SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 22
SEXUALIDADE NA TERCEIRA IDADE
Darciane Brito
Gessika Maura
Gisele Bispo
Kélvia Lages
Poliana Pinheiro
Tátila Sara
Considerações sobre o processo de envelhecimento
 Envelhecimento na população mundial
 Mulheres /homens
 Processo continuo
 Processo natural e cultural
 Estigmas
 Superação das visões negativas
 Sexualidade  é a maneira como uma pessoa expressa seu sexo
“Nos idosos a função sexual está comprometida, em primeiro lugar pelas mudanças
fisiológicas e anatômicas do organismo produzidas pelo envelhecimento”.
 Idade não dessexualiza o indivíduo.
 Assistência e informação para que estejam preparados para as mudanças
 Despreparo profissional
 Alguns fatores que podem dificultar ou mesmo inibir o exercício da sexualidade:
 saúde física;
 os preconceitos sociais;
 Autoestima;
 Conhecimento sobre a sexualidade;
 Status conjugal;
 A perda de privacidade;
Enamoramento na terceira idade
 Amor é uma condição inerente ao ser humano.
 Participa ativamente da evolução e estruturação da personalidade.
 As relações que estabelecermos ao longo da nossa história, estão permeados pelas
nossas relações amorosas.
 Enamoramento tende a fusão que se dirige no sentido de convergências de suas
vontades.
 A pessoa deve estar disponível não só fisicamente mas psiquicamente para ir ao
encontro do outro.
Enamoramento na terceira idade
 A sexualidade e tida como um dos principais elementos da interação humana e
também como um dos principais vetores na estruturação das relações intimas.
 Ninguém que se enamora mesmo que por pouco tempo está satisfeito com o que
tem e com o que é, e essa é uma das raízes do enamoramento.
 O ser humano tem uma necessidade vital de se apegar a alguém.
Amor Maduro
 Incompletude
 Plenitude idealizada
 “Alma gêmea”
 Guggenheim:
Amar na maturidade ou depois dos 65 anos é uma grande desafio para quem
quer ainda namorar (...) os próprios idosos já não contam mais com essa
possibilidade. Sentem-se “fora do mercado” dos namoros (2006).
 Amar
 Fonte real ou potencial
 Formas de carinho
Breve histórico sobre a sexualidade
Povos primitivos
• Sobrevivência
Grécia Antiga
• Beleza física
• Energia e afetividade
Civilização Romana
• Envelhecimento da mulher
Cristianismo
• Hostilidade
• Procriação
Idade Média
• Padrões morais
• Coito
• Desejo sexual
Sexualidade e erotismo na terceira idade
 Velhos estereótipos privados de significados;
 Incompatibilidade com uma boa qualidade de vida;
 Interação entre pessoas e do entorno que as circunda;
 Estereótipos amplamente difundidos
Pessoas idosas não são
atraentes fisicamente.
Não possuem interesse por
sexo.
Incapacidade de sentir
estímulo sexual.
Falta de informação.
Sexualidade e erotismo na terceira idade
 Atividade sexual regular;
 Diminuição das respostas aos estímulos sexuais;
 Problemas sexuais e preocupações;
 Sexo com regularidade;
Órgãos sexuais saudáveis;
É preciso também que se vejam com naturalidade as modificações
ocorridas no organismo e não se cobrem um desempenho atlético, afinal,
uma relação sexual é um momento de prazer e relaxamento,
não de desafio, ou de uma disputa a ser ganha. (Nogueira, 200)
Sexualidade e erotismo na terceira idade
 Dificuldades sexuais na velhice;
 Modificações orgânicas
 Alternativas propostas:
 Intervenções medicamentosas (Citrato de Sildenafil e reposição hormonal)
 Tratamentos terapêuticos
 Dietas
 Exercícios
 Vida sexual abandonada;
 Motivação para o sexo;
Estereótipos e preconceitos sobre a sexualidade na
terceira idade
Sexualidade na velhice é um tema negligenciado pela varias áreas da
saúde, pouco conhecido e compreendido pela sociedade, pelo idoso e
pelos profissionais e permeado de preconceitos.
Elementos que determinam o bem-estar na velhice
Saúde física e
mental Longevidade
Cont. reações
sociais
Sexo
Produtividade
AmorAfeto
Eficácia
cognitiva
Paixão
Crenças e Tabus
 Classificação do período como assexuado;
 Infantilização do idoso;
 Tem que assumir papel de avô/avó e cuidadores dos netos;
 Realizar atividades como tricô e assistir TV.
Contribuintes dessas crenças e tabus
 Escassez de informação sobre processo de envelhecimento e
mudanças da sexualidade
 Idade relacionada a declínio sexual
 Ditadura da virilidade, do orgasmo e da frustação.
 A mídia
 Religiosidade e a Moral
 Diminuição da frequência das relações sexuais
Outras considerações
 Nesse período existe o aumento da qualidade das relações afetivas
 Indicação de terapia em casos em que a ansiedade afeta a relação
A sexualidade do idoso vista sob um novo olhar
 Século XIX;
 A pílula anticoncepcional feminina e os medicamentos para estimular a função
erétil masculina;
 Fatores que tiveram influência direta no processo:
 Prática sexual tornou-se fonte de satisfação e realização;
 Aumento de idosos em condições psicofísicas satisfatórias e dispostos a não renunciar à vida
sexual;
 Aparecimento de doenças sexualmente transmissíveis;
A sexualidade do idoso vista sob um novo olhar
 As mudanças não interferem no grau de realização pessoal;
 Segundo Pascual (2002), as pessoas de mais idade foram educadas na aprendizagem
de atitudes sexuais do tipo genital, reprodutor e da proibição do prazer sexual,
ignorando outros ricos significados da sexualidade:
 Atitudes diante da sexualidade humana:
 Repressiva;
 Permissiva e
 Positiva.
OBRIGADA!

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Sexualidade Na Terceira Idade
Sexualidade Na Terceira IdadeSexualidade Na Terceira Idade
Sexualidade Na Terceira Idadea20061577
 
QUALIDADE DE VIDA geriatria e gerontologia
 QUALIDADE DE VIDA geriatria e gerontologia  QUALIDADE DE VIDA geriatria e gerontologia
QUALIDADE DE VIDA geriatria e gerontologia Stefane Rayane
 
Saúde do Idoso - Disciplina Processo Saúde Doença e Educação em Saúde.
Saúde do Idoso - Disciplina Processo Saúde Doença e Educação em Saúde.Saúde do Idoso - Disciplina Processo Saúde Doença e Educação em Saúde.
Saúde do Idoso - Disciplina Processo Saúde Doença e Educação em Saúde.luzienne moraes
 
O envelhecimento saudável
O envelhecimento saudávelO envelhecimento saudável
O envelhecimento saudávelRubens Junior
 
Promoção a-saúde-do-idoso
Promoção a-saúde-do-idosoPromoção a-saúde-do-idoso
Promoção a-saúde-do-idosoJoice Lins
 
O Idoso, Suas Teorias e as Principais Modificações da Terceira Idade
O Idoso, Suas Teorias e as Principais Modificações da Terceira IdadeO Idoso, Suas Teorias e as Principais Modificações da Terceira Idade
O Idoso, Suas Teorias e as Principais Modificações da Terceira IdadeGreicy Kapisch
 
Slides semana do idoso
Slides semana do idosoSlides semana do idoso
Slides semana do idosoVânia Sampaio
 
A arte de saber envelhecer
A arte de saber envelhecerA arte de saber envelhecer
A arte de saber envelhecerisabel bernardes
 
Envelhecer Nao é Adoecer Saude E Longevidade HIAE 17mar09 - ARQ REDUZIDO
Envelhecer Nao é Adoecer   Saude E Longevidade  HIAE 17mar09 - ARQ REDUZIDOEnvelhecer Nao é Adoecer   Saude E Longevidade  HIAE 17mar09 - ARQ REDUZIDO
Envelhecer Nao é Adoecer Saude E Longevidade HIAE 17mar09 - ARQ REDUZIDOOtavio Castello
 
Aula saúde do idoso - turma regular
Aula saúde do idoso - turma regularAula saúde do idoso - turma regular
Aula saúde do idoso - turma regularIsmael Costa
 
Politicas públicas e Direitos dos Idosos
Politicas públicas e Direitos dos IdososPoliticas públicas e Direitos dos Idosos
Politicas públicas e Direitos dos IdososDany Romeira
 
Menopausa e Climatério
Menopausa e Climatério Menopausa e Climatério
Menopausa e Climatério Laís Lucas
 
Velhice e Envelhecimento - Profa. Rilva Muñoz / GESME
Velhice e Envelhecimento - Profa. Rilva Muñoz / GESMEVelhice e Envelhecimento - Profa. Rilva Muñoz / GESME
Velhice e Envelhecimento - Profa. Rilva Muñoz / GESMERilva Lopes de Sousa Muñoz
 
Apresentação saude do idoso coletiva
Apresentação saude do idoso coletivaApresentação saude do idoso coletiva
Apresentação saude do idoso coletivaCarla Couto
 

Mais procurados (20)

Sexualidade Na Terceira Idade
Sexualidade Na Terceira IdadeSexualidade Na Terceira Idade
Sexualidade Na Terceira Idade
 
QUALIDADE DE VIDA geriatria e gerontologia
 QUALIDADE DE VIDA geriatria e gerontologia  QUALIDADE DE VIDA geriatria e gerontologia
QUALIDADE DE VIDA geriatria e gerontologia
 
Saúde do Idoso - Disciplina Processo Saúde Doença e Educação em Saúde.
Saúde do Idoso - Disciplina Processo Saúde Doença e Educação em Saúde.Saúde do Idoso - Disciplina Processo Saúde Doença e Educação em Saúde.
Saúde do Idoso - Disciplina Processo Saúde Doença e Educação em Saúde.
 
O envelhecimento saudável
O envelhecimento saudávelO envelhecimento saudável
O envelhecimento saudável
 
Gestão do envelhecimento ativo: desafio do século
Gestão do envelhecimento ativo: desafio do séculoGestão do envelhecimento ativo: desafio do século
Gestão do envelhecimento ativo: desafio do século
 
Promoção a-saúde-do-idoso
Promoção a-saúde-do-idosoPromoção a-saúde-do-idoso
Promoção a-saúde-do-idoso
 
O Idoso, Suas Teorias e as Principais Modificações da Terceira Idade
O Idoso, Suas Teorias e as Principais Modificações da Terceira IdadeO Idoso, Suas Teorias e as Principais Modificações da Terceira Idade
O Idoso, Suas Teorias e as Principais Modificações da Terceira Idade
 
Slides semana do idoso
Slides semana do idosoSlides semana do idoso
Slides semana do idoso
 
A arte de saber envelhecer
A arte de saber envelhecerA arte de saber envelhecer
A arte de saber envelhecer
 
Envelhecer Nao é Adoecer Saude E Longevidade HIAE 17mar09 - ARQ REDUZIDO
Envelhecer Nao é Adoecer   Saude E Longevidade  HIAE 17mar09 - ARQ REDUZIDOEnvelhecer Nao é Adoecer   Saude E Longevidade  HIAE 17mar09 - ARQ REDUZIDO
Envelhecer Nao é Adoecer Saude E Longevidade HIAE 17mar09 - ARQ REDUZIDO
 
Aula saúde do idoso - turma regular
Aula saúde do idoso - turma regularAula saúde do idoso - turma regular
Aula saúde do idoso - turma regular
 
Politicas públicas e Direitos dos Idosos
Politicas públicas e Direitos dos IdososPoliticas públicas e Direitos dos Idosos
Politicas públicas e Direitos dos Idosos
 
Menopausa e Climatério
Menopausa e Climatério Menopausa e Climatério
Menopausa e Climatério
 
SAÚDE DO IDOSO: ENFERMAGEM
SAÚDE DO IDOSO: ENFERMAGEMSAÚDE DO IDOSO: ENFERMAGEM
SAÚDE DO IDOSO: ENFERMAGEM
 
Terceira Idade
Terceira IdadeTerceira Idade
Terceira Idade
 
Fundamentos De Gerontologia Parte 1
Fundamentos De Gerontologia Parte 1Fundamentos De Gerontologia Parte 1
Fundamentos De Gerontologia Parte 1
 
Saúde do idoso
 Saúde do idoso Saúde do idoso
Saúde do idoso
 
Velhice e Envelhecimento - Profa. Rilva Muñoz / GESME
Velhice e Envelhecimento - Profa. Rilva Muñoz / GESMEVelhice e Envelhecimento - Profa. Rilva Muñoz / GESME
Velhice e Envelhecimento - Profa. Rilva Muñoz / GESME
 
Apresentação saude do idoso coletiva
Apresentação saude do idoso coletivaApresentação saude do idoso coletiva
Apresentação saude do idoso coletiva
 
Idoso
IdosoIdoso
Idoso
 

Semelhante a Sexualidade e erotismo na terceira idade

A sexualidade do idoso.pptx
A sexualidade do idoso.pptxA sexualidade do idoso.pptx
A sexualidade do idoso.pptxanasoares14061
 
Namoro e sexo na terceira idade
Namoro e sexo na terceira idadeNamoro e sexo na terceira idade
Namoro e sexo na terceira idadeVivianny Mundim
 
Dignidade E Diversidade Sexual Humana
Dignidade E Diversidade Sexual HumanaDignidade E Diversidade Sexual Humana
Dignidade E Diversidade Sexual HumanaTarcio Oliveira
 
Educação sexual
Educação sexualEducação sexual
Educação sexualpdrpxt5
 
Educaosexual 110404184710-phpapp02
Educaosexual 110404184710-phpapp02Educaosexual 110404184710-phpapp02
Educaosexual 110404184710-phpapp02Pelo Siro
 
Workshop sexualidade e deficiência
Workshop  sexualidade e deficiênciaWorkshop  sexualidade e deficiência
Workshop sexualidade e deficiênciaSER_2011
 
Adolescência e anorexia
Adolescência e anorexia Adolescência e anorexia
Adolescência e anorexia SoraiaSousa
 
Educaosexual 110404184710-phpapp02
Educaosexual 110404184710-phpapp02Educaosexual 110404184710-phpapp02
Educaosexual 110404184710-phpapp02Pelo Siro
 
Adulto Maduro FMU (1).pptx
Adulto Maduro FMU (1).pptxAdulto Maduro FMU (1).pptx
Adulto Maduro FMU (1).pptxAnaPaulaHoroback
 
Unidade iii sexualidade e questões de gênero
Unidade iii   sexualidade e questões de gêneroUnidade iii   sexualidade e questões de gênero
Unidade iii sexualidade e questões de gêneropmarisa
 
Sexualidade na adolescência
Sexualidade na adolescência Sexualidade na adolescência
Sexualidade na adolescência Gisele Da Fonseca
 
A sexualidade na adolescência
A sexualidade na adolescênciaA sexualidade na adolescência
A sexualidade na adolescênciaLilia Braga
 
Sexualidade e planeamento familiar na adolescência
Sexualidade e planeamento familiar na adolescênciaSexualidade e planeamento familiar na adolescência
Sexualidade e planeamento familiar na adolescênciaAnaMoura323023
 
Sexualidade_e_planeamento_familiar.ppt jovens
Sexualidade_e_planeamento_familiar.ppt jovensSexualidade_e_planeamento_familiar.ppt jovens
Sexualidade_e_planeamento_familiar.ppt jovensAnaMoura323023
 

Semelhante a Sexualidade e erotismo na terceira idade (20)

A sexualidade do idoso.pptx
A sexualidade do idoso.pptxA sexualidade do idoso.pptx
A sexualidade do idoso.pptx
 
Art 1
Art 1Art 1
Art 1
 
Art 1
Art 1Art 1
Art 1
 
Sexo idoso
Sexo idosoSexo idoso
Sexo idoso
 
Namoro e sexo na terceira idade
Namoro e sexo na terceira idadeNamoro e sexo na terceira idade
Namoro e sexo na terceira idade
 
Dignidade E Diversidade Sexual Humana
Dignidade E Diversidade Sexual HumanaDignidade E Diversidade Sexual Humana
Dignidade E Diversidade Sexual Humana
 
Educação sexual
Educação sexualEducação sexual
Educação sexual
 
Educaosexual 110404184710-phpapp02
Educaosexual 110404184710-phpapp02Educaosexual 110404184710-phpapp02
Educaosexual 110404184710-phpapp02
 
Workshop sexualidade e deficiência
Workshop  sexualidade e deficiênciaWorkshop  sexualidade e deficiência
Workshop sexualidade e deficiência
 
Adolescência e anorexia
Adolescência e anorexia Adolescência e anorexia
Adolescência e anorexia
 
Educaosexual 110404184710-phpapp02
Educaosexual 110404184710-phpapp02Educaosexual 110404184710-phpapp02
Educaosexual 110404184710-phpapp02
 
Adulto Maduro FMU (1).pptx
Adulto Maduro FMU (1).pptxAdulto Maduro FMU (1).pptx
Adulto Maduro FMU (1).pptx
 
Unidade iii sexualidade e questões de gênero
Unidade iii   sexualidade e questões de gêneroUnidade iii   sexualidade e questões de gênero
Unidade iii sexualidade e questões de gênero
 
Sexualidade na adolescência
Sexualidade na adolescência Sexualidade na adolescência
Sexualidade na adolescência
 
educação sexual.pptx
educação sexual.pptxeducação sexual.pptx
educação sexual.pptx
 
A sexualidade na adolescência
A sexualidade na adolescênciaA sexualidade na adolescência
A sexualidade na adolescência
 
sexualidade
sexualidadesexualidade
sexualidade
 
Sexualidade e planeamento familiar na adolescência
Sexualidade e planeamento familiar na adolescênciaSexualidade e planeamento familiar na adolescência
Sexualidade e planeamento familiar na adolescência
 
Sexualidade_e_planeamento_familiar.ppt jovens
Sexualidade_e_planeamento_familiar.ppt jovensSexualidade_e_planeamento_familiar.ppt jovens
Sexualidade_e_planeamento_familiar.ppt jovens
 
Gênero e Sexualidade
Gênero e Sexualidade Gênero e Sexualidade
Gênero e Sexualidade
 

Mais de Darciane Brito

Retardo mental em crianças e adolescentes
Retardo mental em crianças e adolescentesRetardo mental em crianças e adolescentes
Retardo mental em crianças e adolescentesDarciane Brito
 
VISÃO SOBRE O ABUSO SEXUAL CONTRA CRIANÇAS E ADOLESCENTES
 VISÃO SOBRE O ABUSO SEXUAL CONTRA CRIANÇAS E ADOLESCENTES VISÃO SOBRE O ABUSO SEXUAL CONTRA CRIANÇAS E ADOLESCENTES
VISÃO SOBRE O ABUSO SEXUAL CONTRA CRIANÇAS E ADOLESCENTESDarciane Brito
 
Slide sobre o teste Escalas Beck
Slide sobre o teste Escalas Beck Slide sobre o teste Escalas Beck
Slide sobre o teste Escalas Beck Darciane Brito
 
O juízo da realidade e suas alterações (o delírio)
O juízo da realidade e suas alterações (o delírio)O juízo da realidade e suas alterações (o delírio)
O juízo da realidade e suas alterações (o delírio)Darciane Brito
 
Comportamento criminoso
Comportamento criminosoComportamento criminoso
Comportamento criminosoDarciane Brito
 

Mais de Darciane Brito (6)

Retardo mental em crianças e adolescentes
Retardo mental em crianças e adolescentesRetardo mental em crianças e adolescentes
Retardo mental em crianças e adolescentes
 
VISÃO SOBRE O ABUSO SEXUAL CONTRA CRIANÇAS E ADOLESCENTES
 VISÃO SOBRE O ABUSO SEXUAL CONTRA CRIANÇAS E ADOLESCENTES VISÃO SOBRE O ABUSO SEXUAL CONTRA CRIANÇAS E ADOLESCENTES
VISÃO SOBRE O ABUSO SEXUAL CONTRA CRIANÇAS E ADOLESCENTES
 
Slide sobre o teste Escalas Beck
Slide sobre o teste Escalas Beck Slide sobre o teste Escalas Beck
Slide sobre o teste Escalas Beck
 
O Inconciente
O InconcienteO Inconciente
O Inconciente
 
O juízo da realidade e suas alterações (o delírio)
O juízo da realidade e suas alterações (o delírio)O juízo da realidade e suas alterações (o delírio)
O juízo da realidade e suas alterações (o delírio)
 
Comportamento criminoso
Comportamento criminosoComportamento criminoso
Comportamento criminoso
 

Último

Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptx
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptxAula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptx
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptxBiancaNogueira42
 
Apresentação | Eleições Europeias 2024-2029
Apresentação | Eleições Europeias 2024-2029Apresentação | Eleições Europeias 2024-2029
Apresentação | Eleições Europeias 2024-2029Centro Jacques Delors
 
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileirosMary Alvarenga
 
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptxSlides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
LEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃO
LEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃOLEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃO
LEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃOColégio Santa Teresinha
 
Bingo da potenciação e radiciação de números inteiros
Bingo da potenciação e radiciação de números inteirosBingo da potenciação e radiciação de números inteiros
Bingo da potenciação e radiciação de números inteirosAntnyoAllysson
 
Doutrina Deus filho e Espírito Santo.pptx
Doutrina Deus filho e Espírito Santo.pptxDoutrina Deus filho e Espírito Santo.pptx
Doutrina Deus filho e Espírito Santo.pptxThye Oliver
 
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...Martin M Flynn
 
Guia completo da Previdênci a - Reforma .pdf
Guia completo da Previdênci a - Reforma .pdfGuia completo da Previdênci a - Reforma .pdf
Guia completo da Previdênci a - Reforma .pdfEyshilaKelly1
 
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecas
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecasMesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecas
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecasRicardo Diniz campos
 
UFCD_10392_Intervenção em populações de risco_índice .pdf
UFCD_10392_Intervenção em populações de risco_índice .pdfUFCD_10392_Intervenção em populações de risco_índice .pdf
UFCD_10392_Intervenção em populações de risco_índice .pdfManuais Formação
 
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANO
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANOInvestimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANO
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANOMarcosViniciusLemesL
 
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptxSlides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024
ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024
ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024Jeanoliveira597523
 
Apostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptx
Apostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptxApostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptx
Apostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptxIsabelaRafael2
 
Simulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdf
Simulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdfSimulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdf
Simulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdfEditoraEnovus
 
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGISPrática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGISVitor Vieira Vasconcelos
 
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chaveAula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chaveaulasgege
 
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdfDIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdfIedaGoethe
 

Último (20)

Orientação Técnico-Pedagógica EMBcae Nº 001, de 16 de abril de 2024
Orientação Técnico-Pedagógica EMBcae Nº 001, de 16 de abril de 2024Orientação Técnico-Pedagógica EMBcae Nº 001, de 16 de abril de 2024
Orientação Técnico-Pedagógica EMBcae Nº 001, de 16 de abril de 2024
 
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptx
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptxAula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptx
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptx
 
Apresentação | Eleições Europeias 2024-2029
Apresentação | Eleições Europeias 2024-2029Apresentação | Eleições Europeias 2024-2029
Apresentação | Eleições Europeias 2024-2029
 
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros
 
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptxSlides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
 
LEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃO
LEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃOLEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃO
LEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃO
 
Bingo da potenciação e radiciação de números inteiros
Bingo da potenciação e radiciação de números inteirosBingo da potenciação e radiciação de números inteiros
Bingo da potenciação e radiciação de números inteiros
 
Doutrina Deus filho e Espírito Santo.pptx
Doutrina Deus filho e Espírito Santo.pptxDoutrina Deus filho e Espírito Santo.pptx
Doutrina Deus filho e Espírito Santo.pptx
 
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...
 
Guia completo da Previdênci a - Reforma .pdf
Guia completo da Previdênci a - Reforma .pdfGuia completo da Previdênci a - Reforma .pdf
Guia completo da Previdênci a - Reforma .pdf
 
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecas
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecasMesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecas
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecas
 
UFCD_10392_Intervenção em populações de risco_índice .pdf
UFCD_10392_Intervenção em populações de risco_índice .pdfUFCD_10392_Intervenção em populações de risco_índice .pdf
UFCD_10392_Intervenção em populações de risco_índice .pdf
 
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANO
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANOInvestimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANO
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANO
 
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptxSlides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
 
ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024
ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024
ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024
 
Apostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptx
Apostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptxApostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptx
Apostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptx
 
Simulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdf
Simulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdfSimulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdf
Simulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdf
 
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGISPrática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
 
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chaveAula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
 
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdfDIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
 

Sexualidade e erotismo na terceira idade

  • 1. SEXUALIDADE NA TERCEIRA IDADE Darciane Brito Gessika Maura Gisele Bispo Kélvia Lages Poliana Pinheiro Tátila Sara
  • 2. Considerações sobre o processo de envelhecimento  Envelhecimento na população mundial  Mulheres /homens  Processo continuo  Processo natural e cultural  Estigmas  Superação das visões negativas
  • 3.  Sexualidade  é a maneira como uma pessoa expressa seu sexo “Nos idosos a função sexual está comprometida, em primeiro lugar pelas mudanças fisiológicas e anatômicas do organismo produzidas pelo envelhecimento”.  Idade não dessexualiza o indivíduo.  Assistência e informação para que estejam preparados para as mudanças  Despreparo profissional
  • 4.  Alguns fatores que podem dificultar ou mesmo inibir o exercício da sexualidade:  saúde física;  os preconceitos sociais;  Autoestima;  Conhecimento sobre a sexualidade;  Status conjugal;  A perda de privacidade;
  • 5. Enamoramento na terceira idade  Amor é uma condição inerente ao ser humano.  Participa ativamente da evolução e estruturação da personalidade.  As relações que estabelecermos ao longo da nossa história, estão permeados pelas nossas relações amorosas.  Enamoramento tende a fusão que se dirige no sentido de convergências de suas vontades.  A pessoa deve estar disponível não só fisicamente mas psiquicamente para ir ao encontro do outro.
  • 6. Enamoramento na terceira idade  A sexualidade e tida como um dos principais elementos da interação humana e também como um dos principais vetores na estruturação das relações intimas.  Ninguém que se enamora mesmo que por pouco tempo está satisfeito com o que tem e com o que é, e essa é uma das raízes do enamoramento.  O ser humano tem uma necessidade vital de se apegar a alguém.
  • 8.  Incompletude  Plenitude idealizada  “Alma gêmea”  Guggenheim: Amar na maturidade ou depois dos 65 anos é uma grande desafio para quem quer ainda namorar (...) os próprios idosos já não contam mais com essa possibilidade. Sentem-se “fora do mercado” dos namoros (2006).
  • 9.  Amar  Fonte real ou potencial  Formas de carinho
  • 10. Breve histórico sobre a sexualidade Povos primitivos • Sobrevivência Grécia Antiga • Beleza física • Energia e afetividade Civilização Romana • Envelhecimento da mulher
  • 11. Cristianismo • Hostilidade • Procriação Idade Média • Padrões morais • Coito • Desejo sexual
  • 12. Sexualidade e erotismo na terceira idade  Velhos estereótipos privados de significados;  Incompatibilidade com uma boa qualidade de vida;  Interação entre pessoas e do entorno que as circunda;  Estereótipos amplamente difundidos Pessoas idosas não são atraentes fisicamente. Não possuem interesse por sexo. Incapacidade de sentir estímulo sexual. Falta de informação.
  • 13. Sexualidade e erotismo na terceira idade  Atividade sexual regular;  Diminuição das respostas aos estímulos sexuais;  Problemas sexuais e preocupações;  Sexo com regularidade; Órgãos sexuais saudáveis; É preciso também que se vejam com naturalidade as modificações ocorridas no organismo e não se cobrem um desempenho atlético, afinal, uma relação sexual é um momento de prazer e relaxamento, não de desafio, ou de uma disputa a ser ganha. (Nogueira, 200)
  • 14. Sexualidade e erotismo na terceira idade  Dificuldades sexuais na velhice;  Modificações orgânicas  Alternativas propostas:  Intervenções medicamentosas (Citrato de Sildenafil e reposição hormonal)  Tratamentos terapêuticos  Dietas  Exercícios  Vida sexual abandonada;  Motivação para o sexo;
  • 15. Estereótipos e preconceitos sobre a sexualidade na terceira idade Sexualidade na velhice é um tema negligenciado pela varias áreas da saúde, pouco conhecido e compreendido pela sociedade, pelo idoso e pelos profissionais e permeado de preconceitos.
  • 16. Elementos que determinam o bem-estar na velhice Saúde física e mental Longevidade Cont. reações sociais Sexo Produtividade AmorAfeto Eficácia cognitiva Paixão
  • 17. Crenças e Tabus  Classificação do período como assexuado;  Infantilização do idoso;  Tem que assumir papel de avô/avó e cuidadores dos netos;  Realizar atividades como tricô e assistir TV.
  • 18. Contribuintes dessas crenças e tabus  Escassez de informação sobre processo de envelhecimento e mudanças da sexualidade  Idade relacionada a declínio sexual  Ditadura da virilidade, do orgasmo e da frustação.  A mídia  Religiosidade e a Moral  Diminuição da frequência das relações sexuais
  • 19. Outras considerações  Nesse período existe o aumento da qualidade das relações afetivas  Indicação de terapia em casos em que a ansiedade afeta a relação
  • 20. A sexualidade do idoso vista sob um novo olhar  Século XIX;  A pílula anticoncepcional feminina e os medicamentos para estimular a função erétil masculina;  Fatores que tiveram influência direta no processo:  Prática sexual tornou-se fonte de satisfação e realização;  Aumento de idosos em condições psicofísicas satisfatórias e dispostos a não renunciar à vida sexual;  Aparecimento de doenças sexualmente transmissíveis;
  • 21. A sexualidade do idoso vista sob um novo olhar  As mudanças não interferem no grau de realização pessoal;  Segundo Pascual (2002), as pessoas de mais idade foram educadas na aprendizagem de atitudes sexuais do tipo genital, reprodutor e da proibição do prazer sexual, ignorando outros ricos significados da sexualidade:  Atitudes diante da sexualidade humana:  Repressiva;  Permissiva e  Positiva.