Um olhar para o lado emocional da
relação com o dinheiro
Maria Helena Manso
Sumário
Reflexão..............................................................................................2
Sobre a au...
Reflexão
“Escrever nossa história pode ser difícil, mas não é tão duro
quanto passar a vida inteira fugindo dela. Aceitar ...
Sobre a autora
Maria Helena Manso, Professional and Self Coach – formada
pelo Instituto Brasileiro de Coaching, com reconh...
Por que sou coach?
Quando ainda adolescente li o Livro “Fernão Capelo Gaivota”
de Richard Bach e me sentia um verdadeiro F...
Introdução
“Não há poder maior para o sucesso e crescimento
pessoal do que a sua própria consciência”.
Deepak Chopra
Quand...
7 motivos que justificam a busca de
uma vida financeira saudável:
Possibilita realizações de sonhos e mudança de vida.
Qua...
Exemplo dos pais para filhos: Os pais são os maiores
modelos de vida para os filhos. E com certeza, terem uma vida
finance...
Relação emocional com o dinheiro
Para avaliar a relação emocional com o dinheiro é preciso
avaliar o modelo do dinheiro, o...
Um exemplo de crença limitante
em relação ao dinheiro
Gostaria de citar um exemplo de uma crença limitante
que muitas veze...
Perfil de Consumo
O perfil do consumo, está ligado a emoção que se é colocada
ao lidar com o dinheiro. Segue alguns perfis...
Como o Coaching de Finanças poderá
ajudar na busca de uma relação saudável
com o dinheiro.
Em um processo de coaching, o p...
7 passos para você se apropriar da sua
vida financeira
1. Levantar dívidas, se for o caso. E montar um plano para resolver...
3. Registrar seus principais sonhos de curto, médio e longo prazo. Esta
etapa é importante para no momento de fazer o orça...
Conclusão
Chegou a hora de você parar de deixar a vida te levar, está na hora de
você tomar as rédeas de sua vida financei...
Para refletir
Qual o valor das suas despesas mensais?
Qual o valor das suas receitas mensais?
Se você parar de trabalhar h...
Da organização-à-independência-financeira final
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Da organização-à-independência-financeira final

149 visualizações

Publicada em

Organização finaneceira

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
149
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Da organização-à-independência-financeira final

  1. 1. Um olhar para o lado emocional da relação com o dinheiro Maria Helena Manso
  2. 2. Sumário Reflexão..............................................................................................2 Sobre a autora....................................................................................3 Por que sou Coach..............................................................................3 Introdução...........................................................................................5 7 motivos que justificam um olhar cuidadoso para a saúde financeira:............................................................................................6 Relação emocional com o dinheiro.....................................................7 Como o Coaching de Finanças poderá ajudar na busca de uma relação saudável com o dinheiro.....................................................................9 7 passos para você se apropriar da sua vida financeira......................9 Para refletir..........................................................................................12
  3. 3. Reflexão “Escrever nossa história pode ser difícil, mas não é tão duro quanto passar a vida inteira fugindo dela. Aceitar nossas vulnerabilidades é arriscado, mas não é tão perigoso quanto desistir do amor, do pertencimento e da alegria – as experiências que nos deixam mais vulneráveis. Somente quando tivermos a coragem suficiente para explorar a escuridão, descobriremos o poder infinito de nossa própria luz”. Brené Brown
  4. 4. Sobre a autora Maria Helena Manso, Professional and Self Coach – formada pelo Instituto Brasileiro de Coaching, com reconhecimento internacional pela Association of Coaching (IAC); European Coaching Association (ECA); Global Coaching Community(GCC). Graduada em Economia pela PUC/MG, Pós Graduada em Engenharia de Software pela PUC/MG e Gestão de Projetos pela Fundação Getúlio Vargas. Certificada em PMP – Project Manangement Professional pelo PMI – Project Management Institute. Graduanda em Psicologia pelo IBMR – Instituto Brsileiro Medicina e Reabilitação e pós graduanda em Biopsicologia pelo Instituto Visão Futuro. Atuou há mais de 20 anos como especialista de TI e gestão de projetos. Tem como missão ajudar pessoas a busca de autoconhecimento e autoconsciência para tornarmos protagonistas de nossa própria história.
  5. 5. Por que sou coach? Quando ainda adolescente li o Livro “Fernão Capelo Gaivota” de Richard Bach e me sentia um verdadeiro Fernão. Era isso, eu queria voar. Aquela pequena cidade do interior de Minas era pequena demais para mim. E naquela época, assim como Fernão, eu sofria, porque eu queria voar, mas precisava convencer meu bando de que poderíamos voar juntos, mas naquele momento ainda não tinha argumentos de convencimento. Aliás, até hoje não tenho, mas já entendi que: a gente não precisa convencer ninguém, a gente precisa seguir adiante e abrir caminhos para que venham os que estão preparados para a jornada. Eu sentia, no fundo da minha alma, que existia um mundo a ser conquistado. E eu sabia que eu voaria. Ser coach é ser Fernão, é me permitir ir além, e sempre existe um além, cada um tem o seu além. Ser coach é estar pronto para apoiar e ajudar outras gaivotas a alçar voos, não precisa convencer ninguém, é só mostrar que você está ali, que você experimentou ir além, e mostrar para o bando que gaivotas nasceram para voar. Se você ainda não leu o livro "Fernão Capelo Gaivota", te convido a viajar nessa história, para entender melhor do que estou falando, e sentir a sensação de liberdade que só alcançamos quando nos permitimos. O coach é para isso, te ajudar a seguir essa voz que te chama a ir além, mesmo quando todo o bando diz o contrário.
  6. 6. Introdução “Não há poder maior para o sucesso e crescimento pessoal do que a sua própria consciência”. Deepak Chopra Quando falamos de saúde financeira, não estamos falando, necessariamente, em ficar rico, mas sim ter uma organização financeira para que possamos ter uma qualidade de vida no presente e garantir o mesmo conforto no futuro. Esta saúde financeira envolve aspectos psicológicos, econômicos, contábeis, culturais, entre outros. Gerenciar o próprio dinheiro, a princípio parece tarefa simples, mas na verdade não é, principalmente para quem desconhece o poder da clareza sobre a situação, da organização e de um planejamento bem feito. Na busca dessa saúde financeira, contabilizar despesas e receitas em planilhas é importante, mas não suficiente, para promover a transformação necessária. É preciso também avaliar os aspectos psicológicos, ou seja, avaliar o lado emocional da relação com o dinheiro, pois o comportamento financeiro está totalmente implicado no processo, é importante conhecer o seu “eu” financeiro. O meu convite a você é para pensar nesse seu “Eu” financeiro. Como está a sua relação emocional com o dinheiro? Qual é a emoção que representa sua relação com ele: medo, raiva, desprezo?
  7. 7. 7 motivos que justificam a busca de uma vida financeira saudável: Possibilita realizações de sonhos e mudança de vida. Quantas pessoas precisam adiar sonhos tão nobres por falta de uma boa organização financeira. Sonhos como: uma viagem tão almejada, compra da casa própria e muitas vezes até o sonho de ter filhos. Evita ansiedade angústia e depressão. Estudos mostram que um dos grandes motivos de doenças como ansiedade, angústia e depressão estão relacionados com problemas financeiros. Evita problemas nos relacionamentos. Por mais que a relação seja sólida, sustentar a harmonia quando entra os problemas financeiros torna-se um grande desafio. Aumenta a segurança quanto ao futuro. Quando não se tem uma vida financeira saudável, organizada e planejada, o medo do futuro poderá comprometer o prazer em desfrutar o presente, pois irá gastar sempre com culpa ou medo da falta no futuro. Facilita o alinhamento à energia da prosperidade. Já ouviu o ditado: “A água corre para o mar”. Pessoas organizadas financeiramente e com uma vida financeira saudável estão alinhadas a energia da prosperidade e vai sempre atrair mais prosperidade, e o contrário também é verdade, quando estamos desorganizados financeiramente, nossos pensamentos sempre serão de escassez e com isso estaremos alinhados à energia da escassez.
  8. 8. Exemplo dos pais para filhos: Os pais são os maiores modelos de vida para os filhos. E com certeza, terem uma vida financeira saudável para serem exemplos para os filhos é muito mais importante do que a preocupação em deixar herança. Evita desespero em situações de imprevistos: quando acontecem imprevistos, principalmente os desagradáveis, como por exemplo: notícia de uma doença na família, morte de um parente, desemprego ou uma batida de carro, etc. Nesses momentos em que, provavelmente, a pessoa irá precisar de um dinheiro extra, se a ela se encontra numa situação sem reservas ou até endividada poderá chegar a entrar em desespero.
  9. 9. Relação emocional com o dinheiro Para avaliar a relação emocional com o dinheiro é preciso avaliar o modelo do dinheiro, o perfil de consumo que a pessoa se encaixa. Às vezes para isso torna-se importante avaliar a matriz familiar do dinheiro, ou seja, avaliar comportamentos dos antepassados em relação ao dinheiro. O modelo financeiro Temos um modelo financeiro, um padrão, um programa. Desde nossa gestação já somos programados a lidar com situações financeiras. Através de informações verbais ou visuais vamos formando nossas crenças e acreditando em tudo aquilo que vemos ou ouvimos sobre o dinheiro. E é por isso que se torna importante identificar as crenças limitantes que estão envolvidas nesse modelo que foi construído. Crenças como: ´ “ Dinheiro é sujo”, “ Dinheiro não traz felicidade”, “ É mais fácil um camelo passar num fundo de uma agulha do que o rico entrar no reino dos céus”, “Ricos são pessoas do mal”, etc.
  10. 10. Um exemplo de crença limitante em relação ao dinheiro Gostaria de citar um exemplo de uma crença limitante que muitas vezes não nos damos conta e que poderá estar nos impedindo de alcançar uma vida financeira mais saudável - Eu estava há pouco tempo em um salão de beleza e ali ouvia a recepcionista do salão conversando com outra cliente sobre ganhar na “mega sena”. E essa recepcionista disse: “Eu tenho certeza que eu jamais gostaria de ganhar na “mega sena”, pois minha família é muito grande, todos com problemas financeiros e nesse caso, ganhar na mega, sem dúvida, seria um problema para o resto da vida”. Uma pessoa com esses pensamentos está atraindo mais dinheiro para sua vida? Claro que não, né? E é bem provável que se ela não olhar para esse padrão de pensamentos não irá evoluir muito financeiramente, pois seu inconsciente já registrou que dinheiro traz problemas. A boa notícia é que este modelo pode ser alterado, estas crenças limitantes podem ser revistas e a construção de uma relação saudável com dinheiro é totalmente possível.
  11. 11. Perfil de Consumo O perfil do consumo, está ligado a emoção que se é colocada ao lidar com o dinheiro. Segue alguns perfis relacionado a relação emocional com o dinheiro. Consumista: é aquele movido pela emoção da raiva, compra compulsivamente. Entesourador: é aquele movido pela emoção do medo de ficar pobre, coloca toda sua energia no dinheiro. Adia seus prazeres. Desligado do dinheiro: é aquele movido pela energia da raiva, não assume o valor do dinheiro. Cria um bloqueio em relação ao dinheiro. Escravo do dinheiro: é aquele movido pela emoção do medo. Elege o dinheiro como seu dono. Financeiramente educado: um estilo construído, pela educação, pelo desenvolvimento pessoal, pelo autoconhecimento. Consciente, sabe estabelecer parcerias, sabe estabelecer relações de troca - ganha-ganha, e promove relações conscientes onde estiver.
  12. 12. Como o Coaching de Finanças poderá ajudar na busca de uma relação saudável com o dinheiro. Em um processo de coaching, o primeiro passo é identificar em qual estágio a pessoa se encontra, de acordo com a classificação abaixo:  Desorganização Financeira: é quando a pessoa não tem consciência da sua vida financeira. Não tem controle das receitas e despesas e se encontra endividado. Nesse caso precisamos construir a fotografia de sua vida financeira.  Organização Financeira: é quando a pessoa já tem o controle das receitas e despesas, mas ainda não consegue fazer sobrar dinheiro para investir.  Segurança Financeira: é quando a pessoa já tem uma receita maior que as despesas, tem uma economia que cubra 6 meses de despesas, para casos de imprevistos, tem um plano de aposentadoria complementar para garantir uma qualidade de vida no futuro.  Independência Financeira: é quando a pessoa já colocou o dinheiro para trabalhar a seu favor e não depende mais do trabalho para cobrir suas despesas.  Liberdade Financeira: é quando o dinheiro já não é mais uma questão na vida da pessoa, ela já tem bem mais do que precisa para viver. Aqui ela terá o poder de escolhas. Mas mesmo aqui,é necessário avaliar a relação com o dinheiro, porque não adianta ter muito e ser escravo dele. Identificado o estágio que a pessoa se encontra é preciso seguir alguns passos para se conseguir avançar, conseguir ir além.
  13. 13. 7 passos para você se apropriar da sua vida financeira 1. Levantar dívidas, se for o caso. E montar um plano para resolver o problema. Essa tarefa é, na maioria das vezes, dolorosa. Durante os meus processos de coaching percebo como muitos enfrentam a dor de encarar o desafio de lidar com as finanças, principalmente quando estão endividados. Muitas pessoas, perdem o controle financeiro, cai nas armadilhas dos bancos e dos cartões de créditos, entram numa bola de neve e quando percebem já se encontram numa situação complicada. E essa situação pode, muitas vezes, causar sentimentos de vergonha, raiva, culpa, medo, insegurança e até desespero. O fato é que, nós não fomos educados e nem treinados para lidar com as nossas finanças, ou pelo menos a maioria de nós. Além disso, estamos num sistema capitalista que nos bombardeia o tempo todo para um consumismo desenfreado, sem contar que somos educados com crenças que nos limitam, que nos fazem conformar com uma situação de escassez. Mas, tudo isso apenas justifica a situação, não resolve o problema. Por isso, por mais doloroso que seja, é preciso ser forte para passar por esse momento, pois a clareza da situação já trará um certo alívio, um certo sentimento de estar no domínio da situação e é esta clareza que irá mostrar os caminhos para a solução. 2. Fazer um diagnóstico das despesas e receitas. Aqui, pelo menos por um período, é necessário um diagnóstico bem minucioso. A proposta não é ficar economizando em “cafezinhos”, pois concordo que isso é se alinhar a energia da escassez, mas talvez, dependendo do caso, será necessário, por um certo período, registrar até os “cafezinhos”, para ter visão do destino do seu dinheiro. Muitos coachees2 se surpreendem quando percebe que o dinheiro poupados nesses “cafezinhos” podem viabilizar sonhos que estavam, até então, engavetados.
  14. 14. 3. Registrar seus principais sonhos de curto, médio e longo prazo. Esta etapa é importante para no momento de fazer o orçamento. É preciso direcionar os investimentos para cada sonho. Você sentirá que não está guardando o dinheiro por guardar, ele tem uma finalidade, na hora de cortar os gastos, você não estará fazendo apenas um sacrifício, mas sim estará trocando um prazer momentâneo para um prazer maior lá na frente. Seja qual for sua situação financeira no momento, é preciso ter seus sonhos e objetivos bem claros, pois eles serão o combustível para você seguir na caminhada. 4. Fazer o orçamento alinhado com suas prioridades, sonhos, metas e objetivos. O sucesso financeiro começa por respeitar o dinheiro que se ganha e poupar antes de gastar, sempre priorizando os sonhos. Lembre- se, você está no comando, você que tem que dar o destino para o seu dinheiro. 5. Buscar novas formas de renda, se isso for necessário e possível. Muitas vezes nos limitando a nossa atividade que gera a renda principal, mas se pararmos para pensar, avaliar nossos talentos, poderemos descobrir outras formas de gerar renda. O ideal é que a renda principal consiga ser maior que as despesas e as rendas complementares sejam totalmente investidas, para que você consiga gerar rendas passivas, rendas como por exemplo juros de investimentos, aluguéis de imóveis, ou seja, renda que não dependerá do seu trabalho. É aqui que o dinheiro começa a trabalhar a seu favor. 6. Vigiar, estar sempre acompanhando suas finanças para ter a certeza que você está controlando o seu dinheiro e não o contrário. Com o tempo, não será necessário ficar registando todas as despesas, mas é sempre estar atendo e observar se seus recursos financeiros estão tendo o fim planejado. 7. Comemorar: é muito importante comemorar cada desafio encarado, cada etapa vencida,
  15. 15. Conclusão Chegou a hora de você parar de deixar a vida te levar, está na hora de você tomar as rédeas de sua vida financeira. Para isso você não precisa de estratégias mágicas, somente acreditar que é possível e a partir dai, dar o primeiro passo. Se gostou do conteúdo, saiba que o processo de coaching poderá te ajudar muito mais. Nele é trabalhado cada passo do processo, avaliando os pontos de resistências, aplicando ferramentas apropriadas, trabalhando foco, disciplina e determinação e tudo isso, com certeza, irá acelerar muito o processo da busca da sua autonomia financeira. O processo de coaching de finanças trata-se de uma parceria, onde coach(profissional) e coachee(cliente) irão avaliar o ponto que o coachee se encontra, onde ele quer chegar e juntos, buscar alternativas, avaliar dificuldades, quebrar crenças limitantes e traçar um planejamento. Tudo isso para que o coachee, não somente saia do processo com a vida financeira organizada, mas também com um planejamento para alcançar a independência financeira e principalmente com uma nova mentalidade em ção ao dinheiro.
  16. 16. Para refletir Qual o valor das suas despesas mensais? Qual o valor das suas receitas mensais? Se você parar de trabalhar hoje, quanto tempo você consegue se bancar financeiramente? Você conseguirá manter seu padrão de vida quando se aposentar? Você está feliz com a vida que tem hoje? A sua situação financeira é uma restrição para você realizar seus sonhos? Se sim tem planos para mudar isso? Quais são seus sonhos para 1, 5 e 10 anos? Qual é a fotografia da vida que você quer para você? Onde você quer chegar? Estes momentos de reflexão e questionamentos são fundamentais para o nosso exercício constante de autoconhecimento, pois nos levam ao encontro de nossa essência e consequentemente a obter as respostas que precisamos para a solução das dificuldades, para derrubar todos os obstáculos diante de nós e vencer qualquer desafio que surja em nossa jornada. Permita-se Sonhar! Permita-se ir além! Para receber mais informações e dicas sobre este assunto inscreva-se no site: www.permitaseiralem.com.br. Curta nossa página no facebook: Permita-se ir além – Coaching

×