MÉTODO (LOGIA) CIENTÍFICA
São EMOÇÕES...
tantos e
CAMINHOS...
Diego A. Salcedo
Areia/PB – 2008
ISSO EXISTE?
Começo, regra geral, as minhas lições sobre Método
Científico dizendo aos meus alunos que o método científico...
PARA ONDE VOU
E COMO?
Por quê pensamos que uma palavra ou
termo DEVE ter ou representar apenas
UM conceito???
Por quê existe a tradição ou
neces...
Ora !!!
A produção do conhecimento
humano está baseada na
multiplicidade conceitual...
Não concorda? Então vejamos:
Vamos analisar apenas um dos três termos que
importam ao nosso encontro de hoje:
Método
(orig...
Método
Platão => o método sempre tem duas possibilidades (dialética)...
Aristóteles => multiplicidade de métodos...
Euclid...
MÉTODO É UMA DAS
FORMAS CRIADAS PELA
ESPÉCIE HUMANA PARA
REPRESENTAR O MUNDO
POSSÍVEL !!!
Para caminhar
Planejamento cuidadoso
Bases conceituais sólidas
Alicerce de conhecimentos acumulados
(Estoque de informação cognitiva)
Aventurar-se
• O fazer ciência é um processo
(nem totalmente controlável nem totalmente
previsível)
• Escolher um caminho ...
Encruzilhadas
• A construção do conhecimento se faz nas
encruzilhadas, nas fronteiras da ação
• Na tensão entre o esforço ...
Caminho + ação = QUALIDADE
Comunicação formal => Qualidade formal:
referencial teórico; meios e formas usados na
produção ...
Qualidade se mede?
• Conhecimento do tema (visão geral e especializada)
• Demonstração de curiosidade (atitude)
• Criativi...
Procedimentos e Pressupostos
• A investigação científica depende de um conjunto de
procedimentos intelectuais e técnicos
•...
POEMA DE “ANTONIO MACHADO”
...CAMINANTE, NO HAY CAMINO, SE
HACE CAMINO AL ANDAR...
Musicado por Juan Manuel Serrat
Método (logia) ?!?!?!
• A palavra “método (logia)” assusta ????? Por quê?
• Mas método (logia) é apenas a definição do cam...
ASSUSTADO – ASSUSTADA?
NÃO FIQUE
• Qual o tipo de sua pesquisa?
• Qual a população, corpus, objeto da pesquisa?
• Qual é a...
Natureza da pesquisa
Pesquisa Básica
busca conhecimentos novos sem aplicação
prática prevista
Natureza da pesquisa
Pesquisa Aplicada
busca conhecimentos para aplicação prática
voltados para a solução de problemas
esp...
Abordagem do problema
QUANTITATIVA
sugere
classificar, categorizar, analisar, descrever, a
“realidade’ por meio dos número...
Abordagem do problema
QUALITATIVA
considera a correlação entre o mundo
“real” e o sujeito (Ser), que não pode
ser traduzid...
Objetivos da pesquisa
EXPLORAR
assume, em geral, a forma de pesquisa
bibliográfica e de estudo de caso...
Objetivos da pesquisa
DESCREVER
mostra as características de determinada
população ou fenômeno; uso recorrente
de coleta d...
Objetivos da pesquisa
EXPLICAR
define o “porquê” das coisas; busca
identificar causas dos efeitos, em
geral, na forma de p...
Algumas metodologias...
Se sua fonte de informação for impressa???
Pesquisa Bibliográfica: a partir de material já
publica...
Algumas metodologias...
Se sua fonte de informação for o sujeito???
Todos os outros tipos de metodologias:
experimental, e...
Não há mais apenas uma maneira para
dar conta da complexidade do real
possível
A prática científica emprega vários
métodos...
SEU TEMA
• O que pretendo abordar?
• O tema é parte de uma área de interesse que se
deseja desenvolver?
• Será que seu tem...
AÇÕES
• Sobre o tema, leve em conta: a atualidade, a
relevância, o seu conhecimento a respeito, a
sua aptidão pessoal para...
Revisão de Literatura
• Quem já escreveu sobre o assunto?
• Que aspectos já foram abordados?
• Quais as lacunas existentes...
• As respostas determinam o “estado da
arte”, permitem a revisão teórica, referencial
teórico, revisão bibliográfica, etc....
Uma revisão “completa” é
impossível.
Mas uma revisão “coerente” é
obrigatória.
Formulação do problema
• A maioria dos alunos da pós “conhece bem” o seu
tema (e o seu objeto) mas geralmente tem grande
d...
OU SEJA
Para quê você está propondo a sua pesquisa?
Quais são os resultados que você pretende
alcançar com ela?
Qual a con...
SEU PROBLEMA
É uma questão que seu processo de fazer
ciência pretende resolver.
Como são as coisas?
Quais as suas causas?
...
RESPONDI MEU PROBLEMA???
ATENÇÃO
Nem sempre é possível responder ao problema,
e o que normalmente ocorre, é que surgem
nov...
A escolha...
Muitos fatores determinam a escolha de um
problema de pesquisa:
• É original?
• É relevante?
• É adequado par...
Aspectos para pensar
CONVERSE COM SEU ORIENTADOR
COM RELAÇÃO AS PERGUNTAS
ANTERIORES
Originalidade de pesquisa
Se “tudo já foi dito” como conseguir a
originalidade na pesquisa
Então ser original tem a ver co...
Relevância da Pesquisa
Como sei que algo é relevante
Isso está diretamente relacionado com a
questão SÓCIO – ECONÔMICA
Adequação pessoal
Como sei se isso serve para mim
• Perceber sua participação no contexto
• Aproveitar a OPORTUNIDADE
• Vo...
Viabilidade da pesquisa
É viável
• Condição pessoal
• Condição econômica
• Condição material
• Condição temporal
CONTE SUA HISTÓRIA
COMO CAMINHOU?
método = pressupostos teóricos
metodologia = procedimentos
+
AONDE CHEGUEI?
resultados
CONTAR SUA HISTÓRIA
CHAMA-SE:
COMUNICAÇÃO CIENTÍFICA
TIPOS
CANAIS INFORMAIS: [parte invisível]
contatos pessoais, conversas, reuniões de grupos de
pesquisa, telefones, e-mails...
TIPOS
CANAIS FORMAIS: [parte pública]
artigos em periódicos científicos, relatórios,
projetos, Anais, dissertações (mestra...
DIFUSÃO CIENTÍFICA
Ação para além da comunicação científica,
voltada às diversas esferas sociais, por
meio da utilização d...
DIGO PORQUE OUTROS
DISSERAM ANTES DE MIM
REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS
FEYERABEND. Diálogos sobre o conhecimento. SP:
Perspectiva, 2001.
GIL, Antonio Carlos. Como ela...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Pesquisa e Metodologia Científica / Science Methods and Research

457 visualizações

Publicada em

Palestra proferida para a Semana Nacional de Ciência e Tecnologia, realizada no Centro de Ciências Agrárias (CAMPUS II - CCA), da Universidade Federal da Paraíba (UFPB), no Município de Areia, em 2008 / Lecture in the National Science and Technology Week at UFPB.

Publicada em: Ciências
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
457
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
20
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Pesquisa e Metodologia Científica / Science Methods and Research

  1. 1. MÉTODO (LOGIA) CIENTÍFICA São EMOÇÕES... tantos e CAMINHOS... Diego A. Salcedo Areia/PB – 2008
  2. 2. ISSO EXISTE? Começo, regra geral, as minhas lições sobre Método Científico dizendo aos meus alunos que o método científico não existe. Acrescento que tenho obrigação de saber isso, tendo eu sido, durante algum tempo, pelo menos, o único professor desse inexistente assunto em toda a Comunidade Britânica...Tendo, então, explicado aos meus alunos que não há essa coisa que seria o método científico, apresso-me a começar o meu discurso, e ficamos ocupadíssimos. Pois um ano mal chega para roçar a superfície mesmo de um assunto inexistente. Popper (1987)
  3. 3. PARA ONDE VOU E COMO?
  4. 4. Por quê pensamos que uma palavra ou termo DEVE ter ou representar apenas UM conceito??? Por quê existe a tradição ou necessidade de buscar conceitos singulares, particulares, únicos???
  5. 5. Ora !!! A produção do conhecimento humano está baseada na multiplicidade conceitual...
  6. 6. Não concorda? Então vejamos: Vamos analisar apenas um dos três termos que importam ao nosso encontro de hoje: Método (origem grega => methode)
  7. 7. Método Platão => o método sempre tem duas possibilidades (dialética)... Aristóteles => multiplicidade de métodos... Euclides => do método axiomático derivam: axiomas, definições e postulados... (teoria utilizada até hoje) Leibniz e Espinoza => utilizaram o método axiomático... Descartes => método único (universal) para todas as ciências... Brentano e Stumpf => método descritivo (psicologia descritiva)... Husserl => método fenomenológico... Carnap => método da verificação (é possível verificar)... Popper => método da falsificação (verificação a partir da negação)... Feyerabend => método anárquico-contemporâneo (“tudo pode”)...
  8. 8. MÉTODO É UMA DAS FORMAS CRIADAS PELA ESPÉCIE HUMANA PARA REPRESENTAR O MUNDO POSSÍVEL !!!
  9. 9. Para caminhar
  10. 10. Planejamento cuidadoso Bases conceituais sólidas Alicerce de conhecimentos acumulados (Estoque de informação cognitiva)
  11. 11. Aventurar-se • O fazer ciência é um processo (nem totalmente controlável nem totalmente previsível) • Escolher um caminho significa adotar uma método • O percurso requer ser reinventado a cada etapa (= metodologias)
  12. 12. Encruzilhadas • A construção do conhecimento se faz nas encruzilhadas, nas fronteiras da ação • Na tensão entre o esforço individual e a colaboração (coletivo)
  13. 13. Caminho + ação = QUALIDADE Comunicação formal => Qualidade formal: referencial teórico; meios e formas usados na produção do trabalho; domínio das técnicas de coleta e de interpretação dos dados; uso adequado das fontes de informação; apresentação em conformidade com os ritos acadêmicos...
  14. 14. Qualidade se mede? • Conhecimento do tema (visão geral e especializada) • Demonstração de curiosidade (atitude) • Criatividade e imaginação disciplinada (ordem social) • Integridade intelectual (ÉTICA) • Sensibilidade social (necessidades sociais) • Atitude autocorretiva (“cuidado de si” – M. Foucault) • Confiança na experiência (perseverança + paciência) • Capacidade de fazer alianças (aceitar “o outro”, as ≠) • Capacidade de publicar (mais prestígio e reconhecimento = mais publicações = maior capacidade de fazer aliados)
  15. 15. Procedimentos e Pressupostos • A investigação científica depende de um conjunto de procedimentos intelectuais e técnicos • Metodologia científica é esse conjunto de processos ou operações empregados na investigação científica • Método científico é a linha de raciocínio adotada • Método é o caminho [que se faz caminhando]...
  16. 16. POEMA DE “ANTONIO MACHADO” ...CAMINANTE, NO HAY CAMINO, SE HACE CAMINO AL ANDAR... Musicado por Juan Manuel Serrat
  17. 17. Método (logia) ?!?!?! • A palavra “método (logia)” assusta ????? Por quê? • Mas método (logia) é apenas a definição do caminho + os procedimentos => se preferir: teoria + prática
  18. 18. ASSUSTADO – ASSUSTADA? NÃO FIQUE • Qual o tipo de sua pesquisa? • Qual a população, corpus, objeto da pesquisa? • Qual é a amostragem do universo (seu todo)? • Quais os instrumentos de coleta de dados? • Como você pretende tabular e analisar os seus dados? A CIÊNCIA SE FAZ POR MEIO DE PERGUNTAS
  19. 19. Natureza da pesquisa Pesquisa Básica busca conhecimentos novos sem aplicação prática prevista
  20. 20. Natureza da pesquisa Pesquisa Aplicada busca conhecimentos para aplicação prática voltados para a solução de problemas específicos
  21. 21. Abordagem do problema QUANTITATIVA sugere classificar, categorizar, analisar, descrever, a “realidade’ por meio dos números e símbolos matemáticos (caracteres); em muito casos utiliza técnicas estatísticas...
  22. 22. Abordagem do problema QUALITATIVA considera a correlação entre o mundo “real” e o sujeito (Ser), que não pode ser traduzido em números...
  23. 23. Objetivos da pesquisa EXPLORAR assume, em geral, a forma de pesquisa bibliográfica e de estudo de caso...
  24. 24. Objetivos da pesquisa DESCREVER mostra as características de determinada população ou fenômeno; uso recorrente de coleta de dados (ex: questionário)...
  25. 25. Objetivos da pesquisa EXPLICAR define o “porquê” das coisas; busca identificar causas dos efeitos, em geral, na forma de pesquisa experimental...
  26. 26. Algumas metodologias... Se sua fonte de informação for impressa??? Pesquisa Bibliográfica: a partir de material já publicado Pesquisa Documental: a partir de materiais que não receberam tratamento analítico (ex: documento primários e secundários de empresas, órgão públicos, etc.)
  27. 27. Algumas metodologias... Se sua fonte de informação for o sujeito??? Todos os outros tipos de metodologias: experimental, estudo de caso, ex-post facto, levantamento, pesquisa-ação, etc.
  28. 28. Não há mais apenas uma maneira para dar conta da complexidade do real possível A prática científica emprega vários métodos e metodologias pelo fato de ser uma atividade humana
  29. 29. SEU TEMA • O que pretendo abordar? • O tema é parte de uma área de interesse que se deseja desenvolver? • Será que seu tema está bem relacionado à sua linha de pesquisa?
  30. 30. AÇÕES • Sobre o tema, leve em conta: a atualidade, a relevância, o seu conhecimento a respeito, a sua aptidão pessoal para lidar com ele. • Um tema pode ter diversos assuntos, logo faça recortes, estabeleça limites.
  31. 31. Revisão de Literatura • Quem já escreveu sobre o assunto? • Que aspectos já foram abordados? • Quais as lacunas existentes na literatura?
  32. 32. • As respostas determinam o “estado da arte”, permitem a revisão teórica, referencial teórico, revisão bibliográfica, etc. • Evitar duplicar pesquisas anteriores. • Traça um quadro (ou marco) teórico e faz a estruturação conceitual que sustenta a pesquisa.
  33. 33. Uma revisão “completa” é impossível. Mas uma revisão “coerente” é obrigatória.
  34. 34. Formulação do problema • A maioria dos alunos da pós “conhece bem” o seu tema (e o seu objeto) mas geralmente tem grande dificuldade de explicitar nele um problema. O tema que eu escolhi comporta um problema? Que problema vejo no meu tema?
  35. 35. OU SEJA Para quê você está propondo a sua pesquisa? Quais são os resultados que você pretende alcançar com ela? Qual a contribuição que a sua pesquisa irá efetivamente proporcionar?
  36. 36. SEU PROBLEMA É uma questão que seu processo de fazer ciência pretende resolver. Como são as coisas? Quais as suas causas? Quais as suas conseqüências?
  37. 37. RESPONDI MEU PROBLEMA??? ATENÇÃO Nem sempre é possível responder ao problema, e o que normalmente ocorre, é que surgem novos problemas, novas perguntas... ESSE PROCESSO É A ESSÊNCIA DA ATIVIDADE CIENTÍFICA
  38. 38. A escolha... Muitos fatores determinam a escolha de um problema de pesquisa: • É original? • É relevante? • É adequado para mim? • É viável?
  39. 39. Aspectos para pensar CONVERSE COM SEU ORIENTADOR COM RELAÇÃO AS PERGUNTAS ANTERIORES
  40. 40. Originalidade de pesquisa Se “tudo já foi dito” como conseguir a originalidade na pesquisa Então ser original tem a ver com: • ÉTICA • HUMILDADE
  41. 41. Relevância da Pesquisa Como sei que algo é relevante Isso está diretamente relacionado com a questão SÓCIO – ECONÔMICA
  42. 42. Adequação pessoal Como sei se isso serve para mim • Perceber sua participação no contexto • Aproveitar a OPORTUNIDADE • Vontade e Motivação • Orientação adequada ao seu problema
  43. 43. Viabilidade da pesquisa É viável • Condição pessoal • Condição econômica • Condição material • Condição temporal
  44. 44. CONTE SUA HISTÓRIA COMO CAMINHOU? método = pressupostos teóricos metodologia = procedimentos + AONDE CHEGUEI? resultados
  45. 45. CONTAR SUA HISTÓRIA CHAMA-SE: COMUNICAÇÃO CIENTÍFICA
  46. 46. TIPOS CANAIS INFORMAIS: [parte invisível] contatos pessoais, conversas, reuniões de grupos de pesquisa, telefones, e-mails, pré-prints, etc • O conteúdo fico restrito aos colégios invisíveis • Não dispersa à ampla comunidade acadêmica • Muito distante das diversas esferas sociais
  47. 47. TIPOS CANAIS FORMAIS: [parte pública] artigos em periódicos científicos, relatórios, projetos, Anais, dissertações (mestrado), teses (doutorado), etc • Dispersa à(s) comunidade(s) científica(s) • Aproxima-se das diversas esferas sociais
  48. 48. DIFUSÃO CIENTÍFICA Ação para além da comunicação científica, voltada às diversas esferas sociais, por meio da utilização das distintas mídias e tecnologias de comunicação, praticada por mediadores científicos. Exemplo: jornalistas, bibliotecários, museólogos, cientistas de
  49. 49. DIGO PORQUE OUTROS DISSERAM ANTES DE MIM
  50. 50. REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS FEYERABEND. Diálogos sobre o conhecimento. SP: Perspectiva, 2001. GIL, Antonio Carlos. Como elaborar projetos de pesquisa. 4. ed. SP: Atlas, 2007. POPPER, Karl R. O realismo e o objetivo da ciência. Lisboa: Dom Quixote, 1987. RICKEN, Friedo. Dicionário de Teoria do Conhecimento e Metafísica. RS: UNISINOS, 2003. ROSA, Luiz Pinguelli. Tecnociências e humanidades. SP: Paz e Terra, 2005.

×