Estudos no antigo testamento

972 visualizações

Publicada em

Estudo
David Rubens

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
972
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
123
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
21
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Estudos no antigo testamento

  1. 1. David Rubens
  2. 2.  O pensamento veterotestamentário está centralizado em Deus. Não se envida algum esforço para provar que Deus existe. O Deus do AT é, o Deus da experiência e não o da especulação. O hebreu fundamentava sua fé na experiência.
  3. 3.  Ateísmo prático: (Não terei que dar contas. Am 3.8). Não uma negação da existência de Deus, e sim a idéia de que Deus não se interessa pelo que fazem os homens. Ateísmo da vontade: (Deus se esqueceu; cobriu o rosto e nada vê. Sl 10.11). Ateísmo não da inteligência mas da vontade.
  4. 4.  A prova da existência de Deus não estava no raciocínio do homem, mas na própria atividade de Deus. O fato de Deus é menos importante que o caráter que se lhe percebe. No AT se pode encontra uma variedade de termos para Deus. MI¦D«Lª@ (Elohim): Vocábulo de forma plural. De si mesmo não implica no reconhecimento e nem exclui mais de um deuses.
  5. 5.  D¡ED¥I Yehovah = Hebraico Kyrios = Grego Dominus = Latim Senhor = Português Deus não julgou importante que o seu nome fosse preservado. Ninguém pode saber mais do que as consoantes do nome de Deus.
  6. 6.  NoAT Yahweh era adorado pelos quenitas antes de ser adorado por Israel. Háprovas de uma conexão entre o sogro de Moisés e o os quenitas, e afirma-se que ele era sacerdote. (Quenitas: chamado madianita em Ex 3.1; 18,1. É provável que os quenitas fossem um clã madianita)
  7. 7. A etimologia não é de decisivaimportância para a teologiaveterotestamentária, uma vez quenão foi a etimologia e sim aexperiência que deu sentido aotermo.
  8. 8.  Atividade divina através de acontecimentos naturais; - libertação do cativeiro do Egito mercê do vento e das ondas. Atividades divinas através de acontecimentos contrários à ordem da natureza; - A passagem através das muralhas de água do Mar Vermelho, a mobilização do sol no tempo de Josué, Js 10.13.
  9. 9.  deuses dos gregos e romanos, procedem de um modo condenado nos homens. Deus em Israel, os que o adoravam deveriam reproduzir na própria vida o que Deus é.
  10. 10.  Deus: serve-se do vento, da tempestade e da peste para levar a cabo o seu desígnio.
  11. 11.  Emprega os pensamentos e as ações dos homens sem, com isso, torná-los menos humanos. Quando faz do assírio a vara do seu furor (Is 10,5), o assírio não tem consciência do fato, e está simplesmente seguindo o mau peso do seu coração. A liberdade do homem é mantida, o homem não é um simples boneco.
  12. 12.  O livramento de Israel não representa como uma disputa entre Yahweh e os deuses do Egito. Esses desuses são ignorados por insignificantes. Só a vontade de Yahweh se levava, em conta, e o seu poder não sofria contestação. Todas as forças da natureza obedeciam à sua vontade. Yahweh era o único objeto de culto israelita.
  13. 13.  SóYahweh é Deus, todos os outros desuses são não-existentes, e seus ídolos símbolos de irrealidade (Is 44.6,8; 45.5; 18.21,22).
  14. 14. Maneira humana de falar.- Deus “a levantar-se de manhã cedo”- Gn. 2.7: Adão- Gn. 2.21: Mulher- Gn. 3.8: Jardim do Éden- Olhar – pés – voz – coração, etc. - Concebe-se, antes, como um puro espírito, capaz de assumir uma forma física, mas sem essa forma física em si mesmo.
  15. 15.  Deus se serve deles em proveito dos seus próprios desígnios, da mesma forma como se serve dos objetivos dos homens para promover os seu próprios fins.
  16. 16.  Experiência purificadora da opressão estrangeira, até que se dispusesse a voltar para Deus.
  17. 17.  O homem vivendo nos seus descendentes, extensão da sua personalidade, de modo que ao se doar a terra aos descendentes de Abraão, se podia dizer que era dada a ele. Há traços no AT de uma bem-aventurança imortal noutra existência.
  18. 18.  H. H. Rowley. A fé em Israel. Editora Teológica WOLFF, Hans Walter. Antropologia do AT. Academia Cristã.
  19. 19.  Prof. David Rubens  profdavidfilosofia@hotmail.com www.biblicoteologico.blogspot.com  Pindamonhangaba/SP

×