Conceito de Framework Um framework é um conjunto de classes que se especializa e / ou se cria  para implementar uma aplica...
Design de interação:  Novas Abordagens <ul><li>Modelos mentais </li></ul><ul><li>Processamento de informação </li></ul><ul...
Modelo Mental É o nosso modelo conceitual particular da maneira como um objeto funciona, eventos acontecem ou pessoas se c...
Grupo 2: Aspectos do Usuário Tutoriais Modelo mental errôneo:  Apertar o botão do elevador 2 vezes
ESTRATÉGIAS DE DESENVOLVIMENTO DE UM SISTEMA FOCANDO NO USUÁRIO <ul><li>Feedback útil, em resposta à entrada do  </li></ul...
ESTRATÉGIAS DE DESENVOLVIMENTO DE UM SISTEMA FOCANDO NO USUÁRIO 3. Instruções claras e fáceis de seguir. 4. Ajuda on-line ...
PROCESSAMENTO DE INFORMAÇÃO <ul><li>Essa abordagem é baseada na modelagem de atividades mentais que acontecem exclusivamen...
PROCESSAMENTO DE INFORMAÇÃO Grupo 2: Aspectos do Usuário Memória de longo tempo Memória de trabalho Armazenamento de image...
COGNIÇÃO EXTERNA Preocupa-se em explicar os processos cognitivos envolvidos na interação com diferentes representações ext...
Representações Externas <ul><li>Exteriorização para a redução da carga de memória </li></ul>Grupo 2: Aspectos do Usuário
Representações Externas 2. Liberação da carga computacional Grupo 2: Aspectos do Usuário
Representações Externas <ul><li>Anotação e rastreamento cognitivo </li></ul>Grupo 2: Aspectos do Usuário
Projetando  Colaboração  & Comunicação Grupo 2: Aspectos do Usuário
Introdução Humanos são inerentemente seres sociáveis. Grupo 2: Aspectos do Usuário
MECANISMOS SOCIAIS EM  COMUNICAÇÃO E COLABORAÇÃO Grupo 2: Aspectos do Usuário
Categorias de Mecanismos Sociais <ul><li>Mecanismos conversacionais </li></ul><ul><li>Mecanismos de coordenação </li></ul>...
Mecanismos Conversacionais <ul><li>Facilitam o fluxo da conversa e ajudam na superação de  </li></ul><ul><li>falhas durant...
Tipos de Conversação Comunicação formal Grupo 2: Aspectos do Usuário
Tipos de Conversação Comunicação informal Grupo 2: Aspectos do Usuário
Desafio do designer  Desenvolver sistemas que permitam às pessoas  comunicar-se umas com as outras quando estiverem em loc...
Desafio do designer  Grupo 2: Aspectos do Usuário Second Life Videoconferência Cirurgia à distância
Mecanismos de Coordenação <ul><li>Permitem que as pessoas trabalhem juntas e  </li></ul><ul><li>interajam.  </li></ul><ul>...
Grupo 2: Aspectos do Usuário Calendário compartilhado Ferramentas de workflow Ferramentas  de gerenciamento de projetos
Mecanismos de Percepção Permitem descobrir o que está acontecendo, o que os outros estão fazendo e, da mesma forma, permit...
Grupo 2: Aspectos do Usuário Telas dos Portholes mostrando imagens monocromáticas de  baixa resolução dos escritórios PARC...
Estudos Etnográficos A etnografia consiste em um método oriundo da  antropologia e significa literalmente “descrever  a cu...
Estudos Etnográficos O resultado de tais estudos pode mostrar-se  bastante esclarecedor, revelando  como as  pessoas geren...
Frameworks Conceituais Vários frameworks conceituais do “social” têm sido  adaptados de outras disciplinas, como a sociolo...
Frameworks da linguagem/ação Premissa: As pessoas agem por meio da linguagem. Objetivo: Alimentar o design de sistemas que...
Teoria dos atos de fala <ul><li>Preocupa-se com as funções que os enunciados  </li></ul><ul><li>desempenham em conversaçõe...
COGNIÇÃO DISTRIBUÍDA Consiste em explicar as interações entre as pessoas, os artefatos que utilizam e o ambiente em que es...
COGNIÇÃO DISTRIBUÍDA <ul><li>É necessário examinar: </li></ul><ul><li>A solução de problemas distribuídos que  </li></ul><...
COGNIÇÃO DISTRIBUÍDA <ul><li>É necessário examinar: </li></ul><ul><li>Os vários caminhos comunicativos que ocorrem  </li><...
COGNIÇÃO DISTRIBUÍDA Além disso, a análise de cognição distribuída consiste em identificar problemas, falhas e processos d...
CONSIDERAÇÕES FINAIS Aprendemos a importância dos designs de interação no suporte às atividades diárias do usuário em qual...
REFERÊNCIAS  PREECE, Jennifer; ROGERS, Yvonne; SHARP, Helen.  Design de interação : além da interação homem-computador.  P...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Aspectos Do Usuario Parte2

876 visualizações

Publicada em

Parte 2 da apresentação do tema Aspectos do usuário da disciplina Interfaces Hipertextuais da Visualizaçào da Informação. maio 2009

Publicada em: Turismo
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
876
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
4
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
24
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Aspectos Do Usuario Parte2

  1. 1. Conceito de Framework Um framework é um conjunto de classes que se especializa e / ou se cria para implementar uma aplicação ou subsistema. Grupo 2: Aspectos do Usuário
  2. 2. Design de interação: Novas Abordagens <ul><li>Modelos mentais </li></ul><ul><li>Processamento de informação </li></ul><ul><li>Cognição externa </li></ul>Grupo 2: Aspectos do Usuário
  3. 3. Modelo Mental É o nosso modelo conceitual particular da maneira como um objeto funciona, eventos acontecem ou pessoas se comportam, que resulta da nossa tendência de dar explicações para as coisas. Grupo 2: Aspectos do Usuário
  4. 4. Grupo 2: Aspectos do Usuário Tutoriais Modelo mental errôneo: Apertar o botão do elevador 2 vezes
  5. 5. ESTRATÉGIAS DE DESENVOLVIMENTO DE UM SISTEMA FOCANDO NO USUÁRIO <ul><li>Feedback útil, em resposta à entrada do </li></ul><ul><li>usuário. </li></ul><ul><li>2. Maneiras intuitivas e fáceis de entender para interagir com o sistema. </li></ul>Grupo 2: Aspectos do Usuário
  6. 6. ESTRATÉGIAS DE DESENVOLVIMENTO DE UM SISTEMA FOCANDO NO USUÁRIO 3. Instruções claras e fáceis de seguir. 4. Ajuda on-line e tutoriais adequados. 5. Orientação sensível ao contexto para os usuários, estabelecida de acordo com o nível de experiência deles. Grupo 2: Aspectos do Usuário
  7. 7. PROCESSAMENTO DE INFORMAÇÃO <ul><li>Essa abordagem é baseada na modelagem de atividades mentais que acontecem exclusivamente e literalmente dentro da cabeça. </li></ul><ul><li>Etapas: </li></ul><ul><li>Codificação </li></ul><ul><li>Comparação </li></ul><ul><li>Seleção da resposta </li></ul><ul><li>Execução da resposta </li></ul><ul><li>  </li></ul>Grupo 2: Aspectos do Usuário
  8. 8. PROCESSAMENTO DE INFORMAÇÃO Grupo 2: Aspectos do Usuário Memória de longo tempo Memória de trabalho Armazenamento de imagem visual Processador perceptual Processador cognitivo Processador motor
  9. 9. COGNIÇÃO EXTERNA Preocupa-se em explicar os processos cognitivos envolvidos na interação com diferentes representações externas. Grupo 2: Aspectos do Usuário
  10. 10. Representações Externas <ul><li>Exteriorização para a redução da carga de memória </li></ul>Grupo 2: Aspectos do Usuário
  11. 11. Representações Externas 2. Liberação da carga computacional Grupo 2: Aspectos do Usuário
  12. 12. Representações Externas <ul><li>Anotação e rastreamento cognitivo </li></ul>Grupo 2: Aspectos do Usuário
  13. 13. Projetando Colaboração & Comunicação Grupo 2: Aspectos do Usuário
  14. 14. Introdução Humanos são inerentemente seres sociáveis. Grupo 2: Aspectos do Usuário
  15. 15. MECANISMOS SOCIAIS EM COMUNICAÇÃO E COLABORAÇÃO Grupo 2: Aspectos do Usuário
  16. 16. Categorias de Mecanismos Sociais <ul><li>Mecanismos conversacionais </li></ul><ul><li>Mecanismos de coordenação </li></ul><ul><li>Mecanismos de percepção </li></ul>Grupo 2: Aspectos do Usuário
  17. 17. Mecanismos Conversacionais <ul><li>Facilitam o fluxo da conversa e ajudam na superação de </li></ul><ul><li>falhas durante a mesma. </li></ul><ul><li>Três regras básicas: </li></ul><ul><li>O falante em ação escolhe o próximo falante solicitando uma opinião, fazendo uma pergunta ou um pedido. </li></ul><ul><li>Uma outra pessoa decide começar a falar. </li></ul><ul><li>O falante em ação continua a falar. </li></ul>Grupo 2: Aspectos do Usuário
  18. 18. Tipos de Conversação Comunicação formal Grupo 2: Aspectos do Usuário
  19. 19. Tipos de Conversação Comunicação informal Grupo 2: Aspectos do Usuário
  20. 20. Desafio do designer Desenvolver sistemas que permitam às pessoas comunicar-se umas com as outras quando estiverem em locais fisicamente distantes e não puderem, portanto, fazê-lo frente a frente. Grupo 2: Aspectos do Usuário
  21. 21. Desafio do designer Grupo 2: Aspectos do Usuário Second Life Videoconferência Cirurgia à distância
  22. 22. Mecanismos de Coordenação <ul><li>Permitem que as pessoas trabalhem juntas e </li></ul><ul><li>interajam. </li></ul><ul><li>Eles incluem: </li></ul><ul><li>Comunicação verbal e não-verbal </li></ul><ul><li>Agendas, regras e convenções </li></ul><ul><li>Representações externas compartilhadas </li></ul>Grupo 2: Aspectos do Usuário
  23. 23. Grupo 2: Aspectos do Usuário Calendário compartilhado Ferramentas de workflow Ferramentas de gerenciamento de projetos
  24. 24. Mecanismos de Percepção Permitem descobrir o que está acontecendo, o que os outros estão fazendo e, da mesma forma, permitem que os outros saibam o que está acontecendo. Grupo 2: Aspectos do Usuário
  25. 25. Grupo 2: Aspectos do Usuário Telas dos Portholes mostrando imagens monocromáticas de baixa resolução dos escritórios PARC dos EUA e do Reino Unido
  26. 26. Estudos Etnográficos A etnografia consiste em um método oriundo da antropologia e significa literalmente “descrever a cultura”. É uma abordagem bastante ampla, na qual os usuários são observados enquanto realizam suas atividades normais. Grupo 2: Aspectos do Usuário
  27. 27. Estudos Etnográficos O resultado de tais estudos pode mostrar-se bastante esclarecedor, revelando como as pessoas gerenciam-se atualmente em seu trabalho e nos ambientes que frequentam diariamente. Grupo 2: Aspectos do Usuário
  28. 28. Frameworks Conceituais Vários frameworks conceituais do “social” têm sido adaptados de outras disciplinas, como a sociologia e a antropologia. Assim como os frameworks conceituais derivados de abordagens cognitivas, o objetivo foi proporcionar estruturas e conceitos analíticos mais abertos a questões do design. As abordagens são: framework de linguagem/ação e cognição distribuída. Grupo 2: Aspectos do Usuário
  29. 29. Frameworks da linguagem/ação Premissa: As pessoas agem por meio da linguagem. Objetivo: Alimentar o design de sistemas que auxiliem as pessoas a trabalhar de maneira mais eficaz melhorando o modo como elas se comunicam umas com as outras. Grupo 2: Aspectos do Usuário
  30. 30. Teoria dos atos de fala <ul><li>Preocupa-se com as funções que os enunciados </li></ul><ul><li>desempenham em conversações. </li></ul><ul><li>Cinco categorias de atos de fala: </li></ul><ul><li>Assertivos </li></ul><ul><li>Comissivos </li></ul><ul><li>Declarativos </li></ul><ul><li>Diretivos </li></ul><ul><li>Expressivos </li></ul>Grupo 2: Aspectos do Usuário
  31. 31. COGNIÇÃO DISTRIBUÍDA Consiste em explicar as interações entre as pessoas, os artefatos que utilizam e o ambiente em que estão trabalhando. Ex: cabine de um avião Grupo 2: Aspectos do Usuário
  32. 32. COGNIÇÃO DISTRIBUÍDA <ul><li>É necessário examinar: </li></ul><ul><li>A solução de problemas distribuídos que </li></ul><ul><li>acontecem. </li></ul><ul><li>O papel do comportamento verbal e não- </li></ul><ul><li>verbal. </li></ul><ul><li>Os vários mecanismos de coordenação que são </li></ul><ul><li>utilizados. </li></ul>Grupo 2: Aspectos do Usuário
  33. 33. COGNIÇÃO DISTRIBUÍDA <ul><li>É necessário examinar: </li></ul><ul><li>Os vários caminhos comunicativos que ocorrem </li></ul><ul><li>quando uma atividade colaborativa se </li></ul><ul><li>desenvolve. </li></ul><ul><li>Como o conhecimento é compartilhado e </li></ul><ul><li>acessado. </li></ul>Grupo 2: Aspectos do Usuário
  34. 34. COGNIÇÃO DISTRIBUÍDA Além disso, a análise de cognição distribuída consiste em identificar problemas, falhas e processos de resolução de problemas. Grupo 2: Aspectos do Usuário
  35. 35. CONSIDERAÇÕES FINAIS Aprendemos a importância dos designs de interação no suporte às atividades diárias do usuário em qualquer ambiente. Partindo dos conceitos básicos de cognição e processamento de informação, esta interatividade desenvolvida pelos mecanismos sociais em comunicação e colaboração se tornam extensão do próprio pensamento humano no ato de fazer. Coordenação e percepção guiam todo o processo, possibilitando o uso da tecnologia a favor do usuário não só nas tomadas de decisão, aprendizado e planejamento, mas em sua vida prática e em seus momentos de lazer. Grupo 2: Aspectos do Usuário
  36. 36. REFERÊNCIAS PREECE, Jennifer; ROGERS, Yvonne; SHARP, Helen. Design de interação : além da interação homem-computador. Porto Alegre: Bookman, 2005. Grupo 2: Aspectos do Usuário ECI UFMG

×