1ª Pesquisa sobre produção de conteúdo para marcas no Brasil - Jul/2015

7.229 visualizações

Publicada em

1ª edição da pesquisa "Produção de Conteúdo para Marcas no Brasil (Fase 1 - Profissionais)“. O objetivo é levantar informações relevantes sobre o perfil e a formação dos profissionais que atuam com produção de conteúdo para marcas no Brasil. Além disso, quem são as referência de mercado (profissionais e marcas) desses produtores, quais ferramentas e plataformas utilizam no dia a dia, se trabalham em parceria com outras áreas e as plataformas mais desafiadoras para produzir conteúdo.

Publicada em: Dados e análise
10 comentários
71 gostaram
Estatísticas
Notas
Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
7.229
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
808
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
188
Comentários
10
Gostaram
71
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

1ª Pesquisa sobre produção de conteúdo para marcas no Brasil - Jul/2015

  1. 1. Produção de conteúdo para marcas no Brasil (fase 1 - profissionais) Pesquisa Ano 1 | Julho de 2015 ! Pesquisadora: Daniele Rodrigues
  2. 2. Sobre Está é a primeira edição da pesquisa "Produção de Conteúdo para Marcas no Brasil (Fase 1 - Profissionais)“, seguindo a abordagem utilizada na pesquisa "Profissional de Métricas, Monitoramento e Social Analytics no Brasil", criada pelo pesquisador Tarcízio Silva, que em 2015 chega a 5ª edição. ! Essa pesquisa conta com o apoio da Media Education. ! ! PESQUISADORA O estudo sobre produção de conteúdo foi pensado e realizado por Daniele Rodrigues, mestre em comunicação digital, pesquisadora da USP, professora de pós-graduacão, curadora da Media Education e Real Time Content da Coca-cola. ! Há 13 anos trabalha com comunicação, atuando como jornalista, redatora publicitária e planner para clientes como Netshoes, Chivas, Estadão, Itaú, Accor Hotels, Bombril e Turner Broadcasting (canais Cartoon, TNT, Warner, Space, CNN, Glitz*, TCM e outros) e Coca-Cola.
  3. 3. Objetivo ! Levantar informações relevantes sobre o perfil e a formação dos profissionais que atuam com produção de conteúdo para marcas no Brasil. ! Além disso, quem são as referência de mercado (profissionais e marcas) desses produtores, quais ferramentas e plataformas utilizam no dia a dia, se trabalham em parceria com outras áreas e as plataformas mais desafiadoras para produzir conteúdo.
  4. 4. Objetivo ! Essa primeira fase é mais quantitativa, abordando quatro pilares: Perfil Está prevista uma segunda etapa com o olhar a partir das marcas, analisando as estratégias de produção de conteúdo - propósitos, formatos e linguagem. Formação Prática Mercado
  5. 5. Metodologia ! Uma Pesquisa Descritiva Quantitativa foi aplicada, com o levantamento feito via questionário online. O documento - criado usando a plataforma Google Docs e divulgado com perfis, mailing de profissionais da área, grupos no Facebook, publicações no LinkedIn e Twitter e Ads no Facebook, ficou disponível para respostas de 10 de maio a 10 de julho de 2015. ! Ao todo foram 303 entrevistados de todo o Brasil e mais uma pessoa de Nova Iorque, sendo consideradas válidas 294 respostas. Foi considerado “respondeste válido” a pessoa que trabalha pelo menos parte do tempo com produção ou aprovação de conteúdo. Por conteúdo compreende-se vários formatos: texto, áudio, vídeo, imagem e infográfico para múltiplos canais e plataformas.
  6. 6. Metodologia ! Classificação da Pesquisa em termos de abordagem Pesquisa Quantitativa: considera que tudo pode ser quantificável, o que significa traduzir em números opiniões e informações para classificá-los e analisá-los. Requer o uso de recursos e de técnicas estatísticas (percentagem, média, mediana, desvio padrão, coeficiente de correlação, análise de regressão, etc...). ! Classificação da Pesquisa quanto aos objetivos Pesquisa Descritiva: visa descrever as características de determinada população ou fenômeno ou o estabelecimento de relações entre variáveis. Envolve o uso de técnicas padronizadas de coleta de dados, questionário e observação sistemática. Assume, em geral, a forma de Levantamento. ! Classificação da Pesquisa quanto ao Procedimento técnico Levantamento: a pesquisa envolve a interrogação direta das pessoas cujo comportamento se deseja conhecer. As informações são obtidas com um grupo significativo de pessoas acerca do problema estudado. Após a coleta das informações, faz-se uma análise quantitativa dos dados para a obtenção dos resultados.
  7. 7. PERFIL
  8. 8. A pesquisa contou com a participação de profissionais com idade entre 19 e mais de 55 anos. ! Quase metade dos profissionais tem entre 26 e 32 anos. Na sequência, com mais de 30%, aparecem produtores de conteúdo na faixa etária de 19 a 25 anos. ! Há um percentual considerável entre 33 e 39 anos (12,80%) e 6% são profissionais com mais de 40 anos. 31,90%' 49,30%' 12,80%' 4%' 1,30%' 0,70%' 19'a'25'anos' 26'a'32'anos' 33'a'39'anos' 40'a'46'anos' 47'a'55'anos' 55+' Faixa etária dos profissionais Crédito: pesquisadora @Dani_Rodrigues
  9. 9. Dois elementos corroboram para o percentual expressivo de profissionais registrados no Sudeste e no Sul - a proporção populacional dessas regiões, conforme a última pesquisa do IBGE (2013), e a concentração de vagas no mercado de comunicação nessas localidades. ! Entre os profissionais que trabalham com produção de conteúdo que participaram da pesquisa, 43,7% residem em São Paulo, 11,1% no Paraná e 8,2% no Rio de Janeiro. Estados em que os profissionais residem 59% Sudeste 21,8% Sul 8% Nordeste 7% Centro- Oeste 4,2% Norte AC 0,3% AM 0,6% RR - RO 0,3% MT 0,3% PA 2,6% MS 0,6% GO 3,2% RS 6,5% SC 3,9% PR 11,1% SP 43,7% MG 5,5% RJ 8,2% ES 1,3% BA 2,9% TO 0,3% DF 2,6% MA 0,9% PI - CE 0,6% RN 0,9% PB 0,6% AL 0,3% SE 0,6% PE 0,6% AP - + um entrevistado de Nova Iorque SP - 43,7% PR - 11,1% RJ - 8,2% RS - 6,5% MG - 5,5% Crédito: pesquisadora @Dani_Rodrigues
  10. 10. Profissionais de diversas níveis hierárquicos relacionados à produção de conteúdo para marcas participaram da pesquisa, a sua maioria de cargos operacionais - redatores e ocupações similares, mas com nomes peculiares em cada agência/empresa (analista e community manager, por exemplo). Diretores de arte também responderam, mas em menor número em comparação aos redatores. (24,3% de redatores x cerca de 1% entre diretores de arte e designers) ! O envolvimento de profissionais de gerência no dia a dia da produção de conteúdo também chama a atenção, com referências similares aos profissionais que ocupam cargos operacionais (como veremos mais a frente, na seção de referências profissionais e de marcas). Cargos ocupados pelos profissionais Cargos estratégicos 7% Cargos gerenciais 36% Cargos operacionais 57% CEO Diretor Gerente Supervisor Coordenador Redator, Analista, Assistente, Estagiário, Free Lancer, Relações Públicas, Jornalista, Blogueiro, Roteirista e Produtor, Diretor de Arte, Designer e Community Manager Crédito: pesquisadora @Dani_Rodrigues
  11. 11. A maioria dos entrevistados é de profissionais experientes, com mais de cinco anos no mercado.. Somando com o grupo com pelo menos 3 anos de atuação, chega-se a quase 60% de pessoas entre pleno e sênior, condição interessante e que, estima-se, deve refletir em um mercado maduro, com projetos e produções elaboradas. Contudo, mas a frente veremos que a remuneração não acompanha essa qualificação. ! Os profissionais "entrantes" são apenas 6,8%. Como essa é a primeira pesquisa ainda não é possível estabelecer se a área está em expansão. Experiência de mercado 18,6%& 22,8%& 15%& 36,8%& 6,8%& Entre&1&e&2&anos& Entre&3&e&4&anos& Entre&4&e&5&anos& Mais&de&5&anos& Menos&de&1&ano& Crédito: pesquisadora @Dani_Rodrigues
  12. 12. FORMAÇÃO
  13. 13. 53%$ 21%$ 16%$ 4,80%$ 2,70%$ 2,50%$ Graduação$ Especialização$ MBA$ Mestrado$ Ensino$Médio$ Doutorado$$ O percentual de graduados e prós-graduados está equilibrado, com pequena vantagem para o primeiro grupo. ! Entre os profissionais com pós-graduação, prevalecem os especialistas (21%) e com MBA (16%). O índice de Mestres e doutores, 4,8% e 2,7% respectivamente, embora modesto perto dos demais, revela que os conteudistas também se interessam pelo mundo da pesquisa/ academia - similar ao registrado na pesquisa sobre "Profissional de Monitoramento e Métricas no Brasil" de 2014. Escolaridade* dos profissionais que trabalham com produção de conteúdo para marcas *Dentro de cada escolaridade estão pessoas que completaram ou ainda estão cursando. Crédito: pesquisadora @Dani_Rodrigues
  14. 14. 36%$ 33%$ 8%$ 3%$ 3%$ 2%$ 15%$ Publicidade$e$Propaganda$ Jornalism o$ Relações$Públicas$Adm inistração$ M arkeCng$ Radio$e$TV$ Outros*$$ A maioria dos profissionais possui habilitação em Comunicação Social - com ênfase em Publicidade e Propaganda ou Jornalismo (36% e 33%, respectivamente). Com um percentual mais modesto aparece a terceira variação de Comunicação Social - Relações Públicas (8%). Administração e Marketing aparecem empatados, com apenas 3%, seguido de Rádio e TV. ! Os cursos* com menos de 2% de menção cada são: Design, Produção em Comunicação e Cultura, Tecnologia em Comunicação Institucional, Letras, Direito, Desenho Industrial, Ciências Sociais, Propaganda e Marketing, Processos Gerenciais, Pedagogia, Moda, Midiologia, Gestão Comercial, Comunicação Digital, Cinema, Artes Visuais, Análise e Desenvolvimento de Sistemas, Tecnologia em Marketing e Tecnologia em Gestão de Produtividade. Graduação* dos profissionais que trabalham com produção de conteúdo para marcas *Dentro de cada escolaridade estão pessoas que completaram ou estão cursando. Crédito: pesquisadora @Dani_Rodrigues
  15. 15. 26%$ 16%$ 3,50%$ 3,50%$ 52%$ Marke/ng$ Digital$ Marke/ng$ Comunicação$ Corpora/va$ Gestão$de$ Projeto$ Outros*$ Assim como na pesquisa sobre Profissionais de Monitoramento e Métricas do Brasil (ano 2014), a maior parte dos profissionais que trabalham com conteúdo fez pós-graduação em Marketing, mais precisamente em Marketing Digital. Chama a atenção que esse curso com ênfase em digital lidera com folga. Comunicação Corporativa e Gestão de projeto aparecem em terceiro e quarto lugar, respectivamente. ! Mais de 50% dos respondestes com pós graduação mencionaram cursos que são variações de Marketing, Comunicação e Gerenciamento, mas não alcançaram 2% cada: Marketing de Serviços, Marketing e Propaganda, Marketing e Vendas, Marketing Estratégico, Comunicação Digital e Mídias Sociais, Comunicação e Marketing, Comunicação Empresarial e Mídias Digitais, Comunicação Estratégica e Gestão de Marcas, Comunity Management, Empreendedorismo em Marketing Digital, Estratégias de Marketing, Gerenciamento de Marketing, Gestão da Comunicação Estratégica, Gestão de Comunicação em Mídias Digitais, Gestão de Marcas e Marketing, Gestão de Marketing, Gestão de Marketing Digital, Gestão em Negócios, Gestão Estratégica, Jornalismo Digital, Marketing Promocional e Merchandising, Mídias Sociais e Gestão da Comunicação, Relações Internacionais e Seguros. Pós-graduação* dos profissionais que trabalham com produção de conteúdo para marcas *Dentro de cada escolaridade estão pessoas que completaram ou ainda estão cursando. Crédito: pesquisadora @Dani_Rodrigues
  16. 16. PRÁTICA
  17. 17. 29,50%' 24,80%' 10,50%' 10,40%' 7,20%' 5,10%' 4,50%' 4%' Conteúdo'p/' redes'sociais' Conteúdo'p/'blog' e'portais' Fotografia' Roteiro'de'vídeo' Vídeo'(edição)' Infografia' Áudio' Ilustração' Linguagens e formatos que os produtores de conteúdo para marcas mais dominam Crédito: pesquisadora @Dani_Rodrigues Mais linguagens e formatos elencados como especialidade dos produtores de conteúdo que participaram da pesquisa: texto para veículos impressos (revista e jornal), Direção de arte, Pesquisa, E-book, Publicações Corporativas, E-mail Marketing, Folder, 3D, Gamification, Videomapping e Texto para rádio. Conteúdo para redes sociais e blog foram mencionados por mais de 50% das pessoas como os formatos mais simples de executar. ! Produções imagéticas se dividem entre os 50% restantes. Vídeo e fotografia apresentam índices próximos. Além disso, há praticamente empate entre áudio, infografia e ilustração. Esses dois últimos vêm ganhando espaço na pauta das agências e houses, especialmente infográfico porque consegue resolver um dilema da comunicação contemporânea: passar mensagens precisas, de assimilação rápida e fácil em meio a um turbilhão de estímulos.
  18. 18. 20,4%& 19,8%& 18,4%& 15,4%& 10,7%& 7,5%& 4,5%& 1,8%& 1,5%& LinkedIN& Youtube& Twi;er& Facebook& Instagram& Vine& Blog& Snapchat& Outros*& As plataformas que ocupam o top três de desafio na hora de produzir conteúdo são LinkedIn, Youtube e Twitter, todos com índices muito próximos. Dentre os argumentos para esse receio, estão a falta de experiência para lidar com as características específicas de cada plataforma e a preocupação com recursos para amplificar as mensagens. A dificuldade de gerar relatórios relevantes e confiáveis do desempenho dos conteúdos de alguns canais também foi aprontada como possível problema. ! O que foi unânime também dentre as justificativas do porquê são plataformas desafiadoras, está o medo de não conseguir ser criativo o suficiente para se diferenciar da concorrência, sem comprometer os valores e objetivos de comunicação da marca. Plataformas mais desafiadoras na hora de produzir conteúdo sobre a ótica dos conteudistas Crédito: pesquisadora @Dani_Rodrigues
  19. 19. Desafios da produção de conteúdo para o LinkedIN (algumas das respostas literais coletadas no questionário) 1. Perfil de consumo de conteúdo não é bem definido. 2. Identificar o limite do descontraído para o profissional 3. Muito segmentado e pouco utilizado 4. Conteúdo mais sério e o engajamento é baixo. 5. A ferramenta é cara para campanhas patrocinadas. E apenas as opções orgânicas traz baixos alcances. 6. Pq é mais formal 7. Produzir um conteúdo que case com as expectativas dos clientes e o estilo de comunicação. 8. É difícil pensar em LinkedIn além do óbvio (para vagas). E até que ponto vale a pena trabalhar o LinkedIn se não focado para o próprio mercado? 9. Plataforma com um objetivo muito diferente das outras, e é um desafio criar conteúdo de marca que se encaixe nessa dinâmica sem parecer spam. Por outro lado, é uma ótima rede social para B2B, por exemplo. 10. Mídia Social profissional, as pessoas não usam para se divertir. Crédito: pesquisadora @Dani_Rodrigues
  20. 20. Desafios da produção de conteúdo para o YouTube (algumas das respostas literais coletadas no questionário) 1. Necessidade de Infraestrutura e domínio técnico de ferramentas e linguagens. 2. Necessidade do auxilio de outros profissionais. 3. Ter uma boa história pra contar não é fácil e o custo das produções é elevado. 4. Requer muita produção e verba, não é algo tão imediato. 5. Conteúdo audiovisual pra Internet encontra algumas barreiras antes de chegar ao sucesso: concorrência, a facilidade de qualquer pessoa ser o emissor, o piloto automático na hora de passar um anúncio, etc. 6. Faltam bons profissionais que saibam atingir o público alvo de forma orgânica e simples. Crédito: pesquisadora @Dani_Rodrigues
  21. 21. Desafios da produção de conteúdo para o Twitter (algumas das respostas literais coletadas no questionário) 1. Se não for ao vivo, não tem relevância. A quantidade de conteúdo a ser produzida é muito desafiadora para conseguir bom engajamento. 2. A necessidade de uma mensagem rápida e eficiente, que atraia o cliente, é um desafio. 3. Pouco engajamento com o público local. 4. Por ter poucos caracteres e ter que ser direto. 5. É um público mais específico e exigente, além da limitação do tamanho das mensagens. 6. Espaço bastante propício às reclamações. A conversa tem que ser MUITO estratégica. 7. Gosto de escrever MUITO. Demoro pra fazer meu conteúdo caber nos 140 caracteres. 8. É a plataforma mais difícil de gerar engajamento e interação pois não existem regras para "agradar" um algoritmo. Apenas pessoas dos mais diversos perfis. Pessoas são muito mais difíceis de agradar do que uma máquina. 9. Exige dedicação full time. 10. São apenas 140 para se dizer tudo. Crédito: pesquisadora @Dani_Rodrigues
  22. 22. Desafios da produção de conteúdo para o Facebook (algumas das respostas literais coletadas no questionário) 1. É uma das plataformas com maior adesão e concorrência. 2. O desafio, além de exibir seu conteúdo, é engajar no meio de tantas opções. 3. FB requer brevidade e informalidade. 4. Preciso sempre pensar em um conteúdo que gere compartilhamento e evite os bombardeios negativos trabalhando para políticos (isso é muuuito difícil) 5. É uma rede que muda o algorítimo com muita frequência, não garantindo assim que o número de pessoas esperado tenha acesso ao conteúdo. 6. Constantes mudanças no alcance orgânico do conteúdo e a velocidade em que surgem modas, linguagens e memes para acompanhar, reproduzir ou trabalhar. 7. Tamanhos específicos, plataforma difícil de manejar, audiência grande e difícil de monitorar. 8. Muitos haters. 9. Pelas restrições e política do site . 10. Os algoritmos, mano! O alcance orgânico é comido pelas ervas daninhas dos ads! Crédito: pesquisadora @Dani_Rodrigues
  23. 23. Desafios da produção de conteúdo para o Instagram (algumas das respostas literais coletadas no questionário) 1. O Instagram pede conteúdo mais próximo do cotidiano da marca, tem poucas plataformas de agendamento, não permite (ainda) o patrocínio de publicações para atingir o público desejado e não é possível replicar sempre as artes feitas na criação da agência, pois os usuários respondem melhor a fotografias e vídeos relacionados à marca. 2. Usuários mais seletos. 3. Por se tratar de uma mídia mais voltada à imagem, fica mais complicado ter um conteúdo relevante. 4. Desafio: capacidade de sintetizar uma ideia em uma imagem 100% dentro do discurso da marca. 5. É mais difícil de obter engajamento real (não comprado) por conta da concorrência e o alto custo da divulgação dos posts. 6. Exige um padrão estético elevado e um público exigente com as publicações. 7. A maior dificuldade é manter um conteúdo regular, assertivo e fiel à marca com o uso de fotos. Nem sempre a marca se adequa à plataforma do Instagram. 8. Para o mercado B2B, nem sempre apenas uma imagem passa o recado. 9. Pouco espaço. 10. Ainda não sabemos como mensurar e integrar acuradamente essa métrica no Dashboard de Monitoramento e criar relatórios Cross-Channel relevantes. Crédito: pesquisadora @Dani_Rodrigues
  24. 24. Desafios da produção de conteúdo para o Vine (algumas das respostas literais coletadas no questionário) 1. Exige mais criatividade, pelo tempo reduzido. 2. Exige um bom roteiro, bons profissionais e uma história inovadora. 3. Ainda há poucas marcas utilizando a plataforma, principalmente no Brasil, o que torna difícil a "busca por referências", além do desafio que pensar em algo simples e eficaz. Muitas vezes estamos acostumados com uma grande verba, mas no Vine uma ideia simples pode dar certo. 4. Tem um público muito específico, que não se encaixa em quase nenhum cliente. 5. Pouco tempo, poucos recursos e baixa aderência do publico brasileiro. 6. O Vine possui ainda poucas opções de métricas e anúncios. 7. Video de 6 segundos que esteja ligado a marca...é complicado não parecer um idiota. 8. Exige um pouco mais de molejo e humor da marca. 9. Vine é certamente o canal mais desafiador pra produção de conteúdo. Tudo tem que ser legal e/ou criativo. Essa rede não aceita nada que seja apenas ok, então sem dúvidas é a mais instigante. Crédito: pesquisadora @Dani_Rodrigues
  25. 25. Desafios da produção de conteúdo para o Blog (algumas das respostas literais coletadas no questionário) 1. São textos grandes, é complicado gerar interesse ou linkar. 2. Criar conteúdo novo e relevante ao mesmo tempo em que se preocupa com o SEO. 3. A produção de textos exige conhecimento amplo e pesquisa aprofundada, o que demanda investimento de tempo. 4. Quanto mais longo e profundo o conteúdo, mais estreito é o funil de pessoas que se interessaram por ele. 5. Um bom texto pode ser a chave para os insights nas outras redes. Além do tema, a forma como ele é colocado... disposição, tamanho, escolha das palavras. É sempre um desafio. 6. O blog pressupõe um apurado trabalho de pesquisa, criação e edição de conteúdo, sendo por isso mais desafiador (e mais trabalhoso também). 7. É muito flexível e envolve muitas variáveis (o que torna tudo muito mais divertido). O blog é a espinha dorsal do conteúdo da empresa para todos os outros canais. 8. Por geralmente ser um conteúdo um pouco mais aprofundado que as outras mídias, é difícil gerar cliques e prender o interesse até o final dos leitores em blogs. Principalmente, quando o conteúdo deve se limitar a coisas relacionadas a marca. Crédito: pesquisadora @Dani_Rodrigues
  26. 26. Desafios da produção de conteúdo para o Snapchat (algumas das respostas literais coletadas no questionário) 1. Por ser uma plataforma nova é complexo achar a maneira correta de falar com o público. 2. O grande desafio é ser criativo e prender a atenção do usuário. 3. Devido a sua dificuldade em upar ou agendar conteúdo pré-pronto para o aplicativo. 4. Por não ter mensuração ainda. 5. Porque se trata de uma mídia que ainda está em processo de entendimento. Tanto para usuários, quanto para marcas. Ainda é pouco explorada. Crédito: pesquisadora @Dani_Rodrigues
  27. 27. 13,9%& 12,8%& 10,3%& 8,7%& 7,7%& 7,4%& 7%& 6%& 5%& 5,3%& 4,8%& 4,2%& 3,9%& 2,6%& Criar&interesse& Estabelecer&interação& Dar&conhecimento/informação& GaranCr&idenCficação& Despertar&consciência& Promover&a&ação&& Criar&desejo& Obter&fidelidade& Gerar&disseminação& Chamar&atenção& Levar&a&decisão& Conseguir&a&preferência& Despertar&expectaCva& Manter&a&saCsfação& Dentre os 14 objetivos de comunicação definidos pelo CEACOM-USP, para os entrevistados os mais alcançados são: criar interesse, estabelecer interação, dar conhecimento/informação, garantir identificação e despertar consciência, ou seja, acreditam que atingem principalmente premissas emocionais. ! Levar a decisão, conseguir a preferência e manter a satisfação aparecem com os menores índices, não sendo vistos como objetivos prioritários para os produtores de conteúdo. Objetivos de comunicação que a produção de conteúdo para marcas melhor atingem Crédito: pesquisadora @Dani_Rodrigues
  28. 28. 53% dos entrevistados trabalham a maior parte do tempo com produção de conteúdo e 16% desempemham exclusivamente a essa função, totalizando quase 70%. ! A produção de conteúdo cada vez mais ganha espaço como uma atividade que demanda profissionais dedicados, o que corrobora para o amadurecimento da área. Os profissionais trabalham apenas com produção de conteúdo para marcas? 55%# 29%# 16%# Trabalha#a#maior#parte#do#tempo#com# produção#de#conteúdo# Trabalha#a#menor#parte#do#tempo# com#produção#de#conteúdo# Trabalha#apenas#com#produção#de# conteúdo# Crédito: pesquisadora @Dani_Rodrigues
  29. 29. Softwares/ferramentas utilizadas na produção e gestão de conteúdo para marcas Crédito: pesquisadora @Dani_Rodrigues Na área de produção de conteúdo há softwares, ferramentas e recursos para diferentes finalidades: editores de texto, hubs para redes sociais, gerenciadores de conteúdo (aprovação e publicação) e monitoramento. Os entrevistados mencionaram dezenas, sendo os principais: Hootsuite Wordpress 1º 2º Google Drive 3º Instamizer 4º Word 5º Scup Adobe Photoshop 6º 7º Facebook Business 8º Tweetdeck 9º Google Analytics 10º 99 rocket Excel
  30. 30. Outros softwares, ferramentas e recursos mencionados pelos entrevistados: ! Adobe Illustrator, Builder (Social Bakers), Canvas, Celtx, Facebook Analytics, Final Draft, Powerpoint, Social Bakers, Trello, Adobe master collection, Adobe Premiere, After Effects, Aviary, Avid, Befunky, BrandCare, BuzzMonitor, c4d, Camera+, Contador de caracteres do Mestre SEO, Contently (contently.com) Copyscape (copyscape.com), Coschedulle, Curata (curata.com), Diptic, DivvyHQ (divvyhq.com), Echoes, Expion, Fcpx, Feedly, Ferramenta Keyword Density (tools.seobook.com/general/keyword- density), Final Cut, GatherContent (gathercontent.com), Gimp, Google +, Google Alerts, Google Trends, Instafollow Instagrammer, Issuu, Kapos (kapost.com), LInkscape, List.ly (list.ly), Madmapper, Mail2Easy, MindMeister, Modul8, Motion, Movie magic, NewsCred (newscred.com), One Drive, Oracle SRM, Paper.li (paper.li), Percolate (percolate.com), Pocket (getpocket.com), Pro tools, Producteev, Properly, R, Readability Test (read-able.com), Reader, Scoop.it (scoop.it), SEMRUSH, Shareist (shareist.com), Sharepoint, Skyword (skyword.com), Spundge (spundge.com), Squarespace, Statigram, Storify (storify.com), Summify (Summify.com), Wordle, Write e Zerys (zerys.com). Softwares/ferramentas utilizadas na produção de conteúdo para marcas Crédito: pesquisadora @Dani_Rodrigues
  31. 31. Planejamento (27%) e monitoramento (21,3%) são os grandes aliados dos produtores de conteúdo, uma tríade eficaz para a qualidade das criações. ! ! ! ! ! ! ! ! ! ! ! ! O papel do revisor também foi apontado expressivamente, com 16% de menção. Outro dado que chama a atenção, é que pouco mais de 10% dos entrevistados afirmaram trabalhar sozinhos. Outras áreas ou profissionais que participam da rotina de produção de conteúdo para marcas 27%$ 21,3%$ 20%$ 16,4%$ 10,6%$ 0,7%$ 0,5%$ 0,5%$ 3%$ Planejam ento$M onitoram ento$ Diretor$de$criação$Revisor$de$texto$ Trabalho$sozinho(a)$ Redator$ Atendim ento$ Jornalista$ Outros$ Crédito: pesquisadora @Dani_Rodrigues Outros profissionais mencionados: produção, designer, administrador, analista e coordenadora de marketing, analistas de mídias sociais, assistente de conteúdo, diretor de arte, diretor de fotografia, diretor de marketing, estagiário de arte, estagiário de mídias sociais, gerente de produtos, assistente de produção, produtora de vídeo e relações pública. Planejamento Criação (redator + diretor de arte) +MONITORAMENTO Avaliação de desempenho Inputs sobre macro e microambiente (culture, consumer category and brand)
  32. 32. MERCADO
  33. 33. Blogs e portais referência dos profissionais que produzem conteúdo Crédito: pesquisadora @Dani_Rodrigues 10º YouPix5º AdNews (adnews.com.br), Buzzfedd (buzzfeed.com) e Meio & Mensagem Brainstorm #9 (b9.com.br)1º 6º Catraca Livre (catracalivre.com.br) 2º Hypeness (hypeness.com.br) 7º Rock Content (rockcontent.com) e TAB UOL (tab.uol.com.br) Mashable (mashable.com) e ProXXima (proxxima.com.br)3º 8º Blue Bus (bluebus.com.br), Contentools (contentools.com.br), Exame, Hubspot (hubspot.com) e Tracto (tracto.com.br) 4º Update or Die (updateordie.com) 9º Resultados Digitais (resultadosdigitais.com.br), Social Media today (socialmediatoday) e TechChunch (techcrunch.com) Segundo os entrevistados, as 10 principais referências para o mercado de produção de conteúdo se misturam entre portais de cases e práticas publicitárias e de notícias. TOP 10 por número de menções
  34. 34. Grupos e fóruns que são referência aos profissionais que produzem conteúdo Crédito: pesquisadora @Dani_Rodrigues 10º Vai ter ROI sim!5º Entusiastas - Monitoramento e Métricas Entusiasta da Social Media1º 6º Relações Públicas e TresPontos TOP 10 por número de menções 2º Coletivo Branding 7º Brainstorm9 Só as lindas, os lindos e os loucos da Social Media!3º 8º Brifa que eu gosto 4º Content Marketing Academy (Linkedin) 9º Entusiastas | Jobs&Jabas Top 10 dos grupos e fóruns de inspiração para os produtores de conteúdo, O grupo Entusiasta da Social Media teve cerca de metade das menções, demonstrando que continua sendo um ambiente importante de aprendizado e compartilhamento de experiências.
  35. 35. Profissionais/palestrantes/professores que são referência para os entrevistados Crédito: pesquisadora @Dani_Rodrigues TOP 10 por número de menções Os profissionais mencionados são produtores de conteúdo de diferentes formatos e propósitos. ! Alguns são autores de livros, como Martha Gabriel, Tarcízio Silva e Carol Terra. Outros ocupam cargos de destaque no mercado, como Cris Dias (Creative Strategist na plataforma Facebook) e Marcos Giovanella (Diretor de MKT da Prefeitura de Curitiba). Há ainda duas mulheres bem sucedidas em projetos empreendedores na área de conteúdo - Ana Paula Passarelli e Bia Granja. Todos são palestrantes, professores ou pesquisadores. 2º Marcel Bely @marcelbely 3º Dani Rodrigues @dani_rodrigues 1º Martha Gabriel @marthagabriel 4º Tarcízio Silva @tarushijio 4º Cris Dias @crisdias 6º Ana Paula Passareli @apassarelli 7º Marcos Giovanella @Mgiovanella 8º Bia Granja @Biagranja 8º Carol Terra @CarolTerra 9º Camila Porto @camilapc
  36. 36. Profissionais/palestrantes/professores que são referência em produção de conteúdo em cada região Crédito: pesquisadora @Dani_Rodrigues 1º Tarcizio Silva 2º Martha Gabriel 3º Carlos Merigo* Norte TOP 3 por número de menções 1º Martha Gabriel 2º Tarcizio Silva 3º Marcel Bely | Dani Rodrigues Nordeste 1º Martha Gabriel 2º Dani Rodrigues Centro-Oeste 1º Marcel Bely 2º Martha Gabriel | Ian Black* | Dani Rodrigues 3º Tarcízio Silva Sudeste 1º Marcel Bely 2º Martha Gabriel 3º Tarcízio Silva Sul *Profissionais que não estão no top 10 geral, mas foram mencionados com intensidade em algumas regiões,.
  37. 37. A média salarial dos produtores de conteúdo no Brasil está entre R$ 1 mil e R$ 3 mil para 50% dos entrevistados. ! Cerca de 20% dos entrevistados estão na faixa de remuneração acima de R$ 5 mil, especialmente na região Centro-Oeste. Faixa salarial dos profissionais que trabalham com conteúdo 10,5%& 23,8%& 21%& 16,4%& 8,5%& 6,2%& 13,6%& Até&R$&1&mil& R$&1&mil&a&R$&2&mil& R$&2&mil&a&R$&3&mil& R$&3&mil&a&R$&4&mil& R$&4&mil&a&R$&5&mil& R$&5&mil&a&R$&6&mil& Mais&de&R$&6&mil& BRASIL Crédito: pesquisadora @Dani_Rodrigues
  38. 38. Faixa salarial dos profissionais que trabalham com conteúdo por região NORTE 2 a 3k NORDESTE 1 a 2k CENTRO- OESTE +6k SUDESTE 2 a 3k SUL 1 a 2k Média Brasil 1 a 3k Crédito: pesquisadora @Dani_Rodrigues
  39. 39. 33%# 25%# 16,7%# 8,4%# 8,4%# 8,4%# R$#2#mil#a#R$#3#mil# Mais#de#R$#6#mil# R$#3#mil#a#R$#4#mil# Até#R$#1#mil# R$#5#mil#a#R$#6#mil# R$#4#mil#a#R$#5#mil# NORTE Faixa salarial dos profissionais que trabalham com conteúdo por região Crédito: pesquisadora @Dani_Rodrigues
  40. 40. 33,4%% 27,7%% 11,2%% 11,2%% 5,5%% 5,5%% 5,5%% R$%1%mil%a%R$%2%mil% R$%2%mil%a%R$%3%mil% R$%3%mil%a%R$%4%mil% R$%4%mil%a%R$%5%mil% Mais%de%R$%6%mil% R$%5%mil%a%R$%6%mil% Até%R$%1%mil% NORDESTE Faixa salarial dos profissionais que trabalham com conteúdo por região Crédito: pesquisadora @Dani_Rodrigues
  41. 41. 30%$ 25%$ 20%$ 10%$ 10%$ 5%$ Mais$de$R$$6$mil$ R$$3$mil$a$R$$4$mil$ R$$5$mil$a$R$$6$mil$ R$$2$mil$a$R$$3$mil$ R$$4$mil$a$R$$5$mil$ R$$1$mil$a$R$$2$mil$ CENTRO-OESTE Faixa salarial dos profissionais que trabalham com conteúdo por região Crédito: pesquisadora @Dani_Rodrigues
  42. 42. 22,50%& 20,1%& 17,6%& 15,3%& 10,4%& 9,8%& 4,3%& R$&2&mil&a&R$&3&mil& R$&1&mil&a&R$&2&mil& R$&3&mil&a&R$&4&mil& Mais&de&R$&6&mil& Até&R$&1&mil& R$&4&mil&a&R$&5&mil& R$&5&mil&a&R$&6&mil& SUDOESTE Faixa salarial dos profissionais que trabalham com conteúdo por região Crédito: pesquisadora @Dani_Rodrigues
  43. 43. 30,2%& 21,2%& 13,7%& 13,7%& 7,6%& 7,6%& 6%& R$&1&mil&a&R$&2&mil& R$&2&mil&a&R$&3&mil& R$&3&mil&a&R$&4&mil& Até&R$&1&mil& Mais&de&R$&6&mil& R$&5&mil&a&R$&6&mil& R$&4&mil&a&R$&5&mil& SUL Faixa salarial dos profissionais que trabalham com conteúdo por região Crédito: pesquisadora @Dani_Rodrigues
  44. 44. Marcas que são inspiração pela qualidade do conteúdo Crédito: pesquisadora @Dani_Rodrigues 10º RedBull5º Coca-cola Ponto Frio1º 6º Farm 2º Prefeitura Municipal de Curitiba 7º Itaú Oreo3º 8º Guaraná Antarctica 4º Netflix 9º McDonald's As marcas mais admiradas pelos entrevistados pela qualidade dos conteúdos que publicam são: TOP 10 por número de menções
  45. 45. Marcas que são inspiração pela qualidade do conteúdo Crédito: pesquisadora @Dani_Rodrigues 1º Ponto Frio
  46. 46. Marcas que são inspiração pela qualidade do conteúdo Crédito: pesquisadora @Dani_Rodrigues 2º Prefeitura Municipal de Curitiba
  47. 47. Marcas que são inspiração pela qualidade do conteúdo Crédito: pesquisadora @Dani_Rodrigues 3º Oreo
  48. 48. Marcas que são inspiração pela qualidade do conteúdo Crédito: pesquisadora @Dani_Rodrigues 4º Netflix
  49. 49. Marcas que são inspiração pela qualidade do conteúdo Crédito: pesquisadora @Dani_Rodrigues 5º Coca-cola
  50. 50. Marcas que são inspiração pela qualidade do conteúdo Crédito: pesquisadora @Dani_Rodrigues 6º Farm
  51. 51. Marcas que são inspiração pela qualidade do conteúdo Crédito: pesquisadora @Dani_Rodrigues 7º Itaú
  52. 52. Marcas que são inspiração pela qualidade do conteúdo Crédito: pesquisadora @Dani_Rodrigues 8º Guaraná Antarctica
  53. 53. Marcas que são inspiração pela qualidade do conteúdo Crédito: pesquisadora @Dani_Rodrigues 9º McDonald's
  54. 54. Marcas que são inspiração pela qualidade do conteúdo Crédito: pesquisadora @Dani_Rodrigues 10º RedBull
  55. 55. Marcas que são inspiração pela qualidade do conteúdo Crédito: pesquisadora @Dani_Rodrigues TOP 10 por número de menções 50% alimentos e bebidas 10% Instituição Financeira 10% Órgão governamental 20% E-commerce 10% Entretenimento Segmento Dentre as 10 marcas mais mencionadas, 50% são do ramo de alimentos e bebidas. ! Linha editorial
 As publicações das marcas que ocupam o top 10 têm em comum a utilização do humor e mensagens sobre experiências e situações aspiracionais prioritariamente. As marcas que ocupam as cinco primeiras posições (Ponto Frio, Prefeitura Municipal de Curitiba, Oreo, Netflix e Coca-cola) têm por premissa o marketing real time, rendendo cases de engajamento com frequência.
  56. 56. Em cargos operacionais, a maioria tem graduação, o que se repete no topo da pirâmide - cargos estratégicos (CEO e diretor). Os profissionais que desempenham papéis gerenciais, por sua vez, fizeram ou estão em cursando algum curso de pós-graduação. ! O que mais chama atenção é a remuneração. Segundo a maioria dos entrevistados em cargos estratégicos, eles recebem no máximo R$ 3 mil. Cargo x escolaridade x faixa salarial Crédito: pesquisadora @Dani_Rodrigues 16%$ 45%$ 39%$ 3,9%$ 33,7%$ 62%$ 2,3%$ 63,3%$ 34,4%$ Ensino$Médio$ Graduação$ Pós<graduacão$ Ensino$Médio$ Graduação$ Pós<graduação$ Ensino$Médio$ Graduação$ Pós<graduação$ Cargos$Estratégicos$ Cargos$Gerenciais$ Cargos$Operacionais$ Cargo&x&Escolaridade& *Pós-graduação: cursos de MBA, Especialização, Mestrado e Doutorado concluídos ou em andamento. Faixa salarial Entre R$ 2 e R$ 3 mil Faixa salarial Entre R$ 1 e R$ 2 mil Faixa salarial Entre R$ 1 e R$ 2 mil
  57. 57. CONSIDERAÇÕES
  58. 58. > Maioria reside no Sudeste e no sul, faixa etária entre 26 e 32 anos. ! >> Faixa etária entre 26 e 32 anos. ! >>> Pessoas experientes, com mais de 5 anos na área. Perfil Crédito: pesquisadora @Dani_Rodrigues
  59. 59. > Cerca de 50% dos entrevistados são graduados e 50% com pós-graduação. ! >> O curso de Graduação predominante é Comunicação Social. ! >>> O curso de Pós-graduação predominante é Marketing. Formação Crédito: pesquisadora @Dani_Rodrigues
  60. 60. > Profissionais se sentem confortáveis e aptos sobretudo para produzir conteúdos para redes sociais e blog. ! >> O desafio deles é produzir conteúdo para LinkedIn, Youtube e Twitter ! >>> Novas redes e características peculiares são vistas como barreira, ao invés de estímulo para ser criativo. ! >>>> Objetivos de comunicação estão mais ligados a premissas emocionais. ! >>>>>>Planejamento e monitoramento são aliados dos produtores de conteúdo. Prática Crédito: pesquisadora @Dani_Rodrigues
  61. 61. Mercado > A média salarial no Brasil de produtores de conteúdo é entre R$1 mil e R$3 mil, com Nordeste e Sul com a menor remuneração. ! >> As marcas referência têm em comum: histórias reais, humor, experiência e qualidade estética. ! >>> 50% das marcas elogiadas pelo conteúdo são do ramo de alimento e bebida. ! >>>> Marcas que apostam em real time marketing aparecem no top do ranking de aprovação. ! >>>>> Apesar da escolaridade elevada e do tempo de experiência médio de 5 anos, a remuneração de cargos estratégicos não passa de R$ 3 mil, em sua maioria. Crédito: pesquisadora @Dani_Rodrigues
  62. 62. Pesquisadora Daniele Rodrigues Twitter: @dani_rodrigues slideshare.net/danirodrigues www.madalena139.com.br E-mail: dani@madalena139.com.br

×