WWW.OBESIDADEEMAGRECIMENTO.BLOGSPOT.COM.BR       Efeitos do stress ocupacional na saúde do indivíduo: A obesidade e suas  ...
WWW.OBESIDADEEMAGRECIMENTO.BLOGSPOT.COM.BRstress deve ser entendida como um processo e não uma reação estanque e independe...
WWW.OBESIDADEEMAGRECIMENTO.BLOGSPOT.COM.BRhipófise-adrenal levando à prejuízos metabólicos em consequência da excessiva pr...
WWW.OBESIDADEEMAGRECIMENTO.BLOGSPOT.COM.BR       Vale ressaltar que este tratamento, como qualquer outro ajudará o indivíd...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Efeitos do stress ocupacional na saúde do indivíduo

2.372 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
2.372
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
417
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
24
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Efeitos do stress ocupacional na saúde do indivíduo

  1. 1. WWW.OBESIDADEEMAGRECIMENTO.BLOGSPOT.COM.BR Efeitos do stress ocupacional na saúde do indivíduo: A obesidade e suas repercussões Por Psicóloga Daniela Souza A reorganização do estilo capitalista, e, por conseguinte, das modernas técnicas degestão empresarial, revela o cerne da mais recente questão social adjacente às relações detrabalho firmadas no direito contemporâneo. A realidade global foi severamente modificadapelas transformações socioeconômicas manifestadas do final do século XX apontando umanova configuração às relações de trabalho. A clássica relação empregatícia é abalada equestionada pelos novos ideais de eficiência na condução do mercado (Chapper, 2011). Assim, o conteúdo e a qualidade do trabalho humano também se modificaram. Odesenvolvimento do conteúdo informativo das atividades profissionais, a difusão dasferramentas de tratamento da informação e sua inserção em uma rede de informação ecomunicação tendem a fazer desaparecer as fronteiras tradicionais. Surgem novas tendênciasem relação ao trabalho: torna-se abstrato, intelectualizado, autônomo, coletivo, complexo ede intensas mudanças organizacionais (Chapper, 2011). Nesse contexto, exigem-se novas competências e habilidades dos trabalhadores, alémde formas diferenciadas de produzir e relacionar-se com o trabalho. Nessa dimensão o stresspode ser considerado um obstáculo, uma vez que poderá interceptar e desviar o fluxo deenergia, gerando assim, uma ruptura no equilíbrio pessoal. A vida acelerada dos dias atuais,principalmente nos grandes centros urbanos, contribui com um grande número de fatorescapazes de interferirem nesse equilíbrio, que é considerado de fundamental importância paraa saúde do indivíduo (Pereira & Zille, 2010). No processo de stress ocorre um desgaste anormal do organismo humano,ocasionando redução em sua capacidade de trabalho, provocada pela incapacidadeprolongada de o indivíduo tolerar e superar as exigências psíquicas da vida ou de adaptar-sea elas. Nesse contexto, caracteriza-se o stress ocupacional, sendo uma reação do indivíduoao seu ambiente de trabalho, no qual encontram-se agentes estressores que caracterizamuma relação pouco produtiva entre a estrutura do indivíduo e o seu ambiente ocupacional,demonstrando que excessivas mudanças estão sendo direcionadas ao trabalhador e que elenão está devidamente preparado, do ponto de vista psicológico, para internalizá-las de formapositiva (Pereira & Zille, 2010). O stress é definido por Lipp (2000) como uma reação do organismo, comcomponentes físicos e/ou psicológicos, causada pelas alterações psicofisiológicas que ocorremquando a pessoa se confronta com uma situação que, de um modo ou de outro, a irrite,amedronte, excite ou confunda, ou mesmo que a faça imensamente feliz. A resposta do Psicóloga especialista em Terapia Cognitivo-Comportamental e Obesidade e Emagrecimento, atuando no tratamento clínico e cirúrgico da obesidade. Autora do blog: www.obesidadeemagrecimento.blogspot.com.br Contato: daniela.souzao@yahoo.com.br
  2. 2. WWW.OBESIDADEEMAGRECIMENTO.BLOGSPOT.COM.BRstress deve ser entendida como um processo e não uma reação estanque e independente,pois no momento em que ela se inicia, um longo processo bioquímico se instala.Independentemente da causa da tensão, o início se manifesta de modo bastante semelhanteem todas as pessoas, com o aparecimento de taquicardia, sudorese excessiva, tensãomuscular, boca seca e a sensação de alerta. Do ponto de vista fisiológico, o stress é responsável por provocar nos indivíduosalterações de modo a preparar o organismo para enfrentar e/ou superar as fontes de pressãoexcessivas as quais está submetido. Quando não há um equilíbrio do organismo em relaçãoàs pressões psíquicas do meio e a estrutura psíquica do individuo, instala-se um quadro destress. O sistema nervoso e o sistema endócrino são de fundamental importância namediação desse processo, pois realizam a integração e coordenação entre os diversos órgãose sistemas do corpo humano. Indivíduos sujeitos a situações adversas reagem comalterações hormonais, por estimulação do eixo hipotalâmico-pituitária-adrenal, estimulando aprodução de glicocorticóides, em especial o cortisol. Isso resulta em alguns efeitos noorganismo como a mobilização aumentada de glicose, proteínas e lipídios a partir de suasreservas celulares, tornando-os disponíveis para a geração de energia. Braga et al. (2011) cita um estudo realizado em condições experimentais comindivíduos expostos a atividades envolvendo alta demanda e baixo controle sobre o trabalho(uma situação similar ao trabalho em alta exigência). A experiência ocasionou a produçãoelevada de cortisol e adrenalina. Em situações em que o indivíduo tinha um estressorcontrolável, somente a produção de adrenalina estava aumentada, enquanto o cortisolpermanecia baixo. Ou seja, há evidências de uma relação entre a inabilidade de baixar osníveis de cortisol sérico e a capacidade reduzida de lidar com o stress do dia a dia em algunsindivíduos quando comparados com indivíduos que conseguiam lidar com stress. Essas evidências corroboram a hipótese de que a falta de equilíbrio entre osestressores no trabalho como a demanda no trabalho e nível de controle exercido, e o tempoem que se experimenta essa situação de desequilíbrio, elevam a produção dos hormônios dostress que, por sua vez, podem desencadear processos de adoecimento físico e mental(Braga et al. 2011). Do ponto de visa neuroendócrino, o elevado nível de cortisol sanguíneo é o ponto deinterseção entre o stress e o excesso de peso, já que o eixo hipotálamo-hipófise-adrenalcontrola a produção de cortisol e fisiologicamente é um dos responsáveis pela resposta aostress. De acordo com Costa et al. (2011), as situações de stress ocupacional atuariam comofatores de risco para o desenvolvimento da obesidade visceral e suas consequências metabó-licas e cardiovasculares. Alguns estudos sugerem que situações de sobrecarga emocionalcomo situações de trabalho estressantes poderiam estimular a resposta do eixo hipotálamo- Psicóloga especialista em Terapia Cognitivo-Comportamental e Obesidade e Emagrecimento, atuando no tratamento clínico e cirúrgico da obesidade. Autora do blog: www.obesidadeemagrecimento.blogspot.com.br Contato: daniela.souzao@yahoo.com.br
  3. 3. WWW.OBESIDADEEMAGRECIMENTO.BLOGSPOT.COM.BRhipófise-adrenal levando à prejuízos metabólicos em consequência da excessiva produção decortisol. Existem evidências de que o desenvolvimento e manutenção, tanto da obesidade ecomo do stress, estejam relacionados ao estilo de vida e traços psicológicos, estruturacognitiva, emoções, comportamentos e o ambiente que o indivíduo esteja inserido. Seushábitos alimentares inadequados, tabagismo, uso abusivo de álcool e o sedentarismo estãointrinsecamente relacionados com esse adoecimento. Um corpo saudável lida melhor com o stress, uma nutrição adequada oferece recursosque ele precisa para se defender das crescentes exigências em seu ambiente de trabalho.Uma alimentação inadequada, por outro lado, esgotará suas reservas nutricionais, deixando-o vulnerável a doenças. Isso, por sua vez, provoca ainda mais stress, uma vez que nãopossuem os recursos necessários para conseguir vencer o problema. Dessa forma, constrói-se um ciclo vicioso: Em situações de stress, elevam-se os níveisde cortisol, aumenta o metabolismo energético, estimulando a ingestão de alimentos. Diantede uma alimentação hipercalórica e redução da atividade física, há o balanço energéticopositivo, oferecendo condições para o ganho de peso. Portanto, a alimentação é um dosfatores determinantes para o manejo do stress, bem como o seu consumo inadequadopoderá potencializa-lo. Marilda Lipp, a referência e uma das precursoras do estudo e manejo do stress,orientou um escreveu sobre o tratamento anti-stress, baseado em 4 pilares: relaxamento,alimentação, exercício físico e modificações na área cognitiva (Lipp & Malagris, 2001). Essetratamento, intitulado Treino de Controle do Stress (TCS), utiliza procedimentos e técnicascognitivo-comportamentais, tendo apresentando bons índices de sucesso. Os profissionaistreinados e capacitados para aplicarem o treino ajudarão o paciente/indivíduo a: 1) Entender o conceito de stress; 2) Aprender a identificar os sintomas de stress; 3) Reconhecer os estressores internos e externos; 4) Aprender a lidar com a ansiedade; 5) Reestruturar a maneira de pensar; 6) Desenvolver a assertividade; 7) Aprender a manejar técnicas de resolução de problemas; 8) Reconhecer e respeitar limites; 9) Reestruturar o modo de pensar e ver o mundo; 10) Estabelecer prioridades; 11) Melhorar a qualidade de vida; 12) Aprender a utilizar o stress a seu favor; 13) E por fim, desenvolver um plano pessoal de técnicas de manejo do stress. Psicóloga especialista em Terapia Cognitivo-Comportamental e Obesidade e Emagrecimento, atuando no tratamento clínico e cirúrgico da obesidade. Autora do blog: www.obesidadeemagrecimento.blogspot.com.br Contato: daniela.souzao@yahoo.com.br
  4. 4. WWW.OBESIDADEEMAGRECIMENTO.BLOGSPOT.COM.BR Vale ressaltar que este tratamento, como qualquer outro ajudará o indivíduo tanto adesenvolver estratégias de enfrentamento, como a aprender a conviver e lidar melhor com assituações que provocam o stress. Não obstante, eliminará os problemas originários doambiente, que podem ter sua ontogênese em uma série de estímulos diferenciados. O tratamento do stress e da obesidade requer um trabalho multiprofissional quecontemple os aspectos relacionados ao controle do stress emocional. Verificou-se que o TCSpromove mudanças duradouras no estilo de vida do indivíduo que favorecem ogerenciamento da sua saúde e a manutenção de uma melhor qualidade de vida. Referência Bibliográfica  Braga, V.C., Junger, W.L., Alves, M.G., Estresse no trabalho e pressão arterial: reflexões metodológicas sobre linearidade e operacionalização da exposição. Biblioteca do IMS – UERJ, Rio de Janeiro, 2011. Disponível em: http://apps.unibrasil.com.br/revista/index.php/direito/article/view/765/653 Acesso em: 30 de Abril de 2012  Chapper, A.A., a relação de trabalho no direito contemporâneo e os Impactos da globalização na nova ordem econômica e social. Cadernos da Escola de Direito e Relações Internacionais, 15,Curitiba, 2011. Disponível em: www.tesesims.uerj.br/lildbi/docsonline/get.php?id=796 Acesso em: 30 de Abril de 2012  Costa, M.C., Guércio, N.M., Costa, H.F., Oliveira, M.M., Alves, M.J., Possível relação entre estresse ocupacional e síndrome metabólica. HU Revista, vol.37, Juiz de Fora, 2011. Disponível em: www.seer.ufjf.br/index.php/hurevista/article/viewFile/1269/529 Acesso em: 30 de Abril de 2012  Lipp, M.E.N. (2000). Inventário de sintomas do stress para adultos. São Paulo: Casa do Psicólogo.Lipp, M.E.N. (2000). Inventário de sintomas do stress para adultos. São Paulo: Casa do Psicólogo.  Lipp, M. N. & Malagris, L. E. N. (2001). O stress emocional e seu tratamento. In: B. Rangé (Ed.). Terapias cognitivo-comportamentais: um diálogo com a Psiquiatria.  Porto Alegre: Artmed, 475-489 Pereira, L.Z. & Zille. G.P., o estresse no trabalho: uma análise teórica de seus conceitos E suas inter-relações. Revista Gestão e Sociedade CEPEAD/UFMG vol. 4, nº 7, Jan/Abr, 2010. Disponível em: http://www.face.ufmg.br/revista/index.php/gestaoesociedade/article/viewFile/ 923/768 Acesso em: 30 de Abril de 2012 Psicóloga especialista em Terapia Cognitivo-Comportamental e Obesidade e Emagrecimento, atuando no tratamento clínico e cirúrgico da obesidade. Autora do blog: www.obesidadeemagrecimento.blogspot.com.br Contato: daniela.souzao@yahoo.com.br

×