Oficina Lattes

3.339 visualizações

Publicada em

Oficina Lattes

Publicada em: Tecnologia
0 comentários
3 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
3.339
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1.311
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
83
Comentários
0
Gostaram
3
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Oficina Lattes

  1. 1. XI SEMANA ACADÊMICA DO CURSO DE ARQUIVOLOGIA / CCSH / UFSM OFICINA CURRÍCULO LATTES dhion.hedlund@gmail.com GRUPOS DE PESQUISA CNPQ/UFSM PATRIMÔNIO DOCUMENTAL & GED/A 30 DE SETEMBRO DE 2013
  2. 2. CNPQ O Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), agência do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI), tem como principais atribuições fomentar a pesquisa científica e tecnológica e incentivar a formação de pesquisadores brasileiros. Criado em 1951, desempenha papel primordial na formulação e condução das políticas de ciência, tecnologia e inovação. Sua atuação contribui para o desenvolvimento nacional e o reconhecimento das instituições de pesquisa e pesquisadores brasileiros pela comunidade científica internacional.
  3. 3. Missão (CNPQ) Fomentar a Ciência, Tecnologia e Inovação e atuar na formulação de suas políticas, contribuindo para o avanço das fronteiras do conhecimento, o desenvolvimento sustentável e a soberania nacional. Visão (CNPQ) Ser uma instituição de reconhecida excelência na promoção da Ciência, da Tecnologia e da Inovação como elementos centrais do pleno desenvolvimento da nação brasileira.
  4. 4. - O CNPq concede bolsas para a formação de recursos humanos no campo da pesquisa científica e tecnológica, em universidades, institutos de pesquisa, centros tecnológicos e de formação profissional, tanto no Brasil como no exterior. - O CNPq investe, ainda, em ações de divulgação científica e tecnológica com apoio financeiro à editoração e publicação de periódicos, à promoção de eventos científicos e à participação de estudantes e pesquisadores nos principais congressos e eventos nacionais e internacionais na área de ciência e tecnologia.
  5. 5. Público Alvo: Jovens de ensino médio e superior, em nível de pós-graduação, interessados em atuar na pesquisa científica, e especialistas para atuarem em Pesquisa e Desenvolvimento (P&D) nas empresas e centros tecnológicos. Modalidades de bolsas: O CNPq oferece várias modalidades de bolsas de formação e fomento a pesquisa, a alunos de ensino médio, graduação, pós- graduação, recém-doutores e pesquisadores já experientes do País e do exterior. As bolsas são concedidas diretamente pelo CNPq ou por instituições de ensino e pesquisa para as quais o CNPq destina quotas de bolsas.
  6. 6. http://www.cnpq.br/ - CNPQ http://lattes.cnpq.br/ - Plataforma Lattes http://ajuda.cnpq.br – Ajuda / Lattes
  7. 7. PLATAFORMA LATTES A Plataforma Lattes representa a experiência do CNPq na integração de bases de dados de Currículos, de Grupos de pesquisa e de Instituições em um único Sistema de Informações. Sua dimensão atual se estende não só às ações de planejamento, gestão e operacionalização do fomento do CNPq, mas também de outras agências de fomento federais e estaduais, das fundações estaduais de apoio à ciência e tecnologia, das instituições de ensino superior e dos institutos de pesquisa. Além disso, se tornou estratégica não só para as atividades de planejamento e gestão, mas também para a formulação das políticas do Ministério de Ciência e Tecnologia e de outros órgãos governamentais da área de ciência, tecnologia e inovação. Resultado do esforço conjunto do MCT, CNPq, FINEP e CAPES/MEC, constitui um importante passo para a integração dos sistemas de informação das principais agências de fomento do País, atendendo antiga demanda da comunidade científica e tecnológica.
  8. 8. CURRÍCULO LATTES Formulário eletrônico do MCT, CNPq, Finep e Capes/MEC para o cadastro de dados curriculares de pesquisadores e de usuários em geral. É utilizado principalmente para: - avaliação da competência de candidatos à obtenção de bolsas e auxílios; - seleção de consultores, de membros de comitês e de grupos assessores; - subsídio à avaliação da pesquisa e da pós-graduação brasileiras O Currículo Lattes se tornou um padrão nacional no registro da vida pregressa e atual dos estudantes e pesquisadores do país, e é hoje adotado pela maioria das instituições de fomento, universidades e institutos de pesquisa do País. Por sua riqueza de informações e sua crescente confiabilidade e abrangência, se tornou elemento indispensável e compulsório à análise de mérito e competência dos pleitos de financiamentos na área de ciência e tecnologia.
  9. 9. DIRETÓRIO DE GRUPOS DE PESQUISA O Diretório dos Grupos de Pesquisa no Brasil é um inventário dos grupos em atividade no país. Os recursos humanos constituintes dos grupos, as linhas de pesquisa e os setores de atividade envolvidos, as especialidades do conhecimento, a produção científica, tecnológica e artística e os padrões de interação com o setor produtivo são algumas das informações contidas no Diretório. Os grupos estão localizados em instituições de ensino superior, institutos de pesquisa, etc. As informações individuais dos participantes dos grupos são extraídas dos seus Currículos Lattes.
  10. 10. DIRETÓRIO DE INSTITUIÇÕES O Diretório de Instituições foi concebido para promover as organizações do Sistema Nacional de CT&I à condição de usuárias da Plataforma Lattes. Ele registra todas e quaisquer organizações ou entidades que estabelecem algum tipo de relacionamento com o CNPq (instituições nas quais os estudantes e pesquisadores apoiados pelo CNPq desenvolvem suas atividades; instituições onde os grupos de pesquisa estão abrigados, usuárias de serviços prestados pela Agência, como o credenciamento para importação pela Lei 8.010/90; instituições que pleiteiam participar desses programas e serviços, etc). A disponibilização pública dos dados da Plataforma na internet dão maior transparência e mais confiabilidade às atividades de fomento do CNPq e das agências que a utilizam, fortalecem o intercâmbio entre pesquisadores e instituições e é fonte inesgotável de informações para estudos e pesquisas. Na medida em que suas informações são recorrentes e cumulativas, têm também o importante papel de preservar a memória da atividade de pesquisa no país.
  11. 11. Lattes: homenagem do CNPq ao pesquisador Cesare Lattes É o responsável pela comprovação da existência do méson pi, partícula sub-atômica que garante a coesão do átomo. Em 1935, o cientista japonês Hideki Yukawa já defendia a existência da partícula, no entanto, foram as experiências realizadas por Lattes na década de 40 que comprovaram a teoria. Sua descoberta marcou o início da chamada física de partículas elementares, ou física de altas energias. Apesar dos convites para trabalhar em universidades estrangeiras, fez carreira universitária no Brasil. Foi professor da USP, da Universidade do Brasil (atual UFRJ), da Universidade Estadual de Campinas e do Centro Brasileiro de Pesquisas Físicas (CBPF), do qual foi um dos fundadores. Também integrou diversas academias e sociedades científicas brasileiras e internacionais. Em sua galeria, figuram prêmios como Einstein, o Fonseca Costa, o Bernardo Houssay, da Organização dos Estados Americanos, e o Prêmio de Física da Academia de Ciências do Terceiro Mundo. Hideki Yukawa e Cecil Powell, que foi companheiro de Lattes em suas experiências, receberam o Prêmio Nobel pela descoberta do méson pi. Nasceu em Curitiba em 1924, e faleceu em 2005.
  12. 12. TELA INICIAL
  13. 13. CADASTRO
  14. 14. LOGIN - ATUALIZAÇÃO
  15. 15. ALGUMAS DEFINIÇÕES • Seminário - É uma técnica de estudo que inclui pesquisa, discussão e debate, com caráter de instrução. • Simpósio - Reunião de cientistas ou técnicos para ventilar vários assuntos relacionados entre si ou os vários aspectos de um assunto, sempre com a presença de um coordenador. Tem caráter de intercâmbio de informações. • Aula - Comunicação científica oral, com caráter de instrução. • Congresso - Encontro solene de um grande número de pessoas no decorrer de vários dias, durante os quais se darão numerosas reuniões. Nos congressos ainda são organizados cursos de atualização, aproveitando o ensejo da presença de muitos especialistas de renome. • Conferência - Tipo de reunião destinada a um grupo de pessoas com identidade de
  16. 16. interesse. • Anais - Publicação periódica, referente aos atos e estudos de congressos científicos, literários ou arte. • Prefácio - Palavras de esclarecimento, justificação ou apresentação, que precedem o texto de uma obra literária, do próprio autor. • Posfácio - Advertência no fim de um livro. Declaração do autor ou de outrem no final do livro. • Comunicações - Qualquer forma de apresentação de trabalho em evento científico. Podem ocorrer sob o nome de congressos, seminários, reuniões, encontros, simpósios, jornadas e outros. • DOI: (Digital Object Identifier). http://www.doi.org. O DOI funciona como identificador único permanente do artigo e pode ser usado com o propósito de citação e recuperação do artigo no ambiente on line. Segundo o CNPq, o sistema DOI foi inserido no Curriculo Lattes apenas para fins de certificação. Além da facilidade, o sistema garante maior
  17. 17. confiabilidade da informação cadastrada. A coleção Scielo Brasil disponibiliza o número DOI na interface de todo artigo indexado. • Professor Titular: é um cargo final na carreira docente universitária, será atingido após aprovação em concurso público de provas e de títulos e a seguir indicação. • IES: Instituição de Ensino Superior. • Mesa Redonda: Reunião de pessoas entendidas ou abalizadas que discutem ou deliberam, em pé de igualdade, sobre determinado assunto. • Colóquio: Semelhante à conferência, reunião de pessoas gabaritadas, em que se debate determinado assunto, com o objetivo de esclarecer ou permitir uma tomada de decisão, levando à platéia a votar ou escolher os pontos selecionados • Painel: Reunião de especialistas expondo suas idéias sobre um assunto específico a um auditório, sem material expositivo, trocando informações de maneira informal e dialogada, coordenados por um especialista experiente e com duração de até 90 minutos, com ou sem interrogadores previamente estabelecidos.
  18. 18. • Tema Livre: Proposição que vai ser tratada ou apresentada em evento científico, tendo 10 minutos para apresentação. • Estudo de Casos: É definido como a investigação empírica de um fenômeno que dificilmente pode ser isolado ou associado do seu contexto. Procura estudar as variações intra-sistema, que são as variáveis produzidas de modo natural num determinado meio. • Ciclo de Palestras: Sucessão de discussões de alcance limitado, conferência pública, em tom quase familiar. • Jornada: Refere-se à quantidade de dias de atividade sobre um assunto, compreendidas em uma semana. • Fórum: Espaço de debate político, social, científico e tecnológico. Discussão de propostas. • Workshop: Conferência, convenção ou outros encontros formais geralmente reunindo pessoas que representam uma área específica de interesse.
  19. 19. DICAS SUPER IMPORTANTÍSSIMAS! FAZER SEMPRE → AUTORIZAR E ATUALIZAR os Autores, os Co-Autores, Dicionário de Autores; → Em cada registro, IDENTIFICAR a área, colocando sempre a Arquivologia, ou a sua área.... áreas são 3, então: Ciência da Informação, Arquivologia e a sub, que pode ser Descrição, Gestão de Docs, Digitalização, etc... Nas primeiras vezes estas áreas não existem, dai tem de criar;
  20. 20. → Identificar TODAS as palavras chaves, acho que são 5 ou 6, então colocar TODAS, pois isso passa a visão de um lattes profissional; → Colocar sempre TODOS os autores participantes, todos os colegas; → REGISTRAR o seu projeto com RESUMO, seja de pesquisa, ou de extensão, identificando todos os elementos; → Colocar o PROFESSOR como ORIENTADOR/COORDENADOR, e dai o Lattes vai perguntar se pode enviar pedido para o Professor orientador confirmar o projeto. Quando o professor disser sim, é só então que se
  21. 21. LIGAM os LATTES dos pesquisadores; → Ter um backup do Arquivo .XML do Lattes, feito de tempos em tempos regularmente... só ele pode ser RESTAURADO, ou seja, .RTF, .DOC, ou PDF não restauram, se acontecer algo a pessoa perde tudo, algo como perder a senha, alguém acessar etc;
  22. 22. Fontes: Manual de utilização e preenchimento do Currículo Lattes – Prof. Caroline Kraus Luvizotto. Maio/2011. Currículo Lattes: Passo a passo. Prof. Elizabeth Teixeira. - etfelipe@terra.com.br

×