Capitulo 9: Plataforma e postura

91 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
91
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
1
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Capitulo 9: Plataforma e postura

  1. 1. PLATAFORMA & POSTURA
  2. 2. Plataforma Combinação de hardware e software que permite o produto funcionar.
  3. 3. Postura O comportamento do produto/interface para com o seu usuário.
  4. 4. Postura O comportamento do produto/interface para com o seu usuário.
  5. 5. Projetando aplicativos de desktop Soberanos Transitorios Demoníiacos
  6. 6. Soberanos Monopolizam a atenção do usuário, tela cheia, menus são menores, barras de rolagem.
  7. 7. Transitórios Não são de uso frequente, interface óbvia, pode ser mais ousado/berrante.
  8. 8. Demoníacos Não interagem com o usuário, realizam funções vitais.
  9. 9. Projetando para Web Sites informativos Sites transitórios Web aplicativos
  10. 10. Sites informativos Conjunto de páginas com um modeo e navegação que leva de uma página a outra, busca e links.
  11. 11. Sites transitórios Oferem funcionalidades. Ex: Carrinho de compras, salvar perfis, personalização.
  12. 12. Web Aplicativos Altamente interativos, comportamento complexo igual a um aplicativo de desktop.
  13. 13. Aplicativos desktop habilitados para a internet São aplicativos padrões de desktop, mais limpos visualmente, que são ricos em interação e apesar de serem aplicativos desktop, não perdem a capacidade de usar dados da internet.
  14. 14. Intranet Uma versão particular da internet que só é accessível a um pequeno grupo de pessoas.
  15. 15. Principios gerais do Design • Não pense em seu produto como um computador. • Integrar o Hardware com o design do Software. • Conduzir o contexto do projeto. • Use os modos criteriosamente, em tudo. • Limitar os propósitos. • Equilibrar a navegação com a exibição. • Minimizar a complexidade de entrada.

×