SlideShare uma empresa Scribd logo
Universidade Federal de Campina Grande
Unidade Acadêmica de Engenharia Química
Pós-Graduação em Engenharia Química
Disciplina: Tecnologia de gás natural
Professora: Meiry Gláucia Freire Rodrigues
Aluno: Deivid Sousa de Figueiroa
PROCESSAMENTO DE GÁS NATURAL
Processamento de gás natural
• Adequa para os setores:
– Industrial;
– Comercial;
– Automotivo;
– Domiciliar.
• UPGN:
– Unidade de Processamento de Gás Natural.
• Separar componentes em produtos com especificação
definida e controlada;
• Aumenta o desempenho em aplicações específicas,
incorporação de maior valor agregado aos produtos gerados.
Produtos do gás natural
H2O
N2
C2
C3
C4
C5
C6
C7
C8
.
.
.
.
CN
PROCESSAMENTO
H 2S
H2O
N2
CO2
C1
C2
C3
C4
C5
C6
C7
C8
.
.
CN
GÁS
ESPECIFICADO
ETANO
PETROQUÍMICO
GLP
GASOLINA
NATURAL
Esquema básico de uma UPGN
Liquefação EspecificaçãoFracionamento
Sistema de
geração de baixa
temperatura
Sistema de
separação de
produtos
Sistema de
tratamento de
produtos
Sistemas
Auxiliares
GN
Processo
termodinâmico
utilizado
Produtos
Gerados
Configuração básica de uma UPGN
• Área fria;
• Área quente;
• Sistema de tratamento de cargas e produtos;
• Sistemas auxiliares;
• Sistema de aquecimento de óleo térmico;
• Sistema de compressão de propano;
• Sistema de desidratação de gás natural.
Sistema de geração de criogenia
• Efeito Joule-Thomson;
• Refrigeração simples;
• Absorção refrigerada;
• Turbo-expansão;
• Processos combinados.
Escolha do processo
• Itens relevantes:
• Qualidade do Gás Residual requerida;
• Vazão de gás natural disponível;
• Produtos requeridos;
• Proximidade de centros consumidores;
• Viabilização econômica;
• Tempo de retorno do capital investido.
Processo Joule-Thomson
• Características principais:
• Expansão isentálpica ( lpica ∆H = 0);
• Baixa eficiência;
• Baixo nível de recuperação de propano;
• Muito baixo investimento;
• Por ser muito simples, é de muito rápida instalação;
• Utilizado de forma a antecipar projetos definitivos mais
elaborados;
• Normalmente aproveita equipamentos existentes;
• Utilizado em campos de produção pequenos e/ou isolados.
Esquema processo Joule-Thomson
Processo refrigeração simples
• PRINCIPAIS CARACTERÍSTICAS:
• DESIDRATAÇÃO DO GÁS NATURAL (necessário);
• ABAIXAMENTO DE TEMPERATURA DO GN;
• UTILIZAÇÃO DE FLUIDO REFRIGERANTE;
• CICLO DE REFRIGERAÇÃO A PROPANO;
• ETAPAS DO CICLO:
– Compressão;
– Condensação;
– Expansão;
– Evaporação;
• BOM NÍVEL DE RECUPERAÇÃO DE C3;
• MÉDIO INVESTIMENTO.
Esquema processo de refrigeração
simples
Esquema de refrigeração simples: Etapas
do ciclo de refrigeração à propano
Permutador de Propano
Processo de absorção refrigerada
– PRINCIPAIS CARACTERÍSTICAS:
• PROCESSO FÍSICO E EXOTÉRMICO
• DESIDRATAÇÃO DO GÁS NATURAL COM GLICOL
• REFRIGERAÇÃO A PROPANO
• UTILIZAÇÃO DE SOLVENTE (ÓLEO DE ABSORÇÃO)
• MECANISMO DE ABSORÇÃO
• LAVAGEM DO GÁS EM CONTRA-CORRENTE
• VARIÁVEIS DE CONTROLE
• • TEMPERATURA
• • PRESSÃO
• • VAZÃO DE SOLVENTE
• ALTA RECUPERAÇÃO DE PROPANO
Processo de absorção refrigerada
• ETAPAS BÁSICAS DO PROCESSO
• Separação de líquido;
• Desidratação;
• Refrigeração;
• Absorção;
• Desetanização;
• Fracionamento;
• Desbutanização;
• Regeneração de glicol;
• Tratamento de produtos.
Esquema processo absorção
refrigerada
Esquema mecanismo de absorção
Processo turbo expansão
• PRINCIPAIS CARACTERÍSTICAS
• – EXPANSÃO ISENTROPICA (∆S= 0)
• – PROPORCIONA TEMPERATURA FINAL MAIS BAIXA
• – DESIDRATAÇÃO DO GÁS POR PENEIRA MOLECULAR
• – PODE USAR REFRIGERAÇÃO A PROPANO NO PRE-
RESFRIAMENTO
• – MAIOR EFICIÊNCIA (RIQUEZA RESIDUAL TENDE A ZERO)
• – POSSIBILIDADE DE GERAR ETANO PARA PETROQUÍMICA
• – TOTAL RECUPERAÇÃO DE C3
• – ALTA RECUPERAÇÃO DE C2
• – NECESSITA INVESTIMENTO MAIS ALTO
Diagrama processo turbo-expansão
Esquema processo turbo-expansão
O turbo-expansor
Deivid Sousa de Figueiroa - Processamento de Gás Natural
Deivid Sousa de Figueiroa - Processamento de Gás Natural
Deivid Sousa de Figueiroa - Processamento de Gás Natural
Deivid Sousa de Figueiroa - Processamento de Gás Natural
Deivid Sousa de Figueiroa - Processamento de Gás Natural

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Petróleo - Uso e Derivados
Petróleo - Uso e DerivadosPetróleo - Uso e Derivados
Petróleo - Uso e Derivados
Kelly Ruas
 
Quimica fogo
Quimica fogoQuimica fogo
Quimica fogo
Pelo Siro
 
11 aula refino do petróleo
11  aula refino do petróleo11  aula refino do petróleo
11 aula refino do petróleo
Homero Alves de Lima
 
Caldeiras apostila cg
Caldeiras  apostila cgCaldeiras  apostila cg
Caldeiras apostila cg
Eduardo Teixeira Neto
 
00. gás natural apostila completa
00. gás natural apostila completa00. gás natural apostila completa
00. gás natural apostila completa
Neon Online
 
Caldeiras industriais
Caldeiras industriaisCaldeiras industriais
Caldeiras industriais
Safia Naser
 
Aula 16 combustão industrial e controle das emissões - parte ii - 20.05.11
Aula 16   combustão industrial e controle das emissões - parte ii - 20.05.11Aula 16   combustão industrial e controle das emissões - parte ii - 20.05.11
Aula 16 combustão industrial e controle das emissões - parte ii - 20.05.11
Nelson Virgilio Carvalho Filho
 
Aula 13 balanço de massa - prof. nelson (area 1) - 29.04.11
Aula 13   balanço de massa - prof. nelson (area 1) - 29.04.11Aula 13   balanço de massa - prof. nelson (area 1) - 29.04.11
Aula 13 balanço de massa - prof. nelson (area 1) - 29.04.11
Nelson Virgilio Carvalho Filho
 
06 aula refino do petróleo
06 aula refino do petróleo06 aula refino do petróleo
06 aula refino do petróleo
Homero Alves de Lima
 
Caldeiras
CaldeirasCaldeiras
Caldeiras
marcos0007
 
Parte 06 retorno condensado
Parte 06   retorno condensadoParte 06   retorno condensado
Parte 06 retorno condensado
confidencial
 
Caldeiras
CaldeirasCaldeiras
Caldeiras
123marcao123
 
Transporte material de sólidos
Transporte material de sólidosTransporte material de sólidos
Transporte material de sólidos
Ana Paula Romio
 
Aula 10 processos de tratamento
Aula 10   processos de tratamentoAula 10   processos de tratamento
Aula 10 processos de tratamento
Anderson Pontes
 
Petroleo
PetroleoPetroleo
Petroleo
Fernando Lucas
 
Gás Natural (Natural Gas, Gas Natural)
Gás Natural (Natural Gas, Gas Natural)Gás Natural (Natural Gas, Gas Natural)
Gás Natural (Natural Gas, Gas Natural)
Carlos Calácio
 
Gás natural
Gás natural Gás natural
Gás natural
Edson Leão
 
Evaporação douglas e pedro augusto
Evaporação douglas e pedro augustoEvaporação douglas e pedro augusto
Evaporação douglas e pedro augusto
Douglas Pul
 
Caldeiras 1
Caldeiras 1Caldeiras 1
Caldeiras 1
Osmar Gomes Pinto
 
CAPÍTULO I - GÁS NATURAL
CAPÍTULO I - GÁS NATURALCAPÍTULO I - GÁS NATURAL
CAPÍTULO I - GÁS NATURAL
jorgecalfo
 

Mais procurados (20)

Petróleo - Uso e Derivados
Petróleo - Uso e DerivadosPetróleo - Uso e Derivados
Petróleo - Uso e Derivados
 
Quimica fogo
Quimica fogoQuimica fogo
Quimica fogo
 
11 aula refino do petróleo
11  aula refino do petróleo11  aula refino do petróleo
11 aula refino do petróleo
 
Caldeiras apostila cg
Caldeiras  apostila cgCaldeiras  apostila cg
Caldeiras apostila cg
 
00. gás natural apostila completa
00. gás natural apostila completa00. gás natural apostila completa
00. gás natural apostila completa
 
Caldeiras industriais
Caldeiras industriaisCaldeiras industriais
Caldeiras industriais
 
Aula 16 combustão industrial e controle das emissões - parte ii - 20.05.11
Aula 16   combustão industrial e controle das emissões - parte ii - 20.05.11Aula 16   combustão industrial e controle das emissões - parte ii - 20.05.11
Aula 16 combustão industrial e controle das emissões - parte ii - 20.05.11
 
Aula 13 balanço de massa - prof. nelson (area 1) - 29.04.11
Aula 13   balanço de massa - prof. nelson (area 1) - 29.04.11Aula 13   balanço de massa - prof. nelson (area 1) - 29.04.11
Aula 13 balanço de massa - prof. nelson (area 1) - 29.04.11
 
06 aula refino do petróleo
06 aula refino do petróleo06 aula refino do petróleo
06 aula refino do petróleo
 
Caldeiras
CaldeirasCaldeiras
Caldeiras
 
Parte 06 retorno condensado
Parte 06   retorno condensadoParte 06   retorno condensado
Parte 06 retorno condensado
 
Caldeiras
CaldeirasCaldeiras
Caldeiras
 
Transporte material de sólidos
Transporte material de sólidosTransporte material de sólidos
Transporte material de sólidos
 
Aula 10 processos de tratamento
Aula 10   processos de tratamentoAula 10   processos de tratamento
Aula 10 processos de tratamento
 
Petroleo
PetroleoPetroleo
Petroleo
 
Gás Natural (Natural Gas, Gas Natural)
Gás Natural (Natural Gas, Gas Natural)Gás Natural (Natural Gas, Gas Natural)
Gás Natural (Natural Gas, Gas Natural)
 
Gás natural
Gás natural Gás natural
Gás natural
 
Evaporação douglas e pedro augusto
Evaporação douglas e pedro augustoEvaporação douglas e pedro augusto
Evaporação douglas e pedro augusto
 
Caldeiras 1
Caldeiras 1Caldeiras 1
Caldeiras 1
 
CAPÍTULO I - GÁS NATURAL
CAPÍTULO I - GÁS NATURALCAPÍTULO I - GÁS NATURAL
CAPÍTULO I - GÁS NATURAL
 

Destaque

Verdade sobre-pneus 3-fabricacao
Verdade sobre-pneus 3-fabricacaoVerdade sobre-pneus 3-fabricacao
Verdade sobre-pneus 3-fabricacao
Fabricio Santos Ferreira
 
Aula 03 - A história do Petróleo e do Gás Natural - Parte 3 de 3
Aula 03 - A história do Petróleo e do Gás Natural - Parte 3 de 3Aula 03 - A história do Petróleo e do Gás Natural - Parte 3 de 3
Aula 03 - A história do Petróleo e do Gás Natural - Parte 3 de 3
Victor Cals
 
Gás Natural
Gás NaturalGás Natural
Gás Natural
Gabriel Resende
 
Regulamentação da Lei do Gás
Regulamentação da Lei do Gás Regulamentação da Lei do Gás
Trabalhoda kamila :D
Trabalhoda kamila :DTrabalhoda kamila :D
Trabalhoda kamila :D
samarademonti
 
Modalidades didáticas estudo de texto
Modalidades didáticas estudo de textoModalidades didáticas estudo de texto
Modalidades didáticas estudo de texto
pibidbio
 
Processo de refrigeração e congelamento dos alimentos
Processo de refrigeração e congelamento dos alimentosProcesso de refrigeração e congelamento dos alimentos
Processo de refrigeração e congelamento dos alimentos
DicasFree
 
Apostila separação, armazenagem e transporte de petróle
Apostila separação,  armazenagem e transporte de petróleApostila separação,  armazenagem e transporte de petróle
Apostila separação, armazenagem e transporte de petróle
Jhurengo Margon
 
Processos de tratamento do petroleo
Processos de tratamento do petroleoProcessos de tratamento do petroleo
Processos de tratamento do petroleo
Lidiane Reis
 
Plano de aula adriana fernandes vi ( estudo dirigido)
Plano de aula adriana fernandes vi ( estudo dirigido)Plano de aula adriana fernandes vi ( estudo dirigido)
Plano de aula adriana fernandes vi ( estudo dirigido)
familiaestagio
 
MéTodos De SeparaçãO De Mistura HomogêNeas
MéTodos De SeparaçãO De Mistura HomogêNeasMéTodos De SeparaçãO De Mistura HomogêNeas
MéTodos De SeparaçãO De Mistura HomogêNeas
Lucas Nogueira
 
Gas Natural
Gas NaturalGas Natural
Gas Natural
educacao f
 
Separação de gases
Separação de gasesSeparação de gases
Separação de gases
gil junior
 
Rede Nacional de Transporte Gas Natural - REN Gasodutos
Rede Nacional de Transporte Gas Natural - REN GasodutosRede Nacional de Transporte Gas Natural - REN Gasodutos
Rede Nacional de Transporte Gas Natural - REN Gasodutos
mpEnergy
 
Estudo dirigido
Estudo dirigidoEstudo dirigido
Estudo dirigido
Sandra Sá
 
Vidros
VidrosVidros
Plano de aula 05
Plano de aula 05Plano de aula 05
Plano de aula 05
familiaestagio
 
Powerpoint de Sistema de Refrigeração
Powerpoint de Sistema de RefrigeraçãoPowerpoint de Sistema de Refrigeração
Powerpoint de Sistema de Refrigeração
Edimilson de Jesus Lana
 
Refrigeração industrial por amônia
Refrigeração industrial por amôniaRefrigeração industrial por amônia
Refrigeração industrial por amônia
Jorge Luis Machado
 
Processo de fabricação da uréia
Processo de fabricação da uréiaProcesso de fabricação da uréia
Processo de fabricação da uréia
Victor Said
 

Destaque (20)

Verdade sobre-pneus 3-fabricacao
Verdade sobre-pneus 3-fabricacaoVerdade sobre-pneus 3-fabricacao
Verdade sobre-pneus 3-fabricacao
 
Aula 03 - A história do Petróleo e do Gás Natural - Parte 3 de 3
Aula 03 - A história do Petróleo e do Gás Natural - Parte 3 de 3Aula 03 - A história do Petróleo e do Gás Natural - Parte 3 de 3
Aula 03 - A história do Petróleo e do Gás Natural - Parte 3 de 3
 
Gás Natural
Gás NaturalGás Natural
Gás Natural
 
Regulamentação da Lei do Gás
Regulamentação da Lei do Gás Regulamentação da Lei do Gás
Regulamentação da Lei do Gás
 
Trabalhoda kamila :D
Trabalhoda kamila :DTrabalhoda kamila :D
Trabalhoda kamila :D
 
Modalidades didáticas estudo de texto
Modalidades didáticas estudo de textoModalidades didáticas estudo de texto
Modalidades didáticas estudo de texto
 
Processo de refrigeração e congelamento dos alimentos
Processo de refrigeração e congelamento dos alimentosProcesso de refrigeração e congelamento dos alimentos
Processo de refrigeração e congelamento dos alimentos
 
Apostila separação, armazenagem e transporte de petróle
Apostila separação,  armazenagem e transporte de petróleApostila separação,  armazenagem e transporte de petróle
Apostila separação, armazenagem e transporte de petróle
 
Processos de tratamento do petroleo
Processos de tratamento do petroleoProcessos de tratamento do petroleo
Processos de tratamento do petroleo
 
Plano de aula adriana fernandes vi ( estudo dirigido)
Plano de aula adriana fernandes vi ( estudo dirigido)Plano de aula adriana fernandes vi ( estudo dirigido)
Plano de aula adriana fernandes vi ( estudo dirigido)
 
MéTodos De SeparaçãO De Mistura HomogêNeas
MéTodos De SeparaçãO De Mistura HomogêNeasMéTodos De SeparaçãO De Mistura HomogêNeas
MéTodos De SeparaçãO De Mistura HomogêNeas
 
Gas Natural
Gas NaturalGas Natural
Gas Natural
 
Separação de gases
Separação de gasesSeparação de gases
Separação de gases
 
Rede Nacional de Transporte Gas Natural - REN Gasodutos
Rede Nacional de Transporte Gas Natural - REN GasodutosRede Nacional de Transporte Gas Natural - REN Gasodutos
Rede Nacional de Transporte Gas Natural - REN Gasodutos
 
Estudo dirigido
Estudo dirigidoEstudo dirigido
Estudo dirigido
 
Vidros
VidrosVidros
Vidros
 
Plano de aula 05
Plano de aula 05Plano de aula 05
Plano de aula 05
 
Powerpoint de Sistema de Refrigeração
Powerpoint de Sistema de RefrigeraçãoPowerpoint de Sistema de Refrigeração
Powerpoint de Sistema de Refrigeração
 
Refrigeração industrial por amônia
Refrigeração industrial por amôniaRefrigeração industrial por amônia
Refrigeração industrial por amônia
 
Processo de fabricação da uréia
Processo de fabricação da uréiaProcesso de fabricação da uréia
Processo de fabricação da uréia
 

Semelhante a Deivid Sousa de Figueiroa - Processamento de Gás Natural

Alcoolha Mch 08
Alcoolha   Mch 08Alcoolha   Mch 08
Alcoolha Mch 08
gandharva.grover
 
2 - GLP.ppt
2 - GLP.ppt2 - GLP.ppt
2 - GLP.ppt
mpstudio1 mpstudio1
 
08a sistemas de refrigeração industrial
08a sistemas de refrigeração industrial08a sistemas de refrigeração industrial
08a sistemas de refrigeração industrial
Luiz Carlos Martinelli Júnior
 
Portfolio 3 b final_rev01
Portfolio 3 b final_rev01Portfolio 3 b final_rev01
Portfolio 3 b final_rev01
Mario Sergio Lopes Junior
 
Aula 3
Aula 3Aula 3
Unicold Resfriador e Congelador Rápido para Alimento
Unicold Resfriador e Congelador Rápido para AlimentoUnicold Resfriador e Congelador Rápido para Alimento
Unicold Resfriador e Congelador Rápido para Alimento
Gilson Bertini
 
Apresentação_INSTALAÇÃO E MANUTENÇÃO DE AR CONDICIONADO SPLIT.pptx
Apresentação_INSTALAÇÃO E MANUTENÇÃO DE AR CONDICIONADO SPLIT.pptxApresentação_INSTALAÇÃO E MANUTENÇÃO DE AR CONDICIONADO SPLIT.pptx
Apresentação_INSTALAÇÃO E MANUTENÇÃO DE AR CONDICIONADO SPLIT.pptx
eduardoalbuquerque64
 
Ashra 90 1 cop aquecimento e refrigeracao
Ashra 90 1 cop aquecimento e refrigeracaoAshra 90 1 cop aquecimento e refrigeracao
Ashra 90 1 cop aquecimento e refrigeracao
Sydney Ipiranga
 
Forno de cal
Forno de calForno de cal
Forno de cal
Naor Sales
 
Capitulo2 a
Capitulo2 aCapitulo2 a
Capitulo2 a
CaetanoJoseMaria
 
3.a aula epo processos industriais
3.a aula epo processos industriais3.a aula epo processos industriais
3.a aula epo processos industriais
Evellin Enny
 
Silos ROMA
Silos ROMASilos ROMA
Silos ROMA
Thalita Silva
 
TFC - Apresentação - Analise da qualidade do Gasóleo
TFC - Apresentação - Analise da qualidade do GasóleoTFC - Apresentação - Analise da qualidade do Gasóleo
TFC - Apresentação - Analise da qualidade do Gasóleo
FloresbertoMuanda
 

Semelhante a Deivid Sousa de Figueiroa - Processamento de Gás Natural (13)

Alcoolha Mch 08
Alcoolha   Mch 08Alcoolha   Mch 08
Alcoolha Mch 08
 
2 - GLP.ppt
2 - GLP.ppt2 - GLP.ppt
2 - GLP.ppt
 
08a sistemas de refrigeração industrial
08a sistemas de refrigeração industrial08a sistemas de refrigeração industrial
08a sistemas de refrigeração industrial
 
Portfolio 3 b final_rev01
Portfolio 3 b final_rev01Portfolio 3 b final_rev01
Portfolio 3 b final_rev01
 
Aula 3
Aula 3Aula 3
Aula 3
 
Unicold Resfriador e Congelador Rápido para Alimento
Unicold Resfriador e Congelador Rápido para AlimentoUnicold Resfriador e Congelador Rápido para Alimento
Unicold Resfriador e Congelador Rápido para Alimento
 
Apresentação_INSTALAÇÃO E MANUTENÇÃO DE AR CONDICIONADO SPLIT.pptx
Apresentação_INSTALAÇÃO E MANUTENÇÃO DE AR CONDICIONADO SPLIT.pptxApresentação_INSTALAÇÃO E MANUTENÇÃO DE AR CONDICIONADO SPLIT.pptx
Apresentação_INSTALAÇÃO E MANUTENÇÃO DE AR CONDICIONADO SPLIT.pptx
 
Ashra 90 1 cop aquecimento e refrigeracao
Ashra 90 1 cop aquecimento e refrigeracaoAshra 90 1 cop aquecimento e refrigeracao
Ashra 90 1 cop aquecimento e refrigeracao
 
Forno de cal
Forno de calForno de cal
Forno de cal
 
Capitulo2 a
Capitulo2 aCapitulo2 a
Capitulo2 a
 
3.a aula epo processos industriais
3.a aula epo processos industriais3.a aula epo processos industriais
3.a aula epo processos industriais
 
Silos ROMA
Silos ROMASilos ROMA
Silos ROMA
 
TFC - Apresentação - Analise da qualidade do Gasóleo
TFC - Apresentação - Analise da qualidade do GasóleoTFC - Apresentação - Analise da qualidade do Gasóleo
TFC - Apresentação - Analise da qualidade do Gasóleo
 

Último

escrita criativa utilizada na arteterapia
escrita criativa   utilizada na arteterapiaescrita criativa   utilizada na arteterapia
escrita criativa utilizada na arteterapia
shirleisousa9166
 
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
Desafio matemático -  multiplicação e divisão.Desafio matemático -  multiplicação e divisão.
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
Mary Alvarenga
 
Matemática para Concursos - Teoria dos Conjuntos
Matemática para Concursos - Teoria dos ConjuntosMatemática para Concursos - Teoria dos Conjuntos
Matemática para Concursos - Teoria dos Conjuntos
Instituto Walter Alencar
 
EMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONAL
EMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONALEMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONAL
EMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONAL
JocelynNavarroBonta
 
Caça-palavras - multiplicação
Caça-palavras  -  multiplicaçãoCaça-palavras  -  multiplicação
Caça-palavras - multiplicação
Mary Alvarenga
 
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
marcos oliveira
 
EBBOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_PAULA FRANCISCO_22_23
EBBOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_PAULA FRANCISCO_22_23EBBOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_PAULA FRANCISCO_22_23
EBBOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_PAULA FRANCISCO_22_23
Sandra Pratas
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
Sandra Pratas
 
APA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptx
APA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptxAPA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptx
APA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptx
orquestrasinfonicaam
 
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdfOs Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
Falcão Brasil
 
Portfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdf
Portfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdfPortfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdf
Portfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdf
Falcão Brasil
 
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptxSlide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
LeilaVilasboas
 
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da TerraUma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Luiz C. da Silva
 
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UEInfografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Centro Jacques Delors
 
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
principeandregalli
 
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdfA Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
Falcão Brasil
 
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdfHistória das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
LeideLauraCenturionL
 
Fotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosas
Fotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosasFotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosas
Fotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosas
MariaJooSilva58
 
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
Mary Alvarenga
 

Último (20)

escrita criativa utilizada na arteterapia
escrita criativa   utilizada na arteterapiaescrita criativa   utilizada na arteterapia
escrita criativa utilizada na arteterapia
 
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
Desafio matemático -  multiplicação e divisão.Desafio matemático -  multiplicação e divisão.
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
 
Matemática para Concursos - Teoria dos Conjuntos
Matemática para Concursos - Teoria dos ConjuntosMatemática para Concursos - Teoria dos Conjuntos
Matemática para Concursos - Teoria dos Conjuntos
 
EMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONAL
EMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONALEMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONAL
EMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONAL
 
Caça-palavras - multiplicação
Caça-palavras  -  multiplicaçãoCaça-palavras  -  multiplicação
Caça-palavras - multiplicação
 
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
 
EBBOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_PAULA FRANCISCO_22_23
EBBOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_PAULA FRANCISCO_22_23EBBOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_PAULA FRANCISCO_22_23
EBBOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_PAULA FRANCISCO_22_23
 
TALENTOS DA NOSSA ESCOLA .
TALENTOS DA NOSSA ESCOLA                .TALENTOS DA NOSSA ESCOLA                .
TALENTOS DA NOSSA ESCOLA .
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
 
APA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptx
APA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptxAPA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptx
APA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptx
 
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdfOs Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
 
Portfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdf
Portfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdfPortfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdf
Portfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdf
 
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptxSlide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
 
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da TerraUma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
 
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UEInfografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
 
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
 
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdfA Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
 
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdfHistória das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
 
Fotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosas
Fotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosasFotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosas
Fotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosas
 
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
 

Deivid Sousa de Figueiroa - Processamento de Gás Natural

  • 1. Universidade Federal de Campina Grande Unidade Acadêmica de Engenharia Química Pós-Graduação em Engenharia Química Disciplina: Tecnologia de gás natural Professora: Meiry Gláucia Freire Rodrigues Aluno: Deivid Sousa de Figueiroa PROCESSAMENTO DE GÁS NATURAL
  • 2. Processamento de gás natural • Adequa para os setores: – Industrial; – Comercial; – Automotivo; – Domiciliar. • UPGN: – Unidade de Processamento de Gás Natural. • Separar componentes em produtos com especificação definida e controlada; • Aumenta o desempenho em aplicações específicas, incorporação de maior valor agregado aos produtos gerados.
  • 3. Produtos do gás natural H2O N2 C2 C3 C4 C5 C6 C7 C8 . . . . CN PROCESSAMENTO H 2S H2O N2 CO2 C1 C2 C3 C4 C5 C6 C7 C8 . . CN GÁS ESPECIFICADO ETANO PETROQUÍMICO GLP GASOLINA NATURAL
  • 4. Esquema básico de uma UPGN Liquefação EspecificaçãoFracionamento Sistema de geração de baixa temperatura Sistema de separação de produtos Sistema de tratamento de produtos Sistemas Auxiliares GN Processo termodinâmico utilizado Produtos Gerados
  • 5. Configuração básica de uma UPGN • Área fria; • Área quente; • Sistema de tratamento de cargas e produtos; • Sistemas auxiliares; • Sistema de aquecimento de óleo térmico; • Sistema de compressão de propano; • Sistema de desidratação de gás natural.
  • 6. Sistema de geração de criogenia • Efeito Joule-Thomson; • Refrigeração simples; • Absorção refrigerada; • Turbo-expansão; • Processos combinados.
  • 7. Escolha do processo • Itens relevantes: • Qualidade do Gás Residual requerida; • Vazão de gás natural disponível; • Produtos requeridos; • Proximidade de centros consumidores; • Viabilização econômica; • Tempo de retorno do capital investido.
  • 8. Processo Joule-Thomson • Características principais: • Expansão isentálpica ( lpica ∆H = 0); • Baixa eficiência; • Baixo nível de recuperação de propano; • Muito baixo investimento; • Por ser muito simples, é de muito rápida instalação; • Utilizado de forma a antecipar projetos definitivos mais elaborados; • Normalmente aproveita equipamentos existentes; • Utilizado em campos de produção pequenos e/ou isolados.
  • 10. Processo refrigeração simples • PRINCIPAIS CARACTERÍSTICAS: • DESIDRATAÇÃO DO GÁS NATURAL (necessário); • ABAIXAMENTO DE TEMPERATURA DO GN; • UTILIZAÇÃO DE FLUIDO REFRIGERANTE; • CICLO DE REFRIGERAÇÃO A PROPANO; • ETAPAS DO CICLO: – Compressão; – Condensação; – Expansão; – Evaporação; • BOM NÍVEL DE RECUPERAÇÃO DE C3; • MÉDIO INVESTIMENTO.
  • 11. Esquema processo de refrigeração simples
  • 12. Esquema de refrigeração simples: Etapas do ciclo de refrigeração à propano
  • 14. Processo de absorção refrigerada – PRINCIPAIS CARACTERÍSTICAS: • PROCESSO FÍSICO E EXOTÉRMICO • DESIDRATAÇÃO DO GÁS NATURAL COM GLICOL • REFRIGERAÇÃO A PROPANO • UTILIZAÇÃO DE SOLVENTE (ÓLEO DE ABSORÇÃO) • MECANISMO DE ABSORÇÃO • LAVAGEM DO GÁS EM CONTRA-CORRENTE • VARIÁVEIS DE CONTROLE • • TEMPERATURA • • PRESSÃO • • VAZÃO DE SOLVENTE • ALTA RECUPERAÇÃO DE PROPANO
  • 15. Processo de absorção refrigerada • ETAPAS BÁSICAS DO PROCESSO • Separação de líquido; • Desidratação; • Refrigeração; • Absorção; • Desetanização; • Fracionamento; • Desbutanização; • Regeneração de glicol; • Tratamento de produtos.
  • 17. Esquema mecanismo de absorção
  • 18. Processo turbo expansão • PRINCIPAIS CARACTERÍSTICAS • – EXPANSÃO ISENTROPICA (∆S= 0) • – PROPORCIONA TEMPERATURA FINAL MAIS BAIXA • – DESIDRATAÇÃO DO GÁS POR PENEIRA MOLECULAR • – PODE USAR REFRIGERAÇÃO A PROPANO NO PRE- RESFRIAMENTO • – MAIOR EFICIÊNCIA (RIQUEZA RESIDUAL TENDE A ZERO) • – POSSIBILIDADE DE GERAR ETANO PARA PETROQUÍMICA • – TOTAL RECUPERAÇÃO DE C3 • – ALTA RECUPERAÇÃO DE C2 • – NECESSITA INVESTIMENTO MAIS ALTO