2 vias de administração dos medicamentos

21.693 visualizações

Publicada em

0 comentários
14 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
21.693
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
22
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
732
Comentários
0
Gostaram
14
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

2 vias de administração dos medicamentos

  1. 1. VIAS DE ADMINISTRAÇÃO DOS MEDICAMENTOS Profª Danielle Zimmermann
  2. 2. Administração dos medicamentos Sistema digestivo Vias parente- rais Sistema respira- tório Outras vias
  3. 3. QUAL A IMPORTÂNCIA DE SE TER DIFERENTES VIAS PARA ADMINISTRAR MEDICAMENTOS?  Adequação ao estado do paciente;  Maior rapidez de algumas vias na produção de efeitos farmacológicos;  Possibilidade de administrar substâncias que são degradadas no TGI;  Limitação do efeito a uma área restrita (corticóides de uso tópico);  Entre outros.
  4. 4. ATRAVÉS DO SISTEMA DIGESTIVO... Deglutição Estômago: pH ácido Porção inicial do intestino: > Absorção pH alcalino Passagem pelo fígado(Circulaçã o porta- hepática): Metabolismo de 1ª passagem • Via oral (V.O.):
  5. 5. - Método não invasivo, - Praticidade, - Auto-administração; - Facilidade... - Dificuldade de deglutição, - Baixa absorção no estômago aumenta o tempo de latência dos fármacos, - pH’s extremos; - Metabolismo de 1ª passagem... Vantagens Desvantagens
  6. 6.  Via mucosa oral (Sublingual ou enteral transmucosa): Mucosa oral Rapidez na absorção Não tem metabolismo de 1ª passagem Efeitos rápidos
  7. 7.  Via retal: Uso esporádico Absorção irregular Tratamento local ou sistêmico Vômito Crises convulsivas Cirurgias no TGI Desidratação que impeça o uso da via intravenosa Recomendado em:
  8. 8. POR VIAS PARENTERAIS... Par (fora) Enteral (Intestino) Fora do intestino Vantagens Desvantagens - Maior rapidez no início dos efeitos; - Correlação entre droga administrada e o que fará o efeito; -Biodisponibilidade; - Útil em casos de vômito e diarréia. Invasivo; Conhecimento técnico e cuidados; Concentração x tonicidade.
  9. 9.  Via endovenosa ou intravenosa (I.V.) Leito Vascular Não há absorção Efeito imediato Cuidados: Risco de embolia (substâncias gasosas ou oleosas); Sobrecarga de volume; Cuidado com a velocidade e isotonia das soluções Administração de grandes volumes
  10. 10.  Via intramuscular (I.M): Músculo Altamente irrigado Absorção rápida Cuidados: Líquidos anisotônicos e irritantes devem ser evitados; Aplicação – risco de lesar nervos e atingir vasos; Procedimento invasivo
  11. 11.  Via Subcutânea: Áreas distensíveis (Tecido adiposo) Maiores volumes Menor risco de complicações Útil para medicamentos que têm de ser absorvidos lentamente
  12. 12.  Via Intradérmica: Via limitada Pequenos volumes Vacinas e testes imunológicos
  13. 13.  Cavidades serosas Principal: Via intraperitoneal (I.P.) Altamente vascularizada Pouco utilizada. Útil em experimentos com animais.
  14. 14. PELAS VIAS RESPIRATÓRIAS...  Mucosa nasal: Instilação de medicamentos Efeito local
  15. 15.  Mucosa bronquial e alvéolos: Inalação de medicamentos Pulmão funciona como via de administração e eliminação Ação sistêmica ou local
  16. 16. OUTRAS VIAS...  Pele ou superfícies epiteliais: Pele íntegra Tratamentos tópicos ou Ações sistêmicas
  17. 17.  Via Intramamária:  Via Intra-uterina: Ducto da papila mamária Tratamentos de mastites Importância veterinária Tratamentos de infecções do trato genito-urinário
  18. 18.  Via Intra-ocular ou conjuntival:  Via Epidural e Intratecal: Tratamento de conjuntivites ou glaucoma Canal medular (Epidural) Espaço subaracnóide (intratecal)
  19. 19.  Via Epidural (Peridural) e Intratecal: Bom alcance do SNC Canal medular (Epidural) Espaço subaracnóide ou raquidiano (intratecal) Evita barreira hematocefálica
  20. 20.  Em resumo:

×