DPP - Procedimentos

743 visualizações

Publicada em

nada

Publicada em: Educação
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
743
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
293
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
30
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

DPP - Procedimentos

  1. 1. PROCEDIMENTOS
  2. 2. 11.. PPrroocceeddiimmeennttoo ccoommuumm OOrrddiinnáárriioo Sumário SSuummaarrííssssiimmoo 22.. JJuuiizzaaddooss EEssppeecciiaaiiss CCrriimmiinnaaiiss 3. Júri
  3. 3. PROCEDIMENTO COMUM ORDINÁRIO
  4. 4. Cabimento • Quando tiver por objeto crime ccuujjaa ssaannççããoo mmááxxiimmaa ccoommiinnaaddaa ffoorr iigguuaall oouu ssuuppeerriioorr aa 44 ((qquuaattrroo)) aannooss ddee ppeennaa pprriivvaattiivvaa ddee lliibbeerrddaaddee • NNããoo iimmppoorrttaa ssee aa ppeennaa éé ddee rreecclluussããoo oouu ddeetteennççããoo • DDeevvee--ssee lleevvaarr eemm ccoonnttaa aass qquuaalliiffiiccaaddoorraass,, ccaauussaass ddee aauummeennttoo ee ddiimmiinnuuiiççããoo ((mmaaiioorr ppeennaa aapplliiccáávveell))
  5. 5. DDeennúúnncciiaa oouu qquueeiixxaa SSeenntteennççaa Possibilidade de rejeição liminar (art. 395 CPP) Recebimento RReessppoossttaa Citação para resposta escrita PPoossssiibbiilliiddaaddee ddee aabbssoollvviiççããoo ssuummáárriiaa Audiência de instrução, interrogatório, debates e julgamento Recebimento da denúncia ou queixa e designação de audiência
  6. 6. Possibilidade de rejeição liminar (art. 395 CPP) IInnééppcciiaa Falta de pressuposto processual ou condição da ação Falta de justa causa
  7. 7. CCIITTAAÇÇÃÃOO AArrtt.. 339966.. NNooss pprroocceeddiimmeennttooss oorrddiinnáárriioo ee ssuummáárriioo,, ooffeerreecciiddaa aa ddeennúúnncciiaa oouu qquueeiixxaa,, oo jjuuiizz,, ssee nnããoo aa rreejjeeiittaarr lliimmiinnaarrmmeennttee,, rreecceebbêê--llaa-- áá ee oorrddeennaarráá aa cciittaaççããoo ddoo aaccuussaaddoo ppaarraa rreessppoonnddeerr àà aaccuussaaççããoo,, ppoorr eessccrriittoo,, nnoo pprraazzoo ddee 1100 ((ddeezz)) ddiiaass.. ((RReeddaaççããoo ddaaddaa ppeellaa LLeeii nnº 1111..771199,, ddee 22000088))..
  8. 8. CCoonncceeiittoo ddee cciittaaççããoo • Chamamento do acusado a juízo, dando-lhe ciência da acusação e oferecendo-lhe a oportunidade para se defender (autodefesa e defesa técnica) • Formação do “actum trium personarum” • Decorrência natural dos princípios do contraditório e da ampla defesa
  9. 9. DDuuppllaa ffiinnaalliiddaaddee • 11.. Cientificar o réu da acusação • Ex: lei anterior (art. 360) e requisicão do réu preso • 22.. Chamar o réu para se defender (autodefesa e defesa técnica)
  10. 10. AAttoo eesssseenncciiaall • Inexistência ou irregularidade na citação: nulidade • Art. 570. A falta ou a nulidade da citação, da intimação ou notificação estará sanada, desde que o interessado compareça, antes de o ato consumar-se, embora declare que o faz para o único fim de argüi-la. O juiz ordenará, todavia, a suspensão ou o adiamento do ato, quando reconhecer que a irregularidade poderá prejudicar direito da parte.
  11. 11. CCiittaaççããoo rreeaall ((ppeessssooaall)) • Citação por mandado • Art. 351: A citação inicial far-se-á por mandado, quando o réu estiver no território sujeito à jurisdição do juiz que a houver ordenado.
  12. 12. CCoonntteeúúddoo ddoo mmaannddaaddoo • Art. 352. O mandado de citação indicará: • I - o nome do juiz; • II - o nome do querelante nas ações iniciadas por queixa; • III - o nome do réu, ou, se for desconhecido, os seus sinais característicos; • IV - a residência do réu, se for conhecida; • V - o fim para que é feita a citação; • VI - o juízo e o lugar, o dia e a hora em que o réu deverá comparecer; • VII - a subscrição do escrivão e a rubrica do juiz.
  13. 13. Citação por pprreeccaattóórriiaa ee rrooggaattóórriiaa • AArrtt.. 335533.. QQuuaannddoo oo rrééuu eessttiivveerr ffoorraa ddoo tteerrrriittóórriioo ddaa jjuurriissddiiççããoo ddoo jjuuiizz pprroocceessssaannttee,, sseerráá cciittaaddoo mmeeddiiaannttee pprreeccaattóórriiaa.. • AArrtt.. 336688.. EEssttaannddoo oo aaccuussaaddoo nnoo eessttrraannggeeiirroo,, eemm lluuggaarr ssaabbiiddoo,, sseerráá cciittaaddoo mmeeddiiaannttee ccaarrttaa rrooggaattóórriiaa,, ssuussppeennddeennddoo--ssee oo ccuurrssoo ddoo pprraazzoo ddee pprreessccrriiççããoo aattéé oo sseeuu ccuummpprriimmeennttoo.. ((RReeddaaççããoo ddaaddaa ppeellaa LLeeii nnº 99..27711,, ddee 1177..44..11999966))
  14. 14. Requisitos da cciittaaççããoo ppoorr mmaannddaaddoo • Art. 357. São requisitos da citação por mandado: • I - leitura do mandado ao citando pelo oficial e entrega da contrafé, na qual se mencionarão dia e hora da citação; • II - declaração do oficial, na certidão, da entrega da contrafé, e sua aceitação ou recusa.
  15. 15. CCiittaaççããoo ddee rrééuu pprreessoo • Art. 360. Se o réu estiver preso, será pessoalmente citado. (Redação dada pela Lei nº 10.792, de 1º.12.2003)
  16. 16. CCiittaaççããoo ddee ffuunncciioonnáárriioo ppúúbblliiccoo ee mmiilliittaarr • Art. 358. A citação do militar far-se-á por intermédio do chefe do respectivo serviço. • Art. 359. O dia designado para funcionário público comparecer em juízo, como acusado, será notificado assim a ele como ao chefe de sua repartição.
  17. 17. LLooccaall ee hhoorráárriioo ddaa cciittaaççããoo • Não precisa ser realizada no horário de expediente • Oficial deve respeitar a inviolabilidade de domicílio • Não há no CPP regra semelhante à do art. 217 do CPC
  18. 18. RReevveelliiaa • Para alguns, termo é inadequado ao CPP • Art. 367. O processo seguirá sem a presença do acusado que, citado ou intimado pessoalmente para qualquer ato, deixar de comparecer sem motivo justificado, ou, no caso de mudança de residência, não comunicar o novo endereço ao juízo. (Redação dada pela Lei nº 9.271, de 17.4.1996)
  19. 19. Citação ppoorr eeddiittaall ((ffiiccttaa)) • Art. 361. Se o réu não for encontrado, será citado por edital, com o prazo de 15 (quinze) dias. • Devem ser esgotadas todas as possibilidades de encontrar o acusado • Local inacessível: art. 231, II, do CPC (edital)
  20. 20. CCoonntteeúúddoo ddoo eeddiittaall • Art. 365. O edital de citação indicará: • I - o nome do juiz que a determinar; • II - o nome do réu, ou, se não for conhecido, os seus sinais característicos, bem como sua residência e profissão, se constarem do processo; • III - o fim para que é feita a citação; • IV - o juízo e o dia, a hora e o lugar em que o réu deverá comparecer; • V - o prazo, que será contado do dia da publicação do edital na imprensa, se houver, ou da sua afixação.
  21. 21. SSuussppeennssããoo ddoo pprroocceessssoo ee ddoo pprraazzoo pprreessccrriicciioonnaall • Art. 366. Se o acusado, citado por edital, não comparecer, nem constituir advogado, ficarão suspensos o processo e o curso do prazo prescricional, podendo o juiz determinar a produção antecipada das provas consideradas urgentes e, se for o caso, decretar prisão preventiva, nos termos do disposto no art. 312. (Redação dada pela Lei nº 9.271, de 17.4.1996)
  22. 22. SSuussppeennssããoo ddoo pprroocceessssoo ee ddoo pprraazzoo pprreessccrriicciioonnaall • Trata-se de antiga reivindicação da doutrina (ampla defesa); • Normas administratrativas: tentativa de localização do acusado; • Prisão preventiva: não é obrigatória nem automática; • Produção antecipada de provas: é medida excepcional (para alguns, a prova testemunhal é sempre urgente) • A questão da suspensão do prazo prescricional
  23. 23. SSuussppeennssããoo ddoo pprroocceessssoo ee ddoo pprraazzoo pprreessccrriicciioonnaall • Se o prazo prescricional ficar suspenso indefinidamente, isso implica tornar o crime imprescritível. • Entendimento prevalente: a prescrição fica suspensa pelo prazo máximo previsto em abstrato para o delito; • Após este prazo, começa a correr o prazo prescricional • Porém, o STF admite o prazo indeterminado (RE 460.971/RS) • Exceção: lei de lavagem de dinheiro (Lei n. 9.613/98); não se aplica o artigo 366.
  24. 24. CCiittaaççããoo ppoorr hhoorraa cceerrttaa • Art. 362. Verificando que o réu se oculta para não ser citado, o oficial de justiça certificará a ocorrência e procederá à citação com hora certa, na forma estabelecida nos arts. 227 a 229 da Lei no 5.869, de 11 de janeiro de 1973 - Código de Processo Civil. (Redação dada pela Lei nº 11.719, de 2008). • Oficial intima pessoa da família ou vizinho de que voltará no dia imediato, em hora designada. • No dia imediato oficial retorna e, se o citando não estiver presente, procurará informar-se das razões da ausência. • Deixa a contrafé com o vizinho ou a pessoa da família
  25. 25. RReessppoossttaa Art. 396-A. Na resposta, o acusado poderá arguir preliminares e alegar tudo o que interesse à sua defesa, oferecer documentos e justificações, especificar as provas pretendidas e arrolar testemunhas, qualificando-as e requerendo sua intimação, quando necessário. (Incluído pela Lei nº 11.719, de 2008).
  26. 26. RReessppoossttaa Arguir preliminares Oferecer documentos Justificações Especificar provas Arrolar testemunhas, qualificando-as Requerendo sua intimação, quando necessário
  27. 27. AAuussêênncciiaa ddee RReessppoossttaa § 2o Não apresentada a resposta no prazo legal, ou se o acusado, citado, não constituir defensor, o juiz nomeará defensor para oferecê-la, concedendo-lhe vista dos autos por 10 (dez) dias. (Incluído pela Lei nº 11.719, de 2008).
  28. 28. AAbbssoollvviiççããoo ssuummáárriiaa Art. 397. Após o cumprimento do disposto no art. 396-A, e parágrafos, deste Código, o juiz deverá absolver sumariamente o acusado quando verificar: (Redação dada pela Lei nº 11.719, de 2008). I - a existência manifesta de causa excludente da ilicitude do fato; (Incluído pela Lei nº 11.719, de 2008). II - a existência manifesta de causa excludente da culpabilidade do agente, salvo inimputabilidade; (Incluído pela Lei nº 11.719, de 2008). III - que o fato narrado evidentemente não constitui crime; ou (Incluído pela Lei nº 11.719, de 2008). IV - extinta a punibilidade do agente. (Incluído pela Lei nº 11.719, de 2008).
  29. 29. AAuuddiiêênncciiaa Art. 400. Na audiência de instrução e julgamento, a ser realizada no prazo máximo de 60 (sessenta) dias, proceder-se-á à tomada de declarações do ofendido, à inquirição das testemunhas arroladas pela acusação e pela defesa, nesta ordem, ressalvado o disposto no art. 222 deste Código, bem como aos esclarecimentos dos peritos, às acareações e ao reconhecimento de pessoas e coisas, interrogando-se, em seguida, o acusado. (Redação dada pela Lei nº 11.719, de 2008).
  30. 30. FFaassee ddee ddiilliiggêênncciiaass Art. 402. Produzidas as provas, ao final da audiência, o Ministério Público, o querelante e o assistente e, a seguir, o acusado poderão requerer diligências cuja necessidade se origine de circunstâncias ou fatos apurados na instrução. (Redação dada pela Lei nº 11.719, de 2008).
  31. 31. DDeebbaatteess ee jjuullggaammeennttoo • Art. 403. Não havendo requerimento de diligências, ou sendo indeferido, serão oferecidas alegações finais orais por 20 (vinte) minutos, respectivamente, pela acusação e pela defesa, prorrogáveis por mais 10 (dez), proferindo o juiz, a seguir, sentença.
  32. 32. DDeebbaatteess • Oralmente (gravação em mídia) • Oralmente (ditado) • Oralmente ao juiz (resumo da tese) • “Pen drive” • Memoriais escritos em audiência • Prazo para memoriais
  33. 33. DDeebbaatteess Prazo para memoriais: Art. 403, § 3o O juiz poderá, considerada a complexidade do caso ou o número de acusados, conceder às partes o prazo de 5 (cinco) dias sucessivamente para a apresentação de memoriais. Nesse caso, terá o prazo de 10 (dez) dias para proferir a sentença. (Incluído pela Lei nº 11.719, de 2008). • Art. 404, § único: após a realização de diligência.
  34. 34. SSeenntteennççaa • Oralmente em audiência • Prazo de 10 dias após a apresentação dos memoriais • Identidade física do juiz • 399, § 2º: O juiz que presidiu a instrução deverá proferir a sentença.

×