O dia do senhor em apocalipse 1 10

1.232 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.232
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
9
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
12
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

O dia do senhor em apocalipse 1 10

  1. 1. O Dia do Senhor em Apocalipse 1:10Por Samuele BacchiocchiA terceira passagem crucial do Novo Testamento amplamente utilizada para defendera origem apostólica da observância do domingo encontra-se no livro do Apocalipse.João, exilado na ilha de Patmos, “por causa da palavra de Deus e do testemunho deJesus” (Apo. 1:9), escreve:“Eu estava em espírito no dia do Senhor” (Apo. 1:10). A importância deste texto surgedo fato de que, como diz R. H. Charles, “este é o primeiro lugar na literatura cristãonde o dia do Senhor é mencionado”.64 Deve ser observado que o vidente não usa aexpressão “dia do Senhor-hmevra tou curiou” que se encontra uniformemente naSeptuaginta e Novo Testamento para traduzir o yom YHWH do Velho Testamento,porém uma locução diferente, “dia do Senhor-Curiakh hmera”. Qual é o significadodesta nova fórmula?A expressão “dia do Senhor”, que se encontra em Apocalipse 1:10 tem sidointerpretada em quatro modos diferentes. Resumirei sucintamente neste contexto asquatro principais interpretações. Domingo. A interpretação prevalecente iguala aexpressão “Dia do Senhor” com o domingo. Esta equação toma por base nãoevidências internas do livro do Apocalipse, mas três testemunhos patrísticos dosegundo século, ou seja, o Didache 14:1, a Epístola aos Magnésios 9:1, de Inácio, e oevangelho de Pedro 35 e 50. Desses, somente no evangelho apócrifo de Pedro, datadoda última metade do segundo século, é que o domingo é inegavelmente designadopelo nome técnico “do Senhor—kuriakê”.A designação do domingo como “dia do Senhor”, que inegavelmente aparece antes dofim do segundo século, não pode necessariamente ser lido em Apo. 1:10. Uma razãorelevante para isso é que se o domingo já tivesse recebido a nova designação de “diado Senhor” pelo final do primeiro século, quando tanto o Evangelho de João quanto olivro de Apocalipse foram escritos, esperaríamos que esse novo nome para o domingofosse usado coerentemente em ambas as obras, especialmente em vista deaparentemente terem sido produzidas pelo mesmo autor aproximadamente nomesmo tempo e na mesma área geográfica.Se um novo termo prevalece e é mais prontamente entendido, um escritor nãoconfundiria seus leitores com designações arcaicas. Ademais, se a nova designação de“dia do Senhor” já existisse e expressasse o sentido e natureza do culto cristão, osautores dos evangelhos dificilmente teriam tido razões para empregar a frase judaica“primeiro dia da semana”. Portanto, o fato de que a expressão “dia do Senhor” ocorre
  2. 2. no livro apocalíptico de João mas não em seu evangelho—onde o primeiro dia éexplicitamente mencionado em relação com a Ressurreição (João 20:1) e osaparecimentos de Jesus (João 20: 19, 26)—sugere que o “dia do Senhor” de Apo. 1:10dificilmente se referiria ao domingo.Domingo de Páscoa. Outros eruditos sustentam que o “dia do Senhor” de Apo. 1:10designa o Domingo de Páscoa, e não o domingo semanal. Esta conclusão firma-sebasicamente no pressuposto de que, sendo que no Novo Testamento e na literaturasub-apostólica, pouca importância é dada ao domingo como um dia de culto cristão, o“dia do Senhor” de Apo. 1:10 deve então referir-se ao Domingo de Páscoa anual, apartir do qual mais tarde o domingo semanal se desenvolveu.A maior debilidade dessa interpretação é que ignora o fato de que o livro deApocalipse foi dirigido por João às sete igrejas da Ásia Menor, que sabemos teremrejeitado vigorosamente o costume do Domingo de Páscoa, apegando-se, em vezdisso, à data de 14 de Nisã para a Páscoa.Como iria João ter querido dizer, “achei-me em espírito no Domingo de Páscoa”quando escrevia para cristãos que, sabemos, prefeririam ser excomungados pelo BispoVítor de Roma a aceitarem o Domingo de Páscoa?O Sábado do Sétimo Dia. Um terceiro ponto de vista, mantido por Igrejas observadorasdo sábado, inclusive os adventistas do sétimo dia, mantém que o “dia do Senhor” deApo. 1:10 designa o sábado do sétimo dia. Esta conclusão baseia-se especialmente nofato de que Cristo declarou-Se “Senhor do sábado” (Marcos 2:28).Conceitualmente, há ligação direta entre o “Senhor do sábado” e o “dia do Senhor”.Historicamente, os adventistas do sétimo dia têm interpretado o “dia do Senhor” deApo. 1:10 em referência ao sábado do sétimo dia. Pessoalmente aceito estainterpretação, em especial por haver indicações bem óbvias de que a guarda dodomingo não se originou antes do reinado do Imperador Adriano (117-138 AD).Ademais, há também indicação de que mesmo quando o domingo foi introduzido pelaIgreja de Roma, muitos cristãos orientais adotaram a observância do domingo emadição, não em substituição, ao sábado do sétimo dia. Isso significa que possivelmentesó o sábado poderia ser conhecido por João como o “dia do Senhor” antes do fim doprimeiro século, quando escreveu o livro do Apocalipse.Creio que não só o “dia do Senhor”, no qual João foi tomado em visão, foi o dia desábado, mas também que somente o sábado pode ser legitimamente chamado eobservado como o “dia do Senhor”.O Dia do Senhor. Uma quarta interpretação, que tem sido defendida por eruditos tãoaltamente conceituados como J. B. Lightfoot e A. Deissmann, considera que o “dia doSenhor” de Apo. 1:10 seria uma variante do “dia do Senhor” comumente empregadonas Escrituras com referência ao dia da vinda de Cristo e de Seu julgamento.O apoio básico para esta interpretação é obtida pelos contextos imediato e maisamplo, ambos falando do dia da vinda de Cristo. Apoio adicional se tem nas referênciasde João ao “grande dia do Senhor” (Apo. 16:14; 6:17), e pelo paralelismo singular entreApo. 1:10 e 4:1-7. Esse paralelismo consiste em semelhanças de expressões, contextoe conteúdo que sugerem que o “dia do Senhor” de Apo. 1:10 poderia entender-se, àluz de expressões paralelas, “o que deve acontecer depois destas coisas” (Apo. 4:1),com o sentido do dia da vinda de Cristo.Pode ser possível combinar as duas últimas interpretações vendo o “dia do Senhor”tanto como o sábado do sétimo dia em que João foi tomado em visão. Maior visão não
  3. 3. poderia ser dada para animar o idoso apóstolo no exílio para seu testemunho deCristo! Ademais, o sábado está intimamente ligado com o Segundo Advento. Oencontro do Senhor invisível no tempo, no sábado semanal, é um prelúdio do encontrodo Senhor visível no espaço, no dia final de Sua vinda.

×