PROF. LUIZ HENRIQUE - Cultivo do maracujazeiro

4.550 visualizações

Publicada em

PROF. LUIZ HENRIQUE - Cultivo do maracujazeiro

Publicada em: Educação
0 comentários
4 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
4.550
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
5
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
509
Comentários
0
Gostaram
4
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

PROF. LUIZ HENRIQUE - Cultivo do maracujazeiro

  1. 1. CULTIVO DO MARACUJAZEIRO Fonte: Embrapa
  2. 2. Origem BRASIL COLÔMBIA EQUADOR PERU Fonte: Wikipedia
  3. 3. Botânica • Gênero Passiflora: 24 subgêneros e 465 espécies. • Maior importância econômica dentre os 18 gêneros da ordem Passiflorales, família Passifloraceae (maracujazeiro). • Espécies: 150 à 200 (Brasil).
  4. 4. Produção brasileira por região fisiográfica 68,08% 20,06% Fonte: IBGE - 2008 3,49% 6,04% 2,33%
  5. 5. Fonte: IBGE
  6. 6. Produção brasileira ESTADO ÁREA COLHIDA (ha) PRODUÇÃO (ha) RENDIMENTO (t ha-1) BAHIA 20.170 275.445 13.66 CEARÁ 4.987 112.804 22.62 ESPÍRITO SANTO 2.429 66.133 27.33 SERGIPE 4.667 38.657 9.46 MINAS GERAIS 2.606 33.141 14.83 Fonte: IBGE 2008
  7. 7. BOTÂNICA • Dicotiledônea, trepadeira, crescimento rápido e indeterminado, atingindo até 10 m de comprimento. • FOLHAS alternadas, ovais (plantas novas) e trilobadas (adultas), com 5 à 10 cm de comprimento ao longo da nervura central: Fonte: Toda Fruta
  8. 8. BOTÂNICA • CAULE: seção circular, lenhoso e lignificado. Menos lenhoso em direção ao ápice da planta. • Maracujá amarelo: circular. • Passiflora alata, e Passiflora quadrangularis (quadrangular). • Crescimento indeterminado.
  9. 9. BOTÂNICA • FRUTO: formato variado globoso, ovóide oblongo, piriforme (forma de pêra), peso 30 a 300 g, 9 cm de diâmetro e cor variada. Fonte: EMBRAPA
  10. 10. FRUTO MESOCARPO Fonte: Embrapa/CNPMF SEMENTE EPICARPO ENDOCARPO (POLPA) ARILO CARNOSO
  11. 11. Corte longitudinal da flor do maracujá amarelo (Passiflora edulis f. flavicarpa) A Fonte: EMBRAPA B
  12. 12. BIOLOGIA FLORAL • Floração: começa com 4 - 5 meses; • Flor hermafrodita com estigmas localizados acima das anteras (dificultando a polinização); • Flores apresentam auto-incompatibilidade; • Abertura da flor depende da espécie: meio-dia até à noite no maracujá amarelo e pela manhã no roxo e no doce.
  13. 13. BIOLOGIA FLORAL Fonte: EMBRAPA
  14. 14. Espécies produtoras de frutos comestíveis • P. edulis Sims. f. flavicarpa Deg. - maracujá amarelo; • P. alata Dryander - maracujá doce; • Passiflora edulis Sims - maracujá roxo; • P. macrocarpa - maracujá melão; • P. quadrangularis L. - maracujá açú; • P. ligularis Juss - maracujá urucu; • P. laurifolia L. - maracujá laranja; • P. maliformis L. - maracujá maçã; • P. caerulea L. - maracujá azul.
  15. 15. P. edulis Sims. f. flavicarpa Deg. - maracujá amarelo Fonte: EMBRAPA
  16. 16. P. alata Dryander - maracujá doce
  17. 17. P. alata Dryander - maracujá doce
  18. 18. Fonte: IAC Passiflora edulis Sims - maracujá roxo
  19. 19. Passiflora maliformis Linn www.bieurolatina.com
  20. 20. Passiflora laurifólia Linn www.bieurolatina.com
  21. 21. Passiflora quadrangularis Linn www.bieurolatina.com
  22. 22. Passiflora edulis Sims - maracujá roxo
  23. 23. Híbridos ‘IAC Série 270’ Cultivar de frutos rosados, Maracujá-Maçã’ Cultivar IAC-277, com casca fina e maior proporção de polpa em relação ao IAC-273 Fonte: IAC
  24. 24. IAC-273 e IAC-277
  25. 25. IAC 275
  26. 26. IAC Paulista
  27. 27. Flores Fonte: IAC
  28. 28. Polinização Natural (mamangava – Xylocopa frontalis) Fonte: Embrapa
  29. 29. mamangava – Xylocopa frontalis
  30. 30. Visitantes florais mais frequentes Apis sp Bombus sp Polistes sp (vespa) Epicharis sp Fonte: Labea
  31. 31. Fonte: Prof. Angelo P. Jacomino ANTERA FILETE ESTIGMA ESTILETE OVÁRIO
  32. 32. Polinização Manual Fonte: Embrapa
  33. 33. Procedimentos para avaliar se os insetos polinizadores estão ocorrendo em quantidades certa • Marcar em dia de sol três flores abertas por planta; • Repetir operação em mais 34 plantas = 100 flores marcadas (área de dois a três hectares); • Área maior, aumentar quantidade; • Voltar ao campo quatro dias após estas marcações; • Contar, nas flores marcadas, os pequenos frutinhos com tamanho de uma azeitona; • Das 100 flores marcadas se obtiver 40 a 50 frutinhos, significa nível de mamangavas adequado; • Valores menores de 30% indicam ausência das mamangavas.
  34. 34. INTERAÇÕES ENTRE VISITANTES FLORAIS • Trigona spinipes: • Comportamento agonístico (agressivo) – (SAZIMA, 1989; MALERBO-SOUZA, 2002). • Roubo primário de néctar X consequências na polinização (MALERBO-SOUZA, 2002). Fonte: Labea
  35. 35. Clima • Quente, melhor condição de desenvolvimento. • Temperatura entre 18º C e 35º C. • Precipitação: 1.200 mm anuais, bem distribuídos na época das águas é suficiente para a cultura.
  36. 36. Escolha da área • Planas ou pouco inclinadas. • Terrenos com declive maior do que 5% (executar práticas de conservação do solo).
  37. 37. PROPAGAÇÃO (sementes) Formação de mudas em sacos plásticos Fonte: IAC
  38. 38. PROPAGAÇÃO (sementes) • 1.400 mudas para plantio e replantio de 1 hectare (necessárias 4.200 a 4.500 sementes). • Para essa quantidade de sementes são necessários aproximadamente 70 frutos.
  39. 39. PROPAGAÇÃO (sementes) • Lavar e friccionar em peneiras para tirar excesso de mucilagem. • Após lavadas, colocar sementes numa vasilha para que a mucilagem restante fermente por 2 ou 3 dias. • Friccionar e lavar novamente para retirada dos últimos resíduos. • Colocar sobre folhas de jornal para secarem à sombra por mais 2 ou 3 dias.
  40. 40. PROPAGAÇÃO (sementes) Mudas em tubetes Fonte: Toda Fruta
  41. 41. PROPAGAÇÃO (sementes) • Saco plástico: 22 cm x 11 cm. • Substrato: terra, esterco e superfosfato simples. • Aguardar 15 dias para terra acamar. • Semeia-se na profundidade de meio centímetro, usando-se 3 sementes por saco. • Mudas prontas: 75 a 90 dias após semeadura.
  42. 42. PROPAGAÇÃO (sementes) • 1000 kg (800 kg de terra, 200 kg de esterco curtido e 5 kg de superfosfato simples). • Brometo de metila (262 cm3) para 3 m3 de terra (3.000 kg). • 1.000 kg de terra para 1.200 a 1.400 sacos.
  43. 43. Plantio • Muda (5 cm de altura), desbastar (1 saco). • Muda (15 a 25 cm) espaçamento de 4 m x 2 m. • Cova (0,4 m x 0,4 m x 0,4 m). • Adubar de 20 a 30 dias antes do plantio: 500 g de calcário; 20 kg de esterco de curral curtido; 300 g de superfosfato simples; 50 g de cloreto de potássio; 50 g de FTE - BR12.
  44. 44. Espaçamento • 4 a 6 metros entre plantas 3 a 4 metros entre linha
  45. 45. Ciclo de produção Plantio dez jan fev mar abr mai jun jul ago set out nov dez jan fev mar abr mai jun jul Semeadura Formação das plantas Florescimento Colheita
  46. 46. Características • Frutos com peso entre 43 e 250 g. • Produtividade média: 12 a 15 t/ ha, havendo potencial para produção de 30 a 35 t/ha.
  47. 47. Propagação (enxertia) Fonte: Toda Fruta
  48. 48. Vantagens da enxertia • Obtenção de plantas iguais a planta mãe; • Controle de nematóides; • Resistência à seca; • Resistência à Phytophthora; • Morte prematura de plantas; • Qualidade dos frutos; • Qualidade do suco; • Possibilidade de multiplicar híbridos.
  49. 49. Sistema de condução: Caramanchão Fonte: IAC
  50. 50. Sistema de condução: Espaldeira Vertical Fonte: IAC
  51. 51. Tutoramento da planta Fonte: IAC
  52. 52. Tutoramento da planta
  53. 53. Poda de formação Inicia-se 15 dias após o plantio, eliminando-se os brotos laterais, deixando-se apenas o ramo mais vigoroso, conduzido por um tutor até o fio de arame Fonte: Lima et al, 2002
  54. 54. Poda de formação Espaldeira com um fio a 2 m do solo Fonte: IAC
  55. 55. PODA DE PRODUÇÃO inicio da brotação primaveril, cortando os ramos 60 cm abaixo do arame Fonte: Lima et al, 2002
  56. 56. Irrigação - Localizada Fonte: Frutiséries, 2002
  57. 57. Colheita • Varia de 6 a 9 meses. Plantios efetuados nos meses mais próximos do verão, permitem início de colheita mais precoce (6 meses). Longo período de safra. • Frutos de maracujá amarelo quando maduros caem ao chão, deste modo o ponto de colheita é determinado pela coleta dos frutos.
  58. 58. Frutos Climatéricos e Não Climatéricos • Abacate • Ameixa • Banana • Damasco • Feijão • Figo • Goiaba • Kiwi • Maçã • Mamão • Manga • Maracujá • Melão • Pêra • Pêssego • Abacaxí Azeitona • Cacau • Cereja • Framboesa • Groselha • Laranja • Lima • Limão • Melancia • Morango • Quiabo • Romã • Tâmara • Toranja • Uva
  59. 59. Taxa Respiratória de frutos climatéricos e não climatéricos (Moldão e Empis, 2000).
  60. 60. Conceitos Desenvolvimento: série de eventos desde o início do crescimento de um fruto até a morte do mesmo. Crescimento: aumento irreversível de atributos físicos de um fruto em desenvolvimento. Maturação: estádio do desenvolvimento que leva à maturidade fisiológica.
  61. 61. Conceitos Maturidade fisiológica: estádio a partir do qual o fruto continuará seu desenvolvimento mesmo que separado da planta. Amadurecimento: processos que ocorrem no final do desenvolvimento, resultando em características estéticas e de qualidade, evidenciadas por mudanças na composição, coloração, textura, sabor e aroma. Senescência: série processos que ocorrem após a maturidade fisiológica e levam à morte dos tecidos.
  62. 62. Estes slides são concedidos sob uma Licença Creative Commons sob as condições de Atribuição, Uso Não- Comercial e Compartilhamento pela mesma Licença, com restrições adicionais: • Se você é estudante, você não está autorizado a utilizar estes slides (total ou parcialmente) em uma apresentação na qual você esteja sendo avaliado, a não ser que o professor que está lhe avaliando: a) lhe peça explicitamente para utilizar estes slides; b) ou seja informado explicitamente da origem destes slides e concorde com o seu uso. Mais detalhes sobre a referida licença veja no link: http://creativecommons.org/licenses/by-nc-sa/2.5/br/ Autor: Prof. Luiz Henrique Batista Souza Disponibilizados por Daniel Mota (www.danielmota.com.br) sob prévia autorização.

×