Yasmin Oliveira Dias
Tecnófilo
Tecnologia: um meio, e não um fim
• Escola contemporânea: Arraigada, em pleno século XXI, ao padrão
jesuítico em que o pro...
• O computador não é visto mais como um instrumento que ensina
o aprendiz, mas uma ferramenta pela qual o sujeito se
desen...
• Concebe-se uma educação pela instrução;
• Em contrapartida grande parte do aprendizado não ocorra
por tal método, ou ain...
Quais vantagens desta nova proposta de
educação?
1. Possibilitar a resposta imediata, em que erros podem ser
interessantes...
Vencendo desafios:
• Cabe ao professor perceber a mudança de seu papel e reaprender a
aprender;
De única fonte de informaç...
• O processo de informação da sociedade que já atinge o país é cada vez mais
rápido e irreversível;
• A escola deve fornec...
Dificuldades
relativas ao custo de
equipamentos
Planos e projetos especiais em parceria com
fabricantes
Inexistência de
so...
Portanto...
• Computadores são maquinas que nos possibilitam testar
ideias ou hipóteses, nos levam a criação de um mundo a...
Conclui-se que...
•O potencial pedagógico do computador mal começou a ser
explorado, suas possibilidades são infinitas. Ma...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Educação e Tecnologia: computadores para educar

140 visualizações

Publicada em

Atividade correspondente a disciplina de Tecnologias e Práticas Educativas

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
140
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
1
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Educação e Tecnologia: computadores para educar

  1. 1. Yasmin Oliveira Dias Tecnófilo
  2. 2. Tecnologia: um meio, e não um fim • Escola contemporânea: Arraigada, em pleno século XXI, ao padrão jesuítico em que o professor, único detentor do conhecimento, passa sua teoria ao aluno. Reproduz ainda relações de obediência e passividade. • Chegada da era digital: Exige do professor uma postura de mediatário diante dos processos do sujeito aprendiz. É necessária a possibilidade de autonomia do aluno. • A verdadeira função do aparato educacional não deve ser a de ensinar, mas sim a de criar condições de aprendizagem. Isso significa que o professor precisa deixar de ser o repassador de conhecimento – o computador pode fazer isso e o faz tão eficiente quanto professor – e passar a ser o criador de ambientes de aprendizagem e o facilitador do processo de desenvolvimento intelectual do aluno. (VALENTE, 1993: 06)
  3. 3. • O computador não é visto mais como um instrumento que ensina o aprendiz, mas uma ferramenta pela qual o sujeito se desenvolve. • O sujeito passa a ser ativo de sua aprendizagem, que ao manipular o computador, constrói e reconstrói o conhecimento, tornando o aprendizado uma descoberta. • E o professor? Este passa a ser aquele que faz aprender, torna- se mediador entre o conhecimento e a realidade em prol de uma educação do aluno como sujeito ativo.
  4. 4. • Concebe-se uma educação pela instrução; • Em contrapartida grande parte do aprendizado não ocorra por tal método, ou ainda pelo ensino deliberado; • O desenvolvimento intelectual, social e moral ocorre através de diversas interações do aluno com o meio. • O contato regrado e orientado da criança com as novas tecnologias na relação ensino-aprendizado contribui para o desempenho cognitivo e intelectual do aluno. Em especial ao raciocínio lógico formal, habilidades instintivas e de solução de problemas.
  5. 5. Quais vantagens desta nova proposta de educação? 1. Possibilitar a resposta imediata, em que erros podem ser interessantes para descobertas do aluno; 2. Não ter o erro como fracasso, mas como elemento de reflexão; 3. Favorece a flexibilidade do pensamento; 4. Estimula o desenvolvimento do raciocínio lógico diante de situações-problema; 5. Possibilita o desenvolvimento do foco atenção-concentração; 6. Favorece a expressão emocional.
  6. 6. Vencendo desafios: • Cabe ao professor perceber a mudança de seu papel e reaprender a aprender; De única fonte de informação, transmissor de conhecimentos Mediador
  7. 7. • O processo de informação da sociedade que já atinge o país é cada vez mais rápido e irreversível; • A escola deve fornecer ao aluno a vivência e atuação nesta sociedade informatizada; • Há muito que se questionar na educação pública brasileira, em que algumas prioridades consideradas são consideradas básicas (ex. merenda); • O preparar do aluno de forma adequada para viver e atuar profissionalmente no século XXI também deve ser considerado a priori; • Desmistificar o computador e mostrar a criança seu potencial e limitação, são funções que nenhuma escola pode furtar hoje. Amanhã é tarde.
  8. 8. Dificuldades relativas ao custo de equipamentos Planos e projetos especiais em parceria com fabricantes Inexistência de software educacional de qualidade Incentivo a pesquisa e convênios com instituições de ensino Falta de cursos de pós- graduação interdisciplinares Cursos de especialização ofertados por outras instituições de ensino Resistencia das escolas Programas e meios de comunicação em massa, e incentivo para envolvimento dos agentes de educação
  9. 9. Portanto... • Computadores são maquinas que nos possibilitam testar ideias ou hipóteses, nos levam a criação de um mundo abstrato e simbólico, além de introduzir novas formas de atuação e interação; • Não se pode esquecer que estes equipamentos não foram desenvolvidos para fins pedagógicos, assim nos exige um olhar crítico, além de buscar junto as teorias e práticas pedagógicos para seu bom uso; • É necessária uma reformulação no currículo, que se crie novos modelos pedagógicos, metodológicos e didáticos. Mas acima de tudo, repensar o verdadeiro significado da aprendizagem.
  10. 10. Conclui-se que... •O potencial pedagógico do computador mal começou a ser explorado, suas possibilidades são infinitas. Mas que a criança, dominando-o, tem em seu poder um valioso instrumento de pensar e aprender. •Afirmar que quase qualquer forma de utilização do computador pode ter efeitos pedagógicos benéficos não significa dizer que qualquer forma de contato com o computador terá exatamente as mesmos resultados.

×