O slideshow foi denunciado.
Utilizamos seu perfil e dados de atividades no LinkedIn para personalizar e exibir anúncios mais relevantes. Altere suas preferências de anúncios quando desejar.

Hibridismo e outras Mestiçagens

332 visualizações

Publicada em

Apresentação da pesquisa interdisciplinar com a utilização das novas tecnologias através de suportes digitais, como: fotografia digital, animação stop-motion, edição de vídeo não-linear, música eletrônica, códigos de programação, computadores, tablets e smartphones, câmeras conectas em redes digitais e vídeo projeção.

Publicada em: Arte e fotografia
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Hibridismo e outras Mestiçagens

  1. 1. @darleycardoso@darleycardoso UnB - Universidade de Brasília Faculdade de Ciência da Informação PPG Tópicos Especiais em Comunicação Brasília, 11 de maio de 2014 Hibridismo e outras Mestiçagens Darley Cardoso
  2. 2. O Carnaval do Arlequim - Joan Miró
  3. 3. De repente, silêncio. Seriedade e até gravidade descem sobre a sala, eis o rei nu. Retirado, o último disfarce acaba de cair. Estupor! Tatuado, o Imperador da Lua exibe uma pele multicor, muito mais cor do que pele. Todo corpo parece uma impressão digital. Como um quadro sobre a tapeçaria, a tatuagem – estriada, matizada, recamada, tigrada, adamascada, mourisca – é um obstáculo para o olhar, tanto quanto os trajes ou os casacos que jazem no chão. Quando cai o último véu, o segredo se liberta, tão complicado como o conjunto de barreiras que o protegiam. Até mesmo a pele de Arlequim desmente a unidade pretendida por suas palavras. Também ela é um casaco de arlequim. (Serres, 1993)
  4. 4. A noção de hibridismo contemporânea ressurge tanto como um modo de agir (seja pela ação pura e simples, seja pelo discurso) quanto como um modo de construir (resultando em uma série de objetos culturais). No que diz respeito à dimensão estética nas artes, ele se constitui um modo de fazer que pode reunir, tanto gêneros diferentes das artes visuais (pintura, escultura, etc.) quanto campos artísticos diversos (música, cinema, etc.). “Um novo tipo de objetos híbridos entre escultura e pintura cinético- eletrônicas aparecem e crescem ao abrigo de uma tripla paixão técnica, plástica e musical”. (Lise Brossard, ao analisar a obra de Nam June Paik) Hibridismo
  5. 5. Esse modo de fazer, além de produzir objetos “híbridos”, pode se originar por meio de “hibridação”, mediante o recebimento (ou apropriação) de determinadas influências artísticas, como lembra Hugues Henri ao escrever sobre Tarsila do Amaral: “Tarsila do Amaral demonstra ali sua assimilação pela hibridação dos registros formais e espaciais de Fernand Léger, de Pablo Picasso e de Gontcharova”. A hibridação em artes é tida como um modo de fazer, tanto original quanto contestador, com muitos dos argumentos modernos em sua defesa usados na arte de vanguarda no início do século XX. “É na transgressão dos limites entre os gêneros e as categorias, na exploração do que está fora dos limites, nas transversalidades, nas hibridações que a arte manifesta, hoje em dia, sua vitalidade e sua resistência”. (Dominique Berthet) Hibridismo
  6. 6. A mestiçagem supõe a convergência de elementos díspares em sua origem estrangeiros uns aos outros, que se ajustam entre si, conferindo-lhes um novo sentido – “é o surgimento de algo novo, híbrido, diferente, mestiço, um ‘terceiro’, que se insinua na situação de passagem”. Hanciau destaca que esse lugar intervalar, de identidades híbridas, promove a “negociação de identidades em culturas multifacetadas e abertas à relação com o outro, em processos contínuos de crioulizações ou de mestiçagens culturais” Mestiçagem
  7. 7. Pesquisa interdisciplinar com a utilização das novas tecnologias através de suportes digitais, como: fotografia digital, animação stop-motion, edição de vídeo não-linear, música eletrônica, códigos de programação, computadores, tablets e smartphones, câmeras conectas em redes digitais e vídeo projeção. Aborda a interação do público e o ambiente para a produção coletiva. Abrange a mobilização de artistas e o esforço coletivo a partir das redes sociais, promovendo encontros e reuniões para produções virtuais e presenciais, assim como o momento de exposição da obra. A soma das ferramentas tecnológicas e da colaboração de diferentes linguagens artíticas possibilitam a criação e o estudo de uma poética que permeiam a diversidade em um determinado espaço-tempo, uma obra híbrida e integradora. Pesquisa
  8. 8. • Mobi360BSB, tem como objetivo a criação coletiva com o intuito de experimentar diferentes suportes artísticos e tecnológicos, como performances, fotografia digital, edição de vídeo, animações stop motion. Os artistas participam livremente e o resultado é uma produção colaborativa composta por imagens contínuas formando uma composição de expressões espontâneas e naturais.autoral. Experimentos
  9. 9. • Poltrona Errante, uma abordagem sobre a relação indivíduo no espaço urbano, derivas e errâncias. Composta por intervenção urbana, instalção e performance. Experimentos
  10. 10. • Ciclo de Workshops sobre Poéticas Hibridas na Fotografia Cotemporânea,onde os participantes aprendem conceitos sobre poéticas fotográficas, estimular a sensibilidade e desenvolver o olhar através da fundamentação teórica, análises e exercícios práticos no espaço urbano, com o objetivo de demonstrar como a fotografia permeou sua relação com outros campos da arte, da tecnologia e meios culturais. Experimentos
  11. 11. Obrigado darley.art.br n4f.blog.br @darleycardos Obrigado darley.art.br @darleycardoso Darley Cardoso

×