Indicadores estratégicos para a gestão empresarial

6.223 visualizações

Publicada em

0 comentários
7 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
6.223
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
9
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
274
Comentários
0
Gostaram
7
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Indicadores estratégicos para a gestão empresarial

  1. 1. Profº Mestre Dawison Calheiros INDICADORES ESTRATÉGICOS PARA A GESTÃO DO DESEMPENHO EMPRESARIAL
  2. 2. INDICADORES ESTRATÉGICOS PARA A GESTÃO DO DESEMPENHO EMPRESARIAL
  3. 3. Gestão Estratégica • Administração estratégica • Desenvolvimento sustentável • Partes interessadas • Práticas de gestão • Ativos intangíveis • Gestão do desempenho
  4. 4. Administração Estratégica Discutir administração estratégica é necessário para o entendimento do processo de decisão e posicionamento estratégico da empresa e sua influência na construção de sistemas de indicadores de desempenho, que retratem com maior precisão as decisões e caminhos estratégicos seguidos pela organização. · Por que a empresa existe? · O que ela faz? · Como faz? · Quais os desafios que ela deve enfrentar? · Quais as competências que possui? · Está de acordo com a Missão, os valores, as crenças e os princípios da organização?
  5. 5. Administração Estratégica
  6. 6. Desenvolvimento Sustentável
  7. 7. Partes Interessadas Não somente o presidente da empresa, porém todo seu staff precisa estar preparado para responder a uma série de vozes: acionistas, comunidade financeira, analistas de mercado, gestores de fundos, agências reguladoras, legisladores, procuradores do Estado, ONGs, ambientalistas, além do público interno da empresa.
  8. 8. Práticas de Gestão Busca de melhores práticas é um processo contínuo de comparação de práticas de gestão, que pode incluir estratégias, procedimentos, operações, sistemas, proc essos, produtos e serviços.
  9. 9. Ativos Intangíveis As empresas na Era da Informação estão mais atentas em identificar indicadores adequados para mensurar seus ativos intangíveis, com o objetivo de se saber sua vantagem competitiva e com isto, obter maiores retornos para todas as partes interessadas.
  10. 10. Gestão do Desempenho A atividade de se fazer a gestão do desempenho requer proatividade e antecipação. E para que estes sejam alcançados de forma eficiente, a disponibilidade da informação é fator crítico.
  11. 11. REFLEXÃO... Para Hitt et al (2002, p. 37) A busca da competitividade é a alma da administração estratégica. O mesmo, aplica-se às escolhas feitas sobre o traçado e a utilização do processo de administração estratégica. “As empresas concorrem entre si para obter acesso aos recursos necessários, auferir retornos acima da média e oferecer um elevado atendimento às necessidades dos interessados. A utilização eficaz das partes interdependentes do processo de administração estratégica traz como resultado a escolha do rumo que a empresa adotará e os recursos que usará para alcançar os resultados desejados em termos de competitividade estratégica e retornos acima da média.” “A empresa alcança a competitividade estratégica e aufere retornos superiores à média quando suas competências essenciais exclusivas são alavancadas com eficácia tal que lhe permita usufruir das vantagens das oportunidades do ambiente externo.”
  12. 12. REFLEXÃO... Uma vez definida a estratégia empresarial, seja esta de curto, médio ou de longo prazo, esta estratégia precisa primeiramente ser entendida por todos os colaboradores e segundo, que haja um compromisso da organização em executá-la, para então, buscar o alcance dos objetivos e metas estratégicos definidos pela organização.
  13. 13. Quando é definido o futuro da organização, basicamente há dois eixos principais ou temas que precisam ser observados:  Excelência operacional: a busca da produtividade no curto prazo; a busca por manter os clientes satisfeitos e força de trabalho motivada e preparada; a busca em excelência em custos, nos relacionamentos e em inovação; e a excelência dos serviços;  Expansão dos negócios: crescimento por meio da criação de valor no longo prazo e a pesquisa de novas tecnologias no setor para a expansão da matriz de produtos/serviços com fontes renováveis e não poluentes.
  14. 14. Para Kaplan e Norton (2006) o mapa estratégico permite que a organização deixe clara a lógica da estratégia. É organizado em perspectivas: @ Financeira: Quais são as expectativas dos acionistas, em termos de desempenho financeiro? @ Cliente: Para alçar os objetivos financeiros, como se cria valor para o cliente? @ Processos Internos: Em que processos a organização deve ser excelente para satisfazer os clientes e acionistas? @ Aprendizado e crescimento: Como alinhar os ativos intangíveis – pessoas, sistemas e cultura – para melhorar os processos críticos?
  15. 15. Indicadores de Gestão Conceitulamente Tachizawa (2001) nos diz que um modelo de gestão de negócios depende de medição e análise. “As medições precisam ser decorrências da estratégia da organização, abrangendo os principais processos, bem como os resultados. As informações necessárias para a avaliação e melhoria do desempenho incluem, entre outras, as relacionadas ao cliente, o desempenho de produtos, as operações, o mercado, as comparações com a concorrência (benchmarking) ou referenciais de excelência, os fornecedores, os colaboradores e os aspectos de custo e financeiro.”
  16. 16. Indicadores – Perspectiva Financeira
  17. 17. Indicadores Responsabilidade Pública
  18. 18. Indicadores – Mercado e clientes
  19. 19. Indicadores – Inovação
  20. 20. Indicadores – Processo
  21. 21. Indicadores – Pessoas
  22. 22. Indicadores – Fornecedores
  23. 23. Indicadores – Ambiente Organizacional
  24. 24. SUGESTÕES DE AVALIAÇÃO PARA O EMPREENDEDOR INDIVIDUAL
  25. 25. Indicadores – Perspectiva Financeira  Planilha – Fluxo de caixa  Planilha de estoque  Formação do preço de venda  Ponto de equilíbrio  Rentabilidade  Lucratividade  Prazo de retorno do investimento
  26. 26. Indicadores Responsabilidade Pública  Imagem pública  Danos causados ao meio ambiente  Passivo ambiental  Investimentos em sustentabilidade
  27. 27. Indicadores – Mercado e clientes  Participação no mercado – MKT SHARE  Posicionamento na mente do cliente  Clientes perdidos nos últimos 2 anos  Ticket médio  Pesquisa de satisfação de clientes
  28. 28. Indicadores – Inovação  Novos produtos inseridos no mercado  Aceitação de novos produtos  Clínica de clientes  Receita derivada de novos produtos
  29. 29. Indicadores – Processo  Conformidade do produto  Retrabalho  Normas impostas pela legislação  Produtividade (índices)  Planos de ação  Desperdício ou quebras  Eficiência operacional
  30. 30. Indicadores – Pessoas  Rotatividade  Pesquisa de clima organizacional  Número de capacitações anuais  Doenças ocupacionais  Percentual de Absenteísmo  Acidentes de trabalho  Sugestões de colaboradores implantadas  Processo de recrutamento e seleção
  31. 31. Indicadores – Fornecedores  Cadastro de fornecedores  Cálculo do giro do estoque  Cálculo do prazo médio de compras  Cálculo do prazo médio de vendas  Controle de prazos de entrega  Controle de qualidade dos produtos adquiridos
  32. 32. Indicadores – Ambiente Organizacional  Planos estratégicos elaborados  Missão, visão e valores  Nível de informação do empresário  Participação em feiras e congressos  Insatisfações de colaboradores  Descrição de cargos  Organograma  Fluxogramas
  33. 33. 0800 570 0800 / www.sebrae.com.br SEBRAE OFICINA: BOAS VENDAS! BONS RESULTADOS!

×