Trabalho do chapada diamantina david

906 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
906
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
3
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Trabalho do chapada diamantina david

  1. 1. Introduccion. A chapada diamantina e um velho lugar situado no centro do estado da bahia, um estado com muitos lugarhes turisticos. A chapada tei uma populacao de umos 359.678 habitantes, e uma superficie do territorio de 30.458 km2 , contha com 23 municipios. Quienes gostam da diversidade da fauna e flora podem disfrutar do este lugar velho de mais, e explorar desde a cerranias, o seus tranquilas aguas. Algumos dos lughares mais visitados sou o morro do pai inacio que tei 1.200 mts da altitude. E uma das principais cidades e Lencois, queim fica a 394 mts da altitude. Um dos quesitos mais agradáveis da Chapada Diamantina é o clima. Alguns municípios como Piatã, que possui o pico mais alto do nordeste brasileiro, e Mucugê, atingem temperaturas de até 10ºC no inverno. Os municípios de Lençóis e Palmeiras recebem a maior parte das chuvas entre os meses de fevereiro a junho, e também possuem baixas temperaturas durante a noite. Porém, o protetor solar é indispensável, até nos dias nublados. Mesmo no inverno, o sol reina e as temperaturas são em torno de 25ºC a 30ºC.
  2. 2. Chapada Diamantina O Parque Nacional da Chapada Diamantina é um dos parques naturais mais fascinantes do Brasil. Conhecida como a Chapada Diamantina, esta serra corre de norte a sul através do estado da Bahia, com uma altura média de 1000m, oferecendo algumas das paisagens mais deslumbrantes do país. O parque, criado em 1985, contém uma extraordinária variedade de ecossistemas, como Cerrado, Mata Atlântica e Caatinga, e é o lar de muitas espécies de plantas e animais. Nesta área, você pode encontrar diferentes espécies de orquídeas e bromélias. As montanhas mais altas atingem 1800m abrigo e oferta de jaguatiricas (felino Local), ranho (roedores), veados e Teiuş (réptil). O que hoje é uma jóia de ecoturismo, já foi um paraíso para os caçadores de pedras preciosas. As cidades que fazem fronteira com o Parque Nacional são preenchidas com edifícios coloniais que representam a arquitectura da época, uma memória viva da riqueza dos diamantes, o que fez do Brasil o primeiro produtor mundial desta pedra no início do século 20. Lençóis, a principal cidade da Chapada, está localizada 400 quilômetros a oeste de Salvador. A cidade foi construída em torno da enorme boom de diamantes na região em meados do século 19. Em um estágio que tinha uma população de 30.000 habitantes, mas como resultado da descoberta de diamantes na África do Sul, o povo começou a entrar em declínio. Hoje, a aldeia é um Monumento Nacional devido aos seus importantes exemplos de arquitetura residencial do século 19. As estradas abertas por garimpeiros (pesquisadores de minerais preciosos) fun run hoje como caminhantes e trekkers de todo o mundo. Você ainda pode encontrar velhos garimpeiros na área que já experimentaram e riqueza diamantífera lived que fez a famosa área. A maioria das atrações são as trilhas da Chapada às cavernas, montanhas e cachoeiras que têm o seu ponto de partida na cidade de Lençóis. Tudo Chapada é maravilhoso, mas as cachoeiras merecem atenção especial. A mais famosa é a Cachoeira da Fumaça, a maior queda do século, onde a água não tem volume suficiente para cobrir a queda de 380 metros eo vento ajuda na transformação da água em vapor - um verdadeiro show. Outro como Cachoeira do Sossego e Cachoeira do Buracão estão entre as mais belas do Brasil. E Chapada oferece muito mais ... Cavernas e Pratinha Lapa Doce, as montanhas incrível Vale do Capão e as águas azuis incríveis de Poco Encantado completar esta fase maravilhosa. A paisagem das montanhas da Chapada é uma criação do processo de erosão que a região sofreu no início do pré-cambriano, formando torres de minerais conhecidos como ¨ ¨ Tepuy por índios locais, que dominaram a região antes da chegada dos primeiros colonos, cerca de 1750. Tambor como o mais fantástico de Tepuy, a Calumbi (também conhecido como Morro Camelo) e do Morro do Pai Inácio, desafiar o tempo e alimentam as lendas locais. Um bom exemplo é a lenda do Pai Inácio, que conta a história de um escravo que se apaixonou com a esposa do seu Senhor. Perseguido pelos guardas, encontrou um refúgio no topo da montanha, onde um deslumbrante pôr do sol pode ser observado. Quando foi encontrado, ele preferiu jogar no abismo, antes de ser capturado. Os principais rios da região começam na Chapada superior. Os rios Paraguaçu e Contas cavernas profundas gargantas dos montes e plana, criando um cenário de beleza divina. O mesmo Rio das Contas alcançar o oceano, na cidade de Itacaré, a centenas de quilômetros. Tudo isso torna o lugar perfeito Chapada Diamantina em termos de aventura e integração com a natureza!A Chapada Diamantina é uma região de serras, situada no centro do Estado brasileiro da Bahia, onde nascem quase todos os rios das bacias do Paraguaçu, do Jacuípe e do Rio de Contas. Essas correntes de águas brotam nos cumes e deslizam pelo relevo em belos regatos, despencam em borbulhantes cachoeiras e formam transparentes piscinas naturais. O parque nacional é administrado pelo Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio).
  3. 3. A vegetação é exuberante, composta de espécies da caatinga semi-árida e da flora serrana, com destaque para as bromélias, orquídeas e sempre-vivas. Características As rochas da Chapada Diamantina fazem parte da unidade geológica conhecida como Supergrupo Espinhaço, que tomou este nome por ocorrer na serra do Espinhaço, no estado de Minas Gerais. Apresenta-se em geral como um altiplano extenso, com altitude média entre 800 e 1.200m acima do nível do mar. As serras que compõem a Chapada Diamantina abrangem uma área aproximada de 38.000 km² e são as divisoras de águas entre a bacia do rio São Francisco (rios S. Onofre, Paramirim) e os rios que deságuam diretamente no oceano Atlântico, como o Rio de Contas e o Rio Paraguaçu. Nesta cadeia de serras são encontrados os picos mais altos da Bahia, sendo o Pico do Barbado com 2.033m, o ponto culminante de todo o nordeste. A Chapada Diamantina nem sempre foi uma imponente cadeia de serras. Há cerca de um bilhão e setecentos milhões de anos, iniciou-se a formação da bacia sedimentar do Espinhaço, a partir de uma série de extensas depressões que foram preenchidas com materiais expelidos de vulcões, areias sopradas pelo vento e cascalhos caídos de suas bordas. Sobre essas depressões depositaram-se sedimentos em uma região em forma de bacia, sob a influencia de rios, ventos e mares. Posteriormente, aconteceu um fenômeno chamado soerguimento, que elevou as camadas de sedimentos acima do nível do mar, pressionada pela força epirogenética, tendo aos pouco um sofrível erguimento ao longo de milhões de anos. As inúmeras camadas de arenitos, conglomerados, e calcários, hoje expostas na Chapada Diamantina, representam os depósitos sedimentares primitivos; a paisagem atual é o produto das atividades daqueles agentes ao longo do tempo geológico. Nas ruas e calçadas das cidades da Chapada, lajes de superfícies onduladas revelam a ação dos ventos e das águas que passavam sobre areais antigos. Alguns atrativos naturais causam espanto e êxtase, como a Cachoeira da Fumaça e seus 380 metros de queda livre ou o deslumbrante Poço Encantado. Mas são tantas as atrações que se pode optar entre visitar grutas, tomar banho de cachoeira, fazer trekking em antigas trilhas de garimpeiros, montar a cavalo ou praticar esportes e aventuras. A Chapada abriga, em seus vales e cumes, comunidades esotéricas e alternativas como no Vale do Capão. Os dois pontos mais altos da Bahia estão na Chapada: o Pico do Barbado com 2.033 metros (o mais alto do nordeste) e o Pico das Almas com 1.958 metros. Caminhar respirando o ar puro e admirando a paisagem é a principal opção dos turistas de todas as partes que visitam a Chapada. Os lugares verdejantes guardam sempre uma surpresa com águas cristalinas ou areias coloridas, belos morros, flores e hortaliças que encantam pela beleza e viço. Em Igatu, a curiosidade se aguça em meio às ruínas da cidade fantasma, construída com pedras que formam as paredes de pequenas grutas. Em Capão da Volta o "morro da igrejinha" é um dos lugares mais visitados, por católicos e todos que apreciam a beleza da Chapada! A Chapada Diamantina reúne variados atrativos naturais e culturais, no coração do Estado da Bahia. Roteiro certo para quem busca paz e tranquilidade ou para quem está atrás de história e aventura. A vasta Mata Atlântica, campos floridos e planícies de um verde sem fim dividem a paisagem com toques de caatinga e cerrado. Imensos paredões, desfiladeiros, cânions, grutas, cavernas, rios e cachoeiras completam o cenário de rara beleza da Chapada Diamantina. Inicialmente habitada pelos índios Maracás, a ocupação de fato da região remonta aos anos áureos da
  4. 4. exploração de jazidas e minérios, a partir de 1710, quando foi encontrado ouro próximo ao Rio de Contas Pequeno, marcando o início da chegada dos bandeirantes e exploradores. Em 1844, a colonização é impulsionada pela descoberta de diamantes valiosos nos arredores do Rio Mucugê, e os comerciantes, colonos, jesuítas e estrangeiros se espalham pelas vilas, controladas e reguladas pela força da riqueza. A atividade agropecuária tomba diante da opulência do garimpo. Reduto de belezas naturais, a Chapada abarca uma diversidade grande de fauna e flora. São mais de 50 tipos de orquídeas, bromélias e trepadeiras, além de espécies animais raras, como o tamanduá-bandeira, tatu-canastra, porco-espinho, gatos selvagens, capivaras e inúmeros tipos de pássaros e cobras. O Parque Nacional da Chapada Diamantina, criado na década de 80 do séc. XX, atua como órgão protetor de toda essa exuberância. .
  5. 5. Conclusión Eu goste apresentar para voces um dos lugares mais bonito do nosso continente, a chapada diamantina, a misma esta citada na bahía, no nordeste do brasil, fique belas imágenes de sustancial flora. E de suponer que so um ser divino pudo criar assim, es importante apreciar o trabalho do departamento do turismo da bahía, e realizarla tambem noss. Como podemos apreciar, de este lugar tei, cânions, grutas, cavernas,e ríos, diversificando a beleza da paisagem. O meses recomendados para viajar a chapada diamantina e entre os meses de novembro e abril, onde a temperatura media e de 20 a 30 graus.

×