Enchentes

958 visualizações

Publicada em

0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
958
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
23
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Enchentes

  1. 1. Enchentes
  2. 2. História "Enchente" "ou cheia" é, geralmente, uma situação natural de transbordamento de água do seu leito natural, qual seja, córregos, arroios, lagos, rios, ribeirões, provocadas geralmente porchuvas intensas e contínuas. Em mares e oceanos os alagamentos devidosa ressacas, também são denominados de enchentes, como os já ocorridos na Holanda. A ocorrência de enchentes é mais frequente em áreas maisocupadas, quando os sistemas de drenagem passam a ter menor eficiência com o tempo se não forem recalculados ou devidamente adaptados tecnicamente. É comum o aumento das destruições devido sobretudo ao adensamento populacional de determinadas áreas sujeitas tradicionalmente a cheias cíclicas.
  3. 3. • Quando o transbordamento dá-se em áreas habitadas de pequena, média ou grande densidade populacional, os danos podem ser pequenos, médios, grandes ou muito grandes, de acordo com o volume de águas que saíram do leito normal e de acordo com a densidade populacional.• A ciência que estuda os fenômenos das enchentes é a Hidrologia que é normalmente ensinada nos cursos de Geografia, Engenharia Hidráulica, Engenharia sanitária, Engenharia Ambiental e outros.• Algumas obras podem ser realizadas para controle das enchentes tais como bueiros, diques, barragens de defesa contra inundações ou mesmo obras de Revitalização de Rios, muito utilizadas na Holanda e na Alemanha.
  4. 4. REPRESA DO GUARAPIRANGA
  5. 5. • Mais de 11 toneladas de lixo foram retiradas em dezembro da represa Guarapiranga, na zona sul de São Paulo, durante os trabalhos do projeto Operação Defesa das Águas, da Sabesp (Companhia de Saneamento Básico do Estado). O número é recorde desde o início das atividades, em março de 2007. O maior volume havia sido registrado em fevereiro passado, quando 7,3 toneladas foram retiradas do local.
  6. 6. • Segundo a Sabesp, desde setembro as equipes têm removido a cada mês mais de 7,8 toneladas de materiais sólidos, como plásticos, pneus, garrafas e pedaços de madeira. Em parceria com a Prefeitura de São Paulo, o projeto já coletou no total 132,5 toneladas de resíduos das margens da represa Guarapiranga, número suficiente para encher 283 caminhões basculantes.• Duas embarcações são utilizadas pelas equipes da companhia de saneamento. Elas se deslocam para as margens dos rios e córregos (afluentes da Guarapiranga) e removem o lixo que flutua por ali. O material é armazenado e depois recolhido pela prefeitura, que se responsabiliza pela destinação e reciclagem.• Nos últimos quatro meses foram retiradas da Guarapiranga 36,2 toneladas de lixo, sendo 8,7 toneladas em setembro, 8,1 toneladas em outubro, 8,3 toneladas em novembro e mais as 11,1 toneladas de dezembro. O ano de 2009 também foi o que registrou o maior volume de resíduos sólidos removidos da represa até aqui, com 56,3 toneladas, superando as 55,5 toneladas de 2008. Em 2007, ano em que a operação teve início, 20,7 toneladas de lixo haviam sido retirados da Guarapiranga.
  7. 7. Chuva Mata em São Paulo
  8. 8. • Moradores da região do M’ Boi Mirim, zona sul de São Paulo, viveram uma noite terrível nesta terça-feira, 21, em razão da chuva que atingiu a região. Moradores do Condomínio Projeto das Américas, localizado na Estrada do M´Boi Mirim, 320, viram a água do córrego Ponte Baixa, que corre paralelo à via, invadir o estacionamento, arrastando alguns veículos. Uma das moradoras, a professora Michele Borges, de 28 anos, foi levada pela água e morreu.• Michele havia descido até o estacionamento na tentativa de salvar o Fiat Uno branco dela. “Tentamos salvá-la, mas ela não conseguiu segurar a mangueira do hidrante que usamos como corda, e se perdeu no meio da água. Tentamos salvar alguns carros que estavam próximos de pontos mais altos, mas a maioria se chocou contra os muros”, conta Marcos Camargo Júnior, um dos moradores e seu amigo de infância. Ele afirma que o córrego é canalizado naquela trecho e que passa sob o condomínio.• O corpo de Michele foi encontrado junto à oficina mecânica da empresa de ônibus Viação Gatusa, localizada na avenida Guido Caloi esquina com a avenida Guarapiranga. A água do córrego invadiu a garagem da empresa.
  9. 9. Carros arrastadosDevido a chuva o perigo aumenta e muitos carrosquerem chegar logo ao seu destino e acabamultrapassando todas barreiras mas não devemosfazer isso pois é muito perigoso .
  10. 10. Devido a Apresentação podemos reparar que não é fácil a situação da população quandochove, mas devemos lembrar que somos nos que fazemos isso com nosso planeta e conoscomesmo. Jogando lixos nas ruas. Vamos nos conscientizar um pouco mais,e começar a jogar olixo no lixo que é o seu devido lugar e assim teremos ruas limpas e não mais enchentes. Aimagem esquerda é o caso de lixos em ruas, que causam as tais enchentes, vamos parar dejogar lixo onde não devemos, para que nossa cidade fique menos ruim quando chover.VAMOS CUIDAR DO NOSSO PLANETA PARA QUE ASSIM SEJAMOS CUIDADOS TAMBÉM. Quando for jogar lixo na rua lembre-se que poderá chover e sua casa ser inundada . PENSE NISSO.

×