SlideShare uma empresa Scribd logo
Português – 12º ano – Turma A


      O poema "Pobre velha música" é um poema ortónimo de Fernando Pessoa, sem data, mas publicado na Revista
                                                                                                                             Orientações de leitura:
      Athena, em Dezembro de 1924.
      Como em muitos outros poemas ortónimos (escritos em seu próprio nome), Pessoa usa a temática da sua                     Divisão do poema em partes lógicas; apresentação de frases-simples.
      infância, em contraposição com o presente, considerando sempre a infância como um "período dourado" da sua
      vida, que já não vai regressar. Neste caso é a "pobre velha música" que simboliza esse período. Sabemos aliás
                                                                                                                              Sentimentos despertados pela “Pobre velha música” no Eu poético;
      que a mãe de Pessoa tocava piano, e há mesmo um poema extremamente tocante que fala explicitamente da sua
      mãe a tocar: http://arquivopessoa.net/textos/89.                                                                       interpretação dos versos 3 e 4.
      Pobre velha música!
      Não sei porque agrado,                                                                                                  Esclarecimento da relação cúmplice entre a “Pobre velha música” e a
      Enche-se de lágrimas
                                                                                                                             infância do Eu lírico.
      Meu olhar parado.
      Inicialmente Pessoa introduz-nos ao tema do poema, lembrando a "velha música", provavelmente tocada pela sua
      mãe na sua infância, talvez ainda antes de sair de Lisboa para Durban. A lembrança, embora seja talvez de um            Expressão intensa do estado emocional do sujeito poético: análise
      período feliz, traz-lhe uma grande tristeza, porque está associada a uma idade perdida, que nunca mais                 estilística da 3ª estrofe (expressividade); a retroação do passado no real;
      regressará. O início do poema traduz também o uso de duas figuras de estilo, personificação e hipérbole (a "pobre      explicação do significado do último verso (v 12).
      e velha música"). A parte final do poema parece conter uma anástrofe: troca da ordem das palavras, quando
      normalmente se diria "o meu olhar parado enche-se de lágrimas".
      Recordo outro ouvir-te.                                                                                                 Justificação do título.
      Não sei se te ouvi
      Nessa minha infância                                                                                                    Análise formal; ritmo e musicalidade
      Que me lembra em ti.
      Pessoa, ao recordar, no entanto, sente uma estranheza comum. O facto é que é ele que sente, mas quem na
      realidade sentiu verdadeiramente o sentido da música foi ele mas numa outra idade. A lembrança é como se fosse uma experiência em segunda mão, que só pode ser estranha à verdade do
      que se sente. O "outro" era ele enquanto criança, e ele recorda-se dele próprio enquanto criança a ouvir a música. Há aqui, mesmo que de maneira menos óbvia, uma antítese entre passado
      e presente.
      Com que ânsia tão raiva
      Quero aquele outrora!
      E eu era feliz? Não sei:
      Fui-o outrora agora.
      Pessoa deseja o regresso ao passado, mas sabe esse regresso impossível. Mas simultaneamente ele tem consciência que mesmo que conseguisse regressar não conseguiria ser feliz agora.
      O seu desejo projeta-se num plano temporal impossível de realizar: ele ser criança então, mas adulto agora, ao mesmo tempo. O paradoxo é explícito quando ele diz: "fui-o outrora agora”.

      Esta composição poética é constituída por três quadras de versos de seis sílabas métricas (hexassílabos).
      Na primeira estrofe, o sujeito poético realça a temática da infância que não é mais do que um paraíso perdido. Isto faz com que ele apresente sentimentos de angústia e nostalgia (quando
      ouve a música, lembra-se do passado em que também a ouvia, e chora com saudades desse tempo). No primeiro verso desta estrofe, encontramos uma dupla-adjetivação anteposta (“Pobre
      velha música!” – a infância já está longe e o hábito de ouvir música também)
      A segunda estrofe é iniciada com a recordação de tempos passados, onde ouvia a música com outros sentimentos. Existe uma dúvida constante pois como a sua infância não foi alegre, o
      sujeito lírico acha que não a viveu.
      Na terceira estrofe, o poeta revela o desejo de regressar ao passado talvez devido ao facto de não ter tido infância e pretender ver como ela é. São utilizadas exclamações e interrogações
      emotivas, às quais se seguem um oximoro que traduz novamente a dúvida acerca do passado. O último verso “Fui-o outrora agora.”, simboliza a fusão entre o passado e o presente.


                                                                                                                                                                                     ANO LECTIVO 2011-2012

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Análise ela canta pobre ceifeira alunos
Análise ela canta pobre ceifeira   alunosAnálise ela canta pobre ceifeira   alunos
Análise ela canta pobre ceifeira alunos
Paulo Portelada
 
Infancia_e_nostalgia
Infancia_e_nostalgiaInfancia_e_nostalgia
Infancia_e_nostalgia
andreamaciel
 
Gato que brincas na rua
Gato que brincas na ruaGato que brincas na rua
Gato que brincas na rua
estado
 
Síntese fernando pessoa
Síntese fernando pessoaSíntese fernando pessoa
Síntese fernando pessoa
lenaeira
 
Apresentação para décimo segundo ano de 2013 4, aula 78-79
Apresentação para décimo segundo ano de 2013 4, aula 78-79Apresentação para décimo segundo ano de 2013 4, aula 78-79
Apresentação para décimo segundo ano de 2013 4, aula 78-79
luisprista
 
Apresentação para décimo segundo ano de 2013 4, aula 82
Apresentação para décimo segundo ano de 2013 4, aula 82Apresentação para décimo segundo ano de 2013 4, aula 82
Apresentação para décimo segundo ano de 2013 4, aula 82
luisprista
 
Pessoa ortónimo e heterónimos
Pessoa   ortónimo e heterónimosPessoa   ortónimo e heterónimos
Pessoa ortónimo e heterónimos
António Fraga
 
S. Leonardo da Galafura
S. Leonardo da GalafuraS. Leonardo da Galafura
S. Leonardo da Galafura
Vitor Peixoto
 
Jorge de sena
Jorge de senaJorge de sena
Jorge de sena
Januário Esteves
 
Análise do poema cecília meireles
Análise do poema  cecília meirelesAnálise do poema  cecília meireles
Análise do poema cecília meireles
Paula Angelo
 
Análise de poemas
Análise de poemasAnálise de poemas
Análise de poemas
Ana Clara San
 
Prosa e verso
Prosa e versoProsa e verso
Prosa e verso
ma.no.el.ne.ves
 
áLvaro de campos
áLvaro de camposáLvaro de campos
áLvaro de campos
Ualas Magalhães
 
características temáticas de Fernando Pessoa - ortónimo
características temáticas de Fernando Pessoa - ortónimocaracterísticas temáticas de Fernando Pessoa - ortónimo
características temáticas de Fernando Pessoa - ortónimo
Dina Baptista
 
Análise de textos poéticos
Análise de textos poéticosAnálise de textos poéticos
Análise de textos poéticos
José Alexandre Dos Santos
 
Plano de aula prosa e poesia (4° bimestre)
Plano de aula prosa e poesia (4° bimestre) Plano de aula prosa e poesia (4° bimestre)
Plano de aula prosa e poesia (4° bimestre)
JH COSTA
 
Análise de poemas de Fernando Pessoa
Análise de poemas de Fernando PessoaAnálise de poemas de Fernando Pessoa
Análise de poemas de Fernando Pessoa
Margarida Rodrigues
 
Prosa e Poesia
Prosa e PoesiaProsa e Poesia
Prosa e Poesia
Marcos Feliciano
 
Analise de poemas
Analise de poemasAnalise de poemas
Analise de poemas
Paula CAA
 
resumos
resumosresumos
resumos
Diogo Tavares
 

Mais procurados (20)

Análise ela canta pobre ceifeira alunos
Análise ela canta pobre ceifeira   alunosAnálise ela canta pobre ceifeira   alunos
Análise ela canta pobre ceifeira alunos
 
Infancia_e_nostalgia
Infancia_e_nostalgiaInfancia_e_nostalgia
Infancia_e_nostalgia
 
Gato que brincas na rua
Gato que brincas na ruaGato que brincas na rua
Gato que brincas na rua
 
Síntese fernando pessoa
Síntese fernando pessoaSíntese fernando pessoa
Síntese fernando pessoa
 
Apresentação para décimo segundo ano de 2013 4, aula 78-79
Apresentação para décimo segundo ano de 2013 4, aula 78-79Apresentação para décimo segundo ano de 2013 4, aula 78-79
Apresentação para décimo segundo ano de 2013 4, aula 78-79
 
Apresentação para décimo segundo ano de 2013 4, aula 82
Apresentação para décimo segundo ano de 2013 4, aula 82Apresentação para décimo segundo ano de 2013 4, aula 82
Apresentação para décimo segundo ano de 2013 4, aula 82
 
Pessoa ortónimo e heterónimos
Pessoa   ortónimo e heterónimosPessoa   ortónimo e heterónimos
Pessoa ortónimo e heterónimos
 
S. Leonardo da Galafura
S. Leonardo da GalafuraS. Leonardo da Galafura
S. Leonardo da Galafura
 
Jorge de sena
Jorge de senaJorge de sena
Jorge de sena
 
Análise do poema cecília meireles
Análise do poema  cecília meirelesAnálise do poema  cecília meireles
Análise do poema cecília meireles
 
Análise de poemas
Análise de poemasAnálise de poemas
Análise de poemas
 
Prosa e verso
Prosa e versoProsa e verso
Prosa e verso
 
áLvaro de campos
áLvaro de camposáLvaro de campos
áLvaro de campos
 
características temáticas de Fernando Pessoa - ortónimo
características temáticas de Fernando Pessoa - ortónimocaracterísticas temáticas de Fernando Pessoa - ortónimo
características temáticas de Fernando Pessoa - ortónimo
 
Análise de textos poéticos
Análise de textos poéticosAnálise de textos poéticos
Análise de textos poéticos
 
Plano de aula prosa e poesia (4° bimestre)
Plano de aula prosa e poesia (4° bimestre) Plano de aula prosa e poesia (4° bimestre)
Plano de aula prosa e poesia (4° bimestre)
 
Análise de poemas de Fernando Pessoa
Análise de poemas de Fernando PessoaAnálise de poemas de Fernando Pessoa
Análise de poemas de Fernando Pessoa
 
Prosa e Poesia
Prosa e PoesiaProsa e Poesia
Prosa e Poesia
 
Analise de poemas
Analise de poemasAnalise de poemas
Analise de poemas
 
resumos
resumosresumos
resumos
 

Semelhante a Ficha de trabalho, analise poema

Ficha de trabalho orientação poema
Ficha de trabalho orientação poemaFicha de trabalho orientação poema
Ficha de trabalho orientação poema
Diogo Tavares
 
Ecos De Poe - traduções de "The Raven" para a língua portuguesa
Ecos De Poe - traduções de "The Raven" para a língua portuguesaEcos De Poe - traduções de "The Raven" para a língua portuguesa
Ecos De Poe - traduções de "The Raven" para a língua portuguesa
Mariana Klafke
 
Função do paralelismo nas cantigas (trovadorismo)
Função do paralelismo nas cantigas (trovadorismo)Função do paralelismo nas cantigas (trovadorismo)
Função do paralelismo nas cantigas (trovadorismo)
Andriane Cursino
 
ApresentaçãO Para DéCimo Segundo Ano, Aula 42
ApresentaçãO Para DéCimo Segundo Ano, Aula 42ApresentaçãO Para DéCimo Segundo Ano, Aula 42
ApresentaçãO Para DéCimo Segundo Ano, Aula 42
luisprista
 
Apresentação para décimo segundo ano de 2016 7, aula 8-9
Apresentação para décimo segundo ano de 2016 7, aula 8-9Apresentação para décimo segundo ano de 2016 7, aula 8-9
Apresentação para décimo segundo ano de 2016 7, aula 8-9
luisprista
 
Análise poema a quem direi
Análise poema a quem direiAnálise poema a quem direi
Análise poema a quem direi
Josete Perdigao
 
Ap bandeira
Ap bandeiraAp bandeira
Ap bandeira
maariane27
 
Apresentação para décimo segundo ano de 2016 7, aula 84-85
Apresentação para décimo segundo ano de 2016 7, aula 84-85Apresentação para décimo segundo ano de 2016 7, aula 84-85
Apresentação para décimo segundo ano de 2016 7, aula 84-85
luisprista
 
Apresentação para décimo segundo ano de 2013 4, aula 13-14
Apresentação para décimo segundo ano de 2013 4, aula 13-14Apresentação para décimo segundo ano de 2013 4, aula 13-14
Apresentação para décimo segundo ano de 2013 4, aula 13-14
luisprista
 
Apresentação para décimo segundo ano, aula 4
Apresentação para décimo segundo ano, aula 4Apresentação para décimo segundo ano, aula 4
Apresentação para décimo segundo ano, aula 4
luisprista
 
"Regresso às fragas" de Miguel Torga
"Regresso às fragas" de Miguel Torga"Regresso às fragas" de Miguel Torga
"Regresso às fragas" de Miguel Torga
Mateus Ferraz
 
Apresentação para décimo segundo ano, aula 2
Apresentação para décimo segundo ano, aula 2Apresentação para décimo segundo ano, aula 2
Apresentação para décimo segundo ano, aula 2
luisprista
 
Fernando Pessoa Nostalgia da Infância
Fernando Pessoa Nostalgia da InfânciaFernando Pessoa Nostalgia da Infância
Fernando Pessoa Nostalgia da Infância
Samuel Neves
 
Apresentação Escolar - Manuel Bandeira e Obras
Apresentação Escolar - Manuel Bandeira e ObrasApresentação Escolar - Manuel Bandeira e Obras
Apresentação Escolar - Manuel Bandeira e Obras
Jhonatan Holanda
 
Tropicalia caetano veloso
Tropicalia caetano velosoTropicalia caetano veloso
Tropicalia caetano veloso
Nome Sobrenome
 
Tropicalia caetano veloso
Tropicalia caetano velosoTropicalia caetano veloso
Tropicalia caetano veloso
Elvis Live
 
Poemas Camoes - JG, VR, L (1).pptx
Poemas Camoes - JG, VR, L (1).pptxPoemas Camoes - JG, VR, L (1).pptx
Poemas Camoes - JG, VR, L (1).pptx
Colégio Waldorf Micael
 
Segunda aplicação do enem 2011, literatura
Segunda aplicação do enem 2011, literaturaSegunda aplicação do enem 2011, literatura
Segunda aplicação do enem 2011, literatura
ma.no.el.ne.ves
 
poemas.pdf
poemas.pdfpoemas.pdf
poemas.pdf
Eloisa Braga
 
Apresentação para décimo segundo ano de 2013 4, aula 41-42
Apresentação para décimo segundo ano de 2013 4, aula 41-42Apresentação para décimo segundo ano de 2013 4, aula 41-42
Apresentação para décimo segundo ano de 2013 4, aula 41-42
luisprista
 

Semelhante a Ficha de trabalho, analise poema (20)

Ficha de trabalho orientação poema
Ficha de trabalho orientação poemaFicha de trabalho orientação poema
Ficha de trabalho orientação poema
 
Ecos De Poe - traduções de "The Raven" para a língua portuguesa
Ecos De Poe - traduções de "The Raven" para a língua portuguesaEcos De Poe - traduções de "The Raven" para a língua portuguesa
Ecos De Poe - traduções de "The Raven" para a língua portuguesa
 
Função do paralelismo nas cantigas (trovadorismo)
Função do paralelismo nas cantigas (trovadorismo)Função do paralelismo nas cantigas (trovadorismo)
Função do paralelismo nas cantigas (trovadorismo)
 
ApresentaçãO Para DéCimo Segundo Ano, Aula 42
ApresentaçãO Para DéCimo Segundo Ano, Aula 42ApresentaçãO Para DéCimo Segundo Ano, Aula 42
ApresentaçãO Para DéCimo Segundo Ano, Aula 42
 
Apresentação para décimo segundo ano de 2016 7, aula 8-9
Apresentação para décimo segundo ano de 2016 7, aula 8-9Apresentação para décimo segundo ano de 2016 7, aula 8-9
Apresentação para décimo segundo ano de 2016 7, aula 8-9
 
Análise poema a quem direi
Análise poema a quem direiAnálise poema a quem direi
Análise poema a quem direi
 
Ap bandeira
Ap bandeiraAp bandeira
Ap bandeira
 
Apresentação para décimo segundo ano de 2016 7, aula 84-85
Apresentação para décimo segundo ano de 2016 7, aula 84-85Apresentação para décimo segundo ano de 2016 7, aula 84-85
Apresentação para décimo segundo ano de 2016 7, aula 84-85
 
Apresentação para décimo segundo ano de 2013 4, aula 13-14
Apresentação para décimo segundo ano de 2013 4, aula 13-14Apresentação para décimo segundo ano de 2013 4, aula 13-14
Apresentação para décimo segundo ano de 2013 4, aula 13-14
 
Apresentação para décimo segundo ano, aula 4
Apresentação para décimo segundo ano, aula 4Apresentação para décimo segundo ano, aula 4
Apresentação para décimo segundo ano, aula 4
 
"Regresso às fragas" de Miguel Torga
"Regresso às fragas" de Miguel Torga"Regresso às fragas" de Miguel Torga
"Regresso às fragas" de Miguel Torga
 
Apresentação para décimo segundo ano, aula 2
Apresentação para décimo segundo ano, aula 2Apresentação para décimo segundo ano, aula 2
Apresentação para décimo segundo ano, aula 2
 
Fernando Pessoa Nostalgia da Infância
Fernando Pessoa Nostalgia da InfânciaFernando Pessoa Nostalgia da Infância
Fernando Pessoa Nostalgia da Infância
 
Apresentação Escolar - Manuel Bandeira e Obras
Apresentação Escolar - Manuel Bandeira e ObrasApresentação Escolar - Manuel Bandeira e Obras
Apresentação Escolar - Manuel Bandeira e Obras
 
Tropicalia caetano veloso
Tropicalia caetano velosoTropicalia caetano veloso
Tropicalia caetano veloso
 
Tropicalia caetano veloso
Tropicalia caetano velosoTropicalia caetano veloso
Tropicalia caetano veloso
 
Poemas Camoes - JG, VR, L (1).pptx
Poemas Camoes - JG, VR, L (1).pptxPoemas Camoes - JG, VR, L (1).pptx
Poemas Camoes - JG, VR, L (1).pptx
 
Segunda aplicação do enem 2011, literatura
Segunda aplicação do enem 2011, literaturaSegunda aplicação do enem 2011, literatura
Segunda aplicação do enem 2011, literatura
 
poemas.pdf
poemas.pdfpoemas.pdf
poemas.pdf
 
Apresentação para décimo segundo ano de 2013 4, aula 41-42
Apresentação para décimo segundo ano de 2013 4, aula 41-42Apresentação para décimo segundo ano de 2013 4, aula 41-42
Apresentação para décimo segundo ano de 2013 4, aula 41-42
 

Mais de Diogo Tavares

A conspiração
A conspiraçãoA conspiração
A conspiração
Diogo Tavares
 
ficha de leitura
ficha de leituraficha de leitura
ficha de leitura
Diogo Tavares
 
PNL
PNLPNL
Teste 1
Teste 1Teste 1
Teste 1
Diogo Tavares
 
Plano nacional de leitura
Plano nacional de leituraPlano nacional de leitura
Plano nacional de leitura
Diogo Tavares
 
Planificaçao anual
Planificaçao anualPlanificaçao anual
Planificaçao anual
Diogo Tavares
 
Matriz teste intermédio
Matriz teste intermédioMatriz teste intermédio
Matriz teste intermédio
Diogo Tavares
 
Matriz teste nº 2
Matriz teste nº 2Matriz teste nº 2
Matriz teste nº 2
Diogo Tavares
 
Matriz teste nº1
Matriz teste nº1Matriz teste nº1
Matriz teste nº1
Diogo Tavares
 
Informação geral teste intermédio
Informação geral teste intermédioInformação geral teste intermédio
Informação geral teste intermédio
Diogo Tavares
 
Grelha avaliação apresentações orais
Grelha avaliação apresentações oraisGrelha avaliação apresentações orais
Grelha avaliação apresentações orais
Diogo Tavares
 
Ficha de trabalho, analise poema
Ficha de trabalho, analise poemaFicha de trabalho, analise poema
Ficha de trabalho, analise poema
Diogo Tavares
 
Ficha de leitura
Ficha de leituraFicha de leitura
Ficha de leitura
Diogo Tavares
 
Ficha de avaliação formativa
Ficha de avaliação formativaFicha de avaliação formativa
Ficha de avaliação formativa
Diogo Tavares
 
Criterios de avaliaçao
Criterios de avaliaçaoCriterios de avaliaçao
Criterios de avaliaçao
Diogo Tavares
 
Correcção ficha de avaliação formativa
Correcção ficha de avaliação formativaCorrecção ficha de avaliação formativa
Correcção ficha de avaliação formativa
Diogo Tavares
 
Versificação
VersificaçãoVersificação
Versificação
Diogo Tavares
 
Plano nacional de leitura
Plano nacional de leituraPlano nacional de leitura
Plano nacional de leitura
Diogo Tavares
 
Planificaçao anual
Planificaçao anualPlanificaçao anual
Planificaçao anual
Diogo Tavares
 
Matriz teste intermédio
Matriz teste intermédioMatriz teste intermédio
Matriz teste intermédio
Diogo Tavares
 

Mais de Diogo Tavares (20)

A conspiração
A conspiraçãoA conspiração
A conspiração
 
ficha de leitura
ficha de leituraficha de leitura
ficha de leitura
 
PNL
PNLPNL
PNL
 
Teste 1
Teste 1Teste 1
Teste 1
 
Plano nacional de leitura
Plano nacional de leituraPlano nacional de leitura
Plano nacional de leitura
 
Planificaçao anual
Planificaçao anualPlanificaçao anual
Planificaçao anual
 
Matriz teste intermédio
Matriz teste intermédioMatriz teste intermédio
Matriz teste intermédio
 
Matriz teste nº 2
Matriz teste nº 2Matriz teste nº 2
Matriz teste nº 2
 
Matriz teste nº1
Matriz teste nº1Matriz teste nº1
Matriz teste nº1
 
Informação geral teste intermédio
Informação geral teste intermédioInformação geral teste intermédio
Informação geral teste intermédio
 
Grelha avaliação apresentações orais
Grelha avaliação apresentações oraisGrelha avaliação apresentações orais
Grelha avaliação apresentações orais
 
Ficha de trabalho, analise poema
Ficha de trabalho, analise poemaFicha de trabalho, analise poema
Ficha de trabalho, analise poema
 
Ficha de leitura
Ficha de leituraFicha de leitura
Ficha de leitura
 
Ficha de avaliação formativa
Ficha de avaliação formativaFicha de avaliação formativa
Ficha de avaliação formativa
 
Criterios de avaliaçao
Criterios de avaliaçaoCriterios de avaliaçao
Criterios de avaliaçao
 
Correcção ficha de avaliação formativa
Correcção ficha de avaliação formativaCorrecção ficha de avaliação formativa
Correcção ficha de avaliação formativa
 
Versificação
VersificaçãoVersificação
Versificação
 
Plano nacional de leitura
Plano nacional de leituraPlano nacional de leitura
Plano nacional de leitura
 
Planificaçao anual
Planificaçao anualPlanificaçao anual
Planificaçao anual
 
Matriz teste intermédio
Matriz teste intermédioMatriz teste intermédio
Matriz teste intermédio
 

Ficha de trabalho, analise poema

  • 1. Português – 12º ano – Turma A O poema "Pobre velha música" é um poema ortónimo de Fernando Pessoa, sem data, mas publicado na Revista Orientações de leitura: Athena, em Dezembro de 1924. Como em muitos outros poemas ortónimos (escritos em seu próprio nome), Pessoa usa a temática da sua  Divisão do poema em partes lógicas; apresentação de frases-simples. infância, em contraposição com o presente, considerando sempre a infância como um "período dourado" da sua vida, que já não vai regressar. Neste caso é a "pobre velha música" que simboliza esse período. Sabemos aliás  Sentimentos despertados pela “Pobre velha música” no Eu poético; que a mãe de Pessoa tocava piano, e há mesmo um poema extremamente tocante que fala explicitamente da sua mãe a tocar: http://arquivopessoa.net/textos/89. interpretação dos versos 3 e 4. Pobre velha música! Não sei porque agrado,  Esclarecimento da relação cúmplice entre a “Pobre velha música” e a Enche-se de lágrimas infância do Eu lírico. Meu olhar parado. Inicialmente Pessoa introduz-nos ao tema do poema, lembrando a "velha música", provavelmente tocada pela sua mãe na sua infância, talvez ainda antes de sair de Lisboa para Durban. A lembrança, embora seja talvez de um  Expressão intensa do estado emocional do sujeito poético: análise período feliz, traz-lhe uma grande tristeza, porque está associada a uma idade perdida, que nunca mais estilística da 3ª estrofe (expressividade); a retroação do passado no real; regressará. O início do poema traduz também o uso de duas figuras de estilo, personificação e hipérbole (a "pobre explicação do significado do último verso (v 12). e velha música"). A parte final do poema parece conter uma anástrofe: troca da ordem das palavras, quando normalmente se diria "o meu olhar parado enche-se de lágrimas". Recordo outro ouvir-te.  Justificação do título. Não sei se te ouvi Nessa minha infância  Análise formal; ritmo e musicalidade Que me lembra em ti. Pessoa, ao recordar, no entanto, sente uma estranheza comum. O facto é que é ele que sente, mas quem na realidade sentiu verdadeiramente o sentido da música foi ele mas numa outra idade. A lembrança é como se fosse uma experiência em segunda mão, que só pode ser estranha à verdade do que se sente. O "outro" era ele enquanto criança, e ele recorda-se dele próprio enquanto criança a ouvir a música. Há aqui, mesmo que de maneira menos óbvia, uma antítese entre passado e presente. Com que ânsia tão raiva Quero aquele outrora! E eu era feliz? Não sei: Fui-o outrora agora. Pessoa deseja o regresso ao passado, mas sabe esse regresso impossível. Mas simultaneamente ele tem consciência que mesmo que conseguisse regressar não conseguiria ser feliz agora. O seu desejo projeta-se num plano temporal impossível de realizar: ele ser criança então, mas adulto agora, ao mesmo tempo. O paradoxo é explícito quando ele diz: "fui-o outrora agora”. Esta composição poética é constituída por três quadras de versos de seis sílabas métricas (hexassílabos). Na primeira estrofe, o sujeito poético realça a temática da infância que não é mais do que um paraíso perdido. Isto faz com que ele apresente sentimentos de angústia e nostalgia (quando ouve a música, lembra-se do passado em que também a ouvia, e chora com saudades desse tempo). No primeiro verso desta estrofe, encontramos uma dupla-adjetivação anteposta (“Pobre velha música!” – a infância já está longe e o hábito de ouvir música também) A segunda estrofe é iniciada com a recordação de tempos passados, onde ouvia a música com outros sentimentos. Existe uma dúvida constante pois como a sua infância não foi alegre, o sujeito lírico acha que não a viveu. Na terceira estrofe, o poeta revela o desejo de regressar ao passado talvez devido ao facto de não ter tido infância e pretender ver como ela é. São utilizadas exclamações e interrogações emotivas, às quais se seguem um oximoro que traduz novamente a dúvida acerca do passado. O último verso “Fui-o outrora agora.”, simboliza a fusão entre o passado e o presente. ANO LECTIVO 2011-2012