Considerações gerais
Principais Causas - 1 Infecciosas:    Virais: (entrovírus, mononucleose, varicela, hepatite B,     influenza)    Bacter...
Principais Causas - 2 Doenças autoimunes:   Febre reumática   LES   Artrite Reumatóide   Esclerodermia Metabólicas: ...
Principais Causas - 3 Pós IAM:    Aguda: ocorre nas primeiras 72h    Tardia: 30 a 180 dias após. (Síndrome. Dressler) ...
Principais Causas - 4 Neoplasias:   Primárias: mesotelioma (rara)   Secundárias:       Neoplasia de pulmão ou de mama,...
Pericardite Aguda Definição:   Síndrome inflamatória aguda do pericárdio, de etiologia    variável, sem aumento signific...
Sintomas e Exame Físico: Sintomas:    Dor precordial continua, que piora com a respiração e     tosse e alivia com a pos...
Exames complementares RX de Tórax:    Habitualmente normal.    Aumento da área cardíaca (derrame > 250ml)    Coração e...
Exames Complementares Eletrocardiograma:
Exames Complementares Ecodopplercardiograma:    Define a presença do derrame e pode estimar seu volume    Característic...
Exames Complementares
Exames Complementares Laboratório:    Pesquisa da etiologia    Leucopenia    Elevação da PCR, VHS, TGO, DHL    NÃO AU...
Diagnóstico DiferencialInicio                              Pericardite Aguda                           Súbito             ...
Tratamento Repouso no leito Anti-inflamatórios:    AAS 300 a 600mg/dia a cada 4-6h    Ibuprofeno : 300 a 800mg a cada ...
Derrame pericárdicoSintomas e Exame Físico Sintomas:    Dor incaracterística ou assintomático Exame Físico:    Desapar...
Pulso paradoxal
Derrame Pericárdico         Exames complementares RX Tórax:    Área cardíaca variável    Coração grande sem congestão p...
Derrame pericárdico
Derrame pericárdicoTratamento Indicações de drenagem:    Evolução prolongada    Sem diagnóstico fisiológico firmado   ...
Derrame pericárdicoPericardiocentese
Derrame PericárdicoExame do Líquido Exames bacteriscópicos e de cultura:    Aeróbios, anaeróbios, fungos e Bacilo de Koc...
Pericardite Constritiva DEFINIÇÃO:   Fibrose grosseira do pericárdio, que pode seguir vários    tipos de pericardite e q...
Pericardite Constritiva               Pericardite Aguda               Estágio subagudo:                 Organização e     ...
Pericardite constritivaQuadro Clínico Manifestações mais proeminentes:   Ascite e edema de MMII   Fadiga, perda de peso...
Pericardite constritivaExame Físico Elevação da pressão venosa jugular Sinal de Kussmaul (frequente)    Distensão das v...
Pericardite constritiva  Frequência dos sinaisPressão venosa jugular aumentada   96%Hepatomegalia                      92H...
Pericardite ConstritivaRaio X de Tórax Aumento da área cardíaca (58% pequeno) Sem congestão pulmonar associada Calcific...
Pericardite ConstritivaRaio X de Tórax
Pericardite constritivaECG Baixa voltagem. Onda T isoelétrica ou invertida Sobrecarga de átrio esquerdo Fibrilação atri...
Pericardite ConstritivaTratamento Pericardiectomia:    Incisão mediana    Uso de CEC    Indicação:       Antes que te...
Doenças do pericárdio
Doenças do pericárdio
Doenças do pericárdio
Doenças do pericárdio
Doenças do pericárdio
Doenças do pericárdio
Doenças do pericárdio
Doenças do pericárdio
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Doenças do pericárdio

7.623 visualizações

Publicada em

Publicada em: Esportes, Tecnologia
0 comentários
3 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
7.623
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
142
Comentários
0
Gostaram
3
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Doenças do pericárdio

  1. 1. Considerações gerais
  2. 2. Principais Causas - 1 Infecciosas:  Virais: (entrovírus, mononucleose, varicela, hepatite B, influenza)  Bacterianas:  Especificas: Tuberculose  Inespecíficas: Purulentas  Micóticas: histoplasmose, candidíase, paracoccidioidomicose  Parasitárias: amebíase, toxoplasmose, filariose etc.
  3. 3. Principais Causas - 2 Doenças autoimunes:  Febre reumática  LES  Artrite Reumatóide  Esclerodermia Metabólicas:  Uremia  Mixedema  Gota
  4. 4. Principais Causas - 3 Pós IAM:  Aguda: ocorre nas primeiras 72h  Tardia: 30 a 180 dias após. (Síndrome. Dressler) Traumática:  Fechado: acidente automobilístico  Aberto Síndrome pós-pericardiotomia
  5. 5. Principais Causas - 4 Neoplasias:  Primárias: mesotelioma (rara)  Secundárias:  Neoplasia de pulmão ou de mama, leucemias e linfomas  Linfoma não Hodgkin, sarcoma e tumor de Wilms -crianças Pós-radioterapia: Medicamentos:  Hidralazina, isoniazida, procainamida, hidantoina
  6. 6. Pericardite Aguda Definição:  Síndrome inflamatória aguda do pericárdio, de etiologia variável, sem aumento significativo do liquido pericárdico, acompanhada de dor e atrito pericárdico
  7. 7. Sintomas e Exame Físico: Sintomas:  Dor precordial continua, que piora com a respiração e tosse e alivia com a posição de “prece maometana”.  Mal estar e febre  28% relatam antecedentes de IVAS Exame físico:  Atrito pericárdico:  Melhor audível na posição sentado com o tórax fletido para frente  Componentes sistólico e diastólico (2)  Rude, “couro novo”
  8. 8. Exames complementares RX de Tórax:  Habitualmente normal.  Aumento da área cardíaca (derrame > 250ml)  Coração em moringa ou frasco de Erlenmayer nos grandes derrames.
  9. 9. Exames Complementares Eletrocardiograma:
  10. 10. Exames Complementares Ecodopplercardiograma:  Define a presença do derrame e pode estimar seu volume  Características do derrame pode sugerir sua etiologia  Imprescindível se houver necessidade de drenagem
  11. 11. Exames Complementares
  12. 12. Exames Complementares Laboratório:  Pesquisa da etiologia  Leucopenia  Elevação da PCR, VHS, TGO, DHL  NÃO AUMENTA TROPONINA
  13. 13. Diagnóstico DiferencialInicio Pericardite Aguda Súbito Síndrome Coronariana Gradual, crescenteLocalização Subesternal ou precordial Qualquer ponto dentro esquerdo da zona de irradiaçãoIrradiação Trapézio ou idêntica dor Ombros, braços, pescoço, isquêmica mandíbula e dorso, exceto região trapezoidalQualidade Em pontada, aguda, Em “peso” ou queimação monótona, opressivaRelação com a Inspiração Piora Sem influênciaDuração Persistente Intermitente. < 30 minRelação com a posição Piora com movimento Sem influênciaPostura Piora deitado, melhora Sem influência sentado ou inclinado para frenteNitroglicerina Sem influência Alivio
  14. 14. Tratamento Repouso no leito Anti-inflamatórios:  AAS 300 a 600mg/dia a cada 4-6h  Ibuprofeno : 300 a 800mg a cada 6 a 8h por 4 dias Corticosteroides: colagenoses Não usar anticoagulantes Antibióticos se necessário
  15. 15. Derrame pericárdicoSintomas e Exame Físico Sintomas:  Dor incaracterística ou assintomático Exame Físico:  Desaparece o atrito pericárdico  Hepatomegalia dolorosa  Estase jugular se acentua a inspiração profunda  Ascite e baixo débito cardíaco com hipotensão  Fraqueza muscular e oligúria  Bulhas hipofonéticas ou inaudíveis  Tamponamento cardíaco – pulso paradoxal
  16. 16. Pulso paradoxal
  17. 17. Derrame Pericárdico Exames complementares RX Tórax:  Área cardíaca variável  Coração grande sem congestão pulmonar Eletrocardiograma:  Alterações semelhantes às da pericardite  Efeito dielétrico  Alternância elétrica Ecocardiograma:  Tamponamento  Inspiração: VD VE  Expiração profunda: VD VE
  18. 18. Derrame pericárdico
  19. 19. Derrame pericárdicoTratamento Indicações de drenagem:  Evolução prolongada  Sem diagnóstico fisiológico firmado  Casos com toxemia que sugere acumulo purulento  Punção terapêutica no tamponamento Aspecto do líquido:  Amarelo citrino: virais e tuberculose  Purulento: bacterianas inespecíficas  Hemorrágicos: neoplasias
  20. 20. Derrame pericárdicoPericardiocentese
  21. 21. Derrame PericárdicoExame do Líquido Exames bacteriscópicos e de cultura:  Aeróbios, anaeróbios, fungos e Bacilo de Koch Exames Citológicos:  Células neoplásicas e leucócitos  Neutrófilos aumentados: viral e TB (fase inicial)  Mononucleares aumentados (fase tardia)  Piócitos = purulenta Exame Bioquímico:  Glicose diminuída nas infecções  Adenosinodeamonase (ADA) aumentada na tuberculose
  22. 22. Pericardite Constritiva DEFINIÇÃO:  Fibrose grosseira do pericárdio, que pode seguir vários tipos de pericardite e que restringe o enchimento diastólico do coração.
  23. 23. Pericardite Constritiva Pericardite Aguda Estágio subagudo: Organização e reabsorção do derrame Estágio crônico Fibrose e espessamento do pericárdio Obliteração do espaço pericárdico
  24. 24. Pericardite constritivaQuadro Clínico Manifestações mais proeminentes:  Ascite e edema de MMII  Fadiga, perda de peso, fraqueza muscular (DC )  Dispneia, tosse e ortopnéia  Derrame pleural
  25. 25. Pericardite constritivaExame Físico Elevação da pressão venosa jugular Sinal de Kussmaul (frequente)  Distensão das veias jugulares durante a inspiração Ausculta: pericardial knock  Ruído protodiastólico, análogo a 3ª bulha, que ocorre devido a uma interrupção brusca do enchimento ventricular pela restrição imposta pelo pericárdio Hepatomegalia: pulsações hepáticas Edema de MMII (tardio)
  26. 26. Pericardite constritiva Frequência dos sinaisPressão venosa jugular aumentada 96%Hepatomegalia 92Hipofonese de bulhas 92Sinal de Kussmaul 75Ascite 71Edema Periférico 68Pericardial Knoch 40Pulso paradoxal 40Fibrilação atrial 33
  27. 27. Pericardite ConstritivaRaio X de Tórax Aumento da área cardíaca (58% pequeno) Sem congestão pulmonar associada Calcificação pericárdica: 40% (sinal mais útil) Derrame pleural: 50% Átrio esquerdo aumentado: 33%
  28. 28. Pericardite ConstritivaRaio X de Tórax
  29. 29. Pericardite constritivaECG Baixa voltagem. Onda T isoelétrica ou invertida Sobrecarga de átrio esquerdo Fibrilação atrial Sobrecarga de ventrículo direito: 5%
  30. 30. Pericardite ConstritivaTratamento Pericardiectomia:  Incisão mediana  Uso de CEC  Indicação:  Antes que tenha caquexia cardíaca  Calcificações

×