Games em Educação:
como os nativos
digitais aprendem
João Mattar
Professor das Universidades
Anhembi Morumbi e PUC-SP
Bienal Rio
Nativos Digitais
Nativos Digitais
Imigrantes x Nativos Digitais
Imigrantes Nativos
•Livros
•Textual
•Método
•Ordem
•Uma coisa por vez
•Aprendizado individua...
Jogos na Educação
 1938. Johan HUIZINGA. Homo ludens: o jogo
como elemento da cultura.
 1958. Roger CAILLOIS. Les jeux e...
Game-Based Learning
 Aprendizagem lúdica
 Flow
 Erros integrados ao aprendizado
 Personalização do aprendizado
 Inter...
Games & Learning: 50 vídeos
Interação
Aprendizagem Colaborativa
Tim Rylands
•Utiliza games em suas aulas de inglês para
inspirar crianças a desenvolverem criatividade
em diversas áreas, ...
Reforma Ortográfica
Aprendizagem Tangencial
Ian Bogost: games persuasivos
Adventure Learning
• Produção de ambientes de aprendizagem de
aventura online híbridos
• Arctic Transect 2004 (AT2004) - 2...
Conspiracy Code
• Disciplina de história de 1 ano
• Os alunos assumem papéis de personagens ficcionais numa
aventura 3D de...
Cursos On-line (Animações 2D)
Bloco Cobertura
Cursos On-line
(Edições em Vídeos Reais)
Cobertura
Revista ABT
Associação Brasileira de Tecnologia Educacional
Revista
– 4 números (2011) – registro de vários games e
experi...
Games em Educação
Games em Educação
MATTAR, João. Games em educação: como os
nativos digitais aprendem. São Paulo: Pearson
Prentice-Hall, 20...
SBGames
Simpósio Brasileiro de Jogos e Entretenimento
Digital.
Começou em 2002 com o nome Wjogos, focado
principalmente em...
Desafios
1) como incorporar ferramentas da web 2.0, redes sociais,
games, mundos virtuais, dispositivos móveis, PLEs e out...
João Mattar
joaomattar@gmail.com
joaomattar.com/blog
@joaomattar
facebook.com/joaomattar
Apresentação de João Mattar no Fórum Desafios da Educação
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Apresentação de João Mattar no Fórum Desafios da Educação

817 visualizações

Publicada em

No Fórum Desafios da Educação, que aconteceu dia 14 de agosto em São Paulo, o professor da Anhembi Morumbi João Mattar falou sobre como os games podem melhorar o engajamento dos alunos em sala de aula.

O Fórum Desafios da Educação é uma iniciativa da Blackboard e do Grupo A.

Publicada em: Educação
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
817
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
32
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Apresentação de João Mattar no Fórum Desafios da Educação

  1. 1. Games em Educação: como os nativos digitais aprendem João Mattar Professor das Universidades Anhembi Morumbi e PUC-SP
  2. 2. Bienal Rio
  3. 3. Nativos Digitais
  4. 4. Nativos Digitais
  5. 5. Imigrantes x Nativos Digitais Imigrantes Nativos •Livros •Textual •Método •Ordem •Uma coisa por vez •Aprendizado individual •TV, Internet e games •Visual •Tentativa e erro •Acesso randômico •Multitarefas •Aprendizado colaborativo
  6. 6. Jogos na Educação  1938. Johan HUIZINGA. Homo ludens: o jogo como elemento da cultura.  1958. Roger CAILLOIS. Les jeux et les hommes.  1970. Clark ABT. Serious Games.  Edutainment (education + entertainent)  2002. Woodrow Wilson Center for International Scholars (Estados Unidos) funda a Serious Games Initiative  Serious Games Summits
  7. 7. Game-Based Learning  Aprendizagem lúdica  Flow  Erros integrados ao aprendizado  Personalização do aprendizado  Interação, participação e colaboração
  8. 8. Games & Learning: 50 vídeos
  9. 9. Interação
  10. 10. Aprendizagem Colaborativa
  11. 11. Tim Rylands •Utiliza games em suas aulas de inglês para inspirar crianças a desenvolverem criatividade em diversas áreas, como escrever, falar em público, alfabetização visual, música e arte. •Série Myst •Progresso dos alunos nas notas de inglês, de 2000 a 2005, e notas dos alunos da escola Chew Magna Primary School bem acima da média na Inglaterra.
  12. 12. Reforma Ortográfica
  13. 13. Aprendizagem Tangencial
  14. 14. Ian Bogost: games persuasivos
  15. 15. Adventure Learning • Produção de ambientes de aprendizagem de aventura online híbridos • Arctic Transect 2004 (AT2004) - 2003 e 2004 - Nuvavut, Canadá Ártico • Grupo internacional de seis educadores e exploradores • Conectou 3.000.000 alunos ao redor do mundo. • Novos projetos: GoNorth e Geo Thentic, para o aprendizado de geografia e ciências sociais no ensino fundamental e médio.
  16. 16. Conspiracy Code • Disciplina de história de 1 ano • Os alunos assumem papéis de personagens ficcionais numa aventura 3D de espionagem numa cidade e precisam abortar uma grande conspiração. • Missões e desafios permitem que os alunos aprendam progressivamente. • Um mapa mental 3D e um sistema de tags servem para aumentar a retenção e a compreensão do aprendizado. • O trabalho é acompanhado e documentado na web pelos professores. • Há avaliações baseadas em games embutidas no próprio game.
  17. 17. Cursos On-line (Animações 2D) Bloco Cobertura
  18. 18. Cursos On-line (Edições em Vídeos Reais) Cobertura
  19. 19. Revista ABT Associação Brasileira de Tecnologia Educacional Revista – 4 números (2011) – registro de vários games e experiências de grupos de pesquisa no Brasil • n. 192 - jan./mar. 2011 • n. 193 - abr./jun. 2011 • n. 194 - jul./set. 2011 • n. 195 - out./dez. 2011
  20. 20. Games em Educação
  21. 21. Games em Educação MATTAR, João. Games em educação: como os nativos digitais aprendem. São Paulo: Pearson Prentice-Hall, 2010. Prefácio (David Gibson) Games em Educação: como os nativos digitais aprendem (Slideshare)
  22. 22. SBGames Simpósio Brasileiro de Jogos e Entretenimento Digital. Começou em 2002 com o nome Wjogos, focado principalmente em computação, e desde então vem ocorrendo anualmente, passando a incluir arte, design e questões da indústria. É composto atualmente de quatro trilhas (Computação; Arte & Design; Indústria; Jogos & Cultura), dois festivais (Festival de Jogos Independentes e Exibição de Arte) e tutoriais. 2013: São Paulo
  23. 23. Desafios 1) como incorporar ferramentas da web 2.0, redes sociais, games, mundos virtuais, dispositivos móveis, PLEs e outros recursos, plataformas e interfaces à educação; 2) necessidade de formação adequada de professores nessas novas práticas pedagógicas; 3) como oferecer uma educação colaborativa e interativa que não funcione apenas para grupos pequenos (os MOOCs são experiências nessa direção); 4) como evitar o otimismo exagerado do webiluminismo de Pierre Lévy e a romantização da inteligência coletiva.
  24. 24. João Mattar joaomattar@gmail.com joaomattar.com/blog @joaomattar facebook.com/joaomattar

×