IDC Summit 2015 - DBaaS

408 visualizações

Publicada em

0 comentários
4 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
408
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
30
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
23
Comentários
0
Gostaram
4
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

IDC Summit 2015 - DBaaS

  1. 1. DBaaS – As novas estratégias para DBA’s RODRIGO ALMEIDA DIRETOR DE TI ORACLE ACE
  2. 2. AGENDA  Palestrante  Introdução ao DBaaS  Infraestrutura  Arquiteturas  Conclusões www.unidba.com.br 2
  3. 3. PALESTRANTE www.unidba.com.br 3 RODRIGO ALMEIDA www.rodrigoalmeida.net  DBA há mais de 14 anos;  Diretor de Tecnologia da Informação da UNIDBA Consultoria em TI;  Analista de banco de dados na Veris IBTA;  Pós-graduado em Business Inteligence (BI) na Faculdade IBTA;  Eleito Oracle ACE em 2009 pela Oracle Corporation;  Vice-presidente do GUOB;  Diretor do GUOB Exadata SIG;  Colunista Oracle do portal iMasters;  Articulista das revistas SQL Magazine e Revista YEP;  Colaborador da OTN Latina América;  Professor da disciplinas de banco de dados das principais faculdades paulistas.  Instrutor oficial de Oracle Exadata e SuperCluster para Oracle University Brasil.  Possui mais de 12 certificações técnicas da Oracle Corporation desde a versão 8i até 12c.
  4. 4. DATABASE AS A SERVICE INTRODUÇÃO
  5. 5. INTRODUÇÃO AO DBaaS www.unidba.com.br 5 A CLOUD COMPUTING Desde 2008, a idea de computação na nuvem (Cloud Computing) vêm se tornando forte no mercado mundial e ultimamente é uma prática de mercado de muitas fabricantes de software e data centers que apostaram nessa ideia de “nuvem” no processo de desenvolvimento de novos recursos dos produtos e gerenciamento da sua infraestrutura. ORACLE CLOUD COMPUTING A empresa americana Oracle Corporation aposta muito nessa ideia de Cloud Computing, seus lançamentos recentes de suas linhas de produtos de banco de dados, aplicações e máquinas já estão preparadas para Cloud Computing. Desde 2011, o produto de banco de dados já oferecia recursos ao DBA para realizar o backup em Cloud Computing usando a Amazon S3 Cloud na versão Oracle Database 11g Release 2. Ref: Oracle Database Backup & Recover Reference 11g Release 2 (11.2)
  6. 6. INTRODUÇÃO AO DBaaS www.unidba.com.br 6 OS 4 MODELOS PARA CLOUD COMPUTING  IaaS – Infrastructure-as-a-Service Permite aos usuários acesso completo aos componentes da plataforma Cloud, como Sistema Operacional, ferramentas externas do banco de dados entre outros.  PaaS – Platform-as-a-Service Os usuários têm acessos específicos para desenvolvimento e entrega de serviços que estão sendo executados na plataforma Cloud.  DBaaS – DataBase-as-a-Service Entrega aos usuários e aplicações acesso aos serviços de banco de dados que estão hospedados na plataforma Cloud.  SaaS – Software-as-a-Service Fornece o acesso aos usuários dos serviços das aplicações que estão sendo executadas na plataforma Cloud, como ODI, OBIEE ou EBS.
  7. 7. INTRODUÇÃO AO DBaaS www.unidba.com.br 7 ENTÃO, O QUE É DBaaS? Resumidamente, é um modelo de negócio criado para Cloud Computing cujo objetivo é hospedar completamente o seu banco de dados Oracle (Infraestrutura + Banco de dados Físico + Instância) em um Data Center que tenha todas as premissas necessárias para fornecer esse tipo de serviço aos seus clientes. O QUÊ EU GANHO COM ISSO? Simplesmente, você opta em não possuir máquinas e licenças de banco de dados, retirando toda a infraestrutura de banco de dados da sua empresa e/ou área de TI, podendo fornecer o gerenciamento completo da sua infraestrutura através do modelo IaaS ou optando que a equipe técnica do Data Center gerencie a sua infraestrutura através do modelo PaaS. Os seus ganhos estão ligados diretamente à redução do custo de infraestrutura de máquinas e armazenamento, licenciamento por CORE de CPU, disponibilidade, agilidade e principalmente um melhor controle sobre a eficiência e utilização dos dados e aplicações da empresa.
  8. 8. INTRODUÇÃO AO DBaaS www.unidba.com.br 8 DBaaS É UM MODELO NOVO NO MERCADO? Não, definitivamente não. O DBaaS pode ser observado desde a utilização dos serviços de banco de dados para plataformas WEB, no caso MySQL, Microsoft SQL Server entre outros. Veja os tipos de banco de dados x Fornecedores: Banco de dados Fornecedores Plataforma MySQL Locaweb PaaS e DBaaS MS SQL Server Microsoft Azure IaaS, DBaaS, PaaS e SaaS PostgreSQL Cumologic Paas, DBaaS e SaaS IBM DB2 Cloudant IaaS, DBaaS, PaaS e SaaS Oracle Database Oracle Cloud IaaS, DBaaS, PaaS e SaaS Enterprise DB Cumologic PaaS e DBaaS
  9. 9. INTRODUÇÃO AO DBaaS www.unidba.com.br 9 DBA vs ARQUITETURA Com os atuais cenários de banco de dados das empresas e possibilidades e recursos do banco de dados Oracle, o DBA deverá repensar totalmente em uma nova arquitetura. ANTES DEPOIS
  10. 10. INTRODUÇÃO AO DBaaS www.unidba.com.br 10 E O QUE ACONTECE COM O DBA? Seu perfil dentro da empresa permanece o mesmo, possuindo as mesmas habilidades e competências para administrar um banco de dados Oracle, porém, dependendo do modelo de contratação do DBaaS (IaaS ou PaaS) para Cloud Computing, sua atual posição pode ser elevada ao nível de arquitetura de infraestrutura e soluções, pelos motivos abaixo:  Redesenhar novas soluções de infraestrutura que podem ter os benefícios da cloud computing;  Conhecer e promover com exatidão qual banco de dados pode ou não ir para cloud;  Conhecer muito bem a sua atual condição de infraestrutura;  Conhecer o comportamento das aplicações da empresa;  Saber os pontos fracos e fortes de colocar os dados na nuvem;  Ser o responsável em orientar as equipes de desenvolvimento e empresas terceiras de como trabalhar com o DBaaS;  Ter como foco no uso do DBaaS, a redução de custos de infraestrutura, licenciamento, eficiência na administração e disponibilidade de acesso aos dados;  Ter melhor controle e estudo sobre o seu Plano de Capacidade de cada aplicação.
  11. 11. INTRODUÇÃO AO DBaaS www.unidba.com.br 11 POR QUE A ORACLE FOI UMA DAS ÚLTIMAS? Como vimos, DBaaS não é um modelo de serviço novo no mercado e muito menos exclusivo do banco de dados Oracle, porém, o que complicava muito a adoção do banco de dados Oracle na nuvem é sua complexidade de infraestrutura, utilização dos recursos e gerenciamento por parte do data center. E O QUE MUDOU AGORA? Os produtos de banco de dados Oracle desde a versão Oracle Database 11g Release 2 estão preparados para Public e Private Cloud, além disso, a última versão do Oracle Database 12c é totalmente preparada para trabalhar em nuvem, seja em DBaaS, Private ou Public Cloud através do Oracle Multitenant.
  12. 12. ORACLE CLOUD INFRAESTRUTURA
  13. 13. ORACLE CLOUD www.unidba.com.br 13 O QUE É ORACLE CLOUD? É um conjunto de serviços de banco de dados, aplicações comercial e social disponível ao cliente através de assinaturas e configurações de utilização da infraestrutura, podendo sofrer aumento de recursos de hardware conforme a demanda do cliente em tempo real sem interrupção dos serviços. E O QUE DBA TEM HAVER COM ISSO? O DBA se envolve nos modelos de serviço ofertados pelo Oracle Cloud de acordo com as necessidades das aplicações do cliente, envolvimento direto no projeto de arquitetura, atualização tecnológica e controle do orçamento. Ref: Oracle Cloud Services
  14. 14. ORACLE CLOUD www.unidba.com.br 14 QUAIS AS MINHAS OPÇÕES DE SERVIÇO? O Oracle Cloud oferece os serviços de DBaaS em diversos modelos, como DataBase Schema Service ou DataBase as a Service, ambos um imagem de VM na infraestrutura cloud, onde você pode optar por gerenciar o banco de dados por completo ou deixar na mão da Oracle para gerenciamento e controle do ambiente.
  15. 15. ORACLE CLOUD www.unidba.com.br 15 TRABALHO EM EMPRESA DE GRANDE PORTE, TEM OUTRAS OPÇÕES? Se a sua empresa é de grande porte e possui boa quantia de investimento para TI, você pode realizar sua própria cloud privada, pública ou híbrida, você pode criar um ambiente cloud para centralizar e consolidar ambientes de banco de dados da sua empresa através do Oracle Managed Cloud Services.
  16. 16. ORACLE CLOUD www.unidba.com.br 16 EU OPTO PELO 11g OU 12c? Agora o DBA deve entrar em cena e orientar a empresa para qual versão de banco de dados deverá adotar para o uso do DBaaS. As principais diferenças que podemos evidenciar com o mercado nacional é a seguinte: Oracle Database 11g Oracle Database 12c Alguns recursos para Cloud Plataforma feita para Cloud Aplicações compatíveis com 11.2 Aplicações com medo de migrar para 12.1.0.2 Não possui Oracle Multitenant Possui Oracle Multitenant Arquitetura em MAA* Arquitetura em MAA* Otimizador SQL e PLSQL afinado Otimizador SQL e PLSQL para ajustes manuais Versão consolidada no mercado Versão não utilizada nas empresas Mão de obra disponível no mercado DBA necessita de treinamentos MAA – Maximum Availability Architecture
  17. 17. ORACLE CLOUD www.unidba.com.br 17 COMO ACESSO MEU AMBIENTE DBaaS? Os formatos de acesso ao DBaaS pode ser feita através:  Acesso SSH Acesso SSH na Porta 22 ou pela porta desejada configurando o seu VM Host para tal configuração.  Application Express Administration Console Pode administrar o APEX pela porta 443 usando protocolo 443.  SQL*NET Acesso padrão ao banco de dados pela porta 1521 via TCP/IP.  SSL over SQL*NET Basta configurar a porta 1521 para uso do SSL no VM Host do banco de dados e configurar o acesso pelo certificado digital.  Oracle DBaaS Console Console para gerenciamento dos recursos e infraestrutura como status do banco de dados e uso dos recursos do VM também através do HTTPs pela porta 443.  OEM Database Control 11g ou Express Control 12c Console de gerenciamento do banco de dados com acesso através do protocolo HTTPS na porta 5500.
  18. 18. ORACLE CLOUD www.unidba.com.br 18 COMO CARREGO OS DADOS PARA NUVEM? Você pode optar por carregar os dados através dos meios abaixo:  Oracle Application Express Data Load Utility Os dados podem ser carregados e manipulados pela console do APEX, dados podem ser importados de Excel, CSV, XML, TXT, SQL Scripts e DMP.  Oracle Cloud Management Data Load As mesmas opções da Console do APEX, porém permite importação de arquivos DMP através dos Directories do banco de dados usando Data Pump.  RESTFull Webservices A Programação PL/SQL pode usufruir dos recursos de RESTFull Webservices para inserção e manipulação de dados na nuvem.  Data Pump Mesmo processo de importação do banco de dados tradiconal.  SQL*LOADER Continua também o mesmo processo de carga de dados dos processos convencionais.  Oracle SQL Developer Existem assistentes específicos e fáceis para criar conexão com o Oracle Database Cloud e carregar os dados para o ambiente. Ref: Data Loading for Oracle Database Cloud
  19. 19. ARQUITETURAS VIABILIDADE
  20. 20. ARQUITETURAS www.unidba.com.br 20 POR ONDE COMEÇAR? AS ARMAS… Com os diversos produtos de proteção de dados, banco de dados, stand-by e clusterização, o DBA possui diversas maneiras de criar uma arquitetura de acordo com o propósito da empresa. Porém, os requesitos que devemos ter em mente é a seguinte: SEGURANÇA RMAN DATA PUMP PROTEÇÃO ASM FLASHBACK DISPONIBILIDADE SCAN LISTENER RAC ONE NODE DATA GUARD ALTA DISPONIBILIDADE EXADATA RAC ACTIVE DATA GUARD MÁXIMA DISPONIBILIDADE GDS GOLDEN GATE
  21. 21. ARQUITETURAS www.unidba.com.br 21 OUTROS ASPECTOS QUE NÃO PODEMOS ESQUECER! Quando estamos pensando em arquitetura de banco de dados, existem outros fatores que além dos recursos e ferramentas do banco de dados, temos que alinhar com as expectativas do cliente para trabalhar na Cloud. • RECOVERY TIME OBJECTIVERTO • RECOVERY POINT OBJECTIVERPO • MEAN TIME TO RECOVERMTTR • MEAN TIME BETWEEN FAILURESMTBF
  22. 22. ARQUITETURAS www.unidba.com.br 22 O BÁSICO… Ref: Oracle MAA Reference Architecture for DBaaS
  23. 23. ARQUITETURAS www.unidba.com.br 23 … PENSANDO EM DISPONIBILIDADE E CONSOLIDAÇÃO … Ref: Oracle MAA Reference Architecture for DBaaS
  24. 24. ARQUITETURAS www.unidba.com.br 24 … AS SUGESTÕES DE ALTA DISPONIBILIDADE … Ref: Oracle MAA Reference Architecture for DBaaS
  25. 25. ARQUITETURAS www.unidba.com.br 25 … COISA DE GENTE GRANDE, A MÁXIMA DISPONIBILIDADE! Ref: Oracle MAA Reference Architecture for DBaaS
  26. 26. CONCLUSÕES ACABANDO
  27. 27. CONCLUSÕES www.unidba.com.br 27 Vamos para as conclusões no cenário Brasileiro: PONTOS FORTES  Ótimo para ambientes de Dev e Hom;  Redução custos;  Otimização dos recursos de hardware e banco de dados;  Chargeback: Pague para consumo esporádicos;  Arquiteturas de banco de dados mais protegidas;  Analises completas de Plano de Capacidade por métricas de consumo. PONTOS FRACOS  Estabilidade no Link de comunição (WAN) da empresa para a provedora dos serviços Cloud;  Latência do Link, Perda de pacotes, quedas, instabilidade de acesso e etc..  Caso adote o uso do Oracle Multitenant, investimento em treinamentos;  Tempo de projeto para viabilidade, testes e analises de capacidade das aplicações e infraestrutura;  Devenvolvimento de novos processos de carga para ambientes DBaaS.
  28. 28. CONTATOS www.unidba.com.br 28 MUITO OBRIGADO PELA PARTICIPAÇÃO!  Todos os documentos de referência estão disponíveis no site. http://www.rodrigoalmeida.net https://www.facebook.com/BlogRodrigoAlmeida https://plus.google.com/RodrigoAlmeidanet https://www.linkedin.com/in/rodrigoalmeida https://twitter.com/dbarodrigo
  29. 29. fim www.unidba.com.br Escritórios contato@unidba.com.br | SP. 11 3042-7432 - RS. 51 4042-0303

×