Psicologia Geral - Behaviorismo

3.713 visualizações

Publicada em

Professora: Angelita Menezes - Psicologia Geral

Publicada em: Educação
0 comentários
3 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
3.713
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
4
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
185
Comentários
0
Gostaram
3
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Psicologia Geral - Behaviorismo

  1. 1. BEHAVIORISMO ESTUDO DO COMPORTAMENTO Ivan Pavlov John Watson
  2. 2. BEHAVIORISMO Burrhus Frederic Skinner – Pensilvânia 1904/1990 Estudo das respostas 1938 : The Behavior of organisms 1953 : Science and human behavior Caixa de Skinner
  3. 3. BEHAVIORISMO ESTUDO DO COMPORTAMENTO Ivan Pavlov – Rayzan, Rússia 1849. Filho mais velho de 11 Senso de responsabilidade prematura Casou-se com Sara em 1881 que o poupava das preocupações mundanas (Salário e queda do Bonde) Perde o primeiro filho Temperamento forte, os alunos disputavam sua atenção e foi o primeiro a permitir que mulheres e judeus fossem admitidos em seu laboratório Pesquisas: Função do nervo cardíaco e Glândulas Digestivas Primárias
  4. 4. BEHAVIORISMO ESTUDO DO COMPORTAMENTO John Watson, 1913. Carolina do Sul Mãe religiosa Pai alcoólatra que deixa a família quando ele tinha 13 anos Considerado brilhante, delinquente, preguiçoso e desobediente Aos 16 anos entra na Furmam University para tornar-se Pastor Após falecimento da mãe torna-se psicólogo e inicia sua carreira acadêmica na University of Chicago
  5. 5. BEHAVIORISMO ESTUDO DO COMPORTAMENTO John Watson, 1913. Comportamento: Objeto observável,mensurável, que pode ser reproduzido em diferentes condições e em diferentes sujeitos. “Só quando se começa a relacionar os aspectos do comportamento com os do meio é que há a possibilidade de existir uma psicologia científica.” ( KELLER, 1970:17) Condicionamento Respondente Comportamento reflexo: Não voluntário e inclui respostas que são eliciadas (“produzidas”) por modificações especiais de estímulos do ambiente. (RESPOSTA INCONDICIONADA)
  6. 6. RESPOSTA CONDICIONADA Um estímulo neutro (aquele que originalmente nada tem a ver com o comportamento) for pareado(associado), um certo número de vezes, a um estímulo eliciador (aquele que elicia o comportamento), o estímulo previamente neutro irá evocar a mesma espécie de resposta. (Laranja Mecânica) Condicionamento operante Comportamento voluntário e abrange uma quantidade muito maior da atividade humana.
  7. 7. Reforço Reforço positivo: é aquele que, quando apresentado, atua para fortalecer o comportamento que o precede. Reforço negativo: fortalece a resposta que remove o comportamento. Extinção: eliminação de comportamentos indesejáveis. Generalização: responder de forma semelhante a situações que percebemos como semelhantes. Discriminação: capacidade de perceber as diferenças entre estímulos e responder diferentemente a cada um deles.
  8. 8. PAVLOV PAVLOV Estímulo Estímulo Resposta Resposta Emparelhamento Emparelhamento
  9. 9. Condicionamento Operante Skinner RESPOSTA - ESTÍMULO
  10. 10. REFORÇO Positivo Aumenta a freqüência da resposta Negativo Diminui a freqüência da resposta
  11. 11. COERÇÃO Punição: Podemos fazer algo não porque nos traz uma conseqüência positiva, mas porque impede ou nos livra de algo ruim.
  12. 12. FUGA OU ESQUIVA Rotas de Fuga: •Desligamento •Desligamento •Crise de gerenciamento (Deixe o Zé fazer •Crise de gerenciamento (Deixe o Zé fazer isto) isto) •Desistir •Desistir •Suicídio •Suicídio •A esquiva é geralmente mais adaptativa à •A esquiva é geralmente mais adaptativa à punição que a fuga. punição que a fuga.
  13. 13. ESTÍMULOS CONTRADITÓRIOS: INICIATIVA X PARTICIPAÇÃO

×