PROJETO PARA A CRIAÇÃO DE 
UM NOVO MOVIMENTO 
ORGANIZADO PELA 
DEMOCRACIA E CONTRA O FORO 
DE SÃO PAULO
Introdução 
• A manifestação de 1º de novembro em SP contou com apenas uma 
fração dos convidados que confirmaram presença...
Introdução 
• O que se percebe é que a direita se encontra desunida e 
mesmo assim existem essas manifestações espontâneas...
Passos que podem ser seguidos: 1º 
passo 
• Decidir qual o status jurídico do movimento, se for decidido oficializar o 
mo...
2º passo 
• Conhecer os manifestantes e saber onde estão, quem são e quantos são. Para isso 
existem várias opções que pod...
Exemplo Básico de formulário
3º Passo 
• Criação de meios de comunicação entre os membros. Criar grupos no 
facebook para as regionais, grupos de whats...
4º Passo 
• Organização interna, a direção nacional e as estaduais 
podem criar subdiretorias para assuntos específicos, 
...
Passo 6º 
Rezar, lutar e esperar pela seguinte reação:
Analise de F.O.F.A 
FORÇAS: 
Movimento unido em torno de causas facilmente 
defensáveis, a democracia., liberdade de impre...
• Fiz a analise F.O.F.A para comparar os prós e 
os contras desse projeto. Mas os contras são 
superados em muito não apen...
Organização Interna 
Diretoria 
Nacional 
Tesouraria Subdiretorias 
Diretoria 
Estadual 
Diretório 
Regional 
Diretório 
L...
• Como visto no organograma o modelo apresenta 
quatro níveis distintos de organização. Os diretórios em 
níveis maiores c...
ATRIBUIÇÕES DE CADA 
NÍVEL
Local: 
• Coordenar os membros localmente, seja nos municípios 
pequenos ou nos bairros das grandes cidades. 
• Buscar apo...
Regional: 
• Manter o contato com as diretorias locais e entre elas, 
incentivando a troca de informações e de material de...
Estadual: 
• Manter o movimento estadual unido através da 
troca de informações entre os diretórios 
regionais. 
• Retirar...
Nacional: 
• Gerir o dinheiro arrecadado repassando para 
recursos assim que solicitado. Escolher os 
membros das diretori...
FINANCIAMENTO 
• Podemos apenas conjecturar o potencial financiamento recebido pelo movimento. 
• Haviam 100 mil pessoas c...
CONSIDERAÇÕES FINAIS 
• Eu espero não ter tomado muito tempo de quem se 
deu ao trabalho de ler esse projeto. Se alguém se...
Sugestão de projeto para a estruturação do movimento contra o Foro de São Paulo.
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Sugestão de projeto para a estruturação do movimento contra o Foro de São Paulo.

384 visualizações

Publicada em

Este projeto tem o intuito de dar novas ideias para a estruturação de um movimento contra o Foro de São Paulo, criando uma instituição que capte recursos e coordene esforços no combate ao Foro criando assim uma militância organizada.

Publicada em: Governo e ONGs
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
384
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
1
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Sugestão de projeto para a estruturação do movimento contra o Foro de São Paulo.

  1. 1. PROJETO PARA A CRIAÇÃO DE UM NOVO MOVIMENTO ORGANIZADO PELA DEMOCRACIA E CONTRA O FORO DE SÃO PAULO
  2. 2. Introdução • A manifestação de 1º de novembro em SP contou com apenas uma fração dos convidados que confirmaram presença na internet. • Isso se deve a vários fatores, entre eles: - Falta de interesse genuíno pelo evento. - Infiltração de petistas que entraram no evento apenas para tumultuar. - Falta de confiança no futuro do evento. - Muitos apenas apoiaram o evento, mas moravam longe demais para comparecer. Obs: No entanto observou-se a movimentação espontânea de pessoas em diversas cidades, atraindo números variáveis de manifestantes
  3. 3. Introdução • O que se percebe é que a direita se encontra desunida e mesmo assim existem essas manifestações espontâneas levadas a cabo por lideranças sem financiamento e sem o auxilio de instituições organizadas. • O que esse planejamento deseja é mostrar como a criação de uma organização oficial através de uma ong ou instituto, ou extraoficial com a criação de um movimento organizado pode levar à criação de uma militância organizada em prol da democracia, unindo liberais, conservadores e democratas em geral contra o PT e o Foro de São Paulo. • Olavo de Carvalho há décadas afirma que a esquerda tem o monopólio da militância organizada, esse monopólio poderia ser quebrado agora quando finalmente o movimento da nova direita esta alcançando maturidade.
  4. 4. Passos que podem ser seguidos: 1º passo • Decidir qual o status jurídico do movimento, se for decidido oficializar o movimento o melhor é que seja fundada uma associação, pelas suas características jurídicas. • Organizar as diretorias estaduais e nacional. • Aprovar um conjunto de metas, reinvindicações e um estatuto. • Escolher um nome para o grupo, de preferencia algo que tenha uma boa sonoridade, bom significado, não puxe a sardinha para uma corrente política e seja inclusivo. Sugestão: Uma palavra que signifique união (conservadores, liberais, centristas e democratas em geral) e democracia. Por exemplo: Liga Democrática. Movimento, Aliança ou União Democrática podem evocar a UDN, ARENA ou o MDB, mas cabe aos fundadores do movimento escolher um bom nome. • Entrar em contato com os grupos que já organizaram protestos para que estes se tornem, caso seja intenção deles, os primeiros diretórios e participem da fundação do movimento e formação da diretoria nacional.
  5. 5. 2º passo • Conhecer os manifestantes e saber onde estão, quem são e quantos são. Para isso existem várias opções que podem ser usadas, até mesmo podem ser usadas ao mesmo tempo. • Opção 1: Criação de um formulário no google que pode ser espalhado pelos frequentadores das páginas dos organizadores do movimento. • Opção 2: Algumas pessoas ficam responsáveis por receber em seus e-mails ou facebook as adesões de novos membros. • Opção 3: Criação de páginas no facebook do movimento focadas em uma cidade, por exemplo: Movimento X-Londrina e região, Movimento X-Belo Horizonte, Movimento X-São Borja e região. Links para formulários seriam disponibilizados nessas páginas que já dividiriam os possíveis membros entre regiões facilitando o processo.
  6. 6. Exemplo Básico de formulário
  7. 7. 3º Passo • Criação de meios de comunicação entre os membros. Criar grupos no facebook para as regionais, grupos de whats up entre as pessoas de uma região ou um forum na internet para que as pessoas possam se comunicar regularmente entre elas espalhando noticias, ideias, informações, etc. • A seguir prós e contras dos diferentes métodos: • De todas essas ferramentas a melhor seria um forum, já que permite criar espaços fechados para todos exceto os membros de determinados grupos e uma grande área pública para todos os membros. O mais complicado é fazer as pessoas se acostumarem a utilizar um forum, já que muitos usam a internet pelo celular ou estão desacostumados às dinâmicas de um forum. • Grupos no facebook são bons por poderem ser fechados e moderados também, mas não tem a mesma facilidade que um forum na hora de delimitar espaços fechados . • Grupos no whats up são os que tem mais apelo ao usuário e mais velocidade de troca de informações, mas são quase impossíveis de serem moderados.
  8. 8. 4º Passo • Organização interna, a direção nacional e as estaduais podem criar subdiretorias para assuntos específicos, como comunicação social, propaganda nas redes sociais ou think tanks. • Busca de apoios entre conservadores, liberais e democratas em geral. Buscar o apoio de jornalistas como Reinaldo Azevedo e Rodrigo Constantino, filósofos como Olavo de Carvalho e Ponde, políticos locais (vereadores, prefeitos, deputados estaduais e federais), artistas, empresários, qualquer um que possa trazer recursos humanos, visibilidade positiva ou recursos materiais para o movimento.
  9. 9. Passo 6º Rezar, lutar e esperar pela seguinte reação:
  10. 10. Analise de F.O.F.A FORÇAS: Movimento unido em torno de causas facilmente defensáveis, a democracia., liberdade de imprensa, etc. O PT deixou muitas evidencias de que não fez uma campanha limpa. Muita gente indignada militando por conta própria e que provavelmente acharia bem vinda a chegada de um movimento organizado. Com o movimento indo até o nivel local cada público poderia ser atingido de forma diferente, por exemplo, grupos católicos mostrando como o PT é abortista, empresários mostrando como o PT gere mal a economia, etc. OPORTUNIDADES: Grande potencial de mobilização após as ultimas eleições onde 51 milhões de eleitores se encontram descontentes e concentrados nas regiões mais ricas do país. O PT está claramente enfraquecido. Se o movimento vingar, ele vai crescer juntamente com o escândalo do petrolão e a chegada de uma provável recessão. FRAQUEZAS: O movimento é novo, pode rachar com brigas internas ou ser atacado por fora implodindo todo o esforço de criação. O movimento não vai contar com o apoio dos partidos de oposição antes de contar com o apoio de grandes massas de pessoas. O movimento carece de militância paga. AMEAÇAS: Mídia petista tentará desacreditar o movimento. Militância esquerdista. Retaliação governista. Infiltração de esquerdistas.
  11. 11. • Fiz a analise F.O.F.A para comparar os prós e os contras desse projeto. Mas os contras são superados em muito não apenas pelos prós, mas pelo objetivo maior de preservar a democracia. • A seguir eu faço uma sugestão rudimentar de organização interna.
  12. 12. Organização Interna Diretoria Nacional Tesouraria Subdiretorias Diretoria Estadual Diretório Regional Diretório Local Demais Membros Diretoria Estadual Diretoria Estadual
  13. 13. • Como visto no organograma o modelo apresenta quatro níveis distintos de organização. Os diretórios em níveis maiores coordenam os níveis menores de maneira que a atuação seja unificada. • A diretoria nacional teria pleno controle sobre o movimento enquanto os diretórios estaduais teriam controle sobre as regionais e assim sucessivamente. • A tesouraria seria o único orgão interno autorizado a receber doações em dinheiro, enquanto os diretórios poderiam receber doações diretamente de material, como faixas, papel, tinta, carros de som, megafones, etc.
  14. 14. ATRIBUIÇÕES DE CADA NÍVEL
  15. 15. Local: • Coordenar os membros localmente, seja nos municípios pequenos ou nos bairros das grandes cidades. • Buscar apoiadores financeiros, manifestantes e apoios políticos locais. • Executar ações de panfletagem tanto de maneira virtual como física. Por estarem mais próximos das pessoas e grupos menores o nível local poderia adaptar aos diferentes públicos a sua mensagem. • Fornecer ao nível regional uma listagem de membros aptos a deslocarem-se para manifestações em cidades chave. • Manter o contato entre os membros através do whats up, grupos do facebook ou forum na internet.
  16. 16. Regional: • Manter o contato com as diretorias locais e entre elas, incentivando a troca de informações e de material de propaganda. • Organizar manifestações de vulto. • Gerir os recursos humanos locais para que grandes manifestações em cidades chave do interior se realizem. • Obs: em cidades menores manifestações de vulto não precisam atingir grandes números, para uma cidade de 100 mil hab. 1000 manifestantes são como 10 mil em Curitiba e 100 mil em São Paulo.
  17. 17. Estadual: • Manter o movimento estadual unido através da troca de informações entre os diretórios regionais. • Retirar de suas funções os membros das diretorias regionais e locais que cometerem faltas graves. • Buscar apoios a nível estadual. Coordenar o movimento em seu estado enviando recursos para os locais em que isso se fizer necessário. • Manter conselho deliberativo para monitorar a diretoria e subdiretorias estaduais.
  18. 18. Nacional: • Gerir o dinheiro arrecadado repassando para recursos assim que solicitado. Escolher os membros das diretorias estaduais. • Coordenar o movimento como um todo. • Criar subdiretorias nacionais para cuidar das relações públicas, redes sociais, propagandas, atuação coordenada de militantes virtuais, think tanks, etc. • Manter um conselho deliberativo para fiscalizar a atuação da diretoria, tesouraria e subdiretorias.
  19. 19. FINANCIAMENTO • Podemos apenas conjecturar o potencial financiamento recebido pelo movimento. • Haviam 100 mil pessoas confirmadas no evento de 1º de novembro. Se dessas 100 mil, 100 estiverem dispostas a pagar 100 reais teremos 10 mil reais. Se mais 2000 estiverem dispostas a pagar 25 reais teremos mais 50 mil reais e se outras 5000 estiverem dispostas a pagar 10 reais teremos mais 50 mil, totalizando 110 mil reais. Se as pessoas doarem isso todos os meses o movimento terá um financiamento constante de razoável monta. Doações de empresários poderiam também ser somadas a medida que o movimento crescesse. • Fica a cargo de todos os níveis buscar pessoas e empresas interessadas em financiar o movimento. • Não devem ser aceitas doações ou verbas do governo pelas complicações que elas trazem. • Quem fizer doações de materiais ou dinheiro não pode ter posição privilegiada dentro do movimento apenas por ser doador, quem diz isso é o próprio Olavo de Carvalho.
  20. 20. CONSIDERAÇÕES FINAIS • Eu espero não ter tomado muito tempo de quem se deu ao trabalho de ler esse projeto. Se alguém se interessar eu estou a disposição para ajudar no que for possível. • Eu termino com um pensamento de “A Arte da Guerra” com um grifo meu: “Será vencedor quem organizado espera surpreender o inimigo despreparado.” (Sun Tzu) Diego Natan

×