MARKETING E CONSUMO
RESPONSÁVEL,
SUSTENTABILIDADE E SEUS
IMPACTOS.
COMO FAZER O CASAMENTO ENTRE
MARKETING E SUSTENTABILIDADE
DAR CERTO ?
Quantas inúmeras vezes
você ouviu ou leu o
comentári...
O aumento quantitativo desse tipo de crítica traz à tona a
constatação de que o consumidor está cada vez mais
engajado, pa...
É esse novo consumidor que Kotler se
refere em seu livro Marketing 3.0 - As forças
que estão definindo o novo marketing
ce...
Levando-se em conta a maior participação dos
consumidores nas mídias sociais e o consequente
aumento de poder e agilidade ...
Vale, aqui, o velho conselho de fazer a lição de casa
primeiro, melhorando o desempenho da empresa em
sustentabilidade ant...
FÁBRICA VERDE - CONCEITO
11 tendências sustentáveis
Como as empresas estão
comunicando a sustentabilidade
no mundo? E, principalmente, o
que e de q...
1) Consumidores exigentes, mais comunicação
Esse é um movimento que tende a
se expandir em todo o mundo em
resposta ao cre...
2) Inovação puxa comunicação de produtos
A valorização da sustentabilidade
como vantagem competitiva tem
levado cada vez m...
3) A velha história da lição de casa primeiro…
A ideia parece óbvia, mas a
história recente mostra que,
contrariando o bom...
4) Mensagem valoriza o desempenho do produto, o
bolso do consumidor e a contribuição para o
planeta. Tudo ao mesmo tempo.
...
5) Simples é melhor...
Observa-se uma tendência pela simplificação da
mensagem da sustentabilidade. Um exemplo dessa
tendê...
6) Verificação externa funciona como avalista
Cada vez mais empresas estão
recorrendo à verificação externa e
independente...
7) Natural em alta
Tudo o que é “natural” segue
em alta. Cada vez mais
empresas se socorrem no
procedimento de comunicar,
...
8 ) Redes sociais, aí vamos nós!
Cada vez mais empresas vêm utilizando as ferramentas de
mídia social para dialogar com pú...
9) Preferindo o todo, em vez das partes
Cresce o número de empresas que estão trocando ações
pontuais por um posicionament...
10) O que focam as mensagens
Consumo de energia no ciclo de vida e uso
do produto, matérias-primas com padrões
éticos e am...
11) Marcas sustentáveis mobilizam consumidores,
empregados e parceiros
Parece crescer a consciência de que
a sustentabilid...
Finalmente a “Internet das Coisas” está se tornando
realidade, e que forma melhor de acompanhar essa
tendência tecnológica...
São consumidores que deixam de comprar
passivamente um produto para se tornarem
verdadeiros investidores, se não acionista...
Para consumidores com realmente pouco tempo,
nada se compara à simplicidade e praticidade de
fazer pedidos ou pagar com um...
Para muitos, o empreendedorismo é um novo
símbolo de status - com o empreendedorismo
tecnológico ocupando o topo da pirâmi...
Os governos do mundo “desenvolvido” estão (ficando)
sem dinheiro, enquanto em muitas nações e cidades
“emergentes” os gove...
Pela internet não faltam informações úteis e bons
conselhos. Na verdade, há poucas áreas onde os
consumidores ficam realme...
Em um mundo completamente dependente da
conexão, com dispositivos cada vez mais poderosos e
empolgantes, baterias com vida...
Os benefícios de acessar e contribuir para a riqueza
de informações parecem não ter fim. Além de
simplesmente tornar a vid...
Se os CUSTOWNERS são consumidores que têm
participação em um empreendimento, os
SELLSUMERS são os consumidores que lucram ...
A busca pelo consumo sustentável continua, mas
com muitos consumidores cada vez mais descrentes
das ecoiniciativas ou em b...
O desejo dos consumidores de exibirem suas vidas
em redes sociais é realmente incessante, e “Curtir”
as coisas é parte int...
Se o individualismo é a nova religião, a singularidade
é sua Deusa. Os consumidores se destacam ao fazer,
visitar, possuir...
Palestra Marketing e Sustentabilidade -  Prof dawison calheiros - 2015
Palestra Marketing e Sustentabilidade -  Prof dawison calheiros - 2015
Palestra Marketing e Sustentabilidade -  Prof dawison calheiros - 2015
Palestra Marketing e Sustentabilidade -  Prof dawison calheiros - 2015
Palestra Marketing e Sustentabilidade -  Prof dawison calheiros - 2015
Palestra Marketing e Sustentabilidade -  Prof dawison calheiros - 2015
Palestra Marketing e Sustentabilidade -  Prof dawison calheiros - 2015
Palestra Marketing e Sustentabilidade -  Prof dawison calheiros - 2015
Palestra Marketing e Sustentabilidade -  Prof dawison calheiros - 2015
Palestra Marketing e Sustentabilidade -  Prof dawison calheiros - 2015
Palestra Marketing e Sustentabilidade -  Prof dawison calheiros - 2015
Palestra Marketing e Sustentabilidade -  Prof dawison calheiros - 2015
Palestra Marketing e Sustentabilidade -  Prof dawison calheiros - 2015
Palestra Marketing e Sustentabilidade -  Prof dawison calheiros - 2015
Palestra Marketing e Sustentabilidade -  Prof dawison calheiros - 2015
Palestra Marketing e Sustentabilidade -  Prof dawison calheiros - 2015
Palestra Marketing e Sustentabilidade -  Prof dawison calheiros - 2015
Palestra Marketing e Sustentabilidade -  Prof dawison calheiros - 2015
Palestra Marketing e Sustentabilidade -  Prof dawison calheiros - 2015
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Palestra Marketing e Sustentabilidade - Prof dawison calheiros - 2015

626 visualizações

Publicada em

Marketing e Consumo Responsável.

Publicada em: Educação
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Palestra Marketing e Sustentabilidade - Prof dawison calheiros - 2015

  1. 1. MARKETING E CONSUMO RESPONSÁVEL, SUSTENTABILIDADE E SEUS IMPACTOS.
  2. 2. COMO FAZER O CASAMENTO ENTRE MARKETING E SUSTENTABILIDADE DAR CERTO ? Quantas inúmeras vezes você ouviu ou leu o comentário de que uma determinada empresa não tem preocupação nenhuma com a sustentabilidade, que tudo é só marketing?
  3. 3. O aumento quantitativo desse tipo de crítica traz à tona a constatação de que o consumidor está cada vez mais engajado, participativo e consciente para avaliar se as iniciativas de marketing das empresas estão em sintonia com suas ações concretas em busca da sustentabilidade. Reflexo desse aumento da preocupação do público com a sustentabilidade foi o estabelecimento, pelo CONAR (Conselho Nacional de Autorregulamentação Publicitária), de novas normas que visam coibir a banalização da publicidade que contenha apelos sobre o tema. O órgão recomenda que a menção à sustentabilidade obedeça estritamente a critérios de veracidade, exatidão, pertinência e relevância..
  4. 4. É esse novo consumidor que Kotler se refere em seu livro Marketing 3.0 - As forças que estão definindo o novo marketing centrado no ser humano.
  5. 5. Levando-se em conta a maior participação dos consumidores nas mídias sociais e o consequente aumento de poder e agilidade desse tipo de comunicação, as empresas que se expõe inadequadamente correm o risco de criar verdadeiras crises institucionais.
  6. 6. Vale, aqui, o velho conselho de fazer a lição de casa primeiro, melhorando o desempenho da empresa em sustentabilidade antes de realizar qualquer comunicação.
  7. 7. FÁBRICA VERDE - CONCEITO
  8. 8. 11 tendências sustentáveis Como as empresas estão comunicando a sustentabilidade no mundo? E, principalmente, o que e de que modo vão comunicar o tema nos próximos anos?
  9. 9. 1) Consumidores exigentes, mais comunicação Esse é um movimento que tende a se expandir em todo o mundo em resposta ao crescente interesse dos consumidores e às demandas por mais transparência. Estudo sobre marcas verdes, revelou que 60% dos consumidores querem comprar produtos de empresas sustentáveis.
  10. 10. 2) Inovação puxa comunicação de produtos A valorização da sustentabilidade como vantagem competitiva tem levado cada vez mais empresas a comunicar não só aspectos convencionais como reciclagem e pegada de carbono, mas também iniciativas amplas relacionadas a produtos verdes.
  11. 11. 3) A velha história da lição de casa primeiro… A ideia parece óbvia, mas a história recente mostra que, contrariando o bom senso, muitas companhias quebraram a cara por botar o discurso a léguas da prática. Você, certamente conhece pelo menos uma empresa brasileira que cometeu esse equívoco. Arrisque fazer a sua listinha.
  12. 12. 4) Mensagem valoriza o desempenho do produto, o bolso do consumidor e a contribuição para o planeta. Tudo ao mesmo tempo. As primeiras ações de comunicação, adotavam um tom mais institucional. Agora, elas estão tratando a produção dos produtos e ainda contam com a “vantajosa” interação do consumidor.
  13. 13. 5) Simples é melhor... Observa-se uma tendência pela simplificação da mensagem da sustentabilidade. Um exemplo dessa tendência é a Marks&Spencer, maior rede de lojas de departamento do Reino Unido. A rede britânica implantou uma campanha chamada Plano A, na qual transforma 100 compromissos em cinco pilares (Mudanças Climáticas, Resíduos, Matéria-Prima Reciclável, Parcerias Justas e Saúde), devidamente identificados por ícones. “Cinco anos. Cinco compromissos. 100 coisas para mudar. Porque temos apenas um mundo. E o tempo está acabando”.
  14. 14. 6) Verificação externa funciona como avalista Cada vez mais empresas estão recorrendo à verificação externa e independente para validar suas estratégias verdes e metas de sustentabilidade corporativas. Na França, Alemanha e China, por exemplo, os consumidores se orientam quase que exclusivamente pelos selos de certificação.
  15. 15. 7) Natural em alta Tudo o que é “natural” segue em alta. Cada vez mais empresas se socorrem no procedimento de comunicar, nos rótulos, o “quão natural” é o produto.
  16. 16. 8 ) Redes sociais, aí vamos nós! Cada vez mais empresas vêm utilizando as ferramentas de mídia social para dialogar com públicos de interesse e ampliar o alcance de sua comunicação da sustentabilidade. Os vídeos on-line estão em alta entre os norte-americanos.
  17. 17. 9) Preferindo o todo, em vez das partes Cresce o número de empresas que estão trocando ações pontuais por um posicionamento mais amplo de sustentabilidade. A partir de três critérios: emissões de carbono, utilização de produtos químicos e consumo de recursos (a porcentagem, em peso, de materiais reciclados, orgânicos e renováveis), As empresas qualificam de 1 a 10 a “sustentabilidade” do produto. As informações são registradas em uma etiqueta e disponibilizadas aos consumidores no ponto de venda.
  18. 18. 10) O que focam as mensagens Consumo de energia no ciclo de vida e uso do produto, matérias-primas com padrões éticos e ambientais; produtos químicos com segurança, materiais naturais, orgânicos e produtos químicos excluídos; gestão e uso da água; ações relacionadas a causas locais e globais, tais como o comércio justo, que proporcionem algum tipo de economia ao cliente e resultados financeiros para organizações.
  19. 19. 11) Marcas sustentáveis mobilizam consumidores, empregados e parceiros Parece crescer a consciência de que a sustentabilidade é um componente ético fundamental na construção de marcas. E, ainda, que marcas sustentáveis geram uma aura de simpatia e interesse. Criam audiências, favorecem proximidade e despertam confiança.
  20. 20. Finalmente a “Internet das Coisas” está se tornando realidade, e que forma melhor de acompanhar essa tendência tecnológica do que apresentando aplicativos que realmente atendem aos consumidores como verdadeiros “empregados tecnológicos”?
  21. 21. São consumidores que deixam de comprar passivamente um produto para se tornarem verdadeiros investidores, se não acionistas, das marcas das quais são clientes. Entretanto, esse público cada vez mais sagaz nos negócios geralmente busca um retorno financeiro e também emocional, portanto, apenas as marcas abertas, amigáveis, honestas, confiáveis, transparentes e de alguma forma humanas conseguirão atrair CUSTOWNERS interessados
  22. 22. Para consumidores com realmente pouco tempo, nada se compara à simplicidade e praticidade de fazer pedidos ou pagar com um simples toque, clicando ou apertando um botão.
  23. 23. Para muitos, o empreendedorismo é um novo símbolo de status - com o empreendedorismo tecnológico ocupando o topo da pirâmide. Especialmente os jovens estão cada vez mais atrás de oportunidades empreendedoras, uma vez que são "empoderados" (e de fato se tornam mais eficientes) pelas tecnologias online que possibilitam criar e expandir uma empresa com pouco investimento.
  24. 24. Os governos do mundo “desenvolvido” estão (ficando) sem dinheiro, enquanto em muitas nações e cidades “emergentes” os governos não conseguem dar conta da demanda pelos seus serviços. Isso tudo cria grandes oportunidades para as marcas que oferecem mais do que a simples venda de produtos e serviços.
  25. 25. Pela internet não faltam informações úteis e bons conselhos. Na verdade, há poucas áreas onde os consumidores ficam realmente no escuro sobre o que deveriam estar fazendo. Obviamente, seguir os conselhos é uma coisa completamente diferente. É por isso que os consumidores receberão bem os produtos, aplicativos ou serviços que monitorem, lembrem, cutuquem e forcem-os a se comportar e agir "melhor".
  26. 26. Em um mundo completamente dependente da conexão, com dispositivos cada vez mais poderosos e empolgantes, baterias com vida mais longa e opções para carregamento são os verdadeiros cálices sagrados para qualquer viciado no estilo de vida online.
  27. 27. Os benefícios de acessar e contribuir para a riqueza de informações parecem não ter fim. Além de simplesmente tornar a vida mais eficiente e agradável, já existe uma série de produtos, serviços e (especialmente) aplicativos que ajudam a manter as pessoas seguras exatamente quando elas mais precisam
  28. 28. Se os CUSTOWNERS são consumidores que têm participação em um empreendimento, os SELLSUMERS são os consumidores que lucram com a venda dos seus insights às empresas, comercializando suas ideias criativas com outros consumidores, com mais clientes ganhando dinheiro, estamos vivendo o crescimento rápido daqueles que chamamos de TASKSUMERS: os consumidores que lucram com a realização de pequenas tarefas para outras pessoas ou empresas.
  29. 29. A busca pelo consumo sustentável continua, mas com muitos consumidores cada vez mais descrentes das ecoiniciativas ou em busca de ecohistórias realmente convincentes, os ecoprodutores precisarão dar um passo a frente e adotar o SUPER- ECO, onde todos os aspectos do produto ou serviço são, indiscutível e completamente, sustentáveis
  30. 30. O desejo dos consumidores de exibirem suas vidas em redes sociais é realmente incessante, e “Curtir” as coisas é parte integral disso. No ano passado, vimos as primeiras iniciativas de conectar o mundo físico ao online.
  31. 31. Se o individualismo é a nova religião, a singularidade é sua Deusa. Os consumidores se destacam ao fazer, visitar, possuir, usar, comer, dirigir e desfrutar de produtos e serviços aos quais (a maioria dos) outros não têm acesso. Ainda assim, com a prosperidade e o acesso em massa, isso está se tornando um alvo cada vez mais difícil de se atingir com ainda mais produtos, serviços e experiências que levam a escassez ao extremo.

×