O Despertamento Religioso do Século DezenovePor Enilson Sarli (RA, mar/1987)Durante as primeiras décadas do século dezenov...
Viram que as Escrituras apontavam para o retorno de Cristo. Viram também que asEscrituras, profetizavam em detalhes os eve...
enchendo toda a atmosfera, imitando uma chuva de neve, porém em alta velocidade...causando ao expecta-dor uma sensação de ...
somente para ouvir os pequenos pregadores de Deus chamar seus ouvintes aoarrependimento e reforma. Esse, sem dúvida, era u...
"O chamado ao arrependimento que eu ouvi era tão puro que ninguém,... com a Bíblianas mãos, podia criticá-las, muito menos...
Após o primeiro sermão - de Miller, seus ouvintes insistiram para que continuasse osestudos com eles durante aquela semana...
"Guilherme Miller estudou-o meticulosamente, orou intensamente a respeito e depoisescreveu com alegria: Vejo uma glória no...
"Permaneceu no meridiano, quente e comunicador de vida... Mas o Sol da Justiça nãoapareceu."Escondeu-se no ocidente, flame...
4. Ibib., pág. 3295. Ibid.. pág. 3306. The Greal Second Advém Muvemenl. pag. 967. Our First Ceuturv. págs. 330-3318. Ibid....
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

O despertamento religioso do século dezenove

571 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
571
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
28
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
11
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

O despertamento religioso do século dezenove

  1. 1. O Despertamento Religioso do Século DezenovePor Enilson Sarli (RA, mar/1987)Durante as primeiras décadas do século dezenove, estudo diligente das EscriturasSagradas levou o mundo a um despertamento religioso. Ao mesmo tempo, pesquisascientíficas lançaram os fundamentos para uma revolução similar na prática damedicina. Em ambas — medicina e religião — homens de determinação e caráterquestionavam a tradição, considerando cuidadosamente antigas e novas idéias. Eles seatreveram a ficar de pé, mesmo sendo ridicularizados por causa das novas verdadesque haviam descoberto. Deste reexame das Escrituras cresceu um interesse semprecedentes pela Segunda Vinda de Cristo, o que levou por sua vez aodesenvolvimento de movimentos simultâneos do "Segundo Advento" em muitospaíses.O movimento milerita era um desses. Ele floresceu na América do Norte durante adécada de 1830, e então desapareceu quando sua tão amplamente publicada datapara o retorno de Cristo, 22 de outubro de 1844, passou. Desse movimento, porém,aparentemente desacreditado e sem vida, nasceu uma nova denominaçãoprotestante.Sua continuada crença na iminente Segunda Vinda de Cristo estava baseada no intensoestudo das profecias bíblicas, e isso caracterizado por um estilo único de vida e umafilosofia saudável. Fazer o homem completo, física, mental e espiritualmente, era afilosofia, incomum na época, desse pequeno grupo que surgiu do movimento milerita,desapontados mas cheios de fé na exatidão das Escrituras e em seu Autor. Elescomeçaram a compartilhar uma mensagem de vitalidade e força destinada a beneficiara saúde e aumentar a visão espiritual de muitos. O despertar espiritual do séculodezenove, do qual eles faziam parte, cresceu não somente do espírito individual e deinvestigação pessoal mas também de alguns eventos sem precedentes no mundonatural.Sinais do Segundo AdventoNa década de 1830 e no começo da de 1840, o Espírito de Deus colocou no coração deministros e leigos de muitas religiões o interesse sobre o assunto do retorno de Cristo.A medida que iam estudando cuidadosamente várias profecias bíblicas e observavamnos eventos históricos como cada um deles se ia cumprindo no devido tempo, eles seconvenciam de que o evento final no tempo profético de Deus — o Segundo Adventode Cristo — logo teria lugar.
  2. 2. Viram que as Escrituras apontavam para o retorno de Cristo. Viram também que asEscrituras, profetizavam em detalhes os eventos que precederiam tal acontecimento.Descobriram que muitos dos eventos ou condições que haviam sido profetizados comosinais haviam, após o ano de 1700, sido cumpridos. Viram que tais sinais haviam sidodados para chamar a atenção dos homens para a breve volta de Cristo e para ajudá-losa se prepararem para o encontro com o Criador.Através do profeta Joel, Deus havia dito: "O Sol se converterá em trevas, e a Lua emsangue, antes que venha o grande e terrível dia do Senhor." Joel 2:31. E durante Seuprimeiro advento Cristo adicionou alguns detalhes: "Logo em seguida à tribulaçãodaqueles dias, o Sol escurecerá, a Lua não dará a sua claridade, as estrelas cairão dofirmamento e os poderes dos céus serão abalados." Mat. 24:29. João acrescentou: "...e sobreveio grande terremoto. O Sol se tornou negro como saco de crina, a Lua todacomo sangue, as estrelas do céu caíram pela terra, como a figueira, quando abaladapor vento forte, deixa cair os seus figos verdes." Apoc. 6:12 e 13.Nessas três profecias, três sinais notórios anunciaram o Segundo Advento: um grandeterremoto, seguido pelo escurecimento do Sol e da Lua, seguido pela queda dasestrelas. As predições se cumpriram precisamente na ordem em que foram preditas.O terremoto de Lisboa, em 1? de novembro de 1755, foi um dos mais severos e umdos maiores em extensão (4 milhões de milhas quadradas). Foi sentido na África, naEuropa Continental, no Reino Unido, na Groenlândia, América e nas índias Ocidentais.O grande Dia Escuro, em 19 de maio de 1780, caracterizou-se por densas trevas.Começando entre dez e onze horas da manhã, com duração de quinze horas. Umtrabalho publicado em 1881 disse que aquele dia foi "o mais misterioso e ainda nãoexplicado fenômeno do gênero, de todos os diversos eventos constatados naNatureza, durante o último século.... O maior escurecimento de todo o céu visível eatmosfera na Nova Inglaterra..."1 "Ele foi observado nas regiões mais distantes a esteda Nova Inglaterra, a oeste de Con-necticut e Albany, ao sul nas costas marítimas e aonorte em todos os Estados americanos. Esta escuridão provavelmente excedeu esseslimites; porém, essa realidade nunca foi conhecida."2 Os pássaros voltaram para osseus ninhos, os animais para o seu abrigo. A Câmara Legislativa do Estado deConnecticut quase foi suspensa, pois seus membros assustados pensaram que o dia dojuízo havia chegado.3 Naquela noite, como havia sido profetizado, a Lua tornou-severmelha como sangue.A queda das estrelas, em 13 de novembro de 1833, foi uma tão espessa chuva demeteoros, estão extensiva, tão longa, que muitos temeram ser o fim do planeta Terra."Todo o firmamento, todo os Estados Unidos por [oito] horas estiveram em grandecomoção."4 Um incessante espetáculo de luminosidades brilhantes foi mantido portodo o céu. Algumas delas eram de grande magnitude e de forma muito peculiar.Primeiro pareciam como fogos de artifícios de muita grandeza cobrindo todo o céucom milhões de bolas de fogo, parecendo foguetes. Numa inspeção mais detalhada,podia-se ver que os meteoros exibiam três distintas variedades, descritas pelo Dr.Almsted5 do Yale College, Massachusetts, conhecido como "o maior meteorologista daAmérica"6: "Primeiro, eles consistiam de linhas fosfóricas,... muito numerosos,
  3. 3. enchendo toda a atmosfera, imitando uma chuva de neve, porém em alta velocidade...causando ao expecta-dor uma sensação de espanto."Segundo, eles eram enormes bolas de fogo.... Esse tipo parecia mais com uma chuvade estrelas, que muitos tiveram a impressão de estar realmente caindo do céu...."Terceiro, esses indefinidos corpos luminosos permaneciam como que parados no céupor um longo período de tempo; e eram de vários tamanhos e formas."7"Um de tamanho grande permaneceu por longo tempo sobre as cataratas do Niágaraemitindo vários raios de luz em todas as direções.... Nenhum homem jamais foi capazde ver um espetáculo tão terrível como o do firmamento descendo em pontas de fogosobre a escura e barulhenta catarata!"8 W. J. Fisher escrevendo em The Telescope, emoutubro de 1934, disse que o fenômeno foi "a mais magnificente chuva de meteoros járegistrada em recordes".Numa noite típica, um observador comum poderá observar somente a queda de dezestrelas por hora. Porém naquela noite, o mesmo observador poderia ter vistosessenta mil por hora.9 "Arago computou que não menos de duzentos e quarenta milmeteoros foram ao mesmo tempo visíveis sobre o horizonte da cidade de Boston."10Naquela noite mais de um bilhão de estrelas apareceram sobre os Estados Unidos e oCanadá somente."Um Sinal Mais ImpressionanteOs sinais no céu e na Terra advertiam os homens a se prepararem para o SegundoAdvento de Cristo. Porém, havia um sinal mais impressionante apontando para otempo do advento. Surpreendentemente, na década de 1830, milhares de pregadorese leigos através do mundo começaram a ensinar sobre a brevidade desse evento.Entre esses homens, alguns se destacaram, a saber: Manuel de Lacunza, no Chile;Edward Ir-ving, na Inglaterra e Escócia; Louis Gaussen, na Suíça; Brugel, LeonardKelber, Joseph Wolff e John Albert Bengel, na Alemanha. O movimento do Adventotambém foi da Europa para a Rússia. Joseph Wolff, muitas vezes correndo perigo devida, levou a mensagem à Ásia e África. Ele muitas vezes falou perante o congresso dosEstados Unidos, em várias câmaras estaduais e em muitas cidades do país. Eleencontrou cristãos isolados que através de seu próprio estudo haviam concluído que oretorno de Cristo deveria ocorrer entre os anos de 1840 e 1844.Um sonho levou Hentzepeter, o responsável pelo musel Royai Holland e um dosmaiores ministros da Holanda, a estudar o assunto e a publicar em 1830 um panfleto arespeito. Onze anos mais tarde ele publicou outro panfleto, maior que o anterior, comadvertências sobre o final do mundo. Esses„homens e milhares de outros levaram amensagem do advento a seus compatriotas.Na Suécia, a lei permitia somente que os pregadores do Estado pregassem nas igrejas.Por isso em algumas partes da Suécia e Noruega, crianças eram os líderes domovimento do Advento. Elas eram movidas pelo Espírito de Deus para explicar asprofecias, as quais eles mesmos eram muito novos para compreender — profeciasrelacionadas com a breve volta do Salvador. Pessoas viajavam longas distâncias
  4. 4. somente para ouvir os pequenos pregadores de Deus chamar seus ouvintes aoarrependimento e reforma. Esse, sem dúvida, era um trabalho da Providência Divina.Em 1896, um homem que havia pregado a mensagem do Advento na Suécia quandoera ainda criança, disse: "Preguei! sim, eu tinha que pregar. Não podia discernir bem amatéria. Uma força veio sobre mim, e eu fiz o que havia sido impelido por aquela forçaa fazer."12Dois mil anos atrás, crianças compelidas pelo Espírito de Deus balançavam folhas depalmeiras no pátio do templo e proclamavam a Cristo como o prometido filho de Davi.Durante a entrada triunfal de Cristo em Jerusalém e no Templo, as criançascontinuaram a adorá-Lo, porque os adultos, com medo dos sacerdotes e dasautoridades, deixaram crescer o silêncio.Quando os invejosos fariseus ordenaram que Cristo fizesse calar as crianças, Elerespondeu que Sua adoração era o cumprimento de uma profecia. (Mat. 21:8-16.)Assim, como Deus usou crianças para proclamar a Cristo durante o Primeiro Advento,poderia Ele ou não usá-las também para proclamar a mensagem do Segundo Advento?No século dezenove, o fenômeno das crianças pregadoras foi relatado primeiramentecomo tendo ocorrido na Igreja Paroquial de Hjelmseryd, na Suécia. Ali, em dezembrode 1841, quatro meninas pequenas anunciavam que o final do mundo se aproximava eque todos deveriam arrepender-se e preparar-se para o encontro com Deus. Quasesimultaneamente, um grande número de profetisas de dez a doze anos de idadeapareceram em paróquias vizinhas.13 E na Vila de Hornborga, seis meninos de oito adezoito anos de idade foram compelidos a dar a mensagem de advertência. Noticiáriossobre esses jovens pregadores permearam por muito tempo os jornais e a iraprensasueca.14As crianças eram muitas vezes chamadas "pregadores do arrependimento". Algunsdiziam que elas estavam acometidas pela doença da "pregação doentia" e asautoridades tentavam isolá-las no caso da "doença" ser "contagiosa e se espalharepidemicamente para outras crianças". Algumas eram punidas severamente. Aquelasafetadas pareciam estar normais exceto quando movidas pela invisível força a chamarpor arrependimento. Milhares vinham para ouvir sua forte mensagem. Nos dias 6 e 7de fevereiro de 1842, uma menina pregadora foi visitada por três a quatro milpessoas.15Muitos que ouviram as mensagens prontamente renunciaram o pecado. Com duassemanas de pregação e de chamado ao arrependimento, setenta destilarias fecharamas portas e deixaram de funcionar.16Em 1843, o Dr. Sven Erik Skõldberg, oficial médico da província de Jõnkoping de 1834 a1864, e depois diretor médico do famoso Hospital Serafimer de Estocolmo, publicouum artigo científico sobre o fenômeno. De acordo com o Dr. Skõldberg, as crianças"opunham-se a todo tipo de vida imoral, bebedices, danças, e todos os tipos de vícios,e pediam ao povo que as julgassem à luz dos Dez Mandamentos. Elas diziam não serpregadoras, mas que haviam sido enviadas pelo Senhor para chamar o povo aoarrependimento, e que ninguém, nem mesmo os anjos, sabem a hora exata do dia dojulgamento...
  5. 5. "O chamado ao arrependimento que eu ouvi era tão puro que ninguém,... com a Bíblianas mãos, podia criticá-las, muito menos dizer que o que diziam era heresia."17Uma das evidências de que uma pessoa está sob o controle especial do Espírito deDeus e sendo usada como Seu porta-voz é o fato de que algumas vezes ela pode nãoestar respirando. O profeta Daniel não respirou enquanto estava em visão (Dan. 10:8,17). Essas crianças predadoras também não respiravam enquanto pregavam, deacordo com as observações do Dr. Skõldberg, mesmo quase não crendo no que via. Eledisse: "Respiração não pode ser observada, muito embora sem dúvida elas precisemrespirar." Ele desafiou os maiores teólogos e doutores a explicar o fenômeno pormeios naturais; Ele mesmo havia "rejeitado as vozes dessas crianças como sendoheréticas e de espíritos fanáticos..." Porém, finalmente "estava convencido de quenem uma simples palavra... havia sido escolhida por elas — porque a mensagem vinhade dentro como uma fonte a jorrar. Eu me arrependo de minhas duras opiniões econtinuo estarrecido..."18O grande terremoto de 1755, o escurecimento do Sol e da Lua em 1780, a chuva deestrelas em 1833, e a pregação mundial do Segundo Advento, todas no curto períodode oitenta e cinco anos, produziram um despertamento religioso que moveu centenasde milhares de homens e mulheres ao redor do mundo. Muitos tremeram,pesquisaram as Escrituras, e abandonaram seus caminhos pecaminosos para seguir aCristo.Na Europa, o despertamento interdenominacional foi sentido primeiramente entreministros e teólogos do clero das denominações protestantes. Em 1844, setecentosministros da Igreja da Inglaterra, juntamente com ministros de outras vinte naçõesdominantes, estavam pregando a mensagem do Advento.Na América do NorteNos Estados Unidos, o despertamento incluiu não somente ministros mas tambémcinqüenta mil pessoas leigas. Nesse país, uma figura dominante na pregação doAdvento foi um batista leigo, (que em 1833 foi licenciado como ministro) chamadoGuilherme Miller. Começando com 34 anos de idade, e durante seis anos (1816-1822),Miller devotou tempo integral ao estudo da Bíblia. Deixando de lado comentáriosbíblicos e, tanto quanto podia, todos os tipos de idéias preconcebidas, ele começouuma abarcante investigação dos ensinos sagrados, usando somente a Bíblia, asreferências de margem, e uma Concordância de Cruden. Por vezes achou-se distantede algumas teologias populares usadas em seus dias. Ele chegou à conclusão de queCristo retornaria em breve. Durante nove anos, Miller, em cartas e conversasparticulares, deixava transparecer suas expectativas.Em agosto de 1831, com quase cinqüenta anos de idade, Miller se convenceu de quedeveria ajudar a advertir o mundo. "Eu não posso ir, Senhor" ele disse. "Sou muitovelho. Eu não sou um pregador." Porém sua convicção persistia. Um dia, para acalmara consciência, fez uma promessa. Iria repartir suas descobertas somente se recebesseum convite para fazê-lo. Dentro de meia hora, seu sobrinho, Irving Guilford, entrou e oconvidou para pregar na Igreja Batista de Dresden, pois o pastor estava ausente.
  6. 6. Após o primeiro sermão - de Miller, seus ouvintes insistiram para que continuasse osestudos com eles durante aquela semana. Ao voltar para casa, encontrou outroconvite para falar em Poltney, Vermont, a poucas milhas d& distância. Através deconvites, ele pregou centenas de sermões em Nova Inglaterra, Canadá, Ohio eMaryland.* Em 1834, entregou sua vida à pregação, e durante os próximos nove anosele pregou quatro mil sermões em quinhentas cidades e vilas, e ainda tinha duas vezesmais convites caso pudesse atendê-los.Até o ano de 1840, Miller era quase a única voz a proclamar a mensagem do Adventona América do Norte. Mas então, trezentos ministros protestantes uniram-se a ele;viajaram pelo país dando palestras sobre as profecias bíblicas e o final do mundo. Naprimavera de 1844, um desses ministros já havia ministrado mais de três mil palestrassobre o Advento. Por causa da liderança de Miller, seus ministros e os cinqüenta milleigos que aceitaram a mensagem do Advento passaram a ser conhecidos comoMilleritas. Eles criam, como todos os demais, que o Segundo Advento de Cristo seriaum retorno literal e pessoal. Entretanto, diferente de muitos protestantes de seutempo, criam que o Segundo Advento era iminente e que o ser humano não deveriapostergar para o futuro a reforma e o reavivamento necessários para o encontro comCristo.Com essa fervente mensagem trazendo reavivamento onde quer que fosse ouvida, ospregadores milleritas eram muito bem recebidos nos púlpitos das igrejas protestantesda América. E muitos, após isso, receberam credenciais de ministros em suasrespectivas igrejas. Entretanto, seus conceitos sobre a Segunda Vinda de Cristo e ofinal do mundo não estavam em harmonia com os defendidos e cridos pelo mundoprotestante da época. Logo, tensões apareceram e, na metade de 1844, muitosmilleritas foram colocados para fora de suas igrejas.O Grande DesapontamentoNo cuidadoso estudo de Miller sobre o "tempo" nas profecias de Daniel e Apocalipse eos textos relacionados — focalizando Daniel 8:14, ele descobriu um tempo, umperíodo profético. Esse período atravessava 2.300 dias proféticos (anos — Núm. 14:34; Ezeq. 4:6). O início fora em 457 AC e deveria terminar 2.300 anos mais tarde comum grande evento, a purificação do Santuário (Dan. 8:14). Miller cria que o períododeveria terminar "entre 21 de março de 1843 e 21 de março de 1844" (períodoreferente ao ano de 1843-no calendário judaico).20Estudos adicionais, entretanto, convenceram-no, no começo de outubro de 1844, deque a purificação do Santuário deveria ter lugar no dia 22 de outubro de 184421 — odia anual, considerado santo, em que o antigo santuário judeu era purificado: YonKippur, ou Dia da Expiação. Porém, o evento de 22 de outubro de 1844 não podia ser apurificação do santuário judeu (Templo). Ele havia sido destruído pelos romanos em 70AD. Entretanto, em vez de estudar as Escrituras para ver que "purificação" seria e qualera o "santuário" mencionado, Miller assumiu, assim como seus contemporâneos, queo "santuário" de Deus na era Cristã era a própria Terra. Dr. C. Mervyn Maxwell, diretorda cadeira de História da Igreja da Universidade de Andrews, descreve o que paramuitos foi o aguardar e o desapontamento de 22 de outubro de 1844. Ele diz:
  7. 7. "Guilherme Miller estudou-o meticulosamente, orou intensamente a respeito e depoisescreveu com alegria: Vejo uma glória no "sétimo mês" como nunca vi antes. Estouquase no lar, Glória! Glória! Glória!"22 de outubro! Somente alguns dias até o fim."Que tempo solene para se viver!"Ao se esgotarem os últimos dias do tempo, os comerciantes adventistas fecharamseus estabelecimentos; mecânicos trancaram suas oficinas; empregados desistiram deseus empregos. Em campais, dezenas confessavam suas faltas e uniam-se em oração.Grandes somas eram doadas para que os pobres pudessem liquidar suas dívidas, bemcomo para a publicação de literatura — até que os editores dissessem que. nãoprecisavam mais, o que fez muitos doadores em potencial retirarem-se com pesar."No campo, alguns fazendeiros abandonam suas plantações para demonstrar sua fé..."Em Filadélfia um alfaiate na Rua Cinco fecha sua oficina em homenagem ao Rei dosreis que aparecerá no dia vinte e dois de outubro...""Impressoras a vapor operam dia e noite produzindo o Mid-night Cry e outraspulicações..."Antecipação. Publicação. Preparação. Consagração. O auge no final."15 de outubro, sete dias para o fim. 16 de outubro, seis dias. 17 de outubro. L8 deoutubro. 19 de outubro."No dia 19 de outubro as impressoras pararam de rodar. A grande tenda havia sidodobrada pela última vez. Os pregadores haviam retornado para seus lares a fim deestarem com os familiares. Josué V. Himes apressou-se para Low Hampton a fim deestar com Miller."Dentro do movimento os crentes aguardavam com alegre expectativa. A adolescenteEllen Harmon escreveu depois: Este foi o ano mais feliz de minha vida. Meu coraçãoestava cheio de feliz expectativa."O mundo exterior esperava em suspense. Milhares que nunca se haviam unido aomovimento examinavam o coração com temor de que fosse verdade."20 de outubro. 21 de outubro. 22 de outubro de 1844."Ao raiar o dia 22 de outubro os mileritas reuniram-se em grupos pequenos e grandes;em seus tabernáculos, em igrejas, em casas particulares; em reuniões solenes deoração e alegres de louvor. Em Low Hampton, Nova Iorque, os amigos de Millerreuniram-se no bosque ao lado de sua casa, no que hoje se conhece como as Rochasda Ascensão. Eles vigiaram todo o dia, pois não sabiam .a que hora seu Senhor haveriade vir."O Sol ergueu-se no oriente, como um noivo que sai de seus aposentos. Mas o noivonão ""apareceu.
  8. 8. "Permaneceu no meridiano, quente e comunicador de vida... Mas o Sol da Justiça nãoapareceu."Escondeu-se no ocidente, flamejante, cruel, terrível como um exército combandeiras. Aquele que Se assenta sobre o cavalo branco não retornou como o líderdas hostes celestiais."As sombras do ocaso estendiam-se serena e friamente por sobre a terra. As horas danoite passavam vagarosamente. Em desconsolados lares de milleritas, os relógiosassinalaram doze horas da meia-noite. 22 de outubro havia terminado. Jesus não viera.Ele não voltara!"22Quando Cristo não veio em 22 de outubro, muitos não-crentes ridicularizaram omillerismo e suas pregações das profecias sobre o breve retorno de Cristo, edeclararam ser este um movimento falso. Após o grande desapontamento, omovimento millerita começou a fragmentar-se. Enquanto alguns crentes escolheramoutra data para a vinda de Cristo, outros, ridicularizados, abandonaramcompletamente a fé no Advento. Outros ainda filiaram-se a novos movimentos.Outro grupo decidiu reestudar intensivamente as profecias para ver se poderiamdescobrir por que Cristo não havia retornado como haviam esperado. Elesreexaminaram as Escrituras que apontavam para 22 de outubro de 1844 como a datapara a purificação do santuário. Eles também haviam aceito a opinião popular de que aTerra era o santuário de Deus, e haviam assumido que a purificação deveria referir-seà volta de Cristo à Terra com fogo no Dia do Julgamento. Seu reestudo de todas asEscrituras relacionadas com a cronologia do texto lhes assegurava da exatidão da data.Entretanto, ao examinarem as Escrituras relacionadas com as palavras "santuário" e"purificação", eles descobriram uma importante relação entre o santuário outabernáculo terrestre descritos nos livros do Antigo Testamento, Êxodo e Levíticos, eum santuário celeste, descrito no livro de Hebreus, em o Novo Testamento.O grupo, reestudando as profecias, viu em Hebreus 8 e 9 (especialmente Hebreus 9:23)que a purificação do santuário terrestre pelos sacerdotes judeus dos tempos antigos(Lev. 16), simbolizava o trabalho de Cristo como Sumo Sacerdote do homem nosantuário celeste, e de que Ele começou uma fase especial de Seu trabalho em 1844,preparatória para Seu retorno à Terra.Sendo assim, eles confirmaram ainda mais sua crença de que à Bíblia deve ser dada aoportunidade de ser sua própria expositora, e que a cada Escritura relacionada deveser permitida adicionar sua interpretação ao verso estudado. Eles concluíram que cadasuposição, cada crença, deve ser testada nas Escrituras e deve ser deixada de lado senão for aprovada.Referências:1. Our Firsl Ceutury. pág. 892. Ibid., pág. 903. Ibid.
  9. 9. 4. Ibib., pág. 3295. Ibid.. pág. 3306. The Greal Second Advém Muvemenl. pag. 967. Our First Ceuturv. págs. 330-3318. Ibid.. pág. 3309. The Telescope. May-June 194010. Our First Century, pág. 33011. The Telescope. May-June 194012. The Great Secotld Advenl MovemeM, pág. 14013. Afumbladet (Stockholm), Februarv 23, 184214. Ibid., December 16, 184215. Wexiti-Bludel. March 4, 184216. Svenskt Bio^rafiskt Lexikon, Ny Fóljd, 10 bd., pag. 3217. Ibid.. S 30-3118. Ibid., S. 27-31. 3619. A Fé Profética de Nossos Pais, vol. 4, págs. 784-82620. Ibid., pág. 794. Veja também vol. 2, págs. 196-199; vol. 4, págs. 784-82621. Ibid., vol. 4, págs. 810-814; 819-82022. História do Adventismo. págs. 32-34

×