Compreendendo o Grande ConflitoPor Alberto R. TimmMuitas pessoas, hoje, concordam que nosso mundo é um campo de batalha en...
a vasta maioria dos seres humanos, Deus ainda está no controle de toda a luta epermite que ela se desenvolta até certo lim...
homens vêm os maus pensamentos, as imoralidades sexuais, os roubos, os homicídios,os adultérios, as cobiças, as maldades, ...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Compreendendo o grande conflito

469 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
469
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
7
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Compreendendo o grande conflito

  1. 1. Compreendendo o Grande ConflitoPor Alberto R. TimmMuitas pessoas, hoje, concordam que nosso mundo é um campo de batalha entre obem e os poderes espirituais do mal. Suas atividades estão evidentes, como, porexemplo, o dramático contraste entre a felicidade da vida e a dor da morte, a belezado amor e a crueldade do ódio, ou o fato de que, às vezes, pessoas boas são as quemais sofrem (cf. Sl 73:2-17; Ml 3:13-18). Na parábola de Jesus sobre o joio (Mt 13:24-29), os servos perguntaram: “O senhor não semeou boa semente em seu campo?Então, de onde veio o joio?” E o dono respondeu: “Um inimigo fez isso”1 (versos 27 e28).O mistério coexistente de uma disputa entre o bem e o mal levanta algumas questõescruciais: Essa controvérsia teve um início, mas será que um dia terá fim? Qual é seusignificado com base teológica? E, mais, quão difundido está em nosso mundo hoje?Esse artigo procura encontrar respostas bíblicas para essas questões fundamentais.Como o Conflito ComeçouO grande conflito é um conflito cósmico, em curso, que teve princípio e terá fim. Seumisterioso início nas cortes celestes estava previsto, mas não ordenado por Deus, que“tomou providências para enfrentar a terrível emergência”.2 Após deixar de seragradecido a Deus e ter cada vez mais inveja dEle (Is 14:12-14; Ez 28:12-17), Lúcifercomeçou a difundir a apostasia nas cortes celestes. “Deus, em Sua grandemisericórdia, suportou longamente a Satanás”,3 mas chegou um momento em que arebelião havia se consolidado e Lúcifer (que se tornou Satanás) e seus anjos “foramatirados para a Terra” (Ap 12:7-9).Com a queda de Adão e Eva (Gn 3), a Terra tornou-se o campo de batalha entre o beme o mal.Grande ConflitoToda a humanidade está agora envolvida num grande conflito entre Cristo e Satanásquanto ao caráter de Deus, Sua lei e Sua soberania sobre o Universo. Esse conflitooriginou-se no Céu quando um ser criado, dotado de liberdade de escolha, porexaltação própria, tornou-se Satanás, o adversário de Deus, e conduziu à rebelião umaparte dos anjos. Ele introduziu o espírito de rebelião neste mundo, ao induzir Adão eEva ao pecado. Esse pecado humano resultou na deformação da imagem de Deus nahumanidade, no transtorno do mundo criado e em sua consequente devastação porocasião do dilúvio mundial. Observado por toda a criação, este mundo tornou-se opalco do conflito universal, dentro do qual será finalmente vindicado o Deus de amor.Para ajudar Seu povo nesse conflito, Cristo envia o Espírito Santo e os anjos leais paraos guiar, proteger e amparar no caminho da salvação. (Ap 12:4-9; Is 14:12-14; Ez28:12-18; Gn 3; Rm 1:19-32; 5:12-21; 8:19-22; Gn 6–8; 2Pe 3:6; 1Cr 4:9; Hb 1:14.)Ahistória da humanidade é muito mais do que um simples palco das atividadeshumanas. É, na verdade, o cenário da constante luta entre as estratégias enganadorasde Satanás e o plano redentor de Deus. A despeito do sucesso de Satanás, enganando
  2. 2. a vasta maioria dos seres humanos, Deus ainda está no controle de toda a luta epermite que ela se desenvolta até certo limite (cf. Dn 4:32). Sempre que esses limitessão forçados, Deus intervém por meio do Seu julgamento, como na destruição domundo pelo dilúvio (Gn 6, 7) e de Sodoma, Gomorra, Admá e Zeboim, com fogo eenxofre (Gn 19:23-29; Dt 29:23; Jd 7).A teoria pagã da imortalidade natural da alma sugere que o pecado teve um início,mas nunca terá um fim. Em contraste, a Bíblia ensina que pecado e pecadores,finalmente, serão destruídos e que o Universo será restaurado à sua perfeição eharmonia originais. Pelo perfeito plano de salvação de Deus, está garantido o triunfode Cristo sobre Satanás, o pecado e a morte (Jo 12:31; 14:30; 19:30; Ap 1:18). Essagrande controvérsia terá fim com a destruição definitiva de Satanás, seus anjos e todosos ímpios (Ml 4:1; Jd 5-7).O Que Isso Significa?Toda a controvérsia cósmica gravita em torno do caráter de Deus como está expressoem Sua lei moral. Ao longo da história, Satanás desenvolveu diferentes estratégiaspara distorcer a relação das pessoas com a lei. Nos tempos do Antigo Testamento, atéo exílio babilônico, o povo de Deus sempre foi tentado a transgredir a lei pela idolatria.Após o exílio, o pêndulo foi para o lado oposto, para o legalismo extremo, quando a leifoi considerada um fim em si mesma para a salvação. No período pós-apostólico, a lei,confirmada pela cruz de Cristo (Rm 3:31), começou a ser considerada abolida.Entrementes, o compromisso incondicional do povo remanescente do tempo do fimpara com a lei coloca-os sob a especial fúria de Satanás (Ap 12:7).Algumas pessoas consideram o conflito cósmico como o centro da teologia bíblica.Porém, nem ele nem outro assunto qualquer podem substituir Deus como o centro darevelação de toda doutrina verdadeira. O conflito cósmico fornece a estruturateológica básica na qual todas as doutrinas da Bíblia e princípios de vida se tornamsignificativos e na perspectiva correta. Além disso, também nos dá uma compreensãoverdadeira da história como um palco em que seres humanos desempenham seu papelna vida, tanto para Satanás e sua causa enganosa, como para Deus e Seu planosalvífico.Realidade MundialÀ medida que o grande conflito avança para o fim, o mal, a tentação e o pecado estãose tornando mais agressivos na natureza e avançando em sua extensão. No Jardim doÉden, a tentação era delimitada geograficamente à árvore do conhecimento do bem edo mal (Gn 2:16, 17). Com a queda de Adão e Eva, a tentação tornou-se uma realidadeglobal com expressões externas (ambientais) e internas (natureza humana) (Gn 3:7-19). Em séculos passados, os lares dos filhos de Deus eram (embora nem sempre)fortalezas de valores morais e espirituais (cf. Js 24:15; Jó 1:5). No entanto, com aintromissão da mídia moderna em nossa vida, todo tipo de tentação tornou-sedisponível aos filhos de Deus, de todos os lugares.No cenário do grande conflito, é crucial a disputa pela mente humana, a qual comandaos comportamentos pessoais e sociais. Cristo explicou que “do interior do coração dos
  3. 3. homens vêm os maus pensamentos, as imoralidades sexuais, os roubos, os homicídios,os adultérios, as cobiças, as maldades, o engano, a devassidão, a inveja, a calúnia, aarrogância e a insensatez” (Mc 7:21, 22). A força do mal é reconhecida nas palavras dePaulo: “Pois não faço o bem que quero, mas justamente o mal que não quero fazer éque eu faço” (Rm 7:19, NVLH). Somente o poder sobrenatural da graça salvadora deDeus pode resgatar os pecadores do “domínio das trevas” e os transportar para “oReino” de Cristo (Cl 1:13, 14; cf. Ef 2:1-10), restaurando neles “a mente de Cristo”(1Co 2:16) e fazendo deles “novas criaturas” (2Co 5:17).O grande conflito cósmico começou no Céu, com a rebelião de Lúcifer e seus anjos, efoi transferido para este mundo por causa da queda de Adão e Eva, e permaneceráaqui até a destruição final do pecado e de todos os pecadores impenitentes (inclusiveSatanás e seus anjos), no fim dos mil anos mencionados em Apocalipse 20. Como opecado não é eterno, nem os pecadores imortais, Deus é capaz de destruí-los e derestaurar a Terra ao seu estado de perfeição original. Então, a dor da morte serásubstituída pela alegria da vida; a crueldade do ódio será dominada pela beleza doamor, e nunca mais as pessoas boas sofrerão. Finalmente, o bem triunfará sobre omal.1 Textos bíblicos extraídos da Nova Versão International.2 Ellen G. White, O Desejado de Todas as Nações, p. 22.3 Ellen G. White, O Grande Conflito, p. 495.

×