Projetos educacionais em ambientes computacionais

49 visualizações

Publicada em

Definição de projetos, Informática educativa, sites de projetos educacionais com o uso das tecnologias.

Publicada em: Educação
1 comentário
2 gostaram
Estatísticas
Notas
Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
49
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
1
Gostaram
2
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide
  • Começo a minha apresentação com 2 perguntas: 1ª  Eu contruí essa idéia através do Nogueira
  • A 2ª pergunta 
  • Para compreender as etapas de elaboração de um projeto eu sintetizei no seguinte diagrama 
    Planejamento: um planejamento deverá traçar os seguintes passos:
    Escolha do Tema/conteúdo baseados na estruturação - Tema é o ponto de partida e deve ser escolhido pelos alunos
    *Quê (Que será feito nesse projeto? Quais são os objetivos? Sobre o que se pesquisará?) *Por quê? (Por que esse tema será tratado?) *Como? (Como será realizado o projeto?) *Quando? (Quando as etapas do planejamento serão executadas? Em que momento?) *Quem? (Quem se responsabilizará pelo quê?) *Recursos? (Quais serão os recursos-materias e humanos necessários para a perfeita realização do projeto?)
    Montagem e Execução: é colocar tudo o que foi planejado em prática.
    É importante e vital a participação do professor da disciplina que é o centro de interesses;
    É a fase mais trabalhosa e proveitosa;
    Todos os recursos materiais e instrucionais devem estar à disposição dos alunos;
    A elaboração e a execução devem estar ligadas à investigação.
    Depuração e Ensaio: é a fase dos ajustes, da autocrítica e auto-avaliação em que a participação dos alunos é muito importante, pois dão suas opniões sobre os resultados.
    As elaborações foram suficientes?
    Os ítens do projeto são relevantes? São providenciados acertos.
    Término e Apresentação do projeto
    *Momento de o grupo expor suas descobertas, hipóteses, criações e conclusões; *Comparação evolutiva dos projetos anteriores com os atuais e possíveis ajustes para os próximos.
    Avaliação: *Sessão em que todos, professores e alunos, avaliam as etapas; *Análise e aceitação de possíveis “falhas”; *O “erro” é visto como algo que “não ficou bom” ou “poderia ter ficado melhor”, servindo como principal instrumento de aprendizagem da etapa de depuração; *Questionar e refletir com o objetivo de melhorar; *As avaliações podem ser feitas em assembléias periódicas entre os docentes envolvidos e/ou os alunos, ou no final de cada etapa, a critério do grupo, em comum acordo com todos.
  • Porém, para viabilizar (para fazer acontecer) 
  • Se o computador pode ser uma ferramenta valiosa neste processo de ensino-aprendizagem, há necessidade do envolvimento da informática nos projetos educacionais.
  • Mapa Conceitual
  • Partindo do pressuposto que:
    1º A escolha do tema: O tema deve ser escolhido por todos que irão participar.
    2º Verificar o que os alunos sabem sobre o tema.
    Relacionar o tema com o PCNs.
    Especificar os objetivos e conteúdos do projeto (o que se pode aprender sobre o projeto?).
    Buscar referências sobre o tema.
    Envolver todos os participantes.
    Planejar o desenvolvimento do projeto, sendo que a avaliação deve percorrer todo o processo não sendo uma etapa isolada.
    Conectar os conteúdos que vão sendo trabalhados com os aspectos de outras áreas, com situações da vida real.
    Promover assembléias onde todos possam participar e aproveitar para recapitular o processo que já se realizou e o que irá acontecer.
    Desenvolver estilo cognitivo pessoal.
    Atender necessidades de convivência em grupo.
    Fixar conceitos em seu próprio ritmo.
    Destacar, em forma de observações ou pesquisas pontuais, a relação entre o que se ensina e o que eles aprendem.
    Aprofundar-se sobre a diferença entre o que se faz e o que se aprende na sala de aula.
    Refletir sobre a distinção entre atividades e conhecimentos que derivam dos alunos, os que o professor transforma e os que vai apresentar como novos.
    Aprofundar-se no como se avalia a relação entre o ensinamento e o aprendido entre a ação da turma e o progresso dos alunos.
  • Universidade Estadual de Campinas
    A – Porta Automática
    B – Leitor de Cores
    C – Traçador Gráfico
    D – Carro de Combate
    USP
    Projeto Computer Jamborée
  • Projetos educacionais em ambientes computacionais

    1. 1. Docente: Dejane ChauvinDocente: Dejane Chauvin Projetos EducacionaisProjetos Educacionais emem Ambientes ComputacionaisAmbientes Computacionais
    2. 2. Que são Projetos? “Os projetos na realidade são verdadeiras fontes de criação, que passam sem dúvida por processos de pesquisas, aprofundamento, análise, depuração e criação de novas hipóteses, colocando em prova a todo o momento as diferentes potencialidades dos elementos do grupo, assim como as limitações. Tal amplitude, neste processo, faz que os alunos busquem cada vez mais informações, materiais, detalhamentos etc., fontes estas de constantes estímulos no desenrolar do desenvolvimento de suas competências.” (Nilbo Ribeiro Nogueira, 1998)
    3. 3. Por que Projetos? Gardner (1994) responde a esta pergunta de uma forma muito simples porém realista, quando cita a grande preocupação das escolas em ensinar seus alunos a responderem baterias de testes que se perderão logo após que saírem da escola. Em contrapartida, fora da escola, encontrarão uma sistemática de trabalho que sempre envolverá os projetos. É por meio dos projetos que os alunos terão grandes chances de resolver determinadas situações problemas, buscar o equilíbrio e novos conhecimentos, já que ele aprenderá a aprender.
    4. 4. CICLO DA APRENDIZAGEM POR PROJETOS DE TRABALHO PLANEJAMENTO Esquematização/estruturação MONTAGEM E EXECUÇÃO Hipóteses e descobertas DEPURAÇÃO E ENSAIO Reflexão de novas hipóteses AVALIAÇÃO Reconhecimento das falhas e acertos APRESENTAÇÃO Constatação das aquisições Ciclo da aprendizagem por projetos de trabalho. Baseado em Gardner (1995b) e ´Hernández (1998 e 2000)
    5. 5. Tais mudanças referem-se às condições materiais, ao salário dos professores e ao reconhecimento social sobre a importância do trabalho docente. Fernando Hernández considera que, para o Brasil, projetos educacionais é um luxo e uma sofisticação, caso não sejam produzidas mudanças radicais nas escolas.
    6. 6. A Informática Educativa tem sido utilizadaA Informática Educativa tem sido utilizada para favorecer o processo depara favorecer o processo de ensino/aprendizagem, a aprendizagem comensino/aprendizagem, a aprendizagem com autonomia como co-autora nos aspectosautonomia como co-autora nos aspectos afetivos, sociais e cognitivos do ser humano,afetivos, sociais e cognitivos do ser humano, auxiliando na elaboração de projetos deauxiliando na elaboração de projetos de trabalho como poderoso recurso didático.trabalho como poderoso recurso didático.
    7. 7. O QUE UM EDUCADOR PRECISA SABER PARA EXECUTAR PROJETOS DE TRABALHO COM SEUS ALUNOS NUM AMBIENTE COMPUTACIONAL? Metodologia de Projetos de Trabalho aliada à Informática Educativa Planejamento de Projeto Avaliação dos resultados com olhar voltado ao desenvolvimento de competências dos alunos PROJETOS DE TRABALHO COMPETÊNCIAS PEDAGÓGICAS CONHECIMENTOS TÉCNICOS O processo ensino-aprendizagem A aprendizagem e seus aspectos afetivos, sociais e cognitivos Aprendizagem significativa As múltiplas inteligências e ainteligência emocional Utilização e avalição Sobre o uso da Informática na sala de aula Recursos didáticos Software aplicativos, específicos e de ambientação Técnicas e instrumetos Computadores e seus periféricos
    8. 8. •Tornar a prática educativa mais dinâmica e contextualizadaTornar a prática educativa mais dinâmica e contextualizada (o problema proposto, a elaboração de hipótese, a(o problema proposto, a elaboração de hipótese, a experimentação, a argumentação e a análise dos erros);experimentação, a argumentação e a análise dos erros); •Gerar situações de aprendizagens reais e diversificados;Gerar situações de aprendizagens reais e diversificados; •Relacionar os conteúdos em atividades interdisciplinares;Relacionar os conteúdos em atividades interdisciplinares; •Considerar a atuação do aluno enquanto sujeito da própriaConsiderar a atuação do aluno enquanto sujeito da própria aprendizagem;aprendizagem; •Favorecer a construção da autonomia e da autodisciplina.Favorecer a construção da autonomia e da autodisciplina. Trabalhar com projetos é a alternativa que busca superar as práticas habituais e possibilita:
    9. 9. Caso o professor não tenha conhecimento razoável sobre computadores, recomenda-se então um trabalho conjunto do professor com um profissional da área de computação, para que este último o auxilie no gerenciamento de programas e arquivos em geral, bem como instalar novos programas. Neste caso, a escola deverá contar com uma pessoa responsável por esse serviço técnico de auxílio aos professores. Caso o professor não tenha conhecimento razoável sobre computadores, recomenda-se então um trabalho conjunto do professor com um profissional da área de computação, para que este último o auxilie no gerenciamento de programas e arquivos em geral, bem como instalar novos programas. Neste caso, a escola deverá contar com uma pessoa responsável por esse serviço técnico de auxílio aos professores. Ponto básico a ser considerado no desenvolvimento de projetos com a Informática:
    10. 10. Universidades http://www.ceteb.com.br Centro de Ensino Tecnológico de Brasília http://www.ceteb.com.br Universidade Federal do Rio Grande Sul http://www.mat.ufrgs.br/~edumatec/ SLogo Graphequation Cabri-Géomètre PUC - São Paulo http://proem.pucsp.br/ Projeto CDI Universidade Estadual de Campinas http://www.nied.unicamp.br/ Robótica Pedagógica Lego A B Projetos C Siros D Manipulador Robóticos USP – Escola do Futuro http://www.futuro.usp.br
    11. 11. Outros Projetos Educacionais http://www.positivoinformática.com.br www.educacional.com.br www.aprendebrasil.com.br http://www.soniapetitto.hpg.com.br Enciclopédia eletrônica Plantar: O feijãozinho sapeca Jovens Artistas Direitos Humanos Família Microbim Mídia: planejamento http://www.edukbr.com.br
    12. 12. Considerações Finais •É importante frisar que o uso de computadores e os projetos de trabalho não são sinônimos de salvação para os problemas educacionais, mas que tudo será realizado a partir deles. Há que se ter claro que é uma concepção de ensino que reflete alguns conceitos no construtivismo. •Acredito, porém, que depende de nós educadores incorporá-los em nossa prática de trabalhos. Para isso, é necessário que se tenha um mínimo de conhecimento do manuseio do computador, articulado juntamente com o processo didático- pedagógico. •Cabe ao professor então, estimular o aluno a ir adiante para criar novas formas de fazer, novos caminhos a percorrer, a partir de um ponto de partida seguro e de apoio constante. •Este é o processo de ensino-aprendizagem em que acredito.
    13. 13. Referências Bibliográficas COX, Kenia Kodel. Informática na educação escolar.Campinas, SP: Autores Associados, 2003. GARDNER, H. Estruturas da mente: A teoria das inteligências múltiplas. Porto Alegre: Artmed, 1994. HERNÁNDEZ, F. Transgressão e mudança na educação: Os projetos de trabalho. Porto Alegre: Artmed, 1998. NOGUEIRA, Nilbo Ribeiro. Uma Prática para o Desenvolvimento das Múltiplas Inteligências: Aprendizagem com Projetos.São Paulo:Érica, 1998. PETITTO, Sonia. Projetos de trabalho em informática: Desenvolvendo competências. Campinas, SP:Papirus, 2003.

    ×