Desmistificando o RFID

2.639 visualizações

Publicada em

Veja o mundo real do RFID pela impressionante visão de marcio@engeltec.com.br ou acesse
http://www.engeltec.com.br

Publicada em: Negócios, Tecnologia
0 comentários
3 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
2.639
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
153
Comentários
0
Gostaram
3
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Desmistificando o RFID

  1. 1. Márcio Pinheiro marcio@engeltec.com.br
  2. 2. RFID  O que é RFID?  Porque RFID?  Componentes do Sistema RFID  Princípio de funcionamento  Principais Fabricantes e fornecedores  Padrões e normas  Áreas de aplicação  Cases  O mercado mundial  O futuro da tecnologia no Brasil
  3. 3. RFID Radio Frequency Identification (identificação por rádio frequência) é a tecnologia que permite a identificação de um determinado objeto a distância, sem contato, por ondas de rádio.
  4. 4. Porque RFID?  Processos logísticos complexos  Dificuldade na identificação de materiais
  5. 5. Porque RFID?  Grandes estoques para controlar
  6. 6. Porque RFID?  Rastreabilidade de equipamentos e animais
  7. 7. Porque RFID?  Evitar roubos e falsificações
  8. 8. Código de Barras X RFID  Código de barras  Ver e enxergar para ler.  Uma leitura de cada vez.  Fácil de ser “copiada”.  RFID  Pode ler um código a distância  Leitura em movimento.  Multiplas leituras ao mesmo tempo.
  9. 9. Componentes  Leitoras  TAGs (Etiqueta RFID)  Middleware  Software
  10. 10. Leitoras  Lê e decodifica os dados que estão numa tag que passa pelo campo eletromagnético gerado pela sua antena.
  11. 11. TAGs  Também conhecida como Etiqueta RFID, é um transponder, pequeno objeto que pode ser colocado em uma pessoa, animal, equipamento, embalagem ou produto, dentre outros.  Composto de chips de silício e antenas que lhe permite responder aos sinais de rádio enviados por uma leitora.  Tipos: Ativa, Semi-ativa e Passiva.
  12. 12. Modelos de TAGs
  13. 13. Princípio de funcionamento 1. Um leitor busca identificar objetos dentro de seu alcance emitindo ondas de rádio. 2. Os TAGs ao receberem o sinal respondem ao interrogador seu dados de identificação. Algum TAG por ai? Sim, 89654321
  14. 14. Fabricantes e fornecedores
  15. 15. Padrões e normas  EPCglobal (www.epcglobalinc.org)  ISO  GEN  ID-Brasil  Auto-Id
  16. 16. Áreas de aplicação  Aerospacial & Defesa  Automotiva  Bens de Consumo  Tecnologia  Médica  Pecuária  Varejo
  17. 17. Exemplos de utilização  Controle de Acesso  Controle de Estoque e inventário  Tarifação de Pedágios  Bibliotecas  Rastreamento de cargas e mercadorias  Rastreamento de aparelhos em Hospitais  Medicamentos controlados  Controle Bovino
  18. 18. Case Wal-Mart  O Wal-Mart definiu mandatos, instrumentos contratuais que determinam regras e critérios de fornecimento de produtos cujo processo de entrega deve ser baseado em tecnologia RFID.  Em 2005 já havia instalado sistemas RFID em mais de cem lojas, 35 Sam’s Clubs e três centros de distribuição, além de ter solicitado que os seus cem maiores fornecedores utilizassem etiquetas RFID nos pallets e caixas dos produtos entregues em alguns dos seus centros de distribuição.
  19. 19. Case: HP  11 linhas de manufatura e 4 de customização  Mais de 3 milhões de produtos por ano  Resultados Positivos:  Ajuda a eliminar gargalos  Demanda melhoria no processo  ermite Automação de processos  Rapidez na coleta de dados  Lições Aprendidas:  Tecnologia ainda recente (prova de conceito)  Não se trata apenas de tecnologia: Revisão de processos
  20. 20. Case: Hospital Albert Einstein  Iniciado em meados de 2009, a fase 1 do projeto implementou um sistema de controle de temperatura das geladeiras e o de localização de um conjunto piloto de aproximadamente 500 equipamentos médicos.
  21. 21. Case: Polícia de São Paulo  O projeto foi desenvolvido pela Motorola em parceria com o Instituto de Pesquisas Tecnológicas (IPT) e conta com o RFID para ajudar na localização – em tempo real – de objetos fundamentais para a investigação.  As provas encontradas na cena do crime que podem ajudar na sua investigação eram registradas manualmente e acabavam sumindo. Com a implantação do sistema, o processo fica mais confiável, já que permite identificar as provas diretamente no local onde foram coletadas, através da etiqueta eletrônica fixada pelo policial.  As regionais que fazem parte do projeto também receberam leitores que serão instalados nas portas, para evitar que provas saiam do prédio sem autorização. Além de segurança e confiabilidade, a nova tecnologia também vai oferecer rastreabilidade para os objetos recolhidos em crimes.
  22. 22. Motivação de utilização
  23. 23. Mercado mundial  Estudo da consultoria ABI Research indica que a receita do mercado global de sistemas RFID movimentará US$ 6 bilhões em 2011.  Entre as aplicações, estão a de controle de acesso, rastreio de animais, de bagagens, de cargas, gerenciamento de ativos e de segurança.  O estudo aponta que o crescimento anual composto das principais aplicações será de 21,7% a 28,8% entre este 2010 e 2014.
  24. 24. O futuro da tecnologia no Brasil  Padronização e obrigatoriedade.  Sistema Nacional de Identificação, Rastreamento e Autenticação de Mercadorias (www.brasil-id.org.br).  Sistema Nacional de Identificação Automática de veículos (http://www.denatran.gov.br/siniav.htm).  Redução de Custos.  Desmistificação da tecnologia.
  25. 25. Conclusões  RFID é uma tecnologia bastante recente e que se encontra nos estágios iniciais de utilização nas empresas.  A área de TI é normalmente a mola impulsionadora inicial do processo de adoção.  É uma tecnologia cujas possibilidades estão sendo exploradas e que, na medida em que essas possibilidades são estabelecidas, pode interpor desafios de cunho tecnológico e de gestão às empresas.  Geralmente as aplicações nas empresas exigem o desenvolvimento de interfaces tecnológicas específicas e o redesenho de processos de negócios e de gestão.  Apesar de seu apelo de simplificação e controle de procedimentos, a adoção dessa nova tecnologia não é simples e nem imediata em todos os segmentos.

×