DAVID RUBENS DE SOUZA
Pindamonhangaba-SP/2015
INCLUSÃO ESCOLAR
• INCLUSÃO SOCIAL
• Conjunto de meios e ações que combatem a exclusão aos
benefícios da vida em sociedade...
Pessoas com Deficiência
• Conceitos para classificar a pessoa com deficiência:
• Qual termo é adequado: Pessoas portadoras...
PCD - Pessoas com Deficiência
• “Pessoa com Deficiência" é a que apresenta, em comparação
com a maioria das pessoas, signi...
Pessoas com necessidade educativa especial é um indivíduo que
apresenta uma das características abaixo:
1.Deficiência Ment...
• Deficiência de Atenção - É a dificuldade de concentrar e
de manter concentrada a atenção em objetivo central,
para discr...
• Hiperatividade - Refere-se à atividade psicomotora
excessiva, com padrões diferenciais de sintomas: o jovem
ou a criança...
• Hipoatividade - A Hipoatividade se caracteriza por um
nível baixo de atividade psicomotora, com reação lenta a
qualquer ...
• Dislexia é uma específica dificuldade de aprendizado da
Linguagem: em Leitura, Soletração, Escrita, em
Linguagem Express...
• Disgrafia é uma inabilidade ou atraso no
desenvolvimento da Linguagem Escrita, especialmente
da escrita cursiva. Na escr...
• Discalculia - As dificuldades com a Linguagem
Matemática são muito variadas em seus diferentes níveis
e complexas em sua...
• Talentosos
• Talentoso é o indivíduo dotado de uma habilidade
especial muito desenvolvida numa atividade socialmente
rec...
• Super dotados
• O termo Superdotado aplica-se geralmente à criança que
manifesta uma capacidade intelectual acima da méd...
Verdades sobre as Deficiências
• Algumas crianças com deficiências podem necessitar de
escolas especiais;
• As adaptações ...
Normal
• O “normal” tem 2 sentidos:
• Aquilo que é como deve ser e aquilo que constitui a
média de uma característica obse...
Georges Canguilhem
• Georges Canguilhem (1904-
1995) foi um filósofo e médico
italiano. Especialista em
epistemologia e hi...
• Normal =Positivo = Não doente
• Anormal = Negativo = Doente (Comportamento
Desviante)
Normal e Anormal
17
RUBENS, David....
• Norma: Tipo ideal ou regra.
• Normal: Conforme à norma. Regular.
• Anormal: O que se afasta da norma.
• Patológico: Deri...
Aluno “Normal”
• Moral: Juízo centrado na conduta normativa do dever e do bem.
• Ético: Juízo de apreciação centrado na qu...
Um traço humano seria normal porque é frequente ou
seria frequente porque normal?
Aquilo que é normal, apesar de ser norma...
Exame do Estado Mental
• Aparência e comportamento
• Estado de consciência
• Orientação
• Confiança
• Relacionamento
• Afe...
Atenção e concentração
• A concentração se limita a assuntos interessantes?
• Ele pode se concentrar somente quando fala, ...
Nosso Desafio
• O homem desconfia e tem medo de tudo o que é diferente
dele mesmo. O "outro" inspira receio, temor, insegu...
Humor
• Deprimido
• Tranquilo
• Eufórico
• Irritável
24
RUBENS, David. Inclusão Escolar. Normal e Patológico. 2015.
Evitar a segregação
• A rotina das relações sociais nos leva a "classificar" as pessoas
de acordo com uma escala de valore...
Michel Foucalt
• Michel Foucault; Poitiers, 15 de outubro
de 1926 — Paris, 25 de junho de 1984
foi um filósofo, historiado...
Como lidar com o “diferente”
 Na verdade, desde que o mundo é mundo sempre houve pessoas
com deficiência. Mas, nem sempre...
Eliminar?
• Platão ensinou como deveria ser a sociedade:
• "As mulheres dos nossos militares são pertença da
comunidade, a...
O Preconceito é Histórico
• Na Idade Média, eram frequentes os apedrejamentos ou a
morte nas fogueiras da Inquisição das p...
SOCIEDADE INCLUSIVA
• Todas as pessoas têm igual valor;
• A diferença entre as pessoas é um princípio básico e nenhuma
for...
O cérebro humano possui uma diversidade
de inteligências e esse mesmo cérebro
pode operar para diferentes ações,
diferente...
Howard Gardner
• Psicólogo educacional ligado à Universidade de Harvard e conhecido
em especial pela sua teoria das inteli...
RUBENS, David. Inclusão Escolar. Normal e Patológico. 2015.
33
A TEORIA DE GARDNER
• Inteligência: capacidade inata e únic...
Inteligência Lingüística
Linguagem
Vocabulário
34
RUBENS, David. Inclusão Escolar. Normal e Patológico. 2015.
Espacial - HDLógico-Matemática
Musical
35
RUBENS, David. Inclusão Escolar. Normal e Patológico. 2015.
Naturalista – HD (presumi-se)
Cinestésica corporal HE
Intra e Interpessoal
Pictórica - HD
36
RUBENS, David. Inclusão Escol...
As inteligências múltiplas
 Inteligências linguística, lógico-matemática, espacial,
musical, cinestésica, interpessoal e ...
INTELIGÊNCIA LINGUÍSTICA
• Inclui a capacidade de manipular a sintaxe ou a
estrutura da linguagem, a semântica ou os
signi...
INTELIGÊNCIA LÓGICO-MATEMÁTICA
• Inclui sensibilidade a padrões e relacionamentos
lógicos, afirmações e proposições, funçõ...
INTELIGÊNCIA ESPACIAL
• Inclui a capacidade de visualizar, de representar
graficamente idéias visuais ou espaciais e de or...
INTELIGÊNCIA CORPORAL-CINESTÉSICA
• Perícia no uso do corpo todo para expressar idéias e
sentimentos e facilidade no uso d...
INTELIGÊNCIA SONORA OU MUSICAL
• Capacidade de perceber, discriminar, transformar e
expressar formas musicais.
42
RUBENS, ...
INTELIGÊNCIA NATURALISTA
• Perícia no reconhecimento e classificação das numerosas
espécies do meio ambiente do indivíduo....
INTELIGÊNCIA INTERPESSOAL
• Capacidade de perceber e fazer distinções no humor,
intenções, motivações e sentimentos das ou...
INTELIGÊNCIA INTRAPESSOAL
• Autoconhecimento e a capacidade de agir
adaptativamente com base neste conhecimento.
45
RUBENS...
INTELIGÊNCIA EXISTENCIAL
• Capacidade de situar-se ao alcance do compreensão
integral do cosmos, do infinito, assim como a...
COMO IDENTIFICAR
RUBENS, David. Inclusão Escolar. Normal e Patológico. 2015. 47
INTELIGÊNCIA ESPACIAL
• Gostam muito da arte e adoram desenhar e
apreciar desenhos, mesmo que não se
considerem ótimos des...
INTELIGÊNCIA INTRAPESSOAL
• Pessoas muito tolerantes com respeito às suas
limitações e possuem satisfatória auto-estima.
4...
INTELIGÊNCIA LÓGICO-MATEMÁTICA
• Pessoas que detestam o não cumprimento de
horários e atrasos por parte dos outros. Pessoa...
INTELIGÊNCIA INTERPESSOAL
• Pensam mais nos outros que em si mesmo e
quando alguém de sua estima está diante de um
problem...
INTELIGÊNCIA NATURALISTA
• Pessoas que adoram receber e dar flores e
sentem que um dos lazeres preferidos é passear
pelo c...
INTELIGÊNCIA MUSICAL
• Pessoas que gostam muito de música e de
dança, mesmo que não saibam fazê-lo.
53
RUBENS, David. Incl...
INTELIGÊNCIA CORPORAL
• São fissuradas em esportes, adoram competições
ou mesmo ginástica, musculação e tudo que
envolva o...
Competências X Habilidades
• Para Gardner competências são especificações da
inteligência. Operacionalizações – inteligênc...
Competências X Habilidades
Habilidade – produto do treino e aprimoramento de
nossa destreza
56
RUBENS, David. Inclusão Esc...
Avaliação
• Gardner sugere que a avaliação deve fazer jus à inteligência.
• Medir com instrumento que permita ver a inteli...
Referência
• CANGUILHEM,G. O normal e o patológico. 4a. Ed. Rio de Janeiro:
Forense Universitária, 2005.
• FOUCAULT, M. Hi...
David Rubens
• Professor de Filosofia, SEESP. Formação
Superior em Teologia Dehoniana;
Universidade Estadual de Campinas-
...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

David rubens. inclusão escolar. normal e patológico, inteligências múltiplas. (1)

1.051 visualizações

Publicada em

David Rubens. inclusão escolar. normal e patológico, inteligências múltiplas.
CANGUILHEM,G.
FOUCAULT, M. 
GARDNER, Howard.

Publicada em: Educação
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.051
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
122
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
72
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

David rubens. inclusão escolar. normal e patológico, inteligências múltiplas. (1)

  1. 1. DAVID RUBENS DE SOUZA Pindamonhangaba-SP/2015
  2. 2. INCLUSÃO ESCOLAR • INCLUSÃO SOCIAL • Conjunto de meios e ações que combatem a exclusão aos benefícios da vida em sociedade. • Oferecer oportunidades de acesso a bens e serviços, dentro de um sistema que beneficie a todos. 2 RUBENS, David. Inclusão Escolar. Normal e Patológico. 2015.
  3. 3. Pessoas com Deficiência • Conceitos para classificar a pessoa com deficiência: • Qual termo é adequado: Pessoas portadoras de deficiência, Pessoa com Deficiência ou Pessoa com Necessidades Especiais . • Governo federal define por lei o termo correto para tratar pessoa com deficiência • O Conselho Nacional da Pessoa com Deficiência definiu através da portaria 2.344, publicada no dia 03 de novembro de 2010, qual é o termo correto para o tratamento das pessoas com necessidades especiais. Por lei, elas devem ser tratadas como Pessoa com Deficiência. • Foi retirado oficialmente do termo a palavra “portador”. A publicação do decreto aconteceu no Diário Oficial da União no dia 5 de novembro. 3 RUBENS, David. Inclusão Escolar. Normal e Patológico. 2015.
  4. 4. PCD - Pessoas com Deficiência • “Pessoa com Deficiência" é a que apresenta, em comparação com a maioria das pessoas, significativas diferenças físicas, sensoriais ou intelectuais, decorrentes de fatores inatos e/ou adquiridos, de caráter permanente e que acarretam dificuldades em sua interação com o meio físico e social. 4 RUBENS, David. Inclusão Escolar. Normal e Patológico. 2015.
  5. 5. Pessoas com necessidade educativa especial é um indivíduo que apresenta uma das características abaixo: 1.Deficiência Mental 2. Deficência Visual 3. Deficiência Auditiva 4. Deficiência Física 5. Deficiência Múltipla 6. Alta Habilidade 5 RUBENS, David. Inclusão Escolar. Normal e Patológico. 2015.
  6. 6. • Deficiência de Atenção - É a dificuldade de concentrar e de manter concentrada a atenção em objetivo central, para discriminar, compreender e assimilar o foco central de um estímulo. Esse estado de concentração é fundamental para que, através do discernimento e da elaboração do ensino, possa completar-se a fixação do aprendizado. RUBENS, David. Inclusão Escolar. Normal e Patológico. 2015. 6 Distúrbios Específicos de Aprendizagem
  7. 7. • Hiperatividade - Refere-se à atividade psicomotora excessiva, com padrões diferenciais de sintomas: o jovem ou a criança hiperativa com comportamento impulsivo é aquela que fala sem parar e nunca espera por nada; não consegue esperar por sua vez, interrompendo e atropelando tudo e todos. RUBENS, David. Inclusão Escolar. Normal e Patológico. 2015. 7
  8. 8. • Hipoatividade - A Hipoatividade se caracteriza por um nível baixo de atividade psicomotora, com reação lenta a qualquer estímulo. Trata-se daquela criança chamada "boazinha", que parece estar, sempre, no "mundo da lua", "sonhando acordada". RUBENS, David. Inclusão Escolar. Normal e Patológico. 2015. 8
  9. 9. • Dislexia é uma específica dificuldade de aprendizado da Linguagem: em Leitura, Soletração, Escrita, em Linguagem Expressiva ou Receptiva, em Razão e Cálculo Matemáticos, como na Linguagem Corporal e Social. RUBENS, David. Inclusão Escolar. Normal e Patológico. 2015. 9
  10. 10. • Disgrafia é uma inabilidade ou atraso no desenvolvimento da Linguagem Escrita, especialmente da escrita cursiva. Na escrita manual, as letras podem ser mal grafadas, borradas ou incompletas, com tendência à escrita em letra de forma. Os erros ortográficos, inversões de letras, sílabas e números e a falta ou troca de letras e números ficam caracterizados com muita frequência. RUBENS, David. Inclusão Escolar. Normal e Patológico. 2015. 10
  11. 11. • Discalculia - As dificuldades com a Linguagem Matemática são muito variadas em seus diferentes níveis e complexas em sua origem. Podem evidenciar-se já no aprendizado aritmético básico como, mais tarde, na elaboração do pensamento matemático mais avançado. RUBENS, David. Inclusão Escolar. Normal e Patológico. 2015. 11
  12. 12. • Talentosos • Talentoso é o indivíduo dotado de uma habilidade especial muito desenvolvida numa atividade socialmente reconhecida (de âmbito técnico, artístico, científico ou profissional). Talento para a escrita, a matemática, o desenho, a dança ou a oratória. Os talentosos devem ser inseridos em escolas ou programas de ensino em que possam melhorar as suas habilidades. RUBENS, David. Inclusão Escolar. Normal e Patológico. 2015. 12
  13. 13. • Super dotados • O termo Superdotado aplica-se geralmente à criança que manifesta uma capacidade intelectual acima da média desde bastante cedo na vida quando comparada com outras da mesma idade e da mesma cultura. RUBENS, David. Inclusão Escolar. Normal e Patológico. 2015. 13
  14. 14. Verdades sobre as Deficiências • Algumas crianças com deficiências podem necessitar de escolas especiais; • As adaptações são recursos necessários para facilitar a integração dos educandos com necessidades especiais nas escolas. 14 RUBENS, David. Inclusão Escolar. Normal e Patológico. 2015.
  15. 15. Normal • O “normal” tem 2 sentidos: • Aquilo que é como deve ser e aquilo que constitui a média de uma característica observada. 15 RUBENS, David. Inclusão Escolar. Normal e Patológico. 2015.
  16. 16. Georges Canguilhem • Georges Canguilhem (1904- 1995) foi um filósofo e médico italiano. Especialista em epistemologia e história da ciência, publicou obras importantes sobre a constituição da biologia como ciência. • O NORMAL E O PATOLÓGICO RUBENS, David. Inclusão Social. Normal e Patológico. 2015. 16
  17. 17. • Normal =Positivo = Não doente • Anormal = Negativo = Doente (Comportamento Desviante) Normal e Anormal 17 RUBENS, David. Inclusão Escolar. Normal e Patológico. 2015.
  18. 18. • Norma: Tipo ideal ou regra. • Normal: Conforme à norma. Regular. • Anormal: O que se afasta da norma. • Patológico: Deriva de pathos: sentimento direto e concreto de sofrimento e de impotência, sentimento de vida contrariada. Doença. não se trata de ausência de normas mas de norma diferente, repelida pela vida • A norma não é apenas uma regularidade estatística; é também um modelo cultural. • Vivemos a crise das normas. • Na modernidade as regras circulam cada vez mais depressa, não dando sequer tempo às sociedades para as absorver. 18 RUBENS, David. Inclusão Escolar. Normal e Patológico. 2015.
  19. 19. Aluno “Normal” • Moral: Juízo centrado na conduta normativa do dever e do bem. • Ético: Juízo de apreciação centrado na questão do bem e do mal. • Estético: Juízo de apreciação centrada na questão entre o belo e o feio. • Clínico: Juízo centrado na integridade fisiológica e anátomo- patológica. • Psíquico: Juízo centrado na experiência do sofrimento, prazer e desprazer. • Sistémico: Juízo centrado no equilíbrio dinâmico bioantroposocial. • Matemático: Juízo centrado na normatividade estatística. • Sociológico: Juízo centrado na adaptação do indivíduo ao meio social. • Forense: Juízo centrado nas questões: imputabilidade e responsabilidade. • Existencial: Juízo centrado nas questões do sentido da vida. 19 RUBENS, David. Inclusão Escolar. Normal e Patológico. 2015.
  20. 20. Um traço humano seria normal porque é frequente ou seria frequente porque normal? Aquilo que é normal, apesar de ser normativo em determinadas situações, pode se tornar patológico em outra situação. 20 RUBENS, David. Inclusão Escolar. Normal e Patológico. 2015.
  21. 21. Exame do Estado Mental • Aparência e comportamento • Estado de consciência • Orientação • Confiança • Relacionamento • Afeto e humor • Fala • Senso-percepção • Juízo crítico 21 RUBENS, David. Inclusão Escolar. Normal e Patológico. 2015.
  22. 22. Atenção e concentração • A concentração se limita a assuntos interessantes? • Ele pode se concentrar somente quando fala, ou também quando ouve? • Se distrai facilmente? 22 RUBENS, David. Inclusão Escolar. Normal e Patológico. 2015.
  23. 23. Nosso Desafio • O homem desconfia e tem medo de tudo o que é diferente dele mesmo. O "outro" inspira receio, temor, insegurança; daí para adotar atitudes defensivas e de ataque é um passo. 23 RUBENS, David. Inclusão Escolar. Normal e Patológico. 2015.
  24. 24. Humor • Deprimido • Tranquilo • Eufórico • Irritável 24 RUBENS, David. Inclusão Escolar. Normal e Patológico. 2015.
  25. 25. Evitar a segregação • A rotina das relações sociais nos leva a "classificar" as pessoas de acordo com uma escala de valores a priori. • Muitas vezes, a segregação começa a partir da colocação de "rótulos" ou de "etiquetas" nas pessoas com deficiência, do tipo "não vai aprender a ler", "não pode fazer tal movimento" e outros. Estas "etiquetas" têm consequências sobre a forma como estas pessoas são aceitas pela sociedade e não permitem que a própria pessoa se exprima e mostre do que é capaz. • A ênfase recai sobre a Incapacidade e a Deficiência e não sobre a Eficiência, a Capacidade, a Possibilidade. 25 RUBENS, David. Inclusão Escolar. Normal e Patológico. 2015.
  26. 26. Michel Foucalt • Michel Foucault; Poitiers, 15 de outubro de 1926 — Paris, 25 de junho de 1984 foi um filósofo, historiador das ideias, teórico social, filólogo e crítico literário. • HISTÓRIA DA LOUCURA RUBENS, David. Inclusão Social. Normal e Patológico. 2015. 26
  27. 27. Como lidar com o “diferente”  Na verdade, desde que o mundo é mundo sempre houve pessoas com deficiência. Mas, nem sempre estas pessoas foram consideradas da mesma maneira.  No passado, a sociedade frequentemente colocou obstáculos à integração das pessoas deficientes:  Receios;  Medos;  Superstições;  Exclusões.  Na Grécia essas pessoas eram jogadas do alto de montanhas, em Atenas, elas eram abandonadas nas florestas. 27 RUBENS, David. Inclusão Escolar. Normal e Patológico. 2015.
  28. 28. Eliminar? • Platão ensinou como deveria ser a sociedade: • "As mulheres dos nossos militares são pertença da comunidade, assim como os seus filhos, e nenhum pai conhecerá o seu filho e nenhuma criança os seus pais. Funcionários preparados tomarão conta dos filhos dos bons pais, colocando-os em certas enfermarias de educação, mas os filhos dos inferiores, ou dos melhores, quando surjam deficientes ou deformados, serão postos fora, num lugar misterioso e desconhecido, onde deverão permanecer." 28 RUBENS, David. Inclusão Escolar. Normal e Patológico. 2015.
  29. 29. O Preconceito é Histórico • Na Idade Média, eram frequentes os apedrejamentos ou a morte nas fogueiras da Inquisição das pessoas com deficiência, pois eram consideradas como possuídas pelo demônio. • No séc. XIX e princípios do séc. XX a esterilização foi usada como método para evitar a reprodução desses "seres imperfeitos". • O nazismo promoveu a aniquilação pura e simples das pessoas com deficiência.. 29 RUBENS, David. Inclusão Escolar. Normal e Patológico. 2015.
  30. 30. SOCIEDADE INCLUSIVA • Todas as pessoas têm igual valor; • A diferença entre as pessoas é um princípio básico e nenhuma forma de discriminação pode ser tolerada; • A existência de pessoas com deficiência faz parte da diversidade humana; • O respeito e a valorização das diferenças definem a sociedade inclusiva. 30 RUBENS, David. Inclusão Escolar. Normal e Patológico. 2015.
  31. 31. O cérebro humano possui uma diversidade de inteligências e esse mesmo cérebro pode operar para diferentes ações, diferentes competências
  32. 32. Howard Gardner • Psicólogo educacional ligado à Universidade de Harvard e conhecido em especial pela sua teoria das inteligências múltiplas. • Nascimento: 11 de julho de 1943. Pensilvânia, EUA. • Obras: Inteligências múltiplas. • Educação: Universidade Harvard (1966–1971). • Influências: Jean Piaget e Claude Lévi-Strauss. RUBENS, David. Inclusão Social. Normal e Patológico. 2015. 32
  33. 33. RUBENS, David. Inclusão Escolar. Normal e Patológico. 2015. 33 A TEORIA DE GARDNER • Inteligência: capacidade inata e única, que permite aos indivíduos uma performance, maior ou menor em qualquer área de atuação
  34. 34. Inteligência Lingüística Linguagem Vocabulário 34 RUBENS, David. Inclusão Escolar. Normal e Patológico. 2015.
  35. 35. Espacial - HDLógico-Matemática Musical 35 RUBENS, David. Inclusão Escolar. Normal e Patológico. 2015.
  36. 36. Naturalista – HD (presumi-se) Cinestésica corporal HE Intra e Interpessoal Pictórica - HD 36 RUBENS, David. Inclusão Escolar. Normal e Patológico. 2015.
  37. 37. As inteligências múltiplas  Inteligências linguística, lógico-matemática, espacial, musical, cinestésica, interpessoal e intrapessoal.  Segundo ele, os seres humanos dispõem de graus variados de cada uma das inteligências e maneiras diferentes com que elas se combinam e organizam e se utilizam dessas capacidades intelectuais para resolver problemas e criar produtos. 37 RUBENS, David. Inclusão Escolar. Normal e Patológico. 2015.
  38. 38. INTELIGÊNCIA LINGUÍSTICA • Inclui a capacidade de manipular a sintaxe ou a estrutura da linguagem, a semântica ou os significados da linguagem, suas dimensões pragmáticas e seus usos práticos 38 RUBENS, David. Inclusão Escolar. Normal e Patológico. 2015.
  39. 39. INTELIGÊNCIA LÓGICO-MATEMÁTICA • Inclui sensibilidade a padrões e relacionamentos lógicos, afirmações e proposições, funções e outras abstrações relacionadas 39 RUBENS, David. Inclusão Escolar. Normal e Patológico. 2015.
  40. 40. INTELIGÊNCIA ESPACIAL • Inclui a capacidade de visualizar, de representar graficamente idéias visuais ou espaciais e de orientar-se apropriadamente em uma matriz espacial. 40 RUBENS, David. Inclusão Escolar. Normal e Patológico. 2015.
  41. 41. INTELIGÊNCIA CORPORAL-CINESTÉSICA • Perícia no uso do corpo todo para expressar idéias e sentimentos e facilidade no uso das partes do corpo para produzir ou transformar coisas. 41 RUBENS, David. Inclusão Escolar. Normal e Patológico. 2015.
  42. 42. INTELIGÊNCIA SONORA OU MUSICAL • Capacidade de perceber, discriminar, transformar e expressar formas musicais. 42 RUBENS, David. Inclusão Escolar. Normal e Patológico. 2015.
  43. 43. INTELIGÊNCIA NATURALISTA • Perícia no reconhecimento e classificação das numerosas espécies do meio ambiente do indivíduo. 43 RUBENS, David. Inclusão Escolar. Normal e Patológico. 2015.
  44. 44. INTELIGÊNCIA INTERPESSOAL • Capacidade de perceber e fazer distinções no humor, intenções, motivações e sentimentos das outras pessoas. 44 RUBENS, David. Inclusão Escolar. Normal e Patológico. 2015.
  45. 45. INTELIGÊNCIA INTRAPESSOAL • Autoconhecimento e a capacidade de agir adaptativamente com base neste conhecimento. 45 RUBENS, David. Inclusão Escolar. Normal e Patológico. 2015.
  46. 46. INTELIGÊNCIA EXISTENCIAL • Capacidade de situar-se ao alcance do compreensão integral do cosmos, do infinito, assim como a capacidade de compreender a existência humana. 46 RUBENS, David. Inclusão Escolar. Normal e Patológico. 2015.
  47. 47. COMO IDENTIFICAR RUBENS, David. Inclusão Escolar. Normal e Patológico. 2015. 47
  48. 48. INTELIGÊNCIA ESPACIAL • Gostam muito da arte e adoram desenhar e apreciar desenhos, mesmo que não se considerem ótimos desenhistas. 48 RUBENS, David. Inclusão Escolar. Normal e Patológico. 2015.
  49. 49. INTELIGÊNCIA INTRAPESSOAL • Pessoas muito tolerantes com respeito às suas limitações e possuem satisfatória auto-estima. 49 RUBENS, David. Inclusão Escolar. Normal e Patológico. 2015.
  50. 50. INTELIGÊNCIA LÓGICO-MATEMÁTICA • Pessoas que detestam o não cumprimento de horários e atrasos por parte dos outros. Pessoas que adoram números. 50 RUBENS, David. Inclusão Escolar. Normal e Patológico. 2015.
  51. 51. INTELIGÊNCIA INTERPESSOAL • Pensam mais nos outros que em si mesmo e quando alguém de sua estima está diante de um problema são capazes de se preocupar mais que a pessoa envolvida. 51 RUBENS, David. Inclusão Escolar. Normal e Patológico. 2015.
  52. 52. INTELIGÊNCIA NATURALISTA • Pessoas que adoram receber e dar flores e sentem que um dos lazeres preferidos é passear pelo campo, ouvindo a música dos pássaros, sentindo a brisa no rosto... 52 RUBENS, David. Inclusão Escolar. Normal e Patológico. 2015.
  53. 53. INTELIGÊNCIA MUSICAL • Pessoas que gostam muito de música e de dança, mesmo que não saibam fazê-lo. 53 RUBENS, David. Inclusão Escolar. Normal e Patológico. 2015.
  54. 54. INTELIGÊNCIA CORPORAL • São fissuradas em esportes, adoram competições ou mesmo ginástica, musculação e tudo que envolva o cultivo do corpo e a graça do movimento. 54 RUBENS, David. Inclusão Escolar. Normal e Patológico. 2015.
  55. 55. Competências X Habilidades • Para Gardner competências são especificações da inteligência. Operacionalizações – inteligência em ação resolver problemas. Competência – atributo adquirido – capacidade de usar as inteligências 55 RUBENS, David. Inclusão Escolar. Normal e Patológico. 2015.
  56. 56. Competências X Habilidades Habilidade – produto do treino e aprimoramento de nossa destreza 56 RUBENS, David. Inclusão Escolar. Normal e Patológico. 2015.
  57. 57. Avaliação • Gardner sugere que a avaliação deve fazer jus à inteligência. • Medir com instrumento que permita ver a inteligência em questão em funcionamento. • A avaliação deve ser ainda ecologicamente válida, isto é, ela deve ser feita em ambientes conhecidos e deve utilizar materiais conhecidos das crianças sendo avaliadas. 57 RUBENS, David. Inclusão Escolar. Normal e Patológico. 2015.
  58. 58. Referência • CANGUILHEM,G. O normal e o patológico. 4a. Ed. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2005. • FOUCAULT, M. História da loucura. Ed. São Paulo: Perspectiva , 1978. • ______. Doença mental e psicologia. Coleção Biblioteca Tempo Universitário. Vol. 11. 2.ed. Rio de Janeiro: Tempo Brasileiro, 1984. • _______. Os anormais. Ed. São Paulo: Martisn Fontes , 2001. • _______. O poder psiquiatrico. São Paulo: Martins Fontes, 2006. • GARDNER, Howard. Inteligências Múltiplas:a teoria na prática. Porto Alegre: Artes Médicas, 1995. • http://papoentrepais.blogspot.com.br/2012/09/diferencas-entre-o- superdotado.html. • http://www.dislexia.com.br/#. RUBENS, David. Inclusão Escolar. Normal e Patológico. 2015. 58
  59. 59. David Rubens • Professor de Filosofia, SEESP. Formação Superior em Teologia Dehoniana; Universidade Estadual de Campinas- UNICAMP; Licenciatura Plena em Filosofia, Universidade de Taubaté-UNITAU. Pós- Graduado em Ensino de Filosofia, Universidade Federal de São Carlos - UFSCar. RUBENS, David. Inclusão Social. Normal e Patológico. 2015. 59

×