SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 16
Ministério
da Cultura
SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO
DEPARTAMENTO DE CULTURA ESPORTE E LAZER
CONFERÊNCIA MUNICIPAL
DE CULTURA
EIXO III - Cultura e Desenvolvimento
Sustentável ¹
Foco: a importância estratégica da cultura no
processo de desenvolvimento
3.1 Centralidade e transversalidade da cultura
No mundo atual as diferenças não se definem apenas pela ideologia, mas pela
religião, idioma, história, costumes e, até mesmo, pela auto-identificação
subjetiva das pessoas.
Com o advento da globalização ocorre:
-Fragmentação das identidades coletivas
-Enfraquecimento do poder mobilizador das
identidades nacionais.
-Proliferação de identidades coletivas que são constituídas e dissolvidas,
impulsionada por eventos ou motivos às vezes fúteis, como uma partida de
futebol ou a morte de uma celebridade.
3.1 Centralidade e transversalidade da cultura - continuação
O acesso às identidades é, contudo, um campo de luta e exclusão social. No
topo da pirâmide estão os que constituem e desarticulam suas identidades mais
ou menos à vontade. Na base, os que tiveram negado o acesso à escolha da
identidade e se vêem oprimidos por identidades impostas que humilham,
desumanizam, estigmatizam: “sem teto”, “favelado”, “jeca”.
Para enfrentar esses novos desafios as políticas culturais precisam sair da
posição periférica e colocarem-se no cerne das políticas governamentais, assim
como manter relacionamento estratégico com outras políticas.
Articulação com outras políticas públicas
Alguns exemplos de interfaces entre as ações de políticas públicas:
Cultura e Comunicação
Através dos programas de inclusão digital,
pois o novos aparatos tecnológicos de
transferência e armazenamento de informações
influenciam as dinâmicas de expressão,
fruição e consumo cultural. A convergência
digital pode ser o ambiente futuro de circulação
da cultura, mas para isso é necessária que as
tecnologias de informação e comunicação sejam
descentralizadas e democratizadas.
Alguns exemplos de interfaces entre as ações de políticas públicas:
Cultura e Ciência e Tecnologia
Deve-se reforçar a premissa de que o desenvolvimento científico tem que
incorporar a diversidade cultural do país, com seus múltiplos conhecimentos e
técnicas.
Cultura e Saúde
Criação de ambientes lúdicos através das artes que auxiliem nos tratamentos.
Cultura e Segurança Pública
Manejar símbolos capazes de encantar, humanizar e reconstituir possibilidades
de vida, pode contribuir para a redução da violência.
3.2 Patrimônio Cultural, Meio Ambiente e Turismo
O Decreto-lei 25, de 1937, acolhido pela CF/88 e continua em vigor, prevê a
proteção não só de bens do patrimônio histórico e artístico, como também de
monumentos naturais e sítios de valor paisagístico, arqueológico e etnológico.
Movimento ambientalista – conceito de desenvolvimento sustentável, para
conciliar crescimento econômico e preservação da natureza
Sustentabilidade Cultural – erradicação da miséria, pobreza e analfabetismo.
Pressupõe também respeitar e proteger a diversidade cultural.
Tendo como referência os conceitos de sustentabilidade cultural e ambiental é
possível dialogar positivamente com as políticas de turismo, desde que seja ele
também sustentável.
CULTURA TURISMO
MEIO AMBIENTE
3.2 Patrimônio Cultural, Meio Ambiente e Turismo
3.3 Cultura, território e desenvolvimento local
Dados do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA) mostram que os 10%
mais ricos do Brasil são responsáveis por aproximadamente 40% do consumo
cultural. A grande maioria é constituída por pessoas de alta escolaridade e estão
concentrados nas regiões metropolitanas.
Os empregos culturais formais na área da cultura também estão concentrados
nas regiões de maior densidade econômica, particularmente no Sudeste e, nessa
região, nos Estados de São Paulo e Rio de Janeiro. A indústria cultural concentra
cerca de 98% desses empregos. O percentual de participação, assim como a
desigualdade salarial entre mulheres e negros em relação a homens e brancos
ainda é bastante desproporcional.
SUGESTÃO PARA NORTEAR A DISCUSSÃO DO EIXO TEMÁTICO ²
1) Como interagem cultura e as demais ações de políticas públicas em seu
município?
2) Como se encontra a situação local em relação à: cultura e consumo; serviços
culturais e empregos (formal e informal)?
3) Que propostas poderão promover a articulação efetiva entre a cultura, meio
ambiente e turismo no município de Itamaraju tendo em foco a sustentabilidade
OBRIGADO!
Facilitadora: Délia de Oliveira Ladeia
Pedagoga Especialista em Planejamento Educacional
Técnica da Secretaria Municipal da Educação
Coordenadora do Pólo da Universidade Aberta do Brasil de
Itamaraju/Bahia
deliaeducadora @gmail.com .br
¹ Sínteses produzidas a partir do Texto Base da II Conferência Nacional de Cultura. Secretaria
da Articulação Institucional Brasília, 2009. Para conhecer o texto na íntegra acesse:
http://blogs.cultura.gov.br/cnc/2009/08/03/texto-base-da-ii-cnc/
² Sugestões para nortear a discussão: Equipe da Itamaraju/Bahia
Ministério
da Cultura
PARA O HOMEM A NATUREZA NUCA É EXCLUSIVAMENTE
NATURAL: ESTA SEMPRE CARREGADA DE UM VALOR
FRONTEIRA ENTRE O NATURAL E O NATURAL / ENTRE O
NATURAL E ARTIFICIAL
A CULTURA esta sempre em movimento.
Em toda cultura tem uma população que nasce, cresce e morre. Em
cada mente está presente os valores culturais
“Estou otimista, porque a vida tem os seus próprios caminhos para
evitar a extinção: e também os seres humanos têm os seus próprios
caminhos. Eles vão dar continuidade à tradição da vida”. (Shiva).

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Interculturalidade
InterculturalidadeInterculturalidade
InterculturalidadeBajoca
 
Apresentação conferencia municipal 2009
Apresentação conferencia municipal 2009Apresentação conferencia municipal 2009
Apresentação conferencia municipal 2009Delia Ladeia
 
Interculturalidade (1)luisa 7ºa
Interculturalidade (1)luisa 7ºaInterculturalidade (1)luisa 7ºa
Interculturalidade (1)luisa 7ºaNatercia
 
Desenvolvimento de Competências Para Uma Melhor Inclusão
Desenvolvimento de Competências Para Uma Melhor InclusãoDesenvolvimento de Competências Para Uma Melhor Inclusão
Desenvolvimento de Competências Para Uma Melhor InclusãoAndreiaPinto49
 
Seminário Globalização - A Globalização e as Questões Sociais - Parte II
Seminário Globalização - A Globalização e as Questões Sociais - Parte IISeminário Globalização - A Globalização e as Questões Sociais - Parte II
Seminário Globalização - A Globalização e as Questões Sociais - Parte IIHenrique Nascimento
 
Paula rosa vítor
Paula rosa vítorPaula rosa vítor
Paula rosa vítorMSamagaio
 
Conhecimento escolar e diversidade cultural
Conhecimento  escolar e diversidade culturalConhecimento  escolar e diversidade cultural
Conhecimento escolar e diversidade culturalCarla Regina
 
Pluralidade cultural
Pluralidade culturalPluralidade cultural
Pluralidade culturalAna Lúcia
 
Dixlogos do turismo_uma_viagem_de_inclusxo
Dixlogos do turismo_uma_viagem_de_inclusxoDixlogos do turismo_uma_viagem_de_inclusxo
Dixlogos do turismo_uma_viagem_de_inclusxoPedro Uva
 
Apresentação do Eixo III na III Conferência Municipal da Cultura de Altaneira
Apresentação do Eixo III na III Conferência Municipal da Cultura de AltaneiraApresentação do Eixo III na III Conferência Municipal da Cultura de Altaneira
Apresentação do Eixo III na III Conferência Municipal da Cultura de AltaneiraJose Nicolau
 
Pluralidade cultural, diversidade e cidadania 01
Pluralidade cultural, diversidade e cidadania 01Pluralidade cultural, diversidade e cidadania 01
Pluralidade cultural, diversidade e cidadania 01Odairdesouza
 
Workshop TIC@Algarve 2010 - As TIC como Ferramentas de Apoio à Diversidade Cu...
Workshop TIC@Algarve 2010 - As TIC como Ferramentas de Apoio à Diversidade Cu...Workshop TIC@Algarve 2010 - As TIC como Ferramentas de Apoio à Diversidade Cu...
Workshop TIC@Algarve 2010 - As TIC como Ferramentas de Apoio à Diversidade Cu...Hugo Mártires
 
Boa esperança.santa rita pluralidade cultural 1.ppt
Boa esperança.santa rita pluralidade cultural 1.pptBoa esperança.santa rita pluralidade cultural 1.ppt
Boa esperança.santa rita pluralidade cultural 1.ppttemastransversais
 
Interculturalidade catarina mendes 8ºc
Interculturalidade catarina mendes 8ºcInterculturalidade catarina mendes 8ºc
Interculturalidade catarina mendes 8ºcNatercia
 
Interculturalidade no ensino de le
Interculturalidade no ensino de leInterculturalidade no ensino de le
Interculturalidade no ensino de leMauro Toniolo Silva
 
Cultura e desenvolvimento de Sabará
Cultura e desenvolvimento de SabaráCultura e desenvolvimento de Sabará
Cultura e desenvolvimento de Sabarásabara300
 

Mais procurados (20)

Interculturalidade
InterculturalidadeInterculturalidade
Interculturalidade
 
Sociologia 2 º anos
Sociologia 2 º anos  Sociologia 2 º anos
Sociologia 2 º anos
 
diversidade cultural
diversidade culturaldiversidade cultural
diversidade cultural
 
Apresentação conferencia municipal 2009
Apresentação conferencia municipal 2009Apresentação conferencia municipal 2009
Apresentação conferencia municipal 2009
 
Interculturalidade (1)luisa 7ºa
Interculturalidade (1)luisa 7ºaInterculturalidade (1)luisa 7ºa
Interculturalidade (1)luisa 7ºa
 
Desenvolvimento de Competências Para Uma Melhor Inclusão
Desenvolvimento de Competências Para Uma Melhor InclusãoDesenvolvimento de Competências Para Uma Melhor Inclusão
Desenvolvimento de Competências Para Uma Melhor Inclusão
 
Seminário Globalização - A Globalização e as Questões Sociais - Parte II
Seminário Globalização - A Globalização e as Questões Sociais - Parte IISeminário Globalização - A Globalização e as Questões Sociais - Parte II
Seminário Globalização - A Globalização e as Questões Sociais - Parte II
 
Paula rosa vítor
Paula rosa vítorPaula rosa vítor
Paula rosa vítor
 
Conhecimento escolar e diversidade cultural
Conhecimento  escolar e diversidade culturalConhecimento  escolar e diversidade cultural
Conhecimento escolar e diversidade cultural
 
Pluralidade cultural
Pluralidade culturalPluralidade cultural
Pluralidade cultural
 
Dixlogos do turismo_uma_viagem_de_inclusxo
Dixlogos do turismo_uma_viagem_de_inclusxoDixlogos do turismo_uma_viagem_de_inclusxo
Dixlogos do turismo_uma_viagem_de_inclusxo
 
Apresentação do Eixo III na III Conferência Municipal da Cultura de Altaneira
Apresentação do Eixo III na III Conferência Municipal da Cultura de AltaneiraApresentação do Eixo III na III Conferência Municipal da Cultura de Altaneira
Apresentação do Eixo III na III Conferência Municipal da Cultura de Altaneira
 
Pluralidade cultural, diversidade e cidadania 01
Pluralidade cultural, diversidade e cidadania 01Pluralidade cultural, diversidade e cidadania 01
Pluralidade cultural, diversidade e cidadania 01
 
838679
838679838679
838679
 
Workshop TIC@Algarve 2010 - As TIC como Ferramentas de Apoio à Diversidade Cu...
Workshop TIC@Algarve 2010 - As TIC como Ferramentas de Apoio à Diversidade Cu...Workshop TIC@Algarve 2010 - As TIC como Ferramentas de Apoio à Diversidade Cu...
Workshop TIC@Algarve 2010 - As TIC como Ferramentas de Apoio à Diversidade Cu...
 
Boa esperança.santa rita pluralidade cultural 1.ppt
Boa esperança.santa rita pluralidade cultural 1.pptBoa esperança.santa rita pluralidade cultural 1.ppt
Boa esperança.santa rita pluralidade cultural 1.ppt
 
Interculturalidade catarina mendes 8ºc
Interculturalidade catarina mendes 8ºcInterculturalidade catarina mendes 8ºc
Interculturalidade catarina mendes 8ºc
 
Interculturalidade no ensino de le
Interculturalidade no ensino de leInterculturalidade no ensino de le
Interculturalidade no ensino de le
 
Cultura e desenvolvimento de Sabará
Cultura e desenvolvimento de SabaráCultura e desenvolvimento de Sabará
Cultura e desenvolvimento de Sabará
 
O Programa
O ProgramaO Programa
O Programa
 

Destaque (9)

Interneteko Legeak
Interneteko LegeakInterneteko Legeak
Interneteko Legeak
 
Sse Avapreneurship Group8
Sse Avapreneurship Group8Sse Avapreneurship Group8
Sse Avapreneurship Group8
 
Premiile pentru protectia muncii
Premiile pentru protectia munciiPremiile pentru protectia muncii
Premiile pentru protectia muncii
 
Agenda de la UIMP, Martes 28 de Julio de 2009
Agenda de la UIMP, Martes 28 de Julio de 2009Agenda de la UIMP, Martes 28 de Julio de 2009
Agenda de la UIMP, Martes 28 de Julio de 2009
 
Nuevo Documento De Microsoft Office Word
Nuevo Documento De Microsoft Office WordNuevo Documento De Microsoft Office Word
Nuevo Documento De Microsoft Office Word
 
12 08
12 0812 08
12 08
 
Proyecto Planeta Mujer Objetivos De Desarrollo Del Milenio
Proyecto Planeta Mujer Objetivos De Desarrollo Del MilenioProyecto Planeta Mujer Objetivos De Desarrollo Del Milenio
Proyecto Planeta Mujer Objetivos De Desarrollo Del Milenio
 
Las Mascotas OlíMpicas
Las Mascotas OlíMpicasLas Mascotas OlíMpicas
Las Mascotas OlíMpicas
 
Leptospirosis En Lata
Leptospirosis En LataLeptospirosis En Lata
Leptospirosis En Lata
 

Semelhante a Délia eixo3 conf. cultura itamaraju

Multiculturalismo e a sociologia
Multiculturalismo e a sociologiaMulticulturalismo e a sociologia
Multiculturalismo e a sociologiaLeonardo de Barros
 
[NITRO] FAQ - DIRH08F01 - Direito e Humanidades.pdf
[NITRO] FAQ -  DIRH08F01 - Direito e Humanidades.pdf[NITRO] FAQ -  DIRH08F01 - Direito e Humanidades.pdf
[NITRO] FAQ - DIRH08F01 - Direito e Humanidades.pdfBrunoCosta364836
 
Conferênia Nacional de Cultura: Eixo 2
Conferênia Nacional de Cultura: Eixo 2Conferênia Nacional de Cultura: Eixo 2
Conferênia Nacional de Cultura: Eixo 2leonardofsales
 
Diversidade cultural e criatividade na cultura popular brasileira
Diversidade cultural e criatividade na cultura popular brasileiraDiversidade cultural e criatividade na cultura popular brasileira
Diversidade cultural e criatividade na cultura popular brasileiraLuci Bonini
 
Eixo2 2ªconferência intermunicipal amai
Eixo2 2ªconferência intermunicipal amaiEixo2 2ªconferência intermunicipal amai
Eixo2 2ªconferência intermunicipal amaiMarcelo Pertussatti
 
Plano da Secretaria da Economia Criativa
Plano da Secretaria da Economia CriativaPlano da Secretaria da Economia Criativa
Plano da Secretaria da Economia Criativacultcultura
 
Apostila Modulo Diversidade Cultural e Direitos Humanos_.pdf
Apostila Modulo Diversidade Cultural e Direitos Humanos_.pdfApostila Modulo Diversidade Cultural e Direitos Humanos_.pdf
Apostila Modulo Diversidade Cultural e Direitos Humanos_.pdfMcp2016
 
O Caminho do simbólico ao mercado cultural
O Caminho do simbólico ao mercado culturalO Caminho do simbólico ao mercado cultural
O Caminho do simbólico ao mercado culturalBabiBrasileiro
 
ReflexõEs Sobre As Atuais PolíTicas PúBlicas Para O Cinema No Brasil
ReflexõEs Sobre As Atuais PolíTicas PúBlicas Para O Cinema No BrasilReflexõEs Sobre As Atuais PolíTicas PúBlicas Para O Cinema No Brasil
ReflexõEs Sobre As Atuais PolíTicas PúBlicas Para O Cinema No BrasilBruna Dalmagro
 
Pcn história
Pcn históriaPcn história
Pcn históriacmsrial13
 
Decl diversidadecultural
Decl diversidadeculturalDecl diversidadecultural
Decl diversidadeculturalFrancisco Costa
 

Semelhante a Délia eixo3 conf. cultura itamaraju (20)

Multiculturalismo e a sociologia
Multiculturalismo e a sociologiaMulticulturalismo e a sociologia
Multiculturalismo e a sociologia
 
[NITRO] FAQ - DIRH08F01 - Direito e Humanidades.pdf
[NITRO] FAQ -  DIRH08F01 - Direito e Humanidades.pdf[NITRO] FAQ -  DIRH08F01 - Direito e Humanidades.pdf
[NITRO] FAQ - DIRH08F01 - Direito e Humanidades.pdf
 
Conferênia Nacional de Cultura: Eixo 2
Conferênia Nacional de Cultura: Eixo 2Conferênia Nacional de Cultura: Eixo 2
Conferênia Nacional de Cultura: Eixo 2
 
Diversidade cultural e criatividade na cultura popular brasileira
Diversidade cultural e criatividade na cultura popular brasileiraDiversidade cultural e criatividade na cultura popular brasileira
Diversidade cultural e criatividade na cultura popular brasileira
 
ORIGENS DO ECOSSISTEMA DE C&T&I EM SANTA CATARINA
ORIGENS DO ECOSSISTEMA DE C&T&I EM SANTA CATARINAORIGENS DO ECOSSISTEMA DE C&T&I EM SANTA CATARINA
ORIGENS DO ECOSSISTEMA DE C&T&I EM SANTA CATARINA
 
federal reserve
federal reservefederal reserve
federal reserve
 
Eixo2 2ªconferência intermunicipal amai
Eixo2 2ªconferência intermunicipal amaiEixo2 2ªconferência intermunicipal amai
Eixo2 2ªconferência intermunicipal amai
 
Cartilha do Sistema Nacional de Cultura
Cartilha do Sistema Nacional de CulturaCartilha do Sistema Nacional de Cultura
Cartilha do Sistema Nacional de Cultura
 
Plano da Secretaria da Economia Criativa
Plano da Secretaria da Economia CriativaPlano da Secretaria da Economia Criativa
Plano da Secretaria da Economia Criativa
 
Apostila Modulo Diversidade Cultural e Direitos Humanos_.pdf
Apostila Modulo Diversidade Cultural e Direitos Humanos_.pdfApostila Modulo Diversidade Cultural e Direitos Humanos_.pdf
Apostila Modulo Diversidade Cultural e Direitos Humanos_.pdf
 
O Caminho do simbólico ao mercado cultural
O Caminho do simbólico ao mercado culturalO Caminho do simbólico ao mercado cultural
O Caminho do simbólico ao mercado cultural
 
ReflexõEs Sobre As Atuais PolíTicas PúBlicas Para O Cinema No Brasil
ReflexõEs Sobre As Atuais PolíTicas PúBlicas Para O Cinema No BrasilReflexõEs Sobre As Atuais PolíTicas PúBlicas Para O Cinema No Brasil
ReflexõEs Sobre As Atuais PolíTicas PúBlicas Para O Cinema No Brasil
 
Multiculturalismo
MulticulturalismoMulticulturalismo
Multiculturalismo
 
Programa Mais Cultura
Programa Mais CulturaPrograma Mais Cultura
Programa Mais Cultura
 
Pcn história
Pcn históriaPcn história
Pcn história
 
Pcn história
Pcn históriaPcn história
Pcn história
 
Decl diversidadecultural
Decl diversidadeculturalDecl diversidadecultural
Decl diversidadecultural
 
Apresentação diversidade 2013
Apresentação diversidade 2013Apresentação diversidade 2013
Apresentação diversidade 2013
 
Economia Criativa
Economia CriativaEconomia Criativa
Economia Criativa
 
Apresentação Diversidade 2013
Apresentação Diversidade 2013Apresentação Diversidade 2013
Apresentação Diversidade 2013
 

Mais de Delia Ladeia

Epen delia sonia paraiba jp 19 novembro pdf
Epen delia sonia  paraiba jp 19 novembro pdfEpen delia sonia  paraiba jp 19 novembro pdf
Epen delia sonia paraiba jp 19 novembro pdfDelia Ladeia
 
Nalfa.. um dedo de prosa delia ladeia
Nalfa.. um dedo de prosa   delia ladeiaNalfa.. um dedo de prosa   delia ladeia
Nalfa.. um dedo de prosa delia ladeiaDelia Ladeia
 
CONAE 2018 - Conferencia Municipal de Guaratinga - Eixo v planos decenais, ...
CONAE 2018 - Conferencia Municipal de Guaratinga - Eixo v   planos decenais, ...CONAE 2018 - Conferencia Municipal de Guaratinga - Eixo v   planos decenais, ...
CONAE 2018 - Conferencia Municipal de Guaratinga - Eixo v planos decenais, ...Delia Ladeia
 
Memoria.texto poetico ladeia
Memoria.texto poetico ladeiaMemoria.texto poetico ladeia
Memoria.texto poetico ladeiaDelia Ladeia
 
04 texto orsolon coordenador pedagógico transformador atitudes
04  texto orsolon coordenador pedagógico transformador   atitudes04  texto orsolon coordenador pedagógico transformador   atitudes
04 texto orsolon coordenador pedagógico transformador atitudesDelia Ladeia
 
Liderança estudantil delia
Liderança estudantil deliaLiderança estudantil delia
Liderança estudantil deliaDelia Ladeia
 
Jornada pedagógica palestra délia
Jornada pedagógica palestra déliaJornada pedagógica palestra délia
Jornada pedagógica palestra déliaDelia Ladeia
 

Mais de Delia Ladeia (7)

Epen delia sonia paraiba jp 19 novembro pdf
Epen delia sonia  paraiba jp 19 novembro pdfEpen delia sonia  paraiba jp 19 novembro pdf
Epen delia sonia paraiba jp 19 novembro pdf
 
Nalfa.. um dedo de prosa delia ladeia
Nalfa.. um dedo de prosa   delia ladeiaNalfa.. um dedo de prosa   delia ladeia
Nalfa.. um dedo de prosa delia ladeia
 
CONAE 2018 - Conferencia Municipal de Guaratinga - Eixo v planos decenais, ...
CONAE 2018 - Conferencia Municipal de Guaratinga - Eixo v   planos decenais, ...CONAE 2018 - Conferencia Municipal de Guaratinga - Eixo v   planos decenais, ...
CONAE 2018 - Conferencia Municipal de Guaratinga - Eixo v planos decenais, ...
 
Memoria.texto poetico ladeia
Memoria.texto poetico ladeiaMemoria.texto poetico ladeia
Memoria.texto poetico ladeia
 
04 texto orsolon coordenador pedagógico transformador atitudes
04  texto orsolon coordenador pedagógico transformador   atitudes04  texto orsolon coordenador pedagógico transformador   atitudes
04 texto orsolon coordenador pedagógico transformador atitudes
 
Liderança estudantil delia
Liderança estudantil deliaLiderança estudantil delia
Liderança estudantil delia
 
Jornada pedagógica palestra délia
Jornada pedagógica palestra déliaJornada pedagógica palestra délia
Jornada pedagógica palestra délia
 

Último

Geometria 5to Educacion Primaria EDU Ccesa007.pdf
Geometria  5to Educacion Primaria EDU  Ccesa007.pdfGeometria  5to Educacion Primaria EDU  Ccesa007.pdf
Geometria 5to Educacion Primaria EDU Ccesa007.pdfDemetrio Ccesa Rayme
 
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...LuizHenriquedeAlmeid6
 
Aula 1, 2 Bacterias Características e Morfologia.pptx
Aula 1, 2  Bacterias Características e Morfologia.pptxAula 1, 2  Bacterias Características e Morfologia.pptx
Aula 1, 2 Bacterias Características e Morfologia.pptxpamelacastro71
 
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...Martin M Flynn
 
As Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptx
As Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptxAs Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptx
As Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptxAlexandreFrana33
 
PRÉ-MODERNISMO - GUERRA DE CANUDOS E OS SERTÕES
PRÉ-MODERNISMO - GUERRA DE CANUDOS E OS SERTÕESPRÉ-MODERNISMO - GUERRA DE CANUDOS E OS SERTÕES
PRÉ-MODERNISMO - GUERRA DE CANUDOS E OS SERTÕESpatriciasofiacunha18
 
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptxSlide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptxconcelhovdragons
 
VALORES HUMANOS NA DISCIPLINA DE ENSINO RELIGIOSO
VALORES HUMANOS NA DISCIPLINA DE ENSINO RELIGIOSOVALORES HUMANOS NA DISCIPLINA DE ENSINO RELIGIOSO
VALORES HUMANOS NA DISCIPLINA DE ENSINO RELIGIOSOBiatrizGomes1
 
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024Sandra Pratas
 
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGISPrática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGISVitor Vieira Vasconcelos
 
Recurso Casa das Ciências: Sistemas de Partículas
Recurso Casa das Ciências: Sistemas de PartículasRecurso Casa das Ciências: Sistemas de Partículas
Recurso Casa das Ciências: Sistemas de PartículasCasa Ciências
 
Noções de Orçamento Público AFO - CNU - Aula 1 - Alunos.pdf
Noções de Orçamento Público AFO - CNU - Aula 1 - Alunos.pdfNoções de Orçamento Público AFO - CNU - Aula 1 - Alunos.pdf
Noções de Orçamento Público AFO - CNU - Aula 1 - Alunos.pdfdottoor
 
O guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdf
O guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdfO guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdf
O guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdfErasmo Portavoz
 
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdfCultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdfaulasgege
 
geografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundo
geografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundogeografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundo
geografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundonialb
 
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANO
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANOInvestimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANO
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANOMarcosViniciusLemesL
 
Apostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptx
Apostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptxApostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptx
Apostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptxIsabelaRafael2
 
QUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNAS
QUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNASQUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNAS
QUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNASEdinardo Aguiar
 
FCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimir
FCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimirFCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimir
FCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimirIedaGoethe
 
Slides criatividade 01042024 finalpdf Portugues.pdf
Slides criatividade 01042024 finalpdf Portugues.pdfSlides criatividade 01042024 finalpdf Portugues.pdf
Slides criatividade 01042024 finalpdf Portugues.pdfpaulafernandes540558
 

Último (20)

Geometria 5to Educacion Primaria EDU Ccesa007.pdf
Geometria  5to Educacion Primaria EDU  Ccesa007.pdfGeometria  5to Educacion Primaria EDU  Ccesa007.pdf
Geometria 5to Educacion Primaria EDU Ccesa007.pdf
 
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...
 
Aula 1, 2 Bacterias Características e Morfologia.pptx
Aula 1, 2  Bacterias Características e Morfologia.pptxAula 1, 2  Bacterias Características e Morfologia.pptx
Aula 1, 2 Bacterias Características e Morfologia.pptx
 
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...
 
As Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptx
As Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptxAs Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptx
As Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptx
 
PRÉ-MODERNISMO - GUERRA DE CANUDOS E OS SERTÕES
PRÉ-MODERNISMO - GUERRA DE CANUDOS E OS SERTÕESPRÉ-MODERNISMO - GUERRA DE CANUDOS E OS SERTÕES
PRÉ-MODERNISMO - GUERRA DE CANUDOS E OS SERTÕES
 
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptxSlide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
 
VALORES HUMANOS NA DISCIPLINA DE ENSINO RELIGIOSO
VALORES HUMANOS NA DISCIPLINA DE ENSINO RELIGIOSOVALORES HUMANOS NA DISCIPLINA DE ENSINO RELIGIOSO
VALORES HUMANOS NA DISCIPLINA DE ENSINO RELIGIOSO
 
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
 
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGISPrática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
 
Recurso Casa das Ciências: Sistemas de Partículas
Recurso Casa das Ciências: Sistemas de PartículasRecurso Casa das Ciências: Sistemas de Partículas
Recurso Casa das Ciências: Sistemas de Partículas
 
Noções de Orçamento Público AFO - CNU - Aula 1 - Alunos.pdf
Noções de Orçamento Público AFO - CNU - Aula 1 - Alunos.pdfNoções de Orçamento Público AFO - CNU - Aula 1 - Alunos.pdf
Noções de Orçamento Público AFO - CNU - Aula 1 - Alunos.pdf
 
O guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdf
O guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdfO guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdf
O guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdf
 
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdfCultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
 
geografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundo
geografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundogeografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundo
geografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundo
 
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANO
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANOInvestimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANO
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANO
 
Apostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptx
Apostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptxApostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptx
Apostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptx
 
QUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNAS
QUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNASQUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNAS
QUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNAS
 
FCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimir
FCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimirFCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimir
FCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimir
 
Slides criatividade 01042024 finalpdf Portugues.pdf
Slides criatividade 01042024 finalpdf Portugues.pdfSlides criatividade 01042024 finalpdf Portugues.pdf
Slides criatividade 01042024 finalpdf Portugues.pdf
 

Délia eixo3 conf. cultura itamaraju

  • 1. Ministério da Cultura SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO DEPARTAMENTO DE CULTURA ESPORTE E LAZER CONFERÊNCIA MUNICIPAL DE CULTURA
  • 2. EIXO III - Cultura e Desenvolvimento Sustentável ¹ Foco: a importância estratégica da cultura no processo de desenvolvimento
  • 3. 3.1 Centralidade e transversalidade da cultura No mundo atual as diferenças não se definem apenas pela ideologia, mas pela religião, idioma, história, costumes e, até mesmo, pela auto-identificação subjetiva das pessoas. Com o advento da globalização ocorre: -Fragmentação das identidades coletivas -Enfraquecimento do poder mobilizador das identidades nacionais. -Proliferação de identidades coletivas que são constituídas e dissolvidas, impulsionada por eventos ou motivos às vezes fúteis, como uma partida de futebol ou a morte de uma celebridade.
  • 4. 3.1 Centralidade e transversalidade da cultura - continuação O acesso às identidades é, contudo, um campo de luta e exclusão social. No topo da pirâmide estão os que constituem e desarticulam suas identidades mais ou menos à vontade. Na base, os que tiveram negado o acesso à escolha da identidade e se vêem oprimidos por identidades impostas que humilham, desumanizam, estigmatizam: “sem teto”, “favelado”, “jeca”. Para enfrentar esses novos desafios as políticas culturais precisam sair da posição periférica e colocarem-se no cerne das políticas governamentais, assim como manter relacionamento estratégico com outras políticas.
  • 5. Articulação com outras políticas públicas
  • 6. Alguns exemplos de interfaces entre as ações de políticas públicas: Cultura e Comunicação Através dos programas de inclusão digital, pois o novos aparatos tecnológicos de transferência e armazenamento de informações influenciam as dinâmicas de expressão, fruição e consumo cultural. A convergência digital pode ser o ambiente futuro de circulação da cultura, mas para isso é necessária que as tecnologias de informação e comunicação sejam descentralizadas e democratizadas.
  • 7. Alguns exemplos de interfaces entre as ações de políticas públicas: Cultura e Ciência e Tecnologia Deve-se reforçar a premissa de que o desenvolvimento científico tem que incorporar a diversidade cultural do país, com seus múltiplos conhecimentos e técnicas. Cultura e Saúde Criação de ambientes lúdicos através das artes que auxiliem nos tratamentos. Cultura e Segurança Pública Manejar símbolos capazes de encantar, humanizar e reconstituir possibilidades de vida, pode contribuir para a redução da violência.
  • 8. 3.2 Patrimônio Cultural, Meio Ambiente e Turismo O Decreto-lei 25, de 1937, acolhido pela CF/88 e continua em vigor, prevê a proteção não só de bens do patrimônio histórico e artístico, como também de monumentos naturais e sítios de valor paisagístico, arqueológico e etnológico. Movimento ambientalista – conceito de desenvolvimento sustentável, para conciliar crescimento econômico e preservação da natureza Sustentabilidade Cultural – erradicação da miséria, pobreza e analfabetismo. Pressupõe também respeitar e proteger a diversidade cultural. Tendo como referência os conceitos de sustentabilidade cultural e ambiental é possível dialogar positivamente com as políticas de turismo, desde que seja ele também sustentável.
  • 9. CULTURA TURISMO MEIO AMBIENTE 3.2 Patrimônio Cultural, Meio Ambiente e Turismo
  • 10. 3.3 Cultura, território e desenvolvimento local Dados do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA) mostram que os 10% mais ricos do Brasil são responsáveis por aproximadamente 40% do consumo cultural. A grande maioria é constituída por pessoas de alta escolaridade e estão concentrados nas regiões metropolitanas. Os empregos culturais formais na área da cultura também estão concentrados nas regiões de maior densidade econômica, particularmente no Sudeste e, nessa região, nos Estados de São Paulo e Rio de Janeiro. A indústria cultural concentra cerca de 98% desses empregos. O percentual de participação, assim como a desigualdade salarial entre mulheres e negros em relação a homens e brancos ainda é bastante desproporcional.
  • 11. SUGESTÃO PARA NORTEAR A DISCUSSÃO DO EIXO TEMÁTICO ² 1) Como interagem cultura e as demais ações de políticas públicas em seu município? 2) Como se encontra a situação local em relação à: cultura e consumo; serviços culturais e empregos (formal e informal)? 3) Que propostas poderão promover a articulação efetiva entre a cultura, meio ambiente e turismo no município de Itamaraju tendo em foco a sustentabilidade
  • 12. OBRIGADO! Facilitadora: Délia de Oliveira Ladeia Pedagoga Especialista em Planejamento Educacional Técnica da Secretaria Municipal da Educação Coordenadora do Pólo da Universidade Aberta do Brasil de Itamaraju/Bahia deliaeducadora @gmail.com .br ¹ Sínteses produzidas a partir do Texto Base da II Conferência Nacional de Cultura. Secretaria da Articulação Institucional Brasília, 2009. Para conhecer o texto na íntegra acesse: http://blogs.cultura.gov.br/cnc/2009/08/03/texto-base-da-ii-cnc/ ² Sugestões para nortear a discussão: Equipe da Itamaraju/Bahia Ministério da Cultura
  • 13. PARA O HOMEM A NATUREZA NUCA É EXCLUSIVAMENTE NATURAL: ESTA SEMPRE CARREGADA DE UM VALOR
  • 14. FRONTEIRA ENTRE O NATURAL E O NATURAL / ENTRE O NATURAL E ARTIFICIAL
  • 15. A CULTURA esta sempre em movimento. Em toda cultura tem uma população que nasce, cresce e morre. Em cada mente está presente os valores culturais
  • 16. “Estou otimista, porque a vida tem os seus próprios caminhos para evitar a extinção: e também os seres humanos têm os seus próprios caminhos. Eles vão dar continuidade à tradição da vida”. (Shiva).