SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 25
ELIZABETH D’ESPÉRANCE A GRANDE MÉDIUM ESQUECIDA
“Agora que afinal encontrei o que buscava durante tão longos anos, anos de estudos ingratos, misto de raios de sol e tempestades, de prazeres e sofrimentos, posso bradar bem alto e com alegria a todos os que quiserem escutar-me: ‘Encontrei a Verdade! Ela será também a vossa grande recompensa, se a buscardes com perseverança, humildade e seriedade.’” (d’Espérance, E. - No País das Sombras, Rio de Janeiro, FEB, 1974).
	Elisabeth d’Espérance é uma das importantes personalidades do movimento espírita europeu, da segunda metade do século XIX.  Poderosa médium de efeitos físicos, os fenômenos obtidos com a sua mediunidade foram demonstrados em vários países da Europa, tendo sido observados e comprovados através de rigorosos métodos científicos por importantes cientistas pesquisadores dos fenômenos psíquicos, como Alexander Aksakof e FrederichZöllner, entre outros.
Nasceu em 1849 e desencarnou em 1918. Possuía as faculdades mediúnicas de Psicofonia, Vidência e  Efeitos Físicos (Materialização). 	D’Espérance é o pseudónimo, o seu real nome de família é Hope, que em inglês também significa esperança.  	Sua biografia é conhecida, sobretudo pelo trabalho de William Oxley no livro “AngelicRevelations”; pelo livro de Alexander Aksakof, “Um Caso de Desmaterialização” (Rio de Janeiro: FEB), e por meio de seu livro, ShadowLand (No País das Sombras, Rio de Janeiro: FEB).
A mulher fantasma. Um dos espíritos visto por Elizabeth que habitavam o velho casarão. Filha de um comandante de navio, passou a infância num velho casarão no Leste de Londres, que no passado pertencera à família Cromwell.  Foi nesse período que começou a ver os espíritos que circulavam no imóvel, mas como ninguém mais via, foi desacreditada e censurada por essas referências.
	Na adolescência, o fenômeno levou a que vivenciasse dificuldades de relacionamento com a sua mãe (que a julgava louca), o que lhe abalou a saúde. O retorno do pai nesse período fez com que este a levasse consigo no navio em uma viagem ao Mediterrâneo. Ao final da viagem, a jovem vivenciou uma vez mais o fenômeno, visualizando um veleiro fantasma que atravessou o navio do pai, deixando-a em pânico, no primeiro momento, e depois deprimida, diante da incredulidade do pai e da  tripulação.
D’Espérance passou cerca de dois anos na escola, durante os quais ficou liberta dos seus sonhos e fantasmas.  	Quando chegou a época do término dos estudos, devia apresentar uma composição. O prazo de entrega já estava atingindo o seu limite, e ela ainda não havia conseguido inspiração para desenvolver a composição.
Nas vésperas do prazo final, ela fez uma das suas preces pedindo a Deus ajuda. Tentou escrever a noite, mas as suas colegas reclamaram da luz da vela acesa. D’Espérance não teve outro remédio senão apagar a vela e, deitar-se disposta a levantar de madrugada para, escrever o seu trabalho. Pela manhã, olhou os papéis que deixara à noite na mesinha. Estava perdida! Não acordara de madrugada. Mas qual não foi a sua surpresa ao verificar que as folhas de papel estavam cobertas com uma belíssima composição, escrita exatamente igual à sua letra!.
Em 1874, casa-se com o senhor Reed. Isolada na nova residência, passa a conviver com as visões, o que muito a angustia. Nesta época, ouve falar no espiritismo e nas mesas girantes. Em uma dessas reuniões, um incidente interessante foi o desaparecimento de um par de abotoaduras que fora colocado sobre a mesa. Por meio de batidas, a mesa informou que o par se encontrava em outro cômodo da casa, dentro de um vaso de gerânio. A primeira busca resultou infrutífera. A mesa insistiu na informação. Resolveram então extrair a planta junto com a terra, e encontraram as abotoaduras dentro da trama de raízes do gerânio.
	D’Espérance tornou-se exímia praticante da escrita automática. Foi nesta fase da sua carreira que se identificaram a		lguns dos espíritos que controlavam as experiências do grupo: Walter Tracey um ex-estudante e combatente da guerra civil americana, muito inteligente e jovial; HummurStafford, que se constituiu em filósofo orientador do grupo; e Ninia, uma garotinha de sete anos.  HumnurStafford, segundo o desenho a pastel executado em completa obscuridade.
Com o domínio da psicografia, D'Esperance começou a desenhar as figuras luminosas que percebia no ambiente.  Nesta época um intelectual de nome T. P. Barkas, junta-se ao grupo, passando a inquirir os espíritos sobre assuntos científicos. O nível das respostas era, muitas vezes, superior ao do próprio Barkas.
Reprodução da fotografia de um desenho a pastel, com firmas na parte inferior. Um dos retratos desenhados na obscuridade, em cuja consecução foram gastos aproximadamente 30 segundos.
	Devido à perda dos pais e a uma série de problemas domésticos, a saúde da médium foi abalada. Para recuperar, viaja para o Sul da França.  De volta a Londres, retoma as experiências. Neste novo ciclo, em câmara escura, passa a produzir ectoplasma, reproduzindo formas humanas. Foram produzidos ainda aportes de plantas, flores vivas e inteiras.
A médium e o Espírito materializado fotografados juntos, alguns segundos após a prova precedente. Este cobrira a médium com um pano que a luz parecia dissolver. A médium e o Espírito materializado fotografados juntos.A primeira protege os olhos da claridade do magnésio (segundo uma fotografia, junho, 1890).
Fotografia da “Ixora Crocata” produzida para o Sr. William Oxley, na sessão de 04/10/1880. Morangueiro carregado de flores e frutos, produzido em uma sessão. Os morangos maduros foram distribuídos entre os assistentes.
Samambaias produzidas na sessão de 12-04-1880.A menor, na foto à esquerda, foi dada ao Espírito como amostragem.As demais foram oferecidas a um assistente, duas das quais a pedido deste. Plantas produzidas durante a sessão de 08-03-1890.
Fotografias Espíritas Uma série de sessões com o fim de obter fotografias de Espíritos materializados foi organizada com feliz êxito. Um relatório dessas experiências foi publicado no Medium and Daybreak, de 28 de março de 1890, e as fotografias obtidas acham-se reproduzidas, em 18 de abril do mesmo ano, na mesma revista. As fotografias foram obtidas à luz do magnésio.
Leila, tal como apareceu parcialmente materializada, em 13-03-1890. Iolanda, tal como apareceu materializada.
Lírio dourado produzido durante a sessão de 28-06-1890. Quando ereta, a planta alcançava 2,27 m de altura. Curvada, tal como se acha na foto, media 1,95 m. Permaneceu perfeita durante uma semana, depois desmaterializou-se e desapareceu.
Fotografia obtida às 15 horas do dia 14-02-1897.Supõe-se seja a de Philipp Melanchthon. Fotografia espírita obtida aos 12-02-1897.Supõe-se seja o retrato de Iolanda (a mais jovem).
Fotografia que se supõe seja a de Nínia. Obtida às 15 horas do dia 20-02-1897.
Iolanda (a mais jovem) fotografada às16 horas do dia 15-03-1897. Fotografia obtida às 15 horas do dia 27-02-1897.Supõe-se que seja o retrato de Elias ben Ammandde Nazaré, que viveu entre leprosos, na Palestina.
Em um dos trabalhos de materialização realizado na Escandinávia, o espírito Yolanda foi agarrado por um pesquisador menos avisado, com o intuito de desmascarar, tendo a médium sofrido grande choque traumático que lhe produziu sério desequilíbrio orgânico, prostrando-a de cama. D’Espérance ainda publicou muitos artigos na imprensa espiritualista. Mas, a critica implacável daqueles que criticam os fenômenos sem  ao menos  os estudarem não poupou d'Esperance.  Ela foi perseguida, desrespeitada e humilhada.
	Toda a vida dessa grande médium foi dedicada à missão de demonstrar aos encarnados a existência do mundo espiritual e, por conseqüência, a imortalidade do ser espiritual.	 "Madame  d’Espérance será sempre lembrada como uma das  maiores médiuns  do  século  passado  e  que serviu  de  inspiração  a  vários investigadores para elaborarem teorias sobre os  fenômenos  mediúnicos.“
BREVE NOVO LIVRO PELO ESPÍRITO ELIZABETH D’ESPÉRANCE A Noiva

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Consolador prometido
Consolador prometidoConsolador prometido
Consolador prometidoGraça Maciel
 
Curso de Passe 2016 - Módulo 1
Curso de Passe 2016 - Módulo 1Curso de Passe 2016 - Módulo 1
Curso de Passe 2016 - Módulo 1Edna Costa
 
Jesus: Roteiro de Luz, Espiritismo: Receita de Vida
Jesus: Roteiro de Luz, Espiritismo: Receita de VidaJesus: Roteiro de Luz, Espiritismo: Receita de Vida
Jesus: Roteiro de Luz, Espiritismo: Receita de Vidaigmateus
 
Bem aventurados os que temos olhos fechados
Bem aventurados os que temos olhos fechadosBem aventurados os que temos olhos fechados
Bem aventurados os que temos olhos fechadosIzabel Cristina Fonseca
 
Diálogo de Jesus e Nicodemos
Diálogo de Jesus e NicodemosDiálogo de Jesus e Nicodemos
Diálogo de Jesus e NicodemosCandice Gunther
 
Historias infantis para evangelizacao espirita (autores diversos)
Historias infantis para evangelizacao espirita (autores diversos)Historias infantis para evangelizacao espirita (autores diversos)
Historias infantis para evangelizacao espirita (autores diversos)Alice Lirio
 
O CÉU E O INFERNO "Visão Espírita"
O CÉU E O INFERNO "Visão Espírita"O CÉU E O INFERNO "Visão Espírita"
O CÉU E O INFERNO "Visão Espírita"Jorge Luiz dos Santos
 
Evangeliza - A Vida Futura
Evangeliza - A Vida FuturaEvangeliza - A Vida Futura
Evangeliza - A Vida FuturaAntonino Silva
 
Curso de Passe - Módulo 1
Curso de Passe - Módulo 1Curso de Passe - Módulo 1
Curso de Passe - Módulo 1Edna Costa
 
2014-06-03 Palestra PAE Terça - Deixai vir a mim as criancinhas
2014-06-03 Palestra PAE Terça - Deixai vir a mim as criancinhas2014-06-03 Palestra PAE Terça - Deixai vir a mim as criancinhas
2014-06-03 Palestra PAE Terça - Deixai vir a mim as criancinhasJoao Minelli Neto
 
Reencarnação e ressurreição - Palestra proferida pelo professor e poeta Danil...
Reencarnação e ressurreição - Palestra proferida pelo professor e poeta Danil...Reencarnação e ressurreição - Palestra proferida pelo professor e poeta Danil...
Reencarnação e ressurreição - Palestra proferida pelo professor e poeta Danil...Danilo Galvão
 

Mais procurados (20)

Consolador prometido
Consolador prometidoConsolador prometido
Consolador prometido
 
Não vim destruir a lei-Marcelo do N. Rodrigues-CEM
Não vim destruir a lei-Marcelo do N. Rodrigues-CEMNão vim destruir a lei-Marcelo do N. Rodrigues-CEM
Não vim destruir a lei-Marcelo do N. Rodrigues-CEM
 
Curso de Passe 2016 - Módulo 1
Curso de Passe 2016 - Módulo 1Curso de Passe 2016 - Módulo 1
Curso de Passe 2016 - Módulo 1
 
providência divina
providência divinaprovidência divina
providência divina
 
Jesus: Roteiro de Luz, Espiritismo: Receita de Vida
Jesus: Roteiro de Luz, Espiritismo: Receita de VidaJesus: Roteiro de Luz, Espiritismo: Receita de Vida
Jesus: Roteiro de Luz, Espiritismo: Receita de Vida
 
Zaqueu
ZaqueuZaqueu
Zaqueu
 
Bem aventurados os que temos olhos fechados
Bem aventurados os que temos olhos fechadosBem aventurados os que temos olhos fechados
Bem aventurados os que temos olhos fechados
 
Diálogo de Jesus e Nicodemos
Diálogo de Jesus e NicodemosDiálogo de Jesus e Nicodemos
Diálogo de Jesus e Nicodemos
 
Historias infantis para evangelizacao espirita (autores diversos)
Historias infantis para evangelizacao espirita (autores diversos)Historias infantis para evangelizacao espirita (autores diversos)
Historias infantis para evangelizacao espirita (autores diversos)
 
O CÉU E O INFERNO "Visão Espírita"
O CÉU E O INFERNO "Visão Espírita"O CÉU E O INFERNO "Visão Espírita"
O CÉU E O INFERNO "Visão Espírita"
 
Fe e caridade gec 05 12-2015
Fe e caridade  gec 05 12-2015Fe e caridade  gec 05 12-2015
Fe e caridade gec 05 12-2015
 
Evangeliza - A Vida Futura
Evangeliza - A Vida FuturaEvangeliza - A Vida Futura
Evangeliza - A Vida Futura
 
MISSÃO DOS ESPÍRITAS
MISSÃO DOS ESPÍRITASMISSÃO DOS ESPÍRITAS
MISSÃO DOS ESPÍRITAS
 
Curso de Passe - Módulo 1
Curso de Passe - Módulo 1Curso de Passe - Módulo 1
Curso de Passe - Módulo 1
 
Cristo Consolador
Cristo ConsoladorCristo Consolador
Cristo Consolador
 
Estudo sobre prece!
Estudo sobre prece!Estudo sobre prece!
Estudo sobre prece!
 
2014-06-03 Palestra PAE Terça - Deixai vir a mim as criancinhas
2014-06-03 Palestra PAE Terça - Deixai vir a mim as criancinhas2014-06-03 Palestra PAE Terça - Deixai vir a mim as criancinhas
2014-06-03 Palestra PAE Terça - Deixai vir a mim as criancinhas
 
Cap. 1 NãO Vim Destruir A Lei
Cap. 1 NãO Vim Destruir A LeiCap. 1 NãO Vim Destruir A Lei
Cap. 1 NãO Vim Destruir A Lei
 
Transição planetária
Transição planetáriaTransição planetária
Transição planetária
 
Reencarnação e ressurreição - Palestra proferida pelo professor e poeta Danil...
Reencarnação e ressurreição - Palestra proferida pelo professor e poeta Danil...Reencarnação e ressurreição - Palestra proferida pelo professor e poeta Danil...
Reencarnação e ressurreição - Palestra proferida pelo professor e poeta Danil...
 

Semelhante a A Grande Médium Esquecida Elizabeth D'Espérance

Elisabeth D’Esperance
Elisabeth D’EsperanceElisabeth D’Esperance
Elisabeth D’EsperanceHelenl01
 
Apresentação da doutrina espírita e do Livro dos Espíritos.docx
Apresentação da doutrina espírita e do Livro dos Espíritos.docxApresentação da doutrina espírita e do Livro dos Espíritos.docx
Apresentação da doutrina espírita e do Livro dos Espíritos.docxMarta Gomes
 
( Espiritismo) # - amag ramgis - a mediunidade na idade moderna # historia ...
( Espiritismo)   # - amag ramgis - a mediunidade na idade moderna # historia ...( Espiritismo)   # - amag ramgis - a mediunidade na idade moderna # historia ...
( Espiritismo) # - amag ramgis - a mediunidade na idade moderna # historia ...Instituto de Psicobiofísica Rama Schain
 
( Espiritismo) # - amag ramgis - a mediunidade na idade moderna # historia ...
( Espiritismo)   # - amag ramgis - a mediunidade na idade moderna # historia ...( Espiritismo)   # - amag ramgis - a mediunidade na idade moderna # historia ...
( Espiritismo) # - amag ramgis - a mediunidade na idade moderna # historia ...Instituto de Psicobiofísica Rama Schain
 
03 mediunidade na idade moderna
03 mediunidade na idade moderna03 mediunidade na idade moderna
03 mediunidade na idade modernaAntonio SSantos
 
A mediunidade através dos tempos - Espiritismo e mediunidade - Wilma Badan
A mediunidade através dos tempos - Espiritismo e mediunidade - Wilma BadanA mediunidade através dos tempos - Espiritismo e mediunidade - Wilma Badan
A mediunidade através dos tempos - Espiritismo e mediunidade - Wilma BadanWilma Badan C.G.
 
A mediunidade através dos tempos - Coeem-GEB
A mediunidade através dos tempos - Coeem-GEBA mediunidade através dos tempos - Coeem-GEB
A mediunidade através dos tempos - Coeem-GEBMima Badan
 
Alexandre aksakof animismo e espiritismo
Alexandre aksakof   animismo e  espiritismoAlexandre aksakof   animismo e  espiritismo
Alexandre aksakof animismo e espiritismoHelio Cruz
 
Livro animismo e espiritismo alexandre aksakof
Livro animismo e  espiritismo   alexandre aksakofLivro animismo e  espiritismo   alexandre aksakof
Livro animismo e espiritismo alexandre aksakofAdri Nzambi
 
fenmenos-hydesville-mesas-girantes-Complementar.pptx
fenmenos-hydesville-mesas-girantes-Complementar.pptxfenmenos-hydesville-mesas-girantes-Complementar.pptx
fenmenos-hydesville-mesas-girantes-Complementar.pptxFilipeDuartedeBem
 
Fenômenos Hydesville Mesas Girantes
Fenômenos Hydesville Mesas GirantesFenômenos Hydesville Mesas Girantes
Fenômenos Hydesville Mesas GirantesFatima Carvalho
 
Allan Kardec, Sua Vida E Sua Obra.Ppsx
Allan Kardec, Sua Vida E Sua Obra.PpsxAllan Kardec, Sua Vida E Sua Obra.Ppsx
Allan Kardec, Sua Vida E Sua Obra.PpsxRoque Souza
 
Fenomenos hydesville-mesas-girantes-
Fenomenos hydesville-mesas-girantes-Fenomenos hydesville-mesas-girantes-
Fenomenos hydesville-mesas-girantes-Levi Antonio Amancio
 
Manifestações 1 e ideias espíritas em outros povos 1
Manifestações 1 e ideias espíritas em outros povos 1Manifestações 1 e ideias espíritas em outros povos 1
Manifestações 1 e ideias espíritas em outros povos 1Jose Maria Magalhaes
 
Aula 03 - Introdução Estudo DE - 2023-02-23.pptx
Aula 03 - Introdução Estudo DE - 2023-02-23.pptxAula 03 - Introdução Estudo DE - 2023-02-23.pptx
Aula 03 - Introdução Estudo DE - 2023-02-23.pptxLuizHenriqueTDias
 
Antecedentes Da Doutrina EspíRita
Antecedentes Da Doutrina EspíRitaAntecedentes Da Doutrina EspíRita
Antecedentes Da Doutrina EspíRitaPower Point
 

Semelhante a A Grande Médium Esquecida Elizabeth D'Espérance (20)

Elisabeth D’Esperance
Elisabeth D’EsperanceElisabeth D’Esperance
Elisabeth D’Esperance
 
Apresentação da doutrina espírita e do Livro dos Espíritos.docx
Apresentação da doutrina espírita e do Livro dos Espíritos.docxApresentação da doutrina espírita e do Livro dos Espíritos.docx
Apresentação da doutrina espírita e do Livro dos Espíritos.docx
 
( Espiritismo) # - amag ramgis - a mediunidade na idade moderna # historia ...
( Espiritismo)   # - amag ramgis - a mediunidade na idade moderna # historia ...( Espiritismo)   # - amag ramgis - a mediunidade na idade moderna # historia ...
( Espiritismo) # - amag ramgis - a mediunidade na idade moderna # historia ...
 
( Espiritismo) # - amag ramgis - a mediunidade na idade moderna # historia ...
( Espiritismo)   # - amag ramgis - a mediunidade na idade moderna # historia ...( Espiritismo)   # - amag ramgis - a mediunidade na idade moderna # historia ...
( Espiritismo) # - amag ramgis - a mediunidade na idade moderna # historia ...
 
03 mediunidade na idade moderna
03 mediunidade na idade moderna03 mediunidade na idade moderna
03 mediunidade na idade moderna
 
A mediunidade através dos tempos - Espiritismo e mediunidade - Wilma Badan
A mediunidade através dos tempos - Espiritismo e mediunidade - Wilma BadanA mediunidade através dos tempos - Espiritismo e mediunidade - Wilma Badan
A mediunidade através dos tempos - Espiritismo e mediunidade - Wilma Badan
 
Mulheres e o espiritismo
Mulheres e o espiritismoMulheres e o espiritismo
Mulheres e o espiritismo
 
A mediunidade através dos tempos - Coeem-GEB
A mediunidade através dos tempos - Coeem-GEBA mediunidade através dos tempos - Coeem-GEB
A mediunidade através dos tempos - Coeem-GEB
 
Alexandre aksakof animismo e espiritismo
Alexandre aksakof   animismo e  espiritismoAlexandre aksakof   animismo e  espiritismo
Alexandre aksakof animismo e espiritismo
 
Livro animismo e espiritismo alexandre aksakof
Livro animismo e  espiritismo   alexandre aksakofLivro animismo e  espiritismo   alexandre aksakof
Livro animismo e espiritismo alexandre aksakof
 
fenmenos-hydesville-mesas-girantes-Complementar.pptx
fenmenos-hydesville-mesas-girantes-Complementar.pptxfenmenos-hydesville-mesas-girantes-Complementar.pptx
fenmenos-hydesville-mesas-girantes-Complementar.pptx
 
Fenômenos Hydesville Mesas Girantes
Fenômenos Hydesville Mesas GirantesFenômenos Hydesville Mesas Girantes
Fenômenos Hydesville Mesas Girantes
 
A História do Espiritismo
A História do EspiritismoA História do Espiritismo
A História do Espiritismo
 
150 anos de O Livro dos Médiuns
150 anos de O Livro dos Médiuns150 anos de O Livro dos Médiuns
150 anos de O Livro dos Médiuns
 
Allan Kardec, Sua Vida E Sua Obra.Ppsx
Allan Kardec, Sua Vida E Sua Obra.PpsxAllan Kardec, Sua Vida E Sua Obra.Ppsx
Allan Kardec, Sua Vida E Sua Obra.Ppsx
 
Fenomenos hydesville-mesas-girantes-
Fenomenos hydesville-mesas-girantes-Fenomenos hydesville-mesas-girantes-
Fenomenos hydesville-mesas-girantes-
 
Manifestações 1 e ideias espíritas em outros povos 1
Manifestações 1 e ideias espíritas em outros povos 1Manifestações 1 e ideias espíritas em outros povos 1
Manifestações 1 e ideias espíritas em outros povos 1
 
Sociedade parisiense espirita
Sociedade parisiense espiritaSociedade parisiense espirita
Sociedade parisiense espirita
 
Aula 03 - Introdução Estudo DE - 2023-02-23.pptx
Aula 03 - Introdução Estudo DE - 2023-02-23.pptxAula 03 - Introdução Estudo DE - 2023-02-23.pptx
Aula 03 - Introdução Estudo DE - 2023-02-23.pptx
 
Antecedentes Da Doutrina EspíRita
Antecedentes Da Doutrina EspíRitaAntecedentes Da Doutrina EspíRita
Antecedentes Da Doutrina EspíRita
 

A Grande Médium Esquecida Elizabeth D'Espérance

  • 1. ELIZABETH D’ESPÉRANCE A GRANDE MÉDIUM ESQUECIDA
  • 2. “Agora que afinal encontrei o que buscava durante tão longos anos, anos de estudos ingratos, misto de raios de sol e tempestades, de prazeres e sofrimentos, posso bradar bem alto e com alegria a todos os que quiserem escutar-me: ‘Encontrei a Verdade! Ela será também a vossa grande recompensa, se a buscardes com perseverança, humildade e seriedade.’” (d’Espérance, E. - No País das Sombras, Rio de Janeiro, FEB, 1974).
  • 3. Elisabeth d’Espérance é uma das importantes personalidades do movimento espírita europeu, da segunda metade do século XIX. Poderosa médium de efeitos físicos, os fenômenos obtidos com a sua mediunidade foram demonstrados em vários países da Europa, tendo sido observados e comprovados através de rigorosos métodos científicos por importantes cientistas pesquisadores dos fenômenos psíquicos, como Alexander Aksakof e FrederichZöllner, entre outros.
  • 4. Nasceu em 1849 e desencarnou em 1918. Possuía as faculdades mediúnicas de Psicofonia, Vidência e  Efeitos Físicos (Materialização). D’Espérance é o pseudónimo, o seu real nome de família é Hope, que em inglês também significa esperança. Sua biografia é conhecida, sobretudo pelo trabalho de William Oxley no livro “AngelicRevelations”; pelo livro de Alexander Aksakof, “Um Caso de Desmaterialização” (Rio de Janeiro: FEB), e por meio de seu livro, ShadowLand (No País das Sombras, Rio de Janeiro: FEB).
  • 5. A mulher fantasma. Um dos espíritos visto por Elizabeth que habitavam o velho casarão. Filha de um comandante de navio, passou a infância num velho casarão no Leste de Londres, que no passado pertencera à família Cromwell. Foi nesse período que começou a ver os espíritos que circulavam no imóvel, mas como ninguém mais via, foi desacreditada e censurada por essas referências.
  • 6. Na adolescência, o fenômeno levou a que vivenciasse dificuldades de relacionamento com a sua mãe (que a julgava louca), o que lhe abalou a saúde. O retorno do pai nesse período fez com que este a levasse consigo no navio em uma viagem ao Mediterrâneo. Ao final da viagem, a jovem vivenciou uma vez mais o fenômeno, visualizando um veleiro fantasma que atravessou o navio do pai, deixando-a em pânico, no primeiro momento, e depois deprimida, diante da incredulidade do pai e da  tripulação.
  • 7. D’Espérance passou cerca de dois anos na escola, durante os quais ficou liberta dos seus sonhos e fantasmas. Quando chegou a época do término dos estudos, devia apresentar uma composição. O prazo de entrega já estava atingindo o seu limite, e ela ainda não havia conseguido inspiração para desenvolver a composição.
  • 8. Nas vésperas do prazo final, ela fez uma das suas preces pedindo a Deus ajuda. Tentou escrever a noite, mas as suas colegas reclamaram da luz da vela acesa. D’Espérance não teve outro remédio senão apagar a vela e, deitar-se disposta a levantar de madrugada para, escrever o seu trabalho. Pela manhã, olhou os papéis que deixara à noite na mesinha. Estava perdida! Não acordara de madrugada. Mas qual não foi a sua surpresa ao verificar que as folhas de papel estavam cobertas com uma belíssima composição, escrita exatamente igual à sua letra!.
  • 9. Em 1874, casa-se com o senhor Reed. Isolada na nova residência, passa a conviver com as visões, o que muito a angustia. Nesta época, ouve falar no espiritismo e nas mesas girantes. Em uma dessas reuniões, um incidente interessante foi o desaparecimento de um par de abotoaduras que fora colocado sobre a mesa. Por meio de batidas, a mesa informou que o par se encontrava em outro cômodo da casa, dentro de um vaso de gerânio. A primeira busca resultou infrutífera. A mesa insistiu na informação. Resolveram então extrair a planta junto com a terra, e encontraram as abotoaduras dentro da trama de raízes do gerânio.
  • 10. D’Espérance tornou-se exímia praticante da escrita automática. Foi nesta fase da sua carreira que se identificaram a lguns dos espíritos que controlavam as experiências do grupo: Walter Tracey um ex-estudante e combatente da guerra civil americana, muito inteligente e jovial; HummurStafford, que se constituiu em filósofo orientador do grupo; e Ninia, uma garotinha de sete anos. HumnurStafford, segundo o desenho a pastel executado em completa obscuridade.
  • 11. Com o domínio da psicografia, D'Esperance começou a desenhar as figuras luminosas que percebia no ambiente. Nesta época um intelectual de nome T. P. Barkas, junta-se ao grupo, passando a inquirir os espíritos sobre assuntos científicos. O nível das respostas era, muitas vezes, superior ao do próprio Barkas.
  • 12. Reprodução da fotografia de um desenho a pastel, com firmas na parte inferior. Um dos retratos desenhados na obscuridade, em cuja consecução foram gastos aproximadamente 30 segundos.
  • 13. Devido à perda dos pais e a uma série de problemas domésticos, a saúde da médium foi abalada. Para recuperar, viaja para o Sul da França. De volta a Londres, retoma as experiências. Neste novo ciclo, em câmara escura, passa a produzir ectoplasma, reproduzindo formas humanas. Foram produzidos ainda aportes de plantas, flores vivas e inteiras.
  • 14. A médium e o Espírito materializado fotografados juntos, alguns segundos após a prova precedente. Este cobrira a médium com um pano que a luz parecia dissolver. A médium e o Espírito materializado fotografados juntos.A primeira protege os olhos da claridade do magnésio (segundo uma fotografia, junho, 1890).
  • 15. Fotografia da “Ixora Crocata” produzida para o Sr. William Oxley, na sessão de 04/10/1880. Morangueiro carregado de flores e frutos, produzido em uma sessão. Os morangos maduros foram distribuídos entre os assistentes.
  • 16. Samambaias produzidas na sessão de 12-04-1880.A menor, na foto à esquerda, foi dada ao Espírito como amostragem.As demais foram oferecidas a um assistente, duas das quais a pedido deste. Plantas produzidas durante a sessão de 08-03-1890.
  • 17. Fotografias Espíritas Uma série de sessões com o fim de obter fotografias de Espíritos materializados foi organizada com feliz êxito. Um relatório dessas experiências foi publicado no Medium and Daybreak, de 28 de março de 1890, e as fotografias obtidas acham-se reproduzidas, em 18 de abril do mesmo ano, na mesma revista. As fotografias foram obtidas à luz do magnésio.
  • 18. Leila, tal como apareceu parcialmente materializada, em 13-03-1890. Iolanda, tal como apareceu materializada.
  • 19. Lírio dourado produzido durante a sessão de 28-06-1890. Quando ereta, a planta alcançava 2,27 m de altura. Curvada, tal como se acha na foto, media 1,95 m. Permaneceu perfeita durante uma semana, depois desmaterializou-se e desapareceu.
  • 20. Fotografia obtida às 15 horas do dia 14-02-1897.Supõe-se seja a de Philipp Melanchthon. Fotografia espírita obtida aos 12-02-1897.Supõe-se seja o retrato de Iolanda (a mais jovem).
  • 21. Fotografia que se supõe seja a de Nínia. Obtida às 15 horas do dia 20-02-1897.
  • 22. Iolanda (a mais jovem) fotografada às16 horas do dia 15-03-1897. Fotografia obtida às 15 horas do dia 27-02-1897.Supõe-se que seja o retrato de Elias ben Ammandde Nazaré, que viveu entre leprosos, na Palestina.
  • 23. Em um dos trabalhos de materialização realizado na Escandinávia, o espírito Yolanda foi agarrado por um pesquisador menos avisado, com o intuito de desmascarar, tendo a médium sofrido grande choque traumático que lhe produziu sério desequilíbrio orgânico, prostrando-a de cama. D’Espérance ainda publicou muitos artigos na imprensa espiritualista. Mas, a critica implacável daqueles que criticam os fenômenos sem  ao menos  os estudarem não poupou d'Esperance.  Ela foi perseguida, desrespeitada e humilhada.
  • 24. Toda a vida dessa grande médium foi dedicada à missão de demonstrar aos encarnados a existência do mundo espiritual e, por conseqüência, a imortalidade do ser espiritual. "Madame  d’Espérance será sempre lembrada como uma das  maiores médiuns  do  século  passado  e  que serviu  de  inspiração  a  vários investigadores para elaborarem teorias sobre os  fenômenos  mediúnicos.“
  • 25. BREVE NOVO LIVRO PELO ESPÍRITO ELIZABETH D’ESPÉRANCE A Noiva