam hortaliças, legumes e frutas de forma “artesanal”,além de ovos e alguns animais. Além de ser um grande divertido passeio para a família no fim de semana, favorecer a economia local, e você mesmo pode “fiscalizar” as condições de produção do que vai para a sua mesa de forma consciente; de maneira orgânica torna sua alimentação bem mais saudável. Tem gente que gosta de reclamar e tornar esse tipo de notícia numa desculpa para comer besteira, dizendo que tudo é a mesma coisa; ou você pode ser do tipo de gente que além faz melhor por si, aprende a cobrar dos órgãos responsáveis mais segurança alimentar! Não crie desculpas, faça você mesmo sua segurança alimentar! Procure um profissional capacitado para uma boa orientação e participe, fiscalize e exija mais. Sua saúde agradece. Mostra do Campo de São Bento AAssociação Pestalozzi de Niterói parti- cipa na manhã de domingo (26/03), no Campo de São Bento, do evento “Niterói Down, um Click na Beleza”. A instituição le- vará ao público artesanatos produzidos pelos seus alunos do programa de Vida Indepen- dente e Iniciação ao Trabalho, formado por jovens com deficiência intelectual que fazem tratamento multidisciplinar na unidade. A Pestalozzi também terá um estande com informações sobre a Oficina de Órtese e Prótese que oferece gratuitamente, através de convênio com o Ministério da Saúde, cadeiras de rodas, andadores, prótese de membros inferiores e órteses como palmilhas. No evento a Pestalozzi fará nos interessados o “Teste da Pisada”, onde através do aparelho Barapodômetro é indicado qual o melhor equipa- mento a ser usado para correção de possíveis desvios de coluna. “Saudade do Síndico” Otrio Copacabana Beat está de volta à Niterói, após uma turnê por todo o Brasil, com o show “Saudade do Síndico”, tema este também do novo CD. Marcada para o dia 01 de abril, às 21h, na Casa do Flamboyant, em Jurujuba, Av. Carlos Ermelindo Marins, 1117 – Juru- juba – Niterói. A apresentação tem como característica inerente ao gru- po uma pegada soul music, inspirada no genial Tim Maia. Eles prometem um show inesquecível, que conta com a produção de Sandra Vergara e Mônica Jansson. Vendas de ingressos pelos telefones 2619-3387 ou celulares/WhatsApp 98702-6788/ 96480-6666/ 98056-3535, podendo ser entregues mediante a localidade. Pontos de venda: Academia Master (Rua Álvares de Azevedo, 179/185 ) e Casa do Flamboyant.
  3. 3. Niterói 24/03 a 08/04/17 www.dizjornal.com 3 InternetLaio Brenner - dizjornal@hotmail.com SOS Cidadão F oi lançado na última quarta-feira (22), em João Pessoa, um aplicativo para smartphones que vai estender o atendimento do Ciop (Centro Integrado de Operações Policiais), feito atualmente ape- nas através do número 190, à população do Estado da Paraíba. O aplicativo “SOS Cidadão”, que está disponível na App Store e na Playstore, permite que as pessoas pos- sam fazer chamadas à polícia informando dados importantes para acelerar o trabalho dos serviços de segurança. Segundo o Ciop, o ambiente mais seguro do aplicativo também tem o objetivo de re- duzir a quantidade de trotes para o 190. Inicialmente o aplicativo vai estar disponí- vel apenas para moradores de João Pessoa, mas o serviço vai ser estendido para outras cidades paraibanas. Após baixar o aplicativo, o usuário primeiro precisa fazer um cadastro no sistema, informando dados como nome com- pleto, CPF, RG, email e endereço. Os dados serão validados pelo Ciop, para confirmar a autenticidade do cidadão e em seguida o usuário pode ter acesso às funcionalidades do apli- cativo. Pelo programa, o cidadão pode fazer envio de cha- madas de emergência e urgência tanto para a Po- lícia Militar quanto para o Corpo de Bombeiros. Entre os dados que podem ser compartilhados na chamada, o usuário pode informar o tipo de ocorrên- cia, a quantidade de pessoas envolvidas e também a localização precisa da ocorrên- cia, coletada por meio do GPS do aparelho. Segundo a Secretaria de Segurança e De- fesa Social da Paraíba, a diferença entre o aplicativo e a chamada para o 190 está na rapidez da solicitação, uma vez que o usu- ário não tem que esperar para ser atendi- do. Ao fazer a solicitação de ocorrência, os dados são encaminhados automaticamente para o setor responsável. Além disso, o aplicativo pode ser usado em situações em que o usuário não pode falar. O aplicativo foi desenvolvido pela Compa- nhia de Processamentos de Dados da Para- íba (Codata) em conjunto com a equipe téc- nica do Ciop e em parceria com a Unimed João Pessoa. O serviço está disponível para usuários dos sistemas Android e iOS, po- dendo ser baixado pelas lojas Google Play e e App Store. O que nos resta e torcer para que dê certo e que o aplicativo SOS se es- tenda por todo o território brasileiro. Documento Intolerância Religiosa: Entre Deuses e os Demônios Urbanos. A humanidade através dos tempos matou mais em nome de Deus que todos os demônios conseguiram em suas guerras. A verdade é que filosoficamente, em nome da pu- rificação das guerras santas, derramam sangue dos justos e injustos, e lançam povos contra povos: palestinos con- tra judeus, católicos contra protestantes, e a versão mais moderna, dos evangélicos contra os afro-religiosos (Can- domblé, Umbanda e outros desdobramentos cruzados). É claro que se pesquisarmos bem, atrás de muitos conflitos desta ordem encontraremos outros fatores motivacionais, inclusive os de origem econômica e financeira, além da possessão de bens e territórios. Sabemos que o preconceito e a tentativa de manter a su- premacia de uma religião sobre as outras se baseia em pseudo certezas e manipulações impositivas. Quem viu Hitler perseguir os judeus sabe que as razões raciais e econô- micas foram muito maiores do que religiosas. Mas, a religião sempre entra como moeda de troca em todas as guerras. A incapacidade intelectual e até mesmo espiritual de aceitar uma prática religiosa diferente é o pior problema. Temos no Brasil uma multiplicidade imensa de religiões e aparentemen- te o brasileiro convive bem com esta diversidade, que vai dos cristãos católicos, ortodoxos, presbiterianos, batistas, maro- nitas e por fim as denominações evangélicas com diversas tendências e formatos. Temos os budistas e o Bahá'í. Ainda o Mormonismo, Espiritismo, Judaísmo, Neopaganismo, Hin- duísmo, o Islamismo e por fim as Religiões afro-brasileiras e indígenas. Estas, mais perseguidas por preconceitos muito an- teriores, ligando alguns cultos a bruxaria e demonismo, como é o culto dos vodus, vindo das Antilhas. A maior dificuldade atual é o preconceito contra as desig- nações africanas e centro americanas; e foram desenvolvidos dogmas de perseguição, como uma espécie de cruzada san- ta por várias igrejas evangélicas. Elas atribuem a estes cultos a existência do mal, com diversos principados demoníacos e espíritos de trevas. Confundem tudo e colocam todos no mesmo nível da Quimbanda que comprovadamente se utili- za de espíritos malfazejos e usam feitiçaria com objetivos de agressão a opositores e desafetos. A falta de informação e preconceito dificulta o diálogo e o respeito ecumênico. O que recentemente nos chamou a atenção foram as decla- rações na internet de religiosos populares, mas ortodoxos, contra o cantor e compositor Arlindo Cruz, que se encontra em estado grave num UTI de um hospital carioca. Arlindo sabidamente é adepto ao Candomblé e faz mensalmente as suas “oferendas de filho de santo” para Xangô, seu ori- xá “dono da cabeça”. Ele comumente se apresenta usando uma guia de santo azul escura que é a guia de Ogun, que segundo ele, é seu segundo Orixá e já fez o ”assentamento” desta entidade, que é o senhor dos caminhos e o general de batalha em todas as demandas. Lemos agressões desafiantes, do tipo: “quero ver agora. Chama lá aqueles demônios que você cultua para ver se te salvam!” A mais perfeita intolerân- cia, desconhecimento e crueldade; que nada tem a ver com o “espírito cristão”. Como se ter um Orixá guardião fosse a garantia para não se submeter às leis do universo. Nenhuma pessoa, religiosa ou não, deixará de sofrer o desgaste físi- co imposto pelo tempo. Este planeta tem princípio e fim. E quando o fim de alguém se aproxima, de acordo com a Lei do Carma, não há escapatória. A diferença de quem pratica uma religião para um agnóstico, será o conforto da fé. Estes aceitam melhor a adversidade e o sofrimento da passagem para outra dimensão. Os preconceituosos são falsos cristãos, pois a primeira ação advinda do cristianismo é a compaixão e a tolerância. Existem grandes templos e assembléias nas grandes cidades. Movimentam fortunas e a fé cega de mi- lhões. O ambiente urbano é propício para o controle das massas. E entre Deuses e Demônios a intolerância é quem reina. Infelizmente... O compositor e cantor Arlindo Cruz
  4. 4. Niterói 24/03 a 08/04/17 www.dizjornal.com 4 Cultura Paulo Roberto Cecchetti cecchettipaulo@gmail.com annaperet@gmail.com DIZ pra mim... (que eu conto) Anna Carolina Peret Edição na internet para Hum milhão e 800 mil leitores - A exposição ‘EntreMeio’, de Luciane Valença (desenhos) e Paulo Roberto Cecchetti (haicais) acontece na Sala de Cultura Leila Diniz (Rua Heitor Carrilho, nº 81 - Centro - Niterói/ RJ), de 05 a 31 de maio. Visitação gratuita. Im- -per-dí-vel! - A Aliança Francesa de Niterói/AFN (Rua Lopes trovão, nº 52 - Icaraí) apresenta mostra fotográfica “O Mundo é Minha Pátria: a migração haitiana e senegalesa no Brasil”, reunindo 15 trabalhos de Ma- teus Bruxel, Tadeu Vilani e Diego Vara. A exposição fica até 06 de abril, com vi- sitação de segunda a sexta-feira, das 8:30 às 20h e sábado das 8:30 às 12h. Entrada franca. - Até o dia 06 de maio a artista plástica Myriam Glatt traz para o Espaço Cultural Correios (Av. Visconde do Rio Branco - Centro) a exposição “Flores, da contenção à ex- pansão”. Vale conferir. - As Secretarias de Educação e Cultura/FAN promove, até 30 de março, o evento “Poesia em toda parte”, para celebrar o Dia Municipal do Poeta - 29 de março, em homenagem ao saudoso Luiz Antônio Pimentel. - O Centro de Cultura França-Alemanha de Niterói apre- senta o 5º Salão de Artes Visuais. Visitação até 13 de maio na Aliança Francesa de Niterói (Rua Lopes Trovão, nº 52 - Icaraí) e no Instituto Germânico (Av. 7 de Setembro, nº 131 - Icaraí). Vinte e Três Eu me apaixonei pela obra de M. Night Shyamalan quando vi “O Sexto Sen- tido”. O ano era 1999 e eu estava completamente impressionada com a forma intensa e absoluta que aquele diretor con- seguira captar o meu interesse. Creio que, até então, poucas obras tinham me deixado tão perturbada e fascinada. No ano seguin- te, “Corpo Fechado” chegou aos cinemas e, mais uma vez, eu tive a sensação de ter sido plenamente envolvida. Um ano depois, retornei a sala escura por “Sinais”. Enfim, pelo terceiro ano consecutivo, eu ficava ma- ravilhada pela obra deste diretor que, até o presente momento, apenas me surpreende. Em 2004, foi lançado “A Vila” e, em 2006, “A Dama Na Água”. Todos esses filmes me fazem ter a certeza de que se trata de um grande profissional. Porém, ele não parou por aí... Em 2010, ele lançou “O Último Mestre do Ar” e, em 2013, “Depois da Ter- ra”. Para completar, há dois anos, mais uma ótima surpresa: “A Visita”. Enfim uma série ininterrupta de filmes inesquecíveis. A questão é que, este ano, possivelmen- te, este fantástico cineasta tenha lançado o seu trabalho mais controverso e polêmi- co. O longa narra a saga de um jovem – o qual é magistralmente interpretado por Ja- mes McAvoy, um dos atores revelações de Hollywood na contemporaneidade – que apresenta 23 personalidades diferentes. O rapaz sequestra três moças e as mantém em cativeiro. O relacionamento entre ele e as meninas se dá através da alternância das personalidades que se reve- zam desordenadamente na mente perturbada do pro- tagonista. Estes 23 “eus” que habitam a cabeça deste homem fazem dele um ver- dadeiro mutante: homem, mulher, criança, violento, pacífico, etc. Todos esses “seres” parecem ser verda- deiras entidades macabras que tomam conta daquele corpo, passível das mais loucas e incalcu- láveis mudanças. Além disso, o que todas estas personalidades têm em comum é que todas elas acreditam em algo chamado “O Monstro”, que seria, tecnicamente, a mais forte das personalidades, a qual estaria prestes a tomar conta da mente do rapaz de forma absoluta, levando-o a cometer atro- cidades no plano físico. A certeira direção de Shyamalan juntamente com a milimétri- ca atuação de McAvoy fazem no filme um misto de drama, terror e suspense. A audi- ência não tem sossego um minuto, ficando sobressaltada durante todos os segundos da projeção. A verdade é que as pessoas com transtorno dissociativo de identidade mental atraem a atenção dos cientistas há séculos. Muitos pesquisadores acreditam, inclusive, que além das manifestações psicológicas nes- ta doença também podem ser observados atributos físicos exclusivos, os quais seriam desenvolvidos pelo doente para cada perso- nalidade. Durante o longa, tomamos ciência de que o protagonista demonstrara estas 23 personalidades para a sua psiquiatra. Aliás, a médica do rapaz passa o filme inteiro ten- tando, ora controlá-lo e ora ajudá-lo. Além disso, notamos também que o jovem vive uma verdadeira guerra interna, na qual bri- gam vorazmente todos “aqueles” contidos dentro dele. Este, na verdade, é o grande trunfo da película: a perfeição na atuação de McAvoy. Em duas horas de projeção, o ator consegue ser múltiplo, sem ser caricato em nenhuma de suas facetas. A verossimilhança e a convicção na interpretação de persona- lidades tão disparas, faz com que o público fique ao mesmo tempo confuso e amedron- tado, tenso e ansioso. Uma verdadeira aula de artes cênicas. O ator Joaquin Phoenix havia sido escalado para este papel – ele já tinha trabalhado com M. Night Shyamalan em “Sinais” – entretanto, por conta de con- flitos na agenda, McAvoy acabou assumin- do tal incumbência. Provavelmente, acabou realizando a melhor atuação de sua carreira até agora. “Fragmentado” (“Split”, no original), é fruto da parceria inédita entre Shyamalan e o pro- dutor Jason Blum, responsável por “Ativida- de Paranormal”. Para termos ideia do suces- so da película, cabe ressaltar que a mesma conservou-se por semanas sucessivas em primeiro lugar nas bilheterias norte-ame- ricanas. Além disso, o longa já arrecadou, até o momento, mais de 140 milhões de dólares, somente nos EUA. Uma verdadeira fortuna, perante o orçamento modesto da película, que custou apenas nove milhões. Eu acredito que a grande façanha de “Frag- mentado” seja, justamente, a de nos deixar completamente incomodados com a veros- similhança. A ficção é tão real que incomo- da. O pouco distanciamento entre a arte e a vida real é o que mais mexe com as nossas mentes. Aplausos para a dupla Shyamalan e McAvoy. Um filme para ovacionar de pé!
  5. 5. Niterói 24/03 a 08/04/17 www.dizjornal.com 5 Edgard Fonsecaedgardfonseca22@hotmail.com Aniversariantes da Edição Andrea Gomes Canella Luiz Antonio Barros Natália Mota Ricardo Teixeira Dayse Carvalho Sueli de Carvalho ZAPS... ...Em Niterói, o melhor do veganis- mo estará reunido na primeira edição da Veggie Fest (https://www.facebook. com/events/284565138629962/ ) que acontecerá, no próximo dia 02 de abril (domingo), das 10h às 16h, no Canto do Rio Football Club, com en- trada franca. O Embuste da Lista Fechada Lista Fechada é mais um embuste desses maus políti- cos, que vendo que não conseguirão se eleger diretamente querem aplicar esta manobra. É simples: entram na lista os “caciques” do parti- do (os mesmos que manobram as verbas do Fundo -milionário- Partidário). O eleitor terá que votar num parti- do, ao invés de um candidato. Quem estiver na lista, principalmente nas primeiras posições, serão os eleitos. Ainda que sejam os mesmos, corruptos, safados, cheios de ações na Justiça contra eles. Como já existe muita rejeição popular à idéia, os malandros estão propondo uma solução de “meia- pernada”. Ou seja: a lista continua, mas com uma divisão, (meio a meio) onde elege quem está nas primeiras posi- ções da lista e quem tenha sido bem votado em separado. Na verdade duas listas. Uma fechada para proteger os corruptos poderosos. E a outra para os que vão se danar para serem eleitos, especialmente sem recursos, pois os “donos dos partidos” decidem para onde vai a verba partidária. Pura perversidade. Conflito de Competência (Dupla) Uma notícia veiculada pelo “jornal do prefeito de Niterói” de forma conveniente e maldosa, fez parecer que o Juiz Alexandre Scisinio, da 9ª Vara Civil, teria indeferido a liminar proposta pelo Ministério Público, em Ação que pede a inter- rupção da circulação de veículos sobre o Mergulhão Ângela Fernandes. Para isso esclarecemos: O juiz da 9ª Vara Civil, não rejeitou o pedido. Apenas considerou haver Conflito de Competência, visto que já existe outro processo ajuizado pela Escopo Enge- nharia e o Magistrado enviou o processo para o TJ para que ele determine a quem pertence a competência para o julgamento. A ação está viva e seguindo. O MP não recuou nem um centí- metro (como maldosamente espalham pelas ruas) e as suspeitas a respeito da segurança da obra continuam. Torçamos para que nada de mal aconteça, principalmente se for atingir os passantes inocentes naquela Rede Live Está Viva Ocomunicador Haroldo de Andrade (foto) apresenta diariamente o seu novo programa das 09 às12h na internet no endereço facebook.com/redelivebr. Também extensões no twitter.com/redeli- vebrinstragran.com/redelive. Todo dia um tema central é desenvolvido pelos partici- pantes da mesa de debates, compostas por personalidades relevantes no estado, o que proporciona raciocínios dinâmicos sobre as mais variadas questões. Os temas variam desde assuntos locais, passado pelas ques- tões nacionais, e até temas de fundo filosó- fico, comportamental e ético educacional. Está excelente. Exposição “Sobrepele” Aartista plástica Aline Miguel (foto) apresenta a sua exposição na Galeria de Arte La Salle onde destaca a figura da mulher ne- gra pintada em tinta acrílica sobre tela laminada de Chitão. O vernissage será no dia 05de abril, às 20h, e a mostra se estenderá até 02 de maio. O endereço é: Rua Gastão Gonçalves, 79 - Santa Rosa e a entrada é franca. Novo Presidente do PSDB Niterói Oauditor da Re- ceita Federal Sergio Artur do Nas- cimento (foto) foi elei- to como o novo pre- sidente do diretório municipal do PSDB. Ele tem constante ati- vidade partidária e já foi candidato a verea- dor e deputado
  6. 6. Niterói 24/03 a 08/04/17 www.dizjornal.com 6 Fernando Mello - fmelloadv@gmail.com Fernando de Farias Mello ATENÇÃO PARAA MUDANÇA Novos e-mails do Jornal Diz Redação dizjornal@hotmail.com | contato@dizjornal.com Editoria edgardfonseca22@hotmail.com Fernando Mello, Advogado www.fariasmelloberanger.com.br e-mail: fmelloadv@gmail.com Alerj. Aqui você tem poder. Baixe na Chegou o aplicativo Carteirada do Bem. As leis daAlerj servem para quem tem sede de justiça. Ou só sede, mesmo. Lei Estadual 2424/95: “Bares e restaurantes estão obrigados a oferecer água filtrada de graça quando solicitada pelo cliente.” Bom Churrasquinho Ninguém agüenta mais piadinhas com churrasquinho de papelão. Toni Ramos chamando para co- mer carne podre e essas coisas. Por que acabam cansando? Porque o problema é sério. Nós é que temos esse espírito brin- calhão. É normal. A mais nova Operação da Polícia Federal foi uma operação comum e que deveria ter sido realizada há muito tempo, mas que a própria imprensa cuidou da fazer estardalhaço e sabemos a verdadeira ra- zão: há alguma ligação de um dos filhos de Lula com um dos frigoríficos, nunca comprovada. Nessa de fazer uma escuta aqui e outra ali, pronto, descobriram que 3 frigoríficos entre mais de 3.000, estavam praticando fraude nos alimentos. Nem precisa quebrar a cabeça fazendo cálculos: dá 0,1%, ou seja, uma minús- cula parte dos frigoríficos está praticando o esquema de carne podre, ácido sei lá o que, cabeça de porco e tudo aquilo que tem sido motivo de notícia. A questão do papelão é ridícula. O que foi veiculado em gravações não dá cer- teza de que papelão tenha teria sido misturado à carne, efetivamente. E acha mesmo que não seria notado pelo con- sumidor final? Não seria comentado por algum funcionário? Esses frigoríficos são enormes, empre- gam milhares de pessoas e será que 1 funcionário não iria denunciar essas ir- regularidades? A única coisa que sempre ouvi falar é que muitos fiscais que atuam permitin- do a emissão do selo “S.I.F.” fazem vis- ta grossa para algumas irregularidades. Alguns ficam instalados em salas luxuo- samente equipadas com internet, televi- são enorme, sofás confortáveis, telefone à vontade, computadores, enfim, todo o conforto, quando os fiscais deveriam ficar lá dentro do galpão, na produção e verificando como estão sendo realiza- dos os trabalhos, as condições de higie- ne e etc ... Ficam lá, fiscalizando. Só que havia um “esquemão” desco- berto pela PF. Pode ter sido sem querer ou não. Dizem que foi uma denúncia de um dos fiscais e etc. Mas tem outra versão de que a escuta era para saber do envol- vimento ou não do filho de Lula. Também, tudo carne po- dre. A proporção de carne podre é ínfima se com- parada com a corrupção envolvida no assunto. Tudo que se mexe no meio de fiscalização pública dá em problemas. O pior é que o pessoal continua corajosamente sendo corrupto, pratican- do o mesmo ato mensal- mente, recebendo dinhei- ro sujo e sendo incapaz de acreditar que a Polícia Federal um dia vai bater à sua porta. É algo que ultrapassa a burrice e concretiza a certeza da impu- nidade. Ser corrupto hoje está ficando difícil e tem que ser profissio- nal. O dinheiro é rastreado. Seu telefone já é grampeado natu- ralmente. Tudo é gravado. Seu e-mail sempre passa pela NSA (Órgão americano investi- gador do mundo e também dos próprios americanos) e que fica nos EUA antes de chegar ao destinatário. Hoje, quando se fala em inti- midade, podemos dizer que ninguém é mais virgem neste quesito. Já era. Por isso, farei um churrasqui- nho no próximo final de sema- na. Não usarei carne da Friboi porque não gosto, é carne ruim e só o Toni Ramos gosta. Mas existem outras de ótima quali- dade e sempre peço para os amigos “entendidos em carnes” para escolherem no mercado. E é a vida que segue.
  7. 7. Niterói 24/03 a 08/04/17 www.dizjornal.com 7 Conexões erialencar.arte@gmail.com E! Games dizjornal@hotmail.com Jêronimo Falconi Corre Mário! Corre! O s fãs mais entusiasmados da poderosa Nintendo não têm nada a temer. Foi lançado no último dia 23 “Super Mario Run”, o primeiro game do encanador mais fa- moso do mundo para iPhones. Sim, é uma experiência adaptada para celula- res que se mantém fiel às habilidades e à diversão nos videogames. Já o preço vai afugentar muitos jogadores (cerca de R$ 40) que só estão buscando um novo passatempo. Essencialmente, “Super Mario Run” é um jogo do gênero “infinity runner”, ou seja, corredor infinito. Mario corre automaticamente para a direita e cabe ao jogador tocar a tela do smartphone para fazê-lo pular e coletar moedas, itens e esmagar Goombas, Koopa Troopas e outros inimigos. A boa notícia é que o game respeita a física e as mecânicas de Mario nos videogames. Ou seja: o tempo que ele leva para pular e cair, o ganho de altura a suas várias habili- dades continuam presentes. Porém, quem nunca jogou “Super Mario” não terá difi- culdade. O comportamento e o tempo de pulo do herói têm sido o mesmo há tantos que é bem acessível. E com pouco tempo de jogo, o fato de ele andar automatica- mente passa a ser apenas detalhe. “Super Mario Run” é um autêntico jogo do italiano bigodudo da Nintendo. Mas, quem é Mario sem as fases sem o modo de jogo, Mundos, “Super Mario Run”¿ Vem de fá- brica com 24 delas: 18 normais e 6 especiais, que acontecem nos cas- telos do vilão Bowser. Cada uma tem um tema diferente e, assim como nos videogames, explora aspectos distintos das habilidades de Mario. Super Mario Run tem ainda outros dois mo- dos de jogo. Em Corridas, o jogador desa- fia adversários pela internet e a Construção do Reino, onde é possível gastar suas eco- nomias personalizando uma mini-cidade. O download é gratuito só dá acesso às três primeiras fases do game e uma demo de 20 segundos do castelo inicial. Você pode jogar nelas infinitamente e construir sua ci- dade com as moedas ganhas. E seguir de- safiando seus amigos em Corridas. Mas, só em 3 fases. A Nintendo foi confiante e apostou no valor de mercado do seu grande mascote. E o alto nível do controle de qualidade da em- presa costuma valer o preço dos jogos que lança, e geralmente eles são bem mais caros que R$ 40. “Super Mario Run”, no entanto, certamente será o teste definitivo dessa filo- sofia – pelo menos nessa entrada tardia da Big N no ramo de smartphones. Até a próxima! Manutenção das Árvores Oque acontece que todas as árvores da cidade de Niterói não resistem a uma chuva mais forte com ventania? Não é possível que passe o ano inteiro e não se faça uma inspeção no estado e saú- de das árvores. Moro em São Francisco e é sempre a mesma história: tem chuva e vento, tem queda de árvore. Será que o Departamento de Parques e Jardins da Prefeitura não fiscaliza? E estas podas que são feitas pela empresa de energia e luz? Vejo sempre que eles cortam os galhos que ameaçam os fios. Será que nessas horas não identificam a fraqueza e mau estado das raízes? Além da perda da árvore adulta, elas ao caírem oferecem riscos às pessoas. Será que vamos esperar um grave acidente para que alguém tome uma providência? Insegurança em São Francisco Pela proximidade com a Grota do Suru- cucu o Bairro de São Francisco vive so- bressaltado. De vez em quando e sempre o tiroteio acontece e ninguém pode pas- sar; o trânsito engarrafa e todos nós, prin- cipalmente quem está mais perto, morre de medo. Esta guerra entre Polícia Militar e o tráfico já passou dos limites. Soube até que o pessoal do posto médico está cansado de ficar refém dos bandidos, sem poder sair e o tiroteio comendo. Quem é que resiste a uma situação dessas? E olha que o IPTU sobe todo ano. Deve ser para acompanhar os índices de criminalidade. É só uma questão de que lado se está... É tudo crime mesmo! Itacoatiara Alagada Os problemas de escoamento em Itacoatiara são antigos, mas com mais ruas sendo calçadas a coisa está piorando. Manter uma casa Itacoatiara custa muito caro. Incluindo os impostos municipais que são nas alturas. Mas, a responsabilidade da empresa que cuida desse setor certamente não está sendo cobrada pela prefeitura. Reclamamos sempre e eles dizem que vão tomar providências... Mas, veio a chuva e tudo fica do mesmo jeito: debaixo da água. E quem vai nos acudir?
  8. 8. Niterói 24/03 a 08/04/17 www.dizjornal.com Renda Fina 8 Edição na internet para Hum milhão e 800 mil leitores Aniversário de Marcia Pessanha Homenagem às Mulheres A professora, escritora e acadêmica Marcia Pessanha ofereceu aos amigos uma festa típica cigana na comemoração do seu an- iversário. A casa de festas ficou lotada de amigos que vieram abraçá-la. Na fotos, Marcia dança com o Marido Aldo Pessanha e confraterniza com os netos. A escritora de livros infantis Danielle Fritzen vai receber a medalha Leila Diniz, na homenagem que a Câmara de Vereadores de Niterói fará no dia 27 de março às mulheres que se destacam no município. A médica e fundadora da Adama (Associação dos Amigos da Mama de Niterói), Thereza Cypreste, receberá a medalha Albert Sabin.

×