Soteriologia: Depravação Total

1.394 visualizações

Publicada em

0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.394
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
7
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
53
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Soteriologia: Depravação Total

  1. 1. Depravação total<br />
  2. 2. O que dizem calvinistas e arminianos?<br />Calvinistas<br />Refere-se a nossa pecaminosidade e impiedade<br />Todos os homens (exceto Jesus) são depravados – Sl 14. 2-3 e Sl 53.2-3<br />A depravação afeta o homem como todo:<br />Pensamentos – Gn 6.5<br />Vontades – Ef 2.3<br />Suas emoções/coração – Jr 17.9<br />A depravação é entendida como morte (Ef 2.1)<br />
  3. 3. Arminianos<br />Não negam a depravação, mas rejeitam o resultado dela – “O resultado calvinista é relatado por Spencer: “A Depravação Total insiste que o homem não tem ‘livre-arbítrio’ no sentido de que seja livre para confiar em Jesus Cristo como seu Senhor e Salvador.” fonte: http://www.arminianismo.com/index.php?Itemid=35&id=307&option=com_content&task=view<br />
  4. 4. Calvinismo: Devido à queda, o homem é incapaz de, por si mesmo, crer de modo salvador no Evangelho. O pecador está morto, cego e surdo para as coisas de Deus. Seu coração é enganoso e desesperadamente corrupto. Sua vontade não é livre, pois está escravizada à sua natureza má; por isso ele não irá – e não poderá jamais – escolher o bem e não o mal em assuntos espirituais. Por conseguinte, é preciso mais do que simplesmente assistência do Espírito para se trazer um pecador a Cristo. É preciso a regeneração, pela qual o Espírito vivifica o pecador, e lhe dá nova natureza. A fé não é algo que o homem dá (contribui) para a salvação, mas é ela própria parte do dom divino da salvação. É o dom de Deus para o pecador e não o dom do pecador para Deus.<br />Arminianismo: Embora a natureza humana tenha sido seriamente afetada pela queda, o homem não ficou reduzido a um estado de incapacidade total. Deus, graciosamente, capacita todo e qualquer pecador a arrepender-se e crer, mas o faz sem interferir na liberdade do homem. Todo pecador possui uma vontade livre (livre-arbítrio), e seu destino eterno depende do modo como ele usa esse livre arbítrio. A liberdade do homem consiste em sua habilidade de escolher entre o bem e o mal, em assuntos espirituais. Sua vontade não esta escravizada pela sua natureza pecaminosa. O pecador tem o poder de cooperar com o Espírito de Deus e ser regenerado ou resistir a Graça de Deus e perecer. O pecador perdido precisa da assistência do Espírito, mas não precisa ser regenerado antes de poder crer, pois a fé é um ato da deliberado do homem e precede o novo nascimento. A fé é o dom do pecador a Deus, é a contribuição do homem para a salvação.<br />
  5. 5. O que a bíblia diz<br />Fomos criados a imagem e semelhança de Deus (Gn 1. 26)<br />O homem pecou e isso deturpou essa imagem e semelhança <br />Criou-se um abismo entre Deus e o homem (Rm 3.23)<br />Nascemos em pecado (Sl 51.5)<br />Isso não quer dizer que um não crente não possa agir de forma correta, mas que não pode agradar a Deus (Hb 11.6)<br />O homem carece de bem espiritual diante de Deus. Esse bem recebemos pela obra de Cristo (Ef 4.18)<br />Nos nossos atos somos incapazes de fazer o bem espiritual (Rm 8.8; Jo 15.5; Is 64.6)<br />Porém, não podemos endurecer o nosso coração (Hb 3.15; At 7.51)<br />

×