SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 23
INQUÉRITO POLICIAL
1. Noções introdutórias
O A) ação penal pública (condicionada e
incondicionada)
O B) ação penal privada
O C) ação penal e “fumus boni juris”
(“fumus delicti”).
2. Conceito de inquérito
policial
 É o conjunto de diligências realizadas pela Polícia
Judiciária para a apuração de uma infração penal
e de sua autoria, a fim de que o titular da ação
penal possa ingressar em Juízo.
3. Características
a) Oficialidade
b) Obrigatoriedade
c) Indisponibilidade
d) Dispensabilidade
e) Sigilo
f) Procedimento inquisitivo
g) Procedimento escrito
a) Oficialidade
O A investigação deve ser realizada por
órgãos oficiais, e não pode ficar a cargo
do particular, mesmo nos casos de
ação privada
b) Obrigatoriedade
 Para a autoridade policial, o inquérito é
obrigatório: tomando conhecimento, de
qualquer modo, da infração penal, a autoridade
DEVE instaurar o inquérito (“mandará”,
“deverá”).
 Exceções:
a) Quando o fato for atípico;
b) Quando já estiver extinta a punibilidade;
c) Quando não dispuser de um mínimo de
elementos que o habilitem a iniciar uma
investigação idônea.
c) Indisponibilidade
O Uma vez instaurado, o inquérito não pode ser
arquivado pela autoridade policial (art. 17 do
CPP).
d) Dispensabilidade
O O inquérito policial não é indispensável;
O O titular da ação penal (o Ministério Público ou o
ofendido) pode ingressar com a ação penal sem
inquérito, desde que disponha de outros
elementos de convicção.
O Exemplos mais comuns:
a) Sonegação fiscal;
b) Falso testemunho;
c) Processo administrativo disciplinar;
d) Inquérito civil.
e) sigilo
 Art. 20 do CPP
 Aplica-se ao advogado?
 Art. 7o
, XIV, da Lei 8906/94 (Estatuto da OAB).
 STF, Súmula vinculante 14: É direito do defensor, no
interesse do representado, ter acesso amplo aos
elementos de prova que, já documentados em
procedimento investigatório realizado por órgão com
competência de polícia judiciária, digam respeito ao
exercício do direito de defesa.
 E se o Delegado não permitir o acesso do advogado?
e) sigilo
 A questão da incomunicabilidade (art. 21 do CPP)
 Não se aplica ao advogado
 Para uns, é inconstitucional: art. 5º, LXII (comunicaçõ
da prisão à família) e LXIII (assistência da família).
 Para outros, não (exemplo: RDD), desde que não
exceda a três dias e haja decisão fundamentada.
f) Procedimento inquisitivo
O Discricionariedade da autoridade
O Não há contraditório no inquérito policial (exceção:
inquérito instaurado pela PF, a pedido do Ministro
da Justiça, para expulsão de estrangeiro – Lei
6.815/80, art. 70).
O Ampla defesa: advogado pode peticionar
g) Procedimento escrito
O Art. 9o. do CPP: “Todas as peças do inquérito
policial serão, num só processado, reduzidas a
escrito ou datilografadas e, neste caso, rubricadas
pela autoridade”.
4. Polícia Judiciária
Possui função auxiliar à Justiça; tem a finalidade
de apurar as infrações penais, a fim de fornecer ao
titular da ação penal elementos para propô-la.
Polícia Judiciária da União: Polícia Federal (art.
144, par. 1o, IV, da CF)
Nos Estados: polícia civil (art. 144, par. 4o, da CF).
Polícia Militar: policiamento ostensivo e
preservação da ordem pública (art. 144, par. 5o,
da CF)
5. Inquéritos extrapoliciais
 Art. 4o., par. único, do CPP: “A competência definida neste
artigo não excluirá a de autoridades administrativas, a que
por lei seja cometida a mesma função”.
 Inquéritos instaurados para apurar crimes militares.
 Investigações realizadas pelas CPIs (art. 58, par. 3o, da CF-
88).
 Inquérito por crime cometido no STF ou no Congresso
Nacional.
 Crime cometido por juiz (art. 33, par. Único, da LOMAN) –
Tribunal ou Órgão Especial.
 Crime cometido por membro do Ministério Público (art. 41,
par. único, da LONMP) – Procurador-geral.
6. Investigação pelo MP
 “Como se sabe, a Constituição Federal, em seu artigo 129, I,
atribui, privativamente, ao Ministério Público promover a ação
penal pública. Essa atividade depende, para o seu efetivo
exercício, da colheita de elementos que demonstrem a certeza
da existência do crime e indícios de que o denunciado é o seu
autor. Entender-se que a investigação desses fatos é atribuição
exclusiva da polícia judiciária, seria incorrer-se em
impropriedade, já que o titular da ação é o Órgão Ministerial”
(STJ, 5a. T., rel. Min. Jorge Scartezzini, j. 7-2-2002, DJ, 26-
ago.2002, p. 271)
7. Valor probatório
O Inquérito é peça informativa, em que não há
contraditório.
O Valor probatório é relativo.
O “Não se justifica decisão condenatória
apoiada exclusivamente em inquérito
policial pois se viola o princípio
constitucional do contrditório” (STF, RTJ 59-
786).
8. Vícios no inquérito policial
O As irregularidades porventura existentes no
inquérito policial NÃO ACARRETAM
NULIDADE, mas podem interferir no valor
das provas colhidas.
9. Início do inquérito policial
- 9.1 Nos crimes de ação pública incondicionada.
- 9.2. Nos crimes de ação pública condicionada.
- 9.3. Nos crimes de ação privada.
- 9.4. Em todos os casos: auto de prisão em
flagrante.
9.1 Nos crimes de ação pública
incondicionada.
- De ofício (portaria ou auto de prisão em flagrante). A
“delatio criminis”.
- Por requerimento do ofendido.
- Por requisição da autoridade judiciária ou do Ministério
Público.
9.2. Nos crimes de ação pública
condicionada.
- Representação do ofendido.
- Requisição do Ministro da Justiça.
9.2.1. Conceito de
representação
Manifestação de vontade do ofendido ou de seu
representante legal no sentido de autorizar o
ajuizamento da ação penal nos crimes de ação penal
pública condicionada.
Crimes de ação pública condicionada: a própria lei os
define, através de uma fórmula como: “somente se
procede mediante representação” (art. 147 do CP).
9.3. Nos crimes de ação privada.
- Requerimento do ofendido ou de seu representante
legal.
9.4. Em todos os casos: auto de prisão
em flagrante.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Furto (Art. 155, caput, parágrafos 1o. a 3o.)
Furto (Art. 155, caput, parágrafos 1o. a 3o.)Furto (Art. 155, caput, parágrafos 1o. a 3o.)
Furto (Art. 155, caput, parágrafos 1o. a 3o.)crisdupret
 
Direito penal i consumação e tentativa
Direito penal i   consumação e tentativaDireito penal i   consumação e tentativa
Direito penal i consumação e tentativaUrbano Felix Pugliese
 
Direito Penal - Princípios
Direito Penal - PrincípiosDireito Penal - Princípios
Direito Penal - PrincípiosDayane Barros
 
Lei de Crimes Hediondos Esquematizada
Lei de Crimes Hediondos EsquematizadaLei de Crimes Hediondos Esquematizada
Lei de Crimes Hediondos EsquematizadaMarcos Girão
 
Direito penal i o nexo de causalidade, resultado e tipicidade
Direito penal i   o nexo de causalidade, resultado e tipicidadeDireito penal i   o nexo de causalidade, resultado e tipicidade
Direito penal i o nexo de causalidade, resultado e tipicidadeUrbano Felix Pugliese
 
Aula 02 direito penal iv - crimes contra a dignidade sexual - capítulo i
Aula 02   direito penal iv - crimes contra a dignidade sexual - capítulo iAula 02   direito penal iv - crimes contra a dignidade sexual - capítulo i
Aula 02 direito penal iv - crimes contra a dignidade sexual - capítulo iUrbano Felix Pugliese
 
Medidas cautelares, prisão cautelar e liberdade provisória
Medidas cautelares, prisão cautelar e liberdade provisóriaMedidas cautelares, prisão cautelar e liberdade provisória
Medidas cautelares, prisão cautelar e liberdade provisóriaOzéas Lopes
 
Direito penal - Parte Geral - Profa. Cristiane Dupret
Direito penal - Parte Geral - Profa. Cristiane DupretDireito penal - Parte Geral - Profa. Cristiane Dupret
Direito penal - Parte Geral - Profa. Cristiane Dupretcrisdupret
 
Rosana Júlia Binda - Responsabilidade Civil
Rosana Júlia Binda - Responsabilidade CivilRosana Júlia Binda - Responsabilidade Civil
Rosana Júlia Binda - Responsabilidade CivilJordano Santos Cerqueira
 
Direito penal ii uneb - causas extintivas de punibilidade
Direito penal ii   uneb - causas extintivas de punibilidadeDireito penal ii   uneb - causas extintivas de punibilidade
Direito penal ii uneb - causas extintivas de punibilidadeUrbano Felix Pugliese
 

Mais procurados (20)

Aula 12 parte ii - prisões
Aula 12   parte ii - prisõesAula 12   parte ii - prisões
Aula 12 parte ii - prisões
 
Furto (Art. 155, caput, parágrafos 1o. a 3o.)
Furto (Art. 155, caput, parágrafos 1o. a 3o.)Furto (Art. 155, caput, parágrafos 1o. a 3o.)
Furto (Art. 155, caput, parágrafos 1o. a 3o.)
 
Direito penal i consumação e tentativa
Direito penal i   consumação e tentativaDireito penal i   consumação e tentativa
Direito penal i consumação e tentativa
 
Direito penal iii furto
Direito penal iii   furtoDireito penal iii   furto
Direito penal iii furto
 
La Antijuridicidad
La  AntijuridicidadLa  Antijuridicidad
La Antijuridicidad
 
Direito Penal - Princípios
Direito Penal - PrincípiosDireito Penal - Princípios
Direito Penal - Princípios
 
Direito penal
Direito penalDireito penal
Direito penal
 
Lei de Crimes Hediondos Esquematizada
Lei de Crimes Hediondos EsquematizadaLei de Crimes Hediondos Esquematizada
Lei de Crimes Hediondos Esquematizada
 
Direito penal i o nexo de causalidade, resultado e tipicidade
Direito penal i   o nexo de causalidade, resultado e tipicidadeDireito penal i   o nexo de causalidade, resultado e tipicidade
Direito penal i o nexo de causalidade, resultado e tipicidade
 
Lesão corporal
Lesão corporalLesão corporal
Lesão corporal
 
Aula 02 direito penal iv - crimes contra a dignidade sexual - capítulo i
Aula 02   direito penal iv - crimes contra a dignidade sexual - capítulo iAula 02   direito penal iv - crimes contra a dignidade sexual - capítulo i
Aula 02 direito penal iv - crimes contra a dignidade sexual - capítulo i
 
Direito penal i ilicitude
Direito penal i   ilicitudeDireito penal i   ilicitude
Direito penal i ilicitude
 
Lei de execução penal
Lei de execução penalLei de execução penal
Lei de execução penal
 
Direito penal i concurso de pessoas
Direito penal i   concurso de pessoasDireito penal i   concurso de pessoas
Direito penal i concurso de pessoas
 
Medidas cautelares, prisão cautelar e liberdade provisória
Medidas cautelares, prisão cautelar e liberdade provisóriaMedidas cautelares, prisão cautelar e liberdade provisória
Medidas cautelares, prisão cautelar e liberdade provisória
 
Direito penal iii roubo e extorsão
Direito penal iii   roubo e extorsãoDireito penal iii   roubo e extorsão
Direito penal iii roubo e extorsão
 
Direito penal - Parte Geral - Profa. Cristiane Dupret
Direito penal - Parte Geral - Profa. Cristiane DupretDireito penal - Parte Geral - Profa. Cristiane Dupret
Direito penal - Parte Geral - Profa. Cristiane Dupret
 
Rosana Júlia Binda - Responsabilidade Civil
Rosana Júlia Binda - Responsabilidade CivilRosana Júlia Binda - Responsabilidade Civil
Rosana Júlia Binda - Responsabilidade Civil
 
Direito penal ii uneb - causas extintivas de punibilidade
Direito penal ii   uneb - causas extintivas de punibilidadeDireito penal ii   uneb - causas extintivas de punibilidade
Direito penal ii uneb - causas extintivas de punibilidade
 
Exceção de coisa julgada
Exceção de coisa julgadaExceção de coisa julgada
Exceção de coisa julgada
 

Destaque

Inquérito Policial
Inquérito PolicialInquérito Policial
Inquérito Policialguest063091
 
Execucao extrajudicial legitimidade
Execucao extrajudicial legitimidadeExecucao extrajudicial legitimidade
Execucao extrajudicial legitimidaderomeromelosilva
 
Slides dpe i unidade 2
Slides dpe i   unidade 2Slides dpe i   unidade 2
Slides dpe i unidade 2Nilo Tavares
 
1ª aula.ppv
1ª aula.ppv1ª aula.ppv
1ª aula.ppvportustfs
 
Direito Penal III - UNEB - Prescrição
Direito Penal III - UNEB - PrescriçãoDireito Penal III - UNEB - Prescrição
Direito Penal III - UNEB - PrescriçãoUrbano Felix Pugliese
 
AÇÃO PENAL COMO INSTRUMENTO DE COAÇÃO NOS CRIMES TRIBUTÁRIOS
AÇÃO PENAL COMO INSTRUMENTO DE COAÇÃO NOS CRIMES TRIBUTÁRIOSAÇÃO PENAL COMO INSTRUMENTO DE COAÇÃO NOS CRIMES TRIBUTÁRIOS
AÇÃO PENAL COMO INSTRUMENTO DE COAÇÃO NOS CRIMES TRIBUTÁRIOSDanilo De Albuquerque Sousa
 
Ibet sistema constitucinal tributário definitiva-2011
Ibet sistema constitucinal tributário definitiva-2011Ibet sistema constitucinal tributário definitiva-2011
Ibet sistema constitucinal tributário definitiva-2011Rosangela Garcia
 
Roteiro de estudo dirigido direito penal ii (1)
Roteiro de estudo dirigido   direito penal ii (1)Roteiro de estudo dirigido   direito penal ii (1)
Roteiro de estudo dirigido direito penal ii (1)hismardanesh
 
Teorias legitimadoras da pena
Teorias legitimadoras da penaTeorias legitimadoras da pena
Teorias legitimadoras da penarenanmedonho
 
Crime teoria tripartida-1(1)
Crime teoria tripartida-1(1)Crime teoria tripartida-1(1)
Crime teoria tripartida-1(1)igorfranchini
 
Direito Penal I - Culpabilidade
Direito Penal I - Culpabilidade   Direito Penal I - Culpabilidade
Direito Penal I - Culpabilidade Marcos2rr
 
Aula 1 direito penal turma oab 003-14 noite
Aula 1 direito penal turma oab 003-14 noiteAula 1 direito penal turma oab 003-14 noite
Aula 1 direito penal turma oab 003-14 noiteGmx Brasil
 
Lei nº 8.142, de 28 de dezembro de 1990 aula 8
Lei nº 8.142, de 28 de dezembro de 1990 aula 8Lei nº 8.142, de 28 de dezembro de 1990 aula 8
Lei nº 8.142, de 28 de dezembro de 1990 aula 8Als Motta
 
Direito Penal parte geral
Direito Penal   parte geralDireito Penal   parte geral
Direito Penal parte geralPortal Vitrine
 
Direito penal fernando capez - parte geral - 15ª - 2012
Direito penal   fernando capez - parte geral - 15ª - 2012Direito penal   fernando capez - parte geral - 15ª - 2012
Direito penal fernando capez - parte geral - 15ª - 2012Hyago Correia
 

Destaque (20)

Inquérito Policial
Inquérito PolicialInquérito Policial
Inquérito Policial
 
Persecussão Penal
Persecussão PenalPersecussão Penal
Persecussão Penal
 
Execucao extrajudicial legitimidade
Execucao extrajudicial legitimidadeExecucao extrajudicial legitimidade
Execucao extrajudicial legitimidade
 
Slides dpe i unidade 2
Slides dpe i   unidade 2Slides dpe i   unidade 2
Slides dpe i unidade 2
 
1ª aula.ppv
1ª aula.ppv1ª aula.ppv
1ª aula.ppv
 
Oab. 2ª f ase. iv exame. questoes
Oab. 2ª f ase. iv exame. questoesOab. 2ª f ase. iv exame. questoes
Oab. 2ª f ase. iv exame. questoes
 
Direito Penal III - UNEB - Prescrição
Direito Penal III - UNEB - PrescriçãoDireito Penal III - UNEB - Prescrição
Direito Penal III - UNEB - Prescrição
 
AÇÃO PENAL COMO INSTRUMENTO DE COAÇÃO NOS CRIMES TRIBUTÁRIOS
AÇÃO PENAL COMO INSTRUMENTO DE COAÇÃO NOS CRIMES TRIBUTÁRIOSAÇÃO PENAL COMO INSTRUMENTO DE COAÇÃO NOS CRIMES TRIBUTÁRIOS
AÇÃO PENAL COMO INSTRUMENTO DE COAÇÃO NOS CRIMES TRIBUTÁRIOS
 
Ibet sistema constitucinal tributário definitiva-2011
Ibet sistema constitucinal tributário definitiva-2011Ibet sistema constitucinal tributário definitiva-2011
Ibet sistema constitucinal tributário definitiva-2011
 
Direito penal ii concurso de crimes
Direito penal ii   concurso de crimesDireito penal ii   concurso de crimes
Direito penal ii concurso de crimes
 
Roteiro de estudo dirigido direito penal ii (1)
Roteiro de estudo dirigido   direito penal ii (1)Roteiro de estudo dirigido   direito penal ii (1)
Roteiro de estudo dirigido direito penal ii (1)
 
Teorias legitimadoras da pena
Teorias legitimadoras da penaTeorias legitimadoras da pena
Teorias legitimadoras da pena
 
Crime teoria tripartida-1(1)
Crime teoria tripartida-1(1)Crime teoria tripartida-1(1)
Crime teoria tripartida-1(1)
 
Direito Penal I - Culpabilidade
Direito Penal I - Culpabilidade   Direito Penal I - Culpabilidade
Direito Penal I - Culpabilidade
 
Aula 1 direito penal turma oab 003-14 noite
Aula 1 direito penal turma oab 003-14 noiteAula 1 direito penal turma oab 003-14 noite
Aula 1 direito penal turma oab 003-14 noite
 
Lei nº 8.142, de 28 de dezembro de 1990 aula 8
Lei nº 8.142, de 28 de dezembro de 1990 aula 8Lei nº 8.142, de 28 de dezembro de 1990 aula 8
Lei nº 8.142, de 28 de dezembro de 1990 aula 8
 
Direito Penal parte geral
Direito Penal   parte geralDireito Penal   parte geral
Direito Penal parte geral
 
Concurso de pessoas
Concurso de pessoasConcurso de pessoas
Concurso de pessoas
 
Direito penal fernando capez - parte geral - 15ª - 2012
Direito penal   fernando capez - parte geral - 15ª - 2012Direito penal   fernando capez - parte geral - 15ª - 2012
Direito penal fernando capez - parte geral - 15ª - 2012
 
Mapas mental inquerito
Mapas mental   inqueritoMapas mental   inquerito
Mapas mental inquerito
 

Semelhante a INQUÉRITO POLICIAL: PROCEDIMENTOS E CARACTERÍSTICAS

7 inquritopolicialnotitiacriminis
7 inquritopolicialnotitiacriminis7 inquritopolicialnotitiacriminis
7 inquritopolicialnotitiacriminisdireitounimonte
 
1ª aula.ppv
1ª aula.ppv1ª aula.ppv
1ª aula.ppvportustfs
 
Inquarito policial-novo-texto
Inquarito policial-novo-textoInquarito policial-novo-texto
Inquarito policial-novo-textodllsampaionet
 
Processo penal jhony - 27 - 05 - 2017
Processo penal   jhony - 27 - 05 - 2017Processo penal   jhony - 27 - 05 - 2017
Processo penal jhony - 27 - 05 - 2017Neon Online
 
Processo penal jhony - 27 - 05 - 2017
Processo penal   jhony - 27 - 05 - 2017Processo penal   jhony - 27 - 05 - 2017
Processo penal jhony - 27 - 05 - 2017Neon Online
 
inquerito policial
inquerito policialinquerito policial
inquerito policialWal Barboza
 
Marco Regulatório das Investigações Criminais no Brasil (PL 5776/2013)
Marco Regulatório das Investigações Criminais no Brasil (PL 5776/2013)Marco Regulatório das Investigações Criminais no Brasil (PL 5776/2013)
Marco Regulatório das Investigações Criminais no Brasil (PL 5776/2013)deputadamarina
 
Direito processual penal_robson_fachini_1
Direito processual penal_robson_fachini_1Direito processual penal_robson_fachini_1
Direito processual penal_robson_fachini_1Miliany Queiroz
 
teoria de Thyrén no crime retrativo. antonio inacio ferraz
teoria de Thyrén no crime retrativo. antonio inacio ferrazteoria de Thyrén no crime retrativo. antonio inacio ferraz
teoria de Thyrén no crime retrativo. antonio inacio ferrazANTONIO INACIO FERRAZ
 
Apostila direito processual penal/Luiz Flávio Gomes-antonio inacio ferraz
Apostila direito processual penal/Luiz Flávio Gomes-antonio inacio ferrazApostila direito processual penal/Luiz Flávio Gomes-antonio inacio ferraz
Apostila direito processual penal/Luiz Flávio Gomes-antonio inacio ferrazANTONIO INACIO FERRAZ
 
Noções de direito processual penal 2014 agente-pf
Noções de direito processual penal 2014   agente-pfNoções de direito processual penal 2014   agente-pf
Noções de direito processual penal 2014 agente-pfNeon Online
 
Processo penal davi_07004011_persecucao_penal1_parte1_finalizado_ead
Processo penal davi_07004011_persecucao_penal1_parte1_finalizado_eadProcesso penal davi_07004011_persecucao_penal1_parte1_finalizado_ead
Processo penal davi_07004011_persecucao_penal1_parte1_finalizado_eadTatiana Coelho
 
Inquerito Policial
Inquerito PolicialInquerito Policial
Inquerito PolicialLiam Júnior
 

Semelhante a INQUÉRITO POLICIAL: PROCEDIMENTOS E CARACTERÍSTICAS (20)

Abc
AbcAbc
Abc
 
A fase pré processual
A fase pré processualA fase pré processual
A fase pré processual
 
7 inquritopolicialnotitiacriminis
7 inquritopolicialnotitiacriminis7 inquritopolicialnotitiacriminis
7 inquritopolicialnotitiacriminis
 
Processo penal todas
Processo penal   todasProcesso penal   todas
Processo penal todas
 
1ª aula.ppv
1ª aula.ppv1ª aula.ppv
1ª aula.ppv
 
Inquarito policial-novo-texto
Inquarito policial-novo-textoInquarito policial-novo-texto
Inquarito policial-novo-texto
 
Processo penal jhony - 27 - 05 - 2017
Processo penal   jhony - 27 - 05 - 2017Processo penal   jhony - 27 - 05 - 2017
Processo penal jhony - 27 - 05 - 2017
 
Processo penal jhony - 27 - 05 - 2017
Processo penal   jhony - 27 - 05 - 2017Processo penal   jhony - 27 - 05 - 2017
Processo penal jhony - 27 - 05 - 2017
 
inquerito policial
inquerito policialinquerito policial
inquerito policial
 
Marco Regulatório das Investigações Criminais no Brasil (PL 5776/2013)
Marco Regulatório das Investigações Criminais no Brasil (PL 5776/2013)Marco Regulatório das Investigações Criminais no Brasil (PL 5776/2013)
Marco Regulatório das Investigações Criminais no Brasil (PL 5776/2013)
 
Caderno de questσes oab processo penal
Caderno de questσes oab processo penalCaderno de questσes oab processo penal
Caderno de questσes oab processo penal
 
Direito processual penal_robson_fachini_1
Direito processual penal_robson_fachini_1Direito processual penal_robson_fachini_1
Direito processual penal_robson_fachini_1
 
teoria de Thyrén no crime retrativo. antonio inacio ferraz
teoria de Thyrén no crime retrativo. antonio inacio ferrazteoria de Thyrén no crime retrativo. antonio inacio ferraz
teoria de Thyrén no crime retrativo. antonio inacio ferraz
 
Apostila direito processual penal/Luiz Flávio Gomes-antonio inacio ferraz
Apostila direito processual penal/Luiz Flávio Gomes-antonio inacio ferrazApostila direito processual penal/Luiz Flávio Gomes-antonio inacio ferraz
Apostila direito processual penal/Luiz Flávio Gomes-antonio inacio ferraz
 
Dpp i inquérito policial
Dpp i   inquérito policialDpp i   inquérito policial
Dpp i inquérito policial
 
Dpp i inquérito policial
Dpp i   inquérito policialDpp i   inquérito policial
Dpp i inquérito policial
 
Noções de direito processual penal 2014 agente-pf
Noções de direito processual penal 2014   agente-pfNoções de direito processual penal 2014   agente-pf
Noções de direito processual penal 2014 agente-pf
 
Processo penal davi_07004011_persecucao_penal1_parte1_finalizado_ead
Processo penal davi_07004011_persecucao_penal1_parte1_finalizado_eadProcesso penal davi_07004011_persecucao_penal1_parte1_finalizado_ead
Processo penal davi_07004011_persecucao_penal1_parte1_finalizado_ead
 
Aula 09 e aula 10 provas em espécie
Aula 09 e aula 10   provas em espécieAula 09 e aula 10   provas em espécie
Aula 09 e aula 10 provas em espécie
 
Inquerito Policial
Inquerito PolicialInquerito Policial
Inquerito Policial
 

Mais de direitoturmamanha

DPP II - Aula 01 - busca e apreensão
DPP II - Aula 01 -   busca e apreensãoDPP II - Aula 01 -   busca e apreensão
DPP II - Aula 01 - busca e apreensãodireitoturmamanha
 
DPP II - Aula 10 sigilo das comunicações-2015
DPP II - Aula 10   sigilo das comunicações-2015DPP II - Aula 10   sigilo das comunicações-2015
DPP II - Aula 10 sigilo das comunicações-2015direitoturmamanha
 
DPP II - Aula 11 prova pericial-2015
DPP II - Aula 11   prova pericial-2015DPP II - Aula 11   prova pericial-2015
DPP II - Aula 11 prova pericial-2015direitoturmamanha
 
Administrativo - Bens públicos (2)
Administrativo - Bens públicos (2)Administrativo - Bens públicos (2)
Administrativo - Bens públicos (2)direitoturmamanha
 
Administrativo - Bens públicos (1)
Administrativo - Bens públicos (1)Administrativo - Bens públicos (1)
Administrativo - Bens públicos (1)direitoturmamanha
 
Administrativo II - Utilização de bens públicos - espaços públicos
Administrativo II - Utilização de bens públicos - espaços públicosAdministrativo II - Utilização de bens públicos - espaços públicos
Administrativo II - Utilização de bens públicos - espaços públicosdireitoturmamanha
 
Estágio Civil - peça 02 procuração
Estágio Civil - peça 02   procuraçãoEstágio Civil - peça 02   procuração
Estágio Civil - peça 02 procuraçãodireitoturmamanha
 
Administrativo - Serviços públicos
Administrativo - Serviços públicosAdministrativo - Serviços públicos
Administrativo - Serviços públicosdireitoturmamanha
 
Estágio Civil - Contrato de honorários
Estágio Civil - Contrato de honoráriosEstágio Civil - Contrato de honorários
Estágio Civil - Contrato de honoráriosdireitoturmamanha
 
DPP II - Aula 2 - prisão em flagrante
DPP II - Aula 2 - prisão em flagranteDPP II - Aula 2 - prisão em flagrante
DPP II - Aula 2 - prisão em flagrantedireitoturmamanha
 
DPP II - Aula 5 - outras medidas cautelares
DPP II - Aula 5 - outras medidas cautelaresDPP II - Aula 5 - outras medidas cautelares
DPP II - Aula 5 - outras medidas cautelaresdireitoturmamanha
 
DPP II - Aula 4 - temporária
DPP II - Aula 4 - temporáriaDPP II - Aula 4 - temporária
DPP II - Aula 4 - temporáriadireitoturmamanha
 
DPP II - Aula 3 - preventiva
DPP II - Aula 3 - preventivaDPP II - Aula 3 - preventiva
DPP II - Aula 3 - preventivadireitoturmamanha
 
Estágio II - Pensando direito - direito ao lazer e a desconexão do trabalho c...
Estágio II - Pensando direito - direito ao lazer e a desconexão do trabalho c...Estágio II - Pensando direito - direito ao lazer e a desconexão do trabalho c...
Estágio II - Pensando direito - direito ao lazer e a desconexão do trabalho c...direitoturmamanha
 
Estágio II - O direito ao lazer nas relações de trabalho
Estágio II - O direito ao lazer nas relações de trabalhoEstágio II - O direito ao lazer nas relações de trabalho
Estágio II - O direito ao lazer nas relações de trabalhodireitoturmamanha
 

Mais de direitoturmamanha (20)

DPP II - Aula 01 - busca e apreensão
DPP II - Aula 01 -   busca e apreensãoDPP II - Aula 01 -   busca e apreensão
DPP II - Aula 01 - busca e apreensão
 
DPP II - Delação premiada
DPP II - Delação premiadaDPP II - Delação premiada
DPP II - Delação premiada
 
DPP II - Aula 10 sigilo das comunicações-2015
DPP II - Aula 10   sigilo das comunicações-2015DPP II - Aula 10   sigilo das comunicações-2015
DPP II - Aula 10 sigilo das comunicações-2015
 
DPP II - Aula 11 prova pericial-2015
DPP II - Aula 11   prova pericial-2015DPP II - Aula 11   prova pericial-2015
DPP II - Aula 11 prova pericial-2015
 
Administrativo - Bens públicos (2)
Administrativo - Bens públicos (2)Administrativo - Bens públicos (2)
Administrativo - Bens públicos (2)
 
Administrativo - Bens públicos (1)
Administrativo - Bens públicos (1)Administrativo - Bens públicos (1)
Administrativo - Bens públicos (1)
 
Administrativo II - Utilização de bens públicos - espaços públicos
Administrativo II - Utilização de bens públicos - espaços públicosAdministrativo II - Utilização de bens públicos - espaços públicos
Administrativo II - Utilização de bens públicos - espaços públicos
 
Civil IV - direitos reais
Civil IV - direitos reaisCivil IV - direitos reais
Civil IV - direitos reais
 
Estágio Civil - peça 02 procuração
Estágio Civil - peça 02   procuraçãoEstágio Civil - peça 02   procuração
Estágio Civil - peça 02 procuração
 
Civil IV - Da Posse
Civil IV - Da PosseCivil IV - Da Posse
Civil IV - Da Posse
 
DPP - Aula 7 - da prova
DPP - Aula 7 - da provaDPP - Aula 7 - da prova
DPP - Aula 7 - da prova
 
DPP - Aula 6 - fiança
DPP - Aula 6 - fiançaDPP - Aula 6 - fiança
DPP - Aula 6 - fiança
 
Administrativo - Serviços públicos
Administrativo - Serviços públicosAdministrativo - Serviços públicos
Administrativo - Serviços públicos
 
Estágio Civil - Contrato de honorários
Estágio Civil - Contrato de honoráriosEstágio Civil - Contrato de honorários
Estágio Civil - Contrato de honorários
 
DPP II - Aula 2 - prisão em flagrante
DPP II - Aula 2 - prisão em flagranteDPP II - Aula 2 - prisão em flagrante
DPP II - Aula 2 - prisão em flagrante
 
DPP II - Aula 5 - outras medidas cautelares
DPP II - Aula 5 - outras medidas cautelaresDPP II - Aula 5 - outras medidas cautelares
DPP II - Aula 5 - outras medidas cautelares
 
DPP II - Aula 4 - temporária
DPP II - Aula 4 - temporáriaDPP II - Aula 4 - temporária
DPP II - Aula 4 - temporária
 
DPP II - Aula 3 - preventiva
DPP II - Aula 3 - preventivaDPP II - Aula 3 - preventiva
DPP II - Aula 3 - preventiva
 
Estágio II - Pensando direito - direito ao lazer e a desconexão do trabalho c...
Estágio II - Pensando direito - direito ao lazer e a desconexão do trabalho c...Estágio II - Pensando direito - direito ao lazer e a desconexão do trabalho c...
Estágio II - Pensando direito - direito ao lazer e a desconexão do trabalho c...
 
Estágio II - O direito ao lazer nas relações de trabalho
Estágio II - O direito ao lazer nas relações de trabalhoEstágio II - O direito ao lazer nas relações de trabalho
Estágio II - O direito ao lazer nas relações de trabalho
 

Último

activIDADES CUENTO lobo esta CUENTO CUARTO GRADO
activIDADES CUENTO  lobo esta  CUENTO CUARTO GRADOactivIDADES CUENTO  lobo esta  CUENTO CUARTO GRADO
activIDADES CUENTO lobo esta CUENTO CUARTO GRADOcarolinacespedes23
 
Apresentação | Eleições Europeias 2024-2029
Apresentação | Eleições Europeias 2024-2029Apresentação | Eleições Europeias 2024-2029
Apresentação | Eleições Europeias 2024-2029Centro Jacques Delors
 
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdf
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdfBRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdf
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdfHenrique Pontes
 
Programa de Intervenção com Habilidades Motoras
Programa de Intervenção com Habilidades MotorasPrograma de Intervenção com Habilidades Motoras
Programa de Intervenção com Habilidades MotorasCassio Meira Jr.
 
Época Realista y la obra de Madame Bovary.
Época Realista y la obra de Madame Bovary.Época Realista y la obra de Madame Bovary.
Época Realista y la obra de Madame Bovary.keislayyovera123
 
Cenários de Aprendizagem - Estratégia para implementação de práticas pedagógicas
Cenários de Aprendizagem - Estratégia para implementação de práticas pedagógicasCenários de Aprendizagem - Estratégia para implementação de práticas pedagógicas
Cenários de Aprendizagem - Estratégia para implementação de práticas pedagógicasRosalina Simão Nunes
 
ATIVIDADE AVALIATIVA VOZES VERBAIS 7º ano.pptx
ATIVIDADE AVALIATIVA VOZES VERBAIS 7º ano.pptxATIVIDADE AVALIATIVA VOZES VERBAIS 7º ano.pptx
ATIVIDADE AVALIATIVA VOZES VERBAIS 7º ano.pptxOsnilReis1
 
UFCD_10392_Intervenção em populações de risco_índice .pdf
UFCD_10392_Intervenção em populações de risco_índice .pdfUFCD_10392_Intervenção em populações de risco_índice .pdf
UFCD_10392_Intervenção em populações de risco_índice .pdfManuais Formação
 
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdfDIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdfIedaGoethe
 
02. Informática - Windows 10 apostila completa.pdf
02. Informática - Windows 10 apostila completa.pdf02. Informática - Windows 10 apostila completa.pdf
02. Informática - Windows 10 apostila completa.pdfJorge Andrade
 
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chaveAula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chaveaulasgege
 
A experiência amorosa e a reflexão sobre o Amor.pptx
A experiência amorosa e a reflexão sobre o Amor.pptxA experiência amorosa e a reflexão sobre o Amor.pptx
A experiência amorosa e a reflexão sobre o Amor.pptxfabiolalopesmartins1
 
Modelos de Desenvolvimento Motor - Gallahue, Newell e Tani
Modelos de Desenvolvimento Motor - Gallahue, Newell e TaniModelos de Desenvolvimento Motor - Gallahue, Newell e Tani
Modelos de Desenvolvimento Motor - Gallahue, Newell e TaniCassio Meira Jr.
 
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024Sandra Pratas
 
trabalho wanda rocha ditadura
trabalho wanda rocha ditaduratrabalho wanda rocha ditadura
trabalho wanda rocha ditaduraAdryan Luiz
 
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANO
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANOInvestimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANO
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANOMarcosViniciusLemesL
 
cartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdf
cartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdfcartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdf
cartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdfIedaGoethe
 
ALMANANHE DE BRINCADEIRAS - 500 atividades escolares
ALMANANHE DE BRINCADEIRAS - 500 atividades escolaresALMANANHE DE BRINCADEIRAS - 500 atividades escolares
ALMANANHE DE BRINCADEIRAS - 500 atividades escolaresLilianPiola
 
Simulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdf
Simulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdfSimulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdf
Simulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdfEditoraEnovus
 

Último (20)

activIDADES CUENTO lobo esta CUENTO CUARTO GRADO
activIDADES CUENTO  lobo esta  CUENTO CUARTO GRADOactivIDADES CUENTO  lobo esta  CUENTO CUARTO GRADO
activIDADES CUENTO lobo esta CUENTO CUARTO GRADO
 
Apresentação | Eleições Europeias 2024-2029
Apresentação | Eleições Europeias 2024-2029Apresentação | Eleições Europeias 2024-2029
Apresentação | Eleições Europeias 2024-2029
 
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdf
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdfBRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdf
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdf
 
Programa de Intervenção com Habilidades Motoras
Programa de Intervenção com Habilidades MotorasPrograma de Intervenção com Habilidades Motoras
Programa de Intervenção com Habilidades Motoras
 
Época Realista y la obra de Madame Bovary.
Época Realista y la obra de Madame Bovary.Época Realista y la obra de Madame Bovary.
Época Realista y la obra de Madame Bovary.
 
Cenários de Aprendizagem - Estratégia para implementação de práticas pedagógicas
Cenários de Aprendizagem - Estratégia para implementação de práticas pedagógicasCenários de Aprendizagem - Estratégia para implementação de práticas pedagógicas
Cenários de Aprendizagem - Estratégia para implementação de práticas pedagógicas
 
ATIVIDADE AVALIATIVA VOZES VERBAIS 7º ano.pptx
ATIVIDADE AVALIATIVA VOZES VERBAIS 7º ano.pptxATIVIDADE AVALIATIVA VOZES VERBAIS 7º ano.pptx
ATIVIDADE AVALIATIVA VOZES VERBAIS 7º ano.pptx
 
UFCD_10392_Intervenção em populações de risco_índice .pdf
UFCD_10392_Intervenção em populações de risco_índice .pdfUFCD_10392_Intervenção em populações de risco_índice .pdf
UFCD_10392_Intervenção em populações de risco_índice .pdf
 
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdfDIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
 
02. Informática - Windows 10 apostila completa.pdf
02. Informática - Windows 10 apostila completa.pdf02. Informática - Windows 10 apostila completa.pdf
02. Informática - Windows 10 apostila completa.pdf
 
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chaveAula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
 
A experiência amorosa e a reflexão sobre o Amor.pptx
A experiência amorosa e a reflexão sobre o Amor.pptxA experiência amorosa e a reflexão sobre o Amor.pptx
A experiência amorosa e a reflexão sobre o Amor.pptx
 
Modelos de Desenvolvimento Motor - Gallahue, Newell e Tani
Modelos de Desenvolvimento Motor - Gallahue, Newell e TaniModelos de Desenvolvimento Motor - Gallahue, Newell e Tani
Modelos de Desenvolvimento Motor - Gallahue, Newell e Tani
 
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
 
trabalho wanda rocha ditadura
trabalho wanda rocha ditaduratrabalho wanda rocha ditadura
trabalho wanda rocha ditadura
 
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANO
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANOInvestimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANO
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANO
 
cartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdf
cartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdfcartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdf
cartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdf
 
Orientação Técnico-Pedagógica EMBcae Nº 001, de 16 de abril de 2024
Orientação Técnico-Pedagógica EMBcae Nº 001, de 16 de abril de 2024Orientação Técnico-Pedagógica EMBcae Nº 001, de 16 de abril de 2024
Orientação Técnico-Pedagógica EMBcae Nº 001, de 16 de abril de 2024
 
ALMANANHE DE BRINCADEIRAS - 500 atividades escolares
ALMANANHE DE BRINCADEIRAS - 500 atividades escolaresALMANANHE DE BRINCADEIRAS - 500 atividades escolares
ALMANANHE DE BRINCADEIRAS - 500 atividades escolares
 
Simulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdf
Simulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdfSimulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdf
Simulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdf
 

INQUÉRITO POLICIAL: PROCEDIMENTOS E CARACTERÍSTICAS

  • 2. 1. Noções introdutórias O A) ação penal pública (condicionada e incondicionada) O B) ação penal privada O C) ação penal e “fumus boni juris” (“fumus delicti”).
  • 3. 2. Conceito de inquérito policial  É o conjunto de diligências realizadas pela Polícia Judiciária para a apuração de uma infração penal e de sua autoria, a fim de que o titular da ação penal possa ingressar em Juízo.
  • 4. 3. Características a) Oficialidade b) Obrigatoriedade c) Indisponibilidade d) Dispensabilidade e) Sigilo f) Procedimento inquisitivo g) Procedimento escrito
  • 5. a) Oficialidade O A investigação deve ser realizada por órgãos oficiais, e não pode ficar a cargo do particular, mesmo nos casos de ação privada
  • 6. b) Obrigatoriedade  Para a autoridade policial, o inquérito é obrigatório: tomando conhecimento, de qualquer modo, da infração penal, a autoridade DEVE instaurar o inquérito (“mandará”, “deverá”).  Exceções: a) Quando o fato for atípico; b) Quando já estiver extinta a punibilidade; c) Quando não dispuser de um mínimo de elementos que o habilitem a iniciar uma investigação idônea.
  • 7. c) Indisponibilidade O Uma vez instaurado, o inquérito não pode ser arquivado pela autoridade policial (art. 17 do CPP).
  • 8. d) Dispensabilidade O O inquérito policial não é indispensável; O O titular da ação penal (o Ministério Público ou o ofendido) pode ingressar com a ação penal sem inquérito, desde que disponha de outros elementos de convicção. O Exemplos mais comuns: a) Sonegação fiscal; b) Falso testemunho; c) Processo administrativo disciplinar; d) Inquérito civil.
  • 9. e) sigilo  Art. 20 do CPP  Aplica-se ao advogado?  Art. 7o , XIV, da Lei 8906/94 (Estatuto da OAB).  STF, Súmula vinculante 14: É direito do defensor, no interesse do representado, ter acesso amplo aos elementos de prova que, já documentados em procedimento investigatório realizado por órgão com competência de polícia judiciária, digam respeito ao exercício do direito de defesa.  E se o Delegado não permitir o acesso do advogado?
  • 10. e) sigilo  A questão da incomunicabilidade (art. 21 do CPP)  Não se aplica ao advogado  Para uns, é inconstitucional: art. 5º, LXII (comunicaçõ da prisão à família) e LXIII (assistência da família).  Para outros, não (exemplo: RDD), desde que não exceda a três dias e haja decisão fundamentada.
  • 11. f) Procedimento inquisitivo O Discricionariedade da autoridade O Não há contraditório no inquérito policial (exceção: inquérito instaurado pela PF, a pedido do Ministro da Justiça, para expulsão de estrangeiro – Lei 6.815/80, art. 70). O Ampla defesa: advogado pode peticionar
  • 12. g) Procedimento escrito O Art. 9o. do CPP: “Todas as peças do inquérito policial serão, num só processado, reduzidas a escrito ou datilografadas e, neste caso, rubricadas pela autoridade”.
  • 13. 4. Polícia Judiciária Possui função auxiliar à Justiça; tem a finalidade de apurar as infrações penais, a fim de fornecer ao titular da ação penal elementos para propô-la. Polícia Judiciária da União: Polícia Federal (art. 144, par. 1o, IV, da CF) Nos Estados: polícia civil (art. 144, par. 4o, da CF). Polícia Militar: policiamento ostensivo e preservação da ordem pública (art. 144, par. 5o, da CF)
  • 14. 5. Inquéritos extrapoliciais  Art. 4o., par. único, do CPP: “A competência definida neste artigo não excluirá a de autoridades administrativas, a que por lei seja cometida a mesma função”.  Inquéritos instaurados para apurar crimes militares.  Investigações realizadas pelas CPIs (art. 58, par. 3o, da CF- 88).  Inquérito por crime cometido no STF ou no Congresso Nacional.  Crime cometido por juiz (art. 33, par. Único, da LOMAN) – Tribunal ou Órgão Especial.  Crime cometido por membro do Ministério Público (art. 41, par. único, da LONMP) – Procurador-geral.
  • 15. 6. Investigação pelo MP  “Como se sabe, a Constituição Federal, em seu artigo 129, I, atribui, privativamente, ao Ministério Público promover a ação penal pública. Essa atividade depende, para o seu efetivo exercício, da colheita de elementos que demonstrem a certeza da existência do crime e indícios de que o denunciado é o seu autor. Entender-se que a investigação desses fatos é atribuição exclusiva da polícia judiciária, seria incorrer-se em impropriedade, já que o titular da ação é o Órgão Ministerial” (STJ, 5a. T., rel. Min. Jorge Scartezzini, j. 7-2-2002, DJ, 26- ago.2002, p. 271)
  • 16. 7. Valor probatório O Inquérito é peça informativa, em que não há contraditório. O Valor probatório é relativo. O “Não se justifica decisão condenatória apoiada exclusivamente em inquérito policial pois se viola o princípio constitucional do contrditório” (STF, RTJ 59- 786).
  • 17. 8. Vícios no inquérito policial O As irregularidades porventura existentes no inquérito policial NÃO ACARRETAM NULIDADE, mas podem interferir no valor das provas colhidas.
  • 18. 9. Início do inquérito policial - 9.1 Nos crimes de ação pública incondicionada. - 9.2. Nos crimes de ação pública condicionada. - 9.3. Nos crimes de ação privada. - 9.4. Em todos os casos: auto de prisão em flagrante.
  • 19. 9.1 Nos crimes de ação pública incondicionada. - De ofício (portaria ou auto de prisão em flagrante). A “delatio criminis”. - Por requerimento do ofendido. - Por requisição da autoridade judiciária ou do Ministério Público.
  • 20. 9.2. Nos crimes de ação pública condicionada. - Representação do ofendido. - Requisição do Ministro da Justiça.
  • 21. 9.2.1. Conceito de representação Manifestação de vontade do ofendido ou de seu representante legal no sentido de autorizar o ajuizamento da ação penal nos crimes de ação penal pública condicionada. Crimes de ação pública condicionada: a própria lei os define, através de uma fórmula como: “somente se procede mediante representação” (art. 147 do CP).
  • 22. 9.3. Nos crimes de ação privada. - Requerimento do ofendido ou de seu representante legal.
  • 23. 9.4. Em todos os casos: auto de prisão em flagrante.