Autonomia para o futebol do Flamengo

1.739 visualizações

Publicada em

Apresentação escrita pelo sócio benemérito José Maria Sobinho. Postada por Diego Herminio (sócio)

originalmente em: http://www.tomacontadomeucomputador.blogspot.com

Publicada em: Esportes
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.739
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
43
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
41
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Autonomia para o futebol do Flamengo

  1. 1. AUTONOMIA DO FUTEBOL Apreciações de José Maria Sobrinho V04.15Ago10
  2. 2. Autonomia do Futebol Introdução “ ... O desastre que pode realmente ocorrer mataria nossa "bala de prata do Zorro” : o Zico.” • Considero essa frase, de autoria de um amigo, sócio atuante no Flamengo, muito oportuna e pertinente. Falávamos sobre as dificuldades políticas para acertar o Clube e uma hipotética retirada do Zico, acontecimento de conseqüências inimagináveis. • Sem dúvida, os deuses rubro-negros atuaram para entregar ao Zico essa tarefa hercúlea de transformar, atualizar a administração do CRF, a começar e tendo, como exemplo, a Autonomia do Futebol. • Como maior ídolo, pelo seu carisma, pela sua credibilidade, pela sua experiência, pela aceitação quase unânime, realmente, nesse momento, só o Zico pode levar a cabo essa missão. Ago 10
  3. 3. Autonomia do Futebol Introdução • Àqueles descompromissados com a politicagem do CRF, que abominam a luta fratricida pelo Poder, cabem cerrar fileiras no apoio ao Zico e ao seu Plano. • Ao Zico compete apresentar, tão logo seja possível, o planejamento para se alcançar a Autonomia do Futebol. • “Grilado” e preocupado com a frase citada, ao início, e com a situação atual, resolvi prestar a minha modesta colaboração, através do presente trabalho “Autonomia do Futebol”, com o intuito de fornecer subsídios a uma discussão isenta e profícua. • Assim, este trabalho será enviado, primeiramente, ao Zico e à Presidenta Patrícia Amorim. Ago 10
  4. 4. Autonomia do Futebol Sumário SUMÁRIO Slides I– Questões Básicas: 5 - Por que? 6,11 - Em que consiste? 12 - Como alcançar a Autonomia? 13,15 II – Estrutura de Gestão 16,19 III – O Futebol 20,30 IV - Planejamento do Futebol 31,33 V – Conclusões 34,35 Ago 10
  5. 5. Autonomia do Futebol Questões Básicas O encaminhamento da discussão sobre a Autonomia do Futebol passa por três questões básicas:  Por que a Autonomia?  Em que consiste a Autonomia?  Como alcançar a Autonomia? Ago 10
  6. 6. Autonomia do Futebol Por que a Autonomia? • Pela direção do CRF, nos últimos 40 anos, passaram todas as correntes políticas, com presidentes, vice-presidentes, diretores, de qualificações e personalidades distintas. E o Flamengo, como instituição, a cada ano, se enfraquece mais. Então, não é só uma questão de pessoas, como alguns dizem. • Títulos importantes, nacionais e internacionais, passaram a ser acidentais e raros. • Os fatos que justificam a transformação são inúmeros e incontestáveis, demonstrando ser evidente que o Flamengo tem que mudar, urgentemente, o seu modelo de administração/gestão. • Por fim, a Autonomia do Futebol, certamente, determinará a ampla, profunda e esperada reestruturação do CRF. Ago 10
  7. 7. Autonomia do Futebol Por que a Autonomia? • O Futebol representa cerca de 80% da receita do CRF, estimada em R$ 150 milhões, para 2010. • Esses números, por si sós, exigem uma gestão própria, ágil, autônoma, profissional, especializada, planejada, que tenha continuidade e comprometimentos com metas (resultados), livre da influência direta e permanente dos dirigentes de outros setores do Clubes. Ago 10
  8. 8. Autonomia do Futebol Por que a Autonomia? Alguns fatos, problemas crônicos do CRF, que justificam a mudança: - A construção do CT. - O continuado aumento do passivo do CRF. - A reforma do Estatuto. A atuação dos Conselhos. - A inexistência de Planejamento, de um Plano Plurianual. - A falta de gestão orçamentária (um absurdo!). - A falta de compreensão da verdadeira grandeza do Flamengo, com o incompreensível distanciamento da Nação Rubro- Negra. >>> Ago 10
  9. 9. Autonomia do Futebol Por que a Autonomia? Outros fatos, problemas crônicos do CRF: - A queda acentuada e constante no número de sócios. - Inexistência de uma política salarial. - O apadrinhamento nas contratações de funcionários. - Salários frequentemente atrasados. - Funções executivas, que exigem tempo integral, a cargo de voluntários. - Vice-Presidentes deixam o cargo, sem qualquer satisfação ou prestação de contas (CRF não pode ser a “Casa da Mãe Joana”). - Degradação acelerada da sede x PRG (Programa de Revitalização da Gávea) - O Edifício Hilton Santos. A concentração de São Conrado. - etc, etc Ago 10
  10. 10. Autonomia do Futebol Por que a Autonomia? • Alguns fatos relacionados ao Futebol - O atual estágio de declínio do futebol do Flamengo (principal e base) X a evolução firme e constante de São Paulo, Internacional, Cruzeiro, Atlético-PR, Goiás, ... - As escandalosas e absurdas negociações de jogadores. - Inexistência de uma política de contratação. - A dependência dos empresários. - Os contratos quase sempre prejudiciais ao Flamengo: valores, direitos, condições e prazos. - etc, etc Ago 10
  11. 11. Por que a Autonomia? Construção do CT Pontapé Inicial !!! Local: Vargem Grande  Área: 130.000 m2 10 jan. 2004  Terreno Arborizado  Excelentes Condições Ambientais. Marcio Braga, seis vezes eleito Presidente, inúmeras vezes campeão, inclusive hexa. Para muitos, o dirigente mais poderoso da história do CRF. Assume pela 5ª vez e faz questão que o primeiro ato administrativo seja o de início da construção do CT. Realiza cerimônia comemorativa, para a qual todos os sócios foram convidados. Hoje, menos de 10% do CT estão construídos. Foto: Ary Kaye
  12. 12. Autonomia do Futebol Em que consiste a Autonomia? O Futebol passa a ter Gestão própria independente dos demais setores do Clube, regulada e controlada por um instrumento de delegação planejada, aprovado pelo Poder competente. A Autonomia implica em gestão financeira, orçamentária, de pessoal, do patrimônio, de assuntos jurídicos, MKT e dos serviços de apoio/logísticos. A Autonomia obriga à obediência a um Plano de Ação / Operacional / Business Plan; à auto-suficiência financeira; à compromisso com metas esportivas, financeiras, administrativas e patrimoniais; e às funções executivas estarem a cargo de profissionais. Ago 10
  13. 13. Autonomia do Futebol Como alcançar a Autonomia? Para se alcançar a Autonomia, há que se atender a duas obrigações: 1. Aspectos legais, estatutários. Instrumento de Delegação Planejada. 2. O Plano do Futebol. Ago 10
  14. 14. Autonomia do Futebol Como alcançar a Autonomia? 1. Aspectos legais, estatutários • Instrumento de Delegação Planejada Trata-se do registro das funções que serão transferidas de outros setores e passarão a ser exercidas pelo Futebol. Inclui as obrigações inerentes à Autonomia e que devem constar do Plano do Futebol, bem como as garantias para a execução das mesmas. Prevê uma Comissão, com membros indicados pelo Conselho Diretor, para acompanhar, periodicamente, o cumprimento das metas estabelecidas para o Futebol. A Delegação Planejada obrigatoriamente terá que ser aprovada pelo poder competente do CRF. Ago 10
  15. 15. Autonomia do Futebol Como alcançar a Autonomia? 2. O Plano do Futebol A Autonomia pressupõe, como condição sine qua non, a existência do Plano do Futebol, como instrumento de orientação, controle e avaliação das atividades. O Plano do Futebol, mais adiante comentado em linhas gerais, é o instrumento fundamental para a gestão do Futebol, pois relaciona os objetivos (metas previstas), as atividades e os projetos, prazos, custos e responsáveis. Inclui o Orçamento do Futebol. O Plano do Futebol deve ser aprovado pelo Conselho Diretor do CRF. Ago 10
  16. 16. Autonomia do Futebol ESTRUTURA DE GESTÃO DO CRF A Autonomia do Futebol está embutida no conceito de que a Administração do CRF deve ocorrer através de dois níveis: I - Administração Superior: Estabelece políticas e diretrizes básicas. Aprova Plano Estratégico, Planos de Ação e Orçamento. Acompanha, controla, fiscaliza e determina correções nos planos de ação e orçamentos. II - Unidades Operacionais: Administram as atividades fim do CRF. O gráfico a seguir representa esse conceito. Mar 2006
  17. 17. Autonomia do Futebol ESTRUTURA DE GESTÃO DO CRF ____________________________ MACRO ESTRUTURA DO CRF . Administração Superior Administração Superior Assembléia Conselho Geral Diretor Conselhos Conselho Grande Beneméritos Unidades Operacionais Esportes Remo Olímpicos FlaGávea Futebol Mar 2006
  18. 18. Autonomia do Futebol ESTRUTURA DE GESTÃO DO CRF ................... O FUTEBOL NA ESTRUTURA DO CRF ............................ Administração Superior Administração Superior Conselho Diretor Desprezando-se as imprecisões da Unidades Operacionais analogia com o governo federal, poderíamos imaginar o Conselho Diretor, como o Presidente e seus ministros, e o Futebol, como a Petrobras. Futebol Mar 2006
  19. 19. Autonomia do Futebol ESTRUTURA DE GESTÃO DO CRF Unidades Operacionais As Unidades Operacionais devem obedecer aos seguintes princípios: • Autonomia de Gestão, por delegação planejada. • Obediência a um Plano de Ação / Operacional / Business Plan. • Auto-suficiência financeira. • Compromisso com metas esportivas, financeiras, administrativas e patrimoniais. • Administração profissional. Mar 06
  20. 20. Autonomia do Futebol Visão Estratégica do Futebol Para fins de planejamento e gestão do Futebol do Flamengo avaliamos que a “Visão Estratégica” representada pelo desenho, ao lado, é bem válida. Ou seja, precisa-se ter um CT, um estádio (próprio ou administrado) e um bom time. Com isso, conseguem-se títulos, surgem os ídolos e a torcida vibra, feliz. Jan 04
  21. 21. Autonomia do Futebol Missão do Futebol Missão do Futebol “Formar talentos, A Missão deve balizar as atividades e o planejamento do Futebol. incentivar e cultivar ídolos, A citada ao lado, foi assumida em 2004 e é uma sugestão a ser conquistar títulos, discutida e aprimorada. Nação Rubro fazer a Negra permanentemente feliz.” 09Jan04
  22. 22. Ago 09.V03 Autonomia do Futebol Estrutura do Futebol Diretor Executivo CT Assessoria Assessoria Rel. Institucionais Comunicação Superintendências Técnica Futebol de Base Comercial/MKT Administração & Finanças Repetimos: o Organograma, como de resto todo este trabalho, é apresentado como uma sugestão para a discussão e decisões inerentes à implantação da Autonomia. Mar 10
  23. 23. Autonomia do Futebol Atribuições da Estrutura • Para dar uma melhor idéia da Estrutura, a seguir são apresentados seis slides com as principais atribuições da cada órgão. • É comum ouvir-se críticas apressadas sobre a elevação de custos com a estrutura sugerida. Essa objeção é inconsistente. • Primeiro, visto que haverá transferências de funções da administração central para o Futebol e, portanto, de custos com funcionários. Não obrigatoriamente de funcionários. • Segundo, os custos com as novas funções estarão obrigatoriamente previstos no orçamento e no Plano do Futebol. • É bom não esquecer que a Autonomia obriga a se ter auto-suficiência financeira no Futebol. Mar 10
  24. 24. Autonomia do Futebol Atribuições da Estrutura  Diretor Executivo • Ao Diretor Executivo cabe à Direção Geral do Futebol do Flamengo, através da coordenação das atividades a cargo dos Superintendentes e Assessores. Decide, na forma estabelecida no Instrumento de Delegação Planejada, fala e responde pelo Futebol. • É o responsável pelo desenvolvimento e implantação do projeto “Autonomia do Futebol” e pela elaboração e cumprimento do Plano do Futebol. • É o responsável pela execução do projeto de construção do CT, que, após concluído, ficará a cargo de uma Superintendência. • Hoje, por não se ter ainda a Autonomia, nem uma estrutura aprovada e conhecida, há uma superposição entre as funções do Diretor Executivo e do Superintendente Técnico, com prejuízos para a gestão do Futebol. Mar 10
  25. 25. Autonomia do Futebol Atribuições da Estrutura Superintendência Técnica • Trata das equipes de profissionais e juniores. • Inclui: - Comissões Técnicas. - Depto. Médico (Médicos, Fisiologistas, Fisioterapeutas, Psicólogos, Nutricionistas, Massagistas, ...). - Observadores técnicos. - Depto. de Tecnologia e Estatística. - Supervisor. - ... Mar 10
  26. 26. Autonomia do Futebol Atribuições da Estrutura  Superintendência de Futebol de Base - Abrange as equipes de mirim, infantil e juvenil, de campo e Futsal - Comissões Técnicas. - Estrutura semelhante à Super. Técnica. - Projeto SOMA (incrementar, equipar adequadamente). - Recrutamento, Seleção e Dispensa de Atletas. - Formação de Atleta (acompanhamento e controle). - Política de Ajuda de Custo. - Política de Relacionamento com procuradores e empresários. - Vínculos e direitos do Flamengo. Obs.: O Futebol de Base deve gerar receitas próprias. Mar 10
  27. 27. Autonomia do Futebol Atribuições da Estrutura  Superintendência Comercial/ Marketing - É o “empresário da companhia”, responsável pelas receitas do futebol. - Prospecta, negocia, acompanha e controla os contratos de MKT específicos do futebol. - Negocia jogadores. - Cuida das receitas de estádio (merchandising, bilheteria, etc) - Contrata jogos, torneios, etc. - ... Obs.: Alguns preferem o nome Comercial, outros MKT. Mar 10
  28. 28. Autonomia do Futebol Atribuições da Estrutura Superintendência de Administração & Finanças - Gestão Financeira. - Gestão de Pessoal. RH. Salários. Contratos, inclusive de atletas. - Planejamento. Orçamento ! - Depto. Jurídico. - Patrimônio. - Serviços de Apoio / Gerais. Segurança. - ... Mar 10
  29. 29. Autonomia do Futebol Atribuições da Estrutura  Superintendência de Administração & Finanças A Autonomia do Futebol pressupõe gestão financeira dos recursos destinados ao Futebol e previstos no Orçamento. Dos recursos gerados e recebidos pelo Futebol, o montante correspondente a um percentual pré-estabelecido, será destinado e imediatamente repassado à Administração Central. Mar 10
  30. 30. Autonomia do Futebol Atribuições da Estrutura  Assessoria de Comunicação - Política de Comunicação do Futebol - Assessoria de Imprensa.  Assessoria de Relações Institucionais - Ligações com entidades esportivas nacionais e internacionais, entidades governamentais, políticos, entidades de classe, etc. Mar 10
  31. 31. Autonomia do Futebol Planejamento do Futebol  Planejamento do Futebol !!! - Plano do Futebol Diretor Executivo - Programas Coordenadores - Projetos Gerentes - Atividades Gerentes Custos x Prazos x Responsáveis >>> RESULTADOS !!! Ago 07
  32. 32. Autonomia do Futebol Planejamento do Futebol  Plano do Futebol > Programas Por exemplo, o Plano do Futebol seria constituído de cinco Programas: PF1 - Formação de Talentos PF2 - Títulos PF3 - Aperfeiçoamento da Gestão PF4 - MKT PF5 - Nação Rubro-Negra Mar 10
  33. 33. Autonomia do Futebol Planejamento do Futebol  Plano do Futebol > Programas > Projetos > Atividades Os Programas seriam constituídos de Projetos (visam à criação ou o aperfeiçoamento de algo e têm duração determinada) e Atividades (conjunto de operações realizadas de modo contínuo e permanente) Mar 10
  34. 34. Autonomia do Futebol Conclusões •A Autonomia do Futebol somente será alcançada, com muita vontade política, convicção e persistência, sobretudo por parte do Conselho Diretor, em especial da Presidenta, do Zico e sua equipe. • Os próximos passos, para se ganhar tempo e evitar pronunciamentos e discussões estéreis, seriam: i) uma posição oficial pública do Conselho Diretor a favor da Autonomia; ii) definição dos quesitos básicos que devem constar do instrumento de delegação planejada; iii) aprovação do Plano do Futebol (versão preliminar); e, iv) preparação e aprovação do instrumento de delegação planejada. Ago 10
  35. 35. Autonomia do Futebol Agradecimentos • A todos aqueles que se interessaram por este trabalho e pelas apreciações nele explicitadas, muito obrigado! • Estamos abertos e receberemos, com muito prazer, dúvidas, críticas e sugestões, na certeza de que aperfeiçoarão o trabalho. • Esperamos ter contribuído para o processo de decisão sobre a Autonomia do Futebol. • Nossa intenção é a busca da convergência para o modelo mais adequado, para o melhor para o FLAMENGO. Nossa preocupação, é “.... não desperdiçar a "bala de prata do Zorro” : o Zico.” • Um especial agradecimento ao meu parceiro e Amigo, maestro Junior, pelos “pitacos” que deu a este trabalho, com a competência de sempre. • Cordiais Saudações Rubro-Negras. José Maria Sobrinho Sócio Emérito do CRF Ago 10

×