Sld 2

89 visualizações

Publicada em

Demanda

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
89
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
3
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Sld 2

  1. 1. Unidade II PLANEJAMENTO E CONTROLE DE ESTOQUESDE ESTOQUES Profa. Marinalva Barboza
  2. 2. Previsão de demanda  O planejamento macro da empresa leva em conta sua visão geral, que é divido em subplanos para as áreas funcionais como: produção, logística, finanças, marketing, vendas etc. (BALLOU, 2001). Exemplos de visões :  A visão da General Electric é ser a número um ou dois em cada mercado que atende. Do contrário, ficará fora deste mercado;  A visão da Hewlett-Parckard é atender aA visão da Hewlett Parckard é atender a comunidade científica;  A IBM está em constante remodelação para permanecer competitiva.
  3. 3. Previsão de demanda Objetivo:  Por que é necessário prever a demanda?  Quais os riscos de não realizar?  Quais os benefícios de se realizar?  O que é preciso saber?
  4. 4. Planejamento nos níveis hierárquicos E t té i í l t d i õ Estratégico: esse nível toma decisões mais amplas e abrangentes para toda organização, com planejamentos p/ longos prazos, como por exemplo, novos investimentos, novas instalações, abertura ou encerramento de novos negóciosou encerramento de novos negócios, junções, fusões, vendas entre outras decisões.  Tático: nesse nível, os gestores tomam decisões menos abrangentes, normalmente setoriais e regionais deg menor impacto e menor responsabilidade na organização como um todo.  Operacional: atuam como executores das ações determinadas geralmente pelos gestores (nível tático).
  5. 5. Níveis: Estratégico, tático e operacional
  6. 6. Tipos de demanda  Demanda constante: Não sofre variação significativa. É aquela que, não havendo mudança drástica no cenário, permanecerá a mesma para todos os períodos. Normalmente, sua demanda é estacionária como por exemplo o sal deestacionária, como por exemplo, o sal de cozinha.  Demanda variável: Sofre constantes alterações, podendo ter redução ou aumento drástico, de acordo com as necessidades de consumonecessidades de consumo.
  7. 7. Comportamento de demanda Estas variações de demanda podem ocorrer por três motivos:  Tendência:.  Sazonalidade:  Ciclicidade: Ciclicidade:
  8. 8. Técnicas de previsão de demanda  A demanda pode ser calculada por meios e métodos qualitativos e quantitativos. Método qualitativo:  A análise de demanda qualitativa pode ser definida como uma interpretação doser definida como uma interpretação do cenário, o que exige alguns conhecimentos prévios.
  9. 9. Método qualitativo Essa análise divide-se em: a) Opinião gerencial: visão de aspectos específicos do mercado, sobre os clientes e os produtos. b) Opinião de vendedores: por terem maiorb) Opinião de vendedores: por terem maior contato com clientes, é comum que tenham maior sensibilidade sobre as oscilações de mercado e gosto dos clientes.
  10. 10. Método qualitativo c) Opinião de compradores: Visão de cliente nunca deve ser desprezada. d) Pesquisa de mercado: Conhecer o que o cliente compra e quanto não é suficiente, é necessário saber o que o levou às compras, por que comprou ou não determinado produto.
  11. 11. Interatividade Se analisado em médio e longo prazo, o comportamento de uma demanda há grandes oscilações que se repetem no mesmo de 4 em 4 anos. O comportamento desta demanda é: a) Sazonal b) Tendencioso c) Cíclico d) Mediano e) estacionário
  12. 12. Método quantitativo Métodos quantitativos  São métodos que se baseiam em históricos acontecidos, números reais de demanda e outros modelos matemáticos.  Conheceremos as formas de calcular aConheceremos as formas de calcular a demanda através dos métodos quantitativos.
  13. 13. Métodos de previsão de demanda Segundo Tubino (2000), há dois tipos de técnicas quantitativas:  Aquelas baseadas em séries temporais ou de projeções e aquelas pautadas em correlações ou de explicação.  Vamos entendê-las melhor.
  14. 14. Métodos de previsão de demanda  Projeção: É a utilização de informações do passado para projetar o futuro. Acredita-se que o passado irá interferir de alguma maneira nos acontecimentos seguintes. Exemplo:
  15. 15. Métodos de previsão de demanda Correlação ou de explicação:  Técnicas baseadas no histórico de vendas.  Exemplo: o fato de a economia crescer 10% vai aumentar o poder de compra das10% vai aumentar o poder de compra das pessoas e, dessa forma, vamos produzir mais neste período. Veja a seguir alguns fatores de influência:
  16. 16. Métodos de previsão de demanda  influências políticas: afetam a estabilidade do país;  influências conjunturais: afetam a capacidade de reação das empresas e do mercado;  influências sazonais: problemas em períodos específicos do ano;  alterações no comportamento dos clientes;  inovações técnicas; inovações técnicas;  alteração da produção;  preços competitivos dos concorrentes.
  17. 17. Técnicas de previsão de demanda Método do Último Período – MUP  É um método simples, sem conceitos matemáticos, simplesmente considera o ocorrido no período atual como referência para o período seguinte. Exemplo:  Se vender 1.000 em janeiro, projeta 1.000 para fevereiro e, se por acaso vender 900 em fevereiro, projeta 900 para março.
  18. 18. Média Móvel Simples  A média móvel simples amplia a maneira de calcular do modelo anterior. Nesse modelo, a previsão é calculada a partir das médias de consumo nos períodos anteriores, chamaremos de n períodos a quantidade de períodos consideradosquantidade de períodos considerados.  O resultado é uma média, então essa técnica vai resultar em valores que podem ser maiores ou menores do que vem ocorrendo nos últimos períodos. Devem se tomar os devidos cuidados com a utilização dessa média, de acordo com o tipo de demanda. Veja a seguir:
  19. 19. Média Móvel Simples Seguindo o conceito de Francischine e Gurgel (2002), consideramos alguns aspectos a Média móvel simples.  Este método apesar de simples, possui algumas limitações, especialmente em demandas com picos de consumo.  Se faz necessário grande quantidade de dados históricos  Não há peso ou um grau de importância para meses com maior pico de consumo,para meses com maior pico de consumo, todos os meses são tratados de forma igual, desta forma quando há picos de demanda em algum período há uma distorção na média geral.
  20. 20. Média Móvel Simples  Gráfico de comportamento de demanda, com picos de consumo. Desta forma, fica impossível a utilização da média simples.
  21. 21. Interatividade Usando as técnicas de previsão quantitativa, uma empresa, que teve uma demanda de 1000 peças de um item em janeiro, projeta a produção de 1000 peças para fevereiro. Esta empresa usa o método: Úa) MUP – Média Último Período b) Projeção c) Correlação ou Explicação d) Média Simples e) NDA
  22. 22. Média Móvel Ponderada Fórmula: Exemplo de média simples: n YYYY Y n a   ...321 Resolução:
  23. 23. Média Móvel Ponderada Nessa técnica, a previsão é obtida pela ponderação dada a cada período, de acordo com a percepção do administrador e obedecendo a alguns critérios:  O peso será atribuído de acordo com a distância do tempo atual e a relevância do período  O período mais recente recebe maior peso.  O período mais distante recebeO período mais distante recebe menor peso.  A soma das ponderações deverá ser sempre 100%. (1 inteiro)
  24. 24. Média Móvel Ponderada Fórmula:  A fórmula é: Pi PiYi Ya    )( Em que:  Ya = demanda futura  Yi = demanda real Pi Pi  Pi = peso  Pode ser também apresentado em tabela, veja.
  25. 25. Média Móvel Ponderada  O consumo de um parafuso usado em uma ferramenta de uma indústria automobilística deu-se conforme a tabela a seguir. Pergunta-se: qual a previsão de consumo para o ano 2008, utilizando a MMP e adotando o seguinte sistema deMMP e adotando o seguinte sistema de pesos: 40%; 25%; 15%; 10%; 6% e 4% refletindo maior importância aos valores mais recentes?  Como calcular?
  26. 26. Média Móvel Ponderada Ano Consumo (Y) Pesos (Pi) (Yi x Pi) 2002 1000 0,04 40 2003 1200 0,06 72 2004 1100 0 1 1102004 1100 0,1 110 2005 1400 0,15 210 2006 1500 0,25 375 2007 1600 0,40 640 2008 å 1 1 4472008 å 1 1.447
  27. 27. Média Móvel Exponencial Ponderada Com este método, é possível eliminar desvantagens que não são tratadas nas outras médias. São três os fatores para se gerar a previsão do próximo período:  a previsão do último período;  a demanda (ou consumo) ocorrida no último período;  uma constante que determine o valor ou ponderação dada aos valores mais recentes.mais recentes.
  28. 28. Média Móvel Exponencial Ponderada Fórmula:  F t+1 = a . At + (1 - a) . Ft Em que:  F t+1 = previsão de demanda para o período seguinteperíodo seguinte  a = coeficiente de ajustamento/constante de ponderação  At = demanda real no último período (atual)  Ft = demanda prevista (futura)
  29. 29. Média Móvel Exponencial Ponderada Exemplo:  Considere que uma empresa estimava uma previsão de demanda de 100 unidades, porém, a realizada foi de 95 unidades.  Calcule a demanda para o próximo período considerando o α da seguinte forma: 60% - tendência e 40% - aleatório.
  30. 30. Média Móvel Exponencial Ponderada Resolvendo com a fórmula: F t+1 = a . At + (1 - a) . Ft  F t+1 = 0,60 . 95 + (1 - 0,60) . 100  F t+1 = 57 + 0,40 . 100  F t+1 = 57 + 40  F t+1 = 97
  31. 31. Interatividade Baseado no comportamento de demanda dos últimos meses, um posto de combustível da rede Shell previu uma demanda de 1000 litros de combustível, mas a concretizada foi 750 litros. O coeficiente deve ser considerado 100 % aleatório Qualdeve ser considerado 100 % aleatório. Qual deve ser a demanda do próximo período? a) 250 b) 750 c) 825c) 825 d) 1000 e) 1750
  32. 32. Comportamento de demanda Demanda Dependente:  É a demanda de itens que depende da necessidade de outro item, por exemplo, a demanda de pneus de uma montadora depende da demanda de veículos a serem montados.  A demanda de tecido de uma confecção depende da necessidade de camisas.  Então, de maneira resumida, os itens de demanda dependente são osde demanda dependente são os insumos para produção de algum produto ou serviço.
  33. 33. Comportamento de demanda Demanda Independente:  São demandas de itens para venda, podemos dizer que se trata do produto pronto. É aquele item que só depende do mercado, ou seja, das vendas.  Por exemplo: a quantidade de pizzas necessárias para uma pizzaria depende somente dos clientes. A quantidade de camisas a serem produzidas depende do mercado.  Os itens de demanda independente vão exigir os meios já mencionados de cálculos de demanda.
  34. 34. MRP - Materials Requeriment Planning  O MRP é uma das ferramentas para o cálculo preciso das necessidades.  Para utilização do MRP, é necessário conhecer a lista de material obtida por meio do conhecimento do produto.  Realiza-se então a “explosão” do produto ou árvore do produto.  Levar em consideração a demanda dele.
  35. 35. MRP - Materials Requeriment Planning Exemplo da árvore do produto.
  36. 36. MRP - Materials Requeriment Planning Entendendo a árvore:  Para que exista o produto A, é necessário montar as peças B, C e D.  Para montar a peça A, se utilizarão duas peças B, uma peça C e três D.peças B, uma peça C e três D.  Até aqui, preparamos uma percepção de demanda para produção ou montagem, não necessariamente para a compra de itens.  As peças B C e D consomem outras As peças B, C e D consomem outras peças, como segue:
  37. 37. MRP - Materials Requeriment Planning
  38. 38. MRP - Materials Requeriment Planning Para fazer uma programação, é necessário pensar da seguinte maneira:  conhecer a necessidade de cada um dos componentes;  conhecer o que será comprado e o queconhecer o que será comprado e o que será montado (produção);  conhecer os prazos de montagem (lead time) de cada uma das peças e os prazos de recebimento.  O importante não é somente produzir O importante não é somente produzir, mas sim quando produzir, conforme informações no exemplo a seguir:
  39. 39. MRP - Materials Requeriment Planning Exemplo: Considerando o mesmo item com o qual foi feita a explosão, teremos os seguintes dados de lead time e estoques:  Os itens A, B, C, D mostram os prazos de montagem. Os itens E, F, G indicam os prazos de recebimento.
  40. 40. MRP - Materials Requeriment Planning Como fica?
  41. 41. Formas de reposição de estoque JIT – Just In Time  O JIT é um método de produção com o objetivo de disponibilizar os materiais requeridos pela manufatura apenas quando forem necessários, isso para que os custos de estoque sejam menores (MARTINS, 2006). O objetivo é evitar todo tipo de desperdício.
  42. 42. Formas de reposição de estoque Sistema de reposição periódica  Determina-se a demanda de um período, exemplo: 600 unidades por mês. Cria-se um estoque de segurança para 4 dias. Exemplo:Exemplo:  Portanto, o ponto de ressuprimento seria as 600 unidades (consumo diário multiplicado pelo tempo de reposição – 20 dias) + 120 unidades (estoque segurança para 4 dias), totalizando 720segurança para 4 dias), totalizando 720 unidades.
  43. 43. Impactos na previsão de demanda “A Boeing Aircraft anunciou uma desvalorização de US$2,6 bilhões em outubro de 1997 devido à falta de matéria- prima e de componentes fabricados internamente e vindos de fornecedores e ineficiências de produtividade ”ineficiências de produtividade.” “As vendas do segundo trimestre da U.S Surgical Corporation caíram 25%, resultando em uma perda de US$22 milhões. A queda nas vendas e nos lucros é atribuída aos estoques muito maiores queatribuída aos estoques, muito maiores que o previsto, existentes nas prateleiras dos hospitais.”
  44. 44. Impactos na previsão de demanda “A IBM vendeu toda a produção de computadores New Aptiva PC e a falta dos mesmos pode custar milhões em receitas potenciais.”
  45. 45. Interatividade Uma remessa de camisa após passar pelo processo do planejamento das necessidades de materiais, produção dos itens que compõe as peças, foi para o mercado para a venda. Nesta fase, estamos falando de: a) Demanda dependente b) Demanda independente c) Demanda ponderada d) Demanda de mercado e) Demanda sazonal
  46. 46. ATÉ A PRÓXIMA!

×