A comunicação é um processobásico, pelo qual conseguimosprogredir individual e socialmente.Ela facilita quatro funções bás...
1. Sobrevivência: as notícias alertam para   oportunidades e perigo.2. Coordenação de resposta: influencia os   indivíduos...
3. Transferência entre gerações: cada geraçãoproduz conhecimento e por meio da comunicaçãotransmite o saber.4. Entretenime...
DadosInformações  Sistemas
Dados – conjunto de fatos não organizados eprocessados. Pode estar incompleto, impreciso ouultrapassado.Informação – é o d...
Precisão: sem erros  Integridade: conter todos os dados  Relevância: precisa ser importante para a  tomada de decisão  Atu...
O diferencial entre organizações é acapacidade de reunir dados, analisa-        los, transformá-los em   informação, disse...
SISTEMA    Um grupo de elementos inter-relacionadosorganizado para atingir um objetivo comum. Todos os elementos do sistem...
Informação e Conhecimento          A informação é um fluxo demensagens, enquanto o conhecimento é criadopor esse próprio f...
Pensar e praticar Relações Públicas       4 modelos Grunig e Hunt (1984)As organizações aplicam as tecnologias decomunicaç...
1  Modelo promoção de imprensaquando o programa de comunicaçãobusca apenas divulgação por meio dapublicidade favorável esp...
2 Modelo de informação pública quando “jornalistas residentes”enviam informação para meios de comunicação de massa e meios...
3 Modelo assimétrico de duas mãosutiliza pesquisa para criar mensagensque influenciam estrategicamente os públicos selecio...
4          Modelo simétrico de duas mãos   considerado por Grunig (1992) a maneira mais     efetiva de praticar RP. Usa a ...
RelaçõesFunções de     Públicas
Broom (1982) indicadores docomportamento do profissional de       relações públicas  • Consultor/Expert  • Facilitador de ...
Ferguson (1979) descreveu oito           funções normativas1.   Gerente solucionador de problemas2.   Comunicador técnico ...
Dozier (1984) baseado napesquisa de Broom foi mais além  a.   Gerente de relações públicas  b.   Técnico de comunicação  c...
No Brasil, uma pesquisa da Aberje   Penteado (1996) encontrou três    modelos mistos da prática decomunicação social/relaç...
Também foram encontradas duas          funções:Gerente de comunicaçãoTécnico de comunicação
A notíciaINSTITUCIONA      L
objetivos O que leva uma organização a querer se tornar referência junto a imprensa? O que ela pretende com a presença na ...
Divulgação jornalística na mídia nãoé um processo tão simples e linear.Tem caráter intencional enegociado, evidencia o que...
Pressupostos da notícia institucional
A realidade cotidiana é a realidade socialmente construída (Berger e         Luckmann, 1994)
Os media constróem a realidade, a exposiçãocotidiana provoca consequências, eles influenciam    como o público reage a det...
OS MEDIA NÃO CRIAM ASNOTÍCIAS, SÃO DEPENDENTES DEASSUNTOS NOTICIOSOSESPECÍFICOS, FORNECIDOS PORINSTITUIÇÕES. ELES POSSUEM ...
“Se um cachorro morde umhomem, não é notícia, mas se um homem morde um cachorro, é           notícia!”     Amus Cummings, ...
Entre as definições de notícia o fator     comum é a objetividade, a     simplicidade e a relevância
Por que estar na mídia?• Influenciar públicos responsáveis por  tomadas de decisões sociais e econômicas• Defesa de intere...
Selecionando o que é notícia   As organizações definem entre um vasto campo de informações o que é relevante ser  noticiad...
Estratégias paraaproveitamento das     notícias
Estratégia 1       Agendamento prévio dosacontecimentos é estratégico pois entra   na lista de afazeres da imprensa
Estratégia 2Apropriação dos valores-notícia: significa usar oscritérios da imprensa para definir o que deve sernoticiado. ...
Estratégia 3Algumas instituições, na tentativa de produziralgo todos os dias, optam por atualizar velhos         fatos com...
Aula 8
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Aula 8

426 visualizações

Publicada em

  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Aula 8

  1. 1. A comunicação é um processobásico, pelo qual conseguimosprogredir individual e socialmente.Ela facilita quatro funções básicasdentro da sociedade:
  2. 2. 1. Sobrevivência: as notícias alertam para oportunidades e perigo.2. Coordenação de resposta: influencia os indivíduos sobre como responder às oportunidades e perigos. Persuasão, propaganda e discussão
  3. 3. 3. Transferência entre gerações: cada geraçãoproduz conhecimento e por meio da comunicaçãotransmite o saber.4. Entretenimento: o entretenimento contribuipara que os indivíduos relaxem e possam sepreocupar com comunicações mais sérias emoutros momentos.
  4. 4. DadosInformações Sistemas
  5. 5. Dados – conjunto de fatos não organizados eprocessados. Pode estar incompleto, impreciso ouultrapassado.Informação – é o dado que alguém considera útil paraser utilizado. Devem ser processados para seremconvertidos em informação utilizável.
  6. 6. Precisão: sem erros Integridade: conter todos os dados Relevância: precisa ser importante para a tomada de decisão Atualidade: para fundamentar decisões em um ambiente instável Auditabilidade: o dado precisa ser passível de verificação da precisão e da integridade.Critérios para qualidade dos dados:
  7. 7. O diferencial entre organizações é acapacidade de reunir dados, analisa- los, transformá-los em informação, disseminar para o público específico e interpretar. A habilidade de interpretação faz surgir vencedores e perdedores no mercado.
  8. 8. SISTEMA Um grupo de elementos inter-relacionadosorganizado para atingir um objetivo comum. Todos os elementos do sistema tem uma relação lógica; eles trabalham para alcançar um objetivo comum do sistema ao invés dos seus próprios objetivos.
  9. 9. Informação e Conhecimento A informação é um fluxo demensagens, enquanto o conhecimento é criadopor esse próprio fluxo de informação, ancoradonas crenças e compromissos de seu detentor. Oconhecimento está essencialmente relacionado à ação humana.
  10. 10. Pensar e praticar Relações Públicas 4 modelos Grunig e Hunt (1984)As organizações aplicam as tecnologias decomunicação que dão melhores resultados para elas.
  11. 11. 1 Modelo promoção de imprensaquando o programa de comunicaçãobusca apenas divulgação por meio dapublicidade favorável especialmentedos meios de comunicação de massa.
  12. 12. 2 Modelo de informação pública quando “jornalistas residentes”enviam informação para meios de comunicação de massa e meioscontrolados (jornais, folders, etc).
  13. 13. 3 Modelo assimétrico de duas mãosutiliza pesquisa para criar mensagensque influenciam estrategicamente os públicos selecionados sem ter que alterar sua maneira de agir.
  14. 14. 4 Modelo simétrico de duas mãos considerado por Grunig (1992) a maneira mais efetiva de praticar RP. Usa a tecnologia decomunicação para administrar conflitos e melhoraro entendimento com públicos estratégicos. Resultana mudança de ideias, atitudes e comportamentos do público e da organização.
  15. 15. RelaçõesFunções de Públicas
  16. 16. Broom (1982) indicadores docomportamento do profissional de relações públicas • Consultor/Expert • Facilitador de comunicações • Facilitador do processo de resolução de problemas • Técnico em comunicação
  17. 17. Ferguson (1979) descreveu oito funções normativas1. Gerente solucionador de problemas2. Comunicador técnico em jornalismo3. Pesquisador4. Gerente administrativo5. Embaixador da boa vontade6. Organizador de reuniões7. Relações industriais e de recursos humanos8. Relações com a comunidade
  18. 18. Dozier (1984) baseado napesquisa de Broom foi mais além a. Gerente de relações públicas b. Técnico de comunicação c. Assessor de imprensa d. Assessor de comunicação
  19. 19. No Brasil, uma pesquisa da Aberje Penteado (1996) encontrou três modelos mistos da prática decomunicação social/relações públicas: Pesquisa de duas-mãos Publicidade de mão única Publicidade de duas-mãos
  20. 20. Também foram encontradas duas funções:Gerente de comunicaçãoTécnico de comunicação
  21. 21. A notíciaINSTITUCIONA L
  22. 22. objetivos O que leva uma organização a querer se tornar referência junto a imprensa? O que ela pretende com a presença na mídia?O que determina que alguns acontecimentos institucionais se transformem em notícia pública?Por que existem momentos que a organização não evidencia sua opinião? O que determina a produção de notícias?
  23. 23. Divulgação jornalística na mídia nãoé um processo tão simples e linear.Tem caráter intencional enegociado, evidencia o que ainstituição consideraimportante, interessante para queganhe estatuto de notícia. Aestratégica é inserir o tema deinteresse no meio social.
  24. 24. Pressupostos da notícia institucional
  25. 25. A realidade cotidiana é a realidade socialmente construída (Berger e Luckmann, 1994)
  26. 26. Os media constróem a realidade, a exposiçãocotidiana provoca consequências, eles influenciam como o público reage a determinado tema.
  27. 27. OS MEDIA NÃO CRIAM ASNOTÍCIAS, SÃO DEPENDENTES DEASSUNTOS NOTICIOSOSESPECÍFICOS, FORNECIDOS PORINSTITUIÇÕES. ELES POSSUEM ACESSOA MAIS INFORMAÇÕES DO QUE AMAIORIA DA POPULAÇÃO.
  28. 28. “Se um cachorro morde umhomem, não é notícia, mas se um homem morde um cachorro, é notícia!” Amus Cummings, ex-editor do New York Sun
  29. 29. Entre as definições de notícia o fator comum é a objetividade, a simplicidade e a relevância
  30. 30. Por que estar na mídia?• Influenciar públicos responsáveis por tomadas de decisões sociais e econômicas• Defesa de interesses• Prestação de contas quando se trata de empresas públicas• Construção de imagem positiva
  31. 31. Selecionando o que é notícia As organizações definem entre um vasto campo de informações o que é relevante ser noticiado. Essa decisão segue a diretriz do plano estratégico de comunicação.
  32. 32. Estratégias paraaproveitamento das notícias
  33. 33. Estratégia 1 Agendamento prévio dosacontecimentos é estratégico pois entra na lista de afazeres da imprensa
  34. 34. Estratégia 2Apropriação dos valores-notícia: significa usar oscritérios da imprensa para definir o que deve sernoticiado. Critérios identificados por Wolf (1992) Importância para a sociedade, capacidade de entretenimento, características únicas doproduto, relacionamento entre notícia e o meioque pode/deve ser utilizado, tipo de público e a última é o furo (ineditismo).
  35. 35. Estratégia 3Algumas instituições, na tentativa de produziralgo todos os dias, optam por atualizar velhos fatos com novos enfoques

×