http://minhalinguaeeu.blogspot.com/
QUE GRAMÁTICA ESTUDAR NA ESCOLA? Norma e uso na Língua Portuguesa Maria Helena de Moura Neves NEVES, Maria Helena de Moura...
Divisão <ul><li>12 capítulos com subdivisões </li></ul><ul><li>Apresentação </li></ul><ul><li>Conteúdo dividido em três pa...
Apresentação <ul><li>A natureza da obra: </li></ul><ul><ul><li>“ O conjunto de pesquisa que aqui se apresenta liga-se à pr...
Parte I: Introdução <ul><li>A chave para o progresso no ensino de língua materna é a inserção das propostas desenvolvidas ...
Parte II: Gramática, uso e norma <ul><li>A natureza da disciplina gramática – visão histórica: </li></ul><ul><ul><li>Gramá...
Parte II: Gramática, uso e norma <ul><li>As relações entre dicotomia uso x disciplina gramática : </li></ul><ul><ul><li>Es...
Parte III: Norma, uso e gramática escolar <ul><li>A gramática no espaço escolar </li></ul><ul><ul><li>A aquisição da lingu...
Parte III: Norma, uso e gramática escolar <ul><li>Lingüística, uso lingüístico e gramática na escola: </li></ul><ul><ul><l...
Considerações Finais <ul><li>Sem dúvida  a obra deixa clara a importância da incorporação dos avanços da ciência lingüísti...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Que GramáTica Estudar Na Escola ComunicaçãO

6.474 visualizações

Publicada em

Publicada em: Tecnologia
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
6.474
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
803
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
157
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Que GramáTica Estudar Na Escola ComunicaçãO

  1. 1. http://minhalinguaeeu.blogspot.com/
  2. 2. QUE GRAMÁTICA ESTUDAR NA ESCOLA? Norma e uso na Língua Portuguesa Maria Helena de Moura Neves NEVES, Maria Helena de Moura. Que gramática estudar na escola? São Paulo: Contexto, 2003, 174 p. Prof. Diogo Xavier (Graduado em Letras/FAFIRE) http://minhalinguaeeu.blogspot.com/
  3. 3. Divisão <ul><li>12 capítulos com subdivisões </li></ul><ul><li>Apresentação </li></ul><ul><li>Conteúdo dividido em três partes: </li></ul><ul><ul><li>Introdução </li></ul></ul><ul><ul><li>Gramática, uso e norma </li></ul></ul><ul><ul><li>Norma, uso e gramática escolar </li></ul></ul><ul><li>Referências bibliográficas </li></ul><ul><li>Apresenta, no final de cada capítulo o que concluir a respeito dos assuntos anteriormente desenvolvidos. </li></ul>http://minhalinguaeeu.blogspot.com/
  4. 4. Apresentação <ul><li>A natureza da obra: </li></ul><ul><ul><li>“ O conjunto de pesquisa que aqui se apresenta liga-se à preocupação de que se institua um tratamento escolar mais científico das atividades de linguagem, muito especificamente das atividades ligadas à gramática de língua materna. Assenta-se a necessidade de uma gramática escolar que não apenas contemple uma taxonomia e um elenco de funções mas que, legitimada pela sua relação com o uso efetivo da língua, dê conta dos usos correntes atuais, não perdendo de vista o natural e eficiente convívio de variantes no uso lingüístico, incluída, aí, a norma tradicionalmente considerada padrão” </li></ul></ul><ul><li>O suporte das reflexões: </li></ul><ul><ul><li>“ Para o desenvolvimento das reflexões sobre o tratamento escolar da linguagem, e, em especial, da gramática, conto com a experiência acumulada em pesquisas anteriores” </li></ul></ul><ul><li>O público-alvo </li></ul><ul><ul><li>“ toda a comunidade de usuários da língua: em particular, o profissional ligado ao campo da linguagem (por exemplo o professor - ou futuro professor - responsável pelo direcionamento do trabalho com a gramática da língua) e o aluno, mas também, em geral, o falante comum, pois a comunidade é a beneficiária primeira e última da ação escolar” </li></ul></ul>http://minhalinguaeeu.blogspot.com/
  5. 5. Parte I: Introdução <ul><li>A chave para o progresso no ensino de língua materna é a inserção das propostas desenvolvidas com base na ciência lingüística. </li></ul><ul><li>“ assim como é a circulação da teoria lingüística que há de renovar o tratamento escolar da linguagem, da língua, da gramática, assim também uma renovação efetiva desse tratamento há de realimentar as discussões teóricas que com felicidade se apliquem à condução escolar da reflexão sobre a linguagem” </li></ul>http://minhalinguaeeu.blogspot.com/
  6. 6. Parte II: Gramática, uso e norma <ul><li>A natureza da disciplina gramática – visão histórica: </li></ul><ul><ul><li>Gramática Tradicional x Gramática Normativa; </li></ul></ul><ul><ul><li>O usuário da língua pode encontrar, à sua disposição e com finalidade de uso, variantes lingüísticas com aplicações distintas, com diferentes valorações e funções pragmáticas. Entretanto, precisará adequar as diversas variantes aos contextos sociais em que se insere diariamente; </li></ul></ul>http://minhalinguaeeu.blogspot.com/
  7. 7. Parte II: Gramática, uso e norma <ul><li>As relações entre dicotomia uso x disciplina gramática : </li></ul><ul><ul><li>Esquema antigo clássico do conflito entre uso e norma – uso com rusticidade e norma com urbanidade </li></ul></ul><ul><ul><li>Uso com modernidade e autoridade com antiguidade </li></ul></ul><ul><ul><li>Inverte-se a direção ao se tomar como ponto de partida o uso da língua, explicando-o do ponto de vista lingüístico e sociocultural, para que seja naturalmente aceito o surgimento do que há de ser prescrito, anulando a concepção de autoridade, atribuída a gramáticos e afins. </li></ul></ul>http://minhalinguaeeu.blogspot.com/
  8. 8. Parte III: Norma, uso e gramática escolar <ul><li>A gramática no espaço escolar </li></ul><ul><ul><li>A aquisição da linguagem (e da gramática que a organiza) ocorre antes de freqüentarmos a escola graças à capacidade lingüística de qualquer falante, que é capaz de adequar seu discurso a todas as possíveis situações e contextos sociais; </li></ul></ul><ul><ul><li>No ambiente escolar o tratamento da gramática precisa respeitar a natureza da linguagem; </li></ul></ul><ul><ul><li>a fim de preservar o equilíbrio do sistema lingüístico, a língua – sempre dinâmica – conserva os atributos de variabilidade e adaptabilidade, admitindo, somente na esfera sociocultural, a existência de modelos e moldes. </li></ul></ul><ul><ul><li>a gramática não pode ser mapeada para, em seguida, ser preenchida com exemplos. Entretanto, há, lamentavelmente, escolas que ainda permitem a mera transmissão e registro de paradigmas como fórmula ideal para o aprendizado. </li></ul></ul>http://minhalinguaeeu.blogspot.com/
  9. 9. Parte III: Norma, uso e gramática escolar <ul><li>Lingüística, uso lingüístico e gramática na escola: </li></ul><ul><ul><li>A Lingüística e a disciplina gramatical escolar são os dois campos em que se detectam pontos de várias controvérsias, e não podem ser avaliados como estranhos ou competidores que se destroem mutuamente. Em contrapartida, são campos que não devem fazer parte do pensamento de que um poderia substituir o outro, porquanto se nutrem de modo recíproco. É óbvio que a circulação da teoria lingüística é responsável por renovações no ensino da gramática, mas também é evidente que a hesitação no refletir, em ambiente escolar, sobre a linguagem e o seu uso, pode atrapalhar e muito o progresso da ciência lingüística e a esperada eficiência da escola no tocante ao bom desempenho lingüístico dos estudantes. Portanto, espera-se que os profissionais responsáveis pela aplicação da metodologia do ensino estejam, conforme versam os conceitos lingüísticos, sempre em busca de atualização e aperfeiçoamento. </li></ul></ul>http://minhalinguaeeu.blogspot.com/
  10. 10. Considerações Finais <ul><li>Sem dúvida a obra deixa clara a importância da incorporação dos avanços da ciência lingüística ao ensino da gramática na escola e mostra que muitas vezes esses avanços, quando tratados em sala de aula, são vistos de forma supérflua e simplista. Estamos longe de ver professores e principalmente o cidadão comum reconhecendo que a variação lingüística é uma manifestação a essência e da natureza da linguagem e que, apesar de haver um padrão valorizado, o seu uso não constitui intrinsecamente um uso de boa linguagem. </li></ul><ul><li>Além disso, Neves mostra como é fundamental a utilização de um livro didático que parta do uso efetivo da língua para daí, com base em reflexões, haver o estabelecimento das normas, excluindo dessa forma a imagem de uma autoridade que determina as regras. </li></ul>http://minhalinguaeeu.blogspot.com/

×