A pré história da sociologia

570 visualizações

Publicada em

manifesto

Publicada em: Notícias e política
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
570
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
9
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

A pré história da sociologia

  1. 1. INSTITUTO DE ENSINO SUPERIOR DA AMAZONIA - IESA FACULDADE MARTHA FALCÃO - FMF A Pré-história da Sociologia Para-sociologia e Sociologia implícita Prof. Aquiles Santos Pinheiro (MsC) E-mail: achilespinheiro@hotmail.com Fone: 9129-5628
  2. 2. Ideologia para-sociológica e ideologia justificadora  Descrições históricas do Oriente Antigo. (Heródoto). - Importância das ideias e instituições religiosas; - A teologia dos egípcios servia de justificativa para a organização social: a hierarquia dos deuses correspondia à hierarquia dos homens.
  3. 3. Amon, Rá, Atom No Egito, estas 3 divindades, assim como Hórus, Osíris e Ísis acabaram constituindo uma santa trindade divina - análoga à que os cristãos muito mais tarde defenderam na sua religião monoteísta - e constituíram apenas 1 única deidade: aquele que originou todos os deuses e que era pai de todos os deuses. Hórus-Osíris-Ísis A Santíssima Trindade
  4. 4. Ideologia e filosofia egípcias: Baseada em idéias e instituições religiosas.  O Faraó, intermediário entre os dois mundos era um deus ou rei-deus.  A existência futura (no pós-morte) era um prolongamento da existência terrena.  Importância da mumificação e dos rituais funerários.
  5. 5. A Teologia Indu Filosofia social ligada às crenças bramânicas  A teologia Indu é inseparável das realidades sociais, consideradas como fruto de suas crenças.  O regime de castas na Índia é uma instituição fundamental das sociedades onde predominam a filosofia bramânica.
  6. 6. Bramas: os sacerdotes, que se chamavam bramas, representavam a classe mais elevada da sociedade e se consideravam nascidos da cabeça do Deus Brama. Xátrias: guerreiros com poder político. Vaicias: comerciantes, camponeses e artesãos. Sudras: servos. Párias: eram os marginalizados da sociedade
  7. 7. Sociedades da América Pré-Colombiana  Podemos extrair concepções pré-sociológicas dos princípios e das crenças que presidiam a organização de importantes sociedades da América pré-colombiana.  Astecas – teocracia feudal e militar.  Incas – castas pacíficas sob o domínio de um rei-deus.
  8. 8. A aurora da Sociologia  A aurora da sociologia implicava o nascimento de uma especulação sociológica desembaraçada, ao menos em parte, das ideias religiosas.  A característica das cidades gregas era a identidade das crenças religiosas coincidindo com a diversidade das instituições políticas.  A existência de sociedades tão diferenciadas era propício para as reflexões sociológicas dos precursores da sociologia moderna.
  9. 9. Nascimento de uma “sociologia racional”  Sofistas – os primeiros filósofos gregos a tratar de assuntos sociais.  Os sofistas inauguraram, no domínio social, os elementos essenciais do método científico, isto é, a observação, a comparação e a crítica.  Desconfiam das explicações mitológicas e religiosas.  Saem em busca de um direito natural baseado na pessoa humana.  Todas as suas especulações procedem de preocupações éticas: defendem o espírito igualitário, combatem a escravatura e o nacionalismo estreito das cidades helênicas.
  10. 10. Século XIX - O Nascimento da Sociologia Científica
  11. 11. O Sistema Sociológico de Comte  Auguste Comte (1789-1857): é considerado unanimemente o fundador da Sociologia Moderna. Foi ele quem cunhou o termo “Sociologia”.  Comte concebeu a Sociologia Científica em oposição à Teologia e a especulação filosófica.  Assim como René Descartes cortou os laços que ainda uniam a filosofia à teologia, Comte separou a sociologia da metafísica.
  12. 12. Classificação das Ciências  O Sistema Sociológico de Comte principia por um inventário dos conhecimentos humanos e uma teoria geral das ciências.  Comte classifica as Ciências em ordem de complexidade crescente (do simples para o complexo): matemática, astronomia, física, química, biologia e, como coroamento, a nova ciência, a sociologia – o estudo objetivo e positivo da sociedade.
  13. 13. O sistema sociológico de Comte  A Sociologia é uma ciência cujo tema de estudo é distinto: o ser social no seu conjunto.  A sociedade para Comte, compõe-se de todos os homens vivos e todos os que já morreram, mas que sobrevivem no pensamento de seus descendentes, e aí, desenvolvem uma ação igual ao ascendente de sua lembrança.  A sociedade é formada pela acumulação de uma experiência e de um saber que constitui um dado espiritual objetivo e liga as gerações entre si.
  14. 14.  No tocante ao método, a sociologia deve empregar a observação e a indução.  Com base nesse método, Comte elabora uma teoria geral da evolução filosófica: a “Teoria dos Três Estados”.  Essa teoria considera que a evolução do conhecimento humano passa por três estágios: estado teológico; estado metafísico; e estado positivista (ou científico).
  15. 15. O Estado Teológico  O estado teológico – consiste em explicar os diversos fenômenos por causas primeiras, em geral personificada nos deuses.  Nas instituições sociais correspondentes a tal mentalidade, a predominância pertence aos grupos sacerdotais,
  16. 16. O Estado Metafísico  O estado metafísico – os homens empenham-se em alcançar concepções menos antropomórficas.  As causas primeiras são substituídas por causas mais gerais: as entidades metafísicas.  Na vida dos Estados impera dogmatismo considerado superior aos fatos: estes devem curvar-se ante princípios a priori, como idéia de liberdade absoluta, virtude “integral” etc.
  17. 17. O Estado Positivista  O estado positivista: consiste em explicar os fenômenos por causas segundas, baseadas na observação científica.
  18. 18. Características da filosofia positiva  A concordância com os fatos deve ser o único critério da filosofia positiva.  Deve-se buscar as leis dos fenômenos, isto é, as relações constantes existentes entre fenômenos observados.  Jamais procurar as causas absolutas ou a natureza íntima das coisas. O característico da filosofia positiva é substituir em toda parte o absoluto pelo relativo.
  19. 19. Sociologia Estática e Dinâmica  Comte acreditava que assim como na Física e na Química as forças são estudadas, de início, em equilíbrio, e depois em atividade, do mesmo modo a sociologia deve comportar as condições constantes da existência das sociedades: 1º) Estuda as condições constantes da existência das sociedades; 2º) Estuda a dinâmica que estuda as leis do desenvolvimento da sociedade.
  20. 20. Referências Bibliográficas  BOUTHOUL, Gaston. História da Sociologia. Tradução de J. Guinsburg. 5. ed. São Paulo / Rio de Janeiro: DIFEL, 1980.
  21. 21. O sistema sociológico de Comte  A Sociologia é uma ciência cujo tema de estudo é distinto: o ser social no seu conjunto.  A sociedade para Comte, compõe-se de todos os homens vivos e todos os que já morreram, mas que sobrevivem no pensamento de seus descendentes, e aí, desenvolvem uma ação igual ao ascendente de sua lembrança.  A sociedade é formada pela acumulação de uma experiência e de um saber que constitui um dado espiritual objetivo e liga as gerações entre si.
  22. 22. Bibliografia  BOUTHOUL, Gaston. História da Sociologia. Tradução de J. Guinsburg. 5. ed. São Paulo/Rio de Janeiro: Difel, 1980

×