05a trabemalturas

1.113 visualizações

Publicada em

0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.113
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
67
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

05a trabemalturas

  1. 1. Segurança nos Trabalhos em alturasTécnicos de Segurança do Trabalho:Leandro Castro
  2. 2. Embasamento legal NR 18 – Condições e Meio Ambiente de Trabalho na Indústria da Construção: Item 18.12 – Escadas rampas e passarelas; Item 18.13 – Medidas de Proteção Contra Quedas de Alturas; Item 18.15 – Andaimes; Item 18.18 – Serviços em Telhados; NR 34 – Condições e Meio Ambiente de Trabalho na Indústria da Construção e Reparação Naval; Item 34.6 - Trabalho em Altura. NR 35 – Trabalho em Altura
  3. 3. Trabalho em altura Qualquer trabalho realizado acima de dois metros de altura dopiso, em que haja risco de queda do trabalhador. Toda atividade executada em níveis diferentes, e na qual hajarisco de queda capaz de causar lesão ao trabalhador.
  4. 4. Trabalho em altura Todo trabalho em altura deverá ser planejado, organizado e executado por trabalhador capacitado e autorizado. Trabalhador capacitado, aquele que tiver treinamento, teórico e prático, com carga horária mínima de 8h. Trabalhador autorizado, aquele capacitado e cujo estado de saúde foi avaliado, tendo sido considerado apto para executar essa atividade. Os trabalhadores deverão ser identificados.
  5. 5. Risco = Perigo X Fatores(freqüência e probabilidade) O risco será proporcional às medidas de controle; Quanto maior as medidas de controle menores serão os riscos; Uma vez adotadas medidas de controle, o perigo continuaráexistindo, mas os riscos de acidentes estarão controlados.
  6. 6. Atos e condições inseguras Atos inseguros - Está ligado ao fator pessoal de cadaindivíduo, é a maneira em que este se expõe a determinadoriscos de forma negligente e imprudente. Condições inseguras – é a condição no ambiente detrabalho que ofereça riscos de acidentes.
  7. 7. Atos e condições inseguras
  8. 8. Atos e condições inseguras
  9. 9. Atos e condições inseguras
  10. 10. Escadas de mão
  11. 11. Escadas de mão
  12. 12. Trabalho em altura Acidentes por quedas em alturas são responsáveis por 1/3 detodos acidentes de trabalho... Em 75% dos acidentes por queda acima de 2m de alturaresultam em morte. Se não resultam em mortes, fazem verdadeiros estragos.
  13. 13. Medidas de controle contra quedas
  14. 14. Medidas de controle contra quedas
  15. 15.  É obrigatória a instalação de proteção coletiva onde houver risco de queda de trabalhadores ou de projeção de materiais.
  16. 16. Medidas de controle contra quedas
  17. 17. Medidas de controle contra quedas As aberturas no piso devem ter fechamento provisório resistente.
  18. 18. Medidas de controle contra quedas
  19. 19. Escadas de mão
  20. 20. Inspeções de equipamentos e acessórios Oxidação/Corrosão de materiais metálicos; Encaixe de talabarte no cinto; Fixação de cabo-guia; Costuras em fitas; Etc...
  21. 21. LegislaçãoNR 18 – Condições e Meio Ambiente deTrabalho na Indústria da Construção18.23 EPI’s 18.23 – A empresa é obrigada a fornecer gratuitamenteEPI’s adequados a atividade ...
  22. 22. Cinto de Segurança O cinto de segurança tipo pára-quedista deve ser utilizado ematividades a mais de 2m de altura do piso, nas quais haja riscode queda do trabalhador.
  23. 23. Modelos Cinturão tipo pára-quedista empoliamida de alta densidade paratrabalhos em altura; Possui regulagem rápida em todos oslados, proporcionando maior conforto aousuário. Muito utilizado em serviços demanutenção em postes de telefonia,eletricidade e TV a cabo, subestações,manutenção em andaime e escadas.
  24. 24. Características 3 argolas “D”; Regulagem rápida de cintura ecoxa; Regulagem nos suspensóriosfrontais; Fita peitoral com engaterápido; Cinta sub-pélvica.
  25. 25. Talabarte duplo Talabarte duplo tipo Y, com dois absorvedores deenergia, fita elástica e mosquetão com dupla travade segurança com abertura de 55 mm em ambasextremidades para escaladas de locais que nãoapresentam uma linha de vida permanentementeinstalada, por exemplo: andaimes, antenas detelefonia, torres de transmissão elétrica, etc...
  26. 26. Talabarte com absorvedor de energia Video na pasta videos: Talabarte.avi
  27. 27. Fator de Queda FQ = AQ CT FQ = Fator de queda AQ = Altura da queda CT = Comprimento do talabarte/corda FQ existente é 1 e 2 FQ = 2 (Risco grave e iminente)
  28. 28. Trava quedas para cabo 12mm
  29. 29. Trava quedas para cabo 12mm Vídeo na pasta videos:Trava queda para corda.wmv
  30. 30. Trava quedas retrátil Vídeo na pasta videos:Trava queda retrátil.avi
  31. 31. Conector de ancoragem em aço Possibilita fazer um ponto deancoragem seguro, abraçando estruturasde grandes dimensões; Possui uma fita interna da corvermelha, para indicar o desgaste doequipamento; Comprimento máximo 1,30 metros ecarga de ruptura de 22 KN.
  32. 32. Conector de ancoragem em fita Possibilita fazer um ponto de ancoragem seguro, abraçandoestruturas de grandes dimensões; Confeccionado em fita de poliamida, com alta resistência àtração de 30 KN; Comprimento: 80 cm
  33. 33. Conectores de ancoragem
  34. 34. Cabo estático 12 mm  Corda estática sintética confeccionada em poliamida com diâmetro de 12 mm;  Rolo com 50 metros;  Possui resistência à ruptura de 30 KN;  Para atmosferas potencialmente explosivas.
  35. 35. Mosquetão oval Mosquetão oval confeccionado em aço inox; Mosquetão com dupla trava de segurança e 18 mm deabertura; Resistência à tração 22,2 KN.
  36. 36. Opção de utilização de capacete
  37. 37.  18.23.3.1 - O cinto de segurança deve ser dotado dedispositivo trava-quedas e estar ligado a cabo de segurançaindependente da estrutura do andaime.
  38. 38. Tipos de equipamentos Restrição ; Posicionamento (freio blocante); Suspenso (cadeirinha);
  39. 39. Restrição
  40. 40. Posicionamento
  41. 41. Suspenso
  42. 42. Procedimento para trabalhos em telhados
  43. 43. Telhados e coberturas devem ser utilizados dispositivos dimensionados por profissionallegalmente habilitado e que permitam a movimentação segurados trabalhadores. é obrigatória a instalação de cabo – guia ou cabo de segurançapara fixação de mecanismos de ligação por talabarte acoplado aocinto de segurança tipo pára-quedista.
  44. 44. Telhados e coberturas Os cabos-guias devem ter suas extremidades fixadas à estrutura definitiva da edificação por meio de suporte de aço inoxidável ou outro material de resistência e durabilidade equivalentes.
  45. 45. Telhados e coberturas As extremidades dos cabos - guias devem estar conectados em pontos fixos capazes de suportar 2x o seu peso corporal; O cabo guia deve estar esticado sem a existência de barrigas.
  46. 46. Telhados e coberturas Nos locais sob as áreas onde se desenvolvam trabalhos emtelhados e ou coberturas, é obrigatória a existência desinalização de advertência e de isolamento das áreas capazes deevitar a ocorrência de acidentes por eventual queda demateriais, ferramentas e ou equipamentos.
  47. 47. Telhados e coberturas É proibido trabalhos em telhados em caso de ocorrências dechuvas, ventos fortes ou superfícies escorregadias. Todo trabalho em telhados ou coberturas devem ser precedidosde inspeção e de elaboração de OS - Ordens de Serviço ouPermissões para Trabalho contendo os procedimentos a seremadotados. É proibida a concentração de cargas em um mesmo pontosobre telhado ou cobertura.
  48. 48. Telhados e coberturas
  49. 49. Telhados e coberturas
  50. 50. Telhados e coberturas
  51. 51. Telhados e coberturas Utilize cinto de segurança com dois talabartes.
  52. 52. Telhados e coberturas Sempre que possível utilize pranchões de 30 cm ou escadas para caminhar sobre as telhas;
  53. 53. Telhados e coberturas  É proibido trabalho noturno em telhados;  Carregue sempre um conector de ancoragem;  Somente execute um trabalho em telhados após liberação de seu supervisor;  Exija sempre medidas preventivas para execução das atividades.
  54. 54. Telhados e coberturas Neste caso o ideal é utilizar cabo - guia para conecção do cintode segurança;
  55. 55. Telhados e coberturas Mas pode ser utilizado somente conectores de ancoragem desde que o cinto seja com dois talabarte;
  56. 56. Procedimento para trabalhos em andaimes
  57. 57. Andaimes O dimensionamento dos andaimes, sua estrutura de sustentação e fixação, deve ser realizado por profissional legalmente habilitado. Os andaimes devem ser dimensionados e construídos de modo a suportar, com segurança, as cargas de trabalho a que estarão sujeitos.
  58. 58. Andaimes O piso de trabalho dos andaimes deve ter forração completa, antiderrapante, ser nivelado e fixado de modo seguro e resistente.
  59. 59. Andaimes Devem ser tomadas precauções especiais, quando da montagem, desmontagem e movimentação de andaimes próximos às redes elétricas. O acesso aos andaimes deve ser feito de maneira segura.
  60. 60.  Para acesso a plataforma de trabalho do andaime escale atorre utilizando dois talabarte, conectando-os um de cada vezem pontos fixos sempre acima da linha da cabeça;
  61. 61. Andaimes A madeira para confecção de andaimes deve ser de boa qualidade, seca, sem apresentar nós e rachaduras que comprometam a sua resistência, sendo proibido o uso de pintura que encubra imperfeições. É proibida a utilização de aparas de madeira na confecção de andaimes.
  62. 62. Andaimes Os andaimes devem dispor de sistema guarda-corpo e rodapé, inclusive nas cabeceiras, em todo o perímetro, com exceção do lado da face de trabalho.
  63. 63. Andaimes
  64. 64. Andaimes É proibida, sobre o piso de trabalho de andaimes, a utilização de escadas e outros meios para se atingirem lugares mais altos.
  65. 65. Andaimes simplesmente apoiados Os montantes dos andaimes devem ser apoiados em sapatas sobre base sólida capaz de resistir aos esforços solicitantes e às cargas transmitidas.
  66. 66. Andaimes simplesmente apoiados É proibido trabalho em andaimes apoiados sobre cavaletes que possuam altura superior a 2,00m (dois metros) e largura inferior a 0,90m (noventa centímetros). É proibido o trabalho em andaimes na periferia da edificação sem que haja proteção adequada fixada à estrutura da mesma.
  67. 67. Andaimes simplesmente apoiados É proibido o deslocamento das estruturas dos andaimes com trabalhadores sobre os mesmos.
  68. 68. Andaimes simplesmente apoiados Os andaimes cujos pisos de trabalho estejam situados a mais de 1,50m (um metro e cinqüenta centímetros) de altura devem ser providos de escadas ou rampas. Os andaimes de madeira não podem ser utilizados em obras acima de 3 (três) pavimentos ou altura equivalente, podendo ter o lado interno apoiado na própria edificação.
  69. 69. Andaimes simplesmente apoiados O ponto de instalação de qualquer aparelho de içar materiais deve ser escolhido, de modo a não comprometer a estabilidade e segurança do andaime.
  70. 70. Andaimes simplesmente apoiados As torres de andaimes não podem exceder, em altura, 4 (quatro) vezes a menor dimensão da base de apoio, quando não estaiadas.
  71. 71. Andaimes simplesmente apoiados A estrutura dos andaimes deve ser fixada à construção por meio de amarração e entroncamento, de modo a resistir aos esforços a que estará sujeita.
  72. 72. Andaimes fachadeiros Os andaimes fachadeiros não devem receber cargas superiores às especificadas pelo fabricante. Sua carga deve ser distribuída de modo uniforme, sem obstruir a circulação de pessoas e ser limitada pela resistência da forração da plataforma de trabalho.
  73. 73. Andaimes fachadeiros Os acessos verticais ao andaime fachadeiro devem ser feitos em escada incorporada a sua própria estrutura ou por meio de torre de acesso.
  74. 74. Andaimes fachadeiros A movimentação vertical de componentes e acessórios para a montagem e/ou desmontagem de andaime fachadeiro deve ser feita por meio de cordas ou por sistema próprio de içamento.
  75. 75. Andaimes fachadeiros Os montantes, assim como todas as peças do andaime fachadeiro devem ter seus encaixes travados com parafusos, contrapinos, braçadeiras ou similar.
  76. 76. Andaimes fachadeiros As peças de contraventamento devem ser fixadas nos montantes por meio de parafusos, braçadeiras ou por encaixe em pinos, devidamente travados ou contrapinados, de modo que assegurem a estabilidade e a rigidez necessárias ao andaime.
  77. 77. Andaimes fachadeiros Os andaimes fachadeiros devem dispor de proteção com tela de arame galvanizado ou material de resistência e durabilidade equivalentes, desde a primeira plataforma de trabalho até pelo menos 2,00m (dois metros) acima da última plataforma de trabalho.
  78. 78. Andaimes móveis Os rodízios dos andaimes devem ser providos de travas, de modo a evitar deslocamentos acidentais. Os andaimes móveis somente poderão ser utilizados em superfícies planas.

×