SlideShare uma empresa Scribd logo
Quando morreu, no século XIX, Victor Hugo
arrastou nada menos que dois milhões de
acompanhantes
em seu cortejo fúnebre, em plena Paris.
Lutador das causas sociais, defensor dos
oprimidos, divulgador do ensino e da
educação.
O genial literato deixou textos inéditos que,
por sua vontade, somente foram
publicados após a sua morte.
Um deles fala exatamente do homem e da
imortalidade e se traduz mais ou menos nas
seguintes palavras:
"A morte não é o fim de tudo.
Ela não é senão o fim de uma coisa
e o começo de outra.
Na morte o homem acaba,
e a alma começa.
Que digam esses que atravessam a hora fúnebre,
a última alegria, a primeira do luto.
Digam se não é verdade que ainda há ali alguém,
e que não acabou tudo?
Eu sou uma alma.
Bem sinto que o que darei ao túmulo não é o meu eu,
o meu ser.
O que constitui o meu eu, irá além.
O homem é um prisioneiro.
O prisioneiro escala penosamente
os muros da sua masmorra.
Coloca o pé em todas as saliências
e sobe até ao respiradouro.
Aí, olha, distingue ao longe a campina,
Aspira o ar livre, vê a luz.
 Assim é o homem.
O prisioneiro não duvida que encontrará
a claridade do dia, a liberdade.
Como pode o homem duvidar se vai
encontrar a eternidade à sua saída?
Por que não possuirá ele um corpo sutil, etéreo.
De que o nosso corpo humano não pode ser
senão um esboço grosseiro?
A alma tem sede do absoluto e o
absoluto não é deste mundo.
É por demais pesado para esta terra.
O mundo luminoso é o mundo invisível.
O mundo do luminoso é o que não vemos.
Os nossos olhos carnais só vêem a noite.
 A morte é uma mudança de
vestimenta.
A alma, que estava vestida de sombra,
vai ser vestida de luz.
Na morte o homem fica sendo imortal.
A vida é o poder que tem o corpo de manter
a alma sobre a terra, pelo peso que faz nela.
A morte é uma continuação.
Para além das sombras,
estende-se o brilho da eternidade.
As almas passam de uma esfera para outra, tornam-se
cada vez mais luz.
Aproximam-se cada vez mais e mais de Deus.
O ponto de reunião é no infinito.
Aquele que dorme e desperta, desperta e vê que é homem.
Aquele que é vivo e morre, desperta e vê que é Espírito.
Victor Hugo
Muitos consideram que o falecimento de uma
pessoa amada é verdadeira desgraça, quando,
em verdade, morrer não é finar-se nem consumir-
se, mas libertar-se.
Assim, diante dos que partiram na direção da morte,
assuma o compromisso de preparar-se
para o reencontro com eles na vida espiritual.
Prossegue em sua jornada na Terra sem adiar as
realizações superiores que lhe competem.
Pois elas serão valiosas, quando você fizer a grande
viagem, rumo à madrugada
clarificadora da eternidade.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Invisiveis mas-nao-ausentes
Invisiveis mas-nao-ausentesInvisiveis mas-nao-ausentes
Invisiveis mas-nao-ausentesAldo Cioffi
 
A vida depois da vida
A vida depois da vidaA vida depois da vida
A vida depois da vidaIrene Aguiar
 
a vida depois da vida - Victor Hugo
a vida depois da vida - Victor Hugoa vida depois da vida - Victor Hugo
a vida depois da vida - Victor Hugosite curiosidades
 
02 a vida-depois_da_vida
02 a vida-depois_da_vida02 a vida-depois_da_vida
02 a vida-depois_da_vidaMarly Fernandes
 
A vida depois da vida
A vida depois da vidaA vida depois da vida
A vida depois da vidaNuno Costa
 
02 a vida depois da vida
02 a vida depois da vida02 a vida depois da vida
02 a vida depois da vidaRachel V.
 
02 a+vida+depois+da+vida+(1)
02 a+vida+depois+da+vida+(1)02 a+vida+depois+da+vida+(1)
02 a+vida+depois+da+vida+(1)Rachel V.
 
Invisíveis Mas Não Ausentes
Invisíveis  Mas Não AusentesInvisíveis  Mas Não Ausentes
Invisíveis Mas Não AusentesSávio Ponte
 

Mais procurados (14)

Invisiveis mas-nao-ausentes
Invisiveis mas-nao-ausentesInvisiveis mas-nao-ausentes
Invisiveis mas-nao-ausentes
 
A vida depois_da_vida
A vida depois_da_vidaA vida depois_da_vida
A vida depois_da_vida
 
A vida depois da vida
A vida depois da vidaA vida depois da vida
A vida depois da vida
 
A vida depois da vida
A vida depois da vidaA vida depois da vida
A vida depois da vida
 
Invisiveis mas nao ausentes
Invisiveis mas nao ausentesInvisiveis mas nao ausentes
Invisiveis mas nao ausentes
 
a vida depois da vida - Victor Hugo
a vida depois da vida - Victor Hugoa vida depois da vida - Victor Hugo
a vida depois da vida - Victor Hugo
 
02 a vida-depois_da_vida
02 a vida-depois_da_vida02 a vida-depois_da_vida
02 a vida-depois_da_vida
 
A vida depois da vida
A vida depois da vidaA vida depois da vida
A vida depois da vida
 
A Vida Depois Da Vida
A Vida Depois Da VidaA Vida Depois Da Vida
A Vida Depois Da Vida
 
02 a vida depois da vida
02 a vida depois da vida02 a vida depois da vida
02 a vida depois da vida
 
02 a+vida+depois+da+vida+(1)
02 a+vida+depois+da+vida+(1)02 a+vida+depois+da+vida+(1)
02 a+vida+depois+da+vida+(1)
 
A vida depois da vida*
A vida depois da vida*A vida depois da vida*
A vida depois da vida*
 
Invisíveis Mas Não Ausentes
Invisíveis  Mas Não AusentesInvisíveis  Mas Não Ausentes
Invisíveis Mas Não Ausentes
 
Vida depois da morte
 Vida depois da morte Vida depois da morte
Vida depois da morte
 

Destaque

Destaque (17)

PT team | My favourite food
PT team | My favourite foodPT team | My favourite food
PT team | My favourite food
 
Aparato reproductor clase
Aparato reproductor claseAparato reproductor clase
Aparato reproductor clase
 
151218 cataluña-restricciones-2016
151218 cataluña-restricciones-2016151218 cataluña-restricciones-2016
151218 cataluña-restricciones-2016
 
Atténtion à la diversité espagne
Atténtion à la diversité espagneAtténtion à la diversité espagne
Atténtion à la diversité espagne
 
Padrins i fillols
Padrins i fillolsPadrins i fillols
Padrins i fillols
 
A nation smart cities
A nation smart citiesA nation smart cities
A nation smart cities
 
90計畫 20140725組訓
90計畫 20140725組訓90計畫 20140725組訓
90計畫 20140725組訓
 
Part 2: for Socio-Technical Systems
Part 2: for Socio-Technical SystemsPart 2: for Socio-Technical Systems
Part 2: for Socio-Technical Systems
 
55t2eng p01 f37-4page
55t2eng p01 f37-4page55t2eng p01 f37-4page
55t2eng p01 f37-4page
 
Antibiotic resistance in agricultural systems
Antibiotic resistance in agricultural systemsAntibiotic resistance in agricultural systems
Antibiotic resistance in agricultural systems
 
CORRIDOR
CORRIDORCORRIDOR
CORRIDOR
 
Intelligent CRM in Banking-Hadavandi
Intelligent CRM in Banking-HadavandiIntelligent CRM in Banking-Hadavandi
Intelligent CRM in Banking-Hadavandi
 
Idade outono
Idade outonoIdade outono
Idade outono
 
Qutopia General(Mixed Bag) quiz
Qutopia General(Mixed Bag) quiz Qutopia General(Mixed Bag) quiz
Qutopia General(Mixed Bag) quiz
 
Ictericia obstructiva
Ictericia obstructivaIctericia obstructiva
Ictericia obstructiva
 
Cores em Cordel
Cores em CordelCores em Cordel
Cores em Cordel
 
Meghana_Resume
Meghana_ResumeMeghana_Resume
Meghana_Resume
 

Semelhante a 0022 a vida_depois_da_vida

Invisveismasnoausentes 090530084608-phpapp01
Invisveismasnoausentes 090530084608-phpapp01Invisveismasnoausentes 090530084608-phpapp01
Invisveismasnoausentes 090530084608-phpapp01Aldo Cioffi
 
Invisiveis mas nao Ausentes
Invisiveis mas nao AusentesInvisiveis mas nao Ausentes
Invisiveis mas nao AusentesCarlos Correa
 
A vida depois da vida
A vida depois da vidaA vida depois da vida
A vida depois da vidaAldo Cioffi
 
02 a+vida+depois+da+vida+(1)
02 a+vida+depois+da+vida+(1)02 a+vida+depois+da+vida+(1)
02 a+vida+depois+da+vida+(1)Rachel V.
 
02 a vida-depois_da_vida
02 a vida-depois_da_vida02 a vida-depois_da_vida
02 a vida-depois_da_vidaNilce Bravo
 
A vida depois da vida
A vida depois da vidaA vida depois da vida
A vida depois da vidaIrene Aguiar
 
02 a vida depois da vida
02 a vida depois da vida02 a vida depois da vida
02 a vida depois da vidaRachel V.
 
A vida depois da vida
A vida depois da vidaA vida depois da vida
A vida depois da vidaAshera
 
Invisíveis mas não ausentes
Invisíveis  mas não ausentesInvisíveis  mas não ausentes
Invisíveis mas não ausentesDoni Cia
 
02 A Vida Depois Da Vida
02 A Vida Depois Da Vida02 A Vida Depois Da Vida
02 A Vida Depois Da VidaCarlos Oliveira
 
A vida depois da vida
A vida depois da vidaA vida depois da vida
A vida depois da vidaAmadeu Wolff
 
+++++Vitor Hugo +++++
+++++Vitor Hugo ++++++++++Vitor Hugo +++++
+++++Vitor Hugo +++++cab3032
 
02 A Vida Depois Da Vida
02 A Vida Depois Da Vida02 A Vida Depois Da Vida
02 A Vida Depois Da VidaHelena
 

Semelhante a 0022 a vida_depois_da_vida (14)

Invisveismasnoausentes 090530084608-phpapp01
Invisveismasnoausentes 090530084608-phpapp01Invisveismasnoausentes 090530084608-phpapp01
Invisveismasnoausentes 090530084608-phpapp01
 
Invisiveis mas nao Ausentes
Invisiveis mas nao AusentesInvisiveis mas nao Ausentes
Invisiveis mas nao Ausentes
 
A vida depois da vida
A vida depois da vidaA vida depois da vida
A vida depois da vida
 
02 a+vida+depois+da+vida+(1)
02 a+vida+depois+da+vida+(1)02 a+vida+depois+da+vida+(1)
02 a+vida+depois+da+vida+(1)
 
02 a vida-depois_da_vida
02 a vida-depois_da_vida02 a vida-depois_da_vida
02 a vida-depois_da_vida
 
A vida depois da vida
A vida depois da vidaA vida depois da vida
A vida depois da vida
 
02 a vida depois da vida
02 a vida depois da vida02 a vida depois da vida
02 a vida depois da vida
 
Invisiveis mas nao ausentes
Invisiveis mas nao ausentesInvisiveis mas nao ausentes
Invisiveis mas nao ausentes
 
A vida depois da vida
A vida depois da vidaA vida depois da vida
A vida depois da vida
 
Invisíveis mas não ausentes
Invisíveis  mas não ausentesInvisíveis  mas não ausentes
Invisíveis mas não ausentes
 
02 A Vida Depois Da Vida
02 A Vida Depois Da Vida02 A Vida Depois Da Vida
02 A Vida Depois Da Vida
 
A vida depois da vida
A vida depois da vidaA vida depois da vida
A vida depois da vida
 
+++++Vitor Hugo +++++
+++++Vitor Hugo ++++++++++Vitor Hugo +++++
+++++Vitor Hugo +++++
 
02 A Vida Depois Da Vida
02 A Vida Depois Da Vida02 A Vida Depois Da Vida
02 A Vida Depois Da Vida
 

Mais de Débora Menezes Salles (20)

Um poderoso remedio
Um poderoso remedioUm poderoso remedio
Um poderoso remedio
 
Jogo das damas
Jogo das damasJogo das damas
Jogo das damas
 
Apesar de tudo
Apesar de tudoApesar de tudo
Apesar de tudo
 
Paradoxo do nosso tempo 101011
Paradoxo do nosso tempo 101011Paradoxo do nosso tempo 101011
Paradoxo do nosso tempo 101011
 
Ode to n
Ode to nOde to n
Ode to n
 
A sabedoria do mendigo3
A sabedoria do mendigo3A sabedoria do mendigo3
A sabedoria do mendigo3
 
Ciudades mas raras 11
Ciudades mas raras 11Ciudades mas raras 11
Ciudades mas raras 11
 
Sinto dizer (1)
Sinto dizer (1)Sinto dizer (1)
Sinto dizer (1)
 
Confia em mim
Confia em mimConfia em mim
Confia em mim
 
Do que a vida e feita
Do que a vida e feitaDo que a vida e feita
Do que a vida e feita
 
Neblina (ceo)
Neblina (ceo)Neblina (ceo)
Neblina (ceo)
 
Neblina (ceo)
Neblina (ceo)Neblina (ceo)
Neblina (ceo)
 
Ray connif saudade
Ray connif   saudadeRay connif   saudade
Ray connif saudade
 
O que trazemos e o que levamos
O que trazemos e o que levamosO que trazemos e o que levamos
O que trazemos e o que levamos
 
Bolas de luz
Bolas de luzBolas de luz
Bolas de luz
 
O melhor
O melhorO melhor
O melhor
 
A nota de_r$.100.00
A nota de_r$.100.00A nota de_r$.100.00
A nota de_r$.100.00
 
Cadamaanatedoygracias2
Cadamaanatedoygracias2Cadamaanatedoygracias2
Cadamaanatedoygracias2
 
Desejo
DesejoDesejo
Desejo
 
Prece celta
Prece celtaPrece celta
Prece celta
 

Último

Lição 8 - Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
Lição 8 - Confessando e Abandonando o Pecado.pptxLição 8 - Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
Lição 8 - Confessando e Abandonando o Pecado.pptxCelso Napoleon
 
Oração De Santa Rita De Cássia
Oração De Santa Rita De CássiaOração De Santa Rita De Cássia
Oração De Santa Rita De CássiaNilson Almeida
 
1- Chuvas de Graça - Hino da Harpa Cristã.ppt
1- Chuvas de Graça - Hino da Harpa Cristã.ppt1- Chuvas de Graça - Hino da Harpa Cristã.ppt
1- Chuvas de Graça - Hino da Harpa Cristã.pptNuno724230
 
GUIA DE ESTUDO BIBLICO [Teologia sistemática e Vida Cristã]
GUIA DE ESTUDO BIBLICO [Teologia sistemática e Vida Cristã]GUIA DE ESTUDO BIBLICO [Teologia sistemática e Vida Cristã]
GUIA DE ESTUDO BIBLICO [Teologia sistemática e Vida Cristã]ESCRIBA DE CRISTO
 
Bíblia sagrada - JOel - slides powerpoint.pptx
Bíblia sagrada - JOel - slides powerpoint.pptxBíblia sagrada - JOel - slides powerpoint.pptx
Bíblia sagrada - JOel - slides powerpoint.pptxIgreja Jesus é o Verbo
 
Bíblia Sagrada _ Oséias - slides powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada _ Oséias - slides powerpoint.pptxBíblia Sagrada _ Oséias - slides powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada _ Oséias - slides powerpoint.pptxIgreja Jesus é o Verbo
 
JUIZO FINAL [ DOUTRINA DA ESCATOLOGIA E FIM DOS TEMPOS]
JUIZO FINAL [ DOUTRINA DA ESCATOLOGIA E FIM DOS TEMPOS]JUIZO FINAL [ DOUTRINA DA ESCATOLOGIA E FIM DOS TEMPOS]
JUIZO FINAL [ DOUTRINA DA ESCATOLOGIA E FIM DOS TEMPOS]ESCRIBA DE CRISTO
 
João Calvino e o Cânticos dos Salmos: uma introdução ao pensamento de Calvino...
João Calvino e o Cânticos dos Salmos: uma introdução ao pensamento de Calvino...João Calvino e o Cânticos dos Salmos: uma introdução ao pensamento de Calvino...
João Calvino e o Cânticos dos Salmos: uma introdução ao pensamento de Calvino...edsonjsmarques
 

Último (8)

Lição 8 - Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
Lição 8 - Confessando e Abandonando o Pecado.pptxLição 8 - Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
Lição 8 - Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
 
Oração De Santa Rita De Cássia
Oração De Santa Rita De CássiaOração De Santa Rita De Cássia
Oração De Santa Rita De Cássia
 
1- Chuvas de Graça - Hino da Harpa Cristã.ppt
1- Chuvas de Graça - Hino da Harpa Cristã.ppt1- Chuvas de Graça - Hino da Harpa Cristã.ppt
1- Chuvas de Graça - Hino da Harpa Cristã.ppt
 
GUIA DE ESTUDO BIBLICO [Teologia sistemática e Vida Cristã]
GUIA DE ESTUDO BIBLICO [Teologia sistemática e Vida Cristã]GUIA DE ESTUDO BIBLICO [Teologia sistemática e Vida Cristã]
GUIA DE ESTUDO BIBLICO [Teologia sistemática e Vida Cristã]
 
Bíblia sagrada - JOel - slides powerpoint.pptx
Bíblia sagrada - JOel - slides powerpoint.pptxBíblia sagrada - JOel - slides powerpoint.pptx
Bíblia sagrada - JOel - slides powerpoint.pptx
 
Bíblia Sagrada _ Oséias - slides powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada _ Oséias - slides powerpoint.pptxBíblia Sagrada _ Oséias - slides powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada _ Oséias - slides powerpoint.pptx
 
JUIZO FINAL [ DOUTRINA DA ESCATOLOGIA E FIM DOS TEMPOS]
JUIZO FINAL [ DOUTRINA DA ESCATOLOGIA E FIM DOS TEMPOS]JUIZO FINAL [ DOUTRINA DA ESCATOLOGIA E FIM DOS TEMPOS]
JUIZO FINAL [ DOUTRINA DA ESCATOLOGIA E FIM DOS TEMPOS]
 
João Calvino e o Cânticos dos Salmos: uma introdução ao pensamento de Calvino...
João Calvino e o Cânticos dos Salmos: uma introdução ao pensamento de Calvino...João Calvino e o Cânticos dos Salmos: uma introdução ao pensamento de Calvino...
João Calvino e o Cânticos dos Salmos: uma introdução ao pensamento de Calvino...
 

0022 a vida_depois_da_vida

  • 1.
  • 2. Quando morreu, no século XIX, Victor Hugo arrastou nada menos que dois milhões de acompanhantes em seu cortejo fúnebre, em plena Paris. Lutador das causas sociais, defensor dos oprimidos, divulgador do ensino e da educação. O genial literato deixou textos inéditos que, por sua vontade, somente foram publicados após a sua morte. Um deles fala exatamente do homem e da imortalidade e se traduz mais ou menos nas seguintes palavras:
  • 3. "A morte não é o fim de tudo. Ela não é senão o fim de uma coisa e o começo de outra. Na morte o homem acaba, e a alma começa.
  • 4. Que digam esses que atravessam a hora fúnebre, a última alegria, a primeira do luto. Digam se não é verdade que ainda há ali alguém, e que não acabou tudo?
  • 5. Eu sou uma alma. Bem sinto que o que darei ao túmulo não é o meu eu, o meu ser. O que constitui o meu eu, irá além.
  • 6. O homem é um prisioneiro. O prisioneiro escala penosamente os muros da sua masmorra. Coloca o pé em todas as saliências e sobe até ao respiradouro.
  • 7. Aí, olha, distingue ao longe a campina, Aspira o ar livre, vê a luz.
  • 8.  Assim é o homem. O prisioneiro não duvida que encontrará a claridade do dia, a liberdade. Como pode o homem duvidar se vai encontrar a eternidade à sua saída?
  • 9. Por que não possuirá ele um corpo sutil, etéreo. De que o nosso corpo humano não pode ser senão um esboço grosseiro?
  • 10. A alma tem sede do absoluto e o absoluto não é deste mundo. É por demais pesado para esta terra.
  • 11. O mundo luminoso é o mundo invisível. O mundo do luminoso é o que não vemos. Os nossos olhos carnais só vêem a noite.
  • 12.  A morte é uma mudança de vestimenta. A alma, que estava vestida de sombra, vai ser vestida de luz.
  • 13. Na morte o homem fica sendo imortal. A vida é o poder que tem o corpo de manter a alma sobre a terra, pelo peso que faz nela.
  • 14. A morte é uma continuação. Para além das sombras, estende-se o brilho da eternidade.
  • 15. As almas passam de uma esfera para outra, tornam-se cada vez mais luz. Aproximam-se cada vez mais e mais de Deus.
  • 16. O ponto de reunião é no infinito. Aquele que dorme e desperta, desperta e vê que é homem. Aquele que é vivo e morre, desperta e vê que é Espírito. Victor Hugo
  • 17. Muitos consideram que o falecimento de uma pessoa amada é verdadeira desgraça, quando, em verdade, morrer não é finar-se nem consumir- se, mas libertar-se. Assim, diante dos que partiram na direção da morte, assuma o compromisso de preparar-se para o reencontro com eles na vida espiritual.
  • 18. Prossegue em sua jornada na Terra sem adiar as realizações superiores que lhe competem. Pois elas serão valiosas, quando você fizer a grande viagem, rumo à madrugada clarificadora da eternidade.