SlideShare uma empresa Scribd logo
EMPREENDEDORISMO
E DIVULGAÇÃO DE
PEDRAS
ORNAMENTAIS:
UMA QUESTÃO
ECONÔMICA E
AMBIENTAL
PEDRAS ORNAMENTAIS
   Uma pedra ornamental é
    uma pedra utilizada para
    decoração, por exemplo
    em escultura, ou como
    material de construção.
    Difere-se das gemas por
    não ser utilizada apenas
    em joalharia. No entanto,
    uma pedra ornamental
    pode ser também uma
    gema.     Exemplos       de
    pedras        ornamentais
    incluem: alabastro, granito,
    pedra madeira, mármore
O BRASIL E SUA GRANDE
VARIEDADE GEOLÓGICA
TIPOS DE ROCHAS
     Existem basicamente três tipos de rochas:

              Magmáticas ou Ígneas
                 Sedimentares
                 Metamórficas

As rochas são classificadas assim de acordo com sua
 composição química, sua forma estrutural ou textura
    ou da forma mais comum, que é através de seu
                processo de formação.
CICLO DAS ROCHAS
MAGMÁTICAS OU ÍGNEAS
São      resultantes      da
consolidação e solidificação
do magma. O Magma é um
material pastoso que a
bilhões de anos deu origem
às primeiras rochas do
nosso planeta e ainda reside
no interior da Terra. São
formadas     através      do
resfriamento do magma e
podem ser de dois tipos:
Vulcânicas (extrusivas) e
CATARATAS DO IGUAÇU/PR
DIABÁSIO, LIMEIRA/SP
SEDIMENTARES

As            rochas
sedimentares fazem
parte de 80% da
superfície       dos
continentes; são as
rochas formadas a
partir            da
desagregação      de
outras rochas ou
matéria orgânica.
CARVALHO PINTO/SP
SERRA DA CAPIVARA/PI
METAMÓRFICAS
São as rochas formadas
através da deformação de
outras rochas, magmáticas,
sedimentares e até mesmo
outras rochas metamórficas,
devido a alterações de
condições ambientais, como
a temperatura e a pressão ou
ambas        simultaneamente.
Alguns exemplos são o
gnaisse, formado a partir do
granito; a ardósia, formada a
partir do argilito; o mármore,
formado a partir do calcário,
e o quartzito, formado a partir
PEDRA AZUL/ES
PÃO DE AÇÚCAR/RJ
PEDRAS ORNAMENTAIS DA REGIÃO
    NOROESTE FLUMINENSE


                                Madeira
                                 Rosa


  Madeira
  Amarela
                      Madeira
                      Branca


            Madeira
             Cinza
PEDRAS ORNAMENTAIS DA REGIÃO
    NOROESTE FLUMINENSE



           Pedra
             Miracema




                        Pedra
                          Miracema
                        com Pedra
                          Madeira
                          Amarela
O PROJETO

O projeto tem como base um projeto já
existente e realizado por nossa orientadora
Sandra Azevedo no ano de 2001 que obteve
como resultado a fundação da primeira
pedreira escola do Brasil, situada em Santo
Antônio de Pádua/RJ no ano de 2003. Em
2011, conferimos a situação da pedreira que já
não funciona mais como um polo educador e
como objetivo para este ano, traçamos um
paralelo entre a Pedreira no Município de
Pádua em 2001, e hoje no ano de 2012.
Pedreira Escola em 2003   Pedreira Escola em 2011
A PEDREIRA E O MUNÍCIPIO:
          ECONOMICAMENTE
2003                                        2011/2012
 Era principal fonte de    Continua sendo a
  renda do município com    principal fonte de renda e
                            é hoje o 2° maior
  importante atuação no     exportador do país, atrás
  mercado interno e         apenas do ES.
  externo.                  Grande produção de
 Grande produção de        diferentes tipos de
  diferentes tipos de       rochas.
  rochas.                   Serrarias e Pedreiras de
 Serrarias de pequeno e    maior porte.
  médio porte               Índice elevado de
                            empregabilidade, porém
 Alto índice de            vem ocorrendo uma
  empregabilidade e         mecanização da mão de
A PEDREIRA, O MUNICÍPIO E O
          MEIO AMBIENTE
2003                                      2011/2012
 Descarte incorreto de      Menor índice de
  resíduos em rios e         descartes incorretos,
  beira de estradas.         mas ainda pouco
                             elevado
 Havia pouco                Maior aproveitamento
  aproveitamento dos         dos restos proveniente
  restos proveniente da      da extração das
  extração das rochas.       rochas
 Utilização da dinamite.    Substituição da
                             dinamite pelo Jet
                             Flame e o Fio
CONTRASTES
A PEDREIRA, O MUNICÍPIO E O
          MEIO AMBIENTE
2003                                      2011/2012
 Altos índices de           Algumas serrarias
  poluição sonora e do ar    apresentam métodos
Desenvolvimento de          para tratamento da
  métodos para               água, porém sem
  tratamento da água         muita eficácia.
  proveniente das serras
  que cortam os blocos.
A PEDREIRA, O MUNICÍPIO E O
         MEIO SEGURANÇA
2003                                     2011/2012
 Funcionários sem         Equipamentos de
  equipamento de           segurança são
  segurança completo.      disponibilizado mas os
 Grande parte do          funcionários se
  trabalho era manual,     recusam a utilizá-lo.
  inclusive o corte dos    Maior número de
  blocos.                  máquinas.
 Incidência de doenças    Menor incidência de
  respiratórias e          doenças respiratórias,
  amputações decorrente    devido a substituição
  do não uso dos           parcial da dinamite.
  equipamentos.
Pedreira Escola em 2003   Pedreira Escola 2011
TODAS AS SOLUÇÕES
       TÉCNICAS, SOCIAIS E
      POLÍTICAS DEPENDEM:
   Da concordância das entidades locais, e um
    investimento      que possa promover uma
    recuperação sustentável, através de ações
    que possam equilibrar , questões sociais e
    políticas públicas.

   Pois sem         o cumprimento dessas
    determinações e a conscientização dos
    trabalhadores, haverá um comprometimento
    não só com a exploração das pedreiras como
    também      o aumento      dos problemas
A PROPOSTA PARA 2013
 Dar continuidade ao
processo de catalogação
    das rochas do país.
 Separá-las por seus
   respectivos estados.
E construir assim um
    mostruário como o
 realizado em 2011, que
identificava as diferentes
     rochas da Região
Noroeste Fluminense do
OBRIGADO!
             TRABALHO REALIZADO POR:
Jessica Soares de Paula e Túlio da Silva Resende
                 ORIENTAÇÃO DE:
        Sandra Maria Gomes de Azevedo
                COLABORAÇÕES DE:
            SINDIGNAISSES Pádua
         João Batista Fernandes Lopes
                   João Nacif
             José Marcelo Barcellos
         Prof. Márcio Alexandre Barroso
             José Mauro Rodrigues
                 AGRADECIMENTOS:
     Ao Colégio Estadual Deodato Linhares
            A família Jovens Talentos
 Aos funcionários da FAETEC/CVT de Miracema
A TODOS O NOSSO MUITO...




OBRIGAD
O!

Mais conteúdo relacionado

Destaque

Wellington e matheus
Wellington e matheusWellington e matheus
Wellington e matheus
Diego Righi
 
Apresentação inicial projeto jt
Apresentação inicial   projeto jtApresentação inicial   projeto jt
Apresentação inicial projeto jt
Juliana Frontelmo
 
Linik correto
Linik  corretoLinik  correto
Linik correto
Diego Righi
 
Apresentação1 (2)
Apresentação1 (2)Apresentação1 (2)
Apresentação1 (2)
Rodrigo Fernandes
 
Slides pronto
Slides prontoSlides pronto
Slides pronto
Diego Righi
 
Apresentaçãp em vassouras
Apresentaçãp em vassourasApresentaçãp em vassouras
Apresentaçãp em vassouras
Rodrigo Fernandes
 
Sítios arqueológicos renata e fabíloa
Sítios arqueológicos renata e fabíloaSítios arqueológicos renata e fabíloa
Sítios arqueológicos renata e fabíloa
Diego Righi
 
Novo slide parte 2 (2)
Novo slide parte 2 (2)Novo slide parte 2 (2)
Novo slide parte 2 (2)
Diego Righi
 
Apresentação nascentes original
Apresentação  nascentes   originalApresentação  nascentes   original
Apresentação nascentes original
Rodrigo Fernandes
 
Presentacion google
Presentacion googlePresentacion google
Presentacion google
FranCy TEllo
 
gestion basica
gestion basicagestion basica
gestion basica
taniagarcia06
 
James rodriguez
James rodriguezJames rodriguez
James rodriguez
dani0577
 
Conductismo
ConductismoConductismo
Attachment (1)
Attachment (1)Attachment (1)
Attachment (1)
wyattgray1
 
Como editar perfil universitario pages Uniminuto
Como editar perfil universitario pages UniminutoComo editar perfil universitario pages Uniminuto
Como editar perfil universitario pages Uniminuto
Leezy Prideh
 
Ppt Chapter 16
Ppt Chapter 16Ppt Chapter 16
Ppt Chapter 16
kpatric
 
Limites aula 1 a aula3
Limites  aula 1 a aula3Limites  aula 1 a aula3
Limites aula 1 a aula3
massamy
 
Teoria celular 11º (1)
Teoria celular 11º (1)Teoria celular 11º (1)
Teoria celular 11º (1)
Derian Chavarria
 

Destaque (18)

Wellington e matheus
Wellington e matheusWellington e matheus
Wellington e matheus
 
Apresentação inicial projeto jt
Apresentação inicial   projeto jtApresentação inicial   projeto jt
Apresentação inicial projeto jt
 
Linik correto
Linik  corretoLinik  correto
Linik correto
 
Apresentação1 (2)
Apresentação1 (2)Apresentação1 (2)
Apresentação1 (2)
 
Slides pronto
Slides prontoSlides pronto
Slides pronto
 
Apresentaçãp em vassouras
Apresentaçãp em vassourasApresentaçãp em vassouras
Apresentaçãp em vassouras
 
Sítios arqueológicos renata e fabíloa
Sítios arqueológicos renata e fabíloaSítios arqueológicos renata e fabíloa
Sítios arqueológicos renata e fabíloa
 
Novo slide parte 2 (2)
Novo slide parte 2 (2)Novo slide parte 2 (2)
Novo slide parte 2 (2)
 
Apresentação nascentes original
Apresentação  nascentes   originalApresentação  nascentes   original
Apresentação nascentes original
 
Presentacion google
Presentacion googlePresentacion google
Presentacion google
 
gestion basica
gestion basicagestion basica
gestion basica
 
James rodriguez
James rodriguezJames rodriguez
James rodriguez
 
Conductismo
ConductismoConductismo
Conductismo
 
Attachment (1)
Attachment (1)Attachment (1)
Attachment (1)
 
Como editar perfil universitario pages Uniminuto
Como editar perfil universitario pages UniminutoComo editar perfil universitario pages Uniminuto
Como editar perfil universitario pages Uniminuto
 
Ppt Chapter 16
Ppt Chapter 16Ppt Chapter 16
Ppt Chapter 16
 
Limites aula 1 a aula3
Limites  aula 1 a aula3Limites  aula 1 a aula3
Limites aula 1 a aula3
 
Teoria celular 11º (1)
Teoria celular 11º (1)Teoria celular 11º (1)
Teoria celular 11º (1)
 

Semelhante a Jessica

material auxiliar agregados - II
material auxiliar agregados - IImaterial auxiliar agregados - II
material auxiliar agregados - II
profNICODEMOS
 
Agregados minerais propiedades_aplicabilidade_ocorrencias
Agregados minerais propiedades_aplicabilidade_ocorrenciasAgregados minerais propiedades_aplicabilidade_ocorrencias
Agregados minerais propiedades_aplicabilidade_ocorrencias
Jose Nicodemos
 
Apostila materiais construcao_marcio_varela
Apostila materiais construcao_marcio_varelaApostila materiais construcao_marcio_varela
Apostila materiais construcao_marcio_varela
Leandro Oliveira
 
Apostila materiais construcao_marcio_varela
Apostila materiais construcao_marcio_varelaApostila materiais construcao_marcio_varela
Apostila materiais construcao_marcio_varela
Willian Mello
 
Ifrn materiais de construção
Ifrn   materiais de construçãoIfrn   materiais de construção
Ifrn materiais de construção
Lucian Tenório
 
Apostilla de-materiais-de-construcao
Apostilla de-materiais-de-construcaoApostilla de-materiais-de-construcao
Apostilla de-materiais-de-construcao
Sesc Rio
 
Apostila materiais construcao_marcio_varela
Apostila materiais construcao_marcio_varelaApostila materiais construcao_marcio_varela
Apostila materiais construcao_marcio_varela
Prefeitura Municipal de Petrolina
 
Trabalho de pedologia
Trabalho de pedologia Trabalho de pedologia
Trabalho de pedologia
ufmt
 
Rochas sedimentares classificação detríticas
Rochas sedimentares  classificação detríticasRochas sedimentares  classificação detríticas
Rochas sedimentares classificação detríticas
Isabel Lopes
 
O solo
O soloO solo
Mecânica dos solos
Mecânica dos solosMecânica dos solos
Mecânica dos solos
charlessousa192
 
Edificacoes mecanica dos_solos
Edificacoes mecanica dos_solosEdificacoes mecanica dos_solos
Edificacoes mecanica dos_solos
Erica Bastos
 
material auxiliar agregados I
material auxiliar agregados Imaterial auxiliar agregados I
material auxiliar agregados I
profNICODEMOS
 
Trabalho da industria extrativa 10º se
Trabalho da industria extrativa  10º seTrabalho da industria extrativa  10º se
Trabalho da industria extrativa 10º se
mariajosantos
 
Rochas, solos e seres vivos
Rochas, solos e seres vivos Rochas, solos e seres vivos
Rochas, solos e seres vivos
Marjan Vos
 
Bioma Semi áRido
Bioma   Semi áRidoBioma   Semi áRido
Bioma Semi áRido
RAFAELA BARBOSA
 
Bioma Semi Árido
Bioma   Semi ÁridoBioma   Semi Árido
Bioma Semi Árido
Jade
 
Conceituando minerais e rochas- tipos de rochas0- ciclo das rochas
Conceituando minerais e rochas- tipos de rochas0- ciclo das rochasConceituando minerais e rochas- tipos de rochas0- ciclo das rochas
Conceituando minerais e rochas- tipos de rochas0- ciclo das rochas
Izabela Bassani
 
Trabalho Grupo 11
Trabalho Grupo 11Trabalho Grupo 11
Trabalho Grupo 11
francibiondo
 
Tipos de Rochas
Tipos de RochasTipos de Rochas
Tipos de Rochas
Márcia Dutra
 

Semelhante a Jessica (20)

material auxiliar agregados - II
material auxiliar agregados - IImaterial auxiliar agregados - II
material auxiliar agregados - II
 
Agregados minerais propiedades_aplicabilidade_ocorrencias
Agregados minerais propiedades_aplicabilidade_ocorrenciasAgregados minerais propiedades_aplicabilidade_ocorrencias
Agregados minerais propiedades_aplicabilidade_ocorrencias
 
Apostila materiais construcao_marcio_varela
Apostila materiais construcao_marcio_varelaApostila materiais construcao_marcio_varela
Apostila materiais construcao_marcio_varela
 
Apostila materiais construcao_marcio_varela
Apostila materiais construcao_marcio_varelaApostila materiais construcao_marcio_varela
Apostila materiais construcao_marcio_varela
 
Ifrn materiais de construção
Ifrn   materiais de construçãoIfrn   materiais de construção
Ifrn materiais de construção
 
Apostilla de-materiais-de-construcao
Apostilla de-materiais-de-construcaoApostilla de-materiais-de-construcao
Apostilla de-materiais-de-construcao
 
Apostila materiais construcao_marcio_varela
Apostila materiais construcao_marcio_varelaApostila materiais construcao_marcio_varela
Apostila materiais construcao_marcio_varela
 
Trabalho de pedologia
Trabalho de pedologia Trabalho de pedologia
Trabalho de pedologia
 
Rochas sedimentares classificação detríticas
Rochas sedimentares  classificação detríticasRochas sedimentares  classificação detríticas
Rochas sedimentares classificação detríticas
 
O solo
O soloO solo
O solo
 
Mecânica dos solos
Mecânica dos solosMecânica dos solos
Mecânica dos solos
 
Edificacoes mecanica dos_solos
Edificacoes mecanica dos_solosEdificacoes mecanica dos_solos
Edificacoes mecanica dos_solos
 
material auxiliar agregados I
material auxiliar agregados Imaterial auxiliar agregados I
material auxiliar agregados I
 
Trabalho da industria extrativa 10º se
Trabalho da industria extrativa  10º seTrabalho da industria extrativa  10º se
Trabalho da industria extrativa 10º se
 
Rochas, solos e seres vivos
Rochas, solos e seres vivos Rochas, solos e seres vivos
Rochas, solos e seres vivos
 
Bioma Semi áRido
Bioma   Semi áRidoBioma   Semi áRido
Bioma Semi áRido
 
Bioma Semi Árido
Bioma   Semi ÁridoBioma   Semi Árido
Bioma Semi Árido
 
Conceituando minerais e rochas- tipos de rochas0- ciclo das rochas
Conceituando minerais e rochas- tipos de rochas0- ciclo das rochasConceituando minerais e rochas- tipos de rochas0- ciclo das rochas
Conceituando minerais e rochas- tipos de rochas0- ciclo das rochas
 
Trabalho Grupo 11
Trabalho Grupo 11Trabalho Grupo 11
Trabalho Grupo 11
 
Tipos de Rochas
Tipos de RochasTipos de Rochas
Tipos de Rochas
 

Jessica

  • 2. PEDRAS ORNAMENTAIS  Uma pedra ornamental é uma pedra utilizada para decoração, por exemplo em escultura, ou como material de construção. Difere-se das gemas por não ser utilizada apenas em joalharia. No entanto, uma pedra ornamental pode ser também uma gema. Exemplos de pedras ornamentais incluem: alabastro, granito, pedra madeira, mármore
  • 3. O BRASIL E SUA GRANDE VARIEDADE GEOLÓGICA
  • 4. TIPOS DE ROCHAS Existem basicamente três tipos de rochas:  Magmáticas ou Ígneas  Sedimentares  Metamórficas As rochas são classificadas assim de acordo com sua composição química, sua forma estrutural ou textura ou da forma mais comum, que é através de seu processo de formação.
  • 6.
  • 7. MAGMÁTICAS OU ÍGNEAS São resultantes da consolidação e solidificação do magma. O Magma é um material pastoso que a bilhões de anos deu origem às primeiras rochas do nosso planeta e ainda reside no interior da Terra. São formadas através do resfriamento do magma e podem ser de dois tipos: Vulcânicas (extrusivas) e
  • 10. SEDIMENTARES As rochas sedimentares fazem parte de 80% da superfície dos continentes; são as rochas formadas a partir da desagregação de outras rochas ou matéria orgânica.
  • 13. METAMÓRFICAS São as rochas formadas através da deformação de outras rochas, magmáticas, sedimentares e até mesmo outras rochas metamórficas, devido a alterações de condições ambientais, como a temperatura e a pressão ou ambas simultaneamente. Alguns exemplos são o gnaisse, formado a partir do granito; a ardósia, formada a partir do argilito; o mármore, formado a partir do calcário, e o quartzito, formado a partir
  • 16. PEDRAS ORNAMENTAIS DA REGIÃO NOROESTE FLUMINENSE Madeira Rosa Madeira Amarela Madeira Branca Madeira Cinza
  • 17. PEDRAS ORNAMENTAIS DA REGIÃO NOROESTE FLUMINENSE Pedra Miracema Pedra Miracema com Pedra Madeira Amarela
  • 18. O PROJETO O projeto tem como base um projeto já existente e realizado por nossa orientadora Sandra Azevedo no ano de 2001 que obteve como resultado a fundação da primeira pedreira escola do Brasil, situada em Santo Antônio de Pádua/RJ no ano de 2003. Em 2011, conferimos a situação da pedreira que já não funciona mais como um polo educador e como objetivo para este ano, traçamos um paralelo entre a Pedreira no Município de Pádua em 2001, e hoje no ano de 2012.
  • 19. Pedreira Escola em 2003 Pedreira Escola em 2011
  • 20. A PEDREIRA E O MUNÍCIPIO: ECONOMICAMENTE 2003 2011/2012  Era principal fonte de  Continua sendo a renda do município com principal fonte de renda e é hoje o 2° maior importante atuação no exportador do país, atrás mercado interno e apenas do ES. externo.  Grande produção de  Grande produção de diferentes tipos de diferentes tipos de rochas. rochas.  Serrarias e Pedreiras de  Serrarias de pequeno e maior porte. médio porte  Índice elevado de empregabilidade, porém  Alto índice de vem ocorrendo uma empregabilidade e mecanização da mão de
  • 21.
  • 22. A PEDREIRA, O MUNICÍPIO E O MEIO AMBIENTE 2003 2011/2012  Descarte incorreto de  Menor índice de resíduos em rios e descartes incorretos, beira de estradas. mas ainda pouco elevado  Havia pouco  Maior aproveitamento aproveitamento dos dos restos proveniente restos proveniente da da extração das extração das rochas. rochas  Utilização da dinamite.  Substituição da dinamite pelo Jet Flame e o Fio
  • 24. A PEDREIRA, O MUNICÍPIO E O MEIO AMBIENTE 2003 2011/2012  Altos índices de  Algumas serrarias poluição sonora e do ar apresentam métodos Desenvolvimento de para tratamento da métodos para água, porém sem tratamento da água muita eficácia. proveniente das serras que cortam os blocos.
  • 25. A PEDREIRA, O MUNICÍPIO E O MEIO SEGURANÇA 2003 2011/2012  Funcionários sem  Equipamentos de equipamento de segurança são segurança completo. disponibilizado mas os  Grande parte do funcionários se trabalho era manual, recusam a utilizá-lo. inclusive o corte dos  Maior número de blocos. máquinas.  Incidência de doenças  Menor incidência de respiratórias e doenças respiratórias, amputações decorrente devido a substituição do não uso dos parcial da dinamite. equipamentos.
  • 26.
  • 27. Pedreira Escola em 2003 Pedreira Escola 2011
  • 28. TODAS AS SOLUÇÕES TÉCNICAS, SOCIAIS E POLÍTICAS DEPENDEM:  Da concordância das entidades locais, e um investimento que possa promover uma recuperação sustentável, através de ações que possam equilibrar , questões sociais e políticas públicas.  Pois sem o cumprimento dessas determinações e a conscientização dos trabalhadores, haverá um comprometimento não só com a exploração das pedreiras como também o aumento dos problemas
  • 29. A PROPOSTA PARA 2013  Dar continuidade ao processo de catalogação das rochas do país.  Separá-las por seus respectivos estados. E construir assim um mostruário como o realizado em 2011, que identificava as diferentes rochas da Região Noroeste Fluminense do
  • 30. OBRIGADO!  TRABALHO REALIZADO POR: Jessica Soares de Paula e Túlio da Silva Resende  ORIENTAÇÃO DE: Sandra Maria Gomes de Azevedo  COLABORAÇÕES DE: SINDIGNAISSES Pádua João Batista Fernandes Lopes João Nacif José Marcelo Barcellos Prof. Márcio Alexandre Barroso José Mauro Rodrigues  AGRADECIMENTOS: Ao Colégio Estadual Deodato Linhares A família Jovens Talentos Aos funcionários da FAETEC/CVT de Miracema
  • 31. A TODOS O NOSSO MUITO... OBRIGAD O!