SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 12
Baixar para ler offline
De onde vem o termo
Natal? Por que 25 de
dezembro? Desde
quando se comemora
nesta data? Qual o
espírito do Natal? Qual o
significado dos
presentes, das árvores e
do Papai Noel?
 As Igrejas orientais, desde o século IV, celebravam
a Epifania (“aparição” ou “manifestação”), em 6 de
janeiro, cujo simbolismo referia-se ao mistério da
vinda ao mundo do Verbo Divino feito homem. Em
Roma, desde o tempo do Imperador Aureliano
(274), o dia 25 de dezembro (solstício de Inverno,
no calendário Juliano) era consagrado aoNatalis
Solis Invicti, festa mitríaca do “renascimento” do
Sol. A Igreja romana não tardou em contrapor-lhe
a festa cristã do Natale de Cristo, o verdadeiro “sol
de justiça”. Esta festa pronto se estendeu por todo
o Ocidente, não tardando também em ser adotada
por todas as igrejas orientais. (Enciclopédia luso-
Brasileira de Cultura)
 O nascimento de Cristo sempre
esteve envolvido em
controvérsias. Para uns, seria 1.º
de janeiro; para outros, 6 de
janeiro, 25 de março e 20 de
maio. Pelas observações dos
chineses, o Natal seria em março,
que foi quando um cometa, tal
qual a estrela de Belém, reluziu
na noite asiática no ano 5 d.C.
Como data festiva, é um arranjo
inventado pela Igreja e
enriquecida através dos tempos
pela incorporação de hábitos e
costumes de várias culturas: a
árvore natalina é contribuição
alemã (século VIII); o Papai Noel
(vulgo São Nicolau) nasceu na
Turquia (século IV); os cartões de
natal surgiram na Inglaterra, em
meados do século XIX. (Estado de
São Paulo, p. D3)
 UMA NOVA LUZ
 O nascimento de Jesus coincide com a percepção de
uma nova luz para a humanidade sofredora. Os
ensinamentos de Jesus devem servir para transformar
não apenas um homem, mas toda a Humanidade.
Numa simples visão de conjunto, observamos o que
era planeta antes e no que se transformou depois de
sua vinda. O Espírito Emmanuel, em Roteiro, diz-nos
que antes de Cristo, a educação demorava-se em
lamentável pobreza, o cativeiro era consagrado por lei,
a mulher aviltada qual alimária, os pais podiam vender
os filhos etc. Com Jesus, entretanto, começa uma era
nova para o sentimento. Iluminados pela Divina
influência, os discípulos do Mestre consagram-se ao
serviço dos semelhantes; Simão Pedro e os
companheiros dedicam-se aos doentes e infortunados;
instituem-se casas de socorro para os necessitados e
escolas de evangelização para o espírito popular etc.
(Xavier, 1980, cap. 21)
NUMA VÉSPERA DE NATAL
Conta-nos o Espírito Irmão X que Emiliano Jardim, cujas noções materialistas
estragavam-lhe os pensamentos, viera a sofrer uma dor de paternidade, ao ver
o seu filho arrebatado pela morte. Abatido pela dor, começa a se interessar pelo
Catolicismo. Porém, repelia veemente todos os que pensavam de forma
diferente a respeito do Cristo. Do Catolicismo passa para o Protestantismo, mas
sem que o Mestre penetrasse no seu interior. Depois de longa luta, Emiliano
sente-se insatisfeito e ingressa nos arraiais espiritistas. Emiliano, como
acontece à maioria dos crentes, vislumbra a verdade dos ensinamentos de
Jesus, anseia por vê-lo nos outros homens, antes de senti-lo em si mesmo.
Com o passar do tempo, teve outros revezes.
Numa véspera de Natal, em que o ambiente festivo lhe falava da ventura
destruída do coração, Emiliano quis por termo à própria vida.
Na hora amargurada em que o mísero se dispunha a agravar as próprias
angústias, uma voz se fez ouvir no recôndito de seu espírito:
“— Emiliano, há quanto tempo eu buscava encontrar-te; mas sempre me
chamavas através dos outros, sem jamais me procurar em ti mesmo! Dá-me tua
dor, reclina a cabeça cansada sobre o meu coração!... Muitas vezes, o meu
poder opera na fraqueza humana. Raramente meus discípulos gozam o
encontro divino, fora das câmeras do sofrimento. Quase sempre é necessário
que percam tudo, a fim de me acharem em si mesmos”.
Emiliano estava inebriado. E a voz continuou:
“— Volta ao esforço diário e não esqueças que estarei com
os meus discípulos sinceros até ao fim dos séculos! Acaso
poderias admitir que permaneço em beatitude inerte,
quando meus amigos se dilaceram pela vitória de minha
causa? Não posso estacionar em vãs disputas, nem nas
estéreis lamentações, porque necessitamos cuidar do
amoroso esclarecimento das almas. É por isso que estou,
mais freqüentemente, onde estejam os corações
quebrantados e os que já tenham compreendido a grandeza
do espírito de serviço. Não te rebeles contra o sofrimento
que purifica, aprende a deixar os bonecos a quantos ainda
não puderam atravessar as fronteiras da infância. Não
analises nunca, sem amar. Lembra-te de que quando
criticares teu irmão, também eu sou criticado. Ainda não
terminei minha obra terrestre, Emiliano! Ajuda-me,
compreendendo a grandeza do seu objetivo e entendendo a
fragilidade dos teus irmãos”. (Xavier, 1982, p. 40)
Natal e espiritismo
Natal e espiritismo
Natal e espiritismo

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Jugo leve
Jugo leveJugo leve
Jugo leveFatoze
 
Palestra Espírita - Parábola do festim de bodas
Palestra Espírita - Parábola do festim de bodasPalestra Espírita - Parábola do festim de bodas
Palestra Espírita - Parábola do festim de bodasDivulgador do Espiritismo
 
Cap xi Amar ao proximo como a si mesmo
Cap xi Amar ao proximo como a si mesmoCap xi Amar ao proximo como a si mesmo
Cap xi Amar ao proximo como a si mesmogmo1973
 
Não vim trazer a paz, maz a espada
Não vim trazer a paz, maz a espadaNão vim trazer a paz, maz a espada
Não vim trazer a paz, maz a espadaSergio Menezes
 
Muitos os chamados, poucos os escolhidos
Muitos os chamados, poucos os escolhidosMuitos os chamados, poucos os escolhidos
Muitos os chamados, poucos os escolhidosGraça Maciel
 
O Maior Presente de Natal
O Maior Presente de NatalO Maior Presente de Natal
O Maior Presente de NatalRicardo Azevedo
 
Quem é minha mãe e quem são meus irmãos?
Quem é minha mãe e quem são meus irmãos?Quem é minha mãe e quem são meus irmãos?
Quem é minha mãe e quem são meus irmãos?Isnande Mota Barros
 
Obreiros do senhor!
Obreiros do senhor!Obreiros do senhor!
Obreiros do senhor!Dalila Melo
 
Palestra - O Despertar da Consciência Espiritual - Rosana De Rosa-Palestra
Palestra - O Despertar da Consciência Espiritual  - Rosana De Rosa-PalestraPalestra - O Despertar da Consciência Espiritual  - Rosana De Rosa-Palestra
Palestra - O Despertar da Consciência Espiritual - Rosana De Rosa-PalestraRosana De Rosa
 
A fe transporta montanhas cap 19 ese
A fe transporta montanhas cap 19 eseA fe transporta montanhas cap 19 ese
A fe transporta montanhas cap 19 esectollin
 
ESE Cap. XVIII - Muitos os chamados, poucos os escolhidos
ESE Cap. XVIII -  Muitos os chamados, poucos os escolhidosESE Cap. XVIII -  Muitos os chamados, poucos os escolhidos
ESE Cap. XVIII - Muitos os chamados, poucos os escolhidosgrupodepaisceb
 
Jesus: Roteiro de Luz, Espiritismo: Receita de Vida
Jesus: Roteiro de Luz, Espiritismo: Receita de VidaJesus: Roteiro de Luz, Espiritismo: Receita de Vida
Jesus: Roteiro de Luz, Espiritismo: Receita de Vidaigmateus
 

Mais procurados (20)

Jugo leve
Jugo leveJugo leve
Jugo leve
 
Medicina E Espiritismo
Medicina E EspiritismoMedicina E Espiritismo
Medicina E Espiritismo
 
Provas voluntárias
Provas voluntáriasProvas voluntárias
Provas voluntárias
 
Palestra Espírita - Parábola do festim de bodas
Palestra Espírita - Parábola do festim de bodasPalestra Espírita - Parábola do festim de bodas
Palestra Espírita - Parábola do festim de bodas
 
Cap xi Amar ao proximo como a si mesmo
Cap xi Amar ao proximo como a si mesmoCap xi Amar ao proximo como a si mesmo
Cap xi Amar ao proximo como a si mesmo
 
Não vim trazer a paz, maz a espada
Não vim trazer a paz, maz a espadaNão vim trazer a paz, maz a espada
Não vim trazer a paz, maz a espada
 
Reforma Íntima
Reforma ÍntimaReforma Íntima
Reforma Íntima
 
Muitos os chamados, poucos os escolhidos
Muitos os chamados, poucos os escolhidosMuitos os chamados, poucos os escolhidos
Muitos os chamados, poucos os escolhidos
 
O Maior Presente de Natal
O Maior Presente de NatalO Maior Presente de Natal
O Maior Presente de Natal
 
Quem é minha mãe e quem são meus irmãos?
Quem é minha mãe e quem são meus irmãos?Quem é minha mãe e quem são meus irmãos?
Quem é minha mãe e quem são meus irmãos?
 
O valor do tempo
O valor do tempoO valor do tempo
O valor do tempo
 
Caridade na ótica espirita
Caridade na ótica espiritaCaridade na ótica espirita
Caridade na ótica espirita
 
Bem aventurados os puros de coração
Bem aventurados os puros de coraçãoBem aventurados os puros de coração
Bem aventurados os puros de coração
 
Obreiros do senhor!
Obreiros do senhor!Obreiros do senhor!
Obreiros do senhor!
 
Aquele que se eleva será rebaixado
Aquele que se eleva será rebaixado Aquele que se eleva será rebaixado
Aquele que se eleva será rebaixado
 
Palestra - O Despertar da Consciência Espiritual - Rosana De Rosa-Palestra
Palestra - O Despertar da Consciência Espiritual  - Rosana De Rosa-PalestraPalestra - O Despertar da Consciência Espiritual  - Rosana De Rosa-Palestra
Palestra - O Despertar da Consciência Espiritual - Rosana De Rosa-Palestra
 
Retribuir o mal com o bem
Retribuir o mal com o bemRetribuir o mal com o bem
Retribuir o mal com o bem
 
A fe transporta montanhas cap 19 ese
A fe transporta montanhas cap 19 eseA fe transporta montanhas cap 19 ese
A fe transporta montanhas cap 19 ese
 
ESE Cap. XVIII - Muitos os chamados, poucos os escolhidos
ESE Cap. XVIII -  Muitos os chamados, poucos os escolhidosESE Cap. XVIII -  Muitos os chamados, poucos os escolhidos
ESE Cap. XVIII - Muitos os chamados, poucos os escolhidos
 
Jesus: Roteiro de Luz, Espiritismo: Receita de Vida
Jesus: Roteiro de Luz, Espiritismo: Receita de VidaJesus: Roteiro de Luz, Espiritismo: Receita de Vida
Jesus: Roteiro de Luz, Espiritismo: Receita de Vida
 

Destaque

O que é ser espírita
O que é ser espírita  O que é ser espírita
O que é ser espírita Amadeu Wolff
 
Benção de Deus (por Emmanuel)
Benção de Deus (por Emmanuel)Benção de Deus (por Emmanuel)
Benção de Deus (por Emmanuel)carlos freire
 
1) perdao--das-ofensas
1) perdao--das-ofensas1) perdao--das-ofensas
1) perdao--das-ofensascarlos freire
 
Espiritismo doutrina consoladora e bendita
Espiritismo doutrina consoladora e benditaEspiritismo doutrina consoladora e bendita
Espiritismo doutrina consoladora e benditaGraça Maciel
 
Eade i-ii-7-o-cristianismo-maria-mãe-de-jesus
Eade i-ii-7-o-cristianismo-maria-mãe-de-jesusEade i-ii-7-o-cristianismo-maria-mãe-de-jesus
Eade i-ii-7-o-cristianismo-maria-mãe-de-jesusJoyAlbanez
 
Maria, Mãe de Jesus - um olhar espírita
Maria, Mãe de Jesus - um olhar espíritaMaria, Mãe de Jesus - um olhar espírita
Maria, Mãe de Jesus - um olhar espíritaFábio Paiva
 
Dimensões espirituais do centro espírita!
Dimensões espirituais do centro espírita!Dimensões espirituais do centro espírita!
Dimensões espirituais do centro espírita!Leonardo Pereira
 
Maria nos dogmas: Maternidade e virgindade
Maria nos dogmas: Maternidade e virgindadeMaria nos dogmas: Maternidade e virgindade
Maria nos dogmas: Maternidade e virgindadeAfonso Murad (FAJE)
 
A Verdadeira Historia Do Natal
A Verdadeira Historia Do NatalA Verdadeira Historia Do Natal
A Verdadeira Historia Do NatalCARLOS ZACARKIM
 
refletindo sobre a obsess�o
refletindo sobre a obsess�orefletindo sobre a obsess�o
refletindo sobre a obsess�oAri Carrasco
 
Os inimigos desencarnados e sua ação contra os grupos espíritas
Os inimigos desencarnados e sua ação contra os grupos espíritasOs inimigos desencarnados e sua ação contra os grupos espíritas
Os inimigos desencarnados e sua ação contra os grupos espíritasGraça Maciel
 
O espiritismo e a regeneração da humanidade
O espiritismo e a regeneração da humanidadeO espiritismo e a regeneração da humanidade
O espiritismo e a regeneração da humanidadeGraça Maciel
 
Escutando sentimentos! ( seminário).
Escutando sentimentos! ( seminário).Escutando sentimentos! ( seminário).
Escutando sentimentos! ( seminário).Leonardo Pereira
 

Destaque (20)

O que é ser espírita
O que é ser espírita  O que é ser espírita
O que é ser espírita
 
Benção de Deus (por Emmanuel)
Benção de Deus (por Emmanuel)Benção de Deus (por Emmanuel)
Benção de Deus (por Emmanuel)
 
1) perdao--das-ofensas
1) perdao--das-ofensas1) perdao--das-ofensas
1) perdao--das-ofensas
 
Visão espírita da atualidade
Visão espírita da atualidadeVisão espírita da atualidade
Visão espírita da atualidade
 
Espiritismo doutrina consoladora e bendita
Espiritismo doutrina consoladora e benditaEspiritismo doutrina consoladora e bendita
Espiritismo doutrina consoladora e bendita
 
Palestra Espírita - Suicidio e loucura
Palestra Espírita - Suicidio e loucuraPalestra Espírita - Suicidio e loucura
Palestra Espírita - Suicidio e loucura
 
A palestra doutrinaria na casa espirita
A palestra doutrinaria na casa espiritaA palestra doutrinaria na casa espirita
A palestra doutrinaria na casa espirita
 
Eade i-ii-7-o-cristianismo-maria-mãe-de-jesus
Eade i-ii-7-o-cristianismo-maria-mãe-de-jesusEade i-ii-7-o-cristianismo-maria-mãe-de-jesus
Eade i-ii-7-o-cristianismo-maria-mãe-de-jesus
 
Maria, Mãe de Jesus - um olhar espírita
Maria, Mãe de Jesus - um olhar espíritaMaria, Mãe de Jesus - um olhar espírita
Maria, Mãe de Jesus - um olhar espírita
 
Palestra Espírita - Missão dos espíritas
Palestra Espírita - Missão dos espíritasPalestra Espírita - Missão dos espíritas
Palestra Espírita - Missão dos espíritas
 
Os tres reinos
Os tres reinosOs tres reinos
Os tres reinos
 
Dimensões espirituais do centro espírita!
Dimensões espirituais do centro espírita!Dimensões espirituais do centro espírita!
Dimensões espirituais do centro espírita!
 
Maria nos dogmas: Maternidade e virgindade
Maria nos dogmas: Maternidade e virgindadeMaria nos dogmas: Maternidade e virgindade
Maria nos dogmas: Maternidade e virgindade
 
Aborto na visão Espírita
Aborto na visão EspíritaAborto na visão Espírita
Aborto na visão Espírita
 
O suicidio
O suicidioO suicidio
O suicidio
 
A Verdadeira Historia Do Natal
A Verdadeira Historia Do NatalA Verdadeira Historia Do Natal
A Verdadeira Historia Do Natal
 
refletindo sobre a obsess�o
refletindo sobre a obsess�orefletindo sobre a obsess�o
refletindo sobre a obsess�o
 
Os inimigos desencarnados e sua ação contra os grupos espíritas
Os inimigos desencarnados e sua ação contra os grupos espíritasOs inimigos desencarnados e sua ação contra os grupos espíritas
Os inimigos desencarnados e sua ação contra os grupos espíritas
 
O espiritismo e a regeneração da humanidade
O espiritismo e a regeneração da humanidadeO espiritismo e a regeneração da humanidade
O espiritismo e a regeneração da humanidade
 
Escutando sentimentos! ( seminário).
Escutando sentimentos! ( seminário).Escutando sentimentos! ( seminário).
Escutando sentimentos! ( seminário).
 

Semelhante a Natal e espiritismo

Livro dos Espíritos Q.308 ESE - cap26 item 5
Livro dos Espíritos Q.308 ESE - cap26 item 5Livro dos Espíritos Q.308 ESE - cap26 item 5
Livro dos Espíritos Q.308 ESE - cap26 item 5Patricia Farias
 
Livro dos Espíritos Questão 307 - Evangelho Especial dia das Mães
Livro dos Espíritos Questão 307 - Evangelho Especial dia das MãesLivro dos Espíritos Questão 307 - Evangelho Especial dia das Mães
Livro dos Espíritos Questão 307 - Evangelho Especial dia das MãesPatricia Farias
 
5 o natal diferente
5   o natal diferente5   o natal diferente
5 o natal diferenteFatoze
 
Evangeliza - O Cristo Consolador
Evangeliza - O Cristo ConsoladorEvangeliza - O Cristo Consolador
Evangeliza - O Cristo ConsoladorAntonino Silva
 
Seminário Paulo e Estevão 5 de maio 2013
Seminário Paulo e Estevão 5 de maio 2013Seminário Paulo e Estevão 5 de maio 2013
Seminário Paulo e Estevão 5 de maio 2013Anderson Santos
 
Amorte porquetemê-la-resumo
Amorte porquetemê-la-resumoAmorte porquetemê-la-resumo
Amorte porquetemê-la-resumoMagali ..
 
Aprender com perguntas - Paulo e Estevão 07
Aprender com perguntas - Paulo e Estevão 07Aprender com perguntas - Paulo e Estevão 07
Aprender com perguntas - Paulo e Estevão 07Candice Gunther
 
Boletim o pae marco 2019
Boletim o pae   marco 2019Boletim o pae   marco 2019
Boletim o pae marco 2019O PAE PAE
 
Natal de jesus
Natal de jesusNatal de jesus
Natal de jesusHelio Cruz
 

Semelhante a Natal e espiritismo (20)

Livro dos Espíritos Q.308 ESE - cap26 item 5
Livro dos Espíritos Q.308 ESE - cap26 item 5Livro dos Espíritos Q.308 ESE - cap26 item 5
Livro dos Espíritos Q.308 ESE - cap26 item 5
 
Edição n. 65 do CH Noticias - Novembro/2020
Edição n. 65 do CH Noticias - Novembro/2020Edição n. 65 do CH Noticias - Novembro/2020
Edição n. 65 do CH Noticias - Novembro/2020
 
Livro dos Espíritos Questão 307 - Evangelho Especial dia das Mães
Livro dos Espíritos Questão 307 - Evangelho Especial dia das MãesLivro dos Espíritos Questão 307 - Evangelho Especial dia das Mães
Livro dos Espíritos Questão 307 - Evangelho Especial dia das Mães
 
Edição n. 40 do CH Noticias - Outubro/2018
Edição n. 40 do CH Noticias - Outubro/2018Edição n. 40 do CH Noticias - Outubro/2018
Edição n. 40 do CH Noticias - Outubro/2018
 
Cartas de uma morta
Cartas de uma mortaCartas de uma morta
Cartas de uma morta
 
5 o natal diferente
5   o natal diferente5   o natal diferente
5 o natal diferente
 
O verdadeiro Cristão
O verdadeiro CristãoO verdadeiro Cristão
O verdadeiro Cristão
 
A Escravidão Si, aos Outros, aos Céus
A Escravidão Si, aos Outros, aos CéusA Escravidão Si, aos Outros, aos Céus
A Escravidão Si, aos Outros, aos Céus
 
2 Jesus e Assistência.
2 Jesus e Assistência.2 Jesus e Assistência.
2 Jesus e Assistência.
 
As Provas e Expiações - como lidar
As Provas e Expiações  - como lidarAs Provas e Expiações  - como lidar
As Provas e Expiações - como lidar
 
A familia espiritual
A familia espiritualA familia espiritual
A familia espiritual
 
Evangeliza - O Cristo Consolador
Evangeliza - O Cristo ConsoladorEvangeliza - O Cristo Consolador
Evangeliza - O Cristo Consolador
 
Seminário Paulo e Estevão 5 de maio 2013
Seminário Paulo e Estevão 5 de maio 2013Seminário Paulo e Estevão 5 de maio 2013
Seminário Paulo e Estevão 5 de maio 2013
 
Natal e seus Significados
Natal e seus SignificadosNatal e seus Significados
Natal e seus Significados
 
Edição n. 14 do CH Noticias - Agosto/2016
Edição n. 14 do CH Noticias - Agosto/2016Edição n. 14 do CH Noticias - Agosto/2016
Edição n. 14 do CH Noticias - Agosto/2016
 
Amorte porquetemê-la-resumo
Amorte porquetemê-la-resumoAmorte porquetemê-la-resumo
Amorte porquetemê-la-resumo
 
Aprender com perguntas - Paulo e Estevão 07
Aprender com perguntas - Paulo e Estevão 07Aprender com perguntas - Paulo e Estevão 07
Aprender com perguntas - Paulo e Estevão 07
 
Curso visitação fraterna
Curso visitação fraternaCurso visitação fraterna
Curso visitação fraterna
 
Boletim o pae marco 2019
Boletim o pae   marco 2019Boletim o pae   marco 2019
Boletim o pae marco 2019
 
Natal de jesus
Natal de jesusNatal de jesus
Natal de jesus
 

Mais de carlos freire

magnetismo-fluidos e perispirito
magnetismo-fluidos e perispiritomagnetismo-fluidos e perispirito
magnetismo-fluidos e perispiritocarlos freire
 
animismo e-mediunidade
animismo e-mediunidade animismo e-mediunidade
animismo e-mediunidade carlos freire
 
Cm 6a aula-o-pensamento
Cm 6a aula-o-pensamentoCm 6a aula-o-pensamento
Cm 6a aula-o-pensamentocarlos freire
 
O papel da ciencia na genese
  O papel da ciencia na genese  O papel da ciencia na genese
O papel da ciencia na genesecarlos freire
 
Aula 03 FCU - Fluído Cósmico ou Universal
Aula 03 FCU - Fluído Cósmico ou UniversalAula 03 FCU - Fluído Cósmico ou Universal
Aula 03 FCU - Fluído Cósmico ou Universalcarlos freire
 
Fe esperanca-e-caridade
Fe esperanca-e-caridadeFe esperanca-e-caridade
Fe esperanca-e-caridadecarlos freire
 
02 genese cap 02 de 1-19 existencia de deus
02 genese cap 02 de 1-19 existencia de deus02 genese cap 02 de 1-19 existencia de deus
02 genese cap 02 de 1-19 existencia de deuscarlos freire
 
01 carater revelacao espirita
01 carater revelacao espirita01 carater revelacao espirita
01 carater revelacao espiritacarlos freire
 
2016 02-05-cicloce-leideadoracaopreceevangelho-marisal-170830003409
2016 02-05-cicloce-leideadoracaopreceevangelho-marisal-1708300034092016 02-05-cicloce-leideadoracaopreceevangelho-marisal-170830003409
2016 02-05-cicloce-leideadoracaopreceevangelho-marisal-170830003409carlos freire
 
sede perfeitos - evangelho segundo o espiritismo
   sede perfeitos - evangelho segundo o espiritismo   sede perfeitos - evangelho segundo o espiritismo
sede perfeitos - evangelho segundo o espiritismocarlos freire
 
2016 02-05-ciclo ce-lei-de_adoracao_prece_evangelho-marisal
2016 02-05-ciclo ce-lei-de_adoracao_prece_evangelho-marisal2016 02-05-ciclo ce-lei-de_adoracao_prece_evangelho-marisal
2016 02-05-ciclo ce-lei-de_adoracao_prece_evangelho-marisalcarlos freire
 
Caracteres da lei natural
Caracteres da lei natural Caracteres da lei natural
Caracteres da lei natural carlos freire
 
Que a mão esquerda não saiba o que faz a direita - evangelho
   Que a mão esquerda não saiba o que faz a direita - evangelho   Que a mão esquerda não saiba o que faz a direita - evangelho
Que a mão esquerda não saiba o que faz a direita - evangelhocarlos freire
 
A fé que transporta montanhas - evangelho
   A fé que transporta montanhas - evangelho   A fé que transporta montanhas - evangelho
A fé que transporta montanhas - evangelhocarlos freire
 
Fluído cósmico ( Ou universal 0 e seus derivados
Fluído cósmico ( Ou universal 0 e seus derivadosFluído cósmico ( Ou universal 0 e seus derivados
Fluído cósmico ( Ou universal 0 e seus derivadoscarlos freire
 
Os trabalhadores da ultima hora - Evangelho Segundo o Espiritismo
Os trabalhadores da ultima hora - Evangelho Segundo o EspiritismoOs trabalhadores da ultima hora - Evangelho Segundo o Espiritismo
Os trabalhadores da ultima hora - Evangelho Segundo o Espiritismocarlos freire
 
Reencarnacao como processo_educativo-samara_n
Reencarnacao como processo_educativo-samara_nReencarnacao como processo_educativo-samara_n
Reencarnacao como processo_educativo-samara_ncarlos freire
 
Aula 05 ninguém pode ver o reino de deus... - evangelho
Aula 05   ninguém pode ver o reino de deus... - evangelhoAula 05   ninguém pode ver o reino de deus... - evangelho
Aula 05 ninguém pode ver o reino de deus... - evangelhocarlos freire
 
As vidas sucessivas (autoria desconhecida)
As vidas sucessivas (autoria desconhecida)As vidas sucessivas (autoria desconhecida)
As vidas sucessivas (autoria desconhecida)carlos freire
 
Intervenção dos espiritos no mundo corporal
Intervenção dos espiritos no mundo corporalIntervenção dos espiritos no mundo corporal
Intervenção dos espiritos no mundo corporalcarlos freire
 

Mais de carlos freire (20)

magnetismo-fluidos e perispirito
magnetismo-fluidos e perispiritomagnetismo-fluidos e perispirito
magnetismo-fluidos e perispirito
 
animismo e-mediunidade
animismo e-mediunidade animismo e-mediunidade
animismo e-mediunidade
 
Cm 6a aula-o-pensamento
Cm 6a aula-o-pensamentoCm 6a aula-o-pensamento
Cm 6a aula-o-pensamento
 
O papel da ciencia na genese
  O papel da ciencia na genese  O papel da ciencia na genese
O papel da ciencia na genese
 
Aula 03 FCU - Fluído Cósmico ou Universal
Aula 03 FCU - Fluído Cósmico ou UniversalAula 03 FCU - Fluído Cósmico ou Universal
Aula 03 FCU - Fluído Cósmico ou Universal
 
Fe esperanca-e-caridade
Fe esperanca-e-caridadeFe esperanca-e-caridade
Fe esperanca-e-caridade
 
02 genese cap 02 de 1-19 existencia de deus
02 genese cap 02 de 1-19 existencia de deus02 genese cap 02 de 1-19 existencia de deus
02 genese cap 02 de 1-19 existencia de deus
 
01 carater revelacao espirita
01 carater revelacao espirita01 carater revelacao espirita
01 carater revelacao espirita
 
2016 02-05-cicloce-leideadoracaopreceevangelho-marisal-170830003409
2016 02-05-cicloce-leideadoracaopreceevangelho-marisal-1708300034092016 02-05-cicloce-leideadoracaopreceevangelho-marisal-170830003409
2016 02-05-cicloce-leideadoracaopreceevangelho-marisal-170830003409
 
sede perfeitos - evangelho segundo o espiritismo
   sede perfeitos - evangelho segundo o espiritismo   sede perfeitos - evangelho segundo o espiritismo
sede perfeitos - evangelho segundo o espiritismo
 
2016 02-05-ciclo ce-lei-de_adoracao_prece_evangelho-marisal
2016 02-05-ciclo ce-lei-de_adoracao_prece_evangelho-marisal2016 02-05-ciclo ce-lei-de_adoracao_prece_evangelho-marisal
2016 02-05-ciclo ce-lei-de_adoracao_prece_evangelho-marisal
 
Caracteres da lei natural
Caracteres da lei natural Caracteres da lei natural
Caracteres da lei natural
 
Que a mão esquerda não saiba o que faz a direita - evangelho
   Que a mão esquerda não saiba o que faz a direita - evangelho   Que a mão esquerda não saiba o que faz a direita - evangelho
Que a mão esquerda não saiba o que faz a direita - evangelho
 
A fé que transporta montanhas - evangelho
   A fé que transporta montanhas - evangelho   A fé que transporta montanhas - evangelho
A fé que transporta montanhas - evangelho
 
Fluído cósmico ( Ou universal 0 e seus derivados
Fluído cósmico ( Ou universal 0 e seus derivadosFluído cósmico ( Ou universal 0 e seus derivados
Fluído cósmico ( Ou universal 0 e seus derivados
 
Os trabalhadores da ultima hora - Evangelho Segundo o Espiritismo
Os trabalhadores da ultima hora - Evangelho Segundo o EspiritismoOs trabalhadores da ultima hora - Evangelho Segundo o Espiritismo
Os trabalhadores da ultima hora - Evangelho Segundo o Espiritismo
 
Reencarnacao como processo_educativo-samara_n
Reencarnacao como processo_educativo-samara_nReencarnacao como processo_educativo-samara_n
Reencarnacao como processo_educativo-samara_n
 
Aula 05 ninguém pode ver o reino de deus... - evangelho
Aula 05   ninguém pode ver o reino de deus... - evangelhoAula 05   ninguém pode ver o reino de deus... - evangelho
Aula 05 ninguém pode ver o reino de deus... - evangelho
 
As vidas sucessivas (autoria desconhecida)
As vidas sucessivas (autoria desconhecida)As vidas sucessivas (autoria desconhecida)
As vidas sucessivas (autoria desconhecida)
 
Intervenção dos espiritos no mundo corporal
Intervenção dos espiritos no mundo corporalIntervenção dos espiritos no mundo corporal
Intervenção dos espiritos no mundo corporal
 

Último

Ebook - Mentoria Ministério com Jovens - Introdução
Ebook - Mentoria Ministério com Jovens - IntroduçãoEbook - Mentoria Ministério com Jovens - Introdução
Ebook - Mentoria Ministério com Jovens - IntroduçãoInsituto Propósitos de Ensino
 
Lição 2 - A Escolha entre a Porta Estreita e a Porta Larga.pptx
Lição 2 - A Escolha entre a Porta Estreita e a Porta Larga.pptxLição 2 - A Escolha entre a Porta Estreita e a Porta Larga.pptx
Lição 2 - A Escolha entre a Porta Estreita e a Porta Larga.pptxCelso Napoleon
 
O concílio de Jerusalém Cap 14 e 15.pptx
O concílio de Jerusalém  Cap 14 e 15.pptxO concílio de Jerusalém  Cap 14 e 15.pptx
O concílio de Jerusalém Cap 14 e 15.pptxPIB Penha
 
Lição 1 - O início da caminhada - CPAD.pptx
Lição 1 - O início da caminhada - CPAD.pptxLição 1 - O início da caminhada - CPAD.pptx
Lição 1 - O início da caminhada - CPAD.pptxCelso Napoleon
 
slide da missa com leituras e oração eucarística
slide da missa com leituras e oração eucarísticaslide da missa com leituras e oração eucarística
slide da missa com leituras e oração eucarísticaFranklinOliveira30
 
AUXADO_1TRIM_2024.pdf ESCOLA SABATINA 2024
AUXADO_1TRIM_2024.pdf ESCOLA SABATINA 2024AUXADO_1TRIM_2024.pdf ESCOLA SABATINA 2024
AUXADO_1TRIM_2024.pdf ESCOLA SABATINA 2024RaniereSilva14
 
RESOLVENDO CONFLITOS NO CASAMENTOe na familia
RESOLVENDO CONFLITOS NO CASAMENTOe na familiaRESOLVENDO CONFLITOS NO CASAMENTOe na familia
RESOLVENDO CONFLITOS NO CASAMENTOe na familiamaysa997520
 
Ebook - Mentoria Ministério com Jovens - Aula ao vivo
Ebook - Mentoria Ministério com Jovens - Aula ao vivoEbook - Mentoria Ministério com Jovens - Aula ao vivo
Ebook - Mentoria Ministério com Jovens - Aula ao vivoInsituto Propósitos de Ensino
 

Último (12)

Ebook - Mentoria Ministério com Jovens - Aula 03
Ebook - Mentoria Ministério com Jovens - Aula 03Ebook - Mentoria Ministério com Jovens - Aula 03
Ebook - Mentoria Ministério com Jovens - Aula 03
 
Ebook - Mentoria Ministério com Jovens - Introdução
Ebook - Mentoria Ministério com Jovens - IntroduçãoEbook - Mentoria Ministério com Jovens - Introdução
Ebook - Mentoria Ministério com Jovens - Introdução
 
Ebook - Mentoria Ministério com Jovens - Aula 02
Ebook - Mentoria Ministério com Jovens - Aula 02Ebook - Mentoria Ministério com Jovens - Aula 02
Ebook - Mentoria Ministério com Jovens - Aula 02
 
Lição 2 - A Escolha entre a Porta Estreita e a Porta Larga.pptx
Lição 2 - A Escolha entre a Porta Estreita e a Porta Larga.pptxLição 2 - A Escolha entre a Porta Estreita e a Porta Larga.pptx
Lição 2 - A Escolha entre a Porta Estreita e a Porta Larga.pptx
 
O Livro dos Espiritos - Allan Kardec.pdf
O Livro dos Espiritos - Allan Kardec.pdfO Livro dos Espiritos - Allan Kardec.pdf
O Livro dos Espiritos - Allan Kardec.pdf
 
O concílio de Jerusalém Cap 14 e 15.pptx
O concílio de Jerusalém  Cap 14 e 15.pptxO concílio de Jerusalém  Cap 14 e 15.pptx
O concílio de Jerusalém Cap 14 e 15.pptx
 
Ebook - Mentoria Ministério com Jovens - Aula 01
Ebook - Mentoria Ministério com Jovens - Aula 01Ebook - Mentoria Ministério com Jovens - Aula 01
Ebook - Mentoria Ministério com Jovens - Aula 01
 
Lição 1 - O início da caminhada - CPAD.pptx
Lição 1 - O início da caminhada - CPAD.pptxLição 1 - O início da caminhada - CPAD.pptx
Lição 1 - O início da caminhada - CPAD.pptx
 
slide da missa com leituras e oração eucarística
slide da missa com leituras e oração eucarísticaslide da missa com leituras e oração eucarística
slide da missa com leituras e oração eucarística
 
AUXADO_1TRIM_2024.pdf ESCOLA SABATINA 2024
AUXADO_1TRIM_2024.pdf ESCOLA SABATINA 2024AUXADO_1TRIM_2024.pdf ESCOLA SABATINA 2024
AUXADO_1TRIM_2024.pdf ESCOLA SABATINA 2024
 
RESOLVENDO CONFLITOS NO CASAMENTOe na familia
RESOLVENDO CONFLITOS NO CASAMENTOe na familiaRESOLVENDO CONFLITOS NO CASAMENTOe na familia
RESOLVENDO CONFLITOS NO CASAMENTOe na familia
 
Ebook - Mentoria Ministério com Jovens - Aula ao vivo
Ebook - Mentoria Ministério com Jovens - Aula ao vivoEbook - Mentoria Ministério com Jovens - Aula ao vivo
Ebook - Mentoria Ministério com Jovens - Aula ao vivo
 

Natal e espiritismo

  • 1.
  • 2. De onde vem o termo Natal? Por que 25 de dezembro? Desde quando se comemora nesta data? Qual o espírito do Natal? Qual o significado dos presentes, das árvores e do Papai Noel?
  • 3.
  • 4.  As Igrejas orientais, desde o século IV, celebravam a Epifania (“aparição” ou “manifestação”), em 6 de janeiro, cujo simbolismo referia-se ao mistério da vinda ao mundo do Verbo Divino feito homem. Em Roma, desde o tempo do Imperador Aureliano (274), o dia 25 de dezembro (solstício de Inverno, no calendário Juliano) era consagrado aoNatalis Solis Invicti, festa mitríaca do “renascimento” do Sol. A Igreja romana não tardou em contrapor-lhe a festa cristã do Natale de Cristo, o verdadeiro “sol de justiça”. Esta festa pronto se estendeu por todo o Ocidente, não tardando também em ser adotada por todas as igrejas orientais. (Enciclopédia luso- Brasileira de Cultura)
  • 5.  O nascimento de Cristo sempre esteve envolvido em controvérsias. Para uns, seria 1.º de janeiro; para outros, 6 de janeiro, 25 de março e 20 de maio. Pelas observações dos chineses, o Natal seria em março, que foi quando um cometa, tal qual a estrela de Belém, reluziu na noite asiática no ano 5 d.C. Como data festiva, é um arranjo inventado pela Igreja e enriquecida através dos tempos pela incorporação de hábitos e costumes de várias culturas: a árvore natalina é contribuição alemã (século VIII); o Papai Noel (vulgo São Nicolau) nasceu na Turquia (século IV); os cartões de natal surgiram na Inglaterra, em meados do século XIX. (Estado de São Paulo, p. D3)
  • 6.  UMA NOVA LUZ  O nascimento de Jesus coincide com a percepção de uma nova luz para a humanidade sofredora. Os ensinamentos de Jesus devem servir para transformar não apenas um homem, mas toda a Humanidade. Numa simples visão de conjunto, observamos o que era planeta antes e no que se transformou depois de sua vinda. O Espírito Emmanuel, em Roteiro, diz-nos que antes de Cristo, a educação demorava-se em lamentável pobreza, o cativeiro era consagrado por lei, a mulher aviltada qual alimária, os pais podiam vender os filhos etc. Com Jesus, entretanto, começa uma era nova para o sentimento. Iluminados pela Divina influência, os discípulos do Mestre consagram-se ao serviço dos semelhantes; Simão Pedro e os companheiros dedicam-se aos doentes e infortunados; instituem-se casas de socorro para os necessitados e escolas de evangelização para o espírito popular etc. (Xavier, 1980, cap. 21)
  • 7.
  • 8. NUMA VÉSPERA DE NATAL Conta-nos o Espírito Irmão X que Emiliano Jardim, cujas noções materialistas estragavam-lhe os pensamentos, viera a sofrer uma dor de paternidade, ao ver o seu filho arrebatado pela morte. Abatido pela dor, começa a se interessar pelo Catolicismo. Porém, repelia veemente todos os que pensavam de forma diferente a respeito do Cristo. Do Catolicismo passa para o Protestantismo, mas sem que o Mestre penetrasse no seu interior. Depois de longa luta, Emiliano sente-se insatisfeito e ingressa nos arraiais espiritistas. Emiliano, como acontece à maioria dos crentes, vislumbra a verdade dos ensinamentos de Jesus, anseia por vê-lo nos outros homens, antes de senti-lo em si mesmo. Com o passar do tempo, teve outros revezes. Numa véspera de Natal, em que o ambiente festivo lhe falava da ventura destruída do coração, Emiliano quis por termo à própria vida. Na hora amargurada em que o mísero se dispunha a agravar as próprias angústias, uma voz se fez ouvir no recôndito de seu espírito: “— Emiliano, há quanto tempo eu buscava encontrar-te; mas sempre me chamavas através dos outros, sem jamais me procurar em ti mesmo! Dá-me tua dor, reclina a cabeça cansada sobre o meu coração!... Muitas vezes, o meu poder opera na fraqueza humana. Raramente meus discípulos gozam o encontro divino, fora das câmeras do sofrimento. Quase sempre é necessário que percam tudo, a fim de me acharem em si mesmos”.
  • 9. Emiliano estava inebriado. E a voz continuou: “— Volta ao esforço diário e não esqueças que estarei com os meus discípulos sinceros até ao fim dos séculos! Acaso poderias admitir que permaneço em beatitude inerte, quando meus amigos se dilaceram pela vitória de minha causa? Não posso estacionar em vãs disputas, nem nas estéreis lamentações, porque necessitamos cuidar do amoroso esclarecimento das almas. É por isso que estou, mais freqüentemente, onde estejam os corações quebrantados e os que já tenham compreendido a grandeza do espírito de serviço. Não te rebeles contra o sofrimento que purifica, aprende a deixar os bonecos a quantos ainda não puderam atravessar as fronteiras da infância. Não analises nunca, sem amar. Lembra-te de que quando criticares teu irmão, também eu sou criticado. Ainda não terminei minha obra terrestre, Emiliano! Ajuda-me, compreendendo a grandeza do seu objetivo e entendendo a fragilidade dos teus irmãos”. (Xavier, 1982, p. 40)