Poo2 aula12 - Introdução a programação Web , uso de servlets

837 visualizações

Publicada em

Poo2 aula12 - Introdução a programação Web , uso de servlets

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
837
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
401
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
45
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Poo2 aula12 - Introdução a programação Web , uso de servlets

  1. 1. Aula 12 Aplicações Web Introdução, Servlets e Tomcat Marcos Devaner Programação Orientada a Objetos II
  2. 2. O que motivou? • No cenário de aplicações desktop, imagine uma aplicação que foi criada para o controle de acesso de uma empresa, sendo esta instalada em 200 máquinas. Quando essa aplicação sofrer alguma alteração negocial e precisar ser atualizada, todas as versões instaladas nas máquinas da empresa precisarão passar por uma atualização. • se nossa aplicação estivesse em um ponto centralizado, onde seu acesso fosse distribuído, onde as alterações fossem efetuadas em apenas uma única versão da aplicação, e não houvesse a necessidade de instalação desta aplicação nas máquinas do usuário, teríamos uma melhor disponibilidade de nossa aplicação, assim como um melhor controle sobre suas alterações. • No desenvolvimento web, o cliente usa um navegador (browser) para acessar a aplicação, necessitando apenas a instalação do navegador em sua máquina. Como a utilização dos navegadores foi difundida com a popularização da Internet, a plataforma web foi beneficiada neste ponto.
  3. 3. O que é necessário? 1. Linguagens de marcação • HTML • XHTML • XML 2. Componentes web • JavaServer Pages (JSP) • Servlets • JavaBeans Esses componentes são responsáveis pelo armazenamento temporário dos dados que serão transitados a cada requisição/resposta em uma página na web. São responsáveis pela estrutura e visualização do conteúdo das aplicações.
  4. 4. O protocolo HTTP O protocolo HTTP permite a clientes e servidores interagir e trocar informações de uma maneira simples e confiável, com a utilização de URIs (Uniform Resource Indentifier) para identificar dados na Internet. Estes identificadores, aliados às localizações dos documentos no servidor, são chamados de URLs (Uniform Resource Locators).
  5. 5. Container web Para armazenarmos nossos recursos em um servidor web, utilizamos um contêiner web. Ele será responsável pelo envio e recebimento de requisições HTTP, além de garantir que nossa aplicação seja acessada de forma simultânea por vários usuários, e que todo conteúdo do sistema seja gerado de forma dinâmica. No mercado existem alguns contêineres web famosos, como:
  6. 6. Servidores de aplicação 1. Existem os servidores de aplicação, que implementam toda ou parte da especificação Java EE (Java Enterprise Edition), como TomEE, JBoss AS, GlassFish, dentre outros. 2. O contêiner web é responsável por gerenciar o ciclo de vida dos nossos recursos, mapear uma URL para um recurso particular e garantir que o requisitante da URL possua os direitos de acesso corretos a este recurso. Estes recursos Java que possuem o ciclo de vida controlado pelo contêiner web são denominados servlets. 3. O containerEnterprise JavaBeans - EJBpermite que o desenvolvedor de aplicações foque na lógica de negócio. Processo de requisição e Reposta 2 1 3
  7. 7. Servlets O nome "servlet" vem da ideia de um pequeno servidor (servidorzinho, em inglês) cujo objetivo é receber chamadas HTTP, processá-las e devolver uma resposta ao cliente. Cada servlet é um objeto Java que recebe tais requisições (request) e produz algo (response), como uma página HTML dinamicamente gerada. O comportamento das foi definido na classe HttpServlet do pacote javax.servlet.
  8. 8. Como criar um Servlet 1. Criar uma classe Java; 2. Fazer com que esta classe herde da classe javax.servlet.http.HttpServlet; 3. Criar a anotação @webServlet É possível obter um objeto que represente a saída a ser enviada ao usuário através do método getWriter da variável response. E, a partir disso, utilizar um PrintWriter para imprimir algo na resposta do cliente: O único objetivo da servlet deste exemplo é exibir uma mensagem HTML simples para os usuários que a requisitarem. Na nova especificação Servlets 3.0, que faz parte do Java EE 6, podemos configurar a maneira como vamos acessar a nossa Servlet de maneira programática, utilizando anotações simples. De modo geral, não é mais preciso configurar as nossas Servlets no web.xml, sendo suficiente usar a anotação @WebServlet apenas.
  9. 9. doGet, doPost e service você utiliza o método doGet sempre que a requisição que você faz não altere o estado do servidor, como uma consulta, uma busca . Ele é utilizado para passar informações do navegador. O método doPost envia dados para serem processados (por exemplo, dados de um formulário HTML) para o recurso especificado. Os dados são incluídos no corpo do comando. O método service () na prática, determina qual método HTTP (GET ou POST) chamar no servlet.
  10. 10. Integrando o Tomcat com Eclipse – Passo 1 Após baixar e instalar o Tomcat em sua máquina siga as seguintes instruções:
  11. 11. Integrando o Tomcat com Eclipse – Passo 2
  12. 12. Integrando o Tomcat com Eclipse – Passo 3
  13. 13. Integrando o Tomcat com Eclipse – Passo 4 Após adicionar um servidor , clique com botão direto e start o mesmo.
  14. 14. Executar o Tomcat
  15. 15. Atividade Crie em uma servlet e dentro do método servisse() utilize a classe PrintWriter e o método getWriter() para criar uma estrutura de formulário html. Neste formulário devem haver os campos de texto para nome, telefone e e-mail e um botão salvar.
  16. 16. Referência http://www.devmedia.com.br/introducao-ao-desenvolvimento-de-aplicacoes- web/29798 https://www.caelum.com.br/apostila-java-web/servlets/#5-2-servlets

×